Informativo Ceriluz 36

 

Embed or link this publication

Description

Informativo Ceriluz

Popular Pages


p. 1

Ano X / Nº 36 / MAIO 2017 Pg. 8, 9 e 10 UM ANO DE INTERNET AOS ASSOCIADOS A Ceriluz.Net completou um ano de atividades no dia 28 de abril e já está com aproximadamente 10% da sua área coberta com fibra óptica, disponível para levar internet de qualidade para o trabalho e o lazer dos associados. Pg. 3 O RETORNO DOS DESCONTOS NAS FATURAS O Bônus Cooperativa de Geração irá repassar aos associados o resultado das usinas da Ceriluz, na forma de um desconto de 20% nas faturas de energia das classes Rural e Residencial, com estimativa de distribuir aproximadamente R$ 4 milhões. ASSEMBLEIAS GERAIS 2017 Assembleias Gerais foram realizadas no dia 17 de março contando com a apresentação dos resultados e a eleição dos conselhos fiscais. Pg 4 RESULTADOS NA GERAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Apesar de queda na geração, índice de produção foi muito bom. Já na distribuição o consumo de energia cresceu. Pg 5 e 6 PESQUISA DE SATISFAÇÃO Conheça o funcionamento da Pesquisa de Participação Social, pela qual o associado poderá avaliar os serviços e dará sugestões. Pg 11 DEPOIMENTOS DE PREFEITOS Veja a opinião dos prefeitos sobre a contribuição dos serviços prestados pela Ceriluz para o desenvolvimento de seus municípios Pg 12 EXPANSÃO DE REDES Técnicos concluem etapa do trabalho de expansão de redes, partindo da Nova Subestação Aparício Piccinin. Pg 7

[close]

p. 2

EDITORIAL PARTICIPAÇÃO QUE DÁ RESULTADOS Esta edição do Informativo Ceriluz Além da Energia traz notícias que demonstram o grau de investimento que a cooperativa vem fazendo em seu quadro social. Entre os destaques temos o Bônus Ceriluz Geração (pg.03), que está presente nas faturas de energia a partir do mês de abril e garantido até o final do ano, na forma de um desconto de 20% sobre a energia consumida. Outra importante notícia, que ganha características de reportagem especial se refere ao primeiro ano de instalação de internet na área de ação da Cooperativa (pgs. 08,09,10). Antes de falar desses dois benefícios, contudo, queremos falar de outro tema. Apesar de mais discreto no informativo, com certeza tem uma grande importância no contexto geral: a Pesquisa de Participação Social (pg. 11). É a antiga Campanha da Participação Premiada, que mudou de nome porque a partir dessa edição não teremos mais o sorteio de prêmios. Por quê? Ora, a cooperativa está distribuindo aproximadamente R$ 4 milhões de reais entre seus associados das Classes Rural e Residencial. Essa já é uma ótima premiação, e melhor, onde ninguém depende da sorte para ser contemplado. Mas, afinal, o que a pesquisa tem a ver com os temas citados acima? Aqueles com melhor memória vão lembrar que o formulário da pesquisa, desde sempre, além de avaliar os serviços prestados – cuja avaliação se reverte em investimentos para melhorar o serviço de distribuição – também pergunta em qual área a Ceriluz deverá investir. Sem sombra de dúvidas, podemos afirmar que entre as principais indicações dos associados sempre estiveram a Geração de Energia e a Internet. Pois essas sugestões foram atendidas. Por anos a Ceriluz investiu na construção de usinas e agora seus reflexos passam a ser mais diretos. Os recursos da Ceriluz Geração sempre foram usados em eventos e atividades sociais, no entanto, hoje esses investimentos se revertem no repasse de resultados aos seus associados. Sim, pois o desconto de 20% mensais nas faturas é bancado pela Ceriluz Geração e pelos resultados de suas usinas. Já a internet também esteve sempre entre as principais indicações e, enfim, desde 2016, ela está sendo levada aos associados, nada mais, nada menos, que exclusivamente com fibra óptica, que é o que há de melhor em tecnologia de transmissão de dados. Um investimento alto, que exige outros milhões de reais, pensando no bem estar e na produtividade de nosso quadro social. Pois esses são dois exemplos claros de como a participação do associado na pesquisa é importante e como ela se reverte em benefícios a ele próprio. Por isso, pedimos aos associados que preencham o questionário que chega às suas casas nesse mês de maio e o devolva até o dia 31 de julho. Não haverá sorteio de prêmios, mas com certeza, todos ganharão. Reúnam a família e sejam sinceros. Queremos uma boa nota, sim, mas mais do que isso, queremos informações para saber onde melhorar. Entre estas, muitas outras notícias neste informativo, que resumem os primeiros meses de trabalho da Ceriluz e ainda trazem alguns resquícios de 2016. Desejamos uma boa leitura a todos e que esse informativo sirva de subsídio para que todos possam participar efetivamente do cotidiano da Ceriluz. Bandeira vermelha Os associados devem reforçar sua atenção para as ações de economia de energia, já que voltaram a incidir as bandeiras tarifárias com custos extras. No mês de março incidiu a bandeira amarela, que cobra R$2,00 sobre cada 100 kWh consumidos. Já em abril a bandeira tarifária foi a vermelha - patamar um, que consiste em R$3,00 a cada 100 KW/h. As previsões são para que a bandeira vermelha se mantenha para os próximos meses. A cobrança extra é percebida pelo consumidor sempre no mês seguinte a incidência da bandeira. Desconto de Angra III Os associados da Ceriluz vão receber - na fatura do mês de abril - um desconto de 2,55% (médios) sobre a tarifa de energia. Vai haver a devolução do custo da energia proveniente da Usina Nuclear de Angra III, cobrado nas tarifas do ano passado, uma vez que a energia não chegou a ser usada porque a usina não entrou em operação. Destacamos, no entanto, que essa não foi uma cobrança indevida da Ceriluz, e sim, uma taxa dos órgãos reguladores onde a Ceriluz apenas faz a arrecadação e o posterior repasse, assim como é feito com as bandeiras tarifárias. Seguro Residencial O Seguro Residencial oferecido pela Ceriluz aos associados, em parceria com a Seefeldt Seguros, sofrerá reajuste a partir do mês de abril, passando de 5,99 para R$ 6,69 mensais, descontados diretamente na fatura. Ainda assim é uma excelente alternativa, oferecendo coberturas de até R$ 35.000,00 em caso de incêndio ou explosão da casa do associado ou de R$3.000,00 para estragos causados por vendaval ou granizo. Ao longo de mais de dez anos de parceria já foram repassados mais de R$767.000,00 aos associados da Ceriluz. Ouça o Informativo Ceriluz/Rádio www.ceriluz.com.br/informativos de rádio Sábado – 6h45 às 7h Rádio Repórter Domingo - 8h15 às 8h30 Rádio Progresso Rádio Jornal da Manhã Rádio Águas Claras Rádio Querência Rádio Ciranda Rádio Liberdade Rádio Ativa Mais notícias sobre a Ceriluz em: www.ceriluz.com.br EXPEDIENTE Informativo Ceriluz Além da Energia - Edição 36 Produção: Assessoria de Comunicação Social Jornalista: Vilson Wagner (wagner@ceriluz.com.br) Diagramação/Impressão: ITS Gráfica e Editora Jornalística LTDA Tiragem: 10.500 unidades Distribuição gratuita

