RLB 50 - Junho de 2017

 

Embed or link this publication

Description

Edição 50 - Revista Leitura de Bordo - Junho de 2017

Popular Pages


p. 1

Ano VIII - nº 50 - Junho de 2017 - RS 6,50

[close]

p. 2

ECOM Derrubar reformas e conquistar as “Diretas Já” são prioridade Nos últimos anos, as forças políticas conservadoras desenvolveram uma decidida campanha para retomar o poder no Brasil a qualquer preço. Fizeram de tudo para desestabilizar o primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff, visando sua derrota nas eleições de 2014. Frustrados em seus intentos, aliaram-se aos maiores grupos de mídia para, sob a bandeira do combate à corrupção, alimentar uma indústria de denúncias de corrupção, noticiadas quase diariamente com alarde monumental. Muitas dessas denúncias se valeram de meios pouco transparentes para obter seus elementos de prova. Essas forças chegaram ao poder com o impeachment da presidenta Dilma e a posse do vice-presidente Michel Temer. Este processo passou para a história como um golpe parlamentar perpetrado em nome da moralização da política brasileira e concretizou a ruptura democrática. Desde então, o Poder Legislativo se fechou para a sociedade. O acesso às galerias – antes um espaço reservado à manifestação dos movimentos organizados em torno das pautas debatidas – foi substituído pelo fechamento à população e pelo cerco de policiais fortemente armados. Em Brasília, trabalhadores e trabalhadoras, estudantes, indígenas e outros setores do movimento social - enfim, todo o conjunto da sociedade - são tratados como criminosos e impedidos de se aproximar até da Praça dos Três Poderes. Essa coibição ocorre diariamente, mas de forma mais intensa nos dias em que proposições que afetam suas categorias são discutidas e votadas nos plenários. As discussões são realizadas a portas fechadas, sem participação da sociedade civil. Os patrocinadores do golpe levaram ao Executivo e ao Congresso uma pauta de retrocessos. Essa pauta é claramente defendida pelo mercado financeiro. Incluem o corte de programas sociais, o sucateamento dos serviços públicos, venda de terras para estrangeiros, até chegar à reforma trabalhista e à reforma previdenciária. Essas reformas constituem um retrocesso de décadas, portanto, não são medidas que modernizam a economia. Tomaram o poder prometendo combater a corrupção. Esta, porém, dominou o governo golpista. No último dia 17 de maio vieram a público revelações nas quais o presidente em exercício e lideranças de seu governo são gravados avalizando e praticando atos de corrupção no exercício do cargo. Essas são as provas de que falta a esse governo a legitimidade para conduzir os destinos da nação, especialmente, quando se discutem propostas que afetam a vida de todos os trabalhadores pelos próximos cinquenta anos. Diante desse quadro complexo, a classe trabalhadora vem a público exigir: 1. o fim da repressão aos movimentos sociais, às manifestações populares; 2. a imediata suspensão da votação das reformas em andamento no Congresso; 3. a realização de eleições diretas para a Presidência da República e para as duas casas do Legislativo federal, com vistas a restaurar a legitimidade da representação popular. Queremos uma democracia que garanta a distribuição de riquezas, a taxação sobre grandes fortunas e que nos permita sonhar com um novo país. #NaoAosLadroesDeDireitos

[close]

p. 3

Ft.: Alfredo Bessow | Outro olhar | Prisões Urbanas www.leituradebordo.com.br | Maio 2017 | Leitura de Bordo 3

[close]

