Bom Dia - O Diário do Médio Piracicaba

 

Embed or link this publication

Description

João Monlevade, Sexta-feira, 30 de março de 2017 - Edição 4.134 - Ano XX

Popular Pages


p. 1

SEXTA-FEIRA 31 DE MARÇO - 2017 | R$ 1,00 O Diário do Médio Piracicaba Edição: 4.134 - Ano XIX - Fechamento: 18h00 Predomínio de sol, apenas com pouca variação de nuvens MÁXIMA: 27ºC MÍNIMA: 15ºC www.bomdiaonline.com CERTIFICAÇÃO DE EMPRESA, LED E ATÉ CHOQUE Troca de lâmpadas em praça pode estar cercada por irregularidades Página 3 Correios fecha agência devido à crise Bom Dia lança Bell Silva / O Popular selo comemorativo O assunto foi amplamente debatido durante reunião na Câmara Municipal. Página 5 Gambá causa curto-circuito no PA Bell Silva / O Popular Peça remete a importante capítulo de nossa história. Página 4 Animal seria o motivo da pane. Página 5 Escolas municipais também amanhecem fechadas Página 7

[close]

p. 2

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 2.opinião EXPEDIENTE BOM DIA • Diretor Responsável: Geraldo Magela Gonçalves (Interino) • Diretor Geral: Luiz Gonazaga de Castro • Comercial: comercial@bomdiaonline.com 3851-1515 • Edição Breno Botelho • Reportagem Kátia Passos • Diagramação/Arte: Sérgio Henrique Braga • Impressão: Gráfica Bom Dia • Colaboradores: Márcio Naoto Suzuki (Up Street) Lúcio Flávio Carlos Augusto - Gugu (Meu Palpite) Tayana Duarte (Interiores com Estilo) Marcos Martino (Cenários) • Representante Comercial: Super Mídia Brasil - BH Central de Comunicação - SC Redação e Administração Rua Nossa Senhora Aparecida, nº 152, Sl. 305, Aclimação, CEP.: 35930-028 João Monlevade / MG / Brasil (31) 3851.1515 • Bom Dia online: www.bomdiaonline.com Circulação: Alvinópolis, Barão de Cocais, Bela Vista de Minas, Bom Jesus do Amparo, Catas Altas, Dionísio, Dom Silvério, Itabira, João Monlevade, Nova Era, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, São Domingos do Prata, São Gonçalo do Rio Abaixo, São José do Goiabal. FUNDADO EM JULHO DE 1998 Bom Dia Comunicação Ltda - ME. CNPJ.: 24538633/0001-16 Todos os Direitos Reservados bomdia@bomdiaonline.com redacao@bomdiaonline.com APOCALIPSE AUTORAL AUTORAL NEM A PAU, NICOLAU! Uma banda que faz músicas próprias sempre teve dificuldades de agendar shows. Os donos das casas de show preferem as bandas covers, que tocam as músicas das paradas do sucesso, aquelas que o povo tá pedindo. Na verdade isso não é novo. Os caras são empresários e montam as casas pra faturar. AUTORAIS TEM DIFICULDADES COM PATROCÍNIO Não é fácil convencer um empresário em investir para incentivar a música autoral. Eles preferem investir em eventos que “bombam”, com público enorme, para que a marca seja relacionada com o sucesso do evento. FESTIVAIS AUTORAIS ? TÔ FORA! O povo prestigia os shows dos famosos e os covers das bandas e duplas conhecidas. Os festivais autorais atraem músicos e artistas que ainda acreditam na fórmula, que veem nos festivais espaços de fruição, que estão interessados nas novidades sonoras. E atrai também a tribo ligada à arte e cultura, que não é numerosa hoje em dia. Em tempos de velocidade e self service de tudo, não existe espaço para curiosidade intelectual e nem paciência pra ouvir músicas desconhecidas e muito menos disposição pra conhecer. ENFASTIO CULTURAL Parece que as pessoas tem tudo tão à mão que começam a sentir preguiça com as novidades. Ainda mais quando se tem um acervo enorme de todos os cantores e bandas inimagináveis, dos anos 50.60.70.80.90 e por aí vai. São muitas