Jornal São José Operario - Julho 2017

 

Embed or link this publication

Description

Jornal São José Operario - Julho 2017

Popular Pages


p. 1

PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO S ãJoornaJl osé OperárioCAPÃOREDONDO-DIOCESEDECAMPOLIMPO ANO XIV - EDIÇÃO Nº 168- 10.000 EXEMPLARES - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA - JULHO - 2017

[close]

p. 2

Página-2 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Julho - 2017 EDITORIAL Família e o Projeto de Deus O  mês  de  julho  a  Igre- garras  do  demônio;  era  ja  dedica  ao  preciosís- preciso  um  sacrifício  simo  Sangue  de  Cristo, humano,  mas de  valor  derramado  pelo  perdão  infinito.  Só  Deus  pode- (parte 1) humana. O homem colabora para mas por aquelas que Ele mesmo tanto com a sua racionalidade promulgou” (Comentário sobre tendente à ação forte e, por ve- 1Cor 7,39s). Em poucas palavras, dos  nossos  pecados.  E  ria  oferecer  este  sacrifío  dia  2  de  julho  é  o  cio;  então,  o  Verbo didia  do Sangue de Cristo. vino dignou-se assumir a zes, fria, ao passo que a mulher oferece os dotes de sua intuição direta e profunda, muito sensível aos valores da vida e muito forte esse Padre da Igreja Antiga sintetiza uma verd­ade essencial da Filosofia e da Teologia Moral: a lei humana positiva para ser vá- O Sangue de Cristo nossa natureza humana, representa a Sua Vida para oferecer a Deus um humana e divina, de sacrifício de valor infini- na sua paciência (cf. Catecismo da Igreja Católica n. 23312336; 2360-2363). Para se realizar dentro do projeto de Deus, lida deve ser eco da Lei Natural Moral. Ora, os que estão “fora” ou se julgam – erroneamente, é claro –, independentes de Deus, valor  infinito,  oferecida  to. A majestade de Deus à  Justiça  divina  para  o  é infinita; e foi ofendida perdão  dos  pecados  de pelos pecados  dos  ho- todos  os  homens  de  to- mens.  Logo,  só  um  sados  os  tempos  e  luga- crifício  de  valor  infinires.  Quem  for  batizado  to  poderia restabelecer e  crer, como disse Jesus, a paz entre a humanidaserá salvo (Mc 16,16) de e Deus. O sangue do Os projetos de leis, os decretos do executivo e julgamentos do judiciário ultimamente têm seguido alguns caminhos ditados por uma mentalidade global que procura des- pelo Sangue de Cristo. cordeiro simbolizava e Em  cada  Santa  Missa  a  prefigurava o Sangue de Igreja  renova,  presenti- Cristo, da Nova e Eterna construir a família como son­ hada no sábio projeto de Deus para a humanidade. Diante dessas tentativas, convém refletirmos um fica,  atualiza  e  eterniza Aliança que um dia seria pouco sobre a estrutura e fina- este  Sacrifício  de  Cristo  celebrada no Calvário. pela  Redenção  da  hu- É por isso que São  João  lidade da família à luz dos importantes ensinamentos da Santa Igreja. Afinal, para ela se voltam manidade.  Em  média,  Batista,  o  Precursor  de  os olhares não só dos católicos, a  cada quatro segundos Jesus,  ao  anunciá-lo  mas também de parte das mídias mundiais e de especialistas. Po- essa oferta divina sobe aos  judeus  vai  dizer: “ demos, com a Palavra de Deus ao Céu em todo o mundo. O Catecismo da Igre- Este é  o  Cordeiro  de  Deus  que  tira  os  pe- que é uma só, mas a nós transmitida por dois canais: a Sagrada Tradição e a Sagrada Escritura tu- ja ensina que mesmo que cados  do  mundo”  (Jo  telada pelo Magistério da Igreja, o mais santo dos homens 1,  19).   É  a missão de tivesse  morrido  na  cruz,  Cristo ser o Cordeiro de seria  o  seu  sacrifício  Deus, imolado por amor seu guardião, bem como de bons teólogos e textos já trabalhados por outros defensores da família, expor alguns pontos funda- insuficiente  para  resga- dos homens. Boa leitura tar  a humanidade  das  mentais em defesa da família no projeto de Deus nos nossos dias. Começamos, dizendo – seguin- do o raciocínio de Dom Estêvão EXPEDIENTE Diretor Geral Monsenhor João Batista Diretor de atendimento aos Benfeitores: Jurandi Nunes Jornalista Responsável: Mário de Freitas - MTB 36.907 Revisões e Correções Pe. Carlos Lozada Edson Filipe Diagramação José Andrade Alves Publicação mensal da Paróquia: Santuário São José Operário Rua Alfredo Ometecídio, 32 Cep.: 05869-170 Capão Redondo- SP www.santTuearli.o5sa8o7jo3s-e2o0pe0r9ario.org.br santuario@santuariosaojoseoperario.org.br Bettencourt, OSB – que ela é uma instituição natural, núcleo da sociedade dos homens e mulheres. É na família que o indivíduo é ‘gente’ ou reconhecido como pessoa humana com o carinho que ele merece, ao passo que fora de casa o indivíduo muitas vezes é um mero número, impessoal e não raramente incômodo. Daí se segue que, de acordo com a Lei Natural, a família tem seu fundamento na complementação física e psíquica que homem e mulher que não varia de acordo com os arbítrios, caprichos ou legisladores humanos, a família tem, dentro do grande patrimônio bimilenar da Igreja, alguns pont­os comuns importantes a salientar: A Monogamia: Para que haja um verdadeiro matrimônio é preciso que o homem e a mulher se en­treguem totalmente um ao outro sem reservas. Daí a poligamia ferir esse componente básico do cas­amento por uma simples razão de bom-senso: ninguém pode doar-se plenamente mais de uma vez ou a mais de uma pessoa ao mesmo tempo (cf. Concílio de Trento, sessão 24, de 11 de nov. de 1563, citado por Collantes. La Fe de la Iglesia católica, n. 12591263; Familiaris consortio n. 19). A Indissolubilidade: tem como sinônimo a estabilidade, pois a doação dos cônjuges há de ser in­condicional, ou seja, em todos os momentos e circunstâncias da vida (na saúde e na doença, na ale­gria e na tristeza etc.) haverá o respeito e compreensão de ambos os lados. Disso decorre que a doa­ção sob condição (“enquanto você for amigo...”) já não é total nem verdadeiro matrimônio. Poderá replicar alguém: mas a legislação civil dá direito ao divórcio, ou seja, à dissolução de um cas­amento validamente contraído e consumado. Respondemos que é verdade, mas, no caso, vale a Lei Natural Moral, lei do Criador impressa na criatura (“marca do Fabricante”), que é a indissolubilidad­e, e não a lei humana positiva, defensora do divórcio (cf. FC n. 83-84). A respeito disso, diz São João Crisóstomo: “Não apeles para fazem as leis a seu bel-prazer colocando-se muitas vezes no lugar do Criador e por essa razão tornam o seu código legal iníquo e arbitrário, desmerecedor do acatamento dos homens de fé. Pois bem: Deus não julgará ninguém de nós de acordo com essas leis humanas desligadas da Lei Natural Moral, mas, sim, de acordo com elas, pois foram por Ele promulgadas, a fim de guiarem o homem e a mulher nos Seus caminhos. Ela é como que o manual do Fabricante em cada ser human­o. Seguindo-o não se perderá, afastando-se dele cairá na desgraça, pois ninguém desobedece à na­tureza impunemente, conforme diz um provérbio popular: “Deus perdoa sempre; o ser humano às vezes; a natureza nunca!” (cf. FC n. 20). Certo é que, com isso, a Igreja não deixa de atender aos casais cujos casamentos foram nulos, ou seja, que existiram só na aparência, mas não na realidade, daí podem e devem ser declarados nulos (nunca anulados se verdadeiramente existiram) pela Igreja. Também a Igreja pede atenção aos cas­ ais em situações difíceis ou em segunda união, sem que a primeira tenha sido nula. Sejam acolhid­ os na comunidade eclesial junto aos seus. Card. Dom Orani João Tempesta Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro ANUNCIE AQUI Este espaço está reservado para você! 5873-2009 santuario@santuariosaojoseoperario.org.br O teor das matérias é de responsabilidade de seus autores. Todas as pessoas são voluntárias – e só eles – prestam um ao outro. as leis promulgadas pelos que Por isso, é uma instituição natural estão fora... Naquele dia, Deus ou decorrente da própria natureza não te julgará por essas leis, Faça-nos uma visita na Secretaria do Santuário www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 3

