Jornal Sintufes julho de 2017 - nº 177

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sindicato dos Trabalhadores na Ufes

Popular Pages


p. 1

Nº 177 • julho 2017 SJornIalNdo TUFES Filiado à Fasubra Informativo do Sindicato dos Trabalhadores na Ufes Vai se aposentar? Proposta da Reforma da Previdência faz aumentar a busca pela aposentadoria. Mas é preciso ter calma e atenção neste momento Págs. 04 e 05 #Consuni Regimento do Hucam é aprovado Categoria vai poder votar para definir o próximo superintendente do Hospital. Além disso, TAEs continuarão subordinados à Ufes. Pág. 02 #CampanhaSalarial Reajuste no salário só com luta Governo ignora pauta de reivin- dicações da Fasubra. Diante da falta de diálogo, trabalhadores precisam lutar para conquistar o reajuste. Pág. 03 #ConjunturaPolítica Reforma trabalhista é aprovada Mesmo enfraquecido, governo Temer consegue aprovar a reforma trabalhista, promovendo um ataque sem precedentes à CLT. Pág. 08

[close]

p. 2

#Faladiretoria QUE PAÍS É ESSE? Há 30 anos, a Legião Urbana lançava um de seus maiores sucessos que segue mais atual do que nunca: “Nas favelas, no Senado. Sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a Constituição. Mas todos acreditam no futuro da nação”. Uma prova de que a letra de Renato Russo segue atual foi dada pelos senadores da República no dia 11 de julho de 2017,quando aprovaram o funeral da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT),sepultando a Carteira de Trabalho, transformando em pó os direitos trabalhistas conquistados a duras penas pela luta de trabalhadoras e trabalhadores ao longo da história. Estaríamos preocupados com o imposto sindical como apregoa a mídia? NUNCA estivemos. Sempre nos posicionamos contrários ao imposto compulsório, que não é cobrado de nossa categoria. No entanto, o que está em jogo vai muito além desse quinhão. Agora, o negociado entre patrão e trabalhador terá valor de lei. Mas num país como o Brasil, a negociação patrão x trabalhador só vai beneficiar o patrão, que terá, mais do que nunca, o respaldo da Justiça. A classe trabalhadora não terá vida fácil. Mas não se engane, servidor público federal! Com o fim da CLT, o próximo ataque pode ser o afrouxamento das garantias do Regime Jurídico Único. Tudo poderá ficar mais difícil. Inclusive a aposentadoria, que é o destaque desta edição do Jornal do Sintufes. Afinal, o início da tramitação da outra reforma nefasta de Temer, a da Previdência, levou a uma corrida pela aposentadoria nas universidades brasileiras. Aqui na Ufes não foi diferente. Por isso, trazemos orientações do DAP e do DGP para quem está prestes a se aposentar. Para todos nós, aliás. Isso porque, em um País em que as autoridades máximas não respeitam a Constituição, nós precisamos nos preocupar e muito com o futuro na nação. Já que ‘nossas almas (e dos nossos índios) estão sendo vendidas’. Diretoria Colegiada 2 | Jornal do Sintufes #ConselhoUniversitário CONSUNI APROVA REGIMENTO DO HUCAM Após muitos meses de discussão, no dia 27 de junho, o Conselho Universitário (Consuni) aprovou o novo regimento do Hucam. “O ponto alto foi a garantia da permanência dos trabalhadores RJU sob as ordens da Universidade.Além disso,haverá eleição direta para escolha do superintendente, e uma Comissão vai definir as regras do processo eleitoral. E a votação está prevista para outubro”, ressalta o coordenador-geral do Sintufes e representante dos TAEs no Consuni, Wellinton Pereira. Segundo ele,o sindicato vai discutir com a categoria sobre essa questão, publicada como um compromisso da gestão da Ufes. “Qual será o peso do nosso voto? Nós não somos contrários aos colegas da EBSERH, mas somos contra a Empresa pelo caráter privatista que ela tem. Será que temos o que comemorar mesmo?”, questiona. #EstatutoUfes DÊ A SUA COLABORAÇÃO ATÉ 31 DE AGOSTO A categoria pode dar sugestões e fazer críticas ao estatuto preliminar da Ufes. Para isso, acesse: estatutoeregimento.ufes.br. No site preencha o formulário online e dê a sua colaboração até o dia 31 de agosto. Após isso, a Comissão Especial vai sistematizar as propostas e encaminhar aos Conselhos Superiores. #AcontecenaUfes FLEXIBILIZAÇÃO Depois de quase três anos de luta pela flexibilização da jornada (30 horas), as/os trabalhadoras/es da Criarte alcançaram esta conquista, no dia 29 de junho. O coordenador-geral do Sintufes e conselheiro representante dos TAEs no Consuni, Wellington Pereira,lamenta,contudo o fato da jornada não ser extensiva aos trabalhadores do administrativo da Criarte. Além da Criarte, as/os trabalhadoras/es da Secretaria Unificada do CCJE também tiveram a flexibilização da jornada aprovada. 20JUDElLeEiHçõOes CCJE ELEIÇÕES CCJE A eleição para definição da direção do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), quadriênio 2017-2021, será no dia 20 de julho.A escolhaserá dada por meio de uma consulta à comunidade acadêmica,das 7 às 21 horas, com cinco urnas distribuídas por todo centro,localizado no campus de Goiabeiras.Todos os técnicos lotados no CCJE podem e devem participar do processo eleitoral.

