Revista Digital SeconciSP

 

Embed or link this publication

Description

Revista Digital SeconciSP

Popular Pages


p. 1

REVISTA DO SECONCI-SP EDIÇÃO DIGITAL • JANEIRO | FEVEREIRO | MARÇO 2017 CONSTRUSER MAIS DE 20 MIL PESSOAS MULHERES NA CONSTRUÇÃO CIVIL Mulheres conquistam cada vez mais espaço no setor pág. 4 CAUSAS DE AFASTAMENTOS Estudo aponta: dores e inflamações como os principais motivos pág. 6 MUTIRÃO DE SAÚDE Alckmin lança esta ação no AME Barradas pág. 15 E MAIS: sede própria em Campinas / HGIS completa 18 anos / Estomatite: tratamento com laserterapia

[close]

p. 2

O EMPREITEIROAsconstrutorasprecisamestar sempre atentas às questões Legallegais e trabalhistas que envolvem os contratos com as subempreiteiras. ...“todos os contratos de empreitada, subempreitada, ou outra forma que contemple cessão de mão de obra deverão mencionar a obrigatoriedade da contribuição ao Seconci-SP, devida pelo prestador dos serviços, devendo essa obrigação constituir parte integrante dos referidos contratos, de forma a propiciar que a contribuição efetuada ao Seconci-SP garanta o direito da assistência prestada pela entidade a todos os trabalhadores que atuam em seus canteiros de obra.”... (Veja também a Cláusula Décima) As Convenções Coletivas assinadas pelo SindusCon-SP com os sindicatos de trabalhadores da construção no Estado de São Paulo, em sua Cláusula 24, parágrafo segundo, determinam que: A contribuição do empreiteiro ao Seconci-SP é uma obrigação legal. Com apenas 1% ao mês da folha de pagamento, o empreiteiro tem à sua disposição a maneira mais econômica e completa de cuidar da saúde do trabalhador da sua empresa. INFORME-SE (11) 3664-5059 Faça o seu subcontratado contribuir ao Seconci-SP e ser um empreiteiro legal. relacoesempresariais@seconci-sp.org.br UNIDADE CENTRAL: Av. Francisco Matarazzo, 74 - Água Branca - São Paulo - SP • ABC: Av. Dom Pedro II, 402 - Jardim - Santo André - SP • BAURU: Rua Gustavo Maciel, 16-31 – Centro – Bauru - SP • CAMPINAS: R. Onze de Agosto, 265 - Centro - Campinas - SP • CUBATÃO: Pç. Dr. Getúlio Vargas, 126 - Vila Couto - Cubatão - SP • MOGI DAS CRUZES: Av. Braz de Pina, 185 - Alto do Ipiranga - Mogi das Cruzes • PIRACICABA: Rua Ipiranga, 870 - Centro - Piracicaba - SP • PRAIA GRANDE: Rua Jaú, 880 – 7º and/salas 74 e 75 - Praia Grande - SP • RIBEIRÃO PRETO: Av. Independência, 284 - Vila Seixas - Ribeirão Preto - SP • RIVIERA DE SÃO LOURENÇO: Av. Marginal, 2717 - Shopping UpTown Riviera - Loja 5 - Bertioga - SP • SANTOS: Av. Siqueira Campos, 253 - Macuco - Santos - SP • SÃO JOSÉ DOS CAMPOS: R. Samuel Antônio Rodrigues, 401 - Jd. Paulista - São José dos Campos - SP • SOROCABA: R. Saldanha Marinho, 38 - Centro - Sorocaba - SP

