Revista Consciência 130

 

Embed or link this publication

Description

Revista Consciência 130

Popular Pages


p. 1

2017 - Ano 25 - nº 130 A Loja Pharol do Sul n° 1971, Benfeitora da Ordem, jurisdicionada ao GOB-MS, em comemoração aos 40 anos de sua fundação, pág. 21 www.revistaconsciencia.com.br A última pedra Admissão à maçonaria! A iniciação, como sentimos Loja Estrela Flamejante nº 1814 GOB - Riacho de Santana/BA

[close]

p. 2

Acesse www.revistaconsciencia.com.br e veja nossos produtos Ligue (67) 3025-6325 / 3028-3333 EmCampoGrande/MSvisitenossoShowRoom: R.INÁCIOGOMES,119SÃOLOURENÇOCEP79041231 Esq.eComp.VazadoDourado Esq.eComp.Triang. Esq.Comp.Triangular Coraçãoc/Esq.e Ref. BT001 D Azul com Filete Ref. BT007 A Comp. Azul Ref. BT006 A Ref. BT008 A Folha de Acácia Ref. BT012 (Media) AcáciacomPingente AcáciaOval Ref. BT013 Ref. BT014 Esquadro Venerável Ref. BT024 Esquadro Venerável Ref. BT025 Águia Bicéfala 33 Verm. Ref. BT035 V Demolay Caval. e Maçom Ref. BT039 A Bode Ref. BT041 Pomba Ref. BT045 Bandeira Paz Ref. BT048 Band. Brasil x Esq. e Comp. Ref. BT049 EsquadroCompassoStrass AcáciaEsq.eCompasso EsquadroeCompasso DemolayAlumni Esq.eComp.Trabalhado Ref. BT055 A Ref. BT070 V Ref. BT 076V Ref. BT092 Grande -Dourado Ref. BT115 Coração Arco-Íris Ref. BT128 FilhasdeJóLoira Esq.eComp. ComEscrita OvalVermelho Ref.BT133 Ref. BT138 V Conjunto Completo Venerável Mestre para Grande Loja e Grande Oriente Avental Mestre Maçom Gravatas Lisa várias cores com bordado do Esquadro e Compasso Ref. AV 01 Ref. AV 08 Adesivos Diversos Modelos Quant. Mínima 10 Ref. AD 01 Ref. AD 02 Ref. AD 03 Ref. AD 04 Adesivos de Metal Dourado Prateado Chaveiros diversos modelos Prendedores de Gravata Esq. e Comp. Vazado Grande PG002 Esq. e Comp. Liso Vermelho G003 V Cavalaria + Demolay PG008 Esq. e Comp. Trabalhado Azul PG009 A Demolay Esq. e Comp Vermelho PG011 V Canetas Diversos modelos Chav. Malhete Dourado Ref. CH 021 D Esq. e Comp. Azul Giratório Ref. CH 023 A Esq. e Comp Red. Dourado - Verm. Ref. CH 026 V Chav. Acácia Oval -Dourado Ref. CH 028 D Chav. Demolay Recortado - Dourado Ref. CH 043 D Esq. e Comp. Vazado Frat. - Lib. - Iguald. Ref. CH 055

[close]

p. 3

A crise brasileria e a maçonaria Ninguém ignora a crise pelo qual o Brasil está passando com previsão de que deve agravar, pelo andar da carruagem. É uma visão caótica de quase toda população do país. No momento que o Brasil atravessa uma crise institucional, atingindo a crise moral, a preocupação dos brasileiros cresce a cada dia, sem perspectivas de uma solução favorável. No interior das Lojas Maçônicas tem se comentado e debatido esse problema, entretanto não tem saído das quatro paredes das Lojas. O que se tem visto são manifestos escritos e cartas que não produzem efeito nenhum. Apesar de se debater, com sábias conclusões, estas não são levadas para um trabalho prático. Nas discussões em Loja, não raro se menciona o que a Maçonaria fez no passado (Independência do Brasil, Proclamação da República, Revolução Constitucionalista, etc) e que hoje ela está amorfa. O que se tem de entender é que no passado quem fez foram os Maçons, carregando o nome da Sublime Ordem. E, os Maçons de hoje, não estão fazendo para que no futuro citemos o que a Maçonaria fez!.....

[close]

