Gazeta Valeparaibana

 

Embed or link this publication

Description

Agosto de 2017

Popular Pages


p. 1

Ano X - Edição 117 - AGOSTO 2017 Distribuição Gratuita Caos e desordem Onde erramos? Cérebro processando felicidade Para cada lado que olhamos e por todos os ângulos percebemos que estamos sofrendo as consequências do A Finlândia era, até 1950, um país pobre e exportava madeira e papel higiênico. Hoje, se destaca entre os países com maior índice de Chega um momento na vida que o cérebro precisa processar, priorizar o tempo, sentimentos e pessoas. Como fazer isso? Será que conseguimos? descaso das desenvolvimento humano e Nosso tempo é relativo, depende autoridades e dos renda per capta. A Suécia era, em 1820, um país do tanto que dedicamos às coisas que por muitas órgãos públicos que dirigem essa nação, do pobre. Em 1950, já tinha um alto padrão de vida. A vezes são prioridades na vida e as pessoas que capitalismo na educação, da incompetência Coreia do Sul era pobre nos anos 60 do século 20. nem sempre são as que ocupam com qualidade... judiciária perante os crimes... Página 1 Página 5 Página 7 A única possibilidade de nos eternizamos nessa frágil vida, é plantando boas sementes. É a melhor herança que deixamos! A VENEZUELA e NÓS por: Filipe de Sousa A Venezuela vive um dos momentos mais críticos da sua história. Acompanho crítica e solidariamente a revolução bolivariana desde o início via ONU. As conquistas sociais das últimas duas décadas são indiscutíveis. Para o provar basta consultar o relatório da ONU de 2016 sobre a evolução do índice de desenvolvimento humano. Diz o relatório: “O índice de desenvolvimento humano (IDH) da Venezuela em 2015 foi de 0.767 — o que colocou o país na categoria de elevado desenvolvimento humano —, posicionando-o em 71.º de entre 188 países e territórios. Tal classificação é partilhada com a Turquia.” De 1990 a 2015, o IDH da Venezuela aumentou de 0.634 para 0.767, um aumento de 20.9%. Entre 1990 e 2015, a esperança de vida ao nascer subiu 4,6 anos, o período médio de escolaridade aumentou 4,8 anos e os anos de escolaridade média geral aumentaram 3,8 anos. O rendimento nacional bruto (RNB) per capita aumentou cerca de 5,4% entre 1990 e 2015. De notar que estes progressos foram obtidos em democracia, apenas momentaneamente interrompida pela tentativa de golpe de Estado em 2002 protagonizada pela oposição com o apoio ativo e descarado dos EUA. Para compreendermos por que provavelmente não haverá saída não violenta para a crise da Venezuela temos de saber o que está em causa no plano geoestratégico global. O que está em causa são as maiores reservas de petróleo do mundo existentes na Venezuela. Para os EUA, é crucial para o seu domínio global manter o controlo das reservas de petróleo do mundo. Qualquer país, por mais democrático, que tenha este recurso estratégico e não o torne acessível às multinacionais petrolíferas, na maioria, norte-americanas, põe-se na mira de uma intervenção imperial. Veja-se o golpe Brasileiro ocorrido o ano passado. A ameaça à segurança nacional, de que fala o Presidente dos EUA, não está sequer apenas no acesso ao petróleo, está sobretudo no fato de o comércio mundial do petróleo ser denominado em dólares, o verdadeiro núcleo do poder dos EUA, já que nenhum outro país tem o privilégio de imprimir as notas que bem entender sem isso afetar significativamente o seu valor monetário. Foi por esta razão que o Iraque foi invadido e o Médio Oriente e a Líbia arrasados (neste último caso, com a cumplicidade ativa da França de Sarkozy). Pela mesma razão, houve ingerência, hoje documentada, na crise brasileira, pois a exploração do petróleo do pré-sal estava nas mãos dos brasileiros. Pela mesma razão, o Irão voltou a estar em perigo. Pela mesma razão, a revolução bolivariana tem de cair sem ter tido a oportunidade de corrigir democraticamente os graves erros que os seus dirigentes cometeram nos últimos anos. CULTURAonline BRASIL - Boa música Brasileira - Cultura - Educação - Cidadania - Sustentabilidade Social Agora também no seu Baixe o aplicativo IOS NO SITE www.culturaonlinebr.org Editorial Página 2 FLIP - Paraty - Brasil Agualusa: MAS TEM MAIS.... Lésbicas: A invisibilidade leva a marginalização. “Angola, como o Brasil, vive como um país cansado, dilacerado” 29 de agosto, é considerado o dia Wagner Numa esquina de Nacional da visibilidade Lésbica. A data foi criada no 1º Seminário Falamos no artigo passado sobre Nacional de Lésbicas em 1996, por Mahler que soube se aproveitar do lésbicas brasileiras. E qual o crescimento monumental da músi- Huambo, cidade de 1 milhão de habitantes no motivo de se criar uma data para ca sinfônica do século XIX e trouxe centro de Angola, um garoto asso- elas? O motivo é sempre o mesmo para o séc. XX ideias que modifica- bia uma melodia de Paulinho da quando falamos de minorias ram o pensamento da música sin- Viola. Um huambense, de passa- discriminadas e vítimas de preconceitos, mostrar as pessoas fônica. Mas curiosamente um dos gem, reconhece a canção e tece que essa realidade existe e que compositores que mais contribuí- comentários acerca do Brasil, da por conta disso a mulher lésbica ram para o crescimento da orques- qualidade do samba do músico ca- sofre violência de todo tipo, física, tra foi um compositor de óperas. rioca e de suas próprias preferên- verbal e psicológica em todos os Richard Wagner (1813-1883) lugares que frequenta. cias pelas cores verde e Manguei- LEIA MAIS: Página 6 Página 10 ra. Página 16 www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 2

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 2 Editorial Por que fazem escolhas assim? Dias atrás, saiu uma reportagem sobre uma adolescente alemã que juntou ao Estado Islâmico e, que está detida no Iraque, e deseja voltar para casa, está arrependida. Veja bem, o problema não é alguém gostar da religião islâmica, querer se tornar muçulmano, simpatizar com a crença. Fé espiritual é algo íntimo de cada pessoa, tem gente que não sente falta de religião e tem gente que sente falta. O que eu questiono é a opção dessas pessoas pelo radicalismo e pelo terrorismo, pela agressividade, pelo ódio. Eu que estou fora da Europa, eu tendo a imaginar que, mesmo com alguns problemas típicos da existência humana, quem vive lá vive bem. Não tem grandes problemas financeiros, não tem problemas de passar fome e sede, de ficar na fila do hospital aguardando atendimento demorado, não tem problemas com transporte público, mesmo quem não é rico tem uma vida com dignidade lá. Em tempos de crise econômica, as pessoas têm problemas típicos de terceiro mundo, mas não é para sempre, a crise passa e a vida normaliza. Entretanto, está evidente que tem gente na Europa que não está satisfeita com o sistema como a sociedade funciona. Não se adapta às exigências do status quo. Creio que a real questão não é a fé religiosa em si, mas uma desculpa para reagir com violência às frustrações, às decepções com a sociedade, uma máscara para disfarçar as reais motivações de ser agressivo. No contexto do Japão, a maioria das pessoas que não conseguem se enquadrar nas exigências do sistema comete suicídio. Pessoas que não encontram aceitação na sociedade em que vivem, ficam desorientadas, perdidas, querem entender qual é o seu lugar neste mundo chamado Terra. Provavelmente devem ter famílias desestruturadas e, tiveram dificuldades com os estudos escolares, e não conseguem emprego com facilidade. Uma pessoa de bem com a vida não entraria num grupo extremista e terrorista. Na nossa opinião, as diversas sociedades das diversas nações precisam considerar rever conceitos. Todo mundo quer que os seus filhos e netos se deem bem nos estudos, na profissão, na vida, que vençam na vida, prosperem, sejam tidos pela coletividade como bons exemplos para os demais. Desde à Alemanha e demais países europeus, passando pelo Japão e outros países asiáticos até mesmo aqui no Brasil, a sociedade tem que repensar o modelo de sistema. Ao invés de cobrar, de exigir, de pressionar, não seria melhor tentar ajudar essas pessoas complicadas a descobrirem os seus dons, os seus talentos, os seus ativos naturais em suas mentes, e trabalharem com aquilo que realmente gostam e sabem fazer bem em vez de força-las a se adaptarem aos achismos da sociedade? Será que a coletividade não podia exigir menos e ajudar mais os indivíduos a encontrarem o seu lugar neste mundo? João Paulo E. Barros Como você já deve ter reparado, apresentamos um novo espaço no site da Gazeta Valeparaibana. Um dos objetivos da reformulação é tornar o site ainda mais colaborativo e, assim, fazer jus ao lema de ser “o ponto de encontro da educação”. Tendo em mente essa missão, de se tornar uma verdadeira comunidade virtual que une todos os profissionais e temas relacionados à educação, cultura e sustentabilidade Social, investiu na plataforma que se propõe a veicular trabalhos científicos da área. É o ‘GV - Ciência’. Espaço 100% colaborativo e GRATUITO! A proposta surge para ser o meio em que trabalhos científicos sejam veiculados na imprensa, dano a eles o devido destaque. Todo internauta do Portal Comunique-se pode fazer uso do ‘C-SE Acadêmico’, basta seguir dois passos... 1º - ENVIAR o trabalho para: csecientifico@gazetavaleparaibana.com (em Word sem formatação com letra Arial 11). NÃO ESQUECER de enviar todos os seus dados: Nome Completo, Documento de Identidade, Nome do Curso, Faculdade. 2º - Depois de analisado, será publicado no espaço “GV - ciência” do site e na edição do mês subsequente no Jornal Digital. ** * DIZ O DITO POPULAR Sobre dinheiro não há companheiro, *** Trabalha o feio, pro bonito comer. *** Não há amigo nem irmão, não havendo dinheiro na mão. *** Dinheiro é chave que destranca toda porta. *** Dinheiro muito, fartura de poucos. *** Com dinheiro na mão, em toda parte há função. *** Dinheiro emprestaste, inimigo criaste. *** Com dinheiro, língua e latim, vai-se do mundo até o fim. *** Boa conta, má conta, tudo é conta. *** Dinheiro emprestado parte rindo, e volta chorando. *** Defunto rico, defunto chorado. *** De dinheiro e santidade, metade da metade. *** Esperdício de rico é economia de pobre. *** Pobre com rica casado, mais que marido é criado. *** Dinheiro não tem cheiro. *** Administrar dinheiro é fácil. Difícil é administrar a falta dele. *** Rico em casa de pobre é perdição de galinha. *** Viúva rica, com um olho chora e com outro repinica. *** Viúva rica casada fica. *** Mês que vem... Tem mais! Os artigos publicados são responsabilidade de seus autores, não refletindo necessariamente a opinião da Gazeta Valeparaibana IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fotos e demais conteúdos são de inteira responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, podendo seus conteúdos não corresponderem à opinião deste proje- to nem deste Jornal. A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web Editor e Jornalista responsável: Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J Ajude-nos a manter este projeto por apenas R$ 2,00 mensal Email: assinaturas@gazetavaleparaibana.com Gazeta Valeparaibana e CULTURAonline BRASIL Juntas, a serviço da Educação e da divulgação da CULTURA Nacional