[close]

p. 3

EDITORIAL Avançar, apesar da crise A prolongada recessão econômica aumentou a responsabilidade das instituições parceiras do poder público na área da saúde, como o Seconci-SP. Na construção civil, todo o esforço da entidade está sendo feito para manter e seguir ampliando o atendimento aos trabalhadores do setor no Estado. Nas unidades da rede pública sob a administração do Seconci-SP, a procura tem aumentado, alimentada pela crise e pelo desemprego. Em 2016, a entidade realizou 2 milhões de atendimentos aos trabalhadores da construção em suas 13 unidades próprias no Estado de São Paulo, e 6,7 milhões de atendimentos nas 59 unidades das redes de saúde do Estado e do Município de São Paulo e nos 25 serviços da capital paulista que administra. Prosseguimos avançando em 2017. Mais unidades do Interior deverão conquistar a certificação ISO 9001. Implantamos um Programa de Compliance, para consolidar a boa governança da instituição. E deveremos inaugurar as novas instalações da Unidade Sorocaba. Para a colocação nas obras das construtoras contribuintes, disponibilizamos uma placa com os dizeres “Esta obra tem saúde. Aqui tem Seconci-SP!”. E estamos lançando um selo, que mostramos nesta página, para as empresas aplicarem em seus anúncios. E estamos inaugurando esta revista trimestral, com recomendações em saúde e segurança do trabalho e notícias sobre nossas atividades. Assim seguimos assumindo nossa responsabilidade social para com os cidadãos, otimizando cada vez mais a gestão dos recursos disponíveis. Apesar da crise, não mediremos esforços para trabalhar incessantemente pela melhoria contínua do nosso atendimento. Boa leitura! Sergio Porto Presidente do Seconci-SP

[close]

p. 4

Mulheres conquistam cada vez mais espaço na construção civil Pedreiras, engenheiras, técnicas em segurança do trabalho, instaladoras - são cada vez mais numerosas as funções desempenhadas pelas mulheres nos canteiros de obras, inclusive em cargos administrativos ou no comando das empresas. Apesar de ainda serem minoria, elas vêm elevando sua participação no total de trabalhadores da construção. Segundo os últimos dados disponíveis da RAIS/IBGE, em 2015 o sexo feminino já representava 9,74% da força de trabalho formal do setor. A cidade de São Paulo tem mais mulheres que a média nacional, e corresponde a 68.398 trabalhadoras. De acordo com a gerente de Medicina Ocupacional do Seconci-SP, dra. Ina Irene Liblik Quintaes, o aumento da presença feminina em construções se deve, entre outros motivos, à qualidade de execução da mão de obra feminina; ao zelo com os equipamentos e ao nível de atenção aos detalhes em atividades de acabamento. Em relação à saúde da mulher no canteiro de obra, a dra. Ina explica que o mais importante é respeitar a sua estrutura física, principalmente no que tange à sobrecarga. Entre as ações de saúde direcionadas à mulher, o Seconci-SP recomenda a realização de palestras e difusão de informações sobre planejamento familiar; prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e Aids, de câncer de colo uterino e de mama, do fotoenvelhecimento e do câncer de pele – incentivando o uso do protetor solar; e sobre aleitamento materno e seus benefícios. EXPEDIENTE A Revista do Seconci-SP é uma publicação digital trimestral PRODUÇÃO Setor de Comunicação e Marketing Coordenador Geral: Nabil Cury Jornalistas: Fátima Cardoso e Rafael Marko Edição de Arte: Karen Grimello 4 Edição Digital: Lilian Rodrigues Fotos: Osmar Sena CONSELHO DELIBERATIVO Presidente: Sergio Porto Vice-Presidente: Haruo Ishikawa Vice-Presidente Financeiro: José Silvio Valdissera Conselheiros: Antonio Carlos Salgueiro de Araujo, Cesar Scatena, Darci Pinto Gonçalves, Maristela Alves Lima Honda, Renato Ventura, Roberto José Falcão Bauer, Sergio Tiaki Watanabe e Yves Mifano Superintendente Geral: Fernando Costa