memórias musicais acumuladas durante a vida e mesmo as não vivenciadas estão acessíveis a um toque no Google. Pra que mais músicas? COVER É ARTESANATO Na verdade os covers não são originais, mas tentativas de soar como o original. Aliás, há um prazer do público e dos músicos dessa modalidade. Do público que gosta quando uma banda toca igualzinho sua banda favorita. E das bandas também por tentarem fazer igual.E tem bandas que costumam até se sentir maiores do que os originais. ANÔNIMOS ILUSTRES Eu tava aqui pensando quantas canções maravilhosas que não chegaram a ficar acessíveis para o grande público. Só nos festivais de música foram trocentas e tantas. Ai fiquei pensando na galera que está na ativa hoje. De Itabira lembrei de Maíra Baldaia, Rivotrio, Marçal,Igor Venal, Cotonete, entre outros. De Monlevade, o Umbigo Trio, a banda Dezarm, o pessoal do Souldusamba, Guilherme Calk, Isa Lelis, João e André Freitas, Rômulo Rás, João Roberto e Ronivaldo. De São Gonçalo tem o Tupete, grande compositor, músico e luthier e o exímio violonista Aulus Rodrigues. De Alvinópolis tem trabalhos novos muito bons, como da banda Estorvo e Thayson Azevedo. Mas e aí? São todos artistas muito bons, conhecidos em seus microuniversos, mas anônimos em termos de conhecimento do grande público. O que fazer com esse talento todo? Como fruir esse material lindíssimo? A INTERNET NOS LIBERTARÁ Será? É verdade que pela internet qualquer artista consegue montar um canal no youtube, produzir seus próprios vídeos, se bobear até seu programa de TV, como fez o músico Cotonete de Itabira. Mas os artistas não vêm conseguindo grande alcance. Poucos conseguem realmente ficarem populares no país inteiro através da internet. A não ser que tenham uma ideia extravagante, um nome diferente (a Banda mais bonita da cidade foi um case), quem sabe um escândalo, um vocalista extraterrestre, algo que provoque a curiosidade do público. Resumo da ópera: se o artista quiser ser popular, vender shows no Brasil inteiro vai continuar tendo de encontrar maneiras de chegar até as velhas mídias de massa. TREM BALA: UM CASE EXEMPLAR Há algum tempo recebi pelo celular um single de uma cantora chamada Ana Vilela. Ela enviou a música e pediu a opinião da gente e tudo. Achei simpático. Na época achei a música bonitinha e até mandei comentário pra ela, dizendo que tinha gostado bastante da letra. Alguns meses depois a música estourou e foi parar na Blobo, principalmente depois que a Gisele Bundchen gravou um vídeo tocando e cantando ao violão. COMO FAZER PARA QUE O AUTORAL SEJA MAIS ACEITO? Em primeiro lugar, você pode trabalhar para que as suas principais músicas sejam ouvidas pelo público alvo na internet. Depois, dobrar os donos de casas noturnas e eventos, convencendo que seu show autoral agrada. E finalmente causar com seu show, surpreender, arrebatar, emocionar, ser profissional ao extremo. Você pode produzir seu CD também, mas hoje não é o mais importante. Tem pouca gente ganhando dinheiro com CD. Mas pode ser um excelente cartão de visitas. Vc deve continuar produzindo bons conteúdos, divulgando, fazendo shows, mostrando a cara e procurando maneiras de colocar seu bloco na rua, sua fruta na feira, seu produto nas melhores vitrines. A MAIOR IRONIA É que a despeito da dificuldade, todo mundo virou autor. Qualquer um pode publicar, pode ter seu blog, seu site, seu canal no Youtube. Suas músicas no spotfy, no Facebook, enfim. O maior desafio é conseguir reputação, autoridade e demanda. Isso vale pra tudo...

