Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

 

Embed or link this publication

Description

João Monlevade, Sexta-feira, 26 de Maio de 2017 - Edição 4.145 - Ano XX

Popular Pages


p. 1

SEXTA-FEIRA 26 DE MAIO - 2017 | R$ 1,00 O Diário do Médio Piracicaba Edição: 4.145 - Ano XIX - Fechamento: 18h00 www.bomdiaonline.com Retorno da Samarco pode agravar situação de rios EMPRESA PODE VOLTAR A BOMBEAR 50 MILHÕES DE LITROS DE ÁGUA DE QUALIDADE DO RIO CONCEIÇÃO PARA DESCARTÁ-LA NO MAR Dindão Retirada de água da Samarco do rio Conceição afeta diretamente toda microbacia do Peti. Páginas 4 e 5 Santa Bárbara é pioneira em modelo de cemitério vertical Acom/PMSB Cemitério tem durabilidade prevista para mais de 50 anos. Página 2 Câmara pode assumir emissão de carteiras de identidade Página 7

[close]

p. 2

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 2.cidade EXPEDIENTE BOM DIA • Diretor Responsável: Geraldo Magela Gonçalves (Interino) • Diretor Geral: Luiz Gonazaga de Castro • Comercial: comercial@bomdiaonline.com 3851-1515 • Edição Breno Botelho • Reportagem Kátia Passos • Diagramação/Arte: Sérgio Henrique Braga • Impressão: Gráfica Bom Dia • Colaboradores: Márcio Naoto Suzuki (Up Street) Lúcio Flávio Carlos Augusto - Gugu (Meu Palpite) Tayana Duarte (Interiores com Estilo) Marcos Martino (Cenários) • Representante Comercial: Super Mídia Brasil - BH Central de Comunicação - SC Redação e Administração Rua Nossa Senhora Aparecida, nº 152, Sl. 305, Aclimação, CEP.: 35930-028 João Monlevade / MG / Brasil (31) 3851.1515 • Bom Dia online: www.bomdiaonline.com Circulação: Alvinópolis, Barão de Cocais, Bela Vista de Minas, Bom Jesus do Amparo, Catas Altas, Dionísio, Dom Silvério, Itabira, João Monlevade, Nova Era, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, São Domingos do Prata, São Gonçalo do Rio Abaixo, São José do Goiabal. FUNDADO EM JULHO DE 1998 Bom Dia Comunicação Ltda - ME. CNPJ.: 24538633/0001-16 Todos os Direitos Reservados bomdia@bomdiaonline.com redacao@bomdiaonline.com Associação Regional de Câmaras Municipais deve ser oficializada em junho Barão de Cocais - A Associação Regional de Câmaras Municipais das cidades que integram o Circuito do Ouro deve ser criada oficialmente no dia 23 de junho. Os presidentes das câmaras das cidades de Barão de Cocais, Santa Bárbara, Bom Jesus do Amparo e Catas Altas reafirmaram este objetivo durante a segunda reunião para debater o assunto, realizada na quarta-feira (24), no plenário da Câmara de Barão de Cocais. Também participaram o Guilherme Assis/Acom CMSB Décio declarou apoio para a criação da associação prefeito Décio Geraldo dos Santos (PV) e assessores jurídicos. Juarez Camilo (PSDB), presidente da Câmara de Santa Bárbara e idealizador do projeto de criação desta Associação Regional, informou que o próximo passo é oficializar e registrar a instituição. “Ficou definido que vai se criar uma minuta do estatuto que vai ser bem resumido e enxuto. No dia 23 de junho, vamos nos reunir e eleger o presidente e a diretoria. Depois vamos oficializar e registrar para a associação passar a ter vida no mundo jurídico e nós começarmos a trabalhar no fomento que a gente pretende, que é unir as quatro cidades num só objetivo: defender, cada uma dentro dos seus interesses, o interesse do povo”, afirmou Juarez Camilo. Na opinião do presidente da Câmara de Bom Jesus do Amparo, Eduardo Motta (PT), a iniciativa deve gerar economia para as câmaras, pois, segundo ele, o trabalho em conjunto pode até mesmo diminuir custos de algumas despesas que as casas legislativas têm em comum. Já a presidente da Câmara Municipal de Catas Altas, Vanda Gomes (DEM), acredita que a Associação vai fortalecer as câmaras e os municípios por meio da busca de ações conjuntas apara o desenvolvimento. Santa Bárbara é pioneira