[close]

p. 3

#Naluta Campanha salarial: Fasubra cobra, mas governo ignora Federação aprova plano de lutas com foco na abertura das negociações Em meio à luta contra as reformas do governo Temer, a Fasubra segue reivindicando a continuidade da campanha salarial de 2017. A Federação exige reposição salarial justa e melhores condições de trabalho. Contudo, as audiências solicitadas pela Fasubra, desde o final de 2016,ainda não foram atendidas pelo governo. “A falta de diálogo com a nossa categoria é marca registrada deste governo. Mas nós seguimos a nossa luta contra as reformas, mas sem esquecer a nossa pauta salarial, pois sem isso vamos ficar sem nenhum reajuste”, assinala a diretoria colegiada do Sintufes. Diante dessa falta de diálogo, a direção ressalta a necessidade de a categoria fazer a luta. “Sempre foi assim.Reajuste só com luta”,reforça. Falando em luta, a Plenária da Fasubra aprovou, em 9 de julho, o plano de lutas da Federação. Entre 18 a 28 de julho, devem ser realizadas assembleias para construção do Dia Nacional de Paralisação (previsto para 3 de agosto) em defesa das Instituições Federais de Ensino (Ifes). Além de assembleias universitárias em favor do financiamento público da educação. O foco do dia 3 será a pressão pela abertura de negociações e da campanha salarial. Pontos reivindicados na campanha salarial • Inflação do período de 2015 a 2017, mais 2% de aumento real no piso da carreira. • Reajuste dos benefícios com o mesmo índice. • Não ao corte de recursos no orçamento destinadosàeducação e recomposição das perdas do último período. • Nenhumainterferênciado governo e órgãos de controle em ações judiciais ganhas pelos trabalhadores. • Nomeação imediatados reitores eleitos pela comunidade universitária. • Contra a Lei da Mordaça e a Reforma do Ensino médio. #Jurídico Aposentadoria especial é desvantagem! A aposentadoria especial é aquela que você precisa trabalhar 25 ininterruptos e intermitentes na área insalubre. De acordo com a Divisão de Aposentadorias e Pensões (DAP) do Departamento de Gestão de Pessoas da Ufes, ela é rígida demais. “Todas as faltas e afastamentos contidos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e que nós temos direitos na nossa carreira, não podem ser utilizados. A licençacapacitação não existe naCLT. A maiorianão optapelo fato delaserpela média aritmética.Ainda entendemos que quem podese aposentarintegral, se aposente integralmente.”, ressalta a diretora do DAP, Márcia de Almeida. OsetorJurídico do Sintufes reforça: “O mais indicado é que o servidor aguarde completar os requisitos para a aposentadoriavoluntária com proventos integrais e paridade,ainda que isso possa demorar de 10 a 15 anos”. Até porque os instrumentos, da Justiça e do Governo,que versam sobre essa aposentadoria penalizam a classe trabalhadora. #PeloscampidaUfes Esse povo de sindicato só fala em reformas, mas não em salário. Muito chato isso. Cara! Mas lutar contra as re- formas é também defender direitos salariais e condições de trabalho. O que a flexibilização da CLT tem a ver com meu salário? Enfraquecendo as leis trabalhis- tas, os patrões vão pagar salários menores aos trabalhadores. Mas nós somos RJU, cara. Isso nunca vai che- gar aqui. Sua mulher é concurseira. A terceirização poderá substituir os concursos. Pense nisso. www.sintufes.org.br | 3