p. 4

Índice Destinos & Viagens Os sons da Rua da Praia, em Porto Alegre Evento Festival de Inverno em Curitiba Comemoração Os 500 anos da Reforma em novo selo Trade Aviesp 2018 será em abril Programe-se Lagos andinos, um roteiro instigante Espaço jurídico Entre o impeachment e a cassação Enogastronomia Safra de uva foi recorde no RS Mundo pet E quando o pet intoxicar? Esportes F1 e FE definem calendário para 2018 Games Persona 5 05 09 14 13 14 16 18 20 23 24 Vivemos um tempo no qual a convivência com a adversidade faz com que cada um de nós redimensione o sentido das coisas em nosso cotidiano. É hora de valorizarmos e valorarmos as conquistas a partir de uma lógica do que é possível em tempos de crise. Em tempos de medo e, muitas vezes, de ausência de qualquer utopia. Por mais paradoxal que pareça, um momento de crise é, também, a oportunidade de redefinirmos prioridades e, quem sabe, balizarmos nossa vida por valores menos glamourosos. E mais humanos. Boa leitura! Alfredo Bessow Editor Revista Leitura de Bordo – Ano 8 - nº 50 – Junho de 2017 Publicação da Wosseb C&M, tiragem de 25 mil exemplares – circula nas Salas Vip e Aeroportos, trade turístico, enviada para prefeituras e gestores públicos e distribuição institucional. Edição 50 - Junho de 2017. A Revista Leitura de Bordo não se responsabiliza pelas opiniões, pontos de vista e argumentos dos artigos assinados e veiculados na Revista. Editora de conteúdo: Sandra Fernandes Editor: Alfredo Bessow Colaboradores: Carlos Vieira, Paulo Antenor, Thais Ritli, Mar- cos Alexandre, Débora Costa e Silva, Tiago Kalkmann, Rober- to Kundzendorf Júnior, Produtor: Pedro Ricardo Teichmann Mídias Digitais: Jean Silva Comercial: Wosseb C&M (+55 61 98150 0256) Produção Gráfica: Bruno Henrique Teichmann Capa: Rua da Praia - Porto Alegre (RS) Fotos: Wosseb C&M E-mail: geral@leituradebordo.com.br Site: www.leituradebordo.com.br Redação: QE 28 - onj. C - Casa 19 71060-032 - Guará II - Brasília (DF) Impressão: Flex Gráfica +55 62 98141 9149 Correspondência: Caixa Postal, 72 | 70351-970 - Brasília-DF 4 Leitura de Bordo | Junho 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 5

Uma rua e seus sons Considerada verdadeiro “coração de Porto Alegre”, a Rua da Praia surgiu junto com a cidade, tem nome oficial mas para os porto-alegrenses ela é mais do que uma rua. É o ponto de encontro e de partida para todos os destinos na capital gaúcha.

[close]

p. 6

| Destinos & Viagens | Ao longo de sua pra lá de centenária história, a Rua da Praia – que oficialmente se chama Rua dos Andradas – acompanhou a mudança do perfil da capital dos gaúchos. Uma cidade que, para muitos, foi desleal aos ideias difusos dos Farroupilhas, ao ponto de receber em 19 de outubro de 1841 por ordem do imperador D. Pedro II a consigna imperial de “Mui leal e valerosa cidade”, que ainda hoje encima o seu brasão. Os tempos hoje são outros, os rancores vão se dissipando e a Rua da Praia que assistiu a transformação da cidade, ainda é, ao longo de seus mais de 2km, um mosaico do passado e do presente da cidade, com seus prédios históricos e o espaço que é ocupado por uma fauna urbana que engloba todas as culturas, credos, tribos e faixas etárias. Por vezes, pessoas com o passo acelerado, noutras o inusitado de encontros de velhos conhecidos. Pano de fundo preferido de poetas, cronistas, romancistas e vendedores de arte e quinquilharias, novos personagens se assenhoram e tomam conta dos espaço – principalmente entre a Caldas Junior e o prédio da antiga Editora Globo: os músicos. Diversidade Ao contrário do que alguém mais preconceituoso ou adepto de estereótipos poderia imaginar, o som mais raro de encontrar é aquele identificado com as culturas do RS. No demais, música andina, jazz, mariachis, techno, samba/pagode, country, mística, sertaneja, experimental... Mais do que os rótulos, uma característica revela a harmonia e o respeito entre os próprios músicos: buscam ficar afastados entre si o suficiente para que 6 Leitura de Bordo | Maio 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 7

| Destinos & Viagens | não exista uma área onde os sons se confundam. A ocupação do espaço se dá de maneira natural, sem necessidade de licenciamento ou de autorização – fazendo com que os transeuntes façam também uma viagem por múltiplas linguagens musicais. Sobrevivência Muitos do que “tocam na rua”, também se apresentam em casas noturnas e usam o espaço público como forma de reforçar o orçamento. Evitam se identificar, não falam quanto faturam tanto no “chapéu”, quanto com a venda de CDs. No inverno, por conta do frio e mesmo de dias chuvosos, costumam se apresentar depois do meio dia – mas nos períodos sem a inclemência do clima, ficam por ali a partir das 10h da manhã e cos- tumam ir embora depois das 15h. Sempre intercalando apresentações com a conversa e a venda de produtos – não apenas CDs ou DVDs. www.leituradebordo.com.br | Junho 2017 | Leitura de Bordo 7

