Jornal Sinpol 244 - Junho

 

Embed or link this publication

Description

Edição 244, Junho 2017

Popular Pages


p. 1

Junho de 2017 O jornal mais lido e aguardado entre os policiais civis - Ano XXIII - Junho de 2.017 - nº 244 EUMAURI É REELEITO O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, foi reeleito para mais um mandato. Ele venceu o pleito realizado entre os dias 29 de maio e 02 de junho e dentro de alguns dias inicia seu sétimo mandato à frente do sindicato. Na diretoria desde os tempos de APOCIRP, Eumauri nunca perdeu uma eleição. Veja como foi o pleito na página 09. DIG RIBEIRÃO DESARTICULA QUADRILHA E MAIS 4 Polícia Civil de Guatapará flagra furto de carga em trem; 4 Em São Carlos, caixão vazio é sepultado para golpe do seguro; 4 Acompanhe a animação do Dia das Mães na Chácara do Sinpol; 4 DIG São Carlos esclarece homicídio causado por briga entre crianças; 4 DIG Franca prende homem que atirou seis vezes em namorada e ainda a atropelou na fuga; 4 Veja em Radar e Parabólica as ações que foram destaque entre policiais civis da região; 4 Jurídico obtém várias vitórias para associados. DELEGACIA SECCIONAL CANCELA PLANTÃO REGIONAL Grupo era especializado no furto e roubo de veículos a diesel com até 20 anos de uso. Roubavam, pediam resgate ao dono, desmontavam os veículos, compravam a carcaça com a documentação, remontavam os veículos e revendiam. Quadrilha era muito organizado. Veja na página 02. Após reclamação de juiz da cidade de Santa Rosa de Viterbo, a Seccional de Ribeirão Preto suspendeu, por determinação da SSP, o plantão regional, onde moradores de 14 cidades da região eram obrigados a se deslocar até Ribeirão Preto no horário de plantão para registrar ocorrência. Policiais Militares e Guardas Municipais daquelas cidades também teriam que se deslocar para flagrantes em trajetos de até 100 quilômetros. Veja na página 05. Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br

[close]

p. 2

02 AÇÃO Junho de 2017 DIG REALIZA OPERAÇÃO CLÁSSICOS Especializada realizou minucioso trabalho que descobriu várias frentes de atuação de quadrilha especializada no roubo de veículos à diesel Policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto, que integra o Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) realizaram mais uma grande operação e desmantelaram uma quadrilha especializada no furto e roubo de veículos à diesel, preferencialmente com 20 anos de uso. A forma de ação da quadrilha era bastante complexa, atuando em várias frentes. As investigações, segundo a Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado de São Paulo, tiveram início há cerca de um ano, após o cruzamento de dados entre o aumento considerável nos crimes de roubos e furtos de veículos na região, sobretudo com o perfil dos automóveis preferidos pela quadrilha. A ação deflagrada no dia 10 de maio pela DIG foi batizada de “Operação Clássicos”, em alusão à forma como são chamados os veículos antigos e robustos. Muitos são considerados clássicos e até objeto de desejo de muitos colecionadores e restauradores de veículos antigos. Coordenados pelo dr. Alexandre Daur Filho, os policiais civis foram às ruas para cumprir 23 mandados de prisão expedidos pela Justiça, nas cidades de Ribeirão Preto, São Carlos, Franca, Dourado e Leme, todas localizadas no interior do Estado. Uma das frentes de atuação dos criminosos era roubar ou furtar o veículo usado, geralmente caminhões e caminhonetes antigos, com até 20 anos de fabricação. Em seguida, ao descobrirem que o proprietário não possuía seguro contra furto e roubo e, de posse dos dados pessoais da vítima, iniciavam uma negociação, com o objetivo de obter uma quantia em dinheiro para que o dono pudesse resgatar seu bem. Se a negociação não prosperasse, a quadrilha passava então a trabalhar na adulteração de placas e chassi dos veículos, “esquentando-os” com documentação e placas de outros veículos semelhantes que estavam legalizados. Neste processo, eles chegavam a alterar a cor dos veículos para poder utilizar com os documentos que possuíam. É aí que entra a terceira frente. Parte do grupo era especializada em buscar veículos depenados para comprar as carcaças, supostamente para utilizar em revendas de peças usadas. Mas na verdade, o grupo queria mesmo ter acesso somente aos documentos para remontar as caminhonetes e caminhões utilizando similares furtadas ou roubadas. Havia casos onde integrantes da própria quadrilha se encarregava de desmontar os veículos roubados ou furtados e deixá-los para serem localizados. Então outros elementos da quadrilha propunham a compra junto ao dono vítima do roubo ou furto e “esquentavam” outros veículos. Parte dos veículos seguia para o estado da Bahia, onde despachantes atuavam na legalização dos mesmos. Em entrevista à imprensa, dr. Daur Filho explicou a forma de atuação da quadrilha. “Muitas vezes também, caminhonetes encontradas depenadas, eles compravam das vítimas, na verdade, para ter acesso somente ao documento e remontavam essas caminhonetes usando caminhonetes roubadas”, explicou o delegado. Eram em sua maioria conhecidos nos meios policiais. “São todos conhecidos pela prática dos mesmos crimes. Inclusive um dos que está preso pagou, recentemente, R$ 10 mil de fiança ao ser preso com um caminhão furtado. As diligências prosseguem nas cidades da região”, explicou o dr. Daur Filho. Dos 23 mandados expedidos pela Justiça, os policiais civis conseguiram prender 14 suspeitos de integrar o grupo. Outros nove não foram localizados e passaram a ser considerados foragi- dos. As investigações prosseguem para localizar sito no processo. O grupo vai responder por rouos outros envolvidos e buscar identificar se havia bo e furto, receptação e adulteração e veículos, a participação de funcionários de órgãos de trân- além de associação para o crime. Veículos apreendidos pelos policiais civis durante a Operação Clássicos, realizada pela DIG Ribeirão Preto

[close]

p. 3

Junho de 2017 GUATAPARÁ 03 OPERAÇÃO SOLUCIONA FURTO DE AÇÚCAR Grupo agia roubando carga de usinas da região; graças a trabalho de Inteligência Policial, vários envolvidos foram presos em flagrante Na madrugada de 05 de maio, os policiais civis de Guatapará, na região do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), com sede em Ribeirão Preto, se depararam com um crime que vem crescendo muito nos últimos anos. Trata-se do furto de carga com açúcar. Não só o produto em questão possui um valor de venda bastante elevado – cerca de duas vezes o preço do açúcar usual no comércio brasileiro – como a quantidade de mercadoria subtraída também era caracterizada pela grande proporção: cerca de quatro toneladas a cada ação da quadrilha. O delito só foi possível devido a outra especificidade do ocorrido: o furto ocorreu em um trem de carga que levava o açúcar desde Pradópolis até o porto da cidade de Santos, com destino à exportação em países da região ocidental do continente europeu. Tais fatos atípicos, contudo, não surpreenderam a Polícia Civil de Guatapará. Esses profissionais já monitoravam a quadrilha e região onde o trem seria abordado e planejavam a operação conjunta com a Polícia Militar, que acarretou no flagrante dos envolvidos nesta ação criminosa. O delegado de Guatapará, dr. Jorge Miguel Koury Neto, planejou minuciosamente a ação. Cientes do valor da mercadoria transportada, os suspeitos esperaram até que o trem parasse para realizar uma troca de maquinistas. Quando isso ocorreu, o grupo já estava posicionado distante do início do trem. Como o veículo possui cerca de um quilômetro e meio de vagões articulados, dificilmente poderia ser detectado pelos profissionais da ferrovia. Assim sendo, a dupla de suspeitos que estava à espreita pôde facilmente abrir um dos compartimentos onde havia o açúcar valioso e despejá-lo pelas portas do vagão. Na sequência, os dois colocaram a maior quantidade do produto que puderam em sacos de 50 kg, que posteriormente dispunham no automóvel utilizado para transportar a mercadoria furtada. Nesse momento, contudo, os policiais, comandados pelo dr. Jorge, realizaram o flagrante. Não fosse a operação impedi-los, a ação criminosa continuaria da seguinte forma: o açúcar especial seria levado para um rancho às margens do Rio Mogi-Guaçu, que cruza a cidade de Guatapará, a cerca de cinco quilômetros do centro da cidade. Nesse local, outro integrante da associação criminosa aguardava a chegada da mercadoria para prepará-la para a venda. Assim como a dupla que atuava diretamente no trem, o mesmo foi prontamente detido pelos policiais. Posteriormente, também foram identificados integrantes responsáveis pela venda do açúcar roubado. O delegado responsável pela equipe de policiais civis que trabalham nesse caso, dr. Jorge Miguel Koury Neto, explica que a quadrilha está dividida em duas associações criminosas: um grupo é encarregado do planejamento e outro de levar o furto à cabo. Sua equipe pode identificar isso porque a quadrilha já havia realizado furtos semelhantes, demonstrando conhecimento de suas mercadorias e das circunstâncias que enfrentariam durante a ação criminosa. Dr. Jorge planeja os próximos passos da operação, visando trabalhar em conjunto ao núcleo de inteligência de Ribeirão Preto, maior cidade nas proximidades, para compreender a conexão entre as associações criminosas. As investigações Fotos: Polícia Civil de Guatapará prosseguem com o intuito de identificar quem compraria a mercadoria e de encontrar os suspeitos responsáveis pela venda do açúcar valioso. Por: Mariana Luque Dr. Jorge planejou e coordenou a ação que resultou na prisão de integrantes de quadrilha especializada no roubo e comercialização de açúcar; boa quantidade do produto foi apreendida com os acusados

