Revista-Comercio-Industria-Maio-2017

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Maio-2017

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

ÍNDICE EDIÇÃO N°142 - MAIO / 2017 CAPA Moda, lazer e entretenimento ECONOMIA Em busca da recuperação CREDICENTRO Contas aprovadas POLÍTICA Edinho sob investigação 08 Quer viajar neste outono/inverno? Gi Bonalda, Érica Garutti e Débora Maurine Rodrigues podem lhe ajudar a planejar este sonho. 12 De acordo com dados do Caged, munícipio de Araraquara criou 298 novos postos de trabalho; setor da indústria é o que mais cresce. 18 Presidente Jaime Alberto de Vasconcelos Apostando na transparência, cooperativa se fortalece no mercado financeiro, realiza assembleia e comemora 34 anos em maio. 19 Prefeito Edinho Silva No ano em que Araraquara comemora seu bicentenário, nossa população presencia clima de apreensão na Prefeitura. Movimentação financeira 17 | Saques do FGTS podem render mais de 347 milhões para a economia local. Sincomercio 30 | Segunda data mais importante do comércio nacional, o Dia das Mães é visto com bons olhos neste ano. Sindicato Rural 41| Sindicato é convidado a participar do comitê integrante do bicentenário da cidade. Canasol 50 | Trabalho da associação chama a atenção de produtores alemães, que realizam visita especial. CPFL nos últimos anos, usa e abusa Quase todos os meses ocorrem apagões no fornecimento de energia elétrica pela CPFL em Araraquara. Na maioria das vezes a companhia explica que “cerca de 2/3 do tempo em que falta energia, corresponde a interrupções emergenciais, provocadas por fatores externos ao sistema elétrico, como os temporais, com quedas de árvores, colisões de veículos contra postes e objetos que atingem a rede – pipas, balões e galhos de árvores, além de furtos de cabos. O outro terço corresponde a desligamentos programados, informados previamente aos clientes e organizados para que a empresa possa executar obras de melhoria na rede elétrica”. A bem da verdade, outros fatores têm contribuído para a queda na qualidade dos serviços da companhia em Araraquara nos últimos anos, um deles, a redução de É preciso melhorar profissionais para a manutenção da rede e o distanciamento da comunidade. Em Franca, dois anos atrás, o Procon multou a CPFL em R$ 610,9 mil devido a uma série de interrupções no abastecimento de energia elétrica que provocaram transtornos a moradores e comerciantes. Aqui ninguém se mexe, principalmente a classe política. Olho na carga Os caminhões que trafegam pela rodovia, de forma irregular, danificam muito a pavimentação Rodovia Vicinal Graciano da Ressurreição Affonso está sendo fiscalizada por meio de câmeras de videomonitoramento. Os Guardas Civis Municipais lotados na Central de Videomonitoramento, quando detectarem caminhões com cargas acima de sete toneladas trafegando pelo local, deverão lavrar o auto de infração de trânsito. 4

[close]

