Wow Manaque - 01 Primeira Edição

 

Embed or link this publication

Description

Nossa revista do Wow Pixels

Popular Pages


p. 1

Turmas de fotógrafos: Calangos do Cerrado em Pirenópolis, GO Gente nossa: A arte e o talento de Alfabile Santana Produção e pós: Descubra como fotografar um alien

[close]

p. 2



[close]

p. 3

CARTA AO LEITOR Uma experiência editorial Já são 10 meses de muita luta e dedicação para manter o site WOW Pixels no ar e funcionando. Esse esforço tem envolvido uma equipe aguerrida e criativa e tem gerado uma interessante ferramenta interativa que proporciona troca de experiências, contatos e aprendizado para amantes da fotografia espalhados por todo o Brasil. O WOW Pixels nasceu da necessidade de aperfeiçoar experiências anteriores vividas por seus idealizadores. Os objetivos tem sido alcançados em um prazo menor que o previsto e semanalmente os fanáticos pela fotografia se envolvem em uma sadia disputa onde a meta é o crescimento e o aperfeiçoamento individual. Muitas amizades surgiram como “efeito colateral” dessa experiência, o que vemos com grande alegria. Semanalmente novos membros se juntam ao grupo e passam a fazer parte dessa interessante experiência. Entretanto, sabemos que é preciso manter as pedras rolando, para que não criem limo. E no sentido de estar sempre inovando é que estamos lançando a revista WOW MANAQUE. Trata-se de mais um canal de participação dos membros do WOW Pixels, mas é também outra forma de aprendizado para todos, dessa vez abordando o lado editorial da fotografia. O WOW MANAQUE é uma espécie de laboratório aberto e colaborativo onde todos são chamados a participar. A revista é de todos nós. Aproveitem! Ano 1 - Número 1- Julho de 2017 NESTE NÚMERO Onde você se meteu: Estruturas doWOW Pixels_Pg. 04 Você encara? Concursos On-line________Pg. 05 Baculejo: O que você leva na mochila?_______________Pg.05 Turmas de fotógrafos: Calangos do Cerrado em Pirenópolis, GO___________Pg. 06 Gente nossa: A arte e o talento de Alfabile Santana_______Pg. 24 Produção e pós: Descubra como fotografar um alien_______Pg. 30 Foto com história: Foto de Leny Fontenelle__Pg.38 Olho vivo & humor: Foto de Leila Medeiros e charge de Fabiano Queiroga_______Pg.39 Última foto: Foto de Paulo Paim_______Pg.40 EXPEDIENTE Comissão Editorial: Marcelo Cid Valério, Karine Spezia, Del Nin e Fabiano Queiroga Design Gráfico: Fabiano Queiroga Publicação independente e aberta a todos os membros do Grupo WOW Pixels

[close]

p. 4

WOWmanaque Onde você se meteu Estruturas do WOW Pixels Parece apenas uma brincadeira entre amigos apaixonados por fotografia. Mas é bem mais que isso. É com enorme prazer que apresentamos aos participantes WOW Pixels, os três pilares de sustentação deste grupo de fotografia: Grupo Social (Facebook), Tecnologia (sistema automatizado de captação e avaliação de fotos) e Comunicação (Wow Manaque). Através desses pilares, promovemos os mecanismos de controle, gestão, monitoramento e integração entre os participantes. Estamos assim, aptos a receber semanalmente um número praticamente ilimitado de participantes, fazendo uma gestão segura e confiável dos resultados obtidos. Facebook – O Wow Pixels nas redes sociais: Com o desenvolvimento do fenômeno das redes sociais, começamos a verificar uma diversificação no que diz respeito aos nichos que cada uma delas tratava. Hoje em dia, existem redes sociais para quem gosta de viajar, ler, para trabalho, e obviamente até para fotografia. De forma suscinta, os grupos são páginas (públicas ou privadas) que podem ser criadas e utilizadas para agrupar pessoas com os mesmos gostos dentro de uma rede social onde há de tudo um pouco. É nesse canal de comunicação que o Wow Pixels atua na sua atividade social, promovendo a interação entre os participantes aliando o conhecimento à diversão. Wow Manaque: Entre os diversos meios de se comunicar com o público, a revista figura como uma ferramenta estratégica. Devido ao seu formato, que facilita a apresentação de ações propostas e realizadas. É nela que a coordenação tem a possibilidade de alinhar sua comunicação com os colaboradores, dar visibilidade aos seus projetos, destacar assuntos importantes e registrar sua história corporativa. Tributo à Matemática: O site wow.fot.br não é apenas uma ferramenta de captação de inscrições e sistema de votação. É uma fonte geradora de informações estatísticas preciosas, onde através do cruzamento de dados podemos extrair tendências na personalidade do grupo, que nos facilitarão tomar decisões na criação de temas, propostas de inovação, melhorias no formato entre várias outras coisas. Nesta página, apresentamos alguns dados interessantes que contam parte da história do Wow, existem muito mais informações para serem analisadas e divulgadas, mas isso fica para o próximo número. Espero que gostem do conteúdo desta nossa primeira edição com a mesma intensidade que nós editores gostamos ao produzir a revista. Forte Abraço Marcelo Cid Valério 4