em modelo de cemitério vertical Santa Bárbara - A proposta do cemitério vertical biosseguro de Santa Bárbara, o primeiro público do Brasil e único de Minas Gerais nesses moldes, é aliar alta tecnologia e sustentabilidade, garantindo conforto e segurança. No município serão, ao todo, 265 gavetas, distribuídas em sete andares e com durabilidade superior a 50 anos. São peças únicas, sem emendas, produzidas em fibra de vidro e resina de garrafa pet. Cada túmulo construído significa 167 garrafas pet a menos no meio ambiente. As gavetas ocupam uma área de menos de 100 m². No sepultamento convencional seria necessário 546m² para a mesma quantidade de sepulturas. A proporção é de um sepultamento convencional para cada sete sepultamentos verticais. As gavetas não possuem poros. Logo, não há vazamento dos líquidos provenientes Acom CMSB O modelo não contamina o ar, o solo ou o lençol freático da deterioração dos corpos, impedindo, assim, a passagem de gases para o espaço de circulação de trabalhadores e visitantes. Além disso, há dispositivos que permitem a troca gasosa em todas as gavetas, propiciando as condições necessárias para a decomposição. O sistema rotativo de gavetas resolve a necessidade de novas sepulturas com o passar do tempo, pois os corpos permanecem ali por três anos em um processo de decomposição, sendo, então, direcionados, posteriormente, para um ossuário, com identificação do sepultado. Seguindo o padrão sus- tentável, as lápides são feitas com um tipo de granito ecológico, desenvolvido a partir do bagaço da cana-de-açúcar, 20% de palha de coco seca, carbonato de cálcio misturado a areia, fibra de vidro e resina com 30% de garrafa pet reciclada. Uma cabine, acoplada às gavetas, abriga o Módulo de Controle e Comando (MCC). Deste local são monitoradas a pressão, a temperatura e a umidade de cada túmulo. O espaço também comporta o sistema de tratamento de gases, proveniente das gavetas. Três colunas filtram esse ar sujo, devolvendo-o ao ambiente sem odo- res. Outra válvula recebe o ar limpo da natureza, que é injetado em todas as gavetas ocupadas, ao mesmo tempo. O modelo de sepultamento não contamina o ar, o solo ou o lençol freático. Além disso, reduz o nível de enxofre lançado no meio. Nestes moldes o sepultamento leva apenas 10 minutos, enquanto da maneira tradicional são 55. Todo o processo descrito atende por completo a Resolução CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente) 335/2003, que detalha as diretrizes a serem seguidas para licenciamento ambiental tanto de cemitério convencional quanto vertical. A obra, no valor de R$ 447.555,63, foi construída com recurso próprio. PREFEITURA MUNICIPAL DE BELA VISTA DE MINAS – PREGÃO PRESENCIAL Nº 28/2017 no dia 08/06/2017 às 14h. Objeto: Aquisição de materiais pré-moldados. O Edital se encontra à disposição dos interessados no setor de licitações, Av.: Arthur da Costa e Silva, 70, Centro, de segunda à sexta-feira no horário de 7h às 11h e 13h às 17h. ou através do site: www.belavistademinas.mg.gov.br Bela Vista de Minas, 25 de maio de 2017. Maiores informações poderão ser adquiridas pelo telefax: (31) 3853-1271/1272. Wilber José de Souza – Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE BELA VISTA DE MINAS – Aviso de Licitação: PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/2017 no dia 08/06/2017 às 08h30m. Objeto: Locação de veículos com condutores para transporte eventual. O Edital se encontra à disposição dos interessados no setor de licitações, Av.: Arthur da Costa e Silva, 70, Centro, de segunda à sexta-feira no horário de 7h às 11h e 13h às 17h. ou através do site: www. belavistademinas.mg.gov.br Bela Vista de Minas, 25 de maio de 2017. Maiores informações poderão ser adquiridas pelo telefax: (31) 3853-1271/1272. Wilber José de Souza – Prefeito Municipal