p. 5

LITERATURA Loyola, sempre lembrado DIA DA CACHAÇA O gostinho bem brasileiro 29 66 Legado literário do escritor araraquarense Ignácio de Loyola Brandão é tema de doutorado na Unesp de Franca. Conheça os encantos da bebida fabricada pela família Vanalli, que deixou a Itália para fazer história em nossa região. Parabéns, Marzo 62| Tradicional agência de Araraquara comemorou 28 anos de comunicação e foi homenageada no Hotel Municipal. Vida Social 69| Maribel Santos destaca em sua coluna os fatos que marcaram a nossa vida em sociedade. Os sinais da terra prometida Araraquara também está entre as cidades que acolheram refugiados sírios em busca do recomeço. A família Akoghlanian, composta pelo casal Raffi e Silva e pelos filhos Awadis e Sali, está na cidade há cerca de três anos e meio contando com o apoio da Igreja Presbiteriana, que auxiliou todo o processo de refúgio e adaptação no país. “Temos dado toda a ajuda que podemos, mas há elementos que dependem do Estado e vão além das nossas possibilidades”, observa Antonio Sorbara Jr., que tem colaborado com a família Akoghlanian, juntamente com Jorge Barrientos Parra e Iloni Barrientos, todos membros da congregação religiosa. “Não se trata de assistencialismo. A ideia é encontrar meios legítimos para eles obterem seu sustento”, explicam. Nos anos em Araraquara, Raffi já trabalhou em uma pizzaria. “Mas ele teve muitas dificuldades com o idioma”, lembra o filho Awadis, de 26 anos, que não poupa esforços para ajudar a família. Awadis trabalhou em um supermercado e depois passou para um hotel, primeiro no restaurante e atualmente, na recepção, onde pode usar a língua inglesa, que domina. A irmã Sali, de 27 anos, trabalha em um laboratório de análises clínicas e ajuda a mãe a preparar doces e salgados sírios. “Já passamos pela fase mais difícil, quando não sabíamos a língua, então não conseguíamos conversar, pedir informações ou ler placas de ruas”, conta Awadis. Família síria recebida na Câmara Municipal DA REDAÇÃO por: Sônia Maria Marques Segurança: Que Deus nos livre dos bandidos Pacientemente, a população de Araraquara vai se habituando à carência de uma segurança pública mais efetiva e distante do que a cidade merece. Seguindo na contramão da história, pois o efetivo é menor para uma população maior e os veículos proporcionalmente somam índices mais reduzidos que outrora, Araraquara está aberta aos assaltos e roubos, ainda que as autoridades minimizem o quadro pintado pela criminalidade. Não devemos atribuir essa responsabilidade aos que dirigem aqui nossas polícias militar e civil, mas aos que desenvolvem programas distantes das raízes de cada município. Os que convivem com os nossos traços e costumes sabem que a realidade de Araraquara está longe do que vem enlatado pelas chefias e ninguém é doido de expor a cabeça a prêmio, contestando atos absurdos que deixam a segurança da população no fio da navalha. A retirada do 190 de cidades como Araraquara e Franca, por exemplo, vai além dos limites e nem os exemplos de descaso e ignorância sensibilizam os sábios nos gabinetes. Vejam só: liga-se em Araraquara para 190 chamando a polícia, a ligação cai em Ribeirão Preto e procura-se a rua em Franca para se dar o atendimento. Quando não, a Polícia Técnica pede para não se alterar o cenário da casa arrombada e só vai aparecer dois ou três dias depois para a perícia em total desrespeito ao cidadão que paga seus impostos. Com fundamento no texto constitucional, a Polícia Militar é responsável pelo policiamento ostensivo e preventivo; A Polícia Civil é aquela que atua depois que um crime ocorre, buscando esclarecer o que aconteceu. Às vezes, nem uma e nem outra. Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Editor: Matheus Vieira (MTB 67.923/SP) Diretor Comercial: Humberto Perez Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Heloísa Nascimento, Anderson Rovina Design: Carolina Bacardi, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br 5

[close]

p. 6

6

[close]