[close]

p. 5

10º ConstruSer reúne mais de 20 mil pessoas Presente desde a primeira edição, o Seconci-SP ficou responsável pelo “Circuito Saúde” no 10º ConstruSer – Encontro Estadual da Construção Civil em Família, maior evento anual de responsabilidade social da construção paulista, que reuniu em 25 de março mais de 20 mil participantes, entre trabalhadores do setor, familiares e voluntários em dez municípios do Estado de São Paulo. “Nesses dez anos, proporcionamos perto de 3 milhões de atendimentos a 280 mil trabalhadores da construção e seus familiares. É o setor da construção dando o exemplo de que, com a união e a solidariedade, vamos sair da crise”, afirmou o vice-presidente do Seconci-SP e do SindusCon-SP, Haruo Ishikawa, na solenidade de abertura. O ConstruSer é realizado pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção), Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP, em parceria com o Seconci-SP. Triagem odontológica e exames. Ishikawa (à esquerda) e Ramalho da Construção (direita) 5

[close]

p. 6

Estudo aponta as principais causas de afastamento dos trabalhadores Dores lombares e articulares e inflamações, além de faringites, amigdalites, sinusites, gripes e viroses foram as principais causas de afastamentos dos trabalhadores da construção civil em 2015, segundo pesquisa realizada pelo Seconci-SP. De acordo com a dra. Norma Araujo, superintendente do Iepac (Instituto de Ensino e Pesquisa Armênio Crestana), do Seconci-SP, os resultados foram levantados a partir da análise de 65.792 consultas médicas realizadas na Unidade Central da entidade, na capital paulista, que geraram 7.879 atestados de afastamento. Entre as principais causas de falta ao trabalho estão as dores nas costas, juntas e inflamações (ombro, juntas e tendão) em qualquer faixa etária, correspondendo a 34,4%. Faringites, amigdalites, sinusites, gripes e viroses foram responsáveis por 10,7% do absenteísmo. Contusões, entorses, distensões, traumatismo e acidentes totalizaram 8,5%. Má digestão, gastrite, diarreia, úlceras e inflamação no intestino equivaleram a 5,5%, e hipertensão arterial e doenças cardíacas, a 5%. Neste cenário, a médica destaca uma tendência nos últimos anos. “Diminuiu a incidência de doenças ligadas aos cuidados da empresa e da própria pessoa em relação à sua saúde e à segurança do trabalho. É o caso das dores lombares e articulares e das inflamações (ombros, juntas, tendão), que representavam 43% dos motivos de afastamento em 2012, e passaram a 34% em 2015. Também é o caso das contusões, 6

[close]

p. 7

entorses, traumatismos e ferimentos, que caíram de 13% para 8,5%; e de má digestão, gastrite, diarreia, úlceras, inflamação no intestino, que registraram a maior queda proporcional: de 11% para 5,5%. Ao mesmo tempo, elevou-se a proporção das doenças relacionadas à má qualidade de vida na cidade, como as respiratórias: os casos de faringites, amigdalites, sinusites, gripes e viroses aumentaram de 7% para 10,7%”, informa. “A queda progressiva no número de contusões, entorses, traumatismos e ferimentos pode estar relacionada ao aumento de investimentos dos empresários com ações e medidas preventivas de segurança e saúde para seus funcionários”, diz dra. Norma. De acordo com a superintendente, o levantamento pode ajudar as empresas a conhecer melhor as causas que afastam seus trabalhadores e, com essa análise, propor medidas e programas de promoção de saúde, prevenção de doenças, tratamentos específicos às suas realidades, ou seja, fazer a gestão da saúde dos funcionários. Postura errada no trabalho, movimentos repetitivos, sobrecarga de materiais, dor nas costas, vida sedentária e falta de ati- vidade física. Pessoas que se encaixam nesses quesitos fazem parte dos milhões de brasileiros que sofrem com as doenças osteomusculares como lombalgia, hérnia de disco, tendinite e osteoartrose de joelho, além de problemas nos ombros e cotovelos. Segundo o ortopedista do Seconci-SP, dr. Antonio Hideo, é comum o trabalhador da cons- trução civil adotar posturas erradas. “A falta de atividade física e a vida se- dentária também são fatores que prejudicam a saúde dos trabalhadores. A prática regular de exercícios físicos é importante para evitar do- enças e melhorar o rendimento e a produtivida- de”, afirma o especialista. “A ergonomia no trabalho e a ginástica laboral oferecem muitos benefícios aos traba- lhadores. Para evitar danos à saúde, o ideal é que os trabalhadores façam alongamentos, for- talecimentos musculares e recebam orientação postural”, diz Elaine de Almeida Medeiros, fisio- terapeuta do Seconci-SP. 7