[close]

p. 3

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 3 Crônica do mês CAOS E DESORDEM melhor de si que irá ficar, se não para a humanidade, pelo menos para sua família. Calendário Antes de morrer, para onde irá nosso olhar para ver o que de nós ficou? Pra que lado da vida e do país, pelos caminhos que percorremos, haverá nossa verdadeira contribuição como seres humanos? Deixaremos marcas e registro de bem feitores? Não teremos sido nada se morrermos e formos esquecidos, substituídos tão rápido como trocávamos de carro, de investimentos, Para cada lado que olhamos e por todos os de parceiros, de sapatos, de hábitos em prol ângulos percebemos que estamos sofrendo da performance. as consequências do descaso das Para qualquer lado que olharmos, veremos autoridades e dos órgãos públicos que que são sempre as mesmas coisas, os dirigem essa nação, do capitalismo na mesmos discursos, a mesma multidão com a educação, da incompetência judiciária mesma solidão e um vazio rumo ao caos. perante os crimes, dessa alienação por efeito das drogas que impera entre os jovens, o Não podemos deixar que nossas vidas fiquem desenfreado ritmo em que cresce a abaixo da dignidade e que nossa luta corrupção, a falta de idoneidade em quase continue a ser partilhada desigualmente, pois todos os segmentos sociais, o desinteresse nossa índole, não é sorte e sim muito dos intelectuais que há tempos não trabalho, resignação, estudos, força e contribuem para a história, a mídia dedicação. embriagada pela audiência e um povo iludido Portanto, nossa política governamental, não por entretenimentos além do futebol e pode continuar a se valer de suas “normas sofrendo crueldades, mazelas e, as injustas” interferindo no curso de nossas vidas consequências da impunidade e da fome. induzindo a vontade coletiva tirando nossos O desamor entre as pessoas, a falta de direitos de escolher e decidir. Nessa situação perspectiva, o falso apoio de quem finge de tantas desigualdades os que têm menos proteger, as igrejas com discursos dirigidos perdem a capacidade de sentirem-se livres apenas em prol de interesses financeiros e para desenvolverem-se e garantir seus longe de serem solidárias. O consumo direitos como cidadãos que devem ser desenfreado, a idolatria pelo corpo, o inegociáveis. descuido da alma e isso tudo nos levando Sem atitudes, o que resta é esperar que com para o caminho da frustração na vida o “andar da carruagem, as abóboras se profissional, pessoal e social. acomodem”. Assim como nas guerras, depois O que vemos são jovens unidos pela mesma que a desordem e o caos se instalam, tudo música e dança sórdida, pela mesma acaba e todos se tornam iguais. ganância, pelo mesmo trivial do consumo e Todos ficarão sem NADA, todos virarão desejo de TER cada vez mais e o falso NADA para então recomeçar... moralismo instalado entre pais e filhos. Talvez assim, o amor volte a habitar a gruta Não se trabalha para comer, crescer, do coração do homem para que revise seu construir e sim, para pagar academias, contexto e aprenda a sorrir gratuitamente ostentação e conquistar uma posição social a encarecendo a raiva para mover-se num qualquer custo, por reconhecimento banal e, sentido melhor e certo, com coragem, o mais triste, ninguém vê e nem cobra para humildade e alvorecer com dignidade. onde vão todos os impostos que pagamos e que não nos são revertidos em benefícios. A vida é uma mistura do amargo e do doce que, a cada ocasião, traz um aprendizado, O homem tem a pretensão de querer ser mas, para isso, é preciso estar munido de imortal, mas, esquece que, morrer é inevitável energia, amor, fé e sem arrebatar do outro o e para ser eterno é preciso deixar que não lhe pertence. conhecimentos, exemplos, obras feitas, e o Genha Auga - Jornalista - MTB: 15320 Algumas datas comemorativas 01 - Dia Nacional do Selo 05 - Dia Nacional da Saúde 06 - Dia de São Salvador do Mundo 09 - Dia Internacional dos Povos Indígenas 11 - Dia da Televisão 11 - Dia do Estudante 12 - Dia Internacional da Juventude 12 - Dia Nacional das Artes 14 - Dia dos Pais 19 - Dia Mundial da Fotografia 19 - Dia do Historiador 22 - Dia do Folclore Ver mais sobre na Página 12 A educação em saúde é um campo multifacetado, para o qual convergem diversas concepções, das áreas tanto da educação, quanto da saúde, as quais espelham diferentes compreensões do mundo, demarcadas por distintas posições político-filosóficas sobre o homem e a sociedade. Não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino, afirma Paulo Freire em sua obra, Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Isto porque, segundo o autor, faz parte da natureza da prática docente a indagação, a busca e a pesquisa, portanto, em sua formação permanente é preciso que ele se perceba e se assuma como pesquisador. © Psicologado.com AJUDE-NOS a manter este projeto de educação - www.culturaonlinebr.org/apoiadores.htm www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 4

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 4 Ensinar a ler com prazer Desafio do professor é tornar muito longos as pessoas não captam, não busca livros. Alunos precisam ler determi- geral, fez um ensino fundamental malfei- leitura prazerosa, diz Dad Squarisi` conseguem entender. Segunda: menos é nadas obras, sim, mas é importante moti- to, um ensino médio malfeito, e aí tende a mais. Buscar concisão, o que não signifi- vá-los a ler pelo prazer que o livro pode cursar uma faculdade que exija menos ca privar o leitor de informações. É dizer dar. Se conseguirmos isso será um gran- dele. Pode terminar o curso sem a habili- O hábito de ler é essencial para a forma- com menos palavras o que deve ser dito. de passo. Até ler jornal. Podemos ler notí- dade de escrever bom texto, de fazer boa ção intelectual do ser humano. Leitura Digo assim: o homem que planta café. cias prazerosamente. Então, é despertar dissertação, bom trabalho de fim de cur- favorece aprendizado de conteúdos, me- Tenho cinco palavras. Se souber, digo o aspecto lúdico da leitura. O prazer. so. lhora o raciocínio e a capacidade de inter- cafeicultor. A palavra diz exatamente o Existem técnicas pra despertar esse lado O Brasil precisa pegar os excelentes, a- pretação, além de aprimorar fala e escri- que as cinco diziam. Terceira: variar para lúdico da leitura? queles alunos muito bons para professo- ta. Esses benefícios, no entanto, ainda não são priorizados no Brasil. No ranking mundial de educação em leitura de 2015, o País ficou na 59ª posição entre 70 países, segundo dados do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). Também naquele ano, a 4ª agradar. Usar vocabulário variado, isto é, não repetir palavras desnecessariamente. Buscamos sinônimos, outras estruturas, jeitos diferentes de dizer. As três regras de ouro: menor é melhor, menos é mais, variar para agradar. Como priorizar revisões em tempos ace- A primeira coisa é deixar a criança escolher. O que ela quer ler? É ofertar vários livros. Há quem goste de esportes, de princesas, de aventura. Obrigar todos os alunos de uma turma a ler um livro só às vezes é necessário, mas nem sempre agrada. Se eles puderem escolher na res. A excelência do professor vai determinar a excelência do ensino. Podemos falar de professor de excelência sem carreira valorizada? Defendo professor como carreira de Estado, tal qual a Receita, a Diplomacia, o Tesouro. O Estado tem de investir nisso. e mais recente edição da pesquisa Retra- lerados? biblioteca ou num baú de livros deixado Professor precisa ser muito bem pago, ter tos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró- Quanto mais treino, melhor. Sou editoria- ao alcance é melhor. Eles escolhem. Po- promoção. Até para que as pessoas se Livro, mostrou que 44% da população lista do Correio Braziliense, tenho muito dem manusear o livro. Apenas olhar a interessem pela atividade. brasileira era de não leitores; 30% nunca comprou um livro. Para Dad Squarisi, professora de português e editora de opinião do jornal Correio Braziliense, é preciso despertar o prazer da leitura. “Pode ser tão bom quanto jogar videogame ou ver televisão”, afirma, pontuando que incentivar jovens a gostar de livros é tarefa de pais e educadores. Por telefone, Dad, libanesa, falou ainda do interesse pela língua portuguesa, de valorização do professor e de dicas para se sair bem falando e escrevendo português. Autora de livros didáticos, lançou recentemente 'Sete pecados da língua', em que trata de deslizes cometidos no dia -a-dia. Ops! dia a dia. O acordo ortográfico simplificou o uso do hífen – embora pudesse ter simplificado mais. Confira os principais trechos da entrevista: Portal CPP: A língua portuguesa é considerada difícil, sobretudo quando se trata de escrever. Hoje, temos a escrita mais exposta, nas redes sociais, por exemplo. Que cuidado devemos ter para escrever bem? Dad Squarisi: Primeiro, tem que saber que texto não é obra que cai do céu ou salta do inferno. Texto é produção. Requer planejamento, redação e revisão. Temos três etapas para fazer bom texto. treino na escrita. Escrevo muito e sempre. Então, meu texto sai quase perfeito. Quando bato o ponto final tenho pouca coisa para alterar. É treinar, treinar e treinar. Escrever muito e sempre. Pelo menos um texto todos os dias. Vale qualquer assunto. O capítulo da novela, uma notícia, um encontro. O importante é desinibir a mão e a mente. Praticar. Escrever é habilidade. E como toda habilidade, nadar, digitar, jogar bola, exige treino. Quanto mais treinar, melhor e mais rápido se escreve. Não precisa nem de revisor. A prática desperta palavras adormecidas, histórias, estruturas. No momento que vou escrever tudo isso está vivo. E posso escolher. Porque só somos livres quando podemos escolher. Se só conheço a palavra casa, por exemplo, sou escrava. Posso me comunicar direitinho, falar casa em qualquer circunstância e ser entendida. Mas não terei a precisão que teria se conhecesse as palavras lar, residência, domicílio, habitação, pouso, pousada, apartamento, mansão. Todas têm o significado de abrigo que a casa oferece, mas com acepções diferentes. Quanto mais vocabulário eu tiver, melhor a minha escolha. E quanto mais posso escolher, mais livre sou. Isso é liberdade. Esse conhecimento aponta para formação intelectual, que evidentemente vem capa. Só folhear. Olhar as imagens. Ler uma página e não ler a outra. Ler todo o livro. É preciso dar liberdade de escolha. No começo da vida escolar isso é extremamente importante. Tem que ter livros interessantes à disposição das crianças, para que ganhem intimidade com o livro. É fundamental. Depois da intimidade, quando passam a gostar, até um livro obrigatório é lido com prazer. O papel do professor é determinante, não? Descreva um bom professor de língua portuguesa. Que características ele deve ter? Primeiro, ele precisa conhecer a matéria. Há professor que não conhece. Vai dar aula de análise sintática, mas não sabe análise sintática. Faz uma confusão danada na cabeça do estudante. Segundo, é motivar o aluno, tornar as aulas divertidas e instigantes. Terceiro é cobrar, não ter medo de corrigir. E correção não significa desqualificar o aluno. Significa simplesmente dizer que o jovem pode fazer melhor. Sempre motivar a andar para frente. Estimular a aprender mais, a escrever, a escrever melhor. Os alunos são muito curiosos. Crianças e adolescentes são extremamente ávidos de conhecimento. São esponjinhas que podemos molhar com ensinamentos úteis. Agora, só faz isso o professor que conhece a disciplina. Professores com deficiências precisam Na Finlândia, por exemplo, que tem o melhor ensino do mundo ocidental, a carreira mais disputada é a de professor. Porque paga o melhor salário. O profissional é selecionado entre os melhores, faz dois anos de treinamento antes de entrar na sala de aula e é acompanhado na carreira. O centro da qualidade é o professor. No Brasil, praticamente inexiste carreira. A educação permanente é fraca. Não há avaliação. Avaliamos o aluno, mas não avaliamos o professor. Precisamos de avaliação de desempenho. Parece utópico, mas é o que precisamos para tornar nossa educação excelente. Não podemos nem aceitar o bom, pois o mundo é muito competitivo. Temos que querer excelência. Na seleção. Na carreira. No acompanhamento. Aqui, joga-se o professor na sala e ele se vira. Quem paga o preço em primeiro lugar é o aluno, em segundo, a sociedade. Que balanço faz da experiência em sala de aula? Fui professora em todos os níveis de ensino. Do ensino fundamental à pósgraduação. Lecionei no Instituto Rio Branco (MRE) durante 12 anos. Tenho vocação para o magistério. Gosto muito de ensinar e também aprendo muito com os alunos. No planejamento tenho que saber o que de leitura. Dados do Pisa (Programa In- estudar. O aluno só avança no conteúdo Minha avaliação como professora é de falar, para que público, taxar um objetivo ternacional de Avaliação de Estudantes) quando o professor domina esse conteú- uma curiosa que se interessa por dividir e buscar argumentos que sustentem mi- 2015 mostram que 60% dos estudantes do. conhecimento. Até hoje frequento salas nha tese. Depois, escrevo e reviso. E não é uma só revisão. São várias. Hemingway [Ernest Hemingway, escritor norteamericano] disse que reescreveu 30 vezes Adeus às Armas [1929] até se sentir satisfeito. Marguerite Yourcenar [escritora europeia] levou 28 anos escrevendo Memórias de Adriano [1951], escrevendo e reescrevendo, até nos brindar com a obra -prima. Revisar é corrigir erros gramaticais, estruturais e aplicar três regras de ouro do estilo. Primeira: menor é melhor. Buscar palavras curtas, estruturas curtas, brasileiros ficaram abaixo do nível 2 em proficiência em leitura. De 70 países, ficamos na 59ª posição na área. Como melhorar esse cenário? Temos que estimular a leitura. E ela precisa ser prazerosa. Não é para cobrar estudo de personagem, de tempo. Não é para cobrar. O desafio de pais e de professores é tornar a leitura prazerosa. Pode ser tão bom quanto jogar videogame ou ver televisão. Se conseguirmos despertar o prazer da Como você avalia a formação do professor no Brasil, especialmente de língua portuguesa? Os cursos de pedagogia, de letras, de história, cursos destinados à sala de aula, ultimamente têm tido menores notas no vestibular. São estudantes que não conseguem passar – a maioria, não todos – em medicina, direito, informática, e escolhem cursos pedagógicos, que são os que exigem média mais baixa. Hoje, nosso professor é malformado por- de aula. Visito escolas, levo livros, porque sou autora de obras infantis, e consigo fazer com que pessoas se interessem pela leitura. No fim, os jovens andam sozinhos e sabem mais do que nós. Hoje as crianças são tão informadas, os adolescentes têm tanta informação. É troca. Enriquecimento de ambos. Leandro Silva que são mais contemporâneas. Textos leitura, o aluno vai sozinho, ele mesmo que a base dele não é a melhor. Ele, em www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 5

