Jornal Sintufes agosto de 2017 - nº 179

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sindicato dos Trabalhadores na Ufes

Popular Pages


p. 1

Nº 179 • Agosto 2017 SJornIalNdo TUFES Filiado à Fasubra Informativo do Sindicato dos Trabalhadores na Ufes É ‘GUERRA’ PELA EDUCAÇÃO É preciso lutar contra a privatização das Ifes e para não perdermos direitos conquistados. Educação não é mercadoria! Págs. 04 e 05 Lucro! Lucro! Lucro! #BastadeRacismo Participe do GT Antirracista Sintufes fortalece a luta da população negra e contra o racismo presente na sociedade, inclusive na universidade Pág. 03 #Ceunes Conheça a Fazenda Experimental Jornal do Sintufes traz informações sobre este importante setor do Centro Universitário do Norte do Estado, em São Mateus Pág. 07 #Sintufes25anos #ForaTemer também integra a história do sindicato Presidente segue no poder mesmo com graves denúncias de corrupção Pág. 08

[close]

p. 2

#Faladiretoria VAMOS LUTAR sempre por nossa amiga! Asituação da nossa amiga está lastimável. O diagnóstico do governo é letal: nossa amiga está com metástase. E o governo, que não é bonzinho nem quando está dormindo, faz de tudo para que ela evolua a óbito. Mas, há 25 anos, o Sintufes trata a nossa amiga com toda lealdade. É um defensor ferrenho dela. Sempre defendeu que ela recebesse mais investimentos a fim de que ela pudesse executar suas tarefas de forma pública, laica e com qualidade. Essa amiga é um tanto sistemática. Ela entra no sistema de ensino básico, médio e superior. Neste terceiro, ela se traduz em universidades públicas, que também são fatalmente atingidas pelo descaso governamental. As universidades estão passando necessidades.Cortaram os repasses que elas recebiam da nossa amiga.Atacam os direitos dos trabalhadores, reduzem vagas dos estudantes. Maltratam sua estrutura. E vendem a parte delas focada na saúde: os hospitais universitários. O governo reduz investimentos, precariza as relações de trabalho, sucateia as universidades e demais ramos da nossa amiga. Ela sofre por conta da gestão propositalmente péssima do governo. E o que ele faz? Encontra a panaceia para o câncer avançado: a privatização. Privatizar vira a solução para resolver o problema que o governo mesmo criou. Sabe por que ele faz isso? Porque o que nossa amiga produz tem um valor inestimável: o conhecimento, a pesquisa, o ensino, a extensão, o hospital escola, a formação de seres humanos não apenas voltados para o mercado de trabalho, mas sim para uma percepção mais ampla e social. O governo quer é mercantilizar a nossa amiga. Mas somos fiéis a ela. Vamos lutar até o fim contra essa doença, pois embora não pareça, existe cura! Vamos até a vitória em defesa dela: a educação pública e de qualidade. Diretoria Colegiada 2 | Jornal do Sintufes #Jurídico DESVIO DE FUNÇÃO: SINTUFES ARRANCA CONQUISTAS O setorJurídico do Sintufes informa que o sindicato está tendo conquistas para trabalhadores em processos de desvio de função.“Temos alcançado êxito nos casos que envolvem trabalhadores que realizavam atendimento a pacientes em estado grave”, informa a coordenadora da pasta, Joanicy Pereira. “Nos processos em que fizemos essa comprovação na Justiça, já há condenações para que a Ufes faça o pagamento das diferenças salariais entre o cargo ocupado e o que o servidor de fato exercia: por exemplo, auxiliar de enfermagem e técnico de enfermagem”, exemplifica a diretora. Segundo ela, quando o processo chega ao fim, o Sintufes convoca os trabalhadores envolvidos para a fase de elaboração de cálculos, valores a serem pagos para a contratação de contador etc. ESTATUTO E REGIMENTO A Comissão Especial dos conselhos Universitário e de Ensino, Pesquisa e Extensão está avaliando as considerações apontadas pela Comissão de Análise da nova proposta de Estatuto e Regimento da Ufes. O parecer da Comissão Especial deve sair em setembro. Mas a categoria ainda pode contribuir com críticas e sugestões até 31 de agosto pelo site: estatutoeregimento.ufes.br. #AcontecenaUfes SEXTA-CULTURAL ESTÁ DE VOLTA! A Sexta-Cultural do Sintufes está de volta! No dia 4 de agosto, ela foi voltou a acontecer,tendo como tema o “Arraiá do Sintufes – Não Vamos Temer Essa Quadrilha”.A próxima está prevista para o dia 15 de setembro. Elas são realizadas, geralmente, nas primeiras sextas-feiras de cada mês (exceto feriados), sendo organizada pela Comissão de Cultura e Esportes (Alcimar e Carioca). ELEIÇÕES HUCAM Após um longo processo de avaliação do novo regimento do Hucam, aprovado pelo Conselho Universitário, em junho, a escolha do próximo superintendente do hospital será feita por eleição direta. A votação está prevista para os dias 4 e 5 de outubro. Lamentamos, porém, o fato de o regimento não permitir que técnicos da área da saúde possam disputar o cargo.

