07/2017 - Informativo Comerciário

 

Embed or link this publication

Description

07/2017 - Informativo Comerciário

Popular Pages


p. 1

        Julho • 2017 • www.seci.com.br Página 4 Plano de Saúde- Um investimento para saúde Página 2 SECI tem nova diretoria empossada Página 3

[close]

p. 2

 Julho • 2017 Plano de Saúde Melhor investimento Carlos, um jovem de 24 anos, vai para o trabalho todos os dias de moto. Saudável, não adoece com facilidade. Seu porte atlético e sua saúde exemplar foram um dos principais atrativos para a empresa o ter contratado. Ao término do seu contrato de experiência, seguindo as regras da Convenção Coletiva do Comércio, a empresa ofereceu o plano de saúde para o trabalhador. E já foi logo avisando que se ele não o quisesse, deveria ir ao SECI preencher a Carta de Renúncia. Ao chegar à entidade, uma atendente explicou a ele todas as vantagens de se ter um plano de saúde. Sendo que o valor da mensalidade é de até R$42,50. Porém, o trabalhador foi enfático e afirmou “não fico doente”. Passaram alguns meses... Indo para o campo jogar uma pelada, no fim de semana, um carro fechou Carlos, que freou bruscamente colidindo de frente com o veículo. Como resultado, ele quebrou dois ossos, rompeu parcialmente três ligamentos e está a três anos esperando uma cirurgia pelo SUS para reconstruir seu joelho. Plano de Saúde – Melhor ter e não precisar, do que precisar e não ter Após tanto esperar pela cirurgia, Carlos decidiu aderir ao plano de saúde. Entretanto, ao fazer a renúncia, ele passou a ter carência em todos os procedimentos. Isso significa que, durante um tempo ele irá pagar o plano, mas não poderá utilizar algum de seus benefícios. Esse período pode variar de horas, dias e até meses. Dependendo do procedimento que o trabalhador precise. Essa “história” de Carlos é um compilado de muitos casos que a equipe do SECI vivencia todos os dias. Muitas vezes as pessoas chegam à sede do sindicato para fazer a renúncia do plano pensando apenas no valor que será descontado no fim do mês. Como se apenas fosse essa a conta a ser feita, a economia da mensalidade do plano no contracheque. Entretanto, ao ficar doente e precisar de um médico, uma pessoa gasta muito mais do que esse valor. Os exames, as cirurgias e todos os procedimentos médicos são valores altos fora do plano. Outro ponto a ser levado em consideração é que acidentes acontecem. Mesmo que o comerciário seja jovem, tenha uma vida saudável, o dia de amanhã é uma incerteza, é preciso estar precavido. O plano de saúde, sem dúvidas, é uma conquista para os comerciários. SECI CONVOCA COMERCIÁRIOS Negociação Coletiva 2017/2019 O SECI convida a todas as comerciárias e os comerciários para à assembleia de definição da pauta de Reivindicações, no dia 13/07/17 (quinta-feira), às 12h e 18h30 na sede da entidade. Para que a categoria alcance mais conquistas, é necessária a participação de todos. Ainda mais neste momento de ameaça aos direitos trabalhistas. O Sindicato quer ouvir você, venha participar! Traga sua sugestão para a Pauta de Reivindicações 2017/2019! Empresas desrespeitam direitos trabalhistas Magazine Luiza Os funcionários da loja Maga- zine Luiza de Ipatinga trabalharam sem acordo com o Sindicato no domingo, dia 11/06. O SECI entende que a loja não poderia abrir nesse domingo. O funcionamento acarreta multa em favor dos empregados. Sendo assim, o Sindicato notificou a empresa através de uma carta no dia 13/06. Não obtendo respostas o SECI acionou a empresa judicialmente para requerer os direitos dos trabalhadores. Ponto Frio e Casas Bahia As lojas utilizaram a mão de obra de seus empregados após o horário acordado para o funcionamento do comércio nos dias 13/05 e 11/06 (sábados anteriores ao Dia das Mães e Dia dos Namorados). O Sindicato notificou a empresa pelo descumprimento através de uma carta no dia 13/06. Não obtendo resposta, o SECI entrou na justiça para requerer os direitos dos empregados da empresa. O valor da multa é de R$1025 para cada dia que houve desrespeito da Convenção Coletiva, em favor do funcionário prejudicado. O SECI está de olho no descumprimento dos direitos dos comerciários de Ipatinga! Denuncie e colabore com esse trabalho! Aniversário da Contracs Central organiza e forma entidades em nível nacional Para fortalecer a luta pelos direitos dos trabalhadores no comércio, o SECI, junto a outros sindicatos de comerciários filiados à CUT fundaram no dia 13 de Julho de 1990 a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços - Contracs. É por meio da Contracs que vários sindicatos, como o SECI, levam à discussão questões como o reconhecimento da profissão de comerciário, o fim do banco de horas e do trabalho aos domingos. A missão da Contracs é ampliar os direitos e melhorar as condições de vida da classe trabalhadora. Além disso, ela organiza os sindicatos oferecendo formação permanente para os sindicalistas. O SECI parabeniza a Confederação por esses 27 anos de luta a favor da classe trabalhadora e deseja que tenha cada vez mais vitórias em sua caminhada. Curta a nossa página no facebook! www.facebook.com/seci.comerciarios