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Por um Brasil de todos! Porque os diversos governos que o Brasil teve, tanto governos federais, estaduais e municipais, não fizeram um investimento adequado na educação escolar da população brasileira. Nem no quesito quantidade, muito menos no quesito qualidade. Já os demais países citados no texto, fizeram um investimento adequado na educação escolar de seus habitantes e transformaram a realidade de suas sociedades. Se a grande maioria da população brasileira fosse muito bem escolarizada, com o território rico que o Brasil tem, esse país seria um dos mais ricos e avançados do mundo. Mas por que não se investe bem em educação pública primária e secundária no Brasil? Onde erramos? Por que se investe mal nas escolas públicas? O que é que esse pessoal tem tanto contra o A Finlândia era, até 1950, um país pobre e povo do Brasil? exportava madeira e papel higiênico. Hoje, se Por que as pessoas no Brasil não saem às ruas destaca entre os países com maior índice de e não fazem panelaço, barulho, protestos para desenvolvimento humano e renda per capta. A que os serviços públicos de educação escolar Suécia era, em 1820, um país pobre. Em 1950, primária e secundária melhorem de qualidade? já tinha um alto padrão de vida. A Coreia do Sul Por que não há pressão popular nas ruas? era pobre nos anos 60 do século 20. Hoje é um Porque no mundo há um senso comum que país desenvolvido, de primeiro mundo. A países só se desenvolvem se houver ótima Noruega também era pobre até a década de 60 educação escolar. e hoje é um dos países mais desenvolvidos do mundo. Além da educação escolar pública de boa qualidade, também é igualmente necessário O território do Brasil é, de longe, mais rico em investir-se bem em pesquisas científicas. É recursos naturais do que o território de qualquer questão de interesse nacional. um desses países citados. O Brasil é rico em florestas, em água potável, em nióbio, em Professores e cientistas só vão ter motivação petróleo, em ferro, em manganês, em bauxita, para trabalhar muito e bem se forem bem em ouro e cobre, a agricultura brasileira é uma remunerados, se os empregos deles das melhores do mundo, o Brasil não tem compensarem para eles financeiramente. grandes problemas com matéria prima. O Agora, num país onde governadores estaduais território do Brasil é muito bom. mandam a polícia bater em professores Mas, por que o Brasil não consegue elevar o grevistas em vez de tentar dialogar com eles, índice de desenvolvimento humano e nem a me faz perder as esperanças quanto ao futuro renda per capta da sua população? de tal país. João Paulo E. Barros Página 5 Por uma Reforma Política democrática com participação popular Porque precisamos fazer a Reforma Política Popular no Brasil? Seus impostos merecem boa administração. Bons políticos não vem do nada. Para que existam bons políticos para administrar o país, toda a sociedade precisa colaborar para que eles possam nascer e terem sucesso. É preciso um sistema eleitoral moderno para melhorar a qualidade da política. Os políticos "tradicionais" tem horror à reforma política, porque ela pode mudar a situação atual onde eles usam e manipulam o eleitor e são pouco cobrados ! www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 6

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 6 Direitos humanos - Minorias Lésbicas: A invisibilidade leva a vítima, pessoas próximas, ex- parceiros. O e fundamentais para a sociedade. O direito marginalização. preconceito ocorre em todos os espaços. independente de estar na Lei Maior, deve Muitas não sabem que podem contar com a antes ser importante para o indivíduo e para a 29 de agosto, é considerado o dia Nacional Lei Maria da Penha que também é para casais sociedade, deve ser fundamental para o ser da visibilidade Lésbica. A data foi criada no 1º homossexuais. Outra consequência da humano. A declaração Universal dos Direitos Seminário Nacional de Lésbicas em 1996, por invisibilidade é a desinformação e a falta de Humanos proclama em seu “Artigo 1° “ Todos lésbicas brasileiras. E qual o motivo de se criar preparo dos profissionais da saúde para lidar os seres humanos nascem livres e iguais em uma data para elas? O motivo é sempre o com essa população. Não existem políticas dignidade e em direitos. Dotados de razão e mesmo quando falamos de minorias sexuais para essas mulheres, como se a de consciência, devem agir uns para com os discriminadas e vítimas de preconceitos, saúde sexual delas não fosse importante, outros em espírito de fraternidade.” mostrar as pessoas que essa realidade existe como se não estivessem sujeitas a doenças e Infelizmente o Brasil está entre os países em e que por conta disso a mulher lésbica sofre contaminação como qualquer pessoa.Os que há o maior número de assassinatos por violência de todo tipo, física, verbal e direitos fundamentais do homem proclamados orientação sexual. Pelo menos um a cada 28 psicológica em todos os lugares que na Constituição Federal e na Declaração dos horas, e mais de 90% deles motivados pela frequenta. Enfrentam a lesbofobia, a Direitos Humanos continuam sendo violados, o homofobia., que é a aversão e o preconceito misoginia, e as mulheres negras lésbicas desrespeito praticado pela sociedade em aos homossexuais. É preciso respeitar essa ainda enfrentam o preconceito racial junto. As geral, o despreparo dos profissionais da minoria, dar espaço para elas falarem, parar mulheres lésbicas são invisíveis no sentido de educação, a discriminação religiosa, as com o massacre duplo que sofrem (mulher e que sua realidade é ignorada. Ser desprezada agressões de toda ordem, o ódio, a exclusão lésbica), parar de achar que a por sua orientação sexual, ter seus direitos provocada pela ignorância, são fatores heterossexualidade é obrigatória, mostrar aos violados, sofrer estupro corretivo ( Estuprar discriminatórios perpetrados contra os homens que elas não são ameaças ao seu com a finalidade de corrigir e punir as lésbicas, homossexuais, o que acaba causando a patriarcado, e que ser lésbica não é modinha. bissexuais, trans, com a intenção de marginalização e a segregação social de Perseguir e marginalizar as lésbicas com a transformá-las em mulheres ), tamanha pessoas que têm uma sexualidade distinta. intenção de calá-las não vai fazer com que o violência e ignorância não tem explicação. Assim acontecem a cada hora atos de problema desapareça. Lésbicas contribuem Acredita-se que o índice de suicídios entre as violência, atos de crueldade e humilhação para a sociedade tanto quanto qualquer outra lésbicas é maior do que se apresenta, mas há contra a população homossexual, lésbicas, pessoa. A ONU reconhece o dia da poucos estudos sobre esses dados. A gays, transexual. visibilidade lésbica., criou a campanha “Livres invisibilidade já se apresenta nessa falta de dados, sem um estudo mais detalhado dessa realidade não se implementam políticas e ações públicas para combater a violência e a discriminação, como se o problema não existisse. A violência contra essas mulheres é ignorada pelo Estado, vários casos de violência aconteceram recentemente e pouco Existir um dia da visibilidade lésbica é necessário para que nos conscientizemos sobre a desumanidade dos atos violentos que são infligidos a essas mulheres diariamente, para que a gente perceba a crueldade, a humilhação, o descaso com essa população. Quando chegará o dia em que a orientação e Iguais” que destaca a importância do apoio familiar para as pessoas LGBT, conscientiza sobre o preconceito e luta por uma sociedade mais justa. É preciso que os casais LGBT tenham uma legislação que lhes garanta os seus direitos, vamos legitimar o que já é jurisprudência. se falou sobre isso, não houve divulgação sexual não fará diferença? A orientação A dignidade da pessoa humana só está desses assassinatos, não há essa sexual não diz quem a pessoa é, não faz o garantida quando direitos fundamentais como preocupação de fazer o registro e de saber seu caráter, os valores de uma pessoa não liberdade e igualdade estão protegidos, onde eles estão acontecendo, como estão são pautados pelo sexo, e sim por aquilo que garantidos, e, principalmente respeitados, pelo ocorrendo. O Estado ignora essa violência. acreditam e respeitam. Ser mulher já é motivo Estado que deve zelar e cuidar de seus para sofrer discriminação, imagine mulher e cidadãos, e pela sociedade que deve ter um As lésbicas e bissexuais sofrem pelo menos lésbica! Desrespeitar e desvalorizar alguém, olhar de igualdade e sem preconceito com o um estupro corretivo por mês. Os bissexuais, humilhando e discriminando em função de sua ser humano independente de sua orientação os homens transgêneros estão incluídos orientação sexual, é tratar com desigualdade e sexual nessa violência toda. O que mais impressiona é constatar que a violência também é provocada por pessoas que convivem com a ferir a dignidade do ser humano. Não podemos aceitar que discriminações/preconceitos validem e limitem direitos que são essenciais .e-mail: marihfreitas@hotmail.com Mariene Hildebrando O direito das minorias Hugo Nigro Mazzill da maioria, e sim da maioria do povo. Isso significa assim define democracia direta: três lobos e uma que democracia não é o governo da maioria das ovelha votam em quem vai ser o jantar; elites, nem da maioria das corporações, nem da e democracia representativa: as ovelhas elegem maioria dos grupos econômicos, nem mesmo da quais serão os lobos que vão escolher quem será iJá nos acostuma- maioria de alguns grupos políticos, que, muitas ve- o jantar. mos a ouvir que democracia é governo da maioria. Mas é mais que isso. zes, são aqueles que efetivamente fazem a lei mas nem sempre defendem os interesses da população. A democracia legítima não é despótica, pois mes- A democracia moderna é mais do que apenas uma vontade majoritária. É o governo que se faz de acordo com a vontade da maioria do povo, colhida de maneira direta (plebiscito, eleições) ou de ma- Democracia não é mo a maioria não pode escravizar a minoria. neira indireta (pelo sistema representativo), mas apenas o governo A propósito, cabe lembrar o dito que, com humor, desde que respeitados os direitos da minoria. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 7