[close]

p. 3

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 3.cidade Troca de lâmpadas em praça pode estar cercada por irregularidades João Monlevade - A troca de lâmpadas na praça do Lindinho pode render dor de cabeça à prefeita de João Monlevade, Simone Carvalho (PSDB). A iluminação a vapor de sódio está sendo substituída pela de LED por uma empresa terceirizada. O problema é que a praça, por ser um espaço público, deve ter este serviço realizado pela empresa contratada por meio do Consórcio Intermunicipal Multissetorial do Médio Rio Piracicaba (Consmepi). O município de João Monlevade integra o Consórcio desde que uma resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) transferiu para as prefeituras a responsabilidade sobre a iluminação pública. Mensalmente é pago taxa para a manutenção dos serviços. Outro ponto levantado é que as lâmpadas de LED não possuem certificados pelo Inmetro e nem da Abnt, o que contraria a legislação, que proíbe o gestor em compras públicas adquirir produtos que não tenham a certificação. A empresa que faz a troca da iluminação também não possui cadastro junto à Cemig e nem apresentou projeto para a substituição das luminárias. O custo desse serviço, que foi contratado pelo ex-prefeito de João Monlevade Teófilo Torres (PSDB) é de R$ 210 mil. O vereador Belmar Diniz (PT) expôs a situação durante a última reunião da Câmara de Vereadores, na tarde quarta-feira (29). Ele argumentou que numa cidade no sul do Brasil, o Tribunal de Contas do Estado determinou que as lâmpadas de LED fossem retiradas após a troca devido a irregularidade. O parlamentar também questionou o fato da contratação da empresa para o serviço em João Monlevade. “Nós participamos de um consórcio [Consmepi] que é responsável pela iluminação pública do nosso município, onde estão incluídas as praças. Houve esse edital de R$ 210 mil pagos para a empresa, mas a responsabilidade da troca da iluminação pública é do Consmepi. Então estamos pagando duas vezes? Peço que essa questão seja apurada”, pontuou Belmar que compeltou: “é um prejuízo para o município e sem garantia alguma”. Funcionário toma choque Durante a troca da iluminação na praça, um funcionário da empresa responsável pelo serviço tomou um choque. Uma fonte que pediu sigilo sobre o caso explicou que a firma está alterando pontos de IP em alguns locais e o choque foi provocado porque o funcionário desligou um padrão no Lindinho que atendia à iluminação de Natal. A empresa então teria sido orientada a se credenciar junto à Cemig para fazer as intervenções necessárias, bem como ter o projeto com as modificações aprovado pela Concessionária. Além disso, foi sugerido que a empresa faça a verificação na praça do Lindinho se a troca da iluminação oferece risco a terceiros, já que foram iniciadas intervenções no local, como a substituição de globos. Prefeitura nega substituição Procurada, a prefeita Si- mone Carvalho, por meio da Assessoria de Comunicação alegou que se reuniu com o gerente da Cemig, Eluyr Dias, quando conversaram sobre vários projetos - inclusive voltados para as praças. Em nota enviada pela Assessoria consta que “os projetos de revitalização em geral estão em andamento e, nos próximos dias, a Praça do Lindinho receberá serviços de podas de árvores. E, em três ou quatro meses, a praça em questão deverá passar por uma revitalização geral (também de iluminação), como aconteceu com a Praça Sete de Setembro”. O Assessor de Comunicação, Will Jonny, nega que a substituição das lâmpadas no local tenha iniciado. Poder judiciário nega liminar à Samarco em favor de Santa Bárbara Santa Bárbara - Partindo do pressuposto de que “alguma lição deve se extrair do acidente ambiental recentemente vivenciado”, o Poder Judiciário de Minas Gerais, na pessoa da juíza Ana Paula Lobo, reafirmou, na tarde de ontem, 28, o posicionamento do Ministério Público do Estado em decisão favorável ao entendimento, da Prefeitura de Santa Bárbara, diante a concessão de Carta de Conformidade ao empreendimento da Samarco no distrito de Brumal. Divulgação Município quer estudo de viabilidade antes de autorizar extração de água no rio Santa Bárbara O Judiciário nega direito da empresa de querer antecipar a assinatura da Carta de Conformidade. Para a Samarco, não é possível ao município “fazer avaliações de impacto, aferição esta a ser realizada pelo Estado”, conforme relembra a Juíza no documento de ontem (). Segundo o ór- gão, contrário a esta consideração da empresa, a análise da conformidade do empreendimento aos regramentos locais pode, sim, “demandar a solicitação de estudos e informações complementares”, uma vez que se estabelece um ato administrativo de direito do poder público local. Para esclarecer o contexto, no que refere à emissão da Declaração de Conformidade pelo município, houve um condicionamento, desta, à apreciação de estudos de impacto ambiental, uma vez que, em 2013, só foi possível discutir os impactos urbanísticos, ocasião em que a obra prosseguia com irregularidades de construção e sem alvará. Ocasião, esta, também, em que a Carta de Conformidade, emitida pela gestão de 2009, ainda tinha validade. A Comarca de Santa Bárbara convocou audiência, para o dia 18 de abril, a fim de tentar um acordo entre o autor do processo, a Samarco Mineração, e o Município de Santa Bárbara.