[close]

p. 8

| Destinos & Viagens |

[close]

p. 9

| Evento | Festival de Inverno do Centro Histórico já tem data marcada A quinta edição do evento que celebra a estação mais típica de Curitiba será de 7 a 23 de julho Termômetros com temperaturas baixas e programação em alta. Assim é o mês de julho em Curitiba. Pelo quinto ano consecutivo a capital mais fria do Brasil vai receber o Festival de Inverno do Centro Histórico. Neste ano o evento acontece de 7 a 23 de julho. O objetivo do evento é promover atrações e ações que façam curitibanos e turistas realmente curtirem e viverem o inverno e a cidade. Para isso, a Associação de Empresários do Centro Histórico, realizadora do Festival, está montando uma programação recheada de gastronomia, cultura, serviços e bem-estar. A estreia do Festival de Inverno será no dia 07 de julho, no Memorial de Curitiba. Também já estão confirmados os Circuitos da Cerveja, que reforçam o culto às cervejas artesanais, característica muito forte de Curitiba. Também estão na programação o Dia do Chá e o Dia do Mate, erva tradicional dos paranaenses. “O Festival de Inverno do Centro Histórico já é um evento que faz parte do calendário oficial da cidade e temos muito prazer em ser parte disso. É uma grande festa para celebrar a nossa cidade, a nossa cultura e o que temos de melhor. Esperamos que curitibanos e turistas participem e aproveitem tudo o que o Centro Histórico e Curitiba têm a oferecer”, afirma Maria Bonamigo, presidente da Associação de Empresários da região. A programação completa do Festival será divulgada em breve. A realização do Festival de Inverno do Centro Histórico é da Rede Empresarial com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo, Fecomércio, Sesc, Senac, Curitiba Free Walking, Curta Curitiba, Empreendedorismo Rosa, Projeto Polvo Solidário, Grupo Pulse, Grupo As Fiandeiras, Museu Paranaense, Tribal Brasil. Moncloa, Chá Contigo, Muralzinho de Ideias, Criança na Plateia, Contarde, Pintando na Calçada. Sobre a Associação do Centro Histórico de Curitiba - Pensando em promover a maior ocupação da região do Centro Histórico pelos turistas e, principalmente pelos próprios curitibanos, em 2012 surgiu a Rede. Com a iniciativa fomentada pelo Sebrae Paraná, em parceria com o Sistema Fecomércio e a Prefeitura Municipal de Curitiba, 19 estabelecimentos se uniram em torno deste objetivo. Dentre as ações da Rede estão dois eventos anuais que já estão consagrados pelo público: o Festival de Inverno do Centro Histórico e o Centro Histórico Divertido. www.leituradebordo.com.br | Junho 2017 | Leitura de Bordo 9

[close]

p. 10

Selo dos 500 anos da Reforma Evento na Embaixada da Alemanha marcou o lançamento do selo comemorativo aos 500 anos da Reforma na Capital Federal. Selo também foi lançado na Alemanha. Em 31 de outubro de 1517, o então padre Martinho Lutero afixou na porta da capela do Castelo de Wittenberg as suas 95 teses. Mas não havia a preocupação com a ruptura ou a criação de uma nova ordem. O que Lutero queria era exatamente uma volta para o sentido da fé, condenando a venda de indulgências e a postura dos religiosos de então. No entanto, a ruptura aconteceu e marcou a história da humanidade. Em 2017, para marcar os 500 anos deste momento de ruptura, o mundo celebra através de inúmeras atividades em todos os países cristãos – inclusive por conta de uma tardia e ainda tênue compreensão do Vaticano acerca da importância de tudo que 10 Leitura de Bordo | Junho 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 11