p. 7

EDITORIAL por: Ivan Roberto Peroni Seo Antonio: “Prefiro morrer que perder a confiança que as pessoas têm em mim”. Entendemos que quase todas as frentes do sistema político estão sob uma nuvem de escândalo. Está provado que toda e qualquer cidade, se levada a fundo, vai encontrar a ponta do seu iceberg formada pela corrupção e o mar de favorecimentos e benefícios a decorá-la. Araraquara ainda recentemente, entrou para a história com o caso Napeloso. São Carlos foi maculada por prefeitos que investiram descaradamente em atos que tornaram submissa sua população. Vemos na parede o quadro dantesco da roubalheira deitada na esteira do tempo, minimizando Saúde, Segurança, Educação, Trabalho e uma gente humilde que perambula sem perspectiva, a não ser a esperança. “Seo Antônio” é um desses homens simples, criado na roça e que num certo dia, trazido pelas mãos do pai desembestou na cidade grande. Comeu o pão que o diabo amassou descarregando caixas de Coca nos bares e botecos; foi operário por interesse próprio, cavocou ruas e avenidas nos tempos do Pierri do DAAE pois a água precisava brotar em cada canto e depois de aposentado, se vira nos 30, ora como pedreiro, ora como pintor. Não descarta em nenhum momento a enxada na hora de carpir, fazendo dela sua volta ao passado e uma ferramenta jamais usada em redes sociais. Bem informado “seo Antonio” também está, pois a cada nome de político anunciado que ele aprendeu a conhecer nos últimos dois anos e envolvido na Lava Jato, vem a exclamação: “Xiii, esse cara se estrepou!”. E assim vai ele pelas ruas do São Geraldo, às vezes lembrando os sagrados pensamentos deixados por seu avô: “Meu filho, o homem não deve dar o passo maior que a perna”. E dentro da sua vã filosofia, acaba concluindo que quem sabia mesmo das coisas era o seu avô, por coincidência, também Antonio. Dia desses, com o queixo debruçado no cabo da enxada e um mar de mato para carpir, ele ao ouvir mais um nome de corrupto no seu pequeno rádio de pilha, pensou: “Com que cara ele agora vai olhar as pessoas? Se eu atraso a conta do mercadinho uns dias não consigo encarar ninguém. Prefiro morrer do que perder a confiança que as pessoas têm em mim”. Foi pensando assim que “seo Antonio” tornou-se um homem respeitado; por assim agir é que quando passa pelas ruas do bairro - “Oi seo Antonio, como vai? A família vai bem?”. Quando não, até a molecada para de jogar bola pr’o seo Antonio passar. Depois de cruzar aquele imenso estádio traçado no seu caminho, ele sorri para as crianças e ao andar mais uns quinhentos metros, está nos braços da família, tirando dos bolsos as poucas balas voltadas do troco na mercearia do Luís. Os filhos agradecem. De banho tomado, sentado na surrada poltrona que vem dos tempos dos Móveis Lorenzetti, “seo Antonio” vê dentro da televisão outros nomes, mais nomes e outra vez “Xiii esse cara se estrepou!”. Indignado e mergulhado em pensamentos deixa escapar pra mulher uma pergunta: “Como os filhos desse político serão recebidos na escola amanhã?”. Logo se levanta e caminha na casa de um quarto só. Deita e sonha que havia se tornado o presidente do mundo. Suado, assustado, vai acordar duas horas depois para reassumir a simplicidade que o tornou um grande homem, sério, honesto, que jamais tirou um centavo de alguém. Este é o Poder que Deus lhe deu... 7

[close]

p. 8

REPORTAGEM DE CAPA Antenadas, descoladas e em sintonia neste outono/inverno Para não perder nenhum detalhe da tão sonhada viagem, Gi Bonalda, Érica Garutti e Débora Maurino Rodrigues se unem para contar dicas de moda, lazer e entretenimento. O outono e o inverno são ótimos para se planejar uma viagem. Ao menos para quem gosta de uma temperatura mais amena. Mas as vantagens não se limitam apenas a uma condição climática: por ser considerada baixa temporada, os preços também são mais acessíveis. Neste caso, a escassez de chuvas também se torna um fator positivo, pois possibilita melhores condições para se aproveitar um dia. Outro detalhe, este poético, vale ser citado: essas duas estações são “extremamente fotogênicas”: a luz em ambas rendem ótimas fotos, principalmente ao entardecer. Dentro desse universo, até por conta de seu custo benefício, viagens pela América do Sul são ótimas opções. Na Argentina, por exemplo, você pode conhecer Bariloche, a Patagônia ou mesmo Ushuaia. Vizinho de lá, o Chile, tem a fria Santiago e o gelado Valle Nevado. Tirando a capital chilena, em todos os locais dá para brincar de fazer boneco de neve. Essas sugestões de roteiro nos foram sugeridos pelas empresárias Érica Garutti, Gi Bonalda e Débora Capi Maurino Rodrigues. E caso você queira encarar umas aventuras por essas terras, elas podem te deixar preparadas, com dicas em sintonia para curtir cada momento sem dores de cabeça e vestindo modelos elegantes em todos os detalhes. Por isso, que tal seguir esse caminho? 8 A compra da viagem pode ser feita na agência Business Class, onde você pode adquirir sua passagem e personalizar cada passo. Passos esses que podem ser cheios de charme com botas sugeridas pela Bella Constancia, que também tem bolsas e mochilas lindas. Por fim, para o look ficar perfeito, nada melhor que conferir as belas e descoladas roupas da Sagrado Coração de Jesus. “Argentina e Chile, realmente, são os lugares preferidos dos araraquaren- ses que querem curtir uma viagem com temperaturas frias. Para giros curtos (três dias), nós temos pacotes a partir úddPneoeirscRtcaao$-lrape2datroramsatoissl erepaaisss. aÉr uma com experiência a família ou