[close]

p. 4

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 4.cultura Bom Dia lança selo comemorativo dos 200 anos da chegada da Jean Monlevade João Monlevade – O jornal Bom Dia lança hoje o selo comemorativo dos 200 anos da chegada de Jean Monlevade ao Brasil. A peça, criada para recordar os primórdios monlevadenses, será estampadas em todas as edições do Bom Dia até o final do ano. O selo traz como imagem central o fundador do município que leva seu nome, além de imagens que fazem alusão à França e à usina de Monlevade. No dia 14 de maio de 1817, o francês Jean Antoine Félix Dissandes de Monlevade chegou ao Brasil com o objetivo de estudar os recursos minerais do país. Desembarcando no Rio Fazenda Itajuru: primeira residência de Jean Monlevade em São Miguel do Piracicaba de Janeiro, ele recebeu autorização do rei Dom João VI para excursionar pelas terras da província de Minas Gerais. Após passar pelos distritos de São João Del Rey, Villa Rica, Sabará, Caeté, Jean Monlevade estabeleceu-se em São Miguel do Rio Piracicaba. Ele ficou hospedado na Fazenda Itajuru, de propriedade do Capitão João Gomes de Abreu e Freitas, pai do médico Ildefonso Gomes de Freitas, que conheceu Monlevade na França. Impressionado com a riqueza mineral da região, Jean de Monlevade comprou algumas sesmarias de terras de duas léguas abaixo de São Miguel do Piracicaba. Lá, ele construiu, em 1818, a Fazenda Solar e a Forja Catalã, que chegou a produzir trinta arrobas diárias de ferro. A marca é lançada pelo jornal Bom Dia no momento em que a cidade prepara ações para comemorar a data. A Câmara de Monlevade aprovou na noite de quarta-feira o projeto de Lei que institui o Dia de João Monlevade. Conforme redação do projeto, as homenagens relacionadas à proposta devem ser realizadas anualmente em 14 de maio, em alusão à chegada de Jean Monlevade no Brasil. Nesta data, o Poder Executivo, em colaboração com a Câmara Municipal e com outras organizações da sociedade civil, promoverão atividades pertinentes à comemoração, com entrega de medalhas e diplomas. Na manhã de ontem, o presidente da Câmara de João Monlevade Djalma Bastos (PSD) se reuniu com o gerente de Recursos Humanos, João Carlos de Oliveira Guimarães, e com o analista de comunicação da ArcelorMittal, Lucas Vilela para discutir ações conjuntas para a data. De acordo com a assessoria de comunicação do Legislativo, foi iniciado o planejamento das ações para este ano e o próximo.