[close]

p. 3

#GTAntirracista Scoinnttruafoersanciasmluota Grupo de trabalho do sindicato é aberto a todos que militam em favor da população negra Para fortalecer a luta contra o racismo, enraizado na sociedade brasileira, o Sintufes criou o grupo de trabalho (GT) Antirracista, como forma de contribuir com as entidades capixabas que fazem enfrentamento das práticas racistas. “A luta política e sindical precisa estar entrelaçada à questão racial. O GT foi criado,há menos de dois meses, mas já promoveu discussões importantes.E a direção do sindicato resolveu fazer o GT aberto à comunidade acadêmica e também a pessoas que militam na área”, explica o coordenador do GT e colaborador da diretoria colegiada do Sintufes,Adalbério Souza Lima, o Soli. Segundo ele, a criação do GT rea- firma o engajamento do Sintufes na luta contra o preconceito racial. “É um dos sindicatos mais combativos do nosso Estado, fundado há 25 anos, lutando pelas trabalhadoras e trabalhadores da Ufes, onde o racismo também se faz presente como naquele caso do professor de Economia. Por isso, precisamos lutar de forma ampla na questão racial para enfrentarmos o racismo e acabarmos com a ‘política’ de extermínio da população negra”, argumenta. Participe! O GTse reúne às quintas-feiras na sede do Sintufes, em Goiabeiras.Entre em contato com assedes do sindicato e confirme sua presença para ajudar a fortalecer o GT. Goiabeiras: (27) 3325-6450.Hucam: (27) 3335-7262. ‘Política’ do extermínio negro • A cada100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras; • Taxa de homicídios: de negros subiu 18,2% (de 2005-2015). De não negros reduziu em 12,2% no mesmo período; • Taxa de homicídios de negros: superou 2,5 vezes da população não negra; • No ES: homicídios de negros é três vezes maior que de não negros. *Dados do Atlas da Violência do Ipea. Atenção para o Programa de Avaliação de Desempenho A Comissão Interna de Supervisão (CIS) da Ufes e o Sintufes alertam à categoria para a realização do Programa de Avaliação de Desempenho (PAD) de 2017, referente ao período de 1º de agosto de 2016 a 31 de julho de 2017. Coordenada pela Progep, a avaliação deve ser feita por todos os trabalhadores técnicos até o dia 6 de setembro. Quem é servidor em exercício provisório, em colaboração técnica, afastado para pós-graduação, em licença para tratamento de saúde, em licença gestante ou cedidos para outro órgão, por mais de 180 dias, além de removido na metade do período avaliativo, fará a avaliação por meio especial. A Progep entrará em contato com as pessoas nessas situações a fim de orientar sobre os procedimentos a serem realizados. A avaliação é requisito para obtenção da progressão por mérito na carreira, desde que o servidor apresente média igual ou superior a 3,0, sendo que a máxima é 5,0. Havendo a necessidade de recursos, após o processo de avaliação, uma comissão composta por membros da Progep, da CIS e do SINTUFES farão análise e encaminhamento do trâmite recursal. A avaliação deve ser feita pela página da Progep.Veja os detalhes no site do Sintufes. #InformesdaCIS Comissão de Planejamento A CIS/Ufes e o Sintufes convocam a categoria a acompanhar os trabalhos que vão definir os representantes dos TAEs, na Comissão de Planejamento de Capacitação de Servidores (CPCS). A eleição foi no dia 16 de agosto.A Comissão Eleitoral vai divulgar o resultado final no dia 24 do mesmo mês. “A CPSCS vai enviar o seu planejamento ao DDP (Departamento de Desenvolvimento de Pessoas) com detalhes sobre licenças, critérios para afastamento, lista de servidores etc. E todo esse trabalho vai impactar na capacitação da nossa categoria. Por isso é importante que todos deem atenção a essa questão”, afirma a diretoria colegiada do Sintufes. www.sintufes.org.br | 3