[close]

p. 4

#Capa CORRIDA PARA SE APOSENTAR Apenas na fase de tramitação, a proposta de Reforma da Previdência de Temer fez crescer o número de aposentadas/os Omedo da retirada de direitos previdenciários aumentou e muito a procura pelaaposentadoria na Ufes e em outras instituições federais de ensino superior.Para o Sintufes, isso já revela os impactos das propostas de reformas temerárias de Temer antes mesmo delas se tornarem leis. Parase ter ideia,a busca pela aposentadoria cresceu logo no início da tramitação da proposta de Reforma da Previdência de Temer (Proposta de Emenda à Constituição – PEC 287/2016),na Câmara dos Deputados, ainda,no ano passado.Ainformação é da Divisão de Aposentadorias e Pensões (DAP) do Departamento de Gestão de Pessoas (DGP) da Ufes. “Quando se falou que ia entrar (a PEC para votação) na Câmara, notamos um aumento de ligações, de atendimentos no setor.As pessoas ligando paratirardúvidas,preocupadas. Mas a partir do momento que a PEC (deixou de tramitar em urgência, em função das delações contra Temer) essa procura ficou mais tranquila”, revela a diretora do DAP, Márcia de Almeida. A diretora do DGP, Josiana Binda, reforça que muitos podem ter se decididose aposentarem função daPEC. “Sevocê observar,mesmo antes de ficarmais acaloradaadiscussão (dareforma), já tivemos muitas aposentadorias, e algumas pessoas podem ter se decidido (se aposentar) levando em consideração esse fator”,assinala. Dados de outras universidadesvão ao encontro disso. De acordo com a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas da Unirio, o número de aposentadorias voluntárias em 2016 foi de 33, sendo 14 até julho daquele ano. Já nos sete primeiros meses de 2017, foram 40 aposentadorias voluntárias. Para o Sintufes,é a confirmação de que as pessoas estão bastante preocupadas com a possibilidade de a reforma retirar seus direitos. Por isso, o sindicato reforça a necessidade de a luta seguir sendo feita. “São informações que evidenciam os impactos da reforma antes mesmo de ela ser aprovada. Apesar de haver outros fatores, como o fato de muitas pessoas,ultimamente,estarem completando os requisitos, é inquestionável que a possibilidade de perder direitos acabou levando a esse aumento. Por isso, é preciso fazer a luta, pois o governo fragilizado e com o Congresso já pensando em 2018,a pressão da classe trabalhadora vai reverter isso”, pontua a diretoria colegiada do Sintufes. FIQUE ATENTO MESMO COM O DIREITO ADQUIRIDO Segundo as diretoras do DAP e do DGPda Ufes, quem pretende se aposentar deve ter calma para providenciar sua aposentadoria. Contudo, mesmo quem tem o direito adquirido, precisa ficar de olho vivo na tramitação da PEC 287/2016, no Congresso Nacional. “Quem tem o direito adquirido (tempo de contribuição e de idade) antes da aprovação da reforma, não vai perder o que já tem garantido, pois o artigo 6º da PEC preserva o direito adquirido. Mas diante da retirada de direitos, a pessoa não pode ficar na zona de conforto”, lembra a diretora do DAP, Márcia de Almeida. Por que não pode ficar na zona de conforto? “É porque é preciso acompanhar a movimentação (no Congresso da PEC). Porque como pode ter alteração no texto final, nós não sabemos o que vai ser aprovado. Tem que ficar atento às mudanças (que podem aparecer)”, alerta a diretora do DDP, Josiana Binda. 4 | Jornal do Sintufes