[close]

p. 5

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 5.cidade Fechamento dos Correios no bairro Cruzeiro Celeste preocupa vereadores João Monlevade - O comunicado do fechamento da agência dos Correios no bairro Cruzeiro Celeste foi debatido na reunião ordinária de quarta-feira (29) da Câmara de João Monlevade. O motivo, segundo o presidente da Casa, Djalma Bastos (PSD), é a situação econômica nacional. “Conseguiram fazer com os Correios o que fizeram com a Petrobrás: quebraram financeiramente”, destacou Djalma. O vereador Vanderlei Miranda (PR) reforçou a importância da agência para os moradores daquela região e solicitou aos demais vereadores que encaminhassem juntos um ofício à gerência da empresa, manifestando-se contrário à medida. O líder do Governo, Sinval Dias (PSDB) reforçou os argumentos de Vanderlei. Para ele, é preciso incrementar os serviços e não tirar Cíntia Araújo/Acom CMJM Agência dos Correios e velório estiveram entre os temas discutidos as conquistas. Belmar Diniz (PT) justificou que procurou a gerente local da agência, e esta informou que é uma decisão hierárquica. “Eles quantificaram número de atendimentos, número de funcionários. A agência dos Correios em Carneirinhos tem muito mais demanda, por isto optaram por fechar a do Cruzeiro Celeste”, explicou o petista. Ainda sobre o fechamento, Guilherme Nas- ser (PSDB) se mostrou preocupado com a qualidade dos serviços à população. Segundo ele, alguns moradores de bairros mais afastados do centro, como Planalto, não recebem suas correspondências em casa. “Com o fechamento desta agência, que é mais próximo da região, é preciso estudar formas de manter o que já tem e melhorar muito o que ainda falta para atender aos moradores daquela região”, declarou. Os vereadores Lelê do Fraga e Cláudio Cebolinha, ambos do PTB, também se manifestaram, em especial por serem moradores do entorno. “Contem com este vereador para qualquer questão que se remeta à nossa região” disse Lelê. Cebolinha enfatizou o que chamou de “presente de grego” para João Monlevade. “Justamente em abril, mês que celebraremos o aniversário da nossa cidade, será fechada a agência. Lamentável”, destacou Cebolinha. Velório também é assunto A demora na conclusão da reforma do Velório Municipal foi lembrada por Toninho Eletricista (PHS). O edil citou um ofício encaminhado pela empresa Master Construtora à presidência da Câmara, justificando que o prazo para entrega do espaço é 23 de maio. Segundo a empresa, no início da obra optou-se por reformar uma capela por vez, para que as outras pudessem ser utilizadas. “Barulhos e transtornos prejudicavam os familiares de pessoas ali veladas, tendo então a empresa de paralisar por diversas vezes para aguardar a finalização dos funerais, o que atrasou os trabalhos”, declarou a empresa. Ou- tra justificativa foram as chuvas no início do ano. Segundo Anderson Paulino, administrador da Master Contrutora, foi necessário fazer a cobertura do imóvel com