[close]

p. 4

#Capa CRISE NAS IFES: “É ‘guerra’ para não perder o que temos” É também preciso lutar contra a privatização da educação, pois esta é a política de Temer e seus ‘comparsas’ “Venho convocar vocês para a ‘guerra’ para lutarmos e não perdermos o que temos”, cravou o coordenador-geral da Fasubra, Gibran Jordão, em palestra organizada pelo Sintufes, na Reitoria da Ufes, em Goiabeiras, em 2 de agosto, no Dia Nacional de Lutas e Paralisações. Para ele, a categoria precisa lutar para não perder, por exemplo, o auxílio-alimentação. E não ser ainda mais penalizada com projetos de leis que visam retirar direitos garantidos. Além disso,a ‘guerra’ visa o enfrentamento da mercantilização e da privatização da educação pública. Afinal, o governo quer vender a educação para aumentar o lucro de grandes e futuros empresários do ramo. O desmonte da educação pública ganha força com o governo corrupto de Michel Temer, amparado por seus ‘comparsas’ congressistas do Parlamento e por um Judiciário seletivo. A terceirização sem limites, o corte de verbas, o plano de demissão voluntária (PDV), a reforma trabalhista e a previsão de obrigar o trabalhador a aumentar seu tempo de contribuição previdênciária são ações que vão abrir caminho para que a educação pública seja cada vez mais terceirizada e privatizada. É verdade que as privatizações e as terceirizações permeiam as instituições federais de ensino superior (Ifes) desde os anos 1990, com FHC. Os governos petistas até ampliaram o número de Ifes, instituíram cotas. Mas não romperam com o processo de entrega e de sucateamento da educação pública. É ‘guerra’ contra o desmonte O governo federal cortou R$ 42,1 bilhões do Orçamento de 2017, sendo R$ 4,6 bilhões da educação. Para 2018, se não houver mais corte, não haverá reajuste. Ou seja, o total de verba do MEC – que foi de R$ 139 bilhões para todo o setor educacional,vai continuar nesse valor, em função da Emenda Constitucional nº 95 (resultado da aprovação da PEC do Fim do Mundo),que prevê congelamento de 20 anos dos investimentos públicos. Vale lembrar que a Ufes sofreu corte de R$ 12 milhões, recebendo R$ 79 milhões. Corte alto que altera o planejamento da instituição. Segundo o pró-reitor de Planejamento da Universidade,Anilton Salles, ele gostaria “de planejar para os próximos 10 anos, mas atualmente está planejando para os próximos dois dias”. Salles, no debate de 2 de agosto, informou que solicita aos centros da Ufes que façam de tudo para economizar energia, papeis etc. “O ataque à educação pública é violento.A privatização vai ser a justificativa diante do desmonte que o governo promove. Temos mesmo que fazer uma ‘guerra’ contra isso”, alerta a coordenadora de Comunicação do Sintufes, Luar Santana. Reitor. O reitor aceitou o convite e também participou do debate no dia 2. E trouxe algumas explicações e informou que deve realizar uma audiência pública, até o final de agosto, para debater a questão da crise. Veja mais sobre a participação dele na página ao lado. FIQUE DE OLHO: A próxima edição do Jornal do Sintufes vai continuar falando sobre o processo de mercantilização da educação, abordando mais ataques contra esse serviço público. 4 | Jornal do Sintufes