[close]

p. 4

04 EDITORIAL FALTA CORAGEM À NOSSA CHEFIA Chamou a atenção e motivou minha admi- Polícia Civil está às moscas. É essa situação das 14 cidades que compõem nossa ração a postura corajosa do novo Comandante na DGP. É a mesma situação no Deinter-3. Seccional. Só que isso é absurdamente im- Geral da PM, coronel Nivaldo Cesar Restivo Nosso diretor, por mais que mereça respeito, produtivo e prejudicial à segurança. Imagine ao jornal Folha de São Paulo, no dia 28 de parece ter se esquecido das necessidades do uma viatura tendo que sair de Santo Antonio maio. Ele demonstrou coragem e como deve policial civil. Talvez para se manter no cargo, da Alegria, por exemplo, para vir até Ribeirão se postar um verdadeiro líder. que todos sabemos, é político. Preto fazer um flagrante no meio da noite. Acabou de assumir e recebeu, entre tan- Mas o cargo do coronel Restivo também é Quantas outras viaturas a cidade vai contar? tas outras perguntas sobre a PM, o seguinte político. No entanto, ele teve coragem de Talvez nenhuma outra. Ficará sem seguran- questionamento: “O senhor depende de poli- escancarar. Coragem essa que também falta ça. ciais motivados. Como mantê-los motivados em nossa Seccional de Ribeirão Preto. Vemos Apenas para maquiar uma situação que sem reajuste salarial há três anos?”. trapalhada em cima de trapalhada estar sen- só vai se resolver quando Alckmin tiver a dig- Ele não se fez de rogado e respondeu: do feita apenas e tão somente para esconder nidade, a decência de contratar recursos hu- “Lógico que fator econômico é algo a ser mui- que não dispomos de recursos humanos. manos em número verdadeiramente necessá- to considerado, mas a motivação pode vir de Estamos chegando a um quadro que é exata- rio para atender a população. outras maneiras. De oferecer condições dig- mente a metade do que realmente precisa- Estamos cansados. Somos muito mal pa- nas de trabalho, reconhecer o que ele está mos. gos. Essa situação de mais um ano sem rea- praticando, mostrar que ele é muito importan- Quem mais se prejudica com essa falta de juste é inaceitável. A inflação vem subindo, mas te para uma instituição quase bicentenária e competência, de atitude, de coragem? Justa- o governo, de forma incompetente, vem im- também para a população. Lógico que a moti- mente a população. Juntaram oito delegacias pondo uma cruel negativa de nosso direito, vação não paga contas que chegam ao final em três. Deram um nome bacana pra justifi- ao de reposição salarial anual, como toda e do mês”, acrescentou o coronel. car. Mas a dificuldade de trabalho é a mesma. qualquer categoria de trabalhadores. E nos- Nova pergunta: “A reposição é necessá- Não tem que fechar delegacia para juntar nada sa chefia, seja o senhor secretário da Segu- ria para este ano, não dá para esperar?”, ao com coisa nenhuma. Tem que abrir mais dele- rança Pública, seja o DGP, seja o diretor do que ele respondeu: “Gostaria que essa repo- gacia para atender a população. Deinter-3, ou seja nosso Seccional, não faz sição fosse imediata... É algo que está dentro Fizeram o que fizeram e conseguiram não nada. Medo, falta de atitude e comprometimen- das nossas prioridades buscar a reposição agradar ninguém. Vereadores esbravejando. to. Falta de coragem. Incompetência. Ah, se como item de valorização do profissional”, O senhor prefeito evita falar a respeito, afinal, fôssemos policiais militares, ao menos tería- concluiu o comandante geral da PM. isso só ocorre porque seu mentor, o governa- mos uma chefia digna. Talvez essa seja a diferença. Na Polícia dor Alckmin, é o responsável por essa deca- EUMAURI LÚCIO DA MATA Civil, nosso delegado geral demonstra ser uma dência. Presidente do Sinpol (Sindicato dos boa pessoa. Mas jamais se aventuraria a bri- Agora nosso Seccional inventou de criar Policiais Civis da Região de gar por aumento. A PM está se organizando. A a CPJ da região, para tirar os policiais civis Ribeirão Preto) Notas Plano de Saúde 1 Atenção associados. Verifiquem a data de validade no cartão magnético do convênio São Francisco Saúde, especialmente dos dependentes que cursam faculdade. Para que não ocorra carência, a declaração escolar deverá ser enviada, impreterivelmente, 20 dias antes da data limite de validade. Na dúvida, confira o verso da carteira do plano de saúde, onde consta a data do término da validade. Não deixe para a última hora. Maiores informações na Central deAtendimento Sinpol, telefones (16) 3625-3890 / 3612-9008 / 3979-2627. Cantina para o Associado ACantina da Chácara do Sinpol, sob o comando de Paulo e Cristina, tem agradado bastante aos associados.Além de porções, aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos. A cerveja, o suco e o refrigerante estão sempre na temperatura ideal e constantemente há muitas novidades para os associados. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 99398-6912, com Paulo ou (16) 99398-8820 com Cristina. Atualização de dados Sinpol Para atualização de dados e de situação profissional, principalmente dos recém-aposentados, o Sinpol está promovendo um recadastramento de todos os associados. Participe da atualização e garanta o recebimento de toda correspondência que enviamos, procurando a Secretaria do Sinpol, ou enviando e-mail para secretaria@sinpolrp.com.br. Atenção policial civil A diretoria do Sinpol alerta a todos os policiais civis associados que, se receberem intimação para comparecer à Corregedoria ou a qualquer outro órgão, para depoimento, busquem antes orientação no Departamento Jurídico do sindicato. É direito constitucional que em todo e qualquer depoimento, o depoente esteja assistido por um advogado. Plano de Saúde 2 Devido a reclamações recebidas junto à Secretaria do Sinpol, a diretoria do Sindicato pede aos associados usuários do Plano de Saúde que confiram suas cobranças de coparticipação em consultas e exames relativos ao uso do convênio médico. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central deAtendimento do Sinpol, pelos telefones (16) 3612-9008 / 3625-3890. Atenção policiais civis O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, comunica aos associados que, caso necessitem de amparo na área jurídica relacionado à aposentadoria, assim como para acompanhar o andamento de ação já ajuizada, primeiramente entrem em contado com os diretores do Sindicato, através de nossa Central de Atendimento Sinpol, fones (16) 3612-9008 / 3625-3890 / 3977-3850 para oportuno agendamento com o dr. Ricardo Ibelli. Falecimentos A diretoria do Sinpol comunica, com pe- ocorrido em 11/05; legado Moyses Pereira dos Santos, ocorrido sar, os seguintes falecimentos: + Odair Pedro de Souza, investigador apo- em 24/05. + Lazinha Ferreira da Silva, mãe da sentado de Franca, ocorrido em 18/05; O Sinpol manifesta seus sentimentos aos carcereira Maria das Graças da Silva Garcia, + Violeta Barbosa dos Santos, mãe do de- familiares. Junho de 2017 EXPEDIENTE O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: secretaria@sinpolrp.com.br Diretoria: Presidente: Eumauri Lúcio da Mata Vice-Presidência: Célio Antonio Santiago, Darci Gonzales, João Gonçalo Palaretti, Dorlei Morales, Luís Henrique Maringolli de Lima e José Gonçalves Neto; Suplentes: Adilson Massei, Sérgio Ribeiro dos Santos, Luiz Henrique Batista, Carlos Henrique Carneiro Scarparo, Targino Donizete Osório,Adhemar Pereira da Costa e Cláudio Expedito Martins; Secretários: Fátima Aparecida Silva e Doracy Alves da Silva; Suplentes: José Álvaro Ament Júnior e Luís Henrique Zanoello. Diretores Financeiros: Júlio Cesar Machado e Carlos Henrique Pischiotini; Suplentes: José Angelo Marques e Josiane Kátia P. do Nascimento. Patrimônio: Arnaldo Vaz Ferreira; Suplente: Olavo Elias dos Santos. Conselho Fiscal: Prisclia Yoshi S. Hashimoto, Clévis Samuel Lors de Faria e Diva Rodrigues dos Santos; Suplentes: Robert Schmengler Guilhaume, Marisa Lelis Takata e Jefferson Pessoti; Delegados Sindicais: Antonio Carlos Schivo e Josiane K. P. de Souza; Suplentes: Décio Kury Marques e Hélio Augusto da Silva. O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR FOTOGRÁFICO: Júlio Castro REPORTAGENS: Mariana Luque O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Boleto bancário emitido pelo Laboratório de Notícias DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça investigador Antonio Pereira Alvin Aparecido Donizete Tremura Vanderlei Costa MarcosAntonio Fernandes EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores.