[close]

p. 5

#Capa Orientações para aposentadoria Quem vai se aposentar deve ter tranquilidade, mas ficar atento ao que acontece no Congresso Nacional. E deve também fortalecer a luta contra a retirada de direitos promovida pelo governo. Apesar disso, há diversos fatores envolvidos em relação à aposentadoria.Afinal, a pessoa pode está quitando um apartamento ou mesmo pagando a faculdade do neto. Daí, perder o auxílio-alimentação; perder a insalubridade ou mesmo o abono permanência pode fazer falta ao final do mês. Além da questão financeira, há aquelas pessoas que têm receio de não se adaptar à vida de aposentada. Para essas, as atividades da Coordenação de Aposentadas/os do Sintufes podem ser uma boa opção para adaptação durante a aposentadoria. (Veja mais informações na página 6 desta edição). Fato é que a aposentadoria é assunto muito importante. Até para quem acabou de entrar na Universidade. “É preciso pensar na aposentadoria logo ao entrar na instituição”, orienta a diretora da Divisão de Aposentadorias do Departamento de Gestão de Pessoas da Ufes, Márcia de Almeida. Ela lembra, ainda, que a Divisão vai sempre atuar para que o servidor se aposente na modalidade que seja mais vantajosa para ele. A fim de ajudar a categoria a refletir sobre a aposentadoria, o Jornal do Sintufes esmiúça as seguintes questões: Regras. Em linhas gerais, o servidor público pode se aposentar com direito à paridade, pela média salarial ou compulsoriamente. Tem direito à paridade quem ingressou no serviço público até o dia 31 de dezembro de 2003. A partir disso, a aposentadoria se dará pela média aritmética das contribuições. Aposentadoria voluntária integral. Pode ser pedida a qualquer tempo, caso o servidor tenha completado os requisitos: Gênero trdTiebemucoipçnão-o Idade Feminino 30 anos 55 Masculino 35 anos 60 Em linhas gerais, o servidor público pode se aposentar com direito à paridade, pela média salarial ou compulsoriamente Além disso, é preciso observar que a pessoa tenha (para homem e mulher): 20 anos de serviço público; dez na carreira e cinco no cargo. Essa modalidade está em acordo com a regra de transição estabelecida pela Emenda Constitucional (EC) 41 de 2003. Abono permanência. Ao solicitar o abono permanência, o servidor vai ter acrescido ao seu salário o valor do seu PSS. O governo fará o desconto, mas vai ressarcir o trabalhador, em função dele já ter feito todos os descontos necessários asua aposentadoria. Progressões na carreira. Quem se aposenta sem fazer progressões por capacitação sai perdendo. Elas são representadas pelas mudanças de nível de capacitação (de I a IV), dentro do mesmo cargo e nível de classificação. E pode ser conquistada com certificação em até três programas de capacitação, que precisam ter respeitado o interstício de dezoito meses entre eles.Já a progressão por mérito profissional, é obtida pela avaliação de desempenho, alterando o padrão de vencimento (do 1 ao 16) imediatamente após 18 meses de efetivo exercício. Há também o incentivo à qualificação (cursos de especialização). Funpresp. A Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp) pode atingir a todos que entraram no serviço público a partir de 4 de fevereiro de 2013. Para a Fasubra, a adesão tem desvantagens. Por ela ser um plano de capitalização; por conta do fim da paridade e da integralidade; por penalizar quem se aposenta com menor tempo de contribuição; pela migração ser irrevogável; e porque pode haver rendimento menor nas aplicações. Em breve, o Sintufes vai abordar mais detalhes sobre esta temática. www.sintufes.org.br | 5