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 7 Crônicas, Contos e Poesia FOME E MISÉRIA Genha Auga Homens hoje são como ratos, Para cada lado que olhamos é o mesmo fato, A miséria humana aumentando pelo descaso. Ironicamente em um país que é quase O celeiro do mundo e onde povo se solidariza, Cegamente com futebol e carnaval. E, cada vez mais, O miserável da rua vira um fato Invisível e quase normal... Aqui nos separamos pela classe e pela cor Não importa se é criança, jovem ou idoso, Dá-se importância pelo seu mau cheiro E falta de dentes e de rosto Para eles, não há espaço para amor. O bom jantar de quem cuida, Dessa falta de cuidado, São fartos e com nosso dinheiro regado. Mas, dizem que a fome faz sublimar, Que é melhor passar fome do que desperdiçar. Quem diz isso, não tem filhos em casa, Sem ter nem a sobra do almoço para jantar, Não são religiosos que tem propósitos para jejuar, São miseráveis que olham Pra quem desvia o olhar. Da fome dessa gente revirando lixo, É criança sem futuro que vai virar bandido. São nossos, e eleitos por nós, Os políticos! E quem come, sabe reclamar que na sua calçada, Esse faminto, seu imóvel irá desvalorizar. Essa tirania de egoístas faz a contramão dos fatos Pois pra ser miserável, tem que morar do lado do rico. Ironicamente vivem desse lixo, Porque nem lixo, eles se dão ao luxo de ter. Nosso país tem gente ganhando sem nunca ter traba- lhado, Muito menos estudado. E, quem passa fome, nem teve essa oportunidade. Ainda veja bem o fato De que a gente que teve e se empenhou Nessa oportunidade, Hoje está fadado a viver Cada vez mais com dificuldade. Se ainda não pensou nisso, Conte e guarde seu dinheiro. Ainda dá tempo de ter essa Infeliz experiência, Morar na rua e não ter o que comer! Seu endereço ainda pode ser: www.fome@miserável.pontocom.br Passar fome dói! Pense nisso. CÉREBRO PROCESSANDO FELICIDADE Se errarmos, pensemos que isso é um processo criador porque antes de nos dar bem erramos. O que é preciso e o que queremos? Quanto temos de capacidade para esse querer? Mas, não podemos confundir comprar e consumir com felicidade. Compramos muito, mas as roupas e objetos não serão nossas companhias, nas redes sociais “bombamos”, mas na verdade somos pes- soas apenas esvaziadas, mostrando a vida social que vivemos em alguns momentos, mas, esse confessionário nos faz inclusos Chega um momento na vida que o cérebro pela propaganda sem marcas e, conse- precisa processar, priorizar o tempo, senti- quentemente por isso as farmácias viraram mentos e pessoas. Como fazer isso? Será lojas de produtos que nos fazem “felizes”... que conseguimos? Gastamos tudo para comprar objetos para Nosso tempo é relativo, depende do tanto sermos lindos, mostrar nossos talentos, ser- que dedicamos às coisas que por muitas mos adorados mesmo que como objetos de vezes são prioridades na vida e as pessoas consumo. Queremos ser consumidos, chei- que nem sempre são as que ocupam com rados como perfumes, mas esquecemos da qualidade nosso tempo. dignidade. O que queremos de fato? Responder a essa Reconstruir-se e ver qual parte nossa temos pergunta será realmente o primeiro passo que melhorar com menos crenças e mais para o cérebro digitalizar e corrigir, aprofun- esforços e, se não deu certo ainda, é por- dar e ter nossa assinatura na decisão da que há muito que lutar, a vida nos desafia, felicidade que buscamos. mas temos que saber qual luta valerá a pe- Pensar: vamos e fazemos porque não tem na e mudar nossas vidas e, não ficar so- outro jeito ou, pensar e fazer de outro jeito o mente na luta do trânsito, com a família ou que de fato gostaríamos. pelas redes sociais. Nossa luta é com o que somos e o que ainda poderemos ser. Pen- Exemplos: Por que o natal tem que ser sar que hoje é nosso primeiro dia de vida e sempre do mesmo jeito? Muitas pessoas reinventar-se aproveitando toda oportunida- nem gostam de passar o natal com quem de que surgir para Ser e não apenas para nem realmente amam e, se realmente as Ter e verdadeiramente sermos felizes junto amam, porque não fazer isso durante o a- de quem realmente queremos e amamos e no? Natal não é obrigatório. Natal é uma não simplesmente tolerando, lutando e re- história bonita e dos cristãos, mas, se não clamando cegamente cheios de ódio. praticamos o ano todo, que sentido há, em só no natal, nos abraçarmos? Não é preciso ofender caso não concorde com o pensamento de quem é contraditório, Desejar levar a vida que escrevemos, não é pois mesmo que não sejamos donos do uni- “carma” ou sorte, e sim o que fazemos e o verso, podemos cuidar de nossas vidas e que fizemos. Cultura não tem código genéti- não tomar o veneno da ira porque ele mata co, não passa pelo sangue e sim irá escor- somente quem prova. rer pelo sangue da vida com o empenho e vontade de tê-la. Nosso “Curriculum Vitae” é Não basta parecermos felizes e sim sermos feito de cultura, hábitos e vontades. felizes. Para isso é preciso ajustar-se ho- nestamente consigo mesmo e.... Ah! Mas o cérebro processa a má fé da gente com a gente mesmo, quando nos per- Viver feliz! guntamos: Por que não fui feliz no casa- mento? Porque não encontrei a pessoa certa.... Mas, quem foi o roteirista dessa cena e Genha Auga – Jornalista mtb: 15.320 a quem demos o papel de protagonista? www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 8

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 8 Sociedade Global Por que aprender idiomas? do de ensino de idiomas, e o francês ainda se Adolescentes que gostam de mangás destaca lá. (histórias em quadrinhos japonesas) e animês O francês é uma língua elegante, e se desta- (desenhos animados japoneses) e música ja- ca também na África, no Canadá, no Caribe e ponesa, também se interessam em aprender na região do Oceano Pacífico. essa língua tão diferente do português. O alemão é uma língua de destaque nos ra- Mas não deixa de ser um grande diferencial mos da ciência e da tecnologia, ao lado do no currículo. inglês. Há outras opções destacáveis como o russo, Outra língua também elegante, principalmente o árabe e o mandarim. Eu gosto desse assunto sobre aprender no- no mundo da música, é o italiano, também útil Cada pessoa tem as suas necessidades es- vos idiomas. E eu recomendo à todas as pes- na Europa. pecíficas. Mas é aconselhável que as pessoas soas que tente aprender ao menos um idioma Para as pessoas religiosas cristãs praticantes, escolham pelo menos um idioma estrangeiro de outro país. A globalização é um fato consu- línguas como o hebraico e o grego, os idio- para aprender. Principalmente pela internet, mado, e o português infelizmente não é um mas originais do antigo testamento e novo portas se abrem para quem sabe outros idio- idioma popular entre os não lusófonos. testamento bíblicos, não é investimento perdi- mas. Poderá vir a ser, talvez. Ainda não o é. do. É questão de valorizar o próprio currículo. Am- O inglês é a língua franca do mundo nos dias atuais, então acaba sendo a primeira língua estrangeira a ser aprendida pela maioria. Estando o Brasil na América do Sul, é quase au- Já foram encontrados diversos erros de tradução na Bíblia e o conhecimento desses dois idiomas supre muitas necessidades de exegese e hermenêutica bíblicas. plia-se a capacidade de comunicação humana, permite-se estabelecer vínculos de amizades com gente de outros países e outras culturas, que nos trazem aprendizado e crescimento, nos faz abrir a mente para novas reali- tomático que o espanhol seja a segunda língua estrangeira mais procurada pela maioria. Quem é budista praticante, prender sânscrito ou páli. lhe compensa a- dades. Quase todos os nossos vizinhos têm o espa- No contexto do Brasil, principalmente quem é Eu aconselho às pessoas, experimentem aprender um novo idioma, cresça pessoalmen- nhol como língua oficial. descendente, compensa para muita gente a- te, encontre novas portas abertas na vida. Para aqueles que têm interesse na Europa, o prender japonês, pois muita gente vai ao Jaalemão tem ganhado muito espaço no merca- pão em busca de trabalho. João Paulo E. Barros A rua e a rede global Onde nasceu o impeachment de Dilma? nenhuma reação digna de nota, por parte da- Na Rede, e depois tomou a rua. queles que dizem estar preocupados com o futuro da democracia brasileira? Onde nasceram as "10 Medidas Contra a Cor- rupção"? Para reflexão e debate: Na Rede e depois saíram - em busca de assi- No Facebook - 4.5 milhões de curtidas na naturas e apoio - para a rua. principal página de Bolsonaro (não interessa se "fakes" ou não) contra menos de 3 milhões Onde nasceram - por meio da disseminação para Lula. repetitiva e goebbeliana, de mentiras, mitos e paradigmas - as mais recentes derrotas para No Google, 458.000 resultados - a maioria ne- a democracia brasileira? gativos - para Luis Inácio Lula da Silva, contra José Dirceu, em recente entrevista para um 980.000 citações para Jair Messias Bolsona- site argentino, comentou que as ruas são Na indiferença das lideranças que deveriam ro. mais importantes que a "rede". defendê-la na Rede e na mais absoluta incapacidade de reação na internet de modo ge- No Youtube, 18.600 resultados para Luis Iná- Não sei se poderíamos concordar com essa ral, que depois se refletiu nas ruas. cio Lula da Silva, contra 19.800 para Jair Mes- afirmação. sias Bolsonaro. No exterior, e com razão - li uma vez, em uma A Rede não só é a nova rua, em certo sentido, pichação, em um muro de Berlim: Netz zuerst, Junte-se a isso, 2.900.000 curtidas de Moro como ela antecipa o que vai ocorrer nas ruas. strasse dann ! se diz que o trabalho na Rede - apenas em suas duas principais páginas, Onde nasceram os "coxinhas"? principalmente no sentido do convencimento e 398.000 resultados para Sérgio Fernando Mo- Na Rede. da mobilização - precede a ocupação - no ro no Google, e 77.000 vídeos para ele no sentido da marcação simbólica de território e Youtube, e dá para ter - olavetes, villetes, lo- E depois tomaram as ruas. de demonstração de apoio da população - do betes, somadas - uma ideia aproximada do Onde nasceram os movimentos fascistas, co- asfalto. recente crescimento do eleitorado de extrema mo o MBL e o Vem pra Rua? -direita no Brasil. Onde nasceu - e está crescendo a cada dia - Na Rede, e depois tomaram as ruas. a candidatura Bolsonaro, mais uma vez sem MAURO SANTAYANNA Jornalista www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 9