p. 4

3 A crise brasileria e a maçonaria Editorial 5 É hora de agir Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul 6 Por uma maçonaria justa e perfeita Walber Gonçalves de Souza 8 A última pedra Roberto Shinyashiki 9 Admissão à maçonaria! Valdemar Sansão 12 Qual a verdade que investigamos? Caio R. Reis 14 Sois maçom? João Carlos R. de Menezes 15 O Grau 14 Aurivan de Castro 16 A iniciação, como sentimos Renato Soares de Melo 19 “É próprio de todos os homens o conhecer a si mesmo e ser moderado” Jorge Souza 22 Giordano Bruno, o visionário E. Figueiredo 28 Tolerância X Conivência: nas práticas maçônicas Maurício Alves Rodrigues Pugas 32 A participação da maçonaria na educação brasileira no final do século XIX Samuel Vieira da Silva Adílio Jorge Marques 34 A Lua que não dei Cecílio Elias Netto Visite nosso site e veja os vários eventos Maçônicos. Conheça também nossa Loja virtual: www.revistaconsciencia.com.br Visite nosso Show Room em Campo Grande/MS: R.InácioGomes,119-SãoLourenço-CEP 79041-231 Fones(67)3025-6325/3028-3333 Grande Templo Maçônico de Paris CNPJ 02.586.377/0001-08 Inscr. Estadual 28304576-0 Filiada à ABIM - Assosiação Brasileira de Imprensa Maçônica com Registro N0 06 DEPARTAMENTO DE VENDAS E RECEBIMENTO DE CORRESPONDÊNCIA Caixa Postal 6001 - C. Grande/MS - CEP 79002-971 Fones (67) 3028-3333 / 3025-6325 / 3331-5361 Celular (67) 99984-2819 revistaconsciencia@revistaconsciencia.com.br ademir@revistaconsciencia.com.br www.revistaconsciencia.com.br • R. Inácio Gomes, 119 - São Lourenço - CEP 79041-231 DIRETOR PRODUÇÃO EDITORIAL COLABORADORES PROJETO GRÁFICO Ademir Batista de Oliveira (67) 99911-3636 ademir@revistaconsciencia.com.br Ademir Batista de Oliveira ademir@revistaconsciencia.com.br A colaboração na Revista Consciência não gera vínculo trabalhista • Campo Grande/MS Juvenal Cordeiro Barbosa (67) 3321-5360 / 99985-0758 Osvaldo Freitas (67) 3028-4695 / 99905-3124 • Aquidauana/MS Arlindo (67) 3241-1779 • Natal/RN Alci Bruno (84) 3234-5909 / 99101-5315 • Divinópolis/MG Gabriel Campos de Oliveira (37) 3216-0808 / 99987-7633 • Santa Maria/RS Hugo Schirner (55) 3222-0536 • Sinop/MT Joel Monteiro Lopes (66) 3531-2650 / 99231-7544 • Rondonópolis/MT Cicero Belarmino da Silva (66) 3422-3006 / 99994-8533 • Porto Velho/RO Francisco Aleixo da Silva (69) 3229-1556 / 99972-1027 • Presidente Prudente/SP Sergio Pereira Cardoso (18) 3221-5941 / 99742-4367 André da Silva Cerqueira (comp&art) 210717 A Revista Consciência é um veículo independente, não vinculada a Potências ou Lojas Maçônicas. Os artigos assinados não refletem necessariamente o pensamento da direção da Revista, sendo de inteira responsabilidade de seus autores.Os trabalhos enviados à redação são analisados pelo Conselho Editorial, podendo ser ou não publicados. Os originais não serão devolvidos aos autores. Atenção: Solicitamos aos nossos colaboradores que enviem seus artigos com o título, o nome completo, Loja e local. EXEMPLO: José da Silva • Loja Perfeita Luz nº 00 (Potência) • Campo Grande/MS ficha técnica SEDE PRÓPRIA www.revistaconsciencia.com.br PROJETO GRÁFICO R. Inácio Gomes, 119 - São Lourenço CEP 79041-231 - Campo Grande/MS (67) 3025-6325 / 3028-3333 comp_art@uol.com.br (67) 9983-6214 IMPRESSÃO E ACABAMENTO www.printexpress.art.br (18) 3642-9001 VEICULAÇÃO NACIONAL Tiragem 5000 Exemplares 4 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 5

Paulo Roberto Pithan Flores Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Rio Grande do Sul A É hora de agir profunda crise moral, ética, política e institucional que o nosso país atravessa precisa ser encarada de frente e com a mais absoluta capacidade de discernimento e seriedade que exige. É impossível acreditar que tudo irá se resolver naturalmente ou que virá uma solução mágica, saída de alguma mente brilhante. Isso não acontecerá! A crise que estamos passando, e que se prolonga de maneira perigosa, só será superada se a população quiser. Sim, se quisermos! Não se trata apenas de uma crise econômica. Essa é consequência da maior, a crise política e institucional. Estamos sem liderança, governados por pessoas sem credibilidade e sem respeito do povo, o princípio da autoridade se esvai a cada dia, a criminalidade apavora, enfim, tudo se desmancha sem que tomemos as rédeas do nosso próprio país e do nosso destino. É mais do que urgente que nós, maçons, tomemos a dianteira para assumir o papel que já tivemos na História do Brasil. Estivemos presentes em todos os momentos importantes. Fomos decisivos em muitos deles. Por que, então, estamos abdicando de participar agora? Jamais devemos defender que a Maçonaria se envolva diretamente nas questões políticas e nas decisões da nação. Mas os maçons devem se envolver. Levar nossos valores e princípios para dentro das esferas de poder, contribuindo para a melhoria e para a moralidade. É hora de agir, declarando guerra aos maus exemplos, aos maus costumes! Devemos ser exemplo para a sociedade, estar à frente das demandas, liderar as discussões e encaminhar as soluções. Temos muito mais relevância do que certas entidades e instituições que vêm assumindo papel de protagonistas neste momento grave da República. Isso não podemos permitir, sob pena de ficarmos no limbo da História. É hora de muito trabalho e de muita perseverança! Ou assumimos o nosso papel ou seremos espectadores das ações dos outros, cujos resultados podem ser completamente diferentes dos nossos ideais e de tudo que vivemos e acreditamos. Convoco todos os Irmãos a refletirem rapidamente e, principalmente, a agirem, dentro de seus campos de atuação profissional, social e familiar, a fim de que possamos construir um futuro melhor. 5edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 6