[close]

p. 9

grupo de amigos”, sugere Érica Garutti, da Business Class. “Somos loja exclusiva Capodarte na cidade. Oferecemos o que há de melhor em conforto e qualidade para nossos pés. Amamos essa marca, pois seus produtos são versáteis e atemporais. Com ela, as mulheres sempre ficam belas”, confirma Gi Bonalda, da Bella Constancia. “Para quem quiser aproveitar o frio, pode ter certeza que temos sugestões excelentes, recheadas de beleza e elegância. Temos todos os tipos de calças para viagem, que além de bonitas, são confortáveis, e também blusas, moletons, entre muitos itens”, completa a proprietária da Sagrado Coração de Jesus, Débora Capi Maurino Rodrigues. PERFIS Localizada na Fonte, a Bella Constancia esbanja charme e beleza em seus produtos, proporcionando uma experiência incrível. Ao lado de Gi Bonalda, as simpáticas Rita e Mara estão sempre com um sorriso no rosto para sugerir calçados, bolsas e vestidos em geral. A loja é representante exclusiva da marca Capodarte em Araraquara. Fundada há mais de 50 anos, a Sagrado Coração de Jesus, na Vila Xavier, oferece aos seus clientes roupas femininas e masculinas de alta qualidade e marcas conceituadas no varejo. O local também trabalha com acessórios e Moda Plus Size. “Nossa equipe está sempre pronta a acolher e oferecer a melhor assessoria em moda. Os planos de pagamento podem ser feitos em até 6x sem juros nos cartões de credito”, informa Débora Capi Maurino Rodrigues. Por fim, a Business Class Viagens, no Centro da cidade, é uma agência que trabalha com uma proposta diferenciada no mercado: o atendimento personalizado ao cliente. “Você será atendido por pessoas que realmente conhecem o assunto, sendo informado sobre os melhores destinos, hotéis e os preços mais baixos, além de locais para diversão e entretenimento. Tudo de acordo com o seu gosto e bolso. Nossa missão é trabalhar para que o cliente desfrute da satisfação de viajar em sua plenitude”, finaliza Érica Garutti. Bolsa com acessórios, bolsa com fivela, bota matelassé e a tendência que veio para ficar: mochilas Argentina e Chile são as opções preferidas dos araraquarenses que querem viajar no outono /inverno Vestido de suede, jaqueta em matelassé, calça montaria com aplicação de couro e colete de pelo sintético 9

[close]

p. 10

PARABÉNS, MAMÃES Em data tão especial, a Ramos dá dicas para presentear sua mãe Confira dez opções modernas e elegantes que prometem agradar diferentes perfis e bolsos. Segunda melhor data comemorativa para o comércio brasileiro (perdendo apenas para o Natal), o Dia das Mães, neste ano, será comemorado em 14 de maio. Em Araraquara, a Ramos Presentes está recheada de opções para agradar os mais diversos e exigentes gostos. Quem nos garante é a proprietária da loja, Silvia Ramos. Para 2017, ela aguarda um aumento em seu movimento de cerca de 15%. Um grande detalhe é que, boa parcela desses clientes é formada pelo público feminino. “Isso é interessante e curioso, mas a maioria das compras é feita, realmente, por mulheres, agora, no caso as mães comprando para as filhas”, conta a empresária. A convite da reportagem da Revista Comércio, Indústria e Agronegócio, Silvia Ramos listou dez sugestões de presentes. Em comum, as peças apresentam modernidade e requinte extremo, além de qualidade de fabricação e custo benefício (confira as dicas no quadro ao lado). Dentro de tudo isso, há uma variação de preços, tornando-os acessíveis aos mais diversos bolsos. “Para criar nosso conceito, somei tudo que carrego dentro de mim: a cultura do Brasil, as idas e vindas em feiras e também as visitas em lojas do ramo fora do País. Tudo para trazer ao público consumidor da cidade e região uma loja que tenha produtos de qualidade, com diversidade de marcas nacionais e inter- nacionais. Existem peças que você só encontra aqui”, diz Silvia. Vale lembrar que a Ramos Presentes foi fundada em 1996. Hoje, ela é referência em toda a Região em seu segmento. Peças exclusivas para decoração Cama, mesa e banho Painéis de fotos para recordações em família 10