laje, mas este serviço só é possível fora do período de chuvas. Ao finalizar o ofício, Anderson garantiu que até dia 15 de abril a obra será entregue. Para Toninho, as questões levantadas não justificam a demora da empresa em se manifestar. “Vou acompanhar de perto os prazos informados”, declarou. Toninho ainda aproveitou seu tempo na tribuna para solicitar ações da Prefeitura no que diz respeito à vasão de água no bairro Tanquinho, que não vem acontecendo de forma correta e causa transtorno aos moradores e ainda, a limpeza com capina na rua Rondônia, no bairro São Geraldo. Gambá provoca curto-circuito em rede do PA João Monlevade - Na manhã desta quarta-feira (29), quem procurou o Pronto Atendimento de João Monlevade (PA) para a realização de algum exame foi surpreendido pela falta de energia elétrica no prédio e precisou voltar para casa. A falta de luz foi ocasionada por curto-circuito nos transformadores da unidade de saúde, provocada por um gambá. O animal entrou na sala onde ficam os equipamentos e provocou o curto quando passou entre as duas fa- Divulgação Um gambá provocou o curto ses de energia. Os 15 exames de ultrassons que seriam realizados foram remarcados para o dia seguinte. As mamografias também serão novamente agendadas. Já os exames de raio-x foram transferidos para o Hospital Margarida. No entanto, a unidade de saúde usa duas máquinas para fazer o procedimento e uma delas está queimada. Com o acúmulo de pacientes, os atendimentos no hospital podem ficar sobrecarregados. Os demais exames (sangue, urina e fezes), que tem média de 100 coletas por dia, foram suspensos e os usuários devem retornar ao PA na quinta-feira. As informações foram repassadas à reportagem pelo vereador Belmar Diniz (PT), que esteve no Pronto Atendimento nessa manhã. Gerador destruído por vândalos O PA possui um gerador que é acionado na falta de energia elétrica. No entanto, o equipamento não está funcionando porque os cabos dele foram furtados há um mês. Um engenheiro da Prefeitura de João Monlevade elaborou projeto para que outras ações do tipo não sejam recorrentes. O vereador Belmar Diniz contou à reportagem que o gerador foi alvo de vândalos que danificaram tanto a parte externa quanto a interna do equipamento. O parlamentar, na gestão passada, criticou o abandono do prédio do PA. “É um desleixo o que está sendo feito com o PA. O paliativo que usaram lá é fechar com grandes os setores que denunciei. Esse ensaio que se faz com o gerador deveria ser feito duas vezes por semana, porque o apare- lho parado pode danificar se não colocado para funcionar. A segurança no local também deveria ser reforçada, já que estão furtando materiais”, sugeriu o vereador. A Cemig foi acionada devido ao curto que também afetou a parte externa, que fica nos postes. A Concessionária vai verificar a rede, o que deve reestabelecer a energia no local para que os serviços sejam retomados. Além dos exames, também funciona no prédio do PA a Secretaria de Saúde.