Julho - 2017 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Página-3 Consagre o seu Dízimo a Deus e receba as sete promessas de bençãos No capítulo 3, 6-12 do livro do profeta Malaquias, Deus fez sete promessas de bênçãos para os fiéis no dízimo. O número sete na Bíblia representa a perfeição e a totalidade das coisas. Isto significa que ao ser fiel no Dízimo, você está plantando uma ótima semente e fará uma perfeita e abençoada colheita. O dizimista fiel faz a colheita espiritual por meio do gesto de fidelidade. Esta colheita tem muito mais valor do que colheita de bens materiais. Junto com a colheita material, o fiel, faz a colheita espiritual. A colheita espiritual está impressa na oração dos dizimistas que rezamos juntos todos os meses. “Que cada dízimo que eu der seja um ato de reconhecimento de que tudo que tenho de bom veio de ti: Paz saúde, amor, prosperidade e bens. Pois se tenho é porque me destes. Amém.” Para fundamentar a grandeza das sete promessas de bênçãos, apresento aqui alguns dos significados do número sete na Bíblia: Deus fez o Mundo em sete dias; Deus descansou no sétimo dia; as sete manifestações do Espírito Santo: Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor nho. Então o Senhor faz a primeira promessa: “Voltai a mim e eu voltarei a vós... Pode um homem enganar o Seu Deus? Fostes atingidos pela maldição, e vós procurais enganar- “Que cada dízimo que eu der seja um ato de reconhecimento de que tudo que tenho de bom vem de ti: Paz, Saúde, Amor, Prosperidade e Bens. Pois se tenho é porque me destes. Amém.” do SENHOR. Isaías 11.2. Na Palavra, Deus se identifica quem de fato Ele É: Eu sou o Senhor e não mudo. Deus é o único Deus e não há outro. Em seguida Ele faz uma exortação dizendo que o povo havia afastado de seus mandamentos e por isso não estava seguindo a retidão de seu cami- -me. Trazei o Dízimo integral para o tesouro do templo para que haja alimento em minha casa.” Depois Deus faz as outras seis promessas. Cada cristão deve ler este trecho e tomar posse destas graças que o Senhor nos oferece gratuitamente. Se você for fiel com a Igreja, veja que Deus vai fazer em sua vida. O Senhor vai abrir as janelas do céu sobre você e a sua casa; Vai derramar as bênçãos de fartura em sua mesa muito além do necessário; o Senhor promete repreender todo que quiser te fazer algum tipo de mau; a videira vai dar muitos frutos; você será sempre feliz; você vai atrair prosperidade na saúde, nos pensamentos, nas palavras em sua vida inteira. Eis as sete promessas de Deus. POR ISSO, CONSAGRE COM FIDELIDADE O SEU DIZIMO E ACREDITE NAS PROMESSAS DE DEUS. TOME POSSE DA GRAÇA DE DEUS. TENHA FÉ! CORAGEM.... “AQUELE QUE SEMEIA POUCO, POUCO COLHERÁ. AQUELE QUE SEMEIA COM GENEROSIDADE, COM GENEROSIDADE COLHERÁ” ( II COR 9,6). SEJA FIEL NO DÍZIMO E NAS OFERTAS. Monsenhor João Batista Pároco e Reitor do Santuário Dioc. São José Operário www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 4