[close]

p. 5

Junho de 2017 REENGENHARIA 05 SSP CONFIRMA SUSPENSÃO DE PLANTÃO REGIONAL Seccional de Ribeirão Preto havia criado central permanente para atender casos de 14 cidades após as 18h e aos fins de semana; em ofício, juiz de Santa Rosa de Viterbo criticou mudança e alegou risco ao policiamento Durou pouco a nova fase do projeto de Reengenharia que vem sendo implantado pela Delegacia Seccional de Ribeirão Preto. No mês de março, foi anunciado o agrupamento dos então oito DPs (Distritos Policiais) que existiam na cidade para apenas três. A medida foi bastante criticada pelo Sinpol, por autoridades e pela população, que reclama da dificuldade no atendimento ter piorado em razão da necessidade de uma locomoção ainda maior para se chegar a uma delegacia. No dia 8 de maio, a Seccional de Ribeirão Preto iniciou a nova etapa da reengenharia, criando uma unidade exclusiva para o registro das ocorrências de 14 cidades que integram a Seccional.Após as 18 horas, todos os registros de ocorrência e flagrantes realizados nas cidades, deveriam ser encaminhados para Ribeirão Preto, no prédio onde funciona a CPJ (Central de Polícia Judiciária), no Centro da cidade, espaço também dividido pelas especializadas DIG (Delegacia de Investigações Gerais) e DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) e que antes também era a sede do 1º DP de Ribeirão Preto. A medida, no entanto, durou menos de 48 horas. No dia 10 de maio, o titular da SSP (Secretaria da Segurança Pública), dr. Mágino Barbosa Filho, que esteve em Ribeirão Para inaugurar o GAMESP, que vai cuidar da segurança pública da região metropolitana de Ribeirão Preto, confirmou a suspensão da mudança. “A gente vai estudar qual é a melhor alternativa para fazer frente a esse momento hoje de dificuldade de efetivo da Polícia Judiciária”, disse aos jornalistas ao ser questionado. “O Seccional de Ribeirão Preto e o diretor do Deinter-3 não são mágicos, nã oenfiam a mão na cartola para tirar policial. É só contratar policial civil, qualquer um sabe disso”, ironiza Eumauri Lúcio da Mata, presidente do Sinpol. Ao aglutinar oito distritos em apenas três prédios, o Seccional de Ribeirão Preto, dr. Marcus Camargo de Lacerda disse aos jornalistas que a medida teria sido estabelecida para melhorar o aten- dimento nos municípios cujas delegacias fecham à noite, nos finais de semana e feriados, e fariam registros por meio de um policial civil plantonista. Amedida iria afetarAltinópolis, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Guatapará, Jardinópolis, Luís Antonio, Santa Cruz da Esperança, Santa Rosa de Viterbo, São Simão, serra Azul, Serrana e Santo Antonio da Alegria. Com isso, policiais militares ou guardas civis dessas cidades teriam que viajar até Ribeirão Preto para registrar ocorrências na CPJ Permanente. O juiz Alexandre César Ribeiro, titular de Santa Rosa de Viterbo, através de ofício, criticou a medida, alegando que o sistema enfraquece o policiamento nas localidades, sobretudo aquelas com menor efetivo. “Não tem legalidade, as delegacias de Polícia devem trabalhar 24 horas por dia, ainda que em regime de plantão. Não tem sentido um policial ou cidadão andar 74 quilômetros para registrar um boletim de ocorrência”, afirmou o juiz em reportagem do Grupo EPTV. Ele teria enviado ofício à SSP no dia 9 de maio, questionando a viabilidade do novo sistema e os riscos de deixar cidades temporariamente sem policiais militares. Ele sugeriu que um delegado plantonista fique de prontidão para se deslocar às unidades policiais da região para o registro das ocorrências, quando necessário. “Na minha opinião, é um absurdo exigir de uma pessoa se deslocar 75 quilômetros para registrar um boletim de ocorrência ou um flagrante. Ao que me consta, o único lugar onde existe isso é na Seccional de Ribeirão Preto”, disse o juiz na reportagem da EPTV. Um comandante da Polícia Militar que pediu para não ser identificado diz que torce para que a situação se regularize. Ele informou que os policiais militares, além do deslocamento ida e volta, acabam perdendo muito tempo na CPJ, o que seria um problema a mais para a PM resolver. Segundo Eumauri Lúcio da Mata, a situação mostra com clareza o despreparo da cúpula da Polícia Civil e da Secretaria da Segurança em lidar com a questão da falta de efetivo. “Sempre denunci- surda ideia: vamos trazer os policiais civis da região amos que essa reengenharia penaliza sobretudo a também, vamos fechar delegacias nessas cidades, população, nosso principal interessado, nosso ver- ninguém vai reclamar. Não mesmo? Esse juiz, além dadeiro patrão. O governo se recusa a contratar de íntegro e lúcido, foi corajoso. Fez o que se espepoliciais civis em número realmente necessário. rava do secretário Mágino, do diretor do Deinter-3, Empurra com a barriga e inventa fórmulas imbecis do Seccional de Ribeirão Preto: defendeu a populapara tentar enganar o povo. Não funciona. Esse ção. Imagina uma viatura saindo de Santo Antonio Seccional vem com discurso vazio para justificar o da Alegria, rodando quase 100 quilômetros para um injustificável. Juntar delegacia é somar nada com flagrante. Uma hora para ir, uma hora para voltar e coisa nenhuma. Com o perdão da expressão, mas algumas horas de espera no plantão. E a cidade um só sendo idiota para acreditar nessa conversa. O viatura e PM a menos. Chega de tratar o povo como senhor diretor do Deinter não se mexe para trazer gado. Queremos mais policiais civis. Ponto final”, mais gente para nossa região. Aí alguém tem a ab- conclui Eumauri. De acordo com a proposta da Seccional de Ribeirão Preto, policiais militares e população de 14 cidades da região, quando necessário fosse, teriam que se deslocar até Ribeirão pra registrar ocorrências e lavrar flagrantes

[close]

p. 6

06 SOCIAL Junho de 2017 CENTENAS PRESTIGIAM DIA DAS MÃES NO SINPOL A Chácara do Sinpol recebeu um grande públi- evento. Uma feijoada especial foi preparada com A animação marcou o evento, que teve música além de muita confraternização. Confira nas fotos co para comemorar o Dia das Mães. Centenas de carinho para recepcionar o público presente, esti- ao vivo, barraca de algodão doce e pipoca, sorteio alguns dos principais momentos da Feijoada do Dia associados, familiares e convidados prestigiaram o mado pelos organizadores em 350 participantes. de presentes para as mães que estavam no local, das Mães.