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 9 E agora José? ESCOLA SEM PARTIDO E A FALTA O Plano Nacional de Direitos Humanos (a car- Para que você tenha maior clareza sobre os DE ENTENDIMENTO SOBRE OS tilha ideológica doutrinadora esquerdista, co- temas das redações do ENEM, segue abaixo a DIREITOS HUMANOS mo aponta o Escola Sem Partido) é um docu- lista desde 1998. mento que apresenta uma longa discussão so- LISTA DOS TEMAS DO ENEM O Movimento Escola Sem Partido ingressou na justiça contra o INEP (Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) alegando bre os direitos humanos (de acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, de 1948) e indica objetivos estratégicos para atingir tais direitos. O documento pode ser conferi- 2016 1º aplicação CAMINHOS PARA COMBATER A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA NO BRASIL que o próprio órgão desrespeita os Direitos do neste link: https://goo.gl/D7RQkg. Leia-o e 2016 2º aplicação - CAMINHOS PARA COM- Humanos. O Escola Sem Partido afirma que a tire suas conclusões. BATER O RACISMO NO BRASIL redação do ENEM (Exame Nacional do Ensino O fato é que o Movimento Escola Sem Partido 2015 1º aplicação: A persistência da violência Médio) é subjetiva e que força o candidato a não é lá muito fã dos Direitos Humanos. Por contra a mulher na sociedade brasileira “seguir a cartilha ideológica do Plano Nacional vezes me pergunto se é falta de estudo ou se 2015 2º aplicação: O histórico desafio de se de Direitos Humanos”. é má fé mesmo, a começar pelo seu maior de- valorizar o professor Bem, a princípio temos três discussões: 1) Ex- fensor Miguel Nagib, que deveria ter maior cla- 2014 Publicidade infantil em questão no Brasil plicar a questão da redação no ENEM e; 2) reza sobre o que são Direitos Humanos, liber- 2013 Efeitos da implantação da Lei Seca no Discutir a afirmação de que o Plano Nacional dade, etc. Brasil de Direitos Humanos constitui-se numa cartilha ideológica e; 3) Averiguar a possibilidade de o ENEM apresentar uma redação “neutra”. Novamente faço uso deste espaço para escrever sobre o Movimento Escola Sem Partido. Nagib questiona o que o Governo Federal entende por “direitos humanos”, afirmando que ele “impõe uma série de assuntos controversos, como a defesa do direito ao aborto, questões relativas à identidade sexual, à relativiza- 2012 O movimento imigratório para o Brasil no século XXI 2011 Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado Um movimento que já deveria ter morrido, face ção do direito à propriedade rural e ao controle 2010 O trabalho na construção da dignidade as suas proposições. dos meios de comunicação”. Longe de querer humana A questão da redação do ENEM e o Escola defender algum governo, eu questiono, nova- 2009 O indivíduo frente à ética nacional Sem Partido mente, o que o advogado entende por direitos 2008 Escolha sobre uma, de três possibilida- A redação do ENEM é avaliada a partir de cin- humanos. Ao ler a Declaração Universal dos des, para manter a “máquina de chuva da A- co critérios. São eles: Direitos Humanos, de 1948 e ler o Plano Na- mazônia” funcionando (não houve propriamen- Demonstrar domínio da modalidade escrita mal da língua portuguesa for- cional de realmente Direitos Humanos eu não há má fé em suas questiono se declarações. te um tema, como os outros) 2007 O desafio de se conviver com a diferença Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a argumentação Fica claro que a parte do “Sem Partido” não existe. O que existe é o partido das ideias conservadoras. Ideias que sobrepõem pressupostos cristãos à liberdade do indivíduo. A redação neutra e o Escola Sem Partido Em vários momentos é possível identificar no discurso do Nagib, e de seus doutrinados, a suposta “neutralização da escola brasileira”. Novamente chamo a atenção para a impossibilidade de ser neutro diante de um problema. Cada indivíduo tem (ou deveria ter) a liberdade 2006 O poder de transformação da leitura 2005 O trabalho infantil na realidade brasileira 2004 Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação? 2003 A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo? 2002 O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais de que o Brasil necessita? 2001 Desenvolvimento e preservação ambien- Elaborar proposta de intervenção para o pro- de escolher um lado da moeda. Obviamente tal: como conciliar os interesses em conflito? blema abordado, manos respeitando os direitos hu- que quando se fala no professor, o mesmo também deve ter tal liberdade. O que se espe- 2000 Direitos da criança e do adolescente: mo enfrentar esse desafio nacional? co- O Movimento Escola Sem Partido, através do advogado Miguel Nagib, entende que o item 5 ra do professor é que ponto de vista, mas que ele não imponha seu se permita que o mes- 1999 Cidadania e participação social é tendencioso e subjetivo ao forçar o aluno se- mo possa emiti-lo. 1998 Viver e Aprender guir uma cartilha do governo de inspiração es- O Artigo 19 da Declaração Universal dos Direi- O Movimento Escola Sem Partido só atesta a querdista. Entendem também que a escola tos Humanos NÃO diz que: falta de qualidade da escola brasileira. Já que, brasileira tem sido um palco de doutrinação marxista usurpando o direito dos nossos alunos aprenderem as matérias escolares. Toda pessoa, exceto o professor, tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opi- se a escola brasileira fosse de qualidade (ou tivesse sido em algum momento da história), esse movimento jamais teria nascido. Os critérios da redação acima descritos ser- niões e de procurar, receber e transmitir infor- IVAN CLAUDIO GUEDES vem para que os corretores contratados pelo mações e ideias por quaisquer meios e inde- Geógrafo e Pedagogo INEP utilizem uma escala de 0 a 200 pontos pendentemente de fronteiras. ivanclaudioguedes@gmail.com para construir a avaliação sobre a redação. Porém, ainda que o candidato tenha 800 pontos, provenientes dos itens 1 a 4, caso ele desrespeite os direitos humanos, sua redação é zerada. Em alguns momentos, Nagib afirma que “O candidato não é obrigado a concordar com a legislação brasileira, ele só não pode incitar ao crime”. Ora, novamente não sei se lhe falta clareza ou sobra má fé, uma vez que não é Fontes de consulta: http://www.rededecontrolems.org.br/noticia/agu-impedeescola-sem-partido-de-obter-liminar-contra-critario-decorreaao-do-enem/1930 https://www.portalabre.com.br/home.php? O Movimento Escola Sem Partido prega uma “neutralização” sobre a redação. Fico pensando, o que é ser neutro, diante de uma situação possível permitir que o candidato apenas não incite ao crime. Novamente convido-o a ler a Declaração Universal dos Direitos Humanos. id=31&artigo_id=6226 http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/escola-sempartido-vai-a-justica-contra-exigencia-de-redacao-doenem-5oypovvpee7vlh2210iwnwijf que desrespeita os direitos humanos, como é Não se pode permitir o racismo, a invasão da http://www.escolasempartido.org/artigos-top/346-por-um o caso da violência contra a pessoa, a intole- privacidade, a tortura ou o trabalho infantil em -enem-sem-ideologia rância religiosa ou a tortura? detrimento de uma “liberdade de expressão”. http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Declara% C3%A7%C3%A3o-Universal-dos-Direitos-Humanos/ Plano Nacional de Direitos Humanos e o Esco- declaracao-universal-dos-direitos-humanos.html la Sem Partido www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 10

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 10 Cultura Musical Grandes figuras da música ocidental de espetáculo escura e a única coisa que ela https://youtu.be/hnKxz5PBr8M (Atos I e II) VI - Wagner visse era o palco, e a atuação dos persona- https://youtu.be/SfcEfYN6PjU (Ato III) gens. A música deveria ser apenas ouvida e 3. Siegfried (Siegfried) - 1856–71 não vista. Quase como um cinema hoje em https://youtu.be/7Y2-aiKrvAw (Atos I e II); dia! Ele foi um visionário e projetou um teatro https://youtu.be/uOjBYl7l1qw (Ato III) onde o fosso da orquestra ficasse por baixo do palco, numa inclinação tal que a orquestra 4. Götterdämerung (Crepúsculo dos deuses) não é vista em nenhum ponto do teatro. Esse 1869–74 teatro fica em Bayreuth na Alemanha: https:// https://youtu.be/ifPEx6rAFFs (Prólogo e Ato I) www.bayreuther-festspiele.de/ onde acontece https://youtu.be/--8oJoiM9_k (Ato III) anualmente um festival das óperas do compo- Tristan und Isolde - Tristão e Isolda - 1857–59 sitor, com ingressos concorridíssimos, com- https://youtu.be/IdjFBW-S3z0 prados com anos de antecedência. Die Meistersinger von Nürnberg - Os mestres Wagner também inovou em iluminação e efei- cantores de Nuremberg 1845-67 tos cênicos. Além de ter inventado alguns ins- https://youtu.be/6tG9lOL_1Xk trumentos para a própria orquestra. Parsifal - Parsifal - 1877-1882 Tudo isso já seria monumental para a carreira https://youtu.be/3F4pm8LUZZc de um homem só não fosse a revolução que ele causou na ópera, ou drama musical, como O grande diferencial da obra de Wagner como Falamos no artigo passado sobre Mahler que soube se aproveitar do crescimento monumental da música sinfônica do séx XIX e trouxe para o séc. XX ideias que modificaram o ele preferia que fosse chamado. A ópera, especialmente a italiana, era composta por números, como se fosse divida em canções (árias), números de conjuntos, balés, um todo é a escolha dos argumentos, objeto de discussão até hoje. Histórias irreais, cheias de simbologia, e por isso abertas a muita discussão e especulação. pensamento da música sinfônica. Mas curiosamente um dos compositores que mais contribuíram para o crescimento da or- uma sequencia de músicas que tinham um começo e um fim, e que contavam a história com pausa entre eles. Wagner queria que o Sendo ele mesmo o escritor de seus libretos foi alvo de muita crítica na área política e filosófica. questra foi um compositor de óperas. Richard espetáculo não parasse, que fosse hipnoti- Com acusações de todo o tipo, desde anti- Wagner (1813-1883) zante. Ele criou então a música contínua, a semita a envolvimento com o surgimento da Wagner foi uma das personalidades artísticas história é contada na sequencia, como numa esquerda, o que o fez ser exilado da Alema- mais polêmicas e criativas da História. peça de teatro, mas não há “canções" ou nha por muito tempo. Ao mesmo tempo Hitler Além de compositor ele era escritor, poeta, “números musicais”, nem espaço para aplau- adorava sua música e por causa das acusa- inventor e empreendedor. sos ou qualquer outra interrupção dentro de ções de anti-semitismo de Wagner usou a A maioria dos compositores líricos (que compõem ópera) tem a colaboração de um escritor/poeta que escreve o libretto que é o texto que conta a história e que é cantado pelos um ato. Falar sobre a obra de Wagner mais que um artigo, mas vamos guns marcos importantes. exige muito destacar al- música de Wagner para promover o Nazismo. Isso tudo gera discussão sobre a obra de Richard Wagner até hoje. Até hoje há fanatismo em volta do compositor, de um lado e de outro, de amor e ódio. personagens. Wagner foi um dos únicos casos na História As óperas que podemos destacar por Wagner em ordem cronológica compostas Daniel Baremboim, um regente argentino de origem judaica, foi o criador junto com xxxxx da ópera que escreveu seus próprios librettos. Der fliegender Höllander - O Navio Fantasma da orquestra DIVAN - WESTERN - EASTERN Ele se baseava em histórias escritas por ou- (ou o Holandês Voador) - 1840-41 http://www.west-eastern-divan.org/, uma or- tros autores, por lendas nórdicas, cristãs, e https://youtu.be/b9b97PZUykE questra que abriga músicos israelenses e pa- mesmo esotéricas e criou marcos importantís- Tannhäuser - 1842-45 lestinos, várias vezes executou obras de simos na história da arte. https://youtu.be/kl7oUK3sMQo Wagner e é um dos israelitas defensores do A ópera é um espetáculo onde uma história é Lohengrin - 1850 contada através da música e do teatro. Tradicionalmente ela é montada em um teatro on- https://youtu.be/VXwSV0sjYzg de os cantores, atores e bailarinos ficam no Der Ring des Nibelungen - O anel do Nibe- palco e a orquestra fica no fosso. Um lugar lungo - Sua mais ambiciosa obra. Uma sa- reservado abaixo do palco onde ficam os mú- ga em quatro óperas: compositor. Mesmo assim é alvo de protestos em Israel. Há um artigo em inglês na Wikipedia sobre as polêmicas que Wagner se envolveu e que são assuntos de discussão até hoje, vale a pena conhecer o artigo: sicos e o regente. Num teatro normal de ópe- 1. Das Rheingold (O ouro do Reno) - 1853–54 h t t p s : / / e n . w i k i p e d i a . o r g / w i k i / ra o público enxerga parte da orquestra e o - https://youtu.be/3ZP-yXsNV2E Wagner_controversies maestro. Wagner se incomodava com isso. 2. Die Walküre (A Valquíria) - 1854–56 Ele queria que a pessoa entrasse numa sala Abraços musicais Mto. Luís Gustavo Petri Rádio web CULTURAonline Brasil NOVOS HORÁRIOS e NOVOS PROGRAMAS Prestigie, divulgue, acesse, junte-se a nós ! A Rádio web CULTURAonline Brasil, prioriza a Educação, a boa Música Nacional e programas de interesse geral sobre sustentabilidade social, cidadania nas temáticas: Educação, Escola, Professor , Família e Sociedade. Uma rádio onde o professor é valorizado e tem voz e, onde a Educação se discute num debate aberto, crítico e livre. Mas com responsabilidade! Acessível no link: www.culturaonlinebrasil.net