Página-4 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Julho - 2017 O convívio Queridos irmãos e irmãs, hoje vamos refletir sobre uma qualidade característica da vida familiar que se aprende desde os primeiros anos de vida: o convívio, ou seja, a atitude de partilhar os bens da vida e de ficar feliz de poder fazer isso. Partilhar é uma virtude preciosa! O seu símbolo, o seu “ícone” é a família reunida em torno da mesa doméstica. A partilha do alimento – e portanto, além disso, também dos afetos, dos relatos, dos acontecimentos… é uma experiência fundamental. Quando há uma festa, um aniversário, nos encontramos à mesa. Em algumas culturas é costume fazer isso também por luto, para estar próximo a quem esta na dor pela perda de um familiar. O convívio é um termômetro seguro para mensurar a saúde das relações: se em família há algo que não está bem, ou qualquer ferida escondida, à mesa se entende logo. Uma família que quase nunca come junto, ou em cuja mesa não se fala, mas se olha para a televisão, ou para o smatphone, é a família “pouco família”. Quando os filhos, sentados à mesa, estão apegadas ao computador, ao telefone e não se escutam entre eles, isso não é família, é um pensionato. O cristianismo tem uma vocação especial ao convívio, todos sabem disso. O Senhor Jesus ensinava com prazer à mesa e representava o Reino de Deus como um banquete festivo. Jesus também escolheu a mesa para entregar aos seus discípulos o seu testamento espiritual – fez isso na ceia – condensado no gesto memorial do seu sacrifício: doação do seu Corpo e do Seu Sangue como NAKA C. R. C. 104884 CONTABILIDADE Assuntos Fiscais Assistência Jurídica Serviços de Contabilidade Fones: 5872-1466 - Email: sen100@uol.com.br Rua Abílio César, 299 - CEP 05881-020 Capão Redondo - São Paulo / SP Alimento e Bebida de salvação, que alimentam o amor verdadeiro e duradouro. Nesta perspectiva, podemos bem dizer que a família é “de casa” na Missa , justamente porque leva à eucaristia a própria experiência de convívio e a abre à graça de um convívio universal, do amor de Deus pelo mundo. Participando da Eucaristia, a família é purificada da tentação de se fechar em si mesma, fortificada no amor e alarga os confins da própria fraternidade segundo o coração de Cristo. Nesse nosso tempo, marcados por tantos fechamentos e por tantos muros, o convívio, gerado pela família e dilatado pela Eucaristia, se torna uma oportunidade crucial. A Eucaristia e as famílias por ela alimentadas podem vencer os fechamentos e construir pontes de acolhimento e de caridade. Sim, a Eucaristia de uma Igreja de famílias, capaz de restituir à comunidade o fermento ativo do com convívio e da hospitalidade recíproca, é uma escola de inclusão humana que não teme confrontos! Não há pequenos, órfãos, frágeis, indefesos, desesperados e abandonados que o convívio eucarístico das famílias não possa alimentar, restaurar, proteger e hospedar. A memória das virtudes familiares nos ajuda a entender. Nós mesmos conhecemos quantos milagres podem acontecer quando uma mãe tem olhos e atenção, carinho e cuidado para os filhos dos outros, além de fazer isso para os próprios. Até ontem, bastava uma mãe para todas as crianças do quintal! E ainda: sabemos bem quanta força conquista um povo cujos pais estão prontos para se mover e proteger seus filhos de todos, porque consideram os filhos um bem indiviso, que estão felizes e orgulhosos de proteger. Hoje muitos contextos sociais colocam obstáculos ao convívio familiar. É verdade, hoje não é fácil. Devemos encontrar o modo de recuperá-lo. À mesa se fala, a mesa se escuta. Nada de silêncio, aquele silêncio que não é silêncio dos monges, mas é o silêncio do egoismo, onde cada um por si, na televisão ou no computador … e não de fala. Não nada de silêncio. É preciso recuperar aquele convívio familiar adaptando aos tempos. Parece que o convívio se tornou uma coisa que se compra e se vende, mas assim é uma outra coisa. E o alimento não é sempre o símbolo de justa partilha dos bens, capaz de alcançar quem não tem nem pão nem afetos. Nos países ricos somos induzidos a gastar para uma alimentação excessiva e depois o somos de novo para remediar o excesso. E esse “negócio” insensato desvia a nossa atenção da verdadeira fome, do corpo e da alma. Quando não há convívio há egoismo, cada um pensa em si mesmo. Tanto é que a publicidade reduziu o convívio a uma preferência por lanches rápidos e de desejos de docinhos. Enquanto tantos, muitos irmãos e irmãs, permanecem fora da mesa. É um pouco vergonhoso! Olhemos para o mistério do banquete eucarístico. O Senhor parte o Seu Corpo e derrama o Seu Sangue por todos. Realmente não há divisão que possa resistir a esse sacrifício de comunhão; somente a atitude de falsidade, de cumplicidade com o mal pode excluir disso. Qualquer outra distância não pode resistir ao poder indefeso e desse vinho derramado, Sacramento do único Corpo do Senhor. A aliança viva e vital das famílias cristãs, que precede, apoia e abraça no dinamismo da sua hospitalidade os cansaços e as alegrias cotidianas, coopera com a graça da Eucaristia, que é capaz de criar comunhão sempre nova com a sua força que incluiu e que salva. A família cristã mostrará justamente assim a amplitude do seu verdadeiro horizonte, que é o horizonte da Igreja Mãe de todos os homens, de todos os abandonados e os excluídos, em todos os povos. Rezemos para que esse convívio familiar possa crescer a amadurecer em todos os lares. Papa Francisco Boletim da Santa Sé Realizamos serviços de reparos e reformas: Acabamento, Pintura, Hidráulica e Elétrica. Instalação de Porta Lisa ou Camarão, Pintura e Aplicação de Textura, Colocação de Papel de Parede e Recuperação de Móveis. Consulte-nos Tel.: 5873-3506 - Cel.: 99280-6409 Contato: rrreparos@outlook.com Ricardo ou Regina rrpradoreformas www.santuariosaojoseoperario.org.br ANUNCIE AQUI Este espaço está reservado para você! 5873-2009 santuario@santuariosaojoseoperario.org.br Faça-nos uma visita na Secretaria do Santuário