[close]

p. 6

#Campiavançados Você conhece o Hospital VETERINÁRIO DE ALEGRE? Unidade também sofre com a crise financeira da universidade, funcionando com menos de 50% dos recursos OHospital Veterinário (Hovet) do campus de Alegre é o único de instituição pública em funcionamento no Estado. Ele está sediado na área experimental de Rive, sendo aberto à toda a comunidade. Embora os atendimentos a animais domésticos sejam cobrados, o Hovet também sofre com a crise financeira da universidade. “O Hovet necessitaria de cerca de R$ 400 mil porano,mas estamos com um déficitde mais de 50% dessevalor. Mas o empenho dos docentes, estudantes e dos técnicos faz o hospital atendera demanda”,expõe a gerente do Hovet,aprofessoraLousiane Nunes. Segundo ela,averba de arrecadação dos atendimentosvai paraaconta da União.Mas o retorno desse valor é bastante difícil. “Essa receita não retornade formarápida.E tem dois anos que o dinheiro não retorna.Se voltasse de forma rápida (poderia ajudar), mas o paciente não espera”,lamenta. De acordo com ela, a média de arrecadação mensal gira em torno de R$ 9 mil.O atendimento no hospital é realizado por15 professores,oito técnicos e cinco veterinários residentes. Embora cobre um valor reduzido, o Hovet faz a cobrança em função de uma resolução do Conselho Federal de MedicinaVeterinária para que não haja concorrência desleal em relação a clínicas veterinárias. Importância acadêmica. O Hovet é o “Hospital Escola” para cerca Empenho de trabalhadores é fundamental para hospital prestar atendimentos de 200 estudantes do curso de MedicinaVeterinária e para 34 mestrandos. O Hovet atende a demandas da Região Sul do ES, do Norte do Rio de Janeiro e até do Leste de Minas Gerais. O hospital registra cerca de 1,5 mil atendimentos por ano (de animais de pequeno porte). Além de fazer o atendimento a animais silvestres – feito sem cobrança, que são encaminhados por órgãos, como: a Polícia Ambiental, Ibama entre outros. #Aposentadas/os Governo ataca, mas SINTUFES ACOLHE A retirada de direitos é uma realidade na vida de quem se aposenta. O salário acaba sendo reduzido, quando as atenções com a saúde precisam ser redobradas. Mas, se o governo não trata as/os aposentadas/os com respeito, o movimento sindical faz essas honras. No mês de junho, a Coordenação de Aposentadas/os do Sintufes convocou a categoria para o debate sobre aviolênciacontraapessoaidosa, realizada pela Ufes em parceria com a Unati, no auditório Manoel Vereza, em Goiabeiras. O encontro das/os aposentadas/os do mesmo mês foi temático,lembrando as festas juninas. “A depressão é uma doença que pode atacar quem se aposenta, mas nós trabalhamos com essa integração e fazendo nossos encontros, participando de debates para acolher as nossas aposentadas e nossos aposentados que são desamparados pelo governo, que quer complicar ainda mais a situação de quem vai se aposentar com essas propostas de reformas”,ressalta a coordenadora da pasta, Edna Dias Campos. Agenda. Encontro de Aposentadas/os será na sexta-feira, 21 de julho, às 10h30, na sede do Sintufes, em Goiabeiras. 6 | Jornal do Sintufes