[close]

p. 7

Junho de 2017 FRANCA 07 ACUSADO DE ATAQUE A MULHER ESTÁ PRESO Homem que atirou seis vezes contra ex-namorada e ainda passou com o carro por cima da vítima entregou-se na DIG Foto: www.popmundi.com.br As imagens captadas no estacionamento de um supermercado de Franca correram o Brasil e foram exibidas em vários outros países.As cenas são chocantes. Mostram uma mulher em fuga, que é alcançada por um homem que a derruba com violência. Em seguida, à queima-roupa, dispara seis vezes na região da cabeça da mulher caída. Ele sai correndo, enquanto pessoas próximas tentam se aproximar para socorrer a mulher caída no chão. Segundos depois, um veículo escuro aparece e passa por sobre o corpo da mulher caída. Em alta velocidade o veículo foge do local, enquanto um homem arrasta desesperadamente o corpo da mulher para tirá-la do caminho, evitando que ele tentasse voltar e atropelá-la novamente. O caso ocorreu no dia 25 de abril. O caminhoneiro D.L.P., de 52 anos, manteve um relacionamento extraconjugal com a vítima, J.P.F., de 36 anos por mais de duas décadas. Apesar de toda brutalidade registrada pelas câmeras no local, J. sobreviveu após vários dias internadas. Recebeu alta e prestou depoimento no dia 15 de maio. Imediatamente após a tentativa de homicídio, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Franca entrou no caso e iniciou as investigações. Além de J., outra mulher teria sido ferida de raspão por uma bala perdida disparada por D. E foi o marido desta outra vítima quem apareceu nas imagens arrastando a mulher ferida e atropelada para fora do local onde poderia ser novamente atacada pelo homem, que acabou fugindo. Ele passou a ser procurado pelos policiais civis. Segundo informações preliminares, D. seria morador do bairro Quinta do Café, em Franca, e trabalhava como caminhoneiro em uma usina de Batatais. Ao ser interrogado, D. teria dito aos policiais civis que a mulher havia marcado um encontro para pedir-lhe dinheiro emprestado. Ao se aproximar da mulher, foi abordado e agredido por um homem que estava na companhia dela. Em entrevista à imprensa, o titular da DIG, dr. Márcio Garcia Murari, disse que ele passou então a ser agredido pela mulher. “Ele teria pedido que parasse. Como ela não parou, ele com a arma saiu correndo e efetuando os disparos. Ele viu que ela estava ferida, disse que foi entrar no carro e percebeu que uma pessoa estaria tentando pegá-lo, que foi sair em alta velocidade e que não percebeu que ela estava caída e passou sobre ela e que na segunda vez não tinha intenção de atropelar e sim ir embora”, disse o dr. Murari. O delegado, todavia, disse aos jornalistas que descarta qualquer possibilidade de existir uma terceira pessoa e todas as testemunhas ouvidas afirmam que J. estaria sozinha no momento em que foi brutalmente atacada, como mostram as imagens do hipermercado. “Não existe esse rapaz, até nos autos do inquérito policial esse rapaz não existe. É uma versão que ele está colocando. Todas as testemunhas afirmam que ela estava sozinha no local e que não houve agressão por parte dela. Quem estava no local era apenas ela, não havia ninguém na companhia dela e não houve qualquer tipo de agressão, ele chegou e logo em seguida houve a perseguição e os disparos”, acrescentou o delegado. J. disse que foi D. quem a procurou. Ele estaria inconformado com o término do relacionamento entre ambos, ocorrido em dezembro, e já havia ameaçado a mulher. Contudo, no telefonema, disse que estava deixando Franca e queria se despedir dela, marcando o encontro onde tudo ocorreu. Os dois teriam o relacionamento há 20 anos, que teria se iniciado quando ela era menor de idade. Ao delegado, D. teria alegado que não sabia que a mulher era menor de idade, com 14 anos, à época em que começaram a namorar. "Essa moça tinha um relacionamento de 20 anos com esse rapaz, rompeu há cerca de três meses e ele não aceitou. Ele já vinha tentando agredi-la, fazendo ameaças, aí marcou com ela falando que tinha aceitado e queria se despedir dela, porque a intenção dele era ir embora pra Fortaleza. Aí ela foi ao encontro e ali acabou baleada e atropelada", informou o delegado. Após o crime, D. teria fugido para passos, onde é casado e tem dois filhos. Ele teria ficado escondido lá e só se apresentou após o depoimento da excompanheira. O delegado representou pela prisão preventiva. Após o depoimento, D. foi encaminhado Foto: Reprodução à Cadeia de Guanabara. Para o dr. Murari, ele deve continuar preso, pois representa uma ameaça para a mulher, que estaria se recuperando e pode sofrer novos ataques. Ele deve responder por dupla tentativa de homicídio triplamente qualificado. Desde o princípio das investigações, o dr. Márcio Garcia Murari (foto acima) acreditou na hipótese de crime passional onde o homem estaria inconformado com o final do relacionamento de mais de 20 anos, o que teria motivado ataque a tiros (foto ao lado) e o atropelamento da mulher ferida

[close]

p. 8

08 SÃO CARLOS Junho de 2017 POLÍCIA ACUSA FAMÍLIA DE ENTERRAR CAIXÃO VAZIO Objetivo foi simular a morte de uma ex-moradora de rua para receber seguro milionário; pai, filha e genro, além de médico, participaram do esquema A Polícia Civil de São Carlos desvendou um golpe que, segundo as investigações, tinha como objetivo dar um desfalque milionário em seguradoras no interior de São Paulo. Um ex-agente funerário, a filha dele e o genro, que é vendedor de seguros, além de um médico, que assinou um atestado de óbito falso, foram denunciados. Um caixão sem corpo chegou a ser enterrado, mas depois de uma denúncia anônima, a polícia encontrou a suposta morta e frustrou o golpe. No dia 30 de maio, foi feita a exumação e no caixão não havia nenhum corpo. Ela, Cristiane da Silva, 39, agora tenta provar que está viva e recuperar sua identidade civil. Segundo as apurações, um ex-agente funerário, EBS, 47, usou documentos de uma moradora de rua para fazer cinco apólices de seguro em quatro seguradoras diferentes. Os valores variavam entre R$ 800 mil e R$ 1,4 milhão, e ele colocou a filha, SB, como beneficiária. O grupo contava ainda com o genro do ex-agente, TL, um corretor de seguros, e um médico, HG, que trabalhava na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e forneceu o atestado de óbito. O esquema começou a ser arquitetado em junho do ano passado, quando EBS conheceu a moradora de rua. Ele se aproximou dela e afirmou que iria ajudá-la. O ex-agente funerário deu dinheiro a Cristiane e levou-a até o Poupatempo, onde deu entrada na segunda via de documentos como RG e CPF. De posse dos protocolos, ele mesmo retirou os documentos. Cristiane, que é de Matão (SP), deixou a cidade de São Carlos meses depois, até então sem saber do golpe. Em outubro, o genro de E fez seis apólices de seguros de vida em nome de Cristiane e colocou a mulher dele como beneficiária. A partir de então, o ex-agente funerário começou a cooptação do médico, que era conhecido da família, para o esquema. O profissional da saúde só aceitou participar do golpe em janeiro de 2017. Ele atestou, na noite de 28 de janeiro, o falecimento de Cristiane, colocando morte súbita como causa do óbito. O endereço do ex-agente foi colocado como sendo residência da mulher declarada morta. No dia seguinte, com o atestado de óbito e documentação, EBS, que na época ainda trabalhava em uma funerária da cidade, preparou um caixão, que foi lacrado, e fez o enterro no cemitério Nossa Senhora do Carmo. Para isso, ele fez o pagamento dos custos do serviço, no valor de R$ 131,92, e comprou um túmulo para Cristiane, no valor de R$ 1.548,18. O grupo esperou mais de dois meses para continuar o golpe. Em 20 de março, a filha do ex-agente foi ao cartório e, munida do atestado de óbito, conseguiu a declaração oficial de óbito, necessária para fazer o resgate das apólices. Investigação Nessa época, a Polícia Civil da cidade já havia recebido a denúncia e investigava o caso. O grupo ficou sabendo da investigação e não chegou a tentar resgatar as apólices. Em abril, o delegado Walkmar da Silva Negré, do 2º DP, responsável pelo caso, localizou a moradora de rua, em Matão. Ela contou à polícia detalhes da "ajuda" que recebeu do ex-agente funerário, que foi identificado na sequência pelas autoridades policiais. "Conseguimos localizá-la e ela contou o que tinha acontecido. A partir daí, continuamos as investigações e chegamos à identidade dos envolvidos", conta o dr. Walkmar. Após seguir as pistas, o delegado resolveu abrir inquérito contra os quatro envolvidos por estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa. Além disso, solicitou à Justiça a exumação do caixão onde Cristiane supostamente estaria enterrada, o que aconteceu no último fim de semana. O coveiro Aparecido Gonçalves, que participou tanto do enterro quanto da exumação do corpo, se disse surpreso com a audácia dos acusados. Segundo ele, havia apenas uma pedra e um saco com material semelhante a serragem quando o caixão foi aberto. "Foi a primeira vez que eu desenterrei um Foto: reprodução caixão, abri e não vi o corpo", disse. Segundo o delegado, Cristiane não teve ne- nhuma relação com o crime e não será indiciada. A advogada dela, Sandra Nucci, informou que a cliente foi enganada e que irá trabalhar, agora, para provar ao Judiciário que ela está viva. Outro lado O advogado de defesa dos envolvidos, João Carlos Cazu, afirmou que os seus clientes estão interessados em esclarecer o caso da forma mais rápida possível e que a ação do grupo não registrou nenhum prejuízo financeiro às seguradoras. "Eu não posso dar detalhes, porque o inquérito está em fase de investigação, mas o importante é que todos os envolvidos estão empenhados em esclarecer isso da melhor forma possível. Tudo que está sendo feito é para provar o que realmente aconteceu e punir os responsáveis", disse. A Polícia Civil não divulgou quais são as seguradoras prejudicadas, nem o nome da funerária onde o ex-agente trabalhava na época que começou a arquitetar o golpe, mas disse que ele pediu demissão dias depois de realizar o sepultamento falso e que a empresa não estava ciente da ação. Já a Prefeitura de São Carlos informou que o médico HG não trabalha mais na UPA e que irá apurar o suposto desvio de conduta do profissional. Por: UOL Notícias, com adaptações Foto: acidadeon.com.br O delegado do 2º DP de São Carlos, dr. Walkmar (foto no detalhe à esquerda) acompanhou o trabalho de exumação, onde não havia corpo algum no caixão, apenas pedra e serragem (foto acima)