[close]

p. 8

dúvidas? Aprenda a se proteger das DSTs Prevenir-se contra doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é algo que deve ser feito durante o ano todo. “O uso de preservativos nas relações sexuais é um método eficaz e relativamente barato de se prevenir contra essas doenças, entre elas a Aids e sífilis, mas também gonorreia, HPV e hepatites virais”, explica dr. Horácio Cardoso Salles, gerente da Medicina Ambulatorial do Seconci-SP. Mas ainda persistem muitas dúvidas e falta de informação sobre o assunto. Segundo o Serviço Social do Seconci-SP, um exemplo é o HTLV, um retrovírus da mesma família do HIV. É transmitido de forma semelhante, por via sexual, pelo uso compartilhado de seringas e agulhas, e da mãe para o filho durante a gestação, no aleitamento e no momento do parto. Embora as estatísticas indiquem que apenas 5% das pessoas infectadas pelo HTLV desenvolvem problemas de saúde relacionados com o vírus, ele pode provocar quadros neurológicos degenerativosgraves e de leucemias e linfomas. Abertas inscrições para os Grupos de Apoio e de Planejamento Familiar Estão abertas as inscrições para os grupos de ria da qualidade de vida, no fortalecimento apoio oferecidos pelo Seconci-SP e coor- e formação de novos vínculos sociais solidá- denados pelo setor de Serviço Social: rios, visando mantê-los longe do uso de ál- • Grupo Social de Apoio: voltado para os tra- cool e drogas balhadores da construção civil e seus familia- • Grupo de Planejamento Familiar res, que sofrem de algum comprometimento Todos esses Grupos são gratuitos e forma- de ordem psíquica, como depressão, ansie- dos por equipes multidisciplinares. “Além de dade e estresse compreender todas as questões de saúde, • Grupo de Orientação e Apoio no Tratamen- eles desempenham um relevante papel edu- to Ambulatorial para Dependentes Químicos: cativo”, avalia Flávia Sampaio, assistente so- tem como objetivo compartilhar experiências cial da entidade. entre os participantes, com foco na melho- Inscrições: (11) 3664-5065 – Serviço Social 8

[close]

p. 9

FEBRE AMARELA: Seconci-SP Ribeirão Preto Em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde, o Seconci-SP imunizou mais de 600 trabalhadores contra a febre amarela em Ribeirão Preto. A entidade levou os profissionais de saúde até os canteiros de obra, onde analisaram as carteiras de vacinação e aplicaram a vacina quando necessário. O atual surto de febre amarela é mais preocupante que o anterior, ocorrido em 2008 e 2009, e pode se alastrar para a área urbana, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Desde 1942, a doença é transmitida só por mosquitos da área silvestre, mas se uma pessoa contaminada for picada pelo Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue, zika e chicungunha, poderá circular com o vírus da febre amarela e fazer com que a doença chegue aos grandes centros. A recomendação da Vigilância Epidemiológica é que toda pessoa que reside ou que irá viajar para uma das áreas de risco deve procurar uma unidade de saúde e se vacinar até dez dias antes da viagem. Piracicaba recebe certificação ISO 9001 Concedida pela Fundação Vanzoli- ni, a unidade Piracicaba do Seconci-SP foi certificada pela ISO 9001. “Com isso, mais uma regional ingressou em um patamar ele- vado de excelência no atendimento em saú- de proporcionado às empresas”, comenta o presidente da entidade, Sergio Porto. Esta é a quarta certificação de quali- dade ISO concedida ao Seconci-SP, depois das unidades de São Paulo, ABC e São José dos Campos. 9