[close]

p. 5

Julho - 2017 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Diga sempre sim ao Dízimo! Página-5 Queridos amigos e paroquianos, hoje quero falar um pouquinho sobre um gesto tão bonito e participativo dentro de uma PARÓQUIA. Se trata do DÍZIMO!. A palavra DÍZIMO significa a décima parte. Por exemplo eu sempre digo: de cada 100 sacos de feijão, ou cada 100 saquinhos de café ou de cada 100 reais, eu consagro DEZ e fico com noventa, portanto, a maior parte fica comigo. Aprendemos que a décima parte é chamada de DÍZIMO. A Bíblia pede para consagrar 10% de tudo que se recebe ou ganha. Estes dez por cento pertencem à Deus e sua Igreja, por isso devem ser consagrados integralmente para a Comunidade Cristã. A Igreja Católica, no Brasil, pede que cada um dê o DÍZIMO conforme o impulso do seu coração e de acordo com a sua consciência. Por princípio da palavra de Deus diz que cada fiel deve consagrar 10 por cento de tudo que se recebe ou ganha. Devo deixar bem claro que DÍZIMO não é pagamento e sim consagração. Não é imposto. Não é taxa. É um gesto livre de gratidão a Deus. Não é esmola; nem oferta. DÍZIMO é um ato de fé e de reconhecimento de que tudo que temos vem de Deus. A Bíblia Sagrada é o melhor manual de educação. O melhor livro de formação das pessoas. Deus tem muitos jeitos de nos educar. Muitas maneiras de educar e formar o seu povo. Até o presente momento, a nossa Comunidade Paroquial – Santuário São José Operário, tentando levar ao pé da letra este mandato Bíblico. O DÍZIMO é um modo bonito de nos fazer compreensivos com os outros irmãos e paroquianos. É uma maneira de nos ajudar a sermos delicados com Deus e agradecidos a Ele. DÍZIMO é um ato comunitário. O DÍZIMO é uma grande força evangelizadora para criar, sustentar e firmar uma comunidade de fieis que praticam uma mesma fé e um só batismo. O DÍZIMO é num instrumento que ajuda na educação das pessoas para viverem em comunidade. Não de uma comunidade dividida, mas de uma comuni- dade unida, batalhadora e sobre tudo fraterna (como irmãos em Cristo). Queridos amigos paroquianos, a comunidade existe quando acontece a partilha dos problemas e das graças alcançadas e juntos, todos os membros, buscam uma solução aos vários problemas que podem acontecer e desta maneira, ajudar toda Paróquia a caminhar sempre unidos em busca de uma união que sirva para o bem comum de todos. Nenhum dos paroquianos tem que ser uma ilha. Todos unidos e alegres caminharemos sempre pelos caminhos que um dia levarão a desfrutar de uma felicidade que não terá fim. Queridos amigos, seja você também um DIZIMISTA fiel a Deus e a Igreja de Cristo. E que Deus lhe pague por tanta generosidade e doação em favor de todos nós, que formamos esta Paróquia-Santuário. DIGAMOS SEMPRE SIM AO DÍZIMO! Um abraço do fiel amigo, Pe. Nilson da Silva Vigário Paroquial EAsmpaaçnohã - Cyber Café - Tai Chi Chuan - Acumpultura - Florais - Massoterapia BISCUIT - PROMOÇÃO: 1ª AULA GRÁTIS Refrigeração Bom Clima Assistência Técnica Especializada Câmaras e Balcões Frigoríficos, Freezer, Geladeiras e Máquinas de Lavar Telefone: 5873-2618 Av. Comendador Santana, nº 959 Tel. 5873-3032 / 9308-1486 - Sr. Augusto R. Marco Basaiti, nº 8 - Capão Redondo www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 6

Página-6 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Festa de Corpus Christi Julho - 2017 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 7

Julho - 2017 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Página-7 www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 8

Página-8 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Julho - 2017 PROGRAMAÇÃO DA PARÓQUIA SANTUÁRIO SÃO JOSÉ OPERÁRIO www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 9