[close]

p. 3

CERILUZ DISTRIBUI RESULTADOS AOS ASSOCIADOS Presidente Iloir de Pauli Além de estar com uma das tarifas de energia mais baixas entre as concessionárias gaúchas e aplicar praticamente o mesmo valor do ano de 2003 (R$0,25 o quilowatt/hora para a Classe Rural - Agropecuária), a Ceriluz disponibiliza agora mais um benefício aos seus associados consumidores de energia: a isenção do pagamento de parte do valor da energia consumida. Curiosamente esse benefício aos associados da Ceriluz Distribuição é fruto dos resultados da Ceriluz Geração, que atua num setor que volta a apresentar dificuldades em outras regiões do Brasil, como acusa a retomada da Bandeira Vermelha – patamar 01 - nas contas de energia neste mês de abril, o que acontece quando há problemas hídricos no país. O benefício foi aprovado na Assembleia Geral Ordinária (AGO) do dia 17 de março e consiste num desconto de 20% nas faturas entre os meses de abril a dezembro de 2017, sobre a energia consumida, denominado de Bônus Cooperativa de Geração. A Assembleia ainda autorizou a possibilidade do prazo de concessão ser ampliado no final do ano pelo Conselho de Administração, conforme viabilidade, dependendo dos resultados da Ceriluz Geração. O benefício se aplica aos associados Pessoa Física, das Classes Rural e Residencial Urbana, que não estejam em débito com a Cooperativa e não tenham sido flagrados em situações de fraude ou furto de energia. É importante destacar que não receberão o benefício os associados da Classe Rural – Irrigantes, uma vez que estes já possuem um desconto de 70% no valor da fatura, quando seu consumo é realizado entre 21h30 e 06 horas da manhã, período em que há menor demanda no sistema. No total serão beneficiadas mais de 12,3 mil famílias associadas. Bons resultados - O benefício é consequência dos investimentos em usinas. No ano de 2016 a Ceriluz alcançou sua segunda melhor marca, totalizando 133 milhões de quilowattshora (kWh) produzidos nas Usinas José Barasuol, RS-155 e Nilo Bonfanti, ficando atrás apenas de 2015, quando produziu 146,2 milhões de kWh. “Esse benefício foi oportunizado por resultados favoráveis para a Ceriluz Geração no ano de 2016, não só em termos de produção e venda de energia, mas também por fatores externos. Entre os anos de 2012 e 2015, a escassez hídrica afetou a geração no País e a Ceriluz teve que participar de um rateio estabelecido às geradoras, para pagar os custos extras da geração de energia, o que não ocorreu no ano passado”, afirma Iloir. Ele destaca que no período de dificuldades foram pagos mais de R$10 milhões aos órgãos reguladores, o que impediu que os resultados fossem repassados aos associados anteriormente. O presidente explica ainda que a última década da Cooperativa foi marcada pela construção de suas usinas, que exigiu investimentos expressivos que agora voltam aos cooperados. “E não estamos beneficiando apenas ao associado, mas a economia regional, já que esse valor será reinvestido no comércio, em outras necessidades”, avalia o presidente. Iloir de Pauli garante ainda que a Ceriluz seguirá investindo, tanto em novas unidades geradoras cujos projetos estão em andamento, quanto na distribuição de energia, focando a qualidade da energia distribuída.

[close]

p. 4

DIREÇÃO APRESENTA RESULTADOS DA CERILUZ PARA ASSOCIADOS Aconteceram no dia 17 de março as assembleias gerais das cooperativas Regional de Energia e Desenvolvimento Ijuí Ltda. – CERILUZ DISTRIBUIÇÃO, e de Geração de Energia e Desenvolvimento Social Ltda. – CERILUZ GERAÇÃO. Além das Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs), também foram realizadas Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs) das duas instituições, com o objetivo de debater alterações estatutárias. As ações iniciaram com a apresentação dos Relatórios de Gestão pelo presidente Iloir de Pauli que, em relação à Ceriluz Distribuição, destacou bons resultados apesar de 2016 ter sido considerado um ano de dificuldades pela sociedade. “Registramos crescimento de 5,14% na demanda de energia, o maior crescimento entre todas as cooperativas gaúchas”, comentou. Na Ceriluz Geração, apesar da queda na produção de energia em relação a 2015, ano de recorde, Iloir exaltou os resultados de 2016. “Se em 2015 tivemos uma produção exemplar nas usinas da Ceriluz, por outro lado, tivemos pesadas penalizações aplicadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica sobre todos os geradores do país, devido à estiagem que derrubou a geração brasileira. Já no ano passado não tivemos tais penalizações, o que ajudou a melhorar nosso capital de giro, apesar da queda na geração própria”, explicou ele. Por fim, o presidente definiu 2016 como um ano a se comemorar, não só pelo Cinquentenário, mas pelos seus resultados. “Apesar de estar dividida em diferentes pessoas jurídicas, gostamos de ver a Ceriluz como uma só, unida e forte. Aliás, o fato de atuar em duas frentes – geração e distribuição – ajuda a estabilizar os negócios. Se por um lado a geração de energia caiu em razão da redução das chuvas, por outro, a distribuição de energia cresceu, pelo mesmo fator, já que nossos associados consumiram mais energia, especialmente para irrigação de lavouras”, resumiu. Os resultados financeiros foram apresentados aos presentes pelos contadores Rúbio Michael e Jéssica Panke e aprovados pelos presentes, avalizados pelos pareceres dos respectivos conselhos fiscais e também da auditoria independente. Renovação do Conselho Fiscal – Outro fato importante das assembleias foi a renovação dos conselhos fiscais das cooperativas. Para a Ceriluz Distribuição foram eleitos como titulares Sidnei João Montagner, Ângelo Paulo Przybytowicz e Carlos Karlinski, e como suplentes Marlene Bussler, Nelson Dallabrida e Grasiele de Siqueira Beier. Na Ceriluz Geração foram eleitos os titulares Olacir Amaral, Clóvis Taborda Padilha e Cláudio Roberto Drews, enquanto assumem como suplentes Cledi Marli Pires Savariz, Evandro Lanzarin e Rosemara Beck. Assembleia aprova resultados Conselho de Distribuição Conselho de Geração