[close]

p. 3

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 CONECTE JÁ (31) 3851-0475 Av. Getúlio Vargas, 4.906 www.internetsuper.com.br 3.política Vereadores afirmam que prefeita está mal assessorada João Monlevade - Os vereadores de João Monlevade teceram duras críticas aos secretários municipais da prefeita Simone Moreira (PSDB) durante reunião do Legislativo na última quarta-feira (24). Entre as críticas, os parlamentares apontaram que as ações de alguns assessores estão colocando em cheque os trabalhos da chefe do Executivo monlevadense. Sem citar nomes, alguns vereado- Arquivo Bom Dia Toninho apontou detalhes na obra do velório municipal res demonstraram estar irritados com a falta de atitudes de detentores dos cargos de confiança. O vereador Antônio de Paula Magalhães (Toninho Eletricista – PDT) foi o primeiro a reclamar. Ele começou o discurso apontando que ainda faltam detalhes na obra de revitalização do velório municipal, como placas de identificação e aviso do uso correto do bebedouro. Coisas descritas por ele como simples e que deveriam ser providenciadas pelos assessores da prefeita. “A Assessoria tem que ser competente para resolver esses casos, mas está deixando a desejar e colocando a prefeita em maus lençóis. O assessor tem que ser competente para resolver a situação, pois são pequenos detalhes que elevam a grandeza do administrador. Não cabe a prefeita fazer e sim ao assessor”, pontuou o pedetista. Outro que não poupou críticas aos secretários municipais é o vereador Revetrie Teixeira (PMDB). Apesar de integrar a base do governo Simone Moreira, o parlamentar não tem poupado críticas à gestão. Em relação ao secretariado, ele foi enfático ao usar a tribuna e disparar que a prefeita precisa “chegar mais perto dos secretários porque tem assessor fazendo merda”. O parlamentar também não citou nomes. O petista Gentil Bicalho fez alerta semelhante. Para ele, Simone Moreira tem dificuldade com sua assessoria, que não está dando base para que ela faça uma administração que João Monlevade merece. “Temos que alertar”, ponderou. Polêmica do reajuste dos servidores volta à pauta da Câmara João Monlevade - A polêmica sobre o reajuste de 5,38% nos salários dos servidores públicos da administração municipal de João Monlevade voltou à pauta da Câmara de Vereadores nesta semana. O índice de aumento foi aprovado pela maioria dos parlamentares há 15 dias. Na última quarta-feira (24) o assunto foi retomado após o secretário do Sindicato dos Servidores no Serviço Público de João Monlevade (Sintramon), Carlos Silva, usar a tribuna popular durante a reunião do Legislativo. Ele defendeu reajuste maior para o funcionalismo ao invés de apenas 5,38%. Carlos Silva entregou aos vereadores um documento, que segundo ele, foi elaborado com base em dados coletados do Portal Transparência da Prefeitura onde mostra que administração teria condições de dar um aumento acima do oferecido em mesa de negociação. O sindicalista aponto no documento que a arrecadação do município de João Monlevade cresceu 9,18% no mês passado, em relação ao mesmo período do ano passado. “Os argumentos do Sintramon de que a Prefeitura poderia dar um reajuste melhor não estavam incorretos. Se houvesse um pouquinho de boa vontade da Prefeitura, poderiam melhorar o percentual [dos 5,38%]. Até outubro vou provar que cabem os 9%. Essa situação deveria ser no mínimo avaliada por esta Casa”, disse Carlos Silva durante seu pronunciamento. O presidente da Câmara, vereador Djalma Bastos (PSD) ponderou ao secre- tário do Sintramon que a entidade foi orientada a continuar as negociações salariais mesmo após aprovação do projeto pela Câmara. O vereador disse também que os colegas votaram com consciência a matéria que prevê o aumento salarial. Entrega de boletim revolta vereador Ainda durante a reunião do Legislativo, o vereador Cláudio Domingues Magalhães (Cebolinha-PTB), demonstrou irritação com um boletim do Sintramon distribuído em órgãos públicos e escolas. No informativo, a entidade listou os vereadores que votaram a favor do projeto do aumento salarial de 5,38%. Como o índice foi rejeitado pela categoria, o boletim classifica os vereadores favoráveis à matéria como “vereadores que não apoiaram o funcionalismo”, com a reprodução de fotografia de cada parlamentar. Cebolinha disse que teve acesso ao impresso por meio de um aluno da escola municipal do bairro Promorar. O informativo teria sido entregue por funcionários da instituição e, devido ao fato, ele exigiu medidas da Secretaria de Educação. O vereador taxou a distribuição do material como abusiva. Em nota, a diretora da escola, Rúmia Lourdes de Souza Castro, alegou que não tinha conhecimento da distribuição do informativo por parte de funcionários. Ela atestou também que por orientação do secretário de Educação, Teotino Damasceno, listou os profissionais que distribuíram o material e repassou a ele as informações. Câmara autoriza convênio entre Prefeitura e Apac Santa Bárbara - O vereador Geraldo Magela Silva “Gegê” (PP), teve aprovado o anteprojeto de lei 004/2017, de sua autoria, que autoriza a Prefeitura de Santa Bárbara a firmar convênio com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) em prol da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac). O objetivo é a contratação de pessoas com residência ou familiares em Santa Bárbara para a prestação de trabalho externo. Segundo Geraldo Magela da Silva, o anteprojeto de lei visa dar oportunidades reais de ressocialização “àqueles que forem inseridos no sistema penal; o objetivo é incentivar a verdadeira recuperação do homem, que deve ser dada pelo trabalho e pela inclusão social, prevenindo a prática de novas infrações penais”, explicou o vereador. “Essa ação do prefeito irá beneficiar as pessoas que por algum motivo erraram na vida, mas merecem outra chance e o mais importante: retomar a vida na sociedade com dignidade e respeito”, defendeu.

