Cepea - Boletim do Leite Edição Especial nº 200

Embed or link this publication

Description

Cepea - Boletim do Leite Edição Especial nº 200 O Boletim do Leite, publicação mensal, gratuita, do Cepea dirigida aos vários segmentos do setor lácteo, chega à sua edição nº 200. Para comemorar, a equipe Leite/Cepea preparou várias análises especia

Popular Pages


p. 1

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 neste arquivo · · · · retrato do leite onde a atividade está ganhando e onde está perdendo espaço leite no sul rende três vezes mais que arrendar a terra retorno do capital investido em leite fica atrás do obtido com soja milho café e boi a atividade leiteira é sustentável no longo prazo essas análises constam da edição especial do boletim do leite nº 200 retrato do leite onde a atividade está ganhando e onde está perdendo espaço por aline barrozo ferro paulo moraes ozaki e isadora gonzalez gegollotte equipe leite/cepea leitecepea@esalq.usp.br a produção de leite no brasil cresceu em média 4 ao ano entre 1999 e 2009 de acordo com dados da pesquisa da pecuária municipal do instituto brasileiro de geografia e estatística ibge algumas bacias leiteiras entretanto estão disparando entre as cem maiores mesorregiões produtoras o centro-sul paranaense obteve o maior crescimento médio de 18 ao ano seguido pelo oeste maranhense com 14 a.a sertão pernambucano agreste pernambucano e sudoeste paranaense os três com 13 a.a por outro lado em algumas regiões antes tradicionais a produção leiteira vem perdendo espaço como é o caso de ribeirão preto sp que registra queda de 4 ao ano na produção de leite entre 1999 e 2009 campinas e vale do paraíba paulista ambos com recuo de 2 a.a a principal questão é o que vem ocorrendo nessas regiões para impulsionar ou retrair a atividade leiteira em alguns casos o avanço de determinada cultura acaba proporcionando aumento da demanda por terra insumos e mão-de-obra tornando os custos mais elevados de uma forma geral nesse sentido o produtor de leite que não for eficiente acaba deixando a atividade este cenário vem sendo observado nos últimos anos no estado de são paulo especialmente com a expansão da cana-de-açúcar entre 1999 e 2009 houve recuo de 17 da produção leiteira paulista no sul do país a situação é diferente enquanto a produção brasileira aumentou 53 a do sul avançou expressivos 95 no período em análise os ganhos de produtividade têm proporcionado rentabilidade favorável ao pecuarista leiteiro resultando em avanço da atividade na região desde caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 2

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 2007 a principal mesorregião produtora de leite do país é o noroeste rio-grandense que representou 8 da produção nacional em 2009 segundo o ibge e teve crescimento médio de 7 ao ano no período analisado outro avanço considerável é visto no oeste catarinense que passou de 7º maior produtor em 1999 para 3º em 2009 com incremento médio de 12 a.a no norte e no nordeste do brasil o impulso da renda per capita ­ e com isso da demanda ­ tem atraído diversas indústrias do setor leiteiro para as regiões o nordeste foi a segunda região onde a produção leiteira mais cresceu entre 1999 e 2009 87 seguido pelo norte 75 ambos acima do aumento nacional na região norte o destaque é rondônia a mesorregião leste rondoniense já é a décima principal bacia leiteira do país o mapa abaixo mostra as principais mesorregiões produtoras de leite e algumas onde a produção vem crescendo de forma acelerada bem acima do ritmo da produção nacional nota-se que as mesorregiões com maior crescimento da produção leiteira estão no sul e em algumas regiões de fronteira que vêm obtendo cada vez mais expressividade na produção de leite por outro lado algumas mesorregiões de minas gerais e goiás apresentaram crescimento abaixo ou próximo à média nacional 4 ao ano já em são paulo as principais bacias leiteiras apresentaram em média taxa nula ou negativa na produção de leite os quadros abaixo mostram a comparação do ritmo de crescimento da produção leiteira com as principais atividades de cada mesorregião caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 3

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 fonte ibge pesquisa da pecuária municipal elaborado pelo cepea nota as 16 mesorregiões apresentadas representaram 50 da produção brasileira de leite em 2009 caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 4

