Guimarães mais Verde #7

 

Embed or link this publication

Description

Guimarães mais Verde #7

Popular Pages


p. 1

eco-revista #07 FEVEREIRO 2017 Esta revista é uma publicação da Câmara Municipal de Guimarães. Trimestral, de distribuição gratuita, acompanhará o processo de candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020. Green Project Awards, ECOXXI e Bandeira Cidade de Excelência BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS Guimarães DISTINGUIDA Guimarães promoveu AO LONGO DE UMA SEMANA ações para a redução de resíduos Quatro mil escuteiros vimaranenses assinam “Compromisso Guimarães Mais Verde”

[close]

p. 2

2 guimarães mais verde Nota Introdutória A sétima edição da Eco-Revista está repleta de boas notícias. O trabalho desenvolvido em Guimarães na procura de um futuro mais sustentável tem sido alvo de elogios um pouco por todo o lado, inclusive com o reconhecimento com alguns prémios na área da sustentabilidade. O projeto Eco-Pontas e Papa-Chicletes foi mesmo reconhecido no Green Project Awards na categoria “Inovação Social Green Project Awards – Sociedade Ponto Verde”. Mas há mais. Guimarães foi o terceiro município de Portugal mais sustentável de 2016, de acordo com um índice resultante dos 21 critérios de classificação do programa ECOXXI, que atribuiu bandeiras verdes de sustentabilidade a 43 autarquias e recebeu de Rede de Cidades e Vilas de Excelência a Bandeira Cidades de Excelência – Nível II. Nesta edição, e numa grande entrevista, o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, deixa elogios a Guimarães. Já o Presidente do Município, Domingos Bragança, e Mohan Munasinghe, Presidente do Comité Externo de Aconselhamento da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, dão o mote para um ano que pode ser histórico para Guimarães. Boa leitura! Mensagem do Presidente CM Guimarães Mensagem de Mohan Munasinghe Essen, Capital Verde Europeia 2017 Semana Europeia da Prevenção de Resíduos Entrevista a José Mendes Green Project Awards 2016 ECOXXI Bandeira Cidades de Excelência Brigadas Verdes 03 04 05 06 10 10 11 12 15 Ficha Técnica: propriedade Câmara Municipal de Guimarães / periodicidade trimestral / tiragem 20.000 exemplares composição Laboratório da Paisagem / impressão Gráfica Maiadouro / papel Munken Pure / distribuição gratuita (O papel Munken Pure é produzido de acordo a certificação FSC ® - Forest Stewardship Council. O FSC ® é um dos selos florestais mais reconhecidos em todo o mundo. Trata-se de uma garantia de origem que assegura a exploração florestal de forma responsável. Criado em 1993 na Alemanha, por várias instituições internacionais, o FSC ® tem como objetivo estabelecer princípios e critérios para conciliar a exploração da floresta e a conservação dos seus recursos).

[close]

p. 3

Domingos Bragança Presidente da Câmara Municipal de Guimarães guimarães mais verde  3 Em torno de um objetivo A qualidade de vida e o bem-estar das pessoas constroem-se sobre bom ambiente urbano, educação inclusiva e exigente, uma agenda cultural contemporânea e participada própria de uma cidade europeia de cultura, hábitos saudáveis e atividade desportiva regular, preservação e valorização do património material e imaterial, solidariedade social e intergeracional e uma atividade económica geradora de riqueza e de empregos qualificados. O ambiente é transversal a todos estes pilares do desenvolvimento e é por isso que o sucesso da nossa candidatura a Capital Verde Europeia implica todos e depende do envolvimento de todos. Convoca à nossa inteligência coletiva. Não é mais possível dissociar a urgência da preservação ambiental do futuro que queremos legar às novas gerações. Queremos cidadãos com uma forte consciência cívica e ecológica e a mudança de paradigma conta com todos e muito com os mais jovens, na base do conhecimento e referenciais de vida, para a proteção do nosso património natural como um bem comum em que nenhum interesse particular se poderá sobrepor. Tenho a forte convicção de que a ambição que definimos da Capital Verde Europeia trouxe-nos já um valor excecional, o do caminho que Guimarães está a percorrer da sustentabilidade ambiental, o de se viver em harmonia com a natureza, que implica positivamente com tudo o que fazemos, na defesa da biodiversidade, dos recursos hídricos, da qualidade do ar e do ambiente acústico, da utilização crescente e generalizada das energias renováveis na defesa dos nossos recursos hídricos, das áreas verdes e do uso sustentável do solo. Desejamos ser referência, como cidade, a nossa terra, o nosso sítio, o nosso concelho de Guimarães, como um dos melhores para se viver, na Europa. Os Vimaranenses, inspirados no exemplo dos seus antepassados de São Mamede, sabem como gerar uniões fortes em torno de desígnios coletivos e galvanizadores. O envolvimento de todos é condição indispensável ao sucesso, não necessariamente da candidatura, mas das transformações substanciais que a sua construção e submissão implicam. Precisamos de todos, do vosso apoio e do vosso entusiasmo para percorrermos este caminho que representa uma visão, uma ambição de Guimarães. De um caminho feito futuro. Um abraço de amizade para vocês..