aconteceu lá no passado. Para marcar a data, os Correios do Brasil e da Alemanha lançam, simultaneamente, selo com o retrato do precursor da Reforma Luterana, Martinho Lutero. Em Brasília, o selo foi lançado no dia 17 de maio, na embaixada da Alemanha. Reconhecimento Na cerimônia de lançamento, o presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, destacou que foram emitidos 500 mil selos para homenagear aos 500 anos da Reforma e que, mesmo sendo uma grande quantidade, é possível que logo torne-se uma peça rara e valiosa, dada a importância de Martinho Lutero para todo o mundo. Por sua vez, o Embaixador da República Federal da Alemanha, Dr. Georg Witschel, falou do legado de Martinho Lutero em diversas áreas. E enfatizou: “Martinho Lutero não foi apenas um teólogo, mas também um entusiasta da música, foi ele que lançou o ditado ‘A música afugenta o diabo e alegra as pessoas’. Muitos cânticos e coros foram compostos por ele, que deixou sua marca muito além da música sacra, sendo que até uma peça de coral de Lutero foi incorporada à famosa Flauta Mágica, de Mozart.” Destaque para a presença, na solenidade, dos representantes das igrejas Luteranas no Brasil - IELB e IECLB- que seguem os preceitos defendidos por Lutero. Após o lançamento do selo, os presentes no evento prestigiaram o concerto do jovem violoncelista alemão Friedrich Thiele, com obras de Johann S. Bach (compositor luterano), Heitor Villa-Lobos e outros compositores. www.leituradebordo.com.br | Junho 2017 | Leitura de Bordo 11

[close]

p. 12

| Now boarding | “Evpietesocamrorertgoa”r Montar a bagagem correta evita desperdícios Levando em conta que a cobrança de bagagem “despachada” se transformou em algo que o consumidor brasileiro assumiu dentro de sua tradicional passividade, é hora de prestar atenção redobrada na hora de fazer as malas e saber antecipadamente quais os critérios que a companhia aérea utiliza – uma vez que os padrões de cobrança e gratuidade ainda estão sendo testados. Existem alguns pontos que ajudam: Tamanho A Anac - Agência Nacional de Aviação Civil deu uma aliviada e a bagagem de mão pode ter 10kg. Mas cuidado com o tamanho: até a 40 cm de comprimento, 25 cm de largura e 55 cm de altura. Pesquise o destino Na medida em que você definiu para onde vai viajar, é importante saber o tipo de clima e ter ao menos uma ideia dos programas e eventos que terá em sua estada. Isto evitará que você acabe levando roupas e/ou acessórios desnecessários. O Climatempo costuma ser uma ferramenta au- xiliar de extrema valia, na medida em que possui um bom nível de assertividade. Mala certa Levando em conta que a Anac definiu o tamanho da mala, vale investir em algum produto de qualidade. Existem muitos modelos e marcas. Opte por aquelas que abrem no meio, porque acabam ajudando a dividir melhor o que está sendo levado. Tenha muita atenção no peso da mala vazia... Organização é tudo Depois de ter ideia de como será o tempo, a temperatura e ter uma ideia de qual a sua agenda no “destino”, é hora de separar todas as roupas e ir montando conjuntos – priorizando roupas, acessórios e calçados que possibilitem combinações diversas. Opte por tons neutros, que facilitam a montagem de looks... Na medida certa Hoje, hotéis e hostels (mesmo quando a reserva for via Airbnb) oferecem serviços de lavanderia. Deste modo, pode-se evitar de levar roupas íntimas para todos os dias – em caso de uma estada mais longa. Chinelos e bonés, por exemplo, também podem ser adquiridos no destino Cuidado com os líquidos Por ser bagagem de mão, é importante atentar para alguns cuidados. O principal deles diz respeito a cremes e inflamáveis. No caso de produtos como hidratantes e desodorantes, vale a pena comprar no destino, evitando peso e riscos de vazamentos. Embalagens específicas Produtos bem acondicionados ocupam menos espaço do que coisas jogadas dentro de uma mala. Portanto, organize-se de forma a ter os produtos acondicionados em pequenos estojos que sejam bem flexíveis. De olho na balança Não se constranja, para não sentir no bolso. Pese sua mala. Já existem pequenas balanças que ajudam na hora de preparar sua bagagem – se você costuma viajar, tenha uma em casa. Ainda que nem todas as companhias aéreas estejam pesando a bagagem de mão, é bom não facilitar. 12 Leitura de Bordo | Junho 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 13