[close]

p. 10

Vice-prefeito, Maristela Honda, Luiz Amoroso e Porto descerram a placa inaugural. No centro, o conselheiro Antonio Carlos Salgueiro de Araujo Campinas inaugura nova sede própria OSeconci-SP inaugurou a nova sede própria da Regional Campinas em 15 de dezembro, que agora ocupa um prédio de 637 m², permitindo a ampliação do atendimento aos 20 mil trabalhadores da construção civil da região e seus familiares. Para o presidente da entidade, Sergio Porto, “demos um belo exemplo de como a iniciativa privada pode cooperar com o governo no atendimento aos direitos básicos dos cidadãos”. O vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, presente na cerimônia de inauguração, destacou que “neste momento de crise em que não se veem muitas iniciativas positivas, florescem entidades como o Seconci-SP que realizam um trabalho tão relevante”. Regional Sorocaba também terá sede própria Com 1.200 m² de terreno e 670 m² de área construída, a futura sede própria da Regional Sorocaba tem excelente localização: av. General Osório 391 com a rua Eurides 10 Fogaça. O projeto arquitetônico foi contratado e obra deverá ser entregue ainda este ano.

[close]

p. 11

Seconci-SP alerta para Perda Auditiva Induzida por Ruído A otorrinolaringologista do Seconci-SP, Adriana Albarello, explica que qualquer alteração que comprometa a condução dos estímulos sonoros, de alguma forma, acarreta perda de audição. Ela destaca que quando o ruído é intenso e a exposição a ele é continuada, em média 85 decibéis por oito horas por dia, ocorrem alterações estruturais na orelha interna, que determinam a ocorrência da Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). “O zumbido ou sensação de ouvidos tampados pode ser um sintoma de perda auditiva”, complementa. Veja algumas recomendações: • Mantenha os ouvidos sempre limpos, mas sem excesso, pois o cerume (cera) também tem função protetora. • Para trabalhadores da construção civil, é muito importante o uso de protetores certificados para proteção dos ouvidos. • Procure periodicamente realizar exames para verificar o estado da sua saúde auditiva e lembre-se diariamente destas recomendações a fim de prolongar a sua audição. Entidade sedia encontro sobre segurança do trabalho OSeconci-SP sediou em março a primeira reunião de 2017 da CPN – Comissão Permanente Nacional da NR 18, a norma sobre segurança do trabalho na construção. Trata-se de órgão tripartite, com representações do governo, dos trabalhadores e dos empregadores. O encontro contou com a participação de Haruo Ishikawa, vice-presidente do Seconci-SP e do SindusCon-SP, e coordenador da Bancada dos Empregadores na CPN. Decidiu-se prosseguir a revisão da NR 18, com foco em segurança em instalações elétricas provisórias e proteção coletiva, informou Ishikawa. A Bancada do Governo, coordenada pelo engenheiro da Fundacentro-PE, Mau- ricio Viana, assumiu a coordenação da CPN. Ishikawa manifestou satisfação com a co- ordenação de Viana. “Foi muito bom que a Fundacentro assumiu a CPN. Agora vamos começar a cuidar de atender demandas: como fazer com segurança as plataformas para a manutenção das pás das usinas eóli- cas e como melhorar a segurança no mane- jo da serra circular. Temos que pegar esses assuntos, debater para ir melhorando a NR 18. Não adianta pegar muita coisa e não aprovar nada. Essa é minha visão hoje.” O encontro ainda contou com a par- ticipação do coordenador da Bancada dos Trabalhadores, Jairo José da Silva, secretá- rio da Feticom-SP (Federação dos Trabalha- dores da Construção de São Paulo). 1111