[close]

p. 4

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 4.ambiente Adutora da Samarco pode pre ÁGUA DE QUALIDADE BOMBEADA DO RIO CONCEIÇÃO, CASO OP INTERFERIRÁ DIRETAMENTE NA QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS R Santa Bárbara – Defendendo o capital e deixando de lado a vida, prefeitos e deputados que participaram de audiência nesta terça-feira (23) na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para discutir as operações da mineradora Samarco defenderam a retomada das atividades da empresa. A redução na arrecadação de impostos e o aumento do desemprego foram as duas principais razões apontadas para a defesa do retorno dos trabalhos da mineradora Samarco. Porém, para que haja a liberação, a prefeitura de Santa Bárbara quer que a Samarco recupere a Bacia do Peti, local que enfrenta degradação ambiental e que para tanto seria necessário a implantação de ETE´s em Barão de Cocais e Santa Bárbara. Abuso da água Apesar de ter sido responsável pelo maior desastre ambiental da história do Brasil, com um golpe de morte dado ao já cambaleante Rio Doce – além de afetar outros 3 rios - a Samarco irá retirar água de qualidade do rio Conceição para continuidade de suas operações. Se dependesse dos que defendem o capital isso já teria acontecido, não fosse o compromisso com a legislação e a vida do prefeito Leris Braga, da cidade de Santa Bárbara, que vem enfrentando uma luta desigual, Fotos: Dindão Estação de bombeamento pode retirar 50 milhões de litros de água por dia do rio Conceição defendendo uma solução que possa amenizar e atenuar os riscos de, mais uma vez, serem os rios vítimas da irresponsabilidade das empresas e dos órgãos fiscalizadores. Segundo um engenheiro ambiental que preferiu não se identificar, já que trabalha como terceirizado de uma mineradora, o impacto negativo do bombeamento desse volume de água do rio Conceição é visível aos olhos de qualquer leigo: “Não precisa de estudo para em um primeiro momento perceber que essa ação cause impactos negativos à jusante – rio abaixo - da captação. Não estamos falando de pouca água, estamos falando de 2.048 m3 de água por hora, estamos falando de mais de 50 milhões de litros por dia. Esse volume, em apenas 3 dias de bombeamento, daria para abastecer toda população de Santa Bárbara por um mês”, revela o engenheiro. Ainda segundo o profissional, o impacto perceptível sem estudo é o fato da água “boa” do rio Conceição contribuir para o equilíbrio da qualidade das águas quando esse recebe o Rio São João em Barra Feliz: “As águas do Conceição a partir de Brumal mantêm uma boa qualidade, mas quando recebe o São João, este já vem comprometido com esgoto doméstico entre outros agentes poluidores e juntos formam o rio Santa Bárbara. Daí pra frente o Santa Bárbara recebe todo esgoto de Barra Feliz e de Santa Bárbara, desaguando no lago de Peti, passando por São Gonçalo e posteriormente desaguando no Piracicaba em Capela Branca, comunidade de Bela Vista de Minas”, explica. “Imaginem retirar esse volume considerável de água, justamente a que contribui para manter a vida dessas unidades hídricas a jusante. Imaginem esse bombeamento no período de seca quando o volume naturalmente reduz em torno de uns 40%, isso afetaria não só o rio Santa Bárbara, mas seria uma cadeia de impactos, aumentando a contaminação do lago de Peti, do Piracicaba e ao já moribundo Rio Doce”, pondera o engenheiro. O também engenheiro ambiental e professor Cláudio Bueno Guerra tem o mesmo pensamento sobre a situação, concordando com as colocações do colega. O experiente engenheiro sanitarista Jorge Borges também compartilha desse raciocínio. Jorge Borges é membro da direção do CBH Piracicaba, e durante audiências públicas em Brumal, na ocasião do primeiro licenciamento questionou: “Como ficará o distrito de Barra Feliz depois de retirada de cerca de 50 milhões de litros de água por dia do rio Conceição? Como ficará o esgoto doméstico de Santa Bárbara? Como ficará a bela represa do Peti? Como ficará o sistema hídrico da bacia do rio Piracicaba já que esta água não retornará?”, criticou na época. Situação crítica de Peti A Represa do Peti, área de preservação ambiental e reserva ecológica, tem um espelho d’água com 708 hectares e uma Estação Ambiental, inaugurada em 1983 com 603 hectares. A área onde está instalada é uma transição da mata atlântica com serrado. O impacto da retirada do volume d´água do rio Conceição pela Samarco durante o período que antecedeu ao desastre causado por ela com o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, foi notório para os moradores ribeirinhos e sitiantes da represa. A represa, que a cada dia vem sofrendo com a redução no seu volume de água, viu o problema intensificado durante o período de bombeamento. Moradores relataram uma queda brusca no volume Moradores ribeirinhos do lago de Peti relatam que quando houve bombeamento, o nível das águas baixou e o mau cheiro aumentou