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 crescimento de produção de leite acima da média nacional média anual entre 1999 e 2009 particip leite noroeste rio-grandense ­ rs 1 oeste catarinense ­ sc 3 oeste paranaense ­ pr 5 sudoeste paranaense ­ pr 6 leste rondoniense ­ ro 14 agreste pernambucano ­ pe 13 sudeste paraense ­ pa 15 nordeste rio-grandense ­ rs 2 sul baiano ­ ba 16 8 6 3 3 2 2 2 1 1 7 12 10 13 6 13 9 7 8 soja milho trigo cana 28 10 1 8 41 76 20 20 5 17 4 6 76 -2 29 1 22 29 43 25 16 2 9 25 8 50 3 16 5 5 estagnação ou decréscimo na produção de leite média anual entre 1999 e 2009 particip leite soja milho cana laranja são josé do rio preto ­ sp 7 vale do paraíba paulista ­ sp 8 1 1 0 -2 4 -2 0 15 9 -12 crescimento igual à média nacional ou abaixo média anual entre 1999 e 2009 particip leite triângulo mineiro/alto paranaíba ­ mg 10 sul goiano ­ go 11 sul/sudoeste de minas ­ mg 9 centro goiano ­ go 11 vale do itajaí ­ sc 4 7 5 5 3 1 4 4 3 2 3 soja milho cana café 6 7 49 17 5 6 7 1 3 18 21 6 12 -3 -9 -7 fonte ibge elaborado pelo cepea o percentual refere-se à participação do leite de cada mesorregião no total produzido pelo brasil em 2009 notas 1 o número ao lado de cada região refere-se à sua posição no mapa acima 2 o ritmo de crescimento da produção de café considera as somas a cada dois anos devido à bienalidade da cafeicultura caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 5

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 leite no sul rende trÊs vezes mais que arrendar a terra cepea 04 ­ para avaliar o custo de oportunidade do produtor de leite pesquisadores do cepea compararam a receita que seria obtida caso o produtor optasse por arrendar a área que destina ao leite com a receita que ele tem obtido com a atividade leiteira ­ outras formas de se analisar o custo de oportunidade também poderiam ser adotadas no sul do país por exemplo a receita operacional receita bruta menos custos operacionais obtida com o leite pode ser comparada com o montante que o produtor receberia se arrendasse a terra para a produção de grãos em são paulo a alternativa poderia ser o arrendamento para cana-de-açúcar explicam os pesquisadores na produção de leite ­ bem como nas demais atividades econômicas ­ os retornos aos investimentos devem ser atrativos o suficiente para compensar esse custo de oportunidade o gráfico 1 mostra a diferença entre a margem bruta renda obtida com leite e com a venda de animais no ano menos os custos operacionais efetivos coe por hectare agricultável entre janeiro e julho de 2011 e o valor do arrendamento para a principal atividade alternativa custo de oportunidade nas regiões onde o cepea com o apoio da cna fez painéis de custo de produção leiteira as pesquisas mostram que no sul do país a margem bruta da pecuária leiteira supera pelo menos em quase três vezes o valor do arrendamento da terra para outra atividade evidencia-se nessa região o potencial de crescimento da produção leiteira tendo em vista sua rentabilidade frente à das principais opções interpreta a pesquisadora aline barrozo ferro do cepea em goiás duas das três regiões pesquisadas apontaram vantagem para a pecuária leiteira em relação ao arrendamento apenas em piranhas no noroeste goiano a margem bruta com leite ficou 45 abaixo do valor médio de arrendamento da região em minas gerais duas das cinco regiões analisadas apresentaram desvantagem na produção leiteira frente ao arrendamento da terra para a principal atividade alternativa por outro lado em todas as regiões de são paulo fernandópolis guaratinguetá e mococa a margem bruta com a pecuária leiteira ficou abaixo do valor do arrendamento para a principal atividade alternativa na média a desvantagem foi de 64 informa a equipe cepea caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 6