[close]

p. 6

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 6.economia Sicoob Credimepi inaugura nova sede em João Monlevade ALÉM DA INAUGURAÇÃO, A COOPERATIVA TAMBÉM COMEMORA, NESTE ANO, SEU ANIVERSÁRIO DE 20 ANOS Fotos Bruno Guimarães A cooperativa tem hoje mais de 15 mil associados em 31 cidades A nova sede se destaca pela modernidade da obra: com espaços amplos, seguros e confortáveis João Monlevade - O Sicoob Credimepi inaugurou no último dia 10, a sua nova sede. Mais de 500 pessoas estiveram presentes à solenidade para o corte da fita inaugural e descerramento das placas de inauguração e de homenagens. Diversas autoridades de toda a região estiveram presentes, como o vice-prefeito de João Monlevade, Fabrício Lopes, representando o Executivo monlevadense, além da prefeita de Nova Era, Laura Carneiro, acompanhada do vice-prefeito Sávio Martins; o prefeito de Santa Bárbara e presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Piracicaba (AMEPI) Leris Braga; o presidente da Câmara de João Monlevade Djalma Bastos; o deputado estadual Tito Torres e o delegado regional de Polícia Civil, Alberto Gomes Vieira. O evento contou ainda com a presença ilustre do presidente do Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob) Marco Aurélio Almada; o presidente do Sicoob Central Cecremge Luiz Gonzaga Viana Lage e do presidente do Sistema OCEMG, Ronaldo Scucato, além de presidentes de diversas cooperativas de todo o Estado e dos associados pioneiros do Sicoob Credimepi e que ainda são cooperados da instituição. Também neste ano, o Sicoob Credimepi comemora seu aniversário de 20 anos. A instituição iniciou suas atividades em 1997, como a primeira cooperativa de crédito regional do Brasil. O Sicoob Credimepi tem, hoje, mais de 15 mil associados, em 14 unidades, atuando em 13 cidades: Rio Piracicaba, Nova Era, São Domingos do Prata, João Monlevade, Bela Vista de Minas, Alvinópolis, Itabira, Santa Bárbara, Barão de Cocais, Mariana, Itabirito, Ouro Preto e Caeté. O empreendimento Localizada na rua Pedro Bicalho, 70, bairro Novo Horizonte, a construção se destaca pela modernidade da obra: com espaços amplos, seguros e confortáveis. A nova sede foi construída baseada no conceito da sustentabilidade, com reaproveitamento de água da chuva, estação de tratamento de águas cinzas (lavatório e tanque). De acordo com o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Credimepi, Jacson Guerra Araújo, todos estes recursos de sustentabilidade geram mais economia para a cooperativa, além de reduzir o impacto ambiental. Localizada em um ponto nobre da cidade e construída em terreno próprio, a sede conta com quatro andares, com mais de 4 mil m² de área construída e estacionamento próprio. O crescimento da cooperativa e a importância da nova sede O Sicoob Credimepi cresceu muito desde que foi fundado, há 20 anos. A cooperativa tem hoje mais de 15 mil associados, com área de atuação em 31 cidades e 14 pontos de atendimentos. Além disso, a instituição é a sétima cooperativa no ranking do Sicoob Central Cecremge e a primeira do leste mineiro. A taxa de crescimento nos últimos anos foi, em média, superior a 30%, o que demonstra a grande atratividade de seus produtos e serviços. Os produtos e serviços do Sicoob Credimepi são, basicamente, os mesmos oferecidos pelos bancos, com um grande diferencial: as taxas são em média de 30% a 50% menores. Historicamente, as cooperativas de crédito crescem em época de crise pois as pessoas estão à procura de serviços e produtos com melhor preço e, portanto, mais propensas a comparar taxas. Dentro da área de abrangência, qualquer pessoa, física ou jurídica, que possuir um endereço em uma das 31 cidades nas regiões do Médio Piracicaba e do Circuito do Ouro, pode se associar. Este capital é do associado e lhe dá direito de participar dos resultados econômicos da cooperativa, de acordo com sua movimentação financeira durante o ano. De acordo com o presidente Jacson Guerra, a construção da nova sede, em João Monlevade, foi planejada pensando no futuro. “A principal preocupação sempre foi a de que as raízes ficassem em João Monlevade, onde tudo nasceu. Vimos este potencial de crescimento que o Sicoob Credimepi alcançaria, principalmente nas grandes cidades (maiores que João Monlevade) e decidimos fazer uma sede que servisse de modelo, visando o futuro. Não tínhamos dúvidas de que Monlevade, devido à sua localização e potencial, continuaria abrigando a unidade matriz do Sicoob Credimepi”, afirmou o presidente. Em termos de empregabilidade, a localização da sede administrativa em João Monlevade é de extrema importância para o município, tendo em vista o potencial de crescimento da cooperativa. Segundo Jacson, uma das estratégias do Sicoob Credimepi será operar em grande, escala, melhorando a competitividade da cooperativa e sua eficiência. “Operar em escala maior, significa um número maior de associados e um volume maior de negócios e, para isso, precisamos de infraestrutura: física, tecnológica e de pessoas”, concluiu o presidente do conselho.