[close]

p. 7

#HospitalUniversitário #EuTrabalhoAqui Hucam padece COM A EBSERH Seminário de HUs discute criação de Comitê para reforçar a fiscalização dos contratos dos hospitais com a Empresa Foto: Fasubra. Fasubra promove encontro tendo como foco a situação dos HUs no País Desde antes de o reitor da Ufes entregar o Hospital Universitário (Hucam) para a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), o Sintufes já denunciava que ela representaria a privatização da unidade e não seria a solução para absolutamente nada. Tais denúncias ganharam respaldo nacional, ao final de maio, quando a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados decidiu fiscalizar os contratos dos HUs com a Ebserh. Em julho, no Seminário sobre os HUs, promovido pela Fasubra, foi discutida a criação de um Comitê Nacional (com suas unidades regionais) para fazer um levantamento dos contratos de todos os hospitais com a Empresa. O Sintufes marcou presença e espera contribuir com os trabalhos. “Faz quatro anos que o reitor entregou,monocraticamente,o Hucam à Empresa.Mas asituação do hospital não melhorou em nada. Para ser sincero,só piorou. Portanto,vamos ficar de olho para que essa fiscalização seja forte a fim de que o contrato da Ebserh com o Hucam seja rescindido”, cobraadiretoriacolegiadado Sintufes. Maternidade fechada Referência em partos de alto risco na Grande Vitória, a maternidade do Hucam foi fechada por duas vezes no mês de junho. A Ebserh alegou que o fechamento aconteceu por conta da “alta demanda”: havia 25 gestantes para 20 leitos. Cadê, o aumento do número de leitos, prometido pela Ebserh? Obras inacabadas Obras malfeitas e inacabadas ajudam a piorar a realidade do hospital, trazendo transtornos e riscos para pacientes e trabalhadoras/es. As redes, elétrica e a hidráulica, vivem precisando de reparos nos mais diversos setores do Hucam. Cadê a melhoria da estrutura e das condições de trabalho? Desmando pelo campus Estacionamento no Hucam é privilégio para poucos. Há locais de carga e descarga de materiais, mas que são usados para apenas alguns “carrões”. Sem falar em estacionamentos exclusivos. CEUNES: “Fazenda Experimental a serviço do ensino, pesquisa e extensão”” O técnico-agrícola, do Centro Universitário do Norte do Estado (Ceunes),Alex Campanharo é o entrevistado da coluna “Eu Trabalho Aqui”. Conheça um pouco sobre o trabalho dele. Há quanto tempo trabalha na Ufes como técnico agrícola? Trabalho na Universidade há pouco mais de oito anos e como técnico agrícola há 11. Trabalhei durante três anos no laboratório de química do solo do Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas e de lá até então na Fazenda Experimental. Neste período me graduei como Engenheiro Agrônomo e atualmente estou como mestrando pela Universidade no programa de pós-graduação em Agricultura Tropical no Ceunes. Fale um pouco sobre como é o seu trabalho como técnico agrícola da fazenda experimental do Ceunes. Dentre as principais atividades estão a de apoio a aulas práticas voltadas ao curso de Agronomia e afins. O auxílio no desenvolvimento e acompanhamento de experimentos em campo, estufas e/ou laboratórios. O atendimento das demais demandas da comunidade circunvizinha.A Fazenda Experimental atua de forma expressiva na promoção direta do ensino, pesquisa e a extensão no âmbito agrícola. Seu setor de atuação tem sentido o impacto do corte de gastos promovido pelo governo federal? Os principais impactos estão diretamente relacionados à mão de obra dos terceirizados que limitam a expansão das atividades da Fazenda Experimental. E que precarizam o atendimento das demandas requeridas ao setor, como a limpeza e mão de obra no campo. O fornecimento de insumos para a manutenção das atividades diretas do setor. www.sintufes.org.br | 7