[close]

p. 11

Sua mãe vai adorar - Peças para decoração - Taças para um delicioso frisante - Painéis de fotos para recordações em família - Roupões duráveis e fofos - Vasos de vidro e cristal para flores que irão receber - Jogo de taças para vinho - Jogo de copos para cerveja - Lindos arranjos de flores - Canecas para um chá quentinho - Cafeteiras para um café cremoso Mesa decorada com diversas peças em cristal e prata. As compras também podem ser feitas diretamente no site da Ramos Presentes. RAMOS PRESENTES Rua Nove de Julho, 323, Centro Telefone: (16) 3334-7878 Site: www.ramospresentes.com.br 11

[close]

p. 12

EMPREGOS EM ARARAQUARA Cidade tem o melhor resultado em seis meses: 298 novas vagas Segundo o Caged, o município se destacou e abriu postos de trabalho, superando a expectativa neste período de crise. perspectivas muito positivas para o futuro. Ainda que a melhora seja lenta, o fato dela ao menos ocorrer já é essencial para melhorar a confiança dos agentes na economia”, afirma. A economista, no entanto, destaca que é necessária cautela na análise dos dados, pois o ritmo de demissões continua alto. “O aquecimento das vendas, principalmente devido às datas comemorativas desse início de ano, pode ser o movimento que faltava para que o consumo e o emprego começassem a registrar números positivos”. INDÚSTRIA NA FRENTE A indústria lidera ranking da retomada de empregos De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Araraquara criou 298 novas vagas de trabalho no mês de março. Foram 2.510 admissões e 2.212 desligamentos. Esse é o segundo mês consecutivo de saldo positivo no emprego e o melhor resultado registrado pela cidade nos últimos seis meses. No Brasil, houve o fechamento de 63.624 postos de trabalho. Para a economista do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), Délis Magalhães, os números trazem a expectativa de melhora no quadro empregatício de Araraquara. “Apesar de ainda ser cedo para confirmar se os próximos meses continuarão com a tendência de alta, os 298 postos de trabalho abertos na cidade revelam O setor que mais se destacou na criação de vagas foi a indústria, que segue com resultados positivos pelo terceiro mês consecutivo. Das 298 vagas criadas, 147 foram na indústria. O segundo setor com melhor resultado foi o de serviços, com 113 novas vagas. A agropecuária vem em terceiro, com a criação de 52 postos de trabalho. Esse segmento também registrou uma boa melhora na comparação com março do ano passado, quando o saldo foi negativo, com 30 demissões a mais que as contratações. Segundo a economista, a evolução no emprego da agroindústria confirma a boa expectativa de safra para esse ano, que será uma das maiores dos últimos períodos. 12

[close]