[close]

p. 12

Planeje suas ações de segurança do trabalho O Seconci-SP é um grande aliado das empresas, contribuindo para que elas atendam as legislações vigentes, garantindo mais segurança e reduzindo os riscos de acidentes do trabalho. O gerente de Segurança Ocupacional da entidade, José Bassili, afirma que a gama de serviços presta dos é extensa e diversificada. São elaborados programas e relatórios, promoção de treinamentos exigidos pelas Normas Regulamentadoras, visitas técnicas nos canteiros de obras com missão de relatório de conformidade, realizadas auditorias em segurança e saúde do trabalho, produção de laudos para caracterização de insalubridade e periculosidade, além de avaliações ergonômicas dos postos de trabalho. “Identificamos os principais riscos que podem comprometer a segurança do trabalhador, e propomos soluções”, explica Uelinton Luiz, supervisor de Segurança do Trabalho do Seconci-SP. 12 Laserterapia acelera o tratamento da estomatite Aestomatite, processo inflamatório que acomete a mucosa da boca, se caracteriza pelo aparecimento de aftas, acompanhadas de dor, febre e muito desconforto. Dentre as principais causas estão infecção (vírus, fungos e bactérias) e alergia a medicamentos (quimioterapia e anti-inflamatório). De acordo com o cirurgiãodentista do Seconci-SP, dr. José Augusto Cestari, o uso da laserterapia auxilia no tratamento da doença, pois o laser alivia as dores e ativa as células da reparação no local da lesão. O tratamento inclui cuidados especiais com a hidratação e a alimentação dos pacientes, que têm dificuldade para engolir alimentos e fazer a higiene bucal, porque a dor é muito forte. A recomendação é procurar a ajuda de um cirurgião-dentista ao perceber os sintomas, para que se identifiquem as possíveis causas e se defina o tratamento mais eficaz.

[close]

p. 13



[close]

p. 14

AMEs administrados pelo Seconci-SP conquistam certificação nacional de qualidade AME BOURROUL AME SOROCABA Os Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) Dr. Geraldo Bourroul, no município de São Paulo, e Sorocaba, administrados pelo Seconci-SP para a rede estadual de saúde, conquistaram o selo de Acreditação da ONA (Organização Nacional de Acreditação), que certifica a qualidade de serviços de saúde no Brasil. Estes foram o segundo e o terceiro AMEs administrados pelo Seconci-SP que obtiveram a Acreditação da ONA. O primeiro foi o AME Barradas, na capital paulista, no grau de Excelência, o mais elevado. Centro de Apoio - AME Lorena Assim como o AME Sorocaba, o Ambulatório de Lorena também dispõe de Centro de Apoio, espaço localizado no Mercadão Municipal próprio para acolher os familiares dos pacientes que são atendidos na Unidade, para que 14 possam descansar e se alimentar.

[close]

p. 15

Sergio Porto, Paulo Quintaes, superintendente do AME Barradas; Alckimin e David Uip. Alckmin lança Megamutirão de Saúde no AME Barradas Ogovernador Geraldo Alckmin e o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip, lançaram o Megamutirão de Saúde no dia 17 de março, no Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Barradas, administrado pelo Seconci-SP. De 18 a 25 de março, os 93 hospitais e os 55 AMEs do Estado de São Paulo tiveram agendas extras e a expectativa de realizar 15 mil consultas, 40 mil exames e 5 mil cirurgias de baixa complexidade, como de hérnia, vesícula e catarata. “Trata-se do maior mutirão de saúde da história de São Paulo e nada melhor do que lançá-lo no AME Barradas, que é o maior e mais bem equi- pado do Estado. Administrado com excelência pelo Seconci-SP, qualidade comprovada pela Organização Nacional de Acreditação”, destacou Alckmin. Aprovação dos AMEs A pesquisa anual de satisfação realizada pela Secretaria de Estado da Saúde, em 2016, apontou que os AMEs conquistaram uma média de 96,7% de aprovação dos pacientes e usuários. Dos cinco Ambulatórios administrados pelo Seconci-SP, apenas o de Lorena não foi avaliado, pois foi inaugurado em julho de 2016. Os demais – Barradas/Heliópolis, Bourroul, Caraguatatuba e Sorocaba – atingiram um índice de aprovação acima de 95,5%. 15

[close]

Comments

no comments yet