[close]

p. 8

#LUTO SENADO enterra a CLT Atendendo aos anseios do governo ilegítimo, senadores aprovam a reforma trabalhista Uma jovemsenhorade 74anos foi ‘assassinada’ em pleno Senado Federal no dia11 de julho de 2017. Por 50 votos a 26, os senadores aprovaram a reforma trabalhista (PLC 38/2017) do governoTemer,marcando a‘morte’ da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada em 1º de maio de 1943. ParaoSintufes,aaprovação dareforma trabalhista é mais uma medida nefasta que vai precarizar ainda mais as condições de trabalho.Acriação damodalidade do trabalho intermitente,por exemplo,no qual o trabalhador receberá pelas horas trabalhadas apenas.E não ganhará nada por períodos em que estiver à disposição. Ou seja,se faltartrabalho,pordoençaou motivo de forçamaior,o dinheirovai inexistir. CONFIRA OUTROS PONTOS TRÁGICOS QUE REPRESENTAM A MORTE DA CLT* • A mulher gestante poderá trabalhar em ambiente insalubre, sob ruído, sol, poeira, dentre outros agentes, desde que um médico subscreva autorização (art. 394-A); • Será lícito ao empregador, pela negociação coletiva, eliminar direitos sem estabelecer contrapartidas, o que contraria o atual entendimento dos Tribunais Trabalhistas; • Se for contratado pela modalidade intermitente (art. 443), poderá ficar sem receber salário mínimo, férias, 13º se o empregador assim desejar; • Seu empregador poderá contratar você como PJ, sonegando impostos, contribuições sociais, férias, 13º, FGTS, DSR, horas extras, e você não terá para quem reclamar (art. 442-B). *Fonte: Advogado Leonardo Isaac Yarochewsky, publicada no site Brasil247. Atenção, eleitor! A bancada capi- xaba no Senado votou em favor da refor- ma trabalhista. Lembre-se bem dos nomes: Rose de Freitas, Ricardo Ferraço e Magno Malta! Os três podem pedir o seu voto em 2018 e nos outros anos. Não se esqueça! E EU COM ISSO? Você acha que o serviço público não será afetado pela reforma trabalhista? Pois bem. A reforma aprovada pelo Senado fortalece a lei da terceirização sem limites. E, com a possibilidade legal de contratar servidores terceirizados para todas as atividades, a Ufes poderá fazer isso, em vez de abrir concursos para técnicos. Sem falar que a criação de uma Empresa Brasileira para assumir os demais campi é respaldada pelo Supremo Tribunal Federal. Ou seja, por mais que o servidor público não seja diferentemente afetado, ele poderá sim sentir na pele os efeitos nefastos da reforma. $ E O TEMER? Liberando milhões de reais via emendas parlamentares para‘comprar’ deputados da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, Temer conquistou uma vitória no colegiado, que, por 40 votos a 25, negou darprosseguimentoàdenúncia de corrupção contra ele. A decisão, agora,cabe ao Plenário e ficou para agosto. Mais um escárnio ao vivo. Sem panelas batendo. E com o Judiciário ‘fazendo vista grossa’. EXPEDIENTE Sindicato dos Trabalhadores na Ufes Filiado à Fasubra SINTUFES - Avenida Fernando Ferrari, s/nº, Campus Universitário, Vitória, ES - Tel: (27) 3325-6450. Fax: (27) 3227-4000. Subsede - Avenida Marechal Campos, s/nº , Campus de Maruípe, Vitória, ES - Tel: (27) 3335-7262. Fax(27) 3315-3444. Projeto gráfico: Link editoração. | Diagramação: NovaPauta Comunicação. Jornalista: Luciano Coelho MTB-ES/1743. | Tiragem: 1,5 mil exemplares. Os textos publicados neste jornal são de inteira responsabilidade da Diretoria Colegiada do Sintufes.

[close]

Comments

no comments yet