[close]

p. 5

GERAÇÃO DE ENERGIA CAI, MAS RESULTADOS SÃO CONSIDERADOS MUITO BONS Apesar de meses de chuvas intensas, como no registro feito em novembro, no geral a vazão média dos rios esteve abaixo de 2015. Oano de 2016 foi bastante positivo para a geração de energia da Ceriluz, apesar de não ter batido mais um recorde, o que havia feito no ano anterior. Nos doze meses de 2016 a Ceriluz gerou um total de 133 milhões de quilowattshora (kWh) em suas três usinas: As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) José Barasuol e RS-155 e a Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Nilo Bonfanti. Esse número é 9% inferior ao ano de 2015. O fator determinante para essa diferença foi o clima, uma vez que as usinas funcionaram normalmente nos dois períodos. No primeiro semestre do ano os gestores da Cooperativa chegaram a cogitar a possibilidade das usinas baterem mais um recorde, com os números superando os resultados de 2015. Entre janeiro e maio a produção de 2016 chegou a ser 12% superior a de 2015, porém, nos meses seguintes, o gráfico apresentou uma linha descendente. A maior diferença se deu no mês de dezembro, quando se registrou uma queda significativa da produção em razão da redução dos índices pluviométricos que baixaram os níveis dos rios. O engenheiro eletricista João Fernando Costa relata que o índice de geração foi muito favorável em 2016, sendo que todas as usinas superaram suas Garantias Físicas, ou seja, a geração média considerada satisfatória. Em termos de rendimento por usina, a PCH José Barasuol foi a que alcançou maior resultado, considerando seu porte. Esta usina alcançou uma produção de 90,8 milhões de kWh. Já a PCH RS-155 gerou um total de 37,9 milhões de kWh. Por sua vez, a CGH Nilo Bonfanti fechou sua produção em 4,2 milhões de kWh. João Fernando explica que os últimos anos têm sido favoráveis para a geração de energia graças ao aumento do nível dos rios. “Existe um estudo hidrológico realizado desde 1940, pelo qual a gente faz uma Média a Longo Termo e, hoje, a vazão nos rios Ijuí e Buricá - onde estão implantadas nossas PCHs - está 20% acima da vazão média”. Outro fator importante é a efetividade das máquinas que vêm funcionando sem grandes problemas técnicos, resultado da manutenção preventiva realizada pelas equipes da Cooperativa. BOIAS EM LAGOS DE PCHS ALERTAM PARA RISCOS Com o objetivo de evitar a prática de atividades proibidas na área dos lagos das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) José Barasuol e RS-155, a Ceriluz instalou boias de sinalização nos lagos das usinas, em Ijuí. Elas servem para delimitar a distância que as pessoas, embarcadas ou não, devem ficar da estrutura da barragem. As boias foram instaladas a uma distância de aproximadamente 200 metros da barragem e nenhuma pessoa não autorizada pode ultrapassar essa sinalização, independente do objetivo. Essa é a mesma distância para a proibição da pesca no local, no atual momento, onde estamos fora do Período da Piracema, que se encerrou no dia 31 de janeiro e se caracteriza pela reprodução dos peixes. A distância referente a proibição da pesca, no entanto, sobe no Período da Piracema, quando passa a ser de 1.500 metros, tanto acima como abaixo da barragem. Portanto, no período compreendido entre outubro e janeiro de cada ano, as boias não podem servir de referência para a proibição da pesca. As boias sinalizadoras se constituem de tambores na cor amarela, cor esta instituída como padrão para identificar locais e situações que exigem atenção e indicam possível emergência. Nesse caso, além do tambor, adesivos colados sobre as mesmas informam sobre a proibição da entrada no espaço indicado, sob o risco de morte por afogamento, conforme definido na Lei 12.334/10, que trata da segurança em barragens. Além do risco de afogamento há ainda a possibilidade de queda no vertedouro da barragem.