[close]

p. 11

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 11 Curiosidades Saiba como ver o eclipse solar sem machucar os olhos São da NASA as recomendações para que os curiosos e amantes da ciência protejam a visão ao contemplar o fenômeno, que provavel- mente será único em suas vidas. – Usar óculos de sol. Eles devem incluir a norma internacional ISO 12312-2, junto com o nome e o endereço do fabricante no produto, sinais que comprovam que ele é autêntico e confiável. Antes de olhar diretamente para o Sol, os olhos devem ser cobertos com os óculos ou com um visor solar. Depois, deve-se virar na direção oposta e retirar o filtro. – O único momento em que se pode observar o Sol sem o filtro solar é durante o eclipse total. Quando a Lua o cobrir completamente e tudo escurecer, é seguro retirar o filtro, mas assim que a luz do Sol voltar a aparecer, coloque imediatamente o visor solar para observar a parte restante do eclipse, enquanto o Sol vai sendo parcialmente descoberto. – Nunca olhar diretamente para o Sol não eclipsado ou parcialmente eclipsado através de uma câmera, telescópio, binóculos ou outros dis- Foto: India.com positivos similares sem filtro, pois os intensos raios solares que pas- sam por estes dispositivos podem causar danos significativos aos oEm pouco menos de um mês, no dia 21 de agosto, mais de 300 mi- lhos. lhões de pessoas dos Estados Unidos terão a rara oportunidade de ver um eclipse total do sol. Ele acontecerá de costa a costa, do oeste – Não se deve usar lentes com mais de 3 anos de idade, ou que teao leste, atravessando uma faixa de mais de 110 quilômetros do esta- nham sido riscadas ou amassadas. do de Oregon até a Carolina do Sul. – Uma máscara usada por soldadores, com um filtro de 14 ou mais Mais escuro, também seria eficaz, mas nem todas cumprem este padrão, por isso é importante verificar antes de usar. Os espectadores poderão observar este raro momento em que a Lua cobrirá completamente o círculo visível do Sol durante no máximo 2 – Outra opção é criar um projetor com uma caixa de cereal, um peda- minutos e 40 segundos. O eclipse demorará uma hora e meia para ço de papel branco e um pouco de papel alumínio. A explicação em atravessar o céu, a partir da costa do Pacífico, onde começará às inglês está disponível aqui. 10h15 EST e irá até às 14h45 EST. – Quase 5 mil bibliotecas norte-americanas estão distribuindo óculos Embora outros eclipses solares já tenham ocorrido, espera-se que es- para ver o eclipse. Para quem estiver nos Estados Unidos, vale a pe- te seja o mais fotografado e filmado. na verificar se há alguma perto de você. Mais Se você não está na região do eclipse, não se preocupe: a NASA transmitirá o evento pela Internet, usando câmeras espalhadas pelos “Este é um evento geracional. Será o mais documentado e o mais ad- Estados Unidos, juntamente com outras presentes em aviões de granmirado da história,” assegurou a cientista da NASA Madhulika Guha- de altitude e a bordo da Estação Espacial Internacional. thakurta em declarações citadas pela EFE. Benito Kozman Na terra da pizzas e gelatos, como os italianos conseguem se manter o povo mais magro do ocidente? A Itália é o terceiro país que apresenta a menor taxa de obesidade de todo o mundo, e só perde para os orientais Coreia do Sul e Japão. De acordo com a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a taxa de obesidade da população adulta é de 9,8% -- bem diferente da taxa dos Estados Unidos, onde 38,2% da população é obesa. No Brasil, mais da metade dos adultos (54,1%) estão com sobrepeso, sendo 20% deles obesos. Ironicamente, algumas das comidas preferidas dos americanos (e dos brasileiros) são pizza e massas. Então, o que explica o inventor dessas obras primeira ser um país de magros e os que "replicam" suas receitas não terem o mesmo destino? Para início de conversa, as pizzas que tanto conhecemos e adoramos (principalmente os paulistanos) não têm nada a ver com a tradicional - está mais para a pizza americana. Com bordas recheadas, tamanhos gigantescos, muito recheio processado e massa bem grossa, as pizzas brasileiras são uma explosão calórica, enquanto na Europa, a pizza é mais "delicada", com massa fina, recheios moderados e frescos. Os italianos não só prezam pela qualidade dos alimentos, como tam- Os alimentos frescos, por exemplo, são um dos motivos que ajudam a bém prezam pela qualidade de tempo para apreciá-los. manter as silhuetas dos italianos. Regra máxima de uma tradicional Os italianos não só prezam pela qualidade dos alimentos, como tam- família italiana é comprar alimentos naturais, frescos, diretos de pro- bém prezam pela qualidade de tempo para apreciá-los. dutores em feiras a céu aberto ou em mercadões. Mais Não é difícil encontrar um mercado de produtores locais em qualquer cidade na Itália. "Apesar da cozinha italiana ser reconhecida no exte- É difícil falar da Itália sem pensar nas deliciosas e tradicionais massas rior por seus pratos bem calóricos, nossa dieta tradicional é a Mediter- frescas, pizzas, gelatos e lasanhas que ganharam fama mundo afora. rânea (rica em frutas e vegetais)", disse a repórter especializada em Apesar de o nosso imaginário sobre o país remeter às "mamas" re- alimentação e comida do HuffPost Itália, Silvia Renda. chunchudas na cozinha com o batido avental branco, o que dá a en- tender que o país das massas e vinhos incríveis é um país de obesos, os italianos são magros e muito saudáveis. Luiza Belloni

[close]

p. 12

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 12 Datas comemorativas 01 - Dia Nacional do Selo que ir para a Europa. Na comemoração dos 100 anos do curso de Direito, em 1927, Celso Gand Ley, um dos participantes da celebração, propôs que o dia 11 Esta data homenageia a emissão do primeiro selo postal pelos Correi- de agosto ficasse registrado como o Dia Nacional do Estudante. os brasileiros, em 1º de agosto de 1843. O Brasil é conhecido como o segundo país do mundo a aprovar o uso 12 - Dia Internacional da Juventude de selos postais nas correspondências, sendo antecedido apenas pe- la Inglaterra (criadora do sistema de selos postais). O principal objetivo desta data é focar na educação e conscientização Os selos postais foram criados numa tentativa de evitar prejuízos com dos jovens sobre a responsabilidade que assumem como represen- a devolução das correspondências. Antigamente, o pagamento das tantes do futuro do planeta. cartas era feito pelos destinatários, caso este não aceitasse a correspondência, o Correio ficava no prejuízo. O Dia Internacional da Juventude foi criado, originalmente, através da resolução 54/120, por iniciativa da Organização das Nações Unidas O diretor do sistema de correios de Londres, Rowland Hill descobriu (ONU), em 1999, como consequência da Conferência Mundial dos Mi- que as pessoas utilizavam códigos secretos nos envelopes para se nistros Responsáveis pelos Jovens, em Lisboa, Portugal. comunicar com outras pessoas, sem a necessidade de receber a ta e, consequentemente, sem precisar pagar por ela. car- A Assembleia Geral da ONU decretou o ano de 2010 como “Ano Internacional da Juventude”, período em que foram debatidos diversos as- Com a chamada “reforma postal”, em 3 de dezembro de 1839, a In- suntos relacionados com o tema “Diálogo e Compreensão Mútua”. glaterra emitiu o primeiro selo postal, fazendo com que o remetente tivesse que pagar o envio da carta antecipadamente, evitando prejuízos para o sistema de correios. Atualmente, por meio do Programa Mundial de Ação para a Juventude, a ONU incentiva ações políticas e diretrizes que ajudam a apoiar a melhoria na qualidade de vida dos jovens de todo o mundo. O primeiro selo inglês se chamava “Penny Black”, enquanto que os brasileiros ficaram conhecidos por “Olho-de-boi”. 12 - Dia Nacional das Artes 05 - Dia Nacional da Saúde A data celebra as atividades artísticas, que podem abranger diversas áreas, como o teatro, o cinema, a literatura, o circo, a pintura e etc. A A data tem o objetivo de conscientizar a sociedade brasileira sobre a lista pode ser mesmo bastante grande! importância da educação sanitária, despertando na população o da saúde e dos cuidados para com ela. valor De acordo com a legislação brasileira, o artista é o profissional que "cria, interpreta ou executa obra de caráter cultural de qualquer natu- O Dia da Saúde também serve para homenagear e recordar a vida e reza, para efeito de exibição ou divulgação pública, através de meios o trabalho de Oswaldo Cruz, um dos principais responsáveis pelas de comunicação de massa ou em locais onde se realizam espetáculos erradicações de perigosas epidemias que acometiam o Brasil no final de diversão pública". do século XIX e começo do século XX. O artista usa de toda a sua imaginação, criatividade e talento para e- 09 - Dia Internacional dos Povos Indígenas mocionar, chocar ou mesmo registrar momentos importantes da história da humanidade. A arte nasceu com o homem e permanecerá após a sua morte. O principal propósito desta data é lembrar a importância da conscientização sobre a inclusão dos povos indígenas nos direitos humanos, 19 - Dia Mundial da Fotografia sendo que muitas vezes são marginalizados ou excluídos. Outra finalidade é garantir a preservação da cultura tradicional de ca- A fotografia é uma das invenções mais extraordinárias da história da da um dos povos indígenas, como fonte primordial de sua identidade. humanidade e que revolucionou a sociedade a partir de meados do O Dia Internacional dos Povos Indígenas ainda presta homenagem a século XIX, assim como a cultura, a economia, as arte e etc. todas as contribuições culturais e sabedorias milenares que esses po- Origem do Dia Mundial da Fotografia vos transmitiram para as mais diversas civilizações no mundo. A escolha do dia 19 de agosto para celebrar esta data é uma homena- De acordo com o senso demográfico de 2010, no Brasil existem mais gem a invenção do daguerreótipo, o antecessor das câmeras fotográ- de 800 mil indígenas, representando aproximadamente 305 etnias di- ficas. Foi em 19 de agosto de 1839 que a Academia Francesa de Ci- ferentes, com cerca de 274 línguas indígenas. ências anunciava mundialmente a nova invenção. Esses dados mostram que no Brasil ainda existe uma cultura indígena Este aparelho foi desenvolvido pelo francês Louis Daguerre, em 1837, muito forte e que deve ser preservada. No entanto, lamentavelmente graças aos estudos de Joseph Niépce, que havia criado neste Governo Ilegítimo, o que temos visto é o assassinato em série a héliographie alguns anos antes. dos indígenas. Em 1839 também foi inventado o calótipo, um outro sistema de captu- 11 - Dia do Estudante ra de imagens, criado por William Fox Talbot. Por causa dessas incríveis invenções, 1839 se consagrou como o Ano da Invenção da Foto- grafia. A data celebra uma atividade básica dos cidadãos, responsável pela busca por conhecimento, através do estudo constante sobre todas as 19 - Dia do Historiador coisas que rodeiam e fazem parte da humanidade e do universo. Uma boa educação e ensino escolar ajudam a formar uma sociedade O principal objetivo desta data é homenagear os profissionais que se sólida e com senso crítico apurado para solucionar crises, além de dedicam a estudar e conhecer sobre a história das civilizações e co- formar profissionais qualificados. munidades. A criação do Dia do Historiador foi oficializada a partir Origem do Dia do Estudante do Decreto de Lei nº 12.130, de 17 de dezembro de 2009. A escolha Tudo começou em 11 de agosto de 1827, quando o Imperador D. Pedro I instituiu no Brasil os dois primeiros cursos de ensino superior do país, nas áreas de ciências jurídicas e ciências sociais, nas cidades de São Paulo e Olinda. O Dia do Estudante de Direito, no entanto, é comemorado em 19 de do dia 19 de agosto é uma homenagem a data de nascimento de Joaquim Nabuco (1849 - 1910), um dos historiadores mais icônicos do país, responsável por ser um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Joaquim também ficou conhecido por ser um dos maiores abolicionistas do país. maio no Brasil, por ser o mesmo dia de Santo Ivo, o padroeiro dos ad- vogados. Antes, quem quisesse fazer um curso de nível superior tinha Fonte: Callendar