[close]

p. 5

Você encara? #1, Julho, 2017 Baculejo Concursos e grupos on-line de fotografia O que você leva na mochila? Mais accessível financeiramente, menos exigente em termos de tempo e menos dependente de equipamentos sofisticados, a fotografia digital conta com milhares de praticantes mundo afora. Essa popularização da fotografia fez aparecer um sem número de talentos novos, principalmente atraves da internet e das redes sociais. Para os iniciantes nessa arte, nada melhor do que os inúmeros grupos que promovem concurso de imagens. É uma excelente maneira de aprender, praticar, trocar experiências e crescer. O WOW Pixels é um desses grupos, mas encorajamos a participação em outros, ja que cada grupo tem a sua própria abordagem. Estaremos sempre dando dicas de páginas e grupos que valem a pena conhecer. Rainbow - Concursos por tema, diariamente. Bem concorrido com participantes do mundo inteiro. As inscrições se dão direto na página do facebook. https://www.facebook.com/groups/rainbow.it/ Fotógrafos sem fronteiras - Página que promove concursos diários, com um tema definido (shot of the day) e um tema livre (best shots). A página ainda abre inscrições para quem quer disputar a capa do site. Internacional, muito popular e bem frequentado. Inscrições através dos álbuns de cada tema. https://www.facebook.com/groups/fotografossemfronteiras/ Minimal Colors Art Color - Grupo que promove concursos semanais com variações sobre o mesmo tema a cada dia. Bem interessante e bastante popular. Inscrições direto na página do facebook. https://www.facebook.com/groups/139897043211544/ O Mundo a Preto e Branco - Grupo interessantíssimo para quem curte fotos em P&B. Fotos lindas disputam a capa da página. Vale a pena dar uma olhada. https://www.facebook.com/groups/765605640231513/ É claro que o que faz a foto é o olhar do fotógrafo. Equipamentos são apenas ferramentas para facilitar a vida do artista. Entretanto buscamos promover a troca de idéias e informações sobre essas preciosas ferramentas. Diante disso estaremos sempre perguntando: “o que você leva na mochila?” E ninguem melhor pra começar respondendo que nosso chefe, Marcelo Cid Valério. Essa é a configuração da mochila que uso quando saio na rua sem saber o que vou encontrar. Camera Nikon D800 Flash Nikon SB700 Flash Reserva YongNuo Testador de pilha Pilhas Recarregáveis Filtro Polarizador Lanterna e Fotômetro Rádios para flash Lente 24-70 Lente 70-200 Lente macro 105 5

[close]

p. 6

WOWmanaque Turmas de Fotógrafos Calangos do Cerrado na festa do Divino, em Pirenópolis, GO O grupo Calangos do Cerrado foi credenciado pela Prefeitura da cidade goiana para documentar essa belíssima e tradicional festividade. Para mais um de seus já tradicionais passeios fotográficos, o grupo brasiliense Calangos do Cerrado aproveitou a oportunidade oferecida pela prefeitura de Pirenópolis, GO, que credenciou a turma para fotografar a Festa do Divino Espírito Santo naquela cidade. A credencial permitiu acesso dos fotógrafos a áreas restritas, como por exemplo o gramado da arena construída para as Cavalhadas, mega evento que faz parte das festividades dessa tradicional manifestação cultural do povo goiano. Munidos de seus equipamentos Marcelo Cid, Ingrid Thurm, Del Nin, Karine Spezia, Luciana Lima, Yara Coelho e Fabiano Queiroga saíram de Brasília no dia 4 de junho, domingo, às seis da manhã. Após um delicioso café da manhã no Rota 60, ponto de encontro de motoqueiros na estrada que liga Brasília a Goiânia, o grupo seguiu para Pirenópolis onde chegou por volta das 9 da manhã. Foi chegar e começar a clicar, pois a cidade estava toda enfeitada, repleta de turistas que chegavam de carro ou de moto para participar da festa. Enquanto aguardavam a saída da procissão, primeiro evento do dia, os Calangos tiveram a felicidade de encontrar os amigos de Goiânia. Lá estavam Isabel Medeiros, Admilson Ferreira, Marco Américo, Kah Assis e Romano Costa. 6

[close]

p. 7

#1, Julho, 2017 7

[close]

p. 8

WOWmanaque Nesta página: a turma reunida na escadaria da Igreja Matriz, aguardando a procissão. Janelas enfeitadas pelos moradores das casas. Fotos de Fabiano Queiroga. Página seguinte: casarão antigo, arquitetura típica de Pirenópolis. Foto de Del Nin. 8