| Trade | Aviesp confirmada para abril de 2018 Evento terá foco voltado a capacitações, networking, inovação e oportunidades de negócios Ausente do calendário de 2017, a Aviesp 2018, que terá a sua 40ª edição em 12 e 13 de abril, volta com a missão e o desafio de redescobrir as necessidades dos profissionais de turismo e o perfil do viajante moderno, explorar novas formas de comunicação e de apresentar os produtos e serviços turísticos. “Muitas novidades serão divulgadas até o evento, pois estamos redesenhando, trabalhando nas ações”, salienta o presidente da Associação, Fernando Santos. Ele complementa: “afinal, como destacamos em nosso material promocional, “o mercado e o perfil do consumidor atual pedem um evento diferente, dinâmico, com experiências, através de parcerias, abraçando causas nobres, trazendo arte e cultura, con- vidando seus seguidores a participarem de uma forma orgânica, autêntica e inovadora”. O evento será realizado na quinta e sexta – ao invés de sexta e sábado, como já era tradicional. “Com isso atendemos as solicitações de agentes e expositores”, explica Santos. Além disso, a Expo funcionará das 10 às 18 horas, uma novidade para o setor. Vantagens Outra novidade é que a Expo terá estandes a partir de 9m² - antes iniciava em 12m² - o que provavelmente trará novos expositores. Além disso, estes poderão comprar piso e adesivagem do estande parcelados. Ação sustentável: a AVIESP apadrinhou a ONG Sonhando sobre as ondas, de Santos (SP), a qual atende crianças e adolescentes com deficiências, os ensina a fazer pranchas e surfar para desenvolver atividades motoras. Estarão na Expo apresentando parte do trabalho. 40ª AVIESP: Expo de Negócios em Turismo Data: 12 e 13 de abril de 2018 Local: Expo D. Pedro – Campinas (SP) Parceiros estratégicos: Ministério do Turismo e Prefeitura Municipal de Campinas Transportadora Oficial: Azul Linhas Aéreas Patrocínio Seguro Agente: GTA Apoio Institucional: Abav Nacional, Abdtur, Abeta, Abracorp, ABTLGBL, Belta, Braztoa, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação e Sindetur/SP. wwwww.wlei.tleuirtaudraedbeobrodrod.oc.ocmom.b.br r| J|uMnahio 2017 || LLeeiitura de Bordo 13

[close]

p. 14

| Programe-se | Operadora especializada em ecoturismo oferece roteiros para a Travessia dos Lagos Andinos Descubra Turismo tem opções de viagem para a região sul-americana Por Thaís Ritli Revista Leitura de Bordo Os Lagos Andinos, localizados entre o Chile e a Argentina, formam uma das regiões mais cênicas da América do Sul, com abundância de natureza e cenários surpreendentes, formados por montanhas e vulcões. A melhor forma de conhecê-los é através da famosa travessia que liga as cidades de Puerto Varas, no Chile, e Bariloche, na Argentina, cruzando a Cordilheira dos Andes por lagos e trechos de terra firme. A Descubra Turismo, operadora espe- cializada em ecoturismo (www.descubraturismo. com.br), oferece opções distintas para quem busca uma experiência imersiva na região. No pacote mais extenso, com duração de nove noites, a jornada começa em Santiago, capital chilena, onde os participantes fazem um city tour pelos principais bairros da cidade, como Bellavista, Providencia, Las Condes e Vitacura. Em seguida, seguem para Puerto Varas, porta de entrada para a principal atração da viagem. A Travessia dos Lagos Andinos é feita em dois dias, com parada no charmoso vilarejo de Peulla, e navega os lagos Llanquihue, Esmeralda, Frias e Nahuel Huapi, até chegar em Bariloche. Depois do ponto alto da viagem, os participantes ainda têm duas noites em Buenos Aires. O pacote custa a partir de US$ 1470 por pessoa. A versão express do roteiro, com duração de sete noites, substitui a estada nas capitais chilena e argentina por um destino menos óbvio na região: o arquipélago de Chiloé, que abriga dezesseis igrejas que são Patrimônios 14 Leitura de Bordo | Junho 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 15

| Programe-se | Mundiais da Humanidade pela Unesco e que é conhecido pela arquitetura autêntica de suas casas de palafita. Depois da travessia, que é a mesma nos dois pacotes, os viajantes têm a chance de explorar Bariloche e realizar os passeios Circuito Chico, que passa pelos principais pontos turísticos do destino, e San Martin de Los Andes, excursão que percorre uma das rotas mais bonitas da Patagônia Argentina. O pacote custa a partir de US$ 1415 por pessoa. Para mais informações sobre esses e outros roteiros, acesse www.descubraturismo.com.br www.leituradebordo.com.br | Maio 2017 | Leitura de Bordo 15

[close]

Comments

no comments yet