[close]

p. 3

O terror ao se aposentar Falta de Pagamento dos Servidores de Ipatinga Durante nossa vida, trabalhamos, juntamos bens, contribuímos para regimes de previdência. Tudo para que quando nossa velhice chegar possamos ter sossego. Um lugar para chamar de nosso, um plano de saúde para poder usar nas horas difíceis, um salário com o qual se contribuiu a vida toda. Esse é o sonho de uma parcela imensa da população, uma aposentadoria tranquila. Entretanto, na cidade de Ipatinga, esse sonho se transformou em pesadelo. No ano de 2016, a Prefeitura Municipal de Ipatinga cortou a complementação salarial dos servidores municipais aposentados. Agora, foi anunciado também o corte do pagamento dos consignados (planos de saúde, empréstimos feitos por bancos descontados em folha). A Presidente da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado de Minas Gerais – FETAM, Helenir de Lima, esclarece que é de responsabilidade do poder executivo arcar com o pagamento. ”Eles têm que pensar métodos para que isso ocorra. O servidor não pode ser prejudicado”. Contextualizando No ano de 1994, foi criada a lei da complementação salarial do servidor da cidade de Ipatinga. Ocorre que era necessária a criação de um fundo de complementação para que essa lei de fato vigorasse com todos os amparos constitucionais. O que não aconteceu. Os servidores continuaram se aposentando, entretanto, utilizando os recursos da prefeitura para fazer o pagamento da complementação. Os anos foram passando e o Tribunal de Contas da União – TCU exigiu que as administrações criassem o fundo para o pagamento da complementação. Como isso não aconteceu, ocorreu o corte da complementação. Uma luz “É um grande desafio a conscientização do trabalhador para criação do fundo. É necessária uma contribuição para a construção de seu regime de previdência. Temos que sensibilizar o trabalhador”, completa. O SECI acredita que o prefeito e os vereadores têm a obrigação de cumprir o seu papel. Isto é, criar um fundo de complementação para que esse problema não se torne ainda mais grave. Clube do SECI Espaço de Cultura e Lazer para os comerciários A construção do Clube dos comerciários está a todo vapor. O projeto já tem sua inauguração prevista ainda para este ano. O terreno tem 83 mil metros quadrados localizado logo depois da entrada do Barra Alegre, sentido Parque das Cachoeiras. Nesta primeira etapa, o SECI vai realizar a construção do campo, piscinas, estacionamento, churrasqueiras, sauna e recepção. O Clube foi pensado para promover a cultura e o lazer para os comerciários de Ipatinga. As regras para utilização também já estão sendo elaboradas. Julho • 2017  SECI tem nova diretoria Representantes dos comerciários são empossados O SECI, a partir de 25 de junho, passou a ser administrado por uma nova diretoria. Pelos próximos quatro anos, o comerciário Aurélio Moreira de Sousa (Depósito Gomes) assume a coordenação da entidade. A diretoria, que é colegiada, é composta por mais cinco comerciários e quatro comerciárias. Além de Aurélio Moreira, Cláudio Marconi Ferreira Tomaz (Consul), Geraldo Lúcio de Oliveira (Casa Ipanema), Antonio Ademir da Silva (Consul), Ademir Francisco Lopes (Bretas Supermercados), José Marcos de Lima (Garcia Supermercados), Ivany Rodrigues dos Santos (Ricardo Eletro), Clerilaine Moraes Matos Narciso (Sup. Coelho Diniz), Dayane Gomes Santos Miranda (Sup. Coelho Diniz) e Magali Bicalho Faustino (Polishop). Os dez trabalhadores, membros da Chapa “Resistir e Subverter”, única inscrita para as eleições realizadas no dia 26/05/17, foram empossados numa cerimônia realizada no último domingo (25/06), no Sindicato dos Bancários de Ipatinga. Na presença dos comerciários, representantes de entidades dos movimentos populares e autoridades, eles se comprometeram a atuar como representantes da categoria, defendendo os interesses da classe trabalhadora, cumprindo o Estatuto da entidade e mantendo relações de solidariedade com outras categorias, para lutar por uma sociedade justa e igualitária. Futura piscina de 31 metros de comprimentos