[close]

p. 9

Junho de 2017 09 SINPOL TEM NOVO PRESIDENTE Eumauri Lúcio da Mata foi reeleito para seu sétimo mandato frente ao sindicato; somados, totalizam 16 anos na presidência O Sinpol realizou entre os dias 29 de maio a 02 de junho, eleições para definir a diretoria que estará à frente do sindicato a partir do dia 01 de julho, nos próximos três anos. O investigador aposentado, Eumauri Lúcio da Mata tornou-se pela sétima vez presidente do Sinpol. Ele encabeçou a Chapa Prosperidade, única a concorrer no pleito. Esta foi a 10ª eleição para a escolha de um presidente desde que o Sinpol foi fundado. Apenas na primeira, na sexta e na sétima eleição de presidente Eumauri não exerceu o mais alto cargo do sindicato onde atua antes mesmo de sua fundação, desde os tempos de APOCIRP (Associação dos Policiais Civis da região de Ribeirão Preto). Foi a quinta vez que Eumauri se elegeu encabeçando sua chapa. “Nunca perdi uma eleição. Se não fui eleito presidente, indiquei o sucessor”, orgulha-se. O Sinpol teve na presidência, além de Eumauri, Carlos Alberto Campi, José Rubens da Silva, Antonio Carlos Sampaio e Maria Alzira da Silva Corrêa. Ele explicou que seu compromisso será o mesmo das outras ocasiões: lutar pela categoria. “Não sou de prometer nada. Sou de agir em favor do policial civil. Vamos continuar pressionando, cobrando o governador, para acabar com essa pouca vergonha. Queremos reposição salarial com urgência. E queremos a contratação imediata de milhares de policiais civis, em número suficiente para minimizar o sofrimento da categoria e da população, porque o governo não liga nem para um, nem para outro”, dispara. Eumauri também pretende continuar sua luta contra a Reengenharia, “que junta nada com coisa nenhuma. É um absurdo. Nossa chefia tem que deixar a miopia de lado, achando que isso vai esconder o problema. E o senhor secretário da Segurança Pública tem que deixar de achar que o nosso diretor do Deinter e os nossos Seccionais são mágicos e que tiram policiais civis das suas cartolas. Não tem truque. Tem que haver vontade de corrigir essa aberração, que é a falta de recursos humanos”, acrescentou. As eleições transcorreram em clima de normalidade, contando com quatro urnas. Uma delas ficou fixa, na sede do Sinpol. As outras três percorreram diariamente as cidades da região de atuação do sindicato, à busca do voto dos associados. “É sempre bom destacar que aqui o associado sempre terá retorno. Se ligar e eu estiver atendo. Se vier pessoalmente, atendo. Se eu não estiver, é só deixar recado que ligo imediatamente quando chegar. Aqui sempre foi e sempre será tudo às claras. Não há o que esconder. Estou sempre à disposição de todos os associados”, conclui Eumauri. Centenas de policiais civis compareceram às urnas e ratificaram a chapa encabeçada por Eumauri para dirigir o Sinpol no próximo triênio

[close]

p. 10

10 NOVA SEDE Junho de 2017 QUASE PRONTA O Sinpol já começa a contar os dias que faltam para se mudar da atual sede social para a nova, que está sendo concluída. Nos próximos meses os policiais civis poderão usufruir das amplas e modernas instalações da sede social, localizada numa das regiões mais valorizadas da cidade, a zona sul de Ribeirão Preto. Todo o trabalho vem sendo minuciosamente acompanhado pela diretoria do sindicato, em especial pelo vice-presidente CélioAntonio Santiago, que está acompanhando todos os passos da obra. O local já conta com o piso interno e externo todo assentado.Além disso, está em fase final da colocação dos vidros em portas e janelas. As pias estão todas instaladas e as louças sanitárias restantes já foram compradas. A obra foi feita toda com recursos próprios do Sinpol, com planejamento para evitar endividamento. E o projeto já é uma feliz realidade. Ainda neste ano o sindicato terá casa nova, na Avenida Francisco Massaro Farinha, esquina com a rua Pedro Pegoraro, que é uma travessa da Av. Leão XIII, na Ribeirânia, atrás do Campus da Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) e terá área total construída de 1.600 m², está sendo erguido em um terreno com área total de 2.247,95 m². Acompanhe nas fotos a evolução do empreendimento, que teve obras iniciadas em 06 de março de 2012.