[close]

p. 5

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 5.ambiente ejudicar quatro rios e um lago PERAÇÃO DA EMPRESA RETORNE, SERÁ DESCARTADA NO MAR E RIOS SANTA BÁRBARA, PIRACICABA, DOCE E DO LAGO DE PETI Morador ribeirinho relata que há 40 anos, o rio Conceição tinha o dobro do volume de água de água bem como um aumento da turbidez da água e também do mau cheiro causado pelo esgoto, sem contar a mortandade de peixes que ocorreu em diversas situações que não ficaram esclarecidas. “Já estamos com pouca chuva, quando entra o inverno ai diminui mais ainda e a represa baixa muito. Quando a Samarco começou a bombear água do rio Conceição aí a coisa piorou e muito, principalmente no período de seca, estava um fedor insuportável em determinados dias”, denunciou um morador que preferiu não se identificar temendo represálias. Vale lembrar aqui, os resultados da pesquisa interdisciplinar realizada pela UFMG, no período 1993-1997, na bacia do Rio Piracicaba, intitulada “Biodiversidade, População e Economia”. Segundo o consultor ambiental Cláudio Guerra, que foi um dos coordenadores dessa pesquisa, que foi publicada em livro de mesmo nome, os resultados são preocupantes, pois as análises mostraram que em amostras do sedimento (fundo) dos rios São João, Santa Bárbara e Piracicaba as concentrações de metais pesados como Hg, Cd, Cr, Zn estão acima do limite aceitável. Em amostras de peixes, a concentração de mercúrio acumulado na carne dos mesmos está acima do limite aceitável, especialmente naquelas coletadas no Reservatório de Petí. Esta forma de poluição aquática é preocupante pelo fato dos metais pesados não serem degradáveis, acumularem-se nos organismos vivos, por décadas, e penetrarem na cadeia alimentar, podendo assim atingir o homem. Além disso, eles são tóxicos e podem também dizimar a biota, isto é, o conjunto de organismos vivos de um determinado ecossistema. Pressão O prefeito de Santa Bárbara vem recebendo pressão do capital – através de investidas do prefeito de Mariana e de Anchieta, no Espírito Santo, que após a paralização da Samarco tiveram a arrecadação de seus municípios reduzida consideravelmente. Alguns deputados estaduais de Minas e do Espírito Santo e o próprio governo mineiro também vem pressionando para que a mineradora retorne suas atividades de olho na arrecadação de impostos – deixando a questão ambiental e a vida de lado. Entretanto, a maior pressão tem sido observada na atitude da grande mídia que, atendendo ao poder do capital da mineradora e suas detentoras – Vale e BHP Billiton, desconhece e desconsidera a situação local, onde Santa Bárbara e inúmeros outros municípios atingidos pela atividade da Samarco não recebem nenhuma contra partida da mineradora. Matérias e mais matérias, na tentativa de manipular a opinião pública, vem sendo veiculadas nos grandes meios de comunicação colocando o prefeito de Santa Bárbara como empecilho ao retorno das atividades da mineradora ao não conceder licença para a mesma bombear água do rio Conceição. As matérias desconsideram as condições da região, os impactos causados pela ação de retirar água da bacia hidrográfica do Piracicaba entre outros fatores que envolvem a sobrevivência das comunidades aquáticas e o equilíbrio ambiental local e regional. Resistência Atento às consequências negativas o prefeito de Santa Bárbara vem resistindo, amparado pela opinião pública dos santa barbarenses e das comunidades locais envolvidas e reféns da atividade mineradora. A adutora Em 2009 a Samarco iniciou a construção da adutora no distrito de Brumal e, quatro anos depois, o mineroduto de 40 quilômetros de extensão foi concluído e passou a captar 2.048 m3 de água por hora. A ação durou até 2015, quando os trabalhos no local foram interrompidos com o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana. Por conta dos desastres, os licenciamentos da Samarco foram suspensos pela Semad e no momento passam por reavaliação. O rio Santa Bárbara se mantém poluído por esgoto doméstico