[close]

p. 6

CLASSE RURAL ALAVANCA CONSUMO DE ENERGIA EM 2016 O consumo de energia por consumidores irrigantes cresceu 140,6%, passando de um consumo de 2,9 milhões de kWh em 2015 para 7,1 milhões de kWh em 2016. Após apresentar queda na comercialização de energia elétrica no ano retrasado, em 2016 – quando tanto se falou em crise – a Ceriluz apresentou crescimento na demanda. Conforme levantamento realizado pelo Setor de Faturamento da Cooperativa, os associados consumidores exigiram um fornecimento de energia 5,14% maior no ano que passou. Enquanto que em 2016 foram consumidos 121,2 milhões de quilowatts-hora (kWh), no ano anterior essa demanda havia sido de 115,3 milhões de kWh. Esse crescimento teve como principal fomentador o setor primário, que além de representar a maior parcela da energia comercializada pela Ceriluz, 42,2%, também foi quem apresentou maior crescimento, alcançando o resultado positivo de 10,2%, totalizando 51,2 milhões de kWh exigidos. Esse resultado se torna ainda mais significativo considerando que entre os anos de 2014 e 2015 essa classe havia apresentado queda no consumo de 7,7%. O crescimento do consumo de energia elétrica pelo agronegócio segue a lógica do clima, conforme o diretor secretário da Cooperativa e produtor rural, Romeu Ângelo de Jesus. Ele explica que 2015 foi um ano muito favorável em termos de chuva, quando elas foram bem distribuídas durante os doze meses. Já 2016, apesar dos agricultores não poderem se queixar da falta dos índices pluviométricos, as precipitações não tiveram uma distribuição tão equilibrada. “Tivemos a experiência de 2015, onde, no agronegócio, devido ao comportamento de temperaturas e chuvas, não foi exigido uma distribuição de energia mais frequente para a irrigação. Já em 2016 tivemos um mês de dezembro de temperaturas altas e uma espécie de veranico, quando tivemos uma demanda de consumo bem interessante com nossos agricultores fazendo uso de seus equipamentos de irrigação, elevando o consumo”, explica Romeu. O secretário fala com base em números. De acordo com o levantamento do Setor de Faturamento, o consumo de energia por consumidores irrigantes cresceu 140,6%, passando de um consumo de 2,9 milhões de kWh em 2015 para 7,1 milhões de kWh em 2016. Além do consumo individual houve ainda o incremento de nove Unidades Consumidoras Irrigantes no ano passado. Consumo da Classe Industrial cresceu, enquanto que Comercial encolheu A Classe Rural é seguida de perto pela Classe Industrial na demanda por energia que consumiu 38,8% do total da energia fornecida pela Ceriluz, totalizando 46,6 milhões de kWh exigidos, apresentando crescimento de 3,3% em relação ao ano de 2015. As demais classes representam um consumo menor de energia, com destaque à Classe Comercial, cujo consumo foi de 11,5 milhões de kWh, queda de 6%, e a Residencial, que apresentou demanda de 3,3 milhões de kWh, crescendo 8,1%, em comparação ao ano anterior.

[close]

p. 7

SEGUNDA ETAPA DE PROJETO REFORÇA DISTRIBUIÇÃO NA REGIÃO NORTE ACeriluz concluiu no final de 2016 mais uma etapa do projeto de melhoria no fornecimento de energia na região Norte de sua área de atuação, mais especificamente nos municípios de Santo Augusto, Chiapetta e Nova Ramada. Projeto que é bem representado pela Subestação Aparício Piccinin, de 10 Megavolt-Ampére (MVA), que está em operação desde julho de 2015 e foi inaugurada em maio do ano passado. A partir dela a Ceriluz implantou novas redes alimentadoras. A primeira etapa do projeto incluiu 10 quilômetros de um alimentador duplo e mais 04 km de um alimentador simples, concluídos em novembro de 2015, atingindo especialmente o interior dos municípios de Santo Augusto e Nova Ramada. O segundo alimentador totalizou outros 16 quilômetros de rede dupla, passando mais uma vez pelo município de Santo Augusto e se estendendo até as comunidades de As Brancas e São Judas, em Chiapetta. Esta nova linha alimentadora exigiu um investimento aproximado de R$ 1,3 milhões e beneficiou 190 famílias de forma direta, que estão recebendo energia de melhor qualidade. O projeto inclui uma nova expansão, se estendendo para o município de Inhacorá. Até o final do projeto o setor técnico estima que aproximadamente duas mil unidades consumidoras sejam beneficiadas, especialmente propriedades agropecuárias, que dependem dessa energia para implantar melhorias como pivôs de irrigação central, característicos nos municípios beneficiados.

[close]

p. 8

CERILUZ.NET: UM ANO DE FIBRA ÓPTICA Há um ano a Ceriluz assumiu um novo compromisso. Levar internet para seus associados, nas áreas urbanas e, principalmente, no meio rural dos municípios onde atua, considerando a enorme carência existente e o crescimento da necessidade dessa ferramenta para o trabalho, lazer e estudo. Passados doze meses do início das atividades, atualmente o sistema de fibra óptica da Ceriluz atinge praticamente 10% da sua área de ação, partindo de Ijuí e se distribuindo para os municípios de Bozano, Coronel Barros, às vilas de Santana e Chorão e ainda na direção de Cruz Alta e Augusto Pestana. A partir dessas redes principais partem derivações para comunidades próximas. Hoje são aproximadamente 200 quilômetros de redes de fibra óptica instalados, o que equivale a um investimento de mais de R$1 milhão, apenas em fibra, não contabilizados outros equipamentos e a mão de obra de instalação. “O processo de instalação está sendo feito de forma planejada, passo a passo, até porquê, não é algo barato. Estamos fazendo uma expansão lógica, partindo para as comunidades onde existe maior potencial de conexão e a partir daí se espalhando, considerando o custo benefício”, explica o presidente da Ceriluz, Iloir de Pauli. Conforme ele, o objetivo é ter fibra óptica, em redes troncais, à disposição em toda a área de ação da Ceriluz num período de quatro anos. Entre as dificuldades para expandir a rede está a falta de incentivos governamentais, como programas de financiamento específicos e o fato da Cooperativa evitar onerar seus associados, que em geral, pagam somente as taxas de instalação e a mensalidade referente ao serviço. O uso dos postes de energia ajuda a diminuir os custos e acelerar a instalação.