[close]

p. 11

Junho de 2017 RADAR 11 Morro Agudo tos, e foi reconhecido pela vítima. O televisor foi Policiais civis realizaram, no dia 22 de maio, recuperado e a dupla foi presa em flagrante pelo uma operação em postos de combustíveis do muni- crime de roubo. cípio de Morro Agudo, visando o combate da adulte- Porto Ferreira ração de gasolina e álcool, naquela cidade. A equi- Policiais civis da Delegacia de Polícia do Porto pe de policiais da Delegacia de Polícia do Município Ferreira (Deinter 3 – Ribeirão Preto) prenderam, de Morro Agudo (Deinter 3 [Departamento de Polí- na manhã de 12 de maio, um homem, de 37 anos, cia Judiciária do Interior] - Ribeirão Preto), lacrou por tráfico de entorpecentes, no Jardim Recreio, na bombas de postos suspeitos de estarem vendendo mesma cidade. Os agentes realizaram trabalhos combustíveis adulterados e lavrou autos de infra- investigativos que apontaram para um imóvel onde ção.Aação contou com a participação do Instituto de seriam comercializadas drogas. Durante o cumpri- Pesos e Medidas de São Paulo (IPEM-SP). Afisca- mento de mandado de busca e apreensão no imó- lização prosseguirá em outros municípios da área vel-alvo, residência do investigado, foram localiza- da Delegacia Seccional de Polícia de São Joaquim das e apreendidos dois tijolos de cocaína, 45 gra- da Barra. mas de crack, 4.000 “eppendorfs” vazios, além de 8 Araraquara ampolas de epinefrina. No quarto do suspeito foi Policiais Civis da Delegacia de Polícia de Inves- localizado ainda uma balança de precisão, bem tigações Gerais (DIG) de Araraquara (Deinter 3 - como anotações com a contabilidade do tráfico e um Ribeirão Preto) prenderam dois homens envolvi- aparelho de telefone celular. O investigado foi autu- dos em um roubo, na tarde de 25 de maio, no ado em flagrante por tráfico de drogas. bairro de José de Carvalho em Araraquara, o cri- Munição e droga me ocorreu naquela madrugada. Os suspeitos, A Polícia Civil de Porto Ferreira também reali- ambos com 31 anos, invadiram uma residência, agrediram a vítima com socos e facada, subtraindo uma TV de 40 polegadas. Imediatamente após a notícia do crime, os agentes iniciaram diligências no sentido de identificar e prender os responsáveis. Um dos suspeitos morava próximo ao local dos fa- Fotos: Polícia Civil zou uma operação para combater o tráfico de drogas na cidade e região. Os policiais civis foram a campo e, na Estrada da Fazendinha, zona rural da cidade, cumpriram mandados de busca e apreensão, que resultaram na prisão de um homem procurado pela Justiça, além de apreenderem uma Droga apreendida por policiais civis de Porto Ferreira porção de maconha e diversas munições para calibre 12. Ribeirão Bonito A Polícia Civil de Ribeirão Bonito identificou dois rapazes acusados de fazer parte de uma quadrilha que vem aterrorizando Ribeirão Bonito, praticando fatos, a dupla, que reside em São Paulo, mas estaria na casa do pai de W.E.S. em Rio Claro, foi levada até a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) daquela cidade e apresentados como supostos autores de furtos em Ribeirão Bonito, porém responderão em liberdade por não estar em furtos em residências, principalmente no Jardim situação de flagrante. W.E.S. também acabou en- Morumbi. Assim que os casos aconteceram, os in- caminhado para a Delegacia de Investigações vestigadores da Delegacia de Polícia de Ribeirão Sobre Entorpecentes (DISE) e autuado em Termo Bonito passaram a analisar imagens de câmeras de Circunstanciado de porte de drogas. Agora a Polí- segurança de casas e comércios e ouvir relatos das cia Civil de Ribeirão Bonito segue trabalhando para vítimas e testemunhas, identificando dois acusados identificar outros membros da quadrilha, para fina- de estarem envolvidos nos furtos. Com os nomes e lizar o inquérito. características dos rapazes, uma equipe da Polícia Ibaté Civil, composta pelo delegado Reinaldo Lopes Ma- Policiais Civis de São Carlos e Ibaté participa- chado, que comando a operação, os investigado- ram, no período de 22 a 27 de maio, da "Semana res Fábio e Carlos Eduardo, o escrivão Marcos e o de Segurança Pública" realizada em Ibaté, no Cen- policial civil Ricardo, se deslocou no dia 24 de maio tro de Convivência da Melhor Idade. O evento visa até uma casa na rua 14, no Jardim das Palmeiras, a integração entre alunos e educadores. Os polici- em Rio Claro, onde tiveram êxito em deter E.C.O.S., ais civis da região ministraram palestras sobre a de 22 anos, e W.E.S., de 27 anos. Durante busca "campanha antidrogas, prevenção ao uso de álcool na residência, os policiais civis encontraram nos e cigarros". Durante a cerimônia, foram expostas pertences de W.E.S. uma porção de maconha pe- armas, escudos e demais equipamentos utilizados Policiais civis de Morro Agudo realizaram operação em postos de combustíveis para combater a adulteração sando aproximadamente 16 gramas. Diante dos pela Polícia Civil.

[close]

p. 12

12 ANIVERSARIANTES DE JULHO 1 Maria Aparecida Gonçalves Franco 2 Florivaldo Aparecido Angelício Alberto Luís Martins Edimar Cândido Barbosa José Alceu Calegaro Marcelo da Silva Pereira Donizete Forini 3 Marcos Tadeu da Costa Paulo José Esteia Piçarro Roberto de Souza Wander Domingos de Oliveira Jeová de Paula Pereira Rita de Cássia Bento Francisco 4 Datair Rodrigues Alves Rodrigo Aparecido Firmino Márcio Miguel Granhani 5 Armando Pisani Júnior Luiz Carlos Santello Marcos Alexandre Fernandes Milton Bueno da Silva Júnior Celso Eduardo Zuviolo 6 Deusdedit Barbosa dos Santos Jefferson Pessotti Yone Borges Hernandez Antonio Luiz Buranelli Robson Martins Ferreira Vagner Luiz Alves Maia Durval de Souza Lima Junior Samuel Soares da Silva Edson Medeiros da Silva Eurípedes Antonio Lopes 7 Salvador Pane Neto Antonio Marcos Rebello Sebastião Oswaldo Mazzaron Filho Lourdes Rodrigues Edson Eduardo de Paula José Roberto Amancio Casseb 8 Antonio Edison Francelin Jesuíno Ferreira da Rocha Lúcia Elena Amsei Saloio Graciela de Lourdes David Ambrósio Paulo Roberto Vieira Coan 9 Paulo César Prado Blanco Jorge Amaro Cury Neto Celso Eduardo Felipe José Aparecido Zanelato Pedro Euripes Gonçalves Geraldo de Araújo Carlos Estevão Donato Vernille Gilda Alves de Souza 10 José Roberto Torres de Oliveira Carlos Eduardo Barillari Pereira Vagner Roberto Seleguim Leopoldo Gomes Novais Paulo Sérgio Beluzzo 11 Sebastião Donizete da Silva Leopoldo dos Santos Barcelos 12 João Carlos Barbosa Lima 13 Normandia Lucera Elias Guimarães Murilo Fernandes Jardim Froner Itamar Dias da Silva 14 Eliana Aparecida de Carvalho José Bráulio Bravo Lourdes Maria Alves Gerson Beltramini Tânia de Souza Nunes Ribeiro Marcelo Luiz Augusto 15 Thiago Luís Mini de Souza 16 Maria do Carmo Ap. Calife C. Prudêncio Débora Cristina Malafatti Fioravante Ana Paula Donizete Soares Luís Carlos Ipólito 17 Marisa Lellis Takata Jin Ciosaki Renato Frazão de Almeida José Carlos Garilio Alexandre Motta Barbosa Mauro dos Santos 18 Darci Gonzales Ribamar Cézar Rambourg 19 Francisco Carlos Scarparo Maria Izabel de Castro Aldo Leão Arroio Finotello Carlos Eduardo Fernandes da Silva 20 Jefferson Gonçalves Marcos César Bastos Ulian Marcelo Henrique Pereira Rego 21 Jayme Prado de Mello Gisiani Rosalin 22 José Roberto Gonçalves Maria Amélia Leão Neide Amabile Pastore Silva Renata Alessandra dos Anjos Denize Gobbi Szakal Maria Emília de Mattos Abdalla Márcio Henrique Xavier 23 José Arnaldo Andreotti Júnior João Walter Tostes Garcia José Antonio Pietro Bao Marcelo Cunha Ferreira Sílvio Luís Marra 24 Ozório Moreira da Silva Neto Constantino Moreira da Silva Cristino de Alcantara Tavares Marilene Gomes Trindade 25 Fernando Carrion Serrano Valéria Aparecida Benedito Favero 26 Patrícia Barrella Cione Sílvio Rogério Pita Sílvia Cristina Carreta Artur Ortega Gonçalves da Rocha 27 Maria Alzira da Silva Corrêa Marili Pintão Sampaio Adriana Ferreira Cunha de Oliveira 28 Carlos Ocimar Spina Amarildo dos Reis Almeida Rita de Cássia Cassiano da Silva Regina Célia Rodrigues da Silva Renato dos Santos Valquíria da Silva João Wilian Coutinho de Oliveira Claudinei Nunes dos Santos 29 Valter Ferreira de Castro Cecília de Lourdes M. da Silva Passos 30 Sônia Maria Sarti José Martins de Paula Paulo Roberto Belli 31 José Mário dos Santos Luiz Antonio Bueno Valdirene Aparecida Dias Oscar Eduardo Pereira Pinto O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. MEMÓRIA Junho de 2017 A TERCEIRA ELEIÇÃO A exemplo do que ocorreu em 2017, a eleição realizada no Sinpol entre os dias 19 e 22 de setembro de 1995 também teve chapa única. Há 22 anos, somente a Chapa União, encabeçada por Eumauri Lúcio da Mata concorreu ao pleito. Foram 546 votos dos 550 válidos obtidos pelos integrantes daquela diretoria. Era a terceira eleição na história do Sinpol. Eumauri havia sido eleito vice na anterior, mas assumiu a presidência e em 1995, elegeu-se pela primeira vez presidente do Sinpol, fato que ocorreu em outras eleições e, em 2017, repetiu a conquista. Entre os diretores da histórica foto, alguns já faleceram. DO FUNDO DO BAÚ O Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto está mantendo um acervo de imagens relacionadas à Polícia Civil. Para tanto, a Diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da Instituição. “Temos certeza que muitos colegas guardam várias fotos com lembranças de reuniões, eventos e de situações cotidianas dentro da Instituição, com um valor inestimável pelas lembranças que representam”, ressalta o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Os interessados em colaborar com esse resgate da memória da Polícia Civil da região podem entrar em contato com a Secretaria do Sinpol, através dos telefones (16) 36129008, 3625-3890 e 3979-2627, ou do e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br. “As fotografias serão digitalizadas e prontamente devolvidas aos seus proprietários”, garante Eumauri. O material reunido pelo Sinpol será publicado no Jornal do Sinpol e no site da entidade (www.sinpolrp.com.br).