Por uma maçonaria justa e perfeita Ir∴ Walber Gonçalves de Souza Loja Maçônica Caratinga Livre Somos imperfeitos. Uma eterna pedra bruta em processo de lapidação. Ninguém é dono da verdade. Errar é humano. Nossa ordem é composta por obreiros, homens livre e de bons costumes, mas mesmo assim sempre haverá falhas. Todas as afirmativas que foram lidas são máximas que nos acompanham cotidianamente nas nossas oficinas, sempre estamos falando ou ouvindo alguém pronunciá-las. Todas elas carregam consigo a fragilidade humana, a necessidade de aperfeiçoamento. Mostra-nos que devemos melhorar sempre, que de fato somos seres inacabados, pedras imperfeitas. Mas até quando usaremos estas máximas como escudos para as nossas eventuais falhas? Até quando usaremos estas expressões para continuarmos denegrindo a instituição que participamos? Até quando as usaremos para mantermos nossas lojas no submundo da injustiça e da imperfeição? Se o ser humano é realmente um ser deplorável em todos os lugares deveria ser um péssimo lugar para se viver. Nenhum lugar prezaria pela tentativa de se fazer as coisas certas, de procurarem o bem comum, de buscaram a justiça e a dignidade, de pelo menos tentarem transformar o local onde moram em um lugar decente. Temos tantos exemplos que poderíamos seguir mundo afora. Existem povos que pelo menos buscam ser melhores. Poderíamos citar os japoneses, finlandeses, noruegueses, canadenses, suecos, ingleses, alemães, australianos, enfim, são povos que conviveram com o caos e souberam dar a volta por cima, souberam construir nos seus países uma sociedade mais digna. Se não são perfeitos, pelo menos procuram ser. É justamente este o grande dilema que deveríamos pensar. Por que não tentamos também? Se quisermos nós, brasileiros, poderemos construir um país mais justo e perfeito, grupos sociais mais justos e perfeitos, uma sociedade mais justa e perfeita. Torna-se muito simples, mesmo dependendo de um constante esforço de cada um de nós. Muito pouco ou quase nada adiantará nossas reclamações, se nossas ações se escondem por detrás da máxima da imperfeição. Sabemos que a imperfeição é real, mas ficar, como medíocres, se justificando através dela, aí já é demais. É querer sofrer, contentar com o caos, ver o fim de tudo que não deveria ter fim e não se importar. Se existem exemplos bacanas é porque é possível o ser humano ser melhor. Caso contrário não restaria nenhum lugar que prestasse. O que somos já diz tudo, somos seres humanos, que pensam, que amam, que têm compaixão, somos seres que podem melhorar sempre e isto é bom demais! Por isso é preciso acreditar nisto, viver isto, e pautar nossas atitudes neste propósito na eterna busca de sermos justos e perfeitos. Quem sabe assim nossos dias se tornam melhores, nossas instituições, entre elas nossas oficinas, se tornam mais dignas e merecedoras de respeito. E como sonhar não custa nada quem sabe nosso país se transforme naquilo que todos queremos, num país em que o povo procure ser justo e perfeito, que tenha coragem de lapidar a pedra bruta. SUPERMERCADO DOCE LAR Ir∴ Edmundo Fone (65) 3345-1150 CEP 78175-000 - Poconé/MT NG A Ir∴ Vicente Marques (65) 3345-1234 / 99942-5051 Praça da Matriz, 12 - Centro - Poconé/MT Baterias, Peças e Lubrificantes em Geral Fone (65) 3345-1502 Av. Anibal de Toledo, s/nº - Poconé/MT 6 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 7