Julho - 2017 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Página-9 FENÔMENOS SOBRENATURAIS POSSESSÃO a tentação que sofremos, ele não nado da nossa vida para que vivapode ser simplesmente aprisionado. mos felizes e próximos de Deus. Se uma pessoa quer amar ela não consegue deixar de amar porque foi proibida, e nem deixar de rezar, por mais que lhe proibam. Deus é Amor! Recordemos aqui meus irmãos da passagem que Pedro orienta Jesus para não obedecer ao Pai e Jesus veementimente diz “Afasta-te satanás! Você é para De forma que alguns tre- mim uma pedra de tropeço, porque chos da Sagrada Escritura servem não pensa nas coisas de Deus e sim mais como catequético do que como nas coisas dos homens” Mt 16,23 Vivemos num tempo em que tantas pessoas falam sobre fenômenos sobrenaturais livro histórico. De forma que o diabo não é aprisionado como foram aprisionados os apóstolos após a ressurreição de Jesus. Quando foram instruídos pelo Espírito Santo de que deveriam anunciar o Evangelho por Quantas vezes tomamos uma posição diferente da exigida por Deus nos seus mandamentos? (cf Dt 6, 17; 30, 11) e outros trechos que Ele pede que fiquemos com Ele, para nos preocuparmos com e falam de uma maneira que as- toda a região. Ali eles foram acor- tantas outras situações? Isto sim é susta aos menos informados. Mui- rentados e presos em cadeias. (cf. o satanás nos falando dos prazeres, tas vezes não é por maldade, mas At 12) O Senhor os libertou depois. comodismos que nos tentam, faci- por ignorância do assunto, porque lidades nos afastando da verdade. ela desconhece e quer interpretar como acha que entende ou pensa que o que entendeu seja a verdade. Muitas passagens da Sagrada Escritura precisam ser melhores interpretadas e não podemos ler um escrito de milhares de anos com nossa interpretação de hoje, é preciso uma inculturação da leitura, isto é, saber quem escreveu, em que contexto foi escrito, como acreditavam na época, que conhecimento aquele povo tinha acerca do assunto. Por exemplo: hoje não tem sentido ler uma passagem que diz “Não faça para ti imagem de deuses, qualquer representação do que existe no céu, na terra ou nas águas que estão debaixo da terra” (Ex20, 4) esta passagem mostra que adoração a deuses falsos, mas hoje, não se faz mais essas imagens, não A Sagrada Escritura deve ser lida como livro de Estudo da Palavra de Deus. Outros trechos que precisam de muita cautela quando se lê: (Mt 8, 28-34; Mc 5, 1-20; Lc 8, 26-40). A cura dos gerasenos possessos. Uma interpretação um pouco pobre diz que o jovem estava possesso, entendendo como possessão, ação do demônio sobre uma pessoa. Pensemos que ele estava perto de Jesus. E quem está perto de Jesus encontra a paz a tranquilidade, a cura e não o tormento. Expliquemos um pouco: A cidade de Gerasa ficava a uns 60 km do mar da Galileia, tinha uma população de doentes e pessoas sem família que costumava habitar nos túmulos que por ali havia e tinha um precipício íngreme. Os detalhes Ouçamos também Paulo (Rm 8, 31) quando nos fala que Deus está conosco então nada está contra nós. Caríssimos irmãos o que escrevo, não é do demônio mas esclarecer que não precisamos temê-lo, porque mesmo que o diabo esteja rodeando (1Pe 5,8), procurando os desavisados para tão logo devorar, se nos colocamos nas mãos de Deus, estamos seguros e protegidos. Não precisamos ficar instigando-o e falando dele, pois quando falamos de alguém este sim, atende e vem ao encontro de quem fala com ele. Temamos sim é a Deus. Alguns trechos também falam de demônio, satanás, diabo e outros títulos que por ignorância achamos que é a mesma coisa entretanto misturamos e usamos as fórmulas erradas. Mas somos politeístas (crer em vários deste homem, inválido, e doente, deuses) só acreditamos num Deus. “dominado pelo demônio” repre- Este mandamento foi escrito para o povo que fazia estátuas, monumentos e adoravam estas artes. Essas obras de mãos humanas e não senta bem a situação da humanidade de muitas partes do mundo. Pessoas empobrecidas e exploradas pelo consumismo e escravas do capitalismo. recuperação serviço Alcoólicos Anônimos Fundada: 10/06/1935 ( Grupo Reconstrutores de Vida de A. A. ) deviam ser adoradas. Nós adoramos somente o Deus verdadeiro. Confiramos passagens que podem trazer dúvidas se não bem interpretadas: Uma passagem que fala do satanás, encontramos em Apocalipse (20,1-3). Neste trecho lemos Lembremos que o ser humano é o bem precioso de Deus. (Is 64,8) “Obra de sua mão”. É um bem que Deus protege como a coisa mais preciosa Dele. O diabo quer destruir o que é de Deus, portanto quer destruir o que é do bem, o homem. unidade Formado: 22/07/1973 Se alguém que você conhece estiver com problemas com bebidas Alcoólicas ‘ Procure-nos ’ Reuniões: 2ª, 3ª, 4ª, 6ª às 20h - Sábado às 19h Informações: 3315-0216 / 3315-0040 Rua Abílio César, 26 Sala 05 CEP: 05881-020 Jd. Soraia - Capão Redondo - SP DESDE JANEIRO /2016 que um anjo desce do céu com uma corrente pesada para “acorrentar a velha cobra que é o satanás”. Lembremos que cobra não é o animal que Deus criou e viu que tudo que fizera era bom. (Gn 1, 21) Lembremos que satanás é Nós nascemos bons, como o bem. O mundo é que nos “estraga”, colocando em nós valores que contraria a forma como fomos criados, com outras palavras, o pecado. O pecado sim nos afasta de Deus. Ele sim precisa ser elimi- www.santuariosaojoseoperario.org.br isto poderemos deixar para outro mês; Esclarecimento e dúvidas comentaremos outra vez. Para este mês vamos pedir somente auxílio de Deus e nada do outro. Mesmo que o ladrão tenha muito dinheiro, peçamos de quem tem dinheiro honesto, limpo. Isto é apenas exemplo, pois Deus nem tem pouco e nem tem menos do que o ladrão. Apenas exemplificamos que precisamos invocar o nome de Deus nas ocasiões que encontrarmos com dor ou em dificuldade. Um abraço PS. Se alguém quiser fazer alguma pergunta ou algum esclarecimento, pode fazer pessoalmente em meus atendimentos. Pe. Wagner Fernandes Vi gário Paroquial