[close]

p. 9

#1, Julho, 2017 Os gupos se juntaram após a procissão, para almoçar uma deliciosa comida goiana. Mal deu tempo de curtir os incríveis doces da sobremesa e já era hora de seguir para a arena, palco das Cavalhadas. No caminho, apareceram os grupos de cavaleiros mascarados, personagens típicos da Festa do Divino. E aí é preciso que se explique um pouco da dinâmica da festa: as Cavalhadas, nome dado a uma recriação de um combate medieval entre cristãos e mouros, representa a visão católica das cruzadas, com as forças cristãs, defensoras do Divino Espírito Santo tratando de obter a hegemonia sobre os “infiéis e hereges mouros”. O drama se desenvolve numa arena permanente, criada especialmente para o evento e que tem mais ou menos as dimensões de um campo de futebol. Em cada ponta do gramado há um castelo com arquiteturas diferentes. Ali pode-se identificar de imediato a arquitetura medieval européia no castelo dos cristãos e o oriente médio, erigido em forma de castelo mouro. Os respectivos exércitos são identificados com cores diferentes. Os cristãos vestem azul e os mouros vermelho, com roupas ricamente elaboradas, plenas de detalhes e muito brilho. Cada exército entra em campo montado em belíssimos cavalos, através do seu castelo e a partir daí, o que se vê é um teatro que vai seguindo um enredo narrado e transmitido em alto e bom som pelos alto-falantes do lugar. Os exércitos evoluem simulando batalhas diplomáticas e combates militares num show de habilidade e coordenação. Antes dos exércitos entrarem em campo, há um desfile composto de grupos culturais locais, banda de música, as bandeiras dos Estados e a Bandeira Nacional. Entra também de forma solene a Bandeira do Divino. Há a execução do Hino Nacional e uma benção feita pelo padre. Depois disso há a participação dos cavaleiros mascarados, que são personagens fantasiados de forma extravagante, montados em cavalos igualmente fantasiados e que “invadem” a arena fazendo todo tipo de maluquice. É como se fosse um carnaval montado com muitas cores e criatividade. A parte cômica da festa é quando os mascarados se recusam a atender o apelo dos locutores para que deixem livre a arena. Aliás, há um intervalo no combate entre cristãos e mouros, que serve como brecha para que os mascarados invadam novamente a arena. Simplesmente imperdível. 9

[close]

p. 10

WOWmanaque Uma festa histórica Trazida ao Brasil pelos portugueses logo nos primórdios da colonização, teve em Pirenópolis o primeiro registro em 1819, promovida pelo Coronel Joaquim da Costa Teixeira, consagrado como Imperador do Divino. Poucos anos após, mais precisamente em maio de 1826, o Festeiro, como também é chamado o Imperador, Padre Manuel Amâncio da Luz introduziu as Cavalhadas e mandou confeccionar uma coroa de pura prata, a Coroa do Divino, oferecendo-a à Igreja Matriz. Distribuiu, de casa em casa, pãezinhos e alfenins, docinhos feitos de açúcar puro chamados de Verônicas, à população, o que foi de bom grado, tanto que virou tradição e até hoje se distribui, além destes, salgadinhos e refrigerantes. A cada ano, para cada festa, um novo Imperador é eleito, por sorteio. Segundo a tradição, qualquer cidadão, sendo de qualquer idade ou classe social pode se candidatar à Imperador. Mas hoje, devido à interesses de auto promoção política e ao fato de boa parte da população não ser mais católica, o sorteio é restringido aos irmãos da Irmandade do Santíssimo Sacramento. O sorteio é realizado na presença de todos, durante o domingo. É o Domingo do Divino. O Imperador do Divino retrata, com toda sua simbologia, o Rei, a Rainha e a Côrte portuguesa, autenticados pela Coroa, pelo Cetro e pelas virgens vestidas de branco que os antecedem na Procissão do Divino. Com toda pompa, caminham pelas ruas da cidade, circundados por quatro varas sustentadas por quatro virgens, seguidos pela Banda de Música a frente da população. Extraído de www.pirenopolis.tur.br/cultura/folclore/festa-do-divino Acesse para saber mais sobre essa linda cidade e suas tradições. 10

[close]

p. 11

#1, Julho, 2017 A procissão é liderada pelo padre e pelo Imperador do Divino, seguida pela população ao som de uma banda de música. Acima: a bandeira do divino tremula na Igreja Matriz. O Divino Espírito Santo exposto em seu andor na procissão. Fotos de Fabiano Queiroga. 11

[close]

p. 12

WOWmanaque O Rei Mouro e um membro de um grupo de camponeses. Na página ao lado, o Castelo Mouro e um cavaleiro mascarado. Fotos de Del Nin 12

[close]

p. 13

#1, Julho, 2017 13

[close]

p. 14

WOWmanaque 14

[close]

p. 15

#1, Julho, 2017 Mascarados brincando na Arena, antes do início da encenação e casarão tradicional da cidade. Fotos de Ingrid Thurm 15

[close]

Comments

no comments yet