Academia Maçônica de Letras do Estado de Mato Grosso do Sul Campo Grande Aniversário Esteve em festa esta entidade pela comemoração dos seus 19 anos de atividades, junto as três Potências, o seu Presidente Irmão Temístocles de F. Serra Minervini ficou agradecido pelo comparecimento dos Confrades e visitantes, como também as Meninas Filha de Jô que marcaram com brilhantismo o dia das Mães com a entrega de um botão de rosa para cada uma das mulheres participantes. Não poderíamos deixar de parabenizar o Presidente pela sua atitude em homenagear o então Irmão Cid Antunes que foi fundador desta casa e presidente, estando presente os Irmãos; Orlamar Teixeira Gregório - ex-presidente, Nivanildo Eduardo da Silva - representante do Grão Mestre do GOB/MS, Waldecy Alves Batista - representante do Grão Mestre da GLEMS, Antônio Moura de Almeida representante do Grão Mestre do GOMS e Heitor Rodrigues Freire - representante do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul. Grande Loja do Estado de Mato Grosso do Sul Campo Grande Loja Nova Era nº 08 Foi Instalado na Cadeira de Salomão o Irmão Daniel Ho meister Paschoini, como novo Venerável Mestre desta Oficina pelo Ex Grão-Mestre Jordão Abreu da Silva Junior, o Irmão Sérgio Luiz Gonçalves estava representando o Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil, Irmão Benilo Allegretti MS e a Poderosa Assembleia Legislativa do GOB/MS, e vários Irmãos do quadro e de visitantes. A Cunhada Aletheia, recepcionou os convidados e entre estes estava a Deputada Mara Caseiro que com sua simplicidade marcou sua presença entre todos nós. 7edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 8

A última pedra Roberto Shinyashiki Gosto de uma música que Frank Sinatra costumava cantar, My way. O curioso é que só fui prestar atenção na letra dessa canção quando escrevia este texto. Ela diz mais ou menos assim: “Se eu acertei ou se errei, fiz isso da minha maneira”. Quando olho para trás, percebo que fiz muitas bobagens. Acertei bastante, mas também errei bastante. Quando olho para diante, tenho certeza de que vou acertar e errar bastante também. É impossível acertar sempre. Mas o importante é que não gastemos nosso tempo nem nossa energia nos torturando. A autocrítica pelo que não deu certo, além de ser nociva para a saúde, faz que a gente perca os passarinhos que a vida nos oferece no presente. Um dia destes, um dos meus filhos me perguntou por que eu tomei determinada decisão estúpida tempos atrás. Respondi que me arrependia do que tinha feito, mas expliquei que, naquele momento, minha atitude me parecia lógica. Se eu tivesse o conhecimento e a maturidade de hoje, certamente a decisão seria diferente. Por isso é que lhe digo: não se torture por algo que não deu certo no passado Talvez você tenha escolhido a pessoa errada para casar. Talvez tenha saído da melhor empresa onde poderia trabalhar. Talvez tenha mandado uma filha grávida embora de casa. Não importa o que você fez, não se torture. Apenas perceba, o que é possível fazer para consertar essa situação e faça. Se você sente culpa, perdoe-se. E, principalmente, compreenda que agiu assim porque, na ocasião, era o que achava melhor fazer. Há uma história de que gosto muito: um pescador chegou à praia de madrugada para o trabalho e encontrou um saquinho cheio de pedras. Ainda no escuro começou a jogar as pedras no mar. Enquanto fazia isso, o dia foi clareando até que, ao se preparar para jogar a última pedra, percebeu que ela brilhava muito ai pode ver que era preciosa! Ficou arrependido e comentou o incidente com um amigo que lhe disse: – Realmente, seria melhor se você prestasse mais atenção no que faz, mas ainda bem que sobrou a última pedra! Existem pessoas que não prestam atenção no que fazem e depois passam a vida inteira arrependidas pelo que não fizeram, mas poderiam ter feito, e se martirizam por seus erros. Se você está agindo assim, deixo-lhe uma mensagem especial: não gaste seu tempo com remorsos nem arrependimentos. Reconheça o erro que cometeu, peça desculpas e continue sua vida. Você ainda tem muitas pedras preciosas no coração: muitos momentos lindos para viver e muitos erros para cometer. Aproveite as oportunidades e curta plenamente a vida. Curta os passarinhos. Eles são os presentes do universo para você! Adquira seu livro visitando nosso Show Room em Campo Grande/MS R. INÁCIO GOMES,119  SÃO LOURENÇO  CEP 79041231 Fone (67) 3025-6325 / 99600-3636 8 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 9