[close]

p. 10

Página-10 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores ANUNCIE AQUI Este espaço está reservado para você! 5873-2009 santuario@santuariosaojoseoperario.org.br Faça-nos uma visita na Secretaria do Santuário Julho - 2017 MELLO FARMA DROGARIAS Medicamentos e Perfumaria em geral Telefone: 5872-6763 Rua Abílio Cesar, nº 3 Capão Redondo - SP CAFÉ COHAB Maria Rodrigues Vieira Panificadora Pães, Doces, Salgados Bolos,Tortas e muito mais Aceitamos encomendas Rua Abílio Cesar, nº 179 - Jd. Jangadeiro LOJAS KENZO Enxoval para bebê e roupa infantil Tel.: 5873-2620 Av. Comendador Santana, nº 957 Capão Redondo - SP MELLO FARMA DROGARIAS MELLO - 2 MEDICAMENTOS E PERFUMARIA EM GERAL Disk-entrega grátis 5873-8309 5873-8094 9.4642-6669 R. Henrique Sam Mindlin, nº 39 Capão Redondo - SP ADVOCACIA * Civil * Trabalhista Arabela Santos (Advogada) * Família * Criminal e Empresarial * Aposentadoria E-mail: arabelasantos@uol.com.br RUA JOÃO ROBALO, 17 - JD SORAYA SÃO PAULO - CEP 05881-000 FONE/FAX 5873-4588 / 5873-2320 - CEL. 9136-9382 ANUNCIE AQUI Este espaço está reservado para você! 5873-2009 santuario@santuariosaojoseoperario.org.br Faça-nos uma visita na Secretaria do Santuário www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 11