[close]

p. 13

Junho de 2017 ARTIGO COBRE AGORA OU CALE-SE PARA SEMPRE O poder sabe que eu, você, nós somos uns apáticos, opilados, e vamos ficar calados, recebendo as chibatadas 13 Por: Dr. Jorge Eduardo Vasconcelos (*) Amigos, costumamos ouvir opiniões, quase sempre coloridas de tom político, o que acaba por nos deixar em dúvida. Entretanto, hoje conversava com uma amiga que advoga na área previdenciária há mais de 25 anos. Portanto é uma especialista. Fez pós, mestrado, doutorado e dezenas de cursos de especialização com técnicos em previdência, com tops no conhecimento nesta área. Portanto estou falando de quem realmente entende e pode manifestar sobre a reforma da previdência de forma segura e isenta. No entendimento desta profissional é necessário ter algumas mudanças sim. Por exemplo: há certas pessoas que, em decorrência de idade avançada ou doença crônica paralisante, acabam ficando ao abandono de familiares e entregues a cuidadoras ou cuidadores. Nada contra estas profissões, muito pelo contrário, mas como toda profissão tem gente de toda linha e casam com o moribundo somente para ficar com a pensão. Existem pensionistas viúvas ou viúvos e recebem a aposentadoria que fazem jus, a pensão do decujus, mais não sei o que e ai somam dois ou três pagamentos. E outros ajustes que realmente a Previdência tem que sofrer. A cobrança implacável dos devedores quem devem quantias infinitas à Previdência, o combate aos altos salários, revendo este enriquecimento ilícito às custas do trabalhador. MAS ESTA PROPAGANDA ENGANOSA de que a Previdência é deficitária É A MAIOR MENTIRA DO MUNDO. A PREVIDÊNCIA é SUPERAVITÁRIA. É MENTIRA, mais uma vez vão dar um tremendo golpe e quem vai pagar a conta é o trabalhador. Estou tocando neste assunto embora esteja me aposentando, mas o povo pobre, trabalhador, vai pagar caro por esta reforma. Vão trabalhar até a beira do túmulo para MANTER os cofres públicos abastecidos para os CORRUPTOS, vão contribuir com a Previdência por 40 anos para poucos se aposentarem com salários de 50, 60, 70, 80, 120 mil reais. E o momento de reagir, lutar é agora. Não podemos deixar passar a reforma da Previdência como quer o governo. Lute ou aguente os golpes da chibata. Não calem, pensem em seus filhos e netos que terão que trabalhar para este GOVERNO CORRUPTO. Porque o governo não empenha em montar uma força tarefa de fato para o combate à corrupção, ao invés de deixar somente a cargo do MPF e PF? Sinto que estas valentes entidades estão à beira do colapso, pois a podridão é muito grande e, a cada tapete que se ergue, a quantia de lixo é imensa. Todos os dias é operação para todo gosto e mais uma dezena de ladrões de altos cargos e nomes relevantes. A Polícia Federal não vai aguentar, a seara é grande, mas os ceifeiros são poucos, e logo estaremos largados ao abandono. Por que o Governo não empenha de forma plena no combate à corrupção, aos altos salários? Resposta simples: O povo é manso, o povo e submisso, o povo é um adversário mais fácil de vencer que combater os poderosos que recebem altos salários. Mais fácil subjugar o povo que lutar contra os POLÍTICOS LADRÕES. Por que não tolerância zero à corrupção, aos altos salários, à inadimplência praticada pelas empresas poderosas que devem milhões ao INSS? Simples a resposta: o governo, o poder (Câmara, Senado, STF) sabe que eu, você, nós somos uns apáticos, opilados, e vamos ficar calados, recebendo as chibatadas. Mexa-se, mande este texto para um parlamentar, deputado federal, senador, presidente de entidades. Cobre do seu representante político ações que protejam e defendam o povo, que defendam você e sua família. Afinal muitos votaram em TIRIRICA, “voto de protesto”. Então agora quero ver. Isto é apenas uma sugestão. Assim vejo, assim penso, assim é. Caso você não concorde, eu aceito que você não é obrigado a concordar comigo, mas deve respeitar minha opinião. O momento é agora. O Governo que está comprando os votos no Congresso, já disse taxativamente estar trabalhando os votos para, quando estiver certo da aprovação “com folga”, colocar o projeto de EC em votação. Você, eu, nós não podemos permitir que isto aconteça, sem antes um profundo apoio ao combate à corrupção. Não sem antes cobrar os devedores da Previdência. Não sem antes combater aos altos salários, NÃO SEM ANTES A CONCLUSÃO DE UMA CPI SÉRIA SOBRE A PREVIDÊNCIA, que está em andamento, MAS PODE SER CORROMPIDA, COMPRADA como foi a da Petrobrás. Faça algo, fale, grite, comunique com quem é formador de opinião, professores, líderes e etc. Não se cale ou CALESE PARA SEMPRE. Dr. Jorge Eduardo Vasconcelos é delegado de Polícia na cidade de Tietê-SP

[close]