[close]

p. 4

4 guimarães mais verde Mohan Munasinghe Prémio Nobel da Paz 2007, é Presidente do Comité Externo de Aconselhamento da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia O próximo passo Guimarães é mundialmente conhecida pela sua cultura, património, e pela sua identidade única. Também nós, Comité Externo de Aconselhamento da candidatura, estamos orgulhosos do passado da Cidade, que continua a fazer história. Temos agora de dar o próximo passo em direção a uma nova era de desenvolvimento sustentável. A fim de estabelecer um caminho para tornar o nosso desenvolvimento mais sustentável, é necessário definir novas diretrizes, adicionando uma nova camada ao carácter multifacetado da cidade. Estamos a ir além da criação de uma nova camada ambiental através da aposta num quadro mais amplo de desenvolvimento sustentável que integra e harmoniza três dimensões - social, económica e ambiental. Guimarães enfrenta novos desafios em diversas áreas, como Transporte e Mobilidade, Energia, Alterações Climáticas, Recursos Hídricos, Áreas Verdes, Natureza e Biodiversidade, Resíduos e Eco-Inovação. Estamos a abordar estas questões através do desenvolvimento de várias ferramentas de gestão integrada, e implementação de novos projectos que já estão a ajudar a estabelecer uma visão de longo prazo e melhorar a qualidade de vida dos nossos cidadãos. Os projetos implementados são multidisciplinares e inclusivos. Facilitam a ação integrada através de parcerias e são facilmente replicáveis, podendo por exemplo ser testados numa única comunidade Bio e, em seguida, repetidos em todo o território. Utilizamos estes projetos para educar, sensibilizar os cidadãos, melhorar a qualidade de vida em termos de conforto e bem-estar e, sobretudo, contribuir para um território mais sustentável. Este ano candidatamo-nos ao prémio Capital Verde Europeia 2020. No formulário de candidatura teremos oportunidade de demonstrar melhorias em várias áreas ambientais e o nosso desempenho será avaliado por um júri internacional que irá atribuir o prémio. Enfrentamos a forte concorrência de algumas das principais cidades europeias, a maioria das quais é maior e tem mais recursos. No entanto, estamos confiantes na vitória, já que temos a excecional liderança do Presidente Domingos Bragança, e uma equipa dedicada a trabalhar no projeto, apoiado por um Conselho Consultivo Internacional de renome. Assim, para além de Guimarães ter sido Capital Europeia da Cultura, também nos tornaremos Capital Verde Europeia em 2020. Além disso, esta viagem é tão importante quanto a meta. Para ganhar o prémio, estamos a atuar em vários níveis para mudar valores, comportamentos, políticas e práticas, ajudando Guimarães a tornar-se verdadeiramente sustentável e “mais do que verde”.

[close]