[close]

p. 5

#Capa A Universidade que queremos Em 2005, a Fasubra editou o seu projeto de “Universidade Cidadã para os Trabalhadores”. A publicação foi apresentada ao governo federal, em 2013, na reunião do grupo de trabalho (GT) de Democratização das Ifes, criado como demanda da greve de 2012. Com a mudança de governo, os trabalhos do GT foram enterrados pela Presidência da República. Mas o projeto da Federação é, ainda, o mais próximo do ideal a fim da construção de uma universidade pública, laica e autônoma. “O texto foi construído na perspectiva de inclusão de todos os atores envolvidos no processo de educação, que garanta inclusão, relevância social, para o estabelecimento de uma educação libertadora. Portanto, não se trata de uma proposta corporativa. Pois, ela vai municiar a educação superior para que tenha um caráter de fato democrático em todos sentidos, dando voz aos excluídos. E a partir dessa premissa, resgatando e reescrevendo a história de nosso país, ouvindo todos os sujeitos, raças e etnias que construíram esta nação”, assinala a diretoria colegiada do Sintufes. Plano Nacional de Carreira O sindicato considera que o projeto “Universidade Cidadã para os Trabalhadores” beneficiaria toda a classe trabalhadora da educação pública. Um dos motivos é que o projeto estabelece o Plano de Nacional de Carreira Único para os Trabalhadores daUniversidades PúblicasAutônomas. O plano prevê uma estrutura dos cargos com garantia de malha salarial única definidora da hierarquia profissional, piso nacional isonômico de vencimentos, independente do sistema a que pertença a Universidade. Acesse apáginadosindicato e confira a íntegra da proposta da Fasubra. Educação sempre na luta O projeto de “Universidade Cidadã para os Trabalhadores” seria o mundo ideal para as universidades públicas e para a classe trabalhadora da educação que nunca foge à luta. E para as demais categorias que teriam melhor acesso aos serviços das universidades. Porém, é preciso fazer a luta. Pois, além do projeto ideal de Universidade não está na ordem do dia, os ataques às Ifes são cada vez maiores. E a união dos servidores públicos federais – por pautas gerais, não é forte como deveria. As greves realizadas por direitos sociais, salariais e trabalhistas têm sido mais travadas pela educação. A Fasubra tem protagonizado os últimos movimentos paredistas, mostrando a indignação da classe trabalhadora da educação pública diante dos ataques às Ifes. Ou seja,quem está mais apanhando A Universidade Cidadã para os Trabalhadores visa a inclusão de todos para o estabelecimento de uma educação libertadora é quem está mais lutando. Porém, é sempre importante lembrar que a luta pela educação não é exclusiva dos TAEs. Afinal, filhos de desembargadores, de empresários, de trabalhadores da construção civil, de desempregados, todos eles procuram as universidades, os institutos federais para estudarem. Se não houver o alerta ligado e a união na luta, isso vai acabar. REITOR ACERTA, MAS NÃO LEMBRA QUE ERROU No debate realizado pelo Sintufes, no dia 2 de agosto, o reitor da Ufes fez uma questionamento pertinente. Ele questionou: “como as pessoas não estão todas indignadas com isso tudo que está acontecendo? Não consigo entender”. No entanto, o reitor já deu sua contribuição para o desmonte do serviço público, quando entregou o Hucam à Ebserh, em 2013, sem diálogo. Sem ouvir as considerações contrárias do Sintufes, Adufes e estudantes e demais organizações de luta em favor dos HUs. www.sintufes.org.br | 5

[close]

p. 6

#Ceunes Trabalhadores atuam mesmo SEM AS DEVIDAS CONDIÇÕES Corte no orçamento atinge Ceunes e setores como a Fazenda Experimental Arealidade dos trabalhadores da Ufes é bem distante do que o que a mídia vende, dizendo que funcionários públicos ganham bem e não trabalham. O que se vê, na verdade, é o contrário disso. São trabalhadores, sem condições ideais de atuação, e com as mais variadas ameaças, vindas do Planalto, fazendo os campi funcionarem a serviço da sociedade capixaba. É o que acontece no Centro Universitário do Norte do Estado (Ceunes) mais precisamente na Fazenda Experimental daquele campus. “Esses cortes têm impactado na Fazenda, que é um órgão recente do Ceunes,com várias demandas de ampliação de infraestrutura e mão de obra. Contudo, o empenho de quem está aqui é grande e nós atendemos as demandas do setor de acordo com nossas possibilidades/limitações”, ressalta o técnico em Agropecuária do setor, Gleison Oliosi. Fique por dentro da Fazenda Órgão complementar do Ceunes, a Fazenda Experimental possui área física de 196,37 hectares, com sede no município de São Mateus,ES.Têm por finalidades, apoiar e colaborar com os cursos da área de Ciências Agrárias, bem como os demais cursos no ensino, pesquisa e extensão. Além disso,também atua como base para reciclagem de conhecimentos de profissionais por meio de cursos, Fazenda sofre os impactos da crise, mas conta com o empenho da categoria para tocar as demandas do setor estágios, seminários e visitas. Na Fazenda são realizados vários experimentos de pesquisa e unidades demonstrativas de ensino que atendem o curso de graduação em Agronomia e mestrado em Agricultura Tropical,bem como os demais cursos do campus. Dentre os experimentos realizados na Fazenda, destacam-se as culturas, como: café, pimenta do reino, mamão, milho, uva, banana, abacaxi, tomate, feijão e mandioca. #Aposentadas/os Sintufes estimula as habilidades das/os aposentadas/os No dia 18 de agosto, a Coordenação de Aposentados do Sintufes promoveu mais um encontro das aposentadas, dos aposentados e pensionistas da categoria, na sede do Sintufes, em Goiabeiras. “Estamos dando sequência aos trabalhos de trazer à tona as habilidades que as nossas aposentadas e os nossos aposentados têm ou mesmo que, por ventura, possam vir a desenvolver, como forma de socialização. Isso melhora a interação e o conhecimento de cada um em favor do coletivo”, explica a coordenadora da pasta, Marly Balduíno. Outras questões a serem tratadas pela Coordenação são: a discussão sobre o “SER” idoso e a Cidadania; e a exposição “Avós e Fotografia”. Para mais detalhes sobre essas atividades, participe dos próximos encontros das/os aposentadas/os, que estão previstos para os dias: 15 de setembro; 20 de outubro; e 24 de novembro. Sempre às 10h30, na sede de Goiabeiras. SOLIDARIEDADE AOS COLEGAS DEMITIDOS DA UNIRIO A direção do Sintufes se une à da Fasubra manifestando apoio e solidariedade aos técnico-administrativos em educação,Marcelo Silva,Bruno Luiz Santiago Cruz e Rafael de Souza e Mello,da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), exonerados do serviço público, sem direito de contestar a decisão. A FASUBRA disponibilizou uma conta bancária para que entidades e apoiadores possam contribuir para que os companheiros da Unirio tenham condições de seguir na campanha por sua reintegração. Caixa Econômica Federal Agência - 0004 Operação 013 Conta Poupança - 18709-0 CNPJ: 08.485.179/0001-26 Acesse o site do Sintufes e veja que a demissão foi fruto de perseguição das atividades sindicais dos colegas. Essa luta conta com o esforço de todos nós! 6 | Jornal do Sintufes