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 gráfico 1 diferença entre renda bruta obtida pelo produtor de leite entre janeiro e julho/11 e o custo de oportunidade em cada região valor do arrendamento da terra para a principal atividade alternativa em percentual 1100 900 700 500 300 100 -100 pr pr go go go mg mg mg mg mg arrendamento da principal atividade agricultável e o custo de oportunidade diferença entre a renda bruta por hectare sc sp sc sp rs rs sp rs -300 castro araxá mococa itaberaí chapecó cascavel cruz alta piranhas leopoldina piracanjuba três de maio fernandópolis teófilo otoni guaratinguetá bom despacho são josé do cedro palmeira das missões santa rita do sapucaí fonte cepea/cna elaborado pelo cepea conforme as pesquisas o maior valor do arrendamento para a principal atividade alternativa ­ considerado-se nesta análise o maior custo de oportunidade ­ é observado no estado de são paulo justamente onde a produção de leite vem caindo nos últimos anos na principal bacia leiteira do estado mesorregião de são josé do rio preto a produção de leite caiu 5 entre 1999 e 2009 segundo dados do ibge no vale do paraíba paulista a queda chegou a 17 no período entre os motivos para o maior valor do arrendamento conforme pesquisadores do cepea está o elevado grau de infraestrutura que valoriza a terra nesse estado além do avanço dos canaviais e da instalações de usinas sucroalcooleiras que acabam competindo por mão-de-obra e por terra no estado paulista o valor do arrendamento da terra para cana-de-açúcar segundo dados do iea instituto de economia agrícola aumentou em média 3 ao ano entre 2000 e 2010 enquanto o preço do leite cresceu 2 ao ano conforme dados do cepea essas taxas são reais ou seja representam aumentos acima da inflação do período de 2008 a 2010 entretanto enquanto o valor do arrendamento para cana aumentou 12 em termos reais o preço médio do leite caiu 7 caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 7

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 conforme os pesquisadores do cepea em regiões mais desenvolvidas em termos de infraestrutura com maior número de agroindústrias e mais próximas de grandes centros consumidores especialmente no sudeste e sul do país tende a haver maior demanda por terras e consequentemente valorização deste ativo diante disso destacam os pesquisadores é preciso que haja um maior grau de eficiência produtiva para que a atividade leiteira seja sustentável e competitiva nessas regiões já que o custo de oportunidade é elevado retorno do capital investido em leite fica atrÁs do obtido com soja milho cafÉ e pecuÁria de corte cepea 04 ­ uma forma de comparar a rentabilidade entre atividades agropecuárias é a análise do retorno por real investido que consiste na relação entre a margem bruta e o custo operacional efetivo ou entre a margem líquida e o custo operacional total considerando-se algumas das regiões pesquisadas pelo cepea em parceria com a cna a equipe cepea constata que normalmente soja milho café e pecuária de corte proporcionam retorno sobre o capital investido superior ao obtido pelo produtor de leite como pode ser visto nos gráficos de 2 a 7 o maior retorno por real investido na atividade leiteira foi de r 0,51 ou 51 considerando-se apenas o custo operacional efetivo coe verificado no rio grande do sul na região noroeste em seguida ficou o triângulo mineiro com r 0,32 por outro lado o retorno mais baixo foi verificado no sul/sudoeste de minas gerais de r 0,12 por real investido os pesquisadores destacam que em todas as regiões quando considerado o custo operacional total que inclui as depreciações manutenção de pastagens etc o retorno da atividade leiteira torna-se negativo ou seja quando é considerado todo o investimento em infraestrutura além da manutenção de forrageiras o produtor de leite tem prejuízo do ponto de vista econômico a mesma situação é verificada para a pecuária de corte no sul goiano e para o trigo no oeste catarinense também segundo dados do cepea caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 8

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 gráficos 2 a 7 retorno por real investido frente aos custos operacionais e aos custos totais nas principais atividades praticadas em algumas bacias leiteiras 1,15 0,95 coe 0,75 0,55 0,35 0,15 retorno por real investido retorno por real investido triângulo mineiro cot 1,15 0,95 0,75 0,55 0,35 0,15 -0,05 sul/sudoeste de minas coe cot -0,05 -0,25 1,15 0,95 0,75 0,55 0,35 0,15 soja boi milho café leite sorgo -0,25 1,15 0,95 café leite sul goiano oeste paranaense coe cot coe cot 0,75 0,55 0,35 0,15 retorno por real investido retorno por real investido -0,05 -0,25 1,15 0,95 -0,05 soja milho boi leite sorgo -0,25 milho soja leite trigo oeste catarinense coe cot 1,15 0,95 0,75 0,55 0,35 0,15 retorno por real investido noroeste rio grandense coe cot 0,75 0,55 0,35 0,15 retorno por real investido -0,05 -0,25 soja milho leite trigo -0,05 -0,25 soja milho leite trigo fonte cepea/cna elaborado pelo cepea nota o retorno por real investido nas culturas de soja milho sorgo e trigo foram calculados a partir de dados da safra 2010/11 para boi e leite foram calculadas as médias de janeiro a julho de 2011 já para o café foram utilizados dados das safras 2009/10 e 2010/11 devido à bienalidade da caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 9