Julho - 2017 Jornal São José Operário Com Jesus somos mais que vencedores Página-11 Os mais sinceros votos de Paz aos Dizimistas do mês de Julho/2017 SANT. DIOC. SÃO JOSÉ OPERÁRIO ADRIANA DE CASSIA P. SANTOS ADRIANA FERREIRA DA SILVA ADRIANE APARECIDA SOARES AGUIMAR DE ASSIS SANTANA AILTON PINHEIRO CARVALHO ALAÍDE DA SILVA SANTOS ALDEMIR DA SILVA LIMA ALESSANDRA DOS SANTOS SILVA ALESSANDRA P. LIMA ALESSANDRO DO NASCIMENTO ALEXANDRE DA SILVA ALLAN DUTRA DE SOUZA ALVINO DE OLIVEIRA LIMA AMARA S. C. MELO AMARO CAETANO SILVA ANA CAROLINE DA SILVA ROQUE ANA LUCIA P. CRUZ EFIGÊNIO CÂNDIDO ELBER RAMOS DA SILVA ELEUSINA CARVALHO DA S. LIMA ELIANE CORDEIRO DE OLIVEIRA ELISÂNGELA FERREIRA DA CUNHA ELISNETE GOMES LARANJEIRA ELIZABETH DE OLIVEIRA SANTOS EMÍLIA AZEVEDO CORNÉLIO EMÍLIO C. MAZERA ERIKA DA SILVA FRANCK ERMELINDA CONCEIÇÃO ERMIZA APARECIDA A. SANTOS EUDES ROSILDA S. ROCHA EUGÊNIO BARBOSA DE OLIVEIRA EUNICE DOS SANTOS VIEIRA EVA MARIA LUCCO FÁBIA CORREIA DE S. DOS ANJOS FÁBIO DOS SANTOS LARANJO JULIO JESUS DOS SANTOS JUSTINA BARBOSA OLIVEIRA JUVENAL DA PAZ FONSECA KAROLYNE VEIGA DE OLIVEIRA KELLY REGINA SOARES CHAVES LAUDELINA FERREIRA MONTEIRO LAURITA RAMOS LEANDRO SILVA DIAS LENICE SÃO LEÃO O. DOS SANTOS LOURDES SANTANA FERREIRA LUCIA MARCIA MENDONÇA FARIAS LUCIA MARIA DA ROCHA MESQUITA LUCIA MARIA FERREIRA DA SILVA LUCIANO DA SILVA LUCINEIDE BENVINDO DE ARAÚJO LUIS CARLOS MORAIS LUIZ NETO DA SILVA LUIZA VICENCIA DE A. SILVA MARINALVA BARBOSA DA SILVA MARINES PORTO LIMA MARINETE ISABEL DA CONCEIÇÃO MARIZETE M. SILVA DO NASCIMENTO MARLENE DOS SANTOS NADJA CRISTINA SANTANA NEUZA FELIX DA SILVA NILCE OLIVEIRA PEREIRA NORNA NOVAES AMORIM ORDI ALVES DE ARAÚJO ORLINDA DE JESUS MARTINS OSMARINA PEREIRA MARQUES OSVALDO GUAROLIANO S. PATRICIA MARIA DA S. GUIMARÃES PEDRO ALVES DA SILVA PEDRO MOREIRA DA COSTA RAFAELA COSTA SANTOS RAFAELA DOS SANTOS FRANÇA FRANCISCO DE SOUZA SANTANA GRACIELLE ALVES NEVES JOÃO PACHECO MUNIZ JOSEFA APARECIDA DA SILVA KATIA KUNZE GARZON ARAÚJO LEONARDA GONÇALVES LINDALCI LIMA AGUIAR MAGALI SOARES PINTOR MARIA APARECIDA LOPES MARIA ARLETE J. DA SILVA MARIA DO CARMO F. DE L. SILVEIRA MARIA DO PERPÉTUO S. DA S. SOUZA MARIA MADALENA DA SILVA MARLENE ALVES MARTINS REGIS FABRÍCIO M. MOREIRA ROSA SILVA LIMA SÔNIA SIMÕES VITOR TATIANE MARIA DA SILVA ANA MARIA SOARES DA S. LOPES FÁBIO LUIZ DA S. BERNADINO Mª JOSÉ DA SILVA RAFAELA RIBEIRO DE OLIVEIRA TEREZA CRISTINA PINTO ANA NEUZA DOS SANTOS SOUZA FABÍOLA APARECIDA GREGÓRIO MADALENA LOURENÇO AUGUSTO RAIMUNDA BARRETO COSTA VICENTE PEREIRA DO AMARAL ANA PAULA ROCHA GONÇALVES FLORÍPES DIAS CERQUEIRA MADALENA VIEIRA REGIANE CRISTINA DA CRUZ VIRGÍNIA CASTELLO OLIVEIRA ANA ROSA RAMOS DE OLIVEIRA FRANCISCO DE ASSIS TABOSA MANOEL NUNES IBIAPINO REGINALDO A. DOS SANTOS ANA SANTANA SANTOS FRANCISCO VALDERI SILVA MARCIA MATOS DE MELO RICARDO ALEXANDRE DOS SANTOS CAPELA SÃO PEDRO ANA SENA DE ABREU ANAIR GUSTAVO DA CONCEIÇÃO ANATALIA DOS SANTOS ANDREIA COSTA SILVA ANDRESSA DE JESUS OLIVEIRA ANGELINA CARDOSO DOS SANTOS ANGELINA SILVA MARTINS ANTÔNIA SENA DE ABREU ANTÔNIO CARLOS DE ALMEIDA ANTÔNIO DOS SANTOS LIMA ANTÔNIO ERISVAN ARAÚJO ANTÔNIO PEREIRA DA SILVA ANTÔNIO MIRANDA DA GAMA APARECIDA GOMES TASSO ARCENIA DE OLIVEIRA SALES ARNOLDO JOSÉ SEILER BELEIDE APARECIDA DE MELO CATARINA APARECIDA DE ANDRADE CÉLIA V. DO SACRAMENTO CICERO ANTÔNIO DE SANTANA CLÁUDIO CONCEIÇÃO DA SILVA CLÉA FELICIANA DE JESUS FREDERICO JOSÉ DA SILVA GABRIEL RIBEIRO GONÇALVES SILVA GEOVANA ROCHA DE SOUSA GUARACINÉIA ANGELA DE SILVA GUILHERME BARRETO DE SOUZA GUSTAVO LOPES SOUZA HELENA DE P. PIRES FELIPELI HILDA MARIA DE JESUS IRENE ROSA COELHO DE LIMA IRENE SANTOS BANDEIRA IRENE XAVIER DIAS CARLOS ISABELA C. N. DA SILVA ISAIAS CORREIA DA SILVA JAIME LUCAS DA CRUZ JAIR RIBEIRO RODRIGUES JOÃO MARCELO/LUCIMARA/PEDRO JOÃO ROBERTO PALÁCIO ROCHA JOAQUIM VITAL DO CARMO JOSÉ ABELARDO JOSÉ ARRUDA DA SILVA FILHO JOSÉ CORREIA SOBRINHO JOSÉ DA SILVA MARCIA PEREIRA VIANA SANTOS MARIA ANTONIA DA SILVA MARIA APARECIDA DOS SANTOS MARIA APARECIDA B. SANTOS MARIA APARECIDA S. DOS SANTOS MARIA AUXILIADORA DA SILVA MARIA CELINA DE ABREU MARIA CIRLENE LIMA DOS SANTOS MARIA DA GUIA SALVIANO ALMEIDA MARIA DAS GRAÇAS MARTINS MARIA DAVINA DE SOUSA MARIA DE FÁTIMA NASCIMENTO MARIA DE LOURDES ARAÚJO ROCHA MARIA DE LOURDES DA S. SOARES MARIA DE LOURDES DA SILVA II MARIA DE LOURDES M. MIRANDA MARIA DE LOURDES VIEIRA RAMOS MARIA DO CARMO E. DA SILVA MARIA DO CARMO M. DOS SANTOS MARIA DO ROSÁRIO FERREIRA MARIA DOS SANTOS TIMÓTEO MARIA EDILEUZA B. SOUTO ROBERTA FERREIRA GABRIEL ROBERTO OLIVEIRA DE SOUZA RODOLFO KRUGER RONIE NASCIMENTO DE ANDRADE RUBENS MOREIRA DIAS SANDRA C. COSTA SANTOS SEBASTIÃO ERNESTO RIBEIRO SELMA F. DA S. OLIVEIRA SILVANA JESUS DA SILVA SILVANA MACHADO BRUM SILVANA OLIVEIRA GONÇALVES SILVESTRE RUFINO SOUSA SOCORRO FERREIRA GONÇALVES SONIA TEIXEIRA DE SOUZA STEFANI MENDONÇA TALITA RAMOS ALVES TATIANE MARCIA DA COSTA TEREZA SILVA DE LIMA TEREZINHA PEREIRA DE JESUS TEREZINHA VIEIRA DE SOUZA THAIS SOUZA DA SILVA VALDECINA SANTANA ALINE CARVALHO SILVA AMARA ANTÔNIA DA SILVA ANDERSON CRUZ DE SOUZA ANDRESSA SILVA PEQUENO ANGELINA SILVA MARTINS ARIANE BARROS DA SILVA CARLOS SILVA DOS SANTOS CASSIA C. ROSA DAIANA ARCANJO GOMES DAIANA DE ANDRADE ALVES FILOMENA CONCEIÇÃO FRANCISCO DE ASSIS DOMINGOS GERALDO MAGELA GUEDES GETÚLIO JACINTO DE MATOS GILBERTO BARBOSA DOS SANTOS GISLAINE DE PAULA JANETE ELIAS DOS SANTOS JEFFERSON BARBOSA E SANDRA LIMA JOSÉ FERNANDES VIANA JOSEFA ALVES DA SILVA KARINA CRISTINA TEIXEIRA KASSIA GOUVEIA DOS SANTOS CLÉLIA MARIA AMBRÓSIO JOSÉ DOMINGOS DE ARAÚJO MARIA GENILDE DA SILVA VALDETE RIBEIRO DA SILVA LEILA BARBOSA ALVES MARTINS CLEONICE DA SILVA JOSÉ EDVANIO FRESENA DA SILVA MARIA GERLANDIA FREITAS VERA LUCIA ALVES DE BESSA LUCIMARA L. BATISTA DE MATOS CLEONICE FERNANDES DE OLIVEIRA JOSÉ HELENILTON F. DA SILVA MARIA GORETE DE S. X. GONÇALVES VERA LUCIA DO ESPIRITO SANTO MARIA DAS DORES DE MIRANDA CLORIS ALBA DE CARVALHO JOSÉ ENAZIO LIMA MARIA IVONE FERREIRA VERANICE PEREIRA GOMES MARIA IVANILZA CONCEIÇÃO MATHEUS DE JESUS JOSÉ FERNANDES SILVA MARIA IZABEL FERREIRA VERÔNICA XAVIER ALVES MARIA JOSÉ HENRIQUE RAMOS CORACI MARCIANO DA CRUZ JOSÉ FERNANDO DA SILVA MARIA JOSÉ BARBOSA DA SILVA VIRGÍLIO MANOEL DA SILVA MARIA JOSÉ PAIVA FERNANDES CRISLAINE R. BARBOSA CARVALHO JOSÉ GERALDO GOMES DA SILVA MARIA JOSÉ L. SANTANA VITOR PAULO GUEDES PEDROSA ROSELI APARECIDA DOS S. BARBOZA DANIEL BARBOSA DO NASCIMENTO JOSÉ INACIO DA SILVA MARIA LUCIA DA SILVA REIS WAGNER AP. DA COSTA ROSEMARY DOS SANTOS DANIELA SANTANA SILVA JOSÉ MARQUES DA COSTA MARIA LUCIA DE JESUS WAGNER BARRA RUBENS DE LIMA DOS SANTOS DANILO NASCIMENTO SANTOS JOSÉ PEDRO BATISTA MARIA LUCIENE NUNES COSTA SOUSA WAGNER M. DE CARVALHO REIS SANDRA ALVES DAYANE N. FUGIMOTO JOSEFA DE MELO ALVES MARIA LUZINETE GOMES DE ARAÚJO ZÉLIA DE FÁTIMA BEZERRA SIDNEY LEANDRO DIONIZIO DONIZETE LOPES JOSEFA MARIA DE ANDRADE SILVA MARIA MADALENA S. ALBUQUERQUE ZELITA DIAS JARDIM MAGALHÃES THAMIRES ALVES DE SOUZA DOMINGOS OLIVEIRA DOS SANTOS JOSEFA P. DA SILVA SOUZA MARIA NEIDE DIAS FERNANDES ZILDA MARIA CORREA PASTOR VIVIANE OLIVEIRA DOS SANTOS EDILENE DE JESUS SOUSA JOSILEIDE SOUZA BASTOS COSTA MARIA PEREIRA PARDINHO EDIVALDO RODRIGUES FIGUEIREDO JULIANA B. OLIVEIRA CORREA MARIA RITA DA SILVA LIMA CAPELA SÃO VICENTE EDNA SANTANA COSTA DA SILVA JULIO BENTO DE MORAES MARIA SABINA DA SILVA LICURGO CLAYTON DE SOUZA OLIVEIRA EDVAN AMORIM JULIO DOS SANTOS CRAVEIRO MARILENE BARBATO DANIELA ALVES MARTINS “Pagai integralmente os dízimos ao tesouro do templo, para que haja alimento em minha casa” (Malaquias 3, 10) www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

p. 12

www.santuariosaojoseoperario.org.br

[close]

Comments

no comments yet