[close]

p. 9

ONDE TUDO COMEÇOU Otrabalho de instalação da fibra óptica teve início principalmente nas áreas urbanas onde a Ceriluz presta serviço. Essa estratégia foi adotada pensando na viabilidade da expansão, já que nas áreas urbanas e vilas os consumidores estão centralizados, com número elevado de potenciais clientes e custos menores pela proximidade. E foi na cidade de Bozano que foi conectada a primeira cliente da Ceriluz.NET, Tatiane Jaqueline de Lima, no dia 28 de abril de 2016. Ela conta que, assim que soube que a Ceriluz estava oferecendo internet, fez sua inscrição, mesmo já tendo internet em sua casa, via rádio, experiência realizada com duas outras empresas. “Precisávamos da internet principalmente para o trabalho, para emissão de Nota Fiscal Eletrônica, por exemplo, sem contar que ela permite a abertura de comércio para qualquer lugar”, explica o marido de Tatiane, Juliano Bagolin, que comercializa mudas de grama tyfton e fardos de feno. Porém, a ferramenta mostrou-se essencial também para a vida doméstica e para o estudo, já que Tatiane faz o curso de Tecnólogo em Recursos Humanos em EAD (Ensino à distância), tendo aulas online. Até mesmo para o lazer a internet é fundamental para o casal, já que usa serviços de TV online, não tendo conexão de TV aberta ou fechada em casa. Tatiane concorda que no início ocorriam alguns problemas, contudo, compreende que se tratava de um período onde ajustes precisavam ser feitos, afinal, ela fora a primeira cliente. Hoje, porém, elogia a qualidade da internet via fibra óptica e os serviços de assistência técnica. “A internet da Ceriluz pra nós é muito satisfatória, tanto pela velocidade, quanto pelo atendimento. A gente vê o serviço prontamente sendo feito, especialmente por parte das equipes, das quais sempre recebemos um bom suporte”, comenta ela. “Pra nós foi importante a vinda da Ceriluz com fibra óptica, especialmente para os negócios. Talvez nós não teríamos o potencial que temos hoje, vendendo para outros lugares, até para outros estados, se não fosse a fibra óptica chegar via Ceriluz”, completa ela. Casal Tatiane e Juliano, os primeiros a contratarem os serviços Ceriluz.Net

[close]

p. 10

INTERNET NO MEIO RURAL Ogrande desafio da Ceriluz será expandir suas redes para as comunidades rurais e associados mais distantes. “Assim como foi com a energia elétrica, o propósito da Ceriluz é realmente beneficiar aquele consumidor mais afastado, onde a possibilidade de acesso é menor”, informa o presidente Iloir, lembrando que a intenção é proporcionar as mesmas oportunidades da cidade no campo. Éder Mireski, morador da Linha Base Norte, próximo ao Distrito de Santana, resume a vontade dos produtores. “Coloquei a internet para ter acesso ao mundo!”. Seja para os filhos fazerem uma pesquisa na escola, para realizar pesquisas referentes a sua atividade produtiva – hortigranjeiros – ou mesmo para contatar amigos via redes sociais, a internet é uma ferramenta importante. Com internet desde janeiro desse ano, ele se diz satisfeito com os resultados e acredita que, se não fosse a iniciativa da Ceriluz, a fibra óptica não chegaria a sua casa. “Sem a Ceriluz a internet não chegaria, a não ser particular, o que seria inviável fazer”, acredita. Ele considera o valor investido justo, ou seja, as taxas de instalação e a mensalidade. “Diferente haveria muitos custos e não seria possível eu fazer sozinho”, afirma. Um pouco adiante, André Megier e sua esposa Silvana Denise Megier, justificam o uso da internet principalmente para o lazer e diversão para os filhos, ainda pequenos. Eles já contavam com internet via rádio, mas, quando souberam da fibra óptica fizeram a migração para a Ceriluz, ampliando inclusive a velocidade instalada, passando de 01 Mega (Mbps – Megabits por segundo) para 3 Mega, capacidade mínima oferecida pela Ceriluz. “Com um pequeno investimento a mais, ampliamos a velocidade e ainda garantimos a internet via fibra óptica, mais confiável”, comemora André. A família também trabalha com a produção de hortigranjeiros e acredita que, em breve, a internet também será indispensável para o desenvolvimento de sua atividade. Um exemplo do uso da internet no setor produtivo será a substituição do Bloco do Produtor pela Nota Fiscal Eletrônica, que passará a ser obrigatória para produtores rurais, mesmo aqueles que não tenham empresa constituída. Éder Mireski, internet para conexão com o mundo Família Megier, internet para lazer e cultura A EXPANSÃO Adefinição dos projetos é feita a partir da demanda dos associados, ou seja, quanto maior o número de interessados, maior a possibilidade da fibra óptica chegar à comunidade. Por isso, é fundamental os associados mobilizarem suas comunidades, fazerem sua inscrição, via telefone 0800 51 3130 ou nos escritórios da Cooperativa. A Ceriluz está realizando reuniões nas comunidades onde existirem interessados para levar todas as informações necessárias e facilitar a decisão de aderir ou não à internet via fibra óptica. Nas áreas urbanas de Bozano e Coronel Barros a Ceriluz já disponibiliza fibra óptica em 100% dos postes de energia, assim como nas comunidades de Santana e Chorão. Em Bozano já há conexões na Linha 11 Leste e em Coronel Barros na Linha Pedreira. Também já há uma rede principal na direção de Cruz Alta, até a entrada para Boa Vista do Cadeado, que está à disposição na Linha Base Sul. Outra rede principal se estende de Ijuí na direção de Augusto Pestana, onde a fibra está em Barreiro. Há projetos em desenvolvimento para beneficiar as comunidades de Rincão dos Becker, Linha 08 leste, Floresta e Parque Havaí, em Ijuí, e São Valentin, em Bozano, bem como, ainda em 2017, uma rede principal deve se dirigir ao município de Catuípe, beneficiando comunidades como Itaí e Colônia Santo Antônio.