[close]

p. 6

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 6.cultura Artista plástico monlevadense entrega maquete para mais uma dupla sertaneja João Monlevade – O trabalho do artista plástico André Freitas está, cada vez mais, presente entre os amantes de casas e prédios que tenham valor sentimental. André, ficou nacionalmente conhecido após receber vários elogios após entregar à dupla Zezé di Camargo e Luciano a miniatura da casa onde foram criados em Goiás. A obra foi entregue aos sertanejos durante apresentação em São Gonçalo do Rio Abaixo. Após o episódio, André viu o número de trabalhos aumentarem. Cada novo cliente se tornou um divulgador do trabalho do artista, diante de tamanha satisfaço com o trabalho. Foi assim que Freitas chegou até o programa global É de Casa. Ele recebeu, em João Monlevade o apresentador Zeca Camargo e retribuiu a visita à Globo, onde foi desafiado a replicar a casa que compõe o cenário do programa. “O André é bastante conhecido, quando o cara é bom ele é conhecido. Vi Fotos: Divulgação A casa em que Victor e Leo foram criados foi reproduzida Imóvel em que viveu Freddy Mercury receberá uma maquete o trabalho dele e a repercussão principalmente na rede social. Isso tem a ver com a gente que trabalha com casa, a pauta do programa tem a ver com casa, o aspecto de fora, de dentro, reforma, construção e até de sonho, de fantasia, que é o trabalho do André, que tem uma arte assim em volta de uma casa”, contou Zeca Camargo. O alto padrão de qua- lidade do trabalho fez com que artista se aproximasse de pessoas da emissora. Tanto que o mais recente trabalho dele foi encomendado pelo Fantástico. Trata-se a maquete da casa onde a dupla Victor e Leo foi criada. Para a realização do trabalho, André chegou a visitar a casa para que todos os detalhes fossem reportados. Além dos trabalhos para as duplas sertanejas e para o É de Casa, André Freitas ainda tem em seu currículo trabalho entregues a Ana Maria Braga, e ao Caldeirão do Huck, quando reproduziu a casa da apresentadora Angélica, em São Bernardo do Campo. O artista ainda conta na sua fila de encomendas a casa em que o cantor Alexandre Pires viveu em Uberlândia. Mesmo com maquetes já entregues na Espanha e Portugal, um novo pedido chamou a atenção de André: a organização do Rock’n Rio já realizou a encomenda a reprodução da casa do cantor Freddy Mercury, em Londres. “Meu trabalho é muito solitário. Quando a gente vive esse momento de reconhecimento é como um artista, em um palco, sendo aplaudido por uma multidão. Eu fico extremamente lisonjeado”, exemplificou o artista. Atriz monlevadense lança livro infantil que alerta contra abusos João Monlevade - A atriz, escritora, cantora e compositora monlevadense, Janaína Starling lança, no próximo dia 2 de junho, em João Monlevade, seu primeiro livro infantil: “O Medo e a Coragem”, ilustrado pelo artista Laz Muniz. O lançamento será na Fundação Casa de Cultura, às 19h, com entrada franca. A obra, segundo a escritora, é uma estória feita em versos que busca sensibilizar crianças e adolescentes para enfrentarem e, sobretudo, denunciarem abusos como pedofilia, trabalho infantil e demais atos criminosos segundo a lei brasileira, mas que ficam muitas vezes impunes, por falta de coragem das vítimas em relatar os episódios. Segundo a autora, o trabalho é uma contribuição na luta contra os abusos sofridos por crianças e adolescentes. “Espero com este trabalho contribuir para que amanhã haja menos adultos crescidos sob a dor do silêncio e menos impunidade. E que mais crianças encontrem, hoje, um apoio para, do seu modo, conseguirem se defender. Divulgação Sabemos que esse é um crime grave, que acontece, na maioria das vezes, dentro das casas”, diz a artista. Ainda segundo Janaína, o livro “O Medo e a Coragem” pode ser trabalhado em salas de aula, com grupos de jovens, em creches e demais espaços de saber que envolvam crianças e adolescentes.