[close]

p. 7

#HospitalUniversitário #EuTrabalhoAqui Hucam sim, EBSERH NUNCA! Pesquisa revela que 99% dos usuários indicariam o hospital a familiares População indica o hospital em função das/os trabalhadoras/es que lutam e ‘abraçam’ o Hucam para ele seguir como referência AEmpresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) divulgou, em seu site, uma Pela luta constante de quem sempre ‘abraçou’ e defendeu o hospital, sobretudo por parte da classe trabalha- pesquisa que revela: “99% dos usuá- dora que enfrenta assédio moral, má rios entrevistados em 2017 indica- condições de trabalho, mas mesmo riam o Hucam para um parente”. assim ainda presta um atendimento O dado é utilizado para tentar digno ao povo. E não porque o Hu- justificar que a satisfação dos usuá- cam é gerido pela Ebserh. rios do Hospital Universitário au- Ah, mas a Empresa melhorou a mentou com a chegada da Empresa gestão do hospital? Se isso fosse ao hospital. Porém, a pesquisa avalia uma verdade, o Sintufes não rei- aspectos relacionados à estrutura, vindicaria diversas questões junto ao atendimento e à avaliação geral ao superintendente. Sem falar que, do hospital. nacionalmente, os contratos da Eb- ParaoSintufes,o resultado é muito serh com os HUs serão fiscalizados. mais consequênciadas/ostrabalhado- E a Fasubra vai montar uma comisras/es do hospital (incluindo o corpo são especial para tratar da Empresa. de funcionários da Ebserh, terceiriza- Mercadoria. Agora, imagina se o dos,cedidos pelo Estado e prefeituras) usuário soubesse que a Ebserh trata do que em função dos quatro anos de a saúde como mercadoria. Pior ainda, gestão por parte da empresa. Prova se o usuário soubesse que o supe- disso é que o índice de satisfação em rintendente do hospital usa o conrelação ao “atendimento da equipe ceito de benchmarking (processo de saúde – gentiliza e tratamento de de comparação de produtos e ser- saúde recebido” é de 95,53%. viços) para se referir a pacientes do Ou seja, as pessoas indicariam o Hucam. O usuário não iria procurar Hucam pelo histórico do hospital e nem indicaria o hospital nem para em favor da sociedade capixaba. o seu maior inimigo. Dia do Psicólogo: conheça o trabalho da equipe do DAS Em lembrança ao Dia do Psicólogo, 27 de agosto, a coluna ‘Eu Trabalho Aqui’ do Jornal do Sintufes traz entrevista com profissionais do serviço psicológico do Departamento de Atenção à Saúde (DAS) da Ufes, que teve início em 2006. Conheça um pouco desse importante trabalho. Como é o trabalho da psicóloga no DAS? Atuamos de acordo com a diretriz para saúde mental do Serviço Público Federal, sendo prioritariamente direcionada para ações de promoção da saúde e prevenção de doença. Quais motivos levam os trabalhadores a procurarem o serviço? A atual conjuntura política tem impactado nessa questão? Os motivos são conflitos no setor de trabalho, estresse, depressão dentre outros. As perspectivas de mudanças nas regras da Previdência têm sido citadas nos atendimentos psicossociais com mais frequência em 2017, sendo um fator de desgaste, que causa desconforto e instabilidade aos servidores. As condições de trabalho do setor são ideais? O DAS tem hoje uma equipe estruturada com quatro psicólogas e duas assistentes sociais. Porém, esse número de profissionais limita a implementação de projetos novos ou ampliação dos atuais. Ressaltamos que os servidores também contam com profissionais da Psicologia em todos os campi. Nossas condições de trabalho são satisfatórias, mas não ideais, que exigiriam mais investimentos do Governo Federal na esfera da promoção de saúde, além de melhorias no local de trabalho. Quem são as profissionais da Psicologia do DAS? São as psicólogas: Cynthia Perovano Camargo Baumel, Solange Vianna Dall’Orto Marques, Milena Fiorim de Lima Lemos e Roberta Alvarenga de Almeida Vargas. PARABÉNS A TODAS/OS PSICÓLOGAS/OS PELO SEU DIA! www.sintufes.org.br | 7