[close]

p. 4

Reformas podem retirar direitos Trabalhistas históricos Nos últimos anos a classe trabalhadora vem sofrendo ataques em seus direitos. Teve seu PIS parcelado de acordo com a quantidade de meses trabalhados; perdeu direitos no seguro desemprego; mais recentemente, teve aprovada a lei da terceirização irrestrita em todas as atividades. Agora, o governo está empenhado em retirar outros direitos fundamentais para uma boa relação de trabalho. É hora da classe trabalhadora se unir e reivindicar a permanência de direitos. Em tempos de crise financeira, é a classe trabalhadora que mais sofre com os cortes. Reforma da Previdência Se aprovada pelo Congresso Nacional, a Proposta de Emenda Constitucional 287 (PEC 287), mudará regras dos benefícios da Previdência e da Assistência Social. A PEC 287 irá fixar uma idade mínima inicial para aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Se a expectativa de vida do brasileiro aumentar, essa idade mínima para aposentadoria também irá aumentar. É muito provável que muitos desses trabalhadores morram antes de se aposentar. Outro ponto inconcebível é que o trabalhador só terá direito a seu benefício integral se contribuir por 49 anos (com a idade mínima de 65 anos). Assim, seria necessário começar a trabalhar aos 16 anos e nunca ficar desempregado ou deixar de pagar o INSS para conseguir atingir essa meta. Reforma Trabalhista A proposta foi aprovada pela Câmara e está em discussão no Senado. Ela trata de direitos como férias, intervalo e jornada parcial. Confira a seguir os principais ataques aos seus direitos, que estão previstos nessa proposta: Férias O texto prevê que as férias poderão ser divididas em três períodos de descanso. Com um mínimo de 15 dias seguidos de descanso Intervalo O intervalo dentro da jornada de trabalho poderá ser negociado, podendo chegar ao mínimo de 30 minutos. Trabalho com jornada parcial Atualmente, prevê jornada máxima de 25 horas por semana, sendo proibidas as horas extras; a proposta é passar para 30 horas semanais, sem horas extras, ou para 26 horas semanais com até 6 horas extras. nas férias, o restante do período poderá ser objeto de negociação coletiva para ser aproveitado em outro momento. Jornada de trabalho Um dos pontos em que as negociações coletivas poderão se sobrepor à legislação trabalhista é a jornada de trabalho. O texto fala que o cumprimento da jornada diária poderá ser negociada entre patrões e empregados, desde que respeitado o limite máximo de 220 horas mensais e de 12 horas diárias. Hoje a jornada padrão é de 8 horas por dia, com possibilidade de haver até duas horas extras. A jornada padrão semanal é de 44 horas. pSEaCraI cfhaazmeraaosutraapbaarlhteador As Reformas (da Previdência e Trabalhista) representam a retirada de direitos dos trabalhadores. Porém, esses direitos não foram dados de presente para a classe trabalhadora. Eles foram adquiridos após muitas lutas. Por isso, o SECI faz o alerta a todos os trabalhadores. O Sindicato acredita que só é possível a vitória se o povo lutar contra as perversidades praticadas pelos seus governantes. O SECI está fazendo a sua parte, denunciando, participando das discussões e manifestações. Mas, é dever de todos os trabalhadores se posicionarem e participarem desta luta contra o corte de direitos trabalhistas, em defesa do direito à aposentadoria, não só nas redes sociais, como nas conversas com amigos e principalmente nas manifestações de rua. Sindicato filiado à Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs) e à Central Única dos Trabalhadores (CUT) SECI Av. 28 de Abril, 621 - SL. 302 - Centro - Ipatinga/MG Telefax: (31) 3822-1240 E-mail: comunicacao@seci.com.br Site: www.seci.com.br COORDENADOR GERAL Cláudio M. F. Tomaz DIRETOR RESPONSÁVEL Antônio Ademir da Silva (11938-MG) REDATORA Vanessa Rayane Mourão Lage - 20307-MG DIAGRAMAÇÃO E IMPRESSÃO Gráfica Art Publish - 31. 3828-9020 Tiragem desta edição: 8.500 exemplares

[close]

Comments

no comments yet