Admissão à maçonaria! Informações para análise dos possíveis novos membros da Ordem. Ir∴ Valdemar Sansão São Paulo/SP Opedido - O candidato para admissão deve deixar claro que ele pretende respeitar e admirar a Ordem Maçônica e que busca a associação por razões que não sejam benefícios pessoais. O pedido é revisado assim como seu caráter e reputação, e faz-se uma votação na Loja. Embora as práticas variem, tradicionalmente, um voto negativo (uma bola ou feijão preto) é suficiente para rejeitar sua solicitação. O candidato a Aprendiz é sujeito ao interrogatório final antes de ser preparado para sua iniciação. Precisa então confirmar se foi levado a buscar a admissão por uma opinião favorável já formada sobre a Maçonaria, que não teve motivos mercenários pessoais, que tem o desejo de conhecimento e auto-aperfeiçoamento e uma vontade sincera de ser útil a seu semelhante. Finalmente, chega o dia em que o candidato será iniciado como um Aprendiz Maçom. Geralmente essa cerimônia acontece no “recinto da Loja”. A Loja – Hoje, o lugar onde os maçons se reúnem chama-se Loja e cada Loja tem características próprias.Algumas são mais filantrópicas, promovem atividades para arrecadar dinheiro e ajudam asilos, orfanatos e creches, outras Lojas têm um cunho mais político e seus membros gostam de analisar a situação do país nessa área, mas, enfatizamos, em Maçonaria não se permite discussão de política partidária. Todas as atividades visam melhorar a moral, o caráter e o comprometimento dos Irmãos para com o progresso da humanidade, não havendo nenhum ganho político ou financeiro em ser Maçom. O Maçom – Verdadeiro homem de bem, cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. É bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus. Possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperar paga alguma; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte, e sacrifica sempre seus interesses à justiça. Encontra satisfação nos benefícios que espalha, nos serviços que presta, no fazer ditosos os outros, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos. Não alimenta orgulho, nem ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; perdoa e esquece as ofensas e só dos benefícios se lembra. Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios nem evidenciá-los. Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las. Não se envaidece da sua riqueza, nem das suas vantagens pessoais, usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos. Se a Sociedade colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante o Criador do Universo; usa da sua autoridade para lhes levantar a moral e não para esmagá-los com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram. Quando subordinado, de sua parte compreende os deveres da posição que ocupa e se empenha em cumpri-los conscienciosamente. Finalmente, o verdadeiro Maçom respeita todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da natureza, como quer que sejam respeitados os seus. A Maçonaria - é a maior organização fraternal do mundo, com quase três milhões de membros nos Estados Unidos, mais de 700 mil membros na Grã-Bretanha e mais de um milhão no resto do mundo. Embora seja a firme crença em um Ser Supremo, condição sem a qual não será admitido na Ordem, que acolhe em seus quadros homens de todas as religiões e tem como tema central o comportamento moral, o auto-aperfeiçoamento constante e a dedicação à caridade, a Maçonaria não responde à acusações. Não se importou por 9edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 10

ter sido declarada ilegal por Adolf Hitler, Benito Mussolini e Francisco Franco. Mesmo em nossa sociedade dominada pela mídia, que fatos são mais importantes do que matérias em jornais, em TV ou Internet, as críticas antimaçônicas permanecem não respondidas em razão da tradicional política da Maçonaria não responder aos ataques, mesmo disponibilizando notáveis conhecedores de sua filosofia, história e ritualística que escolheram ser membros dela, com extrema facilidade poderiam refutar esses ataques. Influência maçônica na história – Sem mencionarmos a Maçonaria Brasileira (objeto do próximo artigo), diremos que a Maçonaria estava presente na Revolução Americana, com membros como George Washington, Benjamim Franklin, James Monroe, Alexander Hamilton, Paul Revere, John Paul Jones e mesmo o marquês de Lafayette e Benedict Arnold. Outras revoluções, contra a Igreja e o Estado, foram lideradas por Maçons como Benito Juarez, Simon Bolívar, Giuseppe Garibaldi e Sam Houston (ajudado, em alguns casos pelos produtos de seu companheiro Maçom, Samuel Colt). Reis e imperadores que fizeram o juramento maçônico incluem Eduardo VII, Eduardo VIII e George VI da Inglaterra, Frederico, o Grande, da Prússia, George I da Grécia, Haakon VII da Noruega, Stanislaw II da Polônia e até o rei Kamehameha V do Havaí. Além de Washington e Monroe, o rol maçônico de presidentes dos Estados Unidos inclui Andrew Jackson, James K. Polk, James Buchanan, Andrew Johnson, James A. Garfield, Theodore Roosevelt, William Howard Taft, Warren G. Harding, Franklin D. Roosevelt, Harry S. Truman, Lyndon Johnson, Gerald Ford e o Irmão honorário Ronald Reagan. A Segunda Guerra Mundial foi travada pelos líderes maçônicos britânicos Sir Winston S. Churchill, o marechal-de-campo conde Alexander de Túnis, o marechal-de-campo Sir Claude Auchinlech, o marechal lorde Newhall (Royal Air Force) e o general Sir Francis Wingate. A Maçonaria americana estava bem representada pelos generais Mark Clark, Omar Bradley, George Marshall, Joseph Stillwell e Douglas Mac Arthur. Também não havia sempre Maçons no mesmo lado. Napoleão comandou seus marechais Maçons Messena, Murat, Soult, Mac Donald e Ney contra os Maçons Kutuzov da Rússia, Blucher da Prússia e a causa de sua ruína, o duque de Wellington. É difícil saber onde parar ao se enumerar a influência maçônica em todos os aspectos da vida ocidental nos últimos 271 anos, seja essa influência política, militar ou cultural. Em música, a Maçonaria aparece em toda a escala, desde William C. Handy, compositor do The St. Louis Blues, até John Philip Sousa, e de Gilbert e Sullivan, passando por Sibellius e Haydn até Wolfgang Amadeus Mozart, que, segundo alguns, foi assassinado por revelar segredos maçônicos em sua ópera A Flauta Mágica. Os membros maçônicos do mundo literário incluem Sir Walter Scott, Robert Burns, Rudyard Kipling, Jonathan Suvift, Oscar Wilde, Oliver Goldsmith, Mark Twain e Sir Arthur Conan Doyle (que nunca teria permitido que o livro anatimaçônico Jack the Ripper: The Final Solution de Stephen Knight fosse reescrito, como foi, em uma versão de filme de ficção, degradando a criação de Sir Arhur, Sherlock Homes, contra os Irmãos do próprio Sir Arthur em Londres). Maçonaria e Religião (Síntese) - Os requisitos religiosos da Maçonaria são bastante simples: a crença em um Ser Supremo e a inexistência de qualquer interferência, ou mesmo persuasão contra, a crença individual do Maçom. Pode-se afirmar com segurança que a Maçonaria não é uma religião por uma simples razão; em geral, os adeptos acreditam que seus credos religiosos estão completamente certos. Isso significa que eles acreditam que todos os outros credos são, ao menos até certo ponto, errados. A posição da Maçonaria é oposta, uma vez que admite que haja alguma verdade em todas as percepções humanas de Deus e declina de afirmar que qualquer crença em particular é perfeita. Nosso dever - Atravessamos uma época de crise abrangendo todos os pontos de vista, mas principalmente no comportamento humano, onde prevalecem a violência, o egoísmo, a corrupção e a licenciosidade, resultando, conseqüentemente, em insegurança quanto ao futuro imediato e gerando simultaneamente ceticismo, desencanto e conformismo. Conscientizando-nos de nossas responsabilidades, cabe-nos trabalhar por uma sociedade melhor, dentro dos princípios da Razão e da Justiça e para tanto se faz urgente selecionar candidatos de valor para as escolhas de futuros maçons capazes de lutar permanentemente contra aquilo que á abominável, contra o que escraviza e degenera. Eu vos afirmo que o mundo está repleto de homens bons, cultos, sensatos, preciosos, de valor. Que sejam bem-vindos à Maçonaria e à Ordem! Fontes: a) Textos colhidos na Internet; b) “Os Segredos Perdidos da Maçonaria” – John J. Robinson (Madras Editora Ltda.); c) “O Despertar Para a Vida Maçônica”– Valdemar Sansão – Editora Maçônica “A TROLHA Ltda.) 10 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 11