[close]

p. 7

BOM DIAsexta-feira, 31 de março de 2017 CONECTE JÁ (31) 3851-0475 Av. Getúlio Vargas, 4.906 www.internetsuper.com.br 7.cidade Funcionários públicos de João Monlevade decretam estado de greve João Monlevade - O funcionalismo público de João Monlevade decretou na última quarta-feira (29), estado de greve alertando que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve. A decisão foi tomada em assembleia da categoria depois que os servidores reprovaram a recomposição salarial de 5,38%, que equivale ao índice inflacionário, proposta pela administração municipal. O índice de reajuste pleiteado pelos servidores é de 14% e não de 25%, como apresentado inicialmente. As negociações entre o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de João Monlevade (Sintramon) e representantes da Prefeitura de João Monlevade foram realizadas em duas datas. Apesar de não chegarem a um acordo em relação à cláusula econômica, outros acordos foram selados. Preliminarmente, chegou-se a discutir e a entrar em acordo com relação a várias cláusulas sociais, inclusive sem a eliminação do acordo vigente. Pelo contrário: houve ampliação de benefícios. Os entendimentos mostram também que as homologações, por ocasião das rescisões, reivindicadas pelo Sintramon, passarão a ser feitas na sede do Sindicato. Paralisação nacional contra a PEC Nessa sexta-feira (31), os servidores da rede pública devem aderir à paralisação nacional contra a Reforma da Previdência. A ação também foi aprovada pela assembleia da categoria. Todo o funcionalismo foi convocado pelo Sintramon. Ás 16h haverá na Praça do Povo um ato de protesto, com apoio de demais unidades sindicais da cidade. Greve de professores estaduais Várias escolas estaduais de João Monlevade estão em greve há mais de 15 dias. Os professores da rede, além do posicionamento contra a reforma da previdência, enunciam que o governo do estado está descumprindo acordo feito em 2015, que previa aumento sa- larial até 2018 e outras melhorias na carreira. A categoria diz que o reajuste de 7,64% no piso salarial dos professores anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) em janeiro, não foi cum- prido pelo governo estadual. Além disso, cobram o valor retroativo de janeiro, fevereiro e março do ano passado, que também não teria sido quitado pelo estado. Outra reivindicação é o cumprimento do acordo feito com o governador Fernando Pimentel (PT) em 2015. O projeto previa aumento de 31,78% a ser pago integralmente para os professores da rede estadual até 2017. O texto ainda instituiu o fim do subsídio e a volta do vencimento básico, além do descongelamento das carreiras e da garantia do pagamento do piso nacional de R$ 1.917,78 para jornada de 24 horas. Estudantes desenvolvem trabalho sobre “o politico ideal” São Gonçalo do Rio Abaixo - Na tarde desta quinta-feira, 30, os alunos do Parlamento Jovem 2017 se reuniram para discutir sobre o projeto na Câmara de São Gonçalo. O tema desenvolvido pelo projeto este ano é “Educação politica nas Escolas”. A coordenadora do PJ municipal Conceição Mol, pro- moveu uma oficina com os alunos para aprofundar um pouco mais sobre o tema. Após a exibição de um vídeo, os alunos fizeram o estudo de um texto sobre “Política, ética e cidadania” e debateram o assunto. Logo após eles produziram cartazes sobre o tema “Como seria o político ideal?”. As frases foram escritas em cartazes e depois fo- ram expostas no prédio do legislativo. O material ficará exposto até a próxima semana. Esta é a quarta oficina que os jovens participam. Eles estão se preparando para elaborar projetos sobre o tema proposto pelo Parlamento Jovem e que será votado na etapa Municipal, prevista para ocorrer no final de junho. Logo após, as matérias serão levadas para a etapa regional que ocorre junto às cidades de Itabira, João Monlevade e Conceição do Mato Dentro, até que se defina quais serão as propostas apresentadas na etapa estadual em Belo Horizonte, no mês de setembro, onde todas as cidades participantes do PJ estarão reunidas. Vereador vai recorrer contra multa João Monlevade - O vereador Guilherme Nasser (PSDB) e o professor de dança Liniker Leandro Mendes de Souza foram condenados pela justiça eleitoral a pagar multa de R$ 25 mil, cada um, em processo da Justiça Eleitoral. Os dois foram denunciados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) por usar o projeto social de dança “Vem Dançar” (promovido pela Prefeitura de João Monlevade), antes das eleições como promoção da campanha eleitoral de Nasser. “A decisão foi injusta e vamos recorrer. A Justiça vai ser feita e o recurso será deferido. O professor também está fazendo a defesa dele. Afinal de contas, a gente não fez nada contra a lei. Acreditamos na Justiça e acreditamos que o recurso será deferido”, pontuou o vereador. Constam na ação provas como fotos de redes sociais, homenagem conferida por Guilherme ao professor do projeto, e ainda postagem na qual o professor anuncia o sorteio de camisa da ação social com participação de Nasser e da prefeita eleita Simone Moreira (PSDB). O processo chegou a ser arquivado pelo promotor da comarca de Monlevade, André Leite de Almeida, que alegou não ter achado irregularidades. No entanto, a Procuradoria Regional Eleitoral pediu o desarquivamento do processo e propôs ação especial contra o vereador, pedindo a cassação do registro da candidatura dele sob justifi- cativa da popularidade do projeto de dança e o início dele perto da campanha eleitoral (no mês de abril). A representação formulada pelo Ministério Público Eleitoral contra Guilherme e o professor Liniker foi julgada parcialmente procedente pelo juiz eleitoral Rodrigo Braga Ramos. O magistrado desconsiderou o pedido de cassação da candidatura do vereador, mas manteve-se favorável ao pagamento da multa.

[close]

p. 8



[close]

Comments

no comments yet