[close]

p. 7

BOM DIAsexta-feira, 26 de maio de 2017 CONECTE JÁ (31) 3851-0475 Av. Getúlio Vargas, 4.906 www.internetsuper.com.br 7.cidade Apesar de grande número de notificações, Código de Posturas não gera multa João Monlevade - O Código de Posturas de João Monlevade, revisado e aprovado pelos vereadores no ano passado passou a vigorar na cidade há alguns meses. Na legislação é prevista multa, por exemplo, para quem não limpar lotes ou quem descartar lixo em local irregular. Fiscais de posturas têm percorrido a cidade e autuado os sujões. Ainda conforme a lei municipal, os valores das multas vão de cerca R$ 200,00 a R$ 2 mil (2 a 20 Unidade Fiscal Padrão da Prefeitura). No entanto, apesar do grande número de infrações apontadas – mais de 500 do mês de janeiro a maio -, nenhuma irre- Fotos: Katia Passos Nenhuma notificação do novo código se transformou em multas gularidade virou multa. A constatação foi denunciada na última reunião da Câmara de João Monlevade (dia 24) pelo vereador Belmar Diniz (PT). Ele apontou ainda que somente na última terça-feira (23), os fiscais de postura do município fizeram 26 notificações. “Segundo a chefe do setor de posturas, só ontem [última terça-feira, 23] foram realizadas 26 notificações e desde janeiro umas 500. O problema é que até o momento nenhuma virou multa . Procurei explicações no setor Jurídico da Prefeitura e me informaram que não depende deles e sim da Secretaria de Serviços Urbanos. Uma vergonha. Infelizmente os fiscais estão perdendo a credibilidade”, disse. O parlamentar flagrou no bairro Sion, um bota fora. No local, além de muito lixo e entulho, virou ponto de descarte de carcaça de animais. O vereador Thiago Araújo (Titó-PDT), que foi um dos revisores do Código de Posturas, cobrou atuação da Prefeitura, segundo o Código de Posturas. Para defendeu que se houver algum entrave que esteja prejudicando a atuação dos fiscais, que as correções devam ser feitas. A mesma postura foi defendida pelo tucano Guilherme Nasser que também participou da elaboração da lei municipal. Polícia pode deixar de emitir identidades João Monlevade - A expedição de Carteiras de Identidade em João Monlevade pode passar por mudanças. É que há possibilidade da Polícia Civil da cidade não emitir mais o documento e a Câmara de Vereadores, que já faz o serviço, acumular a atribuição. A justificativa da suspensão da ação pela polícia é a falta de funcionários – já que o servidor que emite a identidade precisa passar por curso e somente a ele pode ser atribuída a função. Nesse mês de maio, inclusive, o serviço de emissão de identidades pela Polícia Civil está suspenso devido a férias dos funcionários. Procurado, o presidente da Câmara de João Monlevade, Djalma Bastos (PSD) explicou que “toda ação que objetive oferecer um serviço melhor ao cidadão, em especial um tão demandado quanto a emissão de carteiras de identidade, é analisada pela Câmara. Qualquer ação neste sentido será feita a partir de muito diálogo entre as partes, objetivando único e exclusivamente o atendimento de qualidade ao cidadão”.

[close]

p. 8



[close]

Comments

no comments yet