[close]

p. 11

PESQUISA VAI ANALISAR ÍNDICE DE SATISFAÇÃO DOS ASSOCIADOS DA CERILUZ Neste ano de 2017 a Ceriluz retoma sua pesquisa para avaliar o Índice de Satisfação do Associado. Com o objetivo de dar um caráter mais técnico à iniciativa, algumas mudanças foram promovidas, iniciando pela alteração do nome. O trabalho passa a ser denominado de Pesquisa de Participação Social e não mais Campanha de Participação Premiada. As mudanças se apoiam no fato de não ser mais realizado o sorteio de prêmios entre os associados. Essa medida visa dar mais autonomia aos associados para fazerem sua avaliação de acordo com sua consciência, sem a influência, mesmo que subjetiva, da premiação sobre sua opinião, o que poderia comprometer a avaliação final. Além disso, a Ceriluz foi a cooperativa de infraestrutura pioneira em distribuir resultados, ao anunciar no início desse ano, o repasse do Bônus Cooperativa de Geração aos seus associados, que se caracteriza pela concessão de desconto de 20% na fatura sobre a energia consumida, durante todo o ano de 2017(veja pg. 03). Assim a Ceriluz contempla a todos os associados Pessoa Física, diferente do que era feito pela Campanha Participação Premiada, quando era a sorte que definia os vencedores. Todos os associados Pessoa Física, das classes Residencial e Rural, terão a oportunidade de participar, como era feito anteriormente e receberão o formulário com as questões diretamente em sua residência, entregue pelas equipes de leitura, tendo um prazo de três meses, entre 1º de maio e 31 de julho, para fazer a devolução do mesmo, novamente para os leituristas, ou em urnas disponibilizadas nos pontos de pagamento das faturas de energia e nos escritórios da Ceriluz. Para que a cartela seja validada, o associado terá que preencher todo o questionário, não deixando nenhuma questão em branco, sendo que, havendo pergunta sem resposta ou rasurada, a cartela será anulada, não participando da definição dos índices de satisfação. Também haverá espaço destinado a sugestões e críticas. A identificação do associado não é obrigatória, no entanto, em se tratando de reclamações pontuais sobre o fornecimento de energia em sua residência, é fundamental a identificação, pelo nome ou número da Unidade Consumidora (UC), de forma que a direção possa definir eventual serviço de solução do referido problema. Após a devolução dos formulários, para fazer a validação da pesquisa, será convocada uma “Comissão Validadora”, formada por conselheiros e associados que fará a triagem dos formulários, que serão repassados a uma empresa especializada, que fará a compilação e análise das informações, convertendo-os em um grau de satisfação que ajudará a cooperativa a definir seu planejamento estratégico.

[close]

p. 12

PREFEITOS AVALIAM SERVIÇOS PRESTADOS PELA CERILUZ OInformativo Ceriluz na versão Rádio está abrindo espaço para os prefeitos eleitos nos municípios da área de ação da Cooperativa. Nos meses de fevereiro e março foram ouvidos os prefeitos Vilmar Zimmermann, de Augusto Pestana, Ivan Chagas, de Ajuricaba, Edison Arnt, de Coronel Barros, Valdir Heck, de Ijuí, Ernesto Nicoletti, de Bozano, Joelson Baroni, de Catuípe e Adriano Marangon, de Jóia, sendo que os demais serão ouvidos nas edições de abril e maio. O objetivo é conhecer as necessidades desses municípios e estreitar relações de modo a promover ações e investimentos que beneficiem a coletividade. As equipes da Ceriluz trabalham em diferentes territórios e, de uma ou outra maneira, o trabalho que a Cooperativa faz tem consequências para o município, assim como o trabalho que as prefeituras executam são de interesse da Ceriluz. Por exemplo: para incentivar a implantação de uma bacia leiteira ou atrair indústrias o município precisa da oferta de energia de qualidade e acessível. Por outro lado, a qualidade das estradas onde trafegam os veículos da cooperativa é essencial para garantir a agilidade dos serviços e a manutenção dos veículos. Neste informativo reproduzimos trechos das entrevistas, onde os prefeitos fazem uma avaliação dessa relação existente. Ivan Chagas - Ajuricaba “A Ceriluz é uma empresa que vem gradativamente trazendo um desempenho total na área do município. Hoje temos energia trifásica, temos postes de concreto, os funcionários são excelentes. [...] Os agricultores hoje trabalham com mais energia, devido aos silos, da bacia leiteira, e a Ceriluz está atenta a isso, e nós, município, estamos gratos pelo que está acontecendo com a Ceriluz. Sempre que entramos em contato estão de portas abertas para trazer o melhor para o nosso município”. Valdir Heck - Ijuí “A Ceriluz está investindo em geração, o que está trazendo bons frutos para todos. Conheci esse trabalho enquanto conselheiro da entidade e não me furto em declarar que a Ceriluz está no bom caminho. Claro, precisa da presença do associado e essa presença vem acontecendo através do Programa Além da Energia. [...] Ela faz com que o associado tenha uma efetiva avaliação dos seus serviços e possa dialogar com a direção. É uma cooperativa que tem mostrado transparência, resultados para seu quadro social, com extensão para a sociedade como um todo”. Vimar Zimmermann - Augusto Pestana “Nós temos uma bacia leiteira muito forte aqui em Augusto Pestana e a Ceriluz tem levado energia a todas as propriedades, cada vez aprimorando e disponibilizando uma energia de melhor qualidade para nosso interior, inclusive aumentando a capacidade, porque sabemos que aumentando o consumo é preciso aumentar a capacidade. Nós só temos que agradecer essa parceria porque isso faz com que o nosso meio rural se desenvolva cada vez mais”. Edison Arnt Coronel Barros “Hoje, você fica meia hora sem luz parece que vai acabar o mundo. Tanto cidade como interior, sem um grande apoio na questão de energia, não funcionam [...] Eu serei um grande parceiro da Ceriluz nesses quatro anos, serei um parceiro das empresas que quiserem investir em Coronel Barros e como presidente da Amuplam – Associação dos Municípios do Planalto Médio – serei um parceiro de todos que quiserem investir na nossa região. Ernesto Nicoletti - Bozano “Dentro de nosso município a Ceriluz faz um trabalho muito bom. Quando nós precisamos basta levantar o telefone e as equipes nos atendem prontamente. Isso é importante, porque temos uma bacia leiteira onde, quando falta luz, é um estrago grande para a produtividade. Ela, continuando com esse trabalho que está fazendo, tanto na cidade quanto no interior, está muito bom, porque, quando tratamos alguma coisa, ela sempre foi parceira e executou as reivindicações no tempo certo”. Joelson Baroni Catuípe “Nós tivemos como presidentes da Ceriluz os saudosos Aparício Piccinin e José Barasuol, e o município de Catuípe tem uma identificação muito grande com a Ceriluz e a Ceriluz tem uma identificação muito grande com o município de Catuípe. Claro que ela presta um grande serviço a todos os municípios da sua abrangência, mas nós somos muito gratos pela parceria que temos com a Ceriluz, através do presidente Iloir de Pauli, que tem realizado um grande trabalho, seu colaboradores, enfim, a Ceriluz é uma empresa de referência na questão de energia para todo o país”. Adriano Marangon de Lima - Jóia “Eu vou falar o que eu ouço dos consumidores. A gente vê que a satisfação dos consumidores da Ceriluz é superior às demais [Jóia é atendida por quatro diferentes distribuidoras]. A Ceriluz desponta na satisfação do consumidor, com certeza [...] Jóia é conhecida no Estado todo como terra das nascentes e a gente sonha em ter aqui em nosso município uma usina e tomara Deus que essa usina saia com a Ceriluz que é uma empresa que a gente conhece e que vem mostrando a eficiência de uma gestão voltada realmente para seus associados”.