p. 14

14 Junho de 2017 BRIGA DE CRIANÇAS MOTIVA HOMICÍDIO EM SÃO CARLOS Jovem foi assassinada no Planalto verde e crime foi visto pela filha da vítima, uma criança de apenas seis anos A investigação realizada pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) esclareceu que uma briga entre crianças motivou a morte da jovem Jessica Tauani Fonseca da Silva, de 26 anos, no dia 5 de agosto de 2016, na rua Taynara Gabriele Pereira, no bairro Planalto Verde, em São Carlos. Réu confesso, Kleryson Eduardo Ribeiro dos Santos, de 21 anos, foi preso em 16 de maio na rua Secombina de Paula Passador, no bairro Cidade Aracy. O crime foi presenciado pela filha de Jessica, que na época tinha seis anos. Ela foi encontrada por vizinhos ao lado do corpo da mãe. De acordo com o relatório policial da delegacia especializada, tudo começou quando a filha da vítima brincava com outra criança na rua e elas começaram a brigar. Neste instante, Jade Carolina Ribeiro dos Santos, mãe da outra menina retirou a filha de perto, o que causou revolta em Jéssica que foi tirar satisfações. Em seguida as duas mulheres acabaram se agredindo mutuamente. Ao ouvir a gritaria, a mãe de Jade saiu à rua com uma marreta que usava para amassar latinhas partindo para cima de Jéssica. O amásio de Jade interveio na briga e acabou levando um tapa de Jéssica. Logo depois surgiu Kleryson, que é irmão de Jade, com uma arma prateada na mão e atirou seis vezes contra Jéssica, que acabou morrendo no local. A mãe de Jéssica contou que após a morte da filha, a neta que presenciou o crime precisou de acompanhamento psicológico. Disse ainda que após a morte, alguém entrou na casa da filha e furtou um Notebook, TV de LCD, uma chapinha, um secador de cabelos, uma máquina fotográfica digital e uma quantia em dinheiro. Kleryson foi preso por policiais militares ao questioná-los o motivo de estarem recolhendo o seu veículo. Os PMs quando consultaram seu documento junto aos computadores do COPOM descobriram que se tratava de um procurado da Justiça pelo crime de homicídio. Aos policiais da DIG, o acusado confessou o crime. Ele está preso no Centro de Triagem local. Esse é mais um crime de homicídio contra mulheres que foi esclarecido pela equipe do delegado Gilberto de Aquino. Outro caso esclarecido A DIG esclareceu mais um bárbaro crime que aconteceu no Assentamento Sem Terra Nova São Carlos, entre os dias 9 e 10 de março de 2015. Um dos acusados, Jedivan Santana da Polonia, o "Fofão", foi preso no dia 28 de abril deste ano enquanto procurava atendimento na unidade do Poupatempo, em São Carlos. Ele estava com prisão preventiva decretada pela Justiça, após solicitação do delegado Gilberto de Aquino. O comerciante Antonio Augusto Filho foi encontrado por vizinhos caídos no quarto do imóvel onde funcionava seu bar. Ele tinha ferimentos na cabeça que provocaram a sua morte por traumatismo craniano. Após o crime, a DIG passou a investigar o caso e ouviu uma testemunha que disse ter visto Jedivan e Reinaldo Pinheiro Gomes, vulgo "Quati" na noite anterior ao encontro do corpo, defronte ao bar que estava com as luzes apagadas. Dias após o crime, os dois suspeitos foram até outro bar e apresentaram certa quantia em dinheiro, o que não era comum, pois eram desempregados. Jedivan até teria demonstrado interesse em comprar alguns porcos por R$ 300,00, o que levantou suspeita da origem do dinheiro. O comerciante Antonio Augusto tinha o costume de guardar o dinheiro obtido com a renda do bar e a sua aposentadoria no bolso da bermuda, o que chamou a atenção dos assassinos, que além de matá-lo teriam roubado o seu dinheiro. Após a conclusão das investigações, o delegado Gilberto de Aquino encaminhou o inquérito à Justiça, que determinou a prisão preventiva dos acusados. Jedivan Santana da Polonia segue preso, enquanto Reinaldo Pinheiro Gomes, vulgo "Quati", está foragido e pode estar morando na Bahia. Por: www.saocarlosagora.com.br com adaptações Foto: Divulgação Equipe da DIG São Carlos, coordenada pelo dr. Gilberto Aquino (ao centro, de terno e gravata): mantendo a rotina de mais crimes solucionados

[close]

p. 15

Junho de 2017 JURÍDICO 15 MAIS SETE VITÓRIAS EM APOSENTADORIAS Advogados do Sinpol conquistam três importantes mandados se segurança para aposentadoria especial e quatro reversões de aposentadoria O mês de maio foi bastante promissor para os Durante o mês de maio, o departamento jurídico Vara da Fazenda, ele obteve procedência em pri- tem alguma movimentação no processo ao acompa- advogados que integram o departamento jurídico do Sinpol registrou três vitórias de associados em meira instância. nharem pelo site do TJESP (Tribunal de Justiça do do Sinpol. Foram nada menos que sete vitórias con- relação a mandados de segurança garantindo apo- O investigador aposentado de São Carlos, Datair Estado de São Paulo), que não liguem para o escri- quistadas em benefício de associados que busca- sentadoria especial. Em todas ainda cabe recurso. Rodrigues Alves, também teve seu processo de re- tório dos advogados Ricardo e Viviane Ibelli. “Neste vam seus direitos nas aposentadorias, garantindo- A primeira vitória foi da carcereira de Matão, versão considerado procedente em primeira instân- caso, liguem antes para o Sinpol. Nosso vice-presi- lhes paridade e integralidade, nos moldes da LCF Luzia de Selles. Ela obteve mandado de segurança cia, junto à Vara da Fazenda de São Carlos. dente Célio Antonio Santiago, nossa diretora secre- (Lei Complementar Federal) 51/1985, posteriormente visando a aposentadoria especial em primeira ins- Outro investigador aposentado, GersonAntonio tária Fátima Aparecida da Silva, o diretor financeiro atualizada pela LCF 144/2014. tância, pela 4ª Vara da Fazenda Pública do Estado de Oliveira, de Ribeirão Preto, obteve igual senten- Júlio César Machado, o presidente Eumauri e de- Segundo os advogados Ricardo Ibelli e Viviane de São Paulo. ça. Ele teve seu processo de reversão considerado mais diretores estarão aptos a esclarecer qualquer Cristina Ibelli Pinheiro, das sete vitórias, quatro são A escrivã de Batatais, Ester Marina dos Santos, procedente junto à 2ª Vara da Fazenda Pública de situação. Muitas vezes a ação recebe uma carga, relativas a ações de reversão de aposentadoria. também obteve mandado de segurança visando Ribeirão Preto. um pedido de vistas, o que não significa que já está Isto é, são conquistas de policiais civis já aposenta- aposentadoria especial. A sentença foi julgada pro- Já o delegado aposentado, dr. Fernando Ta- disponível para o pleiteante. Para não atrapalhar o dos, que acabaram ingressando na inatividade atra- cedente em primeira instância pela 8ª Vara da Fa- deu Viana, obteve procedência em primeira instân- andamento do importante trabalho realizado pelos vés da LCE (Lei Complementar Estadual) 1062/ zenda Pública. cia junto à 1ª Vara da Fazenda Pública de Ribeirão advogados, liguem sempre para o sindicato, que 2008, sem o direito à aposentadoria especial, isto é, Já o investigador de Ribeirão Preto, Sandro Preto. Em todos os casos ainda cabe recurso. teremos prazer em informar qualquer movimenta- sem paridade e integralidade. As outras três con- Luís Ruivo, obteve mandado de segurança pre- Eumauri lembra aos associados que, caso no- ção”, finaliza Eumauri. quistas são relativas a mandados de segurança, ventivo, pleiteando aposentadoria especial. Ele per- garantindo desta forma o direito à paridade e deu em primeira instância. O departamento jurídico integralidade. do Sinpol recorreu e ganhou junto ao Tribunal. O De acordo com o presidente do Sinpol, Eumauri acórdão publicado pelo juiz do caso foi direto e ob- Lúcio da Mata, apesar de hoje vigorar a LCF 144/ jetivo: “Sendo assim, de rigor reconhecer o direito 2014, que garante ao policial civil o direito à apo- do imperante à aposentadoria especial nos termos sentadoria especial, o governo insiste em não apo- da Lei Complementar Federal nº 51/85, com o direi- sentar com paridade e integralidade. “O governo to à integralidade e à paridade, à última classe do está sempre tentando prejudicar o policial civil. Seja cargo ocupado à época da inativação”, decretou o na imensa falta de recursos humanos; seja na ab- juiz. Uma importante sentença a favor do associado surda política salarial, em que não reajusta nosso do Sinpol. salário há mais de três anos; seja até na hora de Reversões aposentar, contrariando um direito constitucional. Por Outras quatro vitórias obtidas pelo departamen- essa razão, nosso departamento jurídico está sem- to jurídico do sindicato são relativas aos processos pre a postos para reverter essas situações prejudi- de reversão de aposentadoria. O primeiro deles ciais aos nossos associados”, alfineta Eumauri. contemplou o investigador aposentado de Vitórias Araraquara, Pedro LuísAcetoze. Em ação junto à 9ª A partir da esquerda, Fátima, Célio, Viviane, Eumauri e Ricardo: jurídico e diretoria do Sinpol caminham lado a lado em busca de vitórias

[close]

Comments

no comments yet