[close]

p. 13

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 13 Globalização x Educação A Educação no Contexto da Globalização clivagem entre o capitalismo e o socialismo parece, em ção é o mais vital de todos os recursos." Prof. Elian Alabi Lucci retrospecto, uma "guerra civil" dentro do Ocidente, uma SCHUMACHER, E.F. O negócio é ser pequeno. Rio de (autor de livros didáticos) vez que tanto o liberalismo quanto o marxismo são cria- Janeiro, Zahar Editores, 1983, p. 67 A globalização econômica é um processo que ocorre em ondas, com avanços e retrocessos separados por intervalos que podem durar séculos. Para um certo número de estudiosos, a primeira onda globalizante se deu por ocasião da ascensão do Império Romano. Enquanto os gregos se dedicavam à filosofia em suas cidades-estados e ilhas, os romanos articula- ções da cultura ocidental. O marxismo chinês e o de outros países asiáticos possuem características culturais próprias. Daí podermos dar razão a Samuel Huntingthon - diretor do Instituto de Estudos Estratégicos da Universidade de Harvard e autor de The Clash of Civilizations and the Remaking of World Order - quando diz que os futuros conflitos não serão mais entre sistemas socioeconômicos, mas entre civilizações. Lester Thurow, ex-diretor do Instituto de Tecnologia de Massachussets e coordenador do Instituto Ásia-Pacífico, disse em São Paulo, em julho de 1997: "adaptado à nova ordem estará o país que, aberto à competitividade global, realize gigantescos investimentos em educação, já que a maior riqueza nacional passou a ser a mão-deobra qualificada." vam seu sistema legal, difundiam o uso da moeda e protegiam o comércio contra as investidas dos piratas. Com a queda do Império Romano, acabou ocorrendo uma "Após a Guerra Fria, a política mundial deixou de reger-se por posturas ideológicas; agora se realiza segundo pautas culturais. A maior fonte de conflitos internacionais não será o Tudo leva a crer que no século XXI, a principal atividade "industrial" será o turismo. Com a redução das jornadas de trabalho na maior parte do mundo industrializado ou feudalização política e comercial, pondo fim ao primeiro enfretamento ideológico, mas o choque de civilizações." "ex-industrializado" e a idade avançada de seus habitan- movimento de globalização. A segunda globalização se deu nos séculos XIV e XV, com o ingresso do mundo ocidental na era dos grandes descobrimentos marítimos. Mas o grande surto do comércio internacional, com a abertura comercial para o Oriente, foi frequentemente interrompido por guerras religiosas e dinásticas das monarquias europeias. Foi nesse período que, pela primeira vez, se falou verdadeiramente em globalização da economia. Segundo Schumpeter (History of Economic Analysis, 1954, p. 85), HUNTINGTHON, S. Aceprensa (Pensamiento), Madrid, junho de 1997, p. 2 O atual processo globalizante tornou-se muito mais rápido, mais intensamente acelerado, com a revolução nas comunicações e mesmo com o maior avanço dos meios de transportes em geral. Também tornou-se mais abrangente, envolvendo não só comércio, produção e capitais, mas também serviços, arte, educação etc. Não sem razão, esse processo tem causado muito mais apreensão do que entusiasmo. tes, até pelo menos durante o período de reposição da população, o que as pessoas farão com o seu tempo disponível? Vão fazer mais viagens e irão em busca de mais entretenimento. A arte também, nesse processo de mudanças, passará a ter um papel mais importante do que teve até agora, uma vez que o tipo de profissional exigido no século XXI será o homem "global". Esse homem "global" terá por obrigação estudar durante toda a vida para se manter atualizado e membro da sociedade do conhecimento. isso coube ao Arcebispo de Florença, S. Antonino (1439), que na sua Suma Teológica, em que tratava de ética e economia, propôs uma economia moderna concebida globalmente e cujo objetivo mais importante era, sem dúvida, promover a justiça social. No tocante à propriedade, Antonino diz que o destino universal dos bens é um direito natural e, portanto, inalienável a que todos temos direito. "Schumpeter ha escrito sobre Antonino de Florencia que ‘probablemente se trate del primer autor que debamos una aproximación global a la economia en sus distintos aspectos A globalização em sua fase atual teve uma contribuição importante dos japoneses com o conceito de "just in time", aplicado à produção, sobretudo industrial. Com o "just in time", começaram a surgir vários conceitos, como: reengenharia, "downsizing", terceirização e qualidade total. A reengenharia, criação dos anos 90, trouxe alterações na atividade industrial que contribuíram para acelerar o processo de desemprego em massa nos países industriais e que vem atingindo também os países ditos emer- Aprendendo a aprender "Educação básica significa tradicionalmente, por exemplo, a capacidade de efetuar multiplicações ou algum conhecimento da história dos EUA. Mas a sociedade do conhecimento necessita também do conhecimento de processos - algo que as escolas raramente tentaram ensinar. Na sociedade do conhecimento, as pessoas precisam aprender como aprender. Na verdade, na sociedade do conhecimento as matérias podem ser menos importantes que a capacidade dos estudantes para continuar aprendendo e que a sua motivação para fazê-lo. A sociedade póscapitalista exige aprendizado vitalício. Para isso, precisamos de disciplina. Mas o aprendizado vitalício exige também que esenciales’. Es este, sin duda, un gran homenaje para un gentes. ele seja atraente, que traga em si uma satisfação." dominico que se convertiría en arzobispo de Florencia y escri- A Importância da Educação DRUCKER, P. Sociedade pós-capitalista. São Paulo, biria una Suma Teológica de la que ha podido un auténtico tratado de economia de factura asombrosamente moderna." LAUBIER, Patrick de. Hacia la civilizacion del amor. Madrid, Rialp, 1993, p.71 Com o advento da quarta globalização, que para muitos se confunde com uma nova era, a do conhecimento, a educação é tida como o maior recurso de que se dispõe para enfrentar essa nova estruturação do mundo. Dela Pioneira, 1995, p.156 Quanto às mudanças na educação, além do novo enfoque exigido sobretudo em ciências sociais, do ponto de vista da pedagogia global, será preciso trabalhar mais A própria economia social de mercado, defendida pela depende a continuidade do atual processo de desenvol- com a informalidade, que por sua vez, só pode ser al- China hoje, teve origem, segundo Schumpeter e outros vimento econômico e social, também conhecido como cançada através da pedagogia da alegria e da positivi- economistas e cientistas sociais, nas tentativas de Anto- era pós-industrial, em que notamos claramente um de- dade, cujos principais representantes são Georges Sny- nino de promover regulações de caráter ético, quanto clínio do emprego industrial e a multiplicação das ocupa- ders (Alunos felizes) e Francisco Gomes de Matos aos preços em economia. ções em serviços diferenciados: comunicação, saúde, (Pedagogia da positividade). A terceira globalização se daria mais recentemente, no turismo, lazer e informação. Um dos caminhos, dentre muitos, para a informalidade século XIX, no final das guerras napoleônicas. Ainda O maior recurso - a educação do ensino é o lúdico. nesse século, o liberalismo sobrepujou o mercantilismo e começou a ganhar espaço a democracia política. Mas essa nova onda globalizante sofreria uma abrupta interrupção com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). A quarta e atual globalização passou a ocorrer logo após a Segunda Guerra Mundial e se acelerou bastante com o colapso do socialismo em 1989-1991. Essa retomada da tendência à globalização é caracterizada pelo "Através da história e em virtualmente toda a parte da Terra, Por que o lúdico? Usando uma terminologia psicanalíti- os homens viveram e multiplicaram-se, criando alguma forma de cultura. Sempre e em toda parte encontraram seus meios de subsistência e algo para poupar. Civilizações foram erguidas, floresceram e, na maioria dos casos, declinaram e pere- ca, o lúdico pode ser considerado um "material auxiliar expressivo", isto é, faz parte da terapêutica para a cura de muitos males do ensino. Desses males, o maior de- ceram. Este não é o lugar para examinar porque pereceram; les é o que nos lembram o grande poeta grego Píndaro podemos dizer, porém, que deve ter havido alguma falta de (500 anos a.C.) e São Tomás de Aquino (século XIII): "o recursos. Na maioria dos casos, novas civilizações desponta- homem é um ser que esquece". Assim , ele precisa ser ram, no mesmo terreno, o que seria assaz incompreensível constantemente lembrado, principalmente do essencial, aparecimento de organizações internacionais (ONU, se apenas os recursos materiais tivessem falhado antes. Co- uma vez que o acidental o homem sempre traz na lem- Gatt - substituído pela OMC, Bird etc), pela formação de mo teriam podido reconstituir-se tais recursos? brança. blocos regionais, como o Mercado Comum Europeu (atual UE-União Européia), pelo enorme surto de expansão das empresas multinacionais, pelo crescimento do comércio internacional e pela interligação dos mercados financeiros, possível graças à revolução da telemática. Com o colapso do socialismo, reduziram-se as barreiras comerciais e aumentou o fluxo de investimentos para a Europa Oriental. A China começou a abrir-se comercialmente a partir de 1978, sendo, atualmente, o segundo país que mais absorve capitais estrangeiros, só perden- Toda a história - assim como toda a experiência atual - aponta para o fato de ser o homem, e não a natureza, quem proporciona o primeiro recurso: o fator-chave de todo o desenvolvimento econômico brota da mente humana. Subitamente, ocorre um surto de ousadia, iniciativa, invenção, atividade construtiva, não em um campo apenas, mas em muitos campos simultaneamente. Talvez ninguém seja capaz de dizer de onde isso surgiu, em primeiro lugar, mas podemos ver como se conserva e até se fortalece: graças a vários tipos de escolas, por outras palavras, pela educação. Numa acepção bastante real, por conseguinte, podemos afirmar que a educa- O homem é um ser que esquece "Se perguntássemos à milenar tradição do pensamento pelos fundamentos filosóficos da Educação, os antigos dar-nos-iam esta sentença - tão simples - para meditar: "O homem é um ser que esquece!" No Ocidente, já entre os gregos (de Hesíodo a Aristóteles, de Safo a Platão), encontramos um extraordinário papel dado à memória (por vezes personificada em Mnemosyne), na educação. do para os EUA. Nota-se, cada vez mais, que a grande www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 14