[close]

p. 13

CERILUZ: NORMAS CONTRIBUEM PARA ATIVIDADES COM QUALIDADE E SEGURANÇA Um importante fator que garante melhorias na distribuição de energia por parte da Ceriluz é a qualidade dos materiais e equipamentos utilizados, assim como as metodologias de trabalho, que ainda garantem a segurança aos colaboradores envolvidos. Nesse ponto, a Cooperativa segue inovando, buscando estar adequada às normas internacionais vigentes sobre o trabalho do setor elétrico. A seguir, destacamos algumas das normativas vigentes na Cooperativa, que qualificam a prestação dos seus serviços. Resolução 414 - Em maio de 2010 a cooperativa assinou o contrato de Permissionária de Serviço Público que a torna regulada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e, assim sendo, ela passou a cumprir uma série de normativas, dentre as quais se destaca a Resolução Normativa 414, de 09 de setembro de 2010. Esta resolução está dividida em 17 capítulos e 131 páginas, onde trata, por exemplo, das unidades consumidoras, atendimento, modalidades tarifárias, medição e faturamento, responsabilidades da distribuidora e do consumidor, entre outros pontos. Padronização FECOERGS - A Ceriluz participa do programa de Padronização da Federação das Cooperativas de Energia, Telefonia e Desenvolvimento Rural do Rio Grande Sul – FECOERGS, cujo objetivo principal é unificar os métodos de trabalho das cooperativas que integram o sistema. São realizados encontros constantes que focam o planejamento de procedimentos, elaborados para atender as normativas dos órgãos competentes e o padrão internacional de serviços no setor elétrico. O Programa de Padronização da Fecoergs possui mais de 400 documentos com procedimentos elaborados, os quais as 23 cooperativas filiadas à federação seguem. Normas Regulamentadoras Além das diretrizes citadas anteriormente, que se refletem mais especificamente na qualidade dos serviços prestados, a Ceriluz segue ainda as Normas Regulamentadoras (NRs) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), relativas à segurança e medicina do trabalho, que são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho - CLT. Entre as normativas seguidas pela Ceriluz estão a NR 05, que trata da instalação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA); a NR 06, sobre uso de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) e Coletivos (EPCs); a NR 10, referente à Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; a NR 12, que regulamenta o uso de Máquinas e Equipamentos e a NR 35, que relaciona os cuidados na prática de trabalhos em altura. ISO9001-ACeriluzestáimplantando a ISO 9001, que tem como objetivo principal propor normas internacionais de qualidade em todos os campos técnicos, procedimentos e processos realizados pela Cooperativa. Após um período de reuniões e discussões com representantes dos setores para idealizar as propostas de qualidade, a direção da Ceriluz autorizou a implementação de todas as definições e conteúdos até aqui produzidos, com destaque especial para organogramas, fluxogramas, descrição de cargos e, principalmente, os critérios da qualidade do serviços. ESTRUTURA POSSIBILITA RECICLAGEM/RETREINO DE COLABORADORES DA ÁREA TÉCNICA Anova sede da Ceriluz, localizada na área externa da BR 285, em Ijuí, já trouxe e vai trazer ainda mais benefícios para a Cooperativa, seus colaboradores e associados. Além da facilidade de acesso por parte dos cooperados, o espaço contribui muito para o desenvolvimento das atividades dos funcionários, desde a armazenagem de equipamentos e materiais, até o deslocamento para os locais de trabalho, evitando que os veículos tenham que se deslocar pelo centro de Ijuí. Apesar da nova sede administrativa ainda estar em obras, parte das atividades da Ceriluz já foram deslocadas para local, incluindo o almoxarifado, parte do departamento técnico e também do setor segurança no trabalho. O terreno tem uma área de aproximadamente 30 mil metros quadrados, enquanto que no centro de Ijuí era de quatro mil metros quadrados. Uma das novidades instaladas na nova sede no final de 2016 é o Centro de Treinamento para os colaboradores. O investimento só foi possível graças a área existente, o que era inviável na sede administrativa do centro. O espaço se caracteriza por uma estrutura que imita uma rede de distribuição de energia, de baixa e alta tensão, que obedece ao padrão adotado pela Ceriluz e pela Federação das Cooperativas do RS (Fecoergs) e reproduz situações que os eletricistas encontram no dia a dia. Assim a estrutura está apropriada para cursos práticos da Norma Regulamentadora (NR) 10, que aborda os riscos do setor elétrico, e da NR 35, que trata dos riscos em trabalhos em altura, além de outras práticas ligadas ao sistema de distribuição.