[close]

p. 8

#Sintufes25anos Luta contra as reformas temerárias faz parte do histórico combativo do sindicato como aconteceu na greve de 2016 TEMER: o maior desgoverno de todos os tempos Nunca antes nos 25 anos do sindicato, convivemos com um presidente tão corrupto e com uma sociedade tão imóvel Em 31 de julho de 2017, o Sintufes completou 25 anos e lançou uma edição especial do jornal da entidade lembrando essa história combativa. Ao longo deste ano, as demais edições vão lembrar esse um quarto de século. E começamos essa lembrança com uma triste realidade – talvez a pior ao longo dessas duas décadas e meia: Michel Temer no Planalto, zombando descaradamente do povo brasileiro, escancarando a subserviência mercenária do Senado e da Câmara e a seletividade imoral da Suprema Corte e de grande parte do Judiciário, promovendo um verdadeiro desgoverno do setor público federal. “Nunca antes na história desse País”, tivemos um presidente, denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro se mantendo no poder.Sem panelas, que bateram ininterruptamente para queda de Dilma, que deu ‘pedaladas fiscais’. Fazendo reuniões fora da agenda, na calada da noite, Temer pretende elevar as metas fiscais de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões, em cada ano, aumentando o rombo nas contas públicas. Com isso, reajustes salariais de funcionários públicos civis do Executivo vão ser suspensos. Já dos militares e dos servidores do Judiciário e Legislativo, não. A privatização dos aeroportos e até da Petrobras estão na cartilha temerária. As aprovações da terceirização, da PEC do Fim do Mundo, da reforma trabalhista mostram a força de Temer, baseada na distribuição de emendas parlamentares e chantagens políticas.A Reforma da Previdência está em pauta para fazer o trabalhador contribuir mais. Mas Temer não pretende taxar as grandes fortunas e cobrar as dívidas previdenciárias de grandes empresários. O pacote de maldades é de dar inveja em Collor, Itamar, FHC, Lula e Dilma – só para constar os presidentes que perpassaram os 25 anos do Sintufes. Não temos 25 anos para retirar ele de lá. O problema é que pelo andar da carruagem e pela inércia da população, ele deve terminar o mandato. “Mas nós não vamos nos curvar. Não o fizemos nesses 25 anos, não vai ser por este governo que vamos fazer isso, pois já lutamos contra ele, como ocorreu na greve de 2016.Vamos seguir combatendo esse absurdo em forma de presidente e todo o seu desgoverno”, ressalta a diretoria colegiada do Sintufes. Diga não ao PDV! O Plano de Demissão Voluntária (PDV), mais uma tática de ataque de Temer, deve ser evitado. Quem fez se arrependeu. E o PDV não deve ser feito sob hipótese alguma. A não ser que o trabalhador tenha outros objetivos que valem abrir mão da carreira. Pensem na Uerj A Uerj não tem previsão de retomar suas atividades. Trabalhadores devem receber salários atrasados agora em agosto. Mas o 13º de 2016 ainda não foi pago. E os salários, desde outubro passado, são parcelados em até cinco vezes. E as parcelas são atrasadas. A grave crise, cujo principal culpado está atrás das grades em Bangu, repleto de regalias, é um exemplo do que pode ocorrer com as instituições federais. Pensem na Uerj. E lutem pela Ufes! EXPEDIENTE Sindicato dos Trabalhadores na Ufes Filiado à Fasubra SINTUFES - Avenida Fernando Ferrari, s/nº, Campus Universitário, Vitória, ES - Tel: (27) 3325-6450. Fax: (27) 3227-4000. Subsede - Avenida Marechal Campos, s/nº , Campus de Maruípe, Vitória, ES - Tel: (27) 3335-7262. Fax(27) 3315-3444. www.sintufes.org.br - sindicato@sintufes.org.br | Projeto gráfico: Link editoração | Diagramação: NovaPauta Comunicação - Jornalista: Luciano Coelho MTB-ES/1743. | Tiragem: 1,5 mil exemplares. Os textos publicados neste jornal são de inteira responsabilidade da Diretoria Colegiada do Sintufes.

[close]

Comments

no comments yet