p. 13

COMÉRCIO Já o setor de comércio permanece com fechamento de vagas, mostrandose estagnado em relação ao ano passado. O saldo negativo em março de 2017 foi igual ao verificado em 2016 (42 postos de trabalho encerrados). O resultado, porém, já representa uma melhora frente aos meses de fevereiro e janeiro, quando foram perdidos 134 e 81 postos, respectivamente. Os números também indicam para uma desaceleração dos desligamentos e estabilização do varejo, que encerrou o mês com 12.729 trabalhadores ativos. “Para os meses de abril e maio, esperamos um resultado melhor devido à demanda de funcionários para as datas comemorativas. Porém, o grande número de feriados nesses dois meses acabou prejudicando as vendas”, destaca Délis Magalhães. Em números absolutos, observa-se que a redução do mercado de trabalho do comércio varejista de Araraquara em março afetou mais fortemente os EMPREGO TOTAL CONSTRUIÇNÃDOÚSCTIRIVIAL COMÉRCIO 298 147 28 Postos de trabalho em março de 2017 113 52 - 42 SERVIÇOS AGROPECUÁRIA supermercados e as lojas de autopeças e acessórios, que juntas fecharam 44 postos de trabalho com carteira assinada. A dica que a economista dá aos lojistas é investir nas vendas para as datas comemorativas, como o Dia das Mães, para conseguir recuperar o que foi perdido com os feriados. O Núcleo de Economia do Sincomercio atua em parceria com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo da Universidade Estadual Paulista (Unesp/Araraquara). EVOLUÇÃO DO EMPREGO EM ARARAQUARA Outubro/2016: 108 novos postos de trabalho Novembro/2016: 273 postos de trabalho encerrados Dezembro/2016: 737 postos de trabalho encerrados Janeiro/2017: 40 postos de trabalho encerrados Fevereiro/2017: 276 novos postos de trabalho Março/2017: 298 novos postos de trabalho 13

[close]

p. 14

NOVIDADE Todos os detalhes captados pelas câmeras são transmitidos para uma central Tecnologia, segurança e economia a favor do zelo e da integridade A TeddeWork larga na frente em Araraquara e elabora um modelo exclusivo de portaria virtual para condomínios e empresas: o TWVírtua; conheça todos os seus detalhes e vantagens. A preocupação com a segurança é cada vez maior nos mais diversos segmentos de nossa sociedade. No setor de administração condominial, isso não é diferente, afinal, o bem-estar e o resguardo dos moradores estão em primeiro lugar. Essa necessidade levou as empresas prestadoras desse tipo de serviço, a investirem cada vez mais em sistemas remotos de controle de entrada e saída dos residenciais, transformando as portarias pessoais em portarias virtuais. Comum na Europa e Estados Unidos há algum tempo, o modelo vem ganhando bastante terreno no Brasil, transformando-se em uma nova forma de gerenciamento e com um ótimo custo benefício. Atenta ao crescimento desse mercado, a TeddeWork, referência no ramo imobiliário em toda a Região desde o início da década de 70, criou um sistema inovador, versátil e personalizado para esse tipo de controle: o TWVírtua. Unindo tecnologia e segurança, esse software foi totalmente planejado por Jeferson Santos, gerente. O projeto foi 14 elaborado não somente para controlar o acesso a condomínios, mas também para fazer o acompanhamento em empresas. “Esse é um dos diferenciais de nosso sistema: a personalização. Cada um é feito de uma maneira, de acordo com as necessidades e observações dos nossos clientes. Instalamos o sistema em três edifícios em Araraquara e já miramos outras propostas”, comenta Santos. O TWVírtua utiliza mecanismos de monitoramento à distância ligados a uma central única através da internet e câmeras

[close]

p. 15

de alta resolução. Nela são registradas todos os processos de identificação, como diálogos, documentação, placas de carro, etc. Tudo é gravado. Essa tecnologia de última geração consegue atender diversos locais ao mesmo tempo e utiliza uma mãe-de-obra qualificada, com porteiros trabalhando numa central em tempo real por 24 horas, sempre zelando pela integridade do patrimônio. ECONOMIA Fora a excelência e segurança, outra importante bandeira do TWVírtua é a redução de custos. Hoje, a maioria dos condomínios gasta 60% com mão-deobra. Ou seja, a implantação desse sistema remoto possibilita uma significativa economia, reduzindo a taxa condominial. É importante dizer que toda essa tecnologia é aprovada pelo Instituto PróSíndico, entidade especializada no setor condominial. ‘A portaria virtual acaba com a ociosidade e também os passivos trabalhistas’, conta Jeferson Santos, gerente responsável por toda a criação do TWVírtua (à esquerda); ao seu lado, Pedro Tedde Júnior, proprietário da TeddeWork. ATENDIMENTO Av. Padre José de Anchieta, 242|Vila Furlan Araraquara - SP | Fone: (16) 2109-0909 www.teddework.com.br 15

[close]

Comments

no comments yet