[close]

p. 14

NOVO CAMINHÃO GUINDAUTO REFORÇA ESTRUTURA DE ATENDIMENTO ACeriluz adquiriu um novo caminhão destinado à construção e manutenção de redes, que qualificou os serviços prestados pela Cooperativa ao ampliar a frota de trabalho. O novo veículo também garante mais segurança aos eletricistas operadores, por estar totalmente adequado à Norma Regulamentadora NR-12, que define “referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e de utilização de máquinas e equipamentos de todos os tipos [...]”. O principal diferencial deste novo caminhão é a possibilidade da operação do guindauto em diferentes posições pelo operador. Pela regulamentação estes equipamentos precisam ter dois comandos: um comando remoto (controlado sem fio) que permite o operador manobrar o guindauto de qualquer posição dentro de uma distância de até 30 metros do caminhão, inclusive de dentro do cesto de transporte do eletricista, quando este estiver acoplado, sua principal vantagem, uma vez que dali o profissional tem uma visão melhor da rede, facilitando a aproximação com segurança; e o segundo comando fixo ao guindauto, que serve para uso secundário, quando por alguma razão não for possível usar o comando remoto. ASSOCIADOS PODEM CONTRIBUIR COM A APAE POR MEIO DAS FATURAS DE ENERGIA A Ceriluz, sempre consciente do seu papel social, firmou mais uma parceria com o objetivo de ajudar, dessa vez apoiando a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Ijuí. A Cooperativa adere à campanha Seja Meu Herói e contribuirá por meio da distribuição de um formulário entre seus associados de Ijuí, por meio do qual, eles poderão autorizar o débito junto à fatura de energia de uma contribuição para a entidade filantrópica. O associado tem autonomia para decidir se quer contribuir, com qual valor e por quanto tempo. O formulário, após preenchido, deve ser entregue na sede da APAE de Ijuí, nos escritórios da Ceriluz ou nos pontos de pagamento das contas de energia. A partir de então o valor definido será inserido na fatura mensal do consumidor, sendo que ele pode realizar o cancelamento a qualquer momento, fazendo contato com a equipe da APAE pelo telefone (55) 3332 9932 ou pelo 0800 51 3130, da Ceriluz. O apoio à APAE é importante pelo valioso trabalho social que desempenha e pelas dificuldades que enfrenta. Ela é uma instituição filantrópica e beneficente, com 46 anos de existência e que atualmente atende 390 alunos/usuários por meio da sua Clínica Interdisciplinar, da Assistência Social e da Escola Recanto da Esperança. Para atender estes usuários a entidade necessita manter um quadro administrativo, incluindo, professores, equipes de limpeza, motoristas, zelador e merendeiras, e um quadro clínico, que conta com assistentes socais, médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos, fonoaudiólogos, psicólogos, dentistas, entre outros. A escola é mantida pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), enquanto que a Clínica Interdisciplinar depende de verbas da Fundação Nacional de Assistência Social (FNAS) e do Sistema único de Saúde (SUS), além de subsídios dos municípios de Ijuí, Bozano e Catuípe. No entanto, conforme a direção da APAE, os recursos oficiais não são suficientes para manter o equilíbrio financeiro e, por isso, ela depende também da contribuição da comunidade. Para sanar essas dificuldades desenvolve ações e campanhas como a Seja Meu Herói, entre outras.

[close]

p. 15

SALADAS NÃO SÃO ÚTEIS APENAS NA DIETA Asalada dificilmente é o prato preferido das pessoas, principalmente crianças. Contudo, a salada não precisa ser sinônimo de comida sem graça! É possível preparar pratos bem saborosos com as verduras e manter a alimentação saudável. Quem tem o hábito de comer salada diariamente tem dificuldade de fazer uma refeição sem ela. Depois que você aprende a comer, a salada torna-se indispensável. Além de ser leve e muito saudável, existem alguns benefícios em consumir uma boa salada diariamente. 1. Possuem baixas calorias, ajudando na perda ou manutenção do peso; 2. Contêm alto teor de água, hidratando o corpo; 3. Fornecem vitaminas, minerais e fibras, que auxiliam no bom funcionamento do organismo; 4. São facilmente digeridas pelo organismo, com isso você não se sente pesada; Quer deixar a sua salada melhor? • Use e abuse da feira; • Na hora da compra, escolha os vegetais de época e frescos, pois além de mais baratos eles apresentam uma melhor concentração de nutrientes; • Procure folhas inteiras, limpas e sem manchas amarelas ou escuras; • Lave bem os vegetais e em seguida deixe-os de molho no vinagre (pode ser por 15 minutinhos); • Não abuse nos óleos e azeite, apesar de saudáveis eles são bem calóricos; • Cuidado com os acompanhamentos como molhos a base de maionese, creme de leite, queijos, etc. Prefira os que são à base de iogurte. A seguir apresentamos algumas receitas interessantes, que congregam saladas e sabor. SALADA DE ABÓBORA • 3 xícaras de repolho picado bem fininho • 1 xícara de abóbora cortada e frita • 1/4 xícara de queijo Para o molho: • 2 colheres de azeite • 1 1/2 colheres de sopa de vinagre de maçã • 2 litros de vinagre de vinho tinto • 1 vidro de mostarda • 1 vidro de mel Modo de preparo 1 • Despeje em uma tigela todos os ingredientes do molho e misture tudo. 2 • Em seguida, adicione a abóbora, o repolho e o queijo. SALADA GREGA COM MACARRÃO • 500 g de macarrão tipo penne • 4 colheres (sopa) de azeite • 1 colher (chá) de suco de limão siciliano • 1 colher (chá) de manjericão seco • 1 colher (chá) de pimenta do reino moída • 2 tomates, picados • 1 pimentão verde, picado • 1 cebola roxa, picada • 1 pepino, cortado em pedaços médios • 1 punhado de azeitona preta sem caroço e cortada em pedaços pequenos Modo de preparo 1 • Em uma panela grande, cozinhe o macarrão em água fervendo, até ficar al dente. 2 • Escorra e passe na água fria. Em uma vasilha pequena, faça um molho, misturando o azeite, a pimenta, o suco de limão, o manjericão e a pimenta do reino. 3 • Em uma tigela, misture o macarrão com o tomate, o pimentão, a cebola, o pepino e a azeitona preta. 4 • Acrescente o molho já preparado e misture bem ao macarrão. 5 • Leve à geladeira por 30 minutos. Estas e mais receitas em www. tudointeressante.com.br/2016/01/10receitas-de-saladas-provando-que-umaalimentacao-saudavel-pode-ser-bemsaborosa.html.

[close]

Comments

no comments yet