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 cultura a atividade leiteira É sustentÁvel no longo prazo cepea 04 o cálculo do custo operacional total cot é uma forma de se avaliar se uma atividade é sustentável no longo prazo além do desembolso mensal do produtor como gastos com insumos o cot inclui também a depreciação da infra-estrutura da propriedade de máquinas implementos animais de serviço custos de reforma de pastagens e o pró-labore que corresponde à retirada mensal do produtor ou seja é o custo do produtor que leva em consideração todo o desembolso necessário para que no final da vida útil de cada item ele possa renovar ou reinvestir na atividade na forma de reposição de máquinas reconstrução de instalações etc nos painéis de custo de produção realizados pelo cepea em parceria com a cna confederação da agricultura e pecuária do brasil em 2010 nos principais estados produtores de leite go mg pr rs sc e sp contatou-se que · na maioria das regiões a receita do produtor superou o custo operacional efetivo coe que diz respeito ao desembolso correntes do produtor · entretanto a renda total da atividade foi em média 10 menor que o cot não sendo portanto suficiente para cobri-lo o resultado dessa situação destacam pesquisadores do cepea é o sucateamento dos bens de produção ou seja o produtor não consegue manter a capacidade produtiva da terra reconstruir benfeitorias renovar máquinas e equipamentos e manter o rebanho dessa forma apesar de a atividade apresentar resultado econômico positivo no curto prazo o balanço é negativo no médio e longo prazo apesar disso a pesquisadora aline ferro destaca assistência técnica de qualidade que consiga aliar o conhecimento técnico-produtivo ao econômico é possível que o produtor reverta essa situação daí a importância de controlar os custos de produção da propriedade e seus índices zootécnicos comenta de acordo com as informações coletados em campo a pesquisadora infere que um dos principais problemas é a estruturação do rebanho o que prejudica principalmente a reprodução segundo as pesquisas o intervalo entre partos iep de 14 meses e a idade ao primeiro parto ipp de 33 meses médias dos indicadores obtidos em campo estão mais altos que o considerado normal 12 e 26 meses respectivamente conforme as apurações a proporção de vacas em lactação frente ao total de vacas está atualmente em 70 quando deveria ser no mínimo de 83 problemas reprodutivos por sua vez caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

p. 10

universidade de sÃo paulo departamento de economia administraÇÃo e sociologia escola superior de agricultura luiz de queiroz piracicaba 04 de outubro de 2011 são ocasionados principalmente pela alimentação deficiente os indicadores de produtividade também são muito importantes principalmente os que dizem respeito à produtividade por área comenta aline ferro das regiões pesquisadas as que estão nos três estados do sul foram as que tiveram os melhores resultados quanto à produtividade por área com média de 9.100 litros/ha/ano já goiás minas gerais e são paulo ficaram com média de 2.300 litros/ha/ano o aumento da produtividade se faz necessário para que sejam diluídos os custos fixos como depreciação de benfeitorias máquinas forrageiras perenes animais de serviço e o custo de oportunidade da terra explica a pesquisadora com base nos dados dos painéis a equipe observou que as pastagens estão em sua grande maioria em algum nível de degradação somente 30 dos produtores fazem algum tipo de manutenção anual controle de pragas e daninhas calagem e adubação na média o tempo de vida útil do pasto gira em torno de 13 anos informa o cepea no entanto como não é feita a manutenção adequada cada vez mais as reformas estão sendo feitas num período menor tornando-se inviável para o produtor economicamente nesse caso medidas simples de manejo poderiam otimizar esse recurso e diminuir os custos com alimentação sugerem os pesquisadores da equipe leite/cepea na avaliação dos responsáveis por essa pesquisa não há complicação para o produtor e/ou seus funcionários manterem anotadas as operações realizadas na propriedade e com o rebanho os insumos e suas quantidades utilizadas bem como os custos dos produtos e das aplicações essa providência relativamente simples ajudaria o produtor a ter maior controle das atividades dos gastos ajudando-o a avaliar a eficiência das operações realizadas com base nesses dados seria possível direcionar a tomada de decisões de forma adequada e eficiente comenta aline ferro nesse processo completa fica clara a importância de se contar com mão-de-obra treinada de modo que os funcionários saibam alocar os recursos existentes na propriedade adequadamente esse seria o caminho para se obter uma produção leiteira sustentável economicamente no longo prazo outras informações sobre o mercado lácteo www.cepea.esalq.usp.br/leite e através do laboratório de informação do cepea com a pesquisadora aline barrozo ferro e prof sergio de zen 19-3429-8836 8837 e cepea@esalq.usp.br caixa postal 132 · 13400-970 · piracicaba sp · brasil · tel 19 3429-8837 · fax 19 3429-8829

[close]

Comments

no comments yet