[close]

p. 12

Qual a verdade que investigamos? Ir∴ Caio R. Reis Nós, maçons, somos investigadores da verdade. Assim aprendemos desde o dia que ingressamos na Ordem. Vamos então definir a qual verdade nos referimos. Seria Deus? Seria qual o nosso papel neste planeta? Seria a vida após a morte? Qualquer que fosse a nossa definição uma coisa é certa: Todas essas indagações a serem investigadas, deveriam ser absolutamente desprovidas de quaisquer imposições dogmáticas. Os dogmas são colocações imutáveis e não sujeitas a contestações e indagações. Não creio que seria possível investigar qualquer dos temas acima mencionados se esbarrarmos em dogmas que impeçam a nossa investigação. É bem difícil ser maçom e despojar-se muitas vezes de princípios que trazemos arraigados desde a mais tenra idade. Esta, porém é a única forma de investigarmos temas transcendentais e desta investigação tirarmos algum proveito. A Constituição de Anderson é impregnada pelo espírito místico-religioso e mostra a Maçonaria como um sistema de ordem moral, um culto para conservar e difundir a fraternidade e união entre os homens e a crença na existência de Deus. Sobre Deus e religião dizia o Pastor Anderson o seguinte: “Um Maçom é obrigado, por dever de ofício, a obedecer a Lei Moral. E se ele compreende corretamente a Arte, nunca será um estúpido, ateu ou um libertino irreligioso.” Muito embora nos tempos antigos os Maçons fossem obrigados em cada país a adotar a religião daquele país ou nação, qualquer que ela fosse, hoje se pensa mais acertado, somente obrigá-los a adotar aquela religião com a qual todos os homens concordam, guardando suas opiniões particulares para si próprios. Isto é, serem homens bons e leais, ou homens de honra e honestidade, qualquer que seja a denominação ou convicção que os possam distinguir. Por isso a Maçonaria se torna um centro da união e um meio de conciliar uma verdadeira amizade entre pessoas que de outra forma permaneceriam em perpétua distância. Algumas das Lojas inglesas, revoltadas com a imposição de dogmas, migraram para a França e insurgiram-se contra essa Constituição Maçônica e também com a interferência de religiosos da época nos assuntos da Ordem. Na França, criaram o Rito Moderno que não questionava a existência de Deus e não obrigava que a bíblia estivesse presente nas sessões maçônicas. Foram chamados de ateus, mas justificavam que esta era uma questão de foro íntimo de cada um e que tal assunto não interessava para a Maçonaria. Foi dessa Maçonaria francesa que se originaram as primeiras Lojas brasileiras, como hoje as conhecemos. Faço todo esse relato para que os irmãos sintam como foi e tem sido difícil para nós maçons livrarmo-nos de tudo aquilo que impede sermos verdadeiros investigadores da verdade mesmo que transitória. Assim, esperamos que as nossas mentes continuem cada vez mais, sendo abertas, para que possamos cumprir o nosso papel na sociedade, combatendo os fanatismos e livrando-nos de dogmas que possam servir como empecilhos para a busca da verdade. RODÍZIO DE PIZZAS DE TERÇA À SEXTAFEIRA DISK PIZZAS (69)3321-3460 / 3321-3447 Av. Pedro Álvares Cabral, 5414 - 5º BEC Vilhena-RO CARLOS GUSTAVO DEL VALLE Corretor De Imóveis CRECI 8940 (67) 98211-6900 TIM (67) 99976-2067 CLARO delvalleimoveis@hotmail.com CLÍNICA ODONTOLOGICA Ir∴ Dr. Sérgio Eduardo Nishidate CRO 952-RO Ir∴ Dr. Rodrigo Minasse Nagano CRO 1172-RO Av. Amazonas, 4179 - Fone (69) 3341-2001 Colorado do Oeste - RO 12 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 13