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 14 Cultura simbólica IMPORTÂNCIA DA CULTURA SIMBÓLICA NA ALTA CULTURA gias, visa transpor esse hiato de oposição polar para atingir um Conhecimento vivido e con- creto do universal. O SÍMBOLO é o elo perdi- Loryel Rocha do entre o mundo dos sentidos e os conceitos universais. A CULTURA SIMBÓLICA ao iniciar Se ao falarmos em CULTURA pensássemos investigações de Solve et Coagula, ou seja, em CULTIVO muitas violências e ignorâncias pela alternância alto-baixo (materializada na seriam evitadas. Há 2 tipos de CULTIVO: o do fórmula alquímica “A Materialização do Espíri- CORPO e do ESPÍRITO/ALMA. Por conse- to e a Espiritualização da Matéria”), universal- guinte, a CULTURA ( a ALTA CULTURA) é o particular , realiza em modo constante a subi- Cultivo Simultâneo do Corpo e do Espírito, da e a descida das analogias da Escada de mas, não como opostos polares, emblema por Jacó e ela constitui TODO o objetivo da edu- excelência das oposições máximas e irredutí- cação espiritual, sendo portanto, fundamental veis, mas, sim como opostos polares comple- e substancialmente, uma DISCIPLINA DA AL- mentares. “Os opostos polares complementa- MA. res não são apenas as extremidades de uma escala, mas as matrizes de uma harmonia […] Assim, uma CULTURA que não eduque o Cor- Entre esses dois planos, separados por muitos po e o Espírito os fazendo relacionar e intera- “mundos”, deve haver necessariamente muitas gir por meio das analogias é um simulacro de transições e atenuações” (Olavo de Carvalho). cultura. Eis o que se chama “cultura de mas- Esses dois planos (do Corpo e do Espírito) es- sa”, onde desaparece o Ser Humano com toda tão conectados por “cima”, podem estar em a fenomenalidade que o envolve em dialética “analogia”. simbólica com o Cosmos. Eis a cultura atual do Brasil, materialista, por essência, mas, já Na Simbólica das Tradições Espirituais um de uma matéria vazia de sentido, uma vez que símbolo não tem jamais o mesmo significado o próprio conceito de matéria só faz sentido à quando considerado em planos diferentes de luz do Espírito, e vice-versa. realidade, por exemplo, o coração do homem e o coração do Sagrado Coração de Maria. O ALTA CULTURA é a vida intelectual superior que estabelece a analogia é o fato de ambos de um país, o patrimônio mais valioso de uma os entes (o coração) estarem ligados a um nação (Olavo de Carvalho). Inexiste ALTA mesmo princípio. Assim, entre o Corpo e o Es- CULTURA sem CULTURA SIMBÓLICA. CUL- pírito há muitos “mundos” e é preciso, portan- TURA SIMBÓLICA é uma DISCIPLINA DA AL- to, analogias para subir da percepção sensível MA, fala em Corpo e em Alma, de Corpo e de ( Corpo) à apreensão da essência espiritual Alma. (Espírito), ou seja, ir do visível ao invisível, ir da Natureza à Graça e, vice-versa. A escada “Com símbolos, expressamos das analogias é uma espécie de Escada de o que não poderíamos fazer Jacó, nos degraus do Paraíso de Dante, tran- de outro modo, porque, com sitando em todas as Hierarquias do Conheci- ele, transmitimos o intransmis- mento Espiritual. sível”. Mário Ferreira dos Santos A CULTURA SIMBÓLICA, por meio das analo- AJUDE-NOS a manter este projeto de educação - www.culturaonlinebr.org/apoiadores.htm FRASES SOBRE POVO San Tiago Dantas: “A Índia tem uma elite maravilhosa, mas um povo de merda. No Brasil nós temos um povo maravilhoso, mas uma elite de merda”. *** Ditado popular: “Cada povo tem o governo que merece”. *** Roquette Pinto: “Forte é o povo honesto, que não entesoura violências para esmagar vizinhos e roubá-los pelas mãos de seus guer- reiros”. *** Karl Marx: “O povo que subjuga outro forja suas próprias cadeias”. *** Guerra Junqueiro: “O povo, coitado, é soberano como fora Jesus para beber o fel, para morrer na cruz, para pagar impostos, para morrer na guerra”. *** Guerra Junqueiro, de novo: “Povo é uma criança eterna. Aquele que mais lhe bate é quem melhor governa”. *** Cecília Meireles: “A terra tão rica / E – ó al- mas inertes! /O povo tão pobre… / Ninguém que proteste! *** José do Patrocínio: “Somos um povo que ri, quando devia chorar”. *** Ralph W. Emerson: “O povo deve ser tomado em doses bem pequenininhas”. *** Não sei quem: “A paciência do povo é a manjedoura dos tiranos”. *** Miguel Couto: “Não há raças humanas, nem superiores nem inferiores, o que há são povos adaptados ao meio em que nasceram e se formaram”. *** Heitor (um amigo meu, depois de repetidas cutucadas de barbatanas no rosto, durante um chuvisqueiro): “O povo brasileiro não está preparado para andar de guarda-chuva”. *** Ditado popular: “O povo aumenta, mas não inventa”. Mês que vem tem mais... Numa sociedade movida à dinheiro e hipocrisia, encontramos pessoas propensas aos mais diversos rumos incluindo-se a devassidão. Cuidado com quem andas, pois tua companhia sumariza quem és. Não tenha medo de lutar pelo que acredita, apenas seja você mesmo nos mais divergentes momentos que possam surgir. Fazendo isto, certamente afetará os que estão à tua volta que não gostam do que veem. Saberão fazer a triagem do joio e do trigo. Só tome cuidado com o lado com que ficará, pois uma escolha errada pode te afetar drasticamente. Pense no seu futuro. Sua escolha hoje, será o seu futuro amanhã. Seja feliz, haja com honestidade sempre. Mas acima de tudo, cuidado com o que te tornarás! Filipe de Sousa

[close]

p. 15

AGOSTO 2017 Gazeta Valeparaibana Página 15 EUROPA hoje e ontem (artigo continuado) Por: Michael Löwy histérica campanha em favor da UE revivem exercer pressão sobre o eleitorado. Jornais, as velhas consignas dos anticomunistas e a revistas e TVs se posicionaram quase todos Sociólogo, é nascido no Brasil, formado em propaganda imperialista durante a guerra civil em favor do sim, da aceitação do pacote de Ciências Sociais na Universidade de São Paulo, e grega da década de 1940. Os burocratas ajuste da troïka. vive em Paris desde 1969. Diretor emérito de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS). Homenageado, em 1994, com a medalha de prata do CNRS em Ciências Sociais, é autor de Walter Benjamin: aviso de incêndio (2005), Lucien Goldmann ou a dialética da totalidade (2009), A teoria da revolução no jovem Marx (2012) e organizador de Revoluções (2009) e Capitalismo como religião (2013), de Walter Benjamin dirigentes do KKE desacreditam o comunismo. Antarsya, coalizão de umas vinte organizações centristas, junto a uma pequena frente nacionalista chamada MAS, fez sua própria reunião frente ao antigo prédio da Universidade de Atenas, no mesmo local em que o EEK celebrou sua própria manifestação Os líderes das instituições europeias e do FMI empreenderam uma campanha de ameaças e chantagens, advogando abertamente pela mudança de regime e pelo sim. O Banco Central Europeu (BCE) obrigou aos bancos a fechar durante a campanha do referendo. independente. Pediram votar NÃO, criticando, O Financial Times publicou uma história falsa ao mesmo tempo Syriza com uma retórica de que os bancos gregos iriam aplicar uma semelhante à do KKE, exigindo romper com a redução de 30% nos depósitos de mais de Capitalismo e UE e o euro e o retorno à dracma, mas sem oito mil euros. Os patrões gregos usaram todo romper com o capitalismo”. tipo de táticas , incluindo a intimidação direta democracia na Europa PARTE XX O retorno às moedas nacionais (o dracma, no caso grego) é uma propaganda nacionalista extorsiva: a moeda reflete os interesses e as perspectivas sociais do Estado que a emite. própria manifestação independente. Se o não ganhasse no referendo, Grécia “não teria lugar na zona do euro”, alertaram (ameaçaram) os porta-vozes do Eurogrupo. O não confrontou aberta e frontalmente essa perspectiva. A Grécia sofrera dois “resgates” da troïka, sete pacotes de austeridade e de “reformas”, de fevereiro de 2010 a julho de 2013, 24 trimestres consecutivos de crescimento negativo, totalizando um retrocesso econômico de 26%. Os efeitos aos trabalhadores, para que votassem pelo sim, ameaçando reter salários, demissões, etc. De fato, foi uma tentativa de golpe institucional. Os líderes da zona do euro não se molestaram em ocultar o fato de que seu objetivo era o de utilizar o que esperavam seria um voto pelo sim para forçar a demissão do governo de Syriza e substituí-lo por um “governo de unidade nacional” submisso a eles e composto por tecnocratas. A desvalorização monetária provocaria uma sociais foram catastróficos, inauditos em Nessas condições, diante (e apesar) da carestia enorme para as massas populares, tempo de paz. propaganda da direita que uniu a abertura dos em condições de enorme desemprego e de uma economia em queda livre.[47] A saída do euro e da UE só não seria aventureira, e se situaria numa perspectiva superadora da crise, como parte de um horizonte internacionalista e socialista: a aliança de todos os trabalhadores europeus na luta pela unidade socialista da Europa, Rússia incluída. O referendo provocou uma polarização e uma clarificação políticas. Em 2012, os sectários, em primeiro lugar o Partido Comunista da Grécia (KKE), rechaçaram a luta por um “governo de esquerda” quando o povo grego deu uma virada política maior ao romper com os partidos e burocracias tradicionais. Nessas condições, um governo de Syriza e outros A taxa de desemprego chegou a 27,5%; entre os jovens baixou só um pouco do seu pico de 65% devido a uma ligeira retomada no setor turístico. 3,9 milhões de pessoas, mais de um terço da população, vive abaixo do limiar da pobreza. O rendimento nacional per capita baixou de 25.474 dólares em 2008 para 20.744 dólares em 2013. Os salários foram cortados em 27,4% em média, de uma forma regressiva, sendo mais severos os cortes na metade inferior da tabela. As despesas com a educação e com a saúde baixaram em 25%. Três milhões de pessoas, um quarto da população, não tem qualquer direito a assistência médica. caixas eletrônicos com o sim, com o 61,3% dos votos pelo não no referendo do domingo 5 de julho de 2015, a população grega mostrou sua indignação contra a política da União Europeia, do FMI e do Banco Central Europeu, o privilégio dado aos lucros dos grandes bancos, os ajustes que cortaram os salários, as pensões e os empregos, em detrimento das condições de vida da população e da classe trabalhadora. O EEK fez campanha pelo não durante todo o referendo, apesar de não fazer parte do governo, sabendo que o não abriria uma nova fase na luta das massas contra a opressão da União Europeia. O resultado do referendo foi uma derrota dos banqueiros e dos capitalistas partidos reformistas aceleraria o processo Enquanto isso, a dívida pública grega – da zona do euro. As previsões de que o sim político na Grécia. apesar do cancelamento parcial em março de teria uma base nas zonas rurais se mostrou Em junho de 2015, o Partido Comunista novamente chamou à abstenção no referendo, posto que seus termos autorizariam Syriza e seu aliado direitista no governo a retomar às negociações com a 2012, no segundo “resgate” – aumentou em termos absolutos de 263,28 bilhões de euros em 2008 para 316,97 bilhões de euros em 2014, passando de 105,4% para 174,9% do PIB. equivocada. A revista Public Issue publicou uma análise desagregada do voto não por idade, sexo, ocupação. Por grupos de idade, ficou claro que foi a juventude que lhe deu a vitória. troïka, o que era um fato. Mas como desenvolver a experiência do povo até o final em relação a Syriza sem impulsionar a mobilização de massas, com seu eixo no referendo e no não? O KKE celebrou uma reunião na Praça A distribuição do orçamento da Grécia mostra a predominância dos gastos com a dívida sobre todos os demais gastos estatais: os gastos com o pagamento de empréstimos, outras obrigações de dívida, juros e outros custos absorvem 56% do orçamento estatal. 70,9% dos trabalhadores do setor público e 71,3% dos trabalhadores do setor privado, bem como 72.9% dos desempregados, votaram não; médicos, advogados e engenheiros votaram majoritariamente pelo sim, embora por uma margem pequena. Syntagma. Seu secretário geral, Koutsoumbas, advogou pelo voto Dimitris nulo no No meio da mobilização pelo referendo, o governo de Alexis Tsipras decretou a restrição Também votaram não 85,2% dos estudantes. referendo, mediante o uso de uma papeleta de saques em caixas eletrônicos, um corralito A votação foi claramente de esquerda, com especial impressa e distribuída pelo KKE, que que afetou a vida cotidiana de trabalhadores e um apoio ao não de 91% dos que se serviria como manifestação de protesto: “NÃO aposentados, limitando a retirada de dinheiro declaram de esquerda e de 73,6% dos que se tanto ao governo de Syriza como aos a € 60, bem como ordenando o fechamento consideram de centro-esquerda. Entre os que Memorandos da UE”; “uma alienação da de bancos e mercados até o dia 7 de julho. votaram por Syriza em 25 de janeiro, 87,3% realidade de uma burocracia esclerosada, que põe sua própria conservação por cima dos interesses de classe dos trabalhadores, e ao Houve uma feroz campanha do campo político do sim, com quase todos os meios de comunicação à sua disposição, e respaldada votaram não, quase tanto quanto os eleitores do Partido Comunista, o KKE (86,9%) apesar da linha do partido de votar nulo. serviço do sistema capitalista em crise, em pelos líderes da zona do euro, que utilizaram CONTINUA NA PRÓXIMA EDIÇÃO condições em que os orquestradores da toda sua força política e financeira para www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

Comments

no comments yet