Grande Loja do Estado de Mato Grosso do Sul Campo Grande Grande Loja Maçônica do Estado de Mato Grosso do Sul O Sereníssimo Grão-Mestre Irmão Sebastião Nogueira Faria, juntamente com o Grão-Mestre Adjunto Irmão Hugo de Oliveira, 1º Grande Vigilante Irmão Wágner Augusto Andreassi, 2º Grande Vigilante Irmão Darcy da Costa Filho, Delegado Geral Irmão Valdeci Alves Batista, receberam no Palácio Maçônico o Grão-Mestre Adjunto do Paraguai, Irmão Ronald Gonzalez Sanchez juntamente com vários Irmãos do país vizinho para assistirem a Cerimônia de Posse de 11 Veneráveis Mestres Eleitos para o período de 2017 a 2018, e também a entrega do Quadro da GLEMS para 4 Irmãos que receberam os cheques sobre suas participações no pecúlio em vida que existia na GLEMS. Também estiveram presentes participando destes momentos festivos os Irmãos, o Ex Grão-Mestre Heitor Rodrigues Freire, Rubens Marques dos Santos e Jordão Abreu da Silva Junior. Loja Oito de Agosto nº 61 O Irmão Wagner Augusto Andreasi, Grande Primeiro Vigilante da Grande Loja Maçônica do MS da Loja Estrela do Sul nº 03, esteve presente na Cerimônia de Posse do Irmão Jeferson Eduardo Pessoa como Venerável Mestre da Loja Oito de Agosto nº 61, esta Sessão foi conduzida pelo Irmão Luiz Nogueira Sobrinho, membro da Loja Estrela do Sul nº 03 e Gerente Geral da Grande Loja do MS. Estando presente os Irmãos Ex Grão-Mestre Adjunto Guilherme Francisco Santinho, Ex Grão-Mestre Rubens Marques dos Santos, Jordão Abreu da Silva Junior da Loja Nova Era nº 08, Juarez Vasconcelos da Loja Colunas da Lei nº 55, Delegado Geral Valdeci Alves Batista da Loja Estrela do Sul nº 03 e Delegado Distrital Irmão Haroldo José Bertolucci da Loja Raul Sans Matos nº 38, que participaram de uma sessão muito concorrida em autoridades presentes. 13edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 14

Trolhamento pessoal Sois maçom? Ir∴ João Carlos R. de Menezes Loja Evolução Nordestina nº 86 Sou, maçom com todo amor de minha alma, sou maçom, porque quero desbatar as asperezas da minha pedra bruta e me tornar um homem melhor, um irmão para todas as horas, um pai exemplar, um tio querido e acima de tudo, um marido que ama minha mulher. De onde vindes? Venho do mundo profano, aonde a escuridão não me permitia enxergar as belezas da minha ordem maçônica. Que trazeis? No meu coração, eu trago igualdade, fraternidade e liberdade, três ideais que tornaram-se movimentos sociais ao longo da história. Nada mais trazeis? Venerável mestre, eu trago o abraço fraterno do meu venerável e de todos os irmãos da minha loja que aqui me faço representante. Que se faz em vossa Loja? Lá Venerável Mestre, costumamos enterrar todo tipo de vício, e levantamos templos a todas as virtudes que dignifica o homem. Que vindes fazer aqui? Pedir-lhe uma trolha emprestada, para que com ela trabalhe para fazer jus a este Avental que estou usando e juntos com meus irmãos ajude aos mais necessitados. Que desejais? Que todos nós nos unamos em prol de uma Maçonaria una e perfeita. E que o Grande Arquiteto do Universo nos Oriente pelos caminhos da luz da qual falei na segunda resposta desse trolhamento e que me permita se assim for do seu interesse, me sentar e participar dos trabalhos dessa Augusta e Respeitável Loja simbólica João Carlos e fortificar suas colunas. Fundação para o Estudo eTratamento das Deformidades Crânio-Faciais (Funcraf), Instituição Filantrópica que atua prioritariamente nas áreas da Saúde, do Ensino e da Pesquisa. Com sede na cidade de Bauru, interior do Estado de São Paulo, a Funcraf mantém subsedes em outras cidades brasileiras. Parcerias com o Centrinho/USP e assistência a entidades carentes de Bauru e região completam o leque de serviços desta instituição. CENTRO MÉDICO: R. 14 de Julho, 5093 - Tel. (67) 3356-3502 B. São Francisco - CEP 79011-470 - C. Grande/MS CENTER INFORMÁTICA TECNOLOGIA EM SISTEMAS E AUTOMAÇÃO AUTOMAÇÃO COMERCIAL - IMPRESSORAS FISCAIS ASSISTÊNCIA TÉCNICA AUTORIZADA SISTEMA DE GERENCIAMENTO Auto Posto Conveniência Digitalização de Documentos Frente de Caixa e PAF - ECF Loja de Roupas e Calçados Pizzaria, Óticas, Boutiques Supermercados Comércio em Geral Farmácias e Drogarias Hotel e Pousadas NF-e; CT-e; MDF-e; Restaurante com Comanda Eletrônica S@T Fiscal - CF-e Tupi Paulista - SP Sede Própria Av. 9 de julho, 683 - CEP: 17930-000 Fone: (18) 3851-1384 (18) 98110 0481 (18) 98819-8999 Três Lagoas - MS Sede Própria Rua João Carrato, 1442 - Cep: 79601-011 Fone: (67) 3522-6369 Cel: (67) 98422-5500 Site: www.centersistema.com.br / E-mail: comercial@centersistema.com.br 14 edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

p. 15

O Grau 14 Ir∴ Aurivan de Castro Loja Moral e Virtude nº 24 - Or∴ de Palmas/TO OGrau 14 de Grande Eleito ou Perfeito e Sublime Maçom têm por objetivo analisar o direito inalienável da liberdade de consciência, programando esta liberdade de consciência em todos os seus aspectos, e dedicando-se ao estudo dos fenômenos da criação e das sete ciências ou artes liberais. Quando da iniciação ao grau, no centro do Templo, é colocada uma mesa sobre a qual se veem um Machado e uma Faca de proporções maiores que as comuns. O Candidato ajoelha-se diante da mesa e inclina a cabeça, aguardando o golpe do Machado, enquanto o Mestre de Cerimônias comprime com a Faca o seu peito. Dessa forma, o Candidato dispõe-se a “imolar” as suas paixões, ainda presentes apesar de ter passado por tantas Iniciações. Simbolicamente, é despido dessas paixões que tanto o prejudicam. O Grau enfatiza a necessidade de “libertação”, quando evoca a escravidão em que se encontrava o povo de Israel. Nos tempos atuais, inexiste escravidão; a Liberdade política já não preocupa. O que falta, porém, é a libertação das paixões; os homens sempre são escravos de si próprios, dos vícios e do egoísmo. A maçonaria nos ensina que cada um de nós se encontra em uma determinada etapa psicológica, da qual não poderemos sair a menos que descubramos diretamente todos esses defeitos, paixões e vícios (Agregados Psíquicos ou Eus, como designam os hindustânicos) que vivem em nosso interior. No relacionamento com nossos semelhantes, os defeitos escondidos no fundo do subconsciente afloram espontaneamente, saltam para fora, porque o subconsciente nos atraiçoa e, se estamos em estado de percepção alerta, os vemos tais quais são em si mesmos. Necessitamos conhecer a nós mesmos antes de poder conhecer os outros. É urgente aprender a ver o ponto de vista alheio. Se nos colocamos no lugar dos outros, descobrimos que os defeitos psicológicos que a eles atribuímos, os temos de sobra em nosso interior. Amar o próximo é indispensável, mas ninguém poderia amar os outros se antes não aprende a colocar-se na posição de outra pessoa, no trabalho esotérico. A crueldade continuará existindo sobre a face da Terra enquanto não tenhamos aprendido a nos colocar no lugar de outros. Mas como poderia alguém colocar-se no lugar de outros, se não tem a coragem de ver-se a si mesmo? Por que temos que ver exclusivamente a parte má das pessoas? A antipatia mecânica para com outra pessoa que acabamos de conhecer indica que não sabemos colocar-nos no lugar do próximo, que não amamos o próximo, que temos a consciência demasiado adormecida. A auto-observação íntima de si mesmo é um meio prático para conseguir uma transformação radical. Lamentavelmente, o sentido de auto-observação íntima se encontra atrofiado em todos os seres humanos. Trabalhando seriamente, se auto observando de momento em momento, este sentido se desenvolverá de forma progressiva. À medida que o sentido de auto-observação prossiga seu desenvolvimento, mediante o uso contínuo, iremos nos tornando cada vez mais capazes de perceber, de forma A Gazeta Maçônica Compromisso com a Verdade Ouça a Rádio "A Gazeta Maçônica" e-mail: contato@agazetamaconica.com.br www.agazetamaconica.com.br Fones (11) 2605-9302 / 3486-4872 15edição 30 • 2017 • www.revistaconsciencia.com.br

[close]

Comments

no comments yet