p. 5

guimarães mais verde  5 Guimarães dá a conhecer na Alemanha candidatura a Capital Verde a Comissário Europeu ESSEN Capital Verde Europeia 2017 Essen, na Alemanha, é a Capital Verde Europeia em 2017. Com cerca de 600 mil habitantes, é a oitava maior cidade alemã. Conhecida pelo antigo centro de mineração de carvão, fechado em 1986, Essen reinventou-se de forma ambientalmente sustentável, com muitos exemplos de boas práticas urbanas. O êxito da candidatura de Essen assentou no entendimento de que a sustentabilidade não é um conceito fechado em si mesmo e, portanto, não pode ser alcançado com medidas isoladas. Pelo contrário. Assim, para alcançar o sucesso, a cidade desenvolveu planos integrados que abrangem desde os espaços públicos à gestão de resíduos. E os resultados são ótimos. Mais de metade dos transportes públicos em circulação na cidade já estão dentro do limite máximo de emissões, e 77% da população vive a pelo menos 300 metros de um ponto de transporte público. As infraestruturas verdes e os espaços públicos representam mais de 54% da área da cidade, que tem mais de 60 mil árvores, número que faz de Essen a terceira mais arborizada na Alemanha. O Comissário Europeu do Ambiente, Karmenu Vella, mostrou-se interessado em conhecer melhor o processo de candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, que será apresentada este ano. O interesse foi manifestado no decurso de um contacto com a delegação de Guimarães, liderada pelo Vice-Presidente Amadeu Portilha, que esteve presente em Essen, a convite da cidade alemã, para assistir à Cerimónia Oficial de Abertura de Capital Verde Europeia 2017. Nesta sessão oficial, o Município de Guimarães teve a oportunidade de contactar com o Comissário Europeu para Ambiente, Karmenu Vella (na foto), bem como com outras cidades ex-Capitais Verdes Europeias e finalistas, a fim de dar continuidade ao processo de troca de experiências e boas práticas e consolidar o relacionamento institucional com as entidades europeias relevantes na área do ambiente e do desenvolvimento sustentável. As metas para o futuro próximo são ambiciosas. Essen pretende reduzir as emissões de carbono em 40% até 2020 e em 95% até 2050. Ter uma taxa de reciclagem de 65% até 2020, atingir uma divisão de 25% para cada modal (carros, transporte público, bicicletas e a pé) até 2035, o que significa reduzir em 29% a utilização do carro, estimular a participação dos diversos atores nas questões urbanas, melhorar a gestão da informação, aumentar a oferta habitacional de forma planeada e acessível a todos, são outros dos objetivos definidos pela Capital Verde Europeia 2017, que merece a sua visita. Cerimónia de Abertura de Essen, Capital Europeia 2017

[close]

p. 6

6 guimarães mais verde Guimarães promoveu ações para a redução de resíduos Várias associações e empresas juntaram-se ao evento organizado pela Câmara Municipal de Guimarães, Laboratório da Paisagem e Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. “Usa menos embalagens” foi a mensagem deste ano na Semana Europeia da Prevenção de Resíduos. Ao longo de uma semana semana, de 19 a 27 de novembro de 2016, várias ações alertaram e sensibilizaram os vimaranenses para a necessidade de reduzirem resíduos de embalagens. A semana abriu com a exposição “Fibrenamics Green: Do Resíduo ao Produto”, nas instalações da ACIG, onde também se realizou um Workshop. Também os hipermercados Jumbo e Bolama associaram-se à iniciativa, promovendo junto dos seus clientes descontos na aquisição de embalagens familiares. Durante a semana foram ainda recolhidos dezenas de equipamentos, como cadeiras de rodas e camas articuladas, no âmbito da campanha “Consigo Reutilizamos”, que contou com a colaboração dos membros da Comissão Social Interfreguesias Su- doeste da Montanha da Penha, nomeadamente as Juntas de Freguesia de Infantas, Pinheiro e Uniões de Freguesia de Serzedo/Calvos, S.Faustino/Tabuadelo e Abação/ Gémeos e ainda com os agrupamento de escuteiros de Infantas, Serzedo, Calvos, Pinheiro e Polvoreira e o Centro Social e Paroquial de Polvoreira. Foram doados 46 equipamentos, 30 para reciclagem e 16 para reutilização. Houve ainda espaço para o debate com os estudantes da Escola Secundária Santos Simões, através da conversa informal “Café com Ambiente”, que versou sobre o tema da redução de embalagens, e uma palestra, no Laboratório da Paisagem, organizada pelo Centro Ciência Viva de Guimarães - Curtir Ciência, intitulada “Compósitos com carga de resíduos de café”, destinada aos mais jovens. Centro Ciência Viva de Guimarães que abriu as portas para uma visita ao Módulo de Reciclagem do Curtir Ciência, onde se explicou como e quando reciclar materiais plásticos. A Vimágua promoveu, na Pista de Atletismo Gémeos Castro, uma ação de sensibilização no desporto “A mesma garrafa, mais energia”, que teve a participação do atleta paralímpico Manuel Mendes, e na qual foram apresentados os novos objetos da empresa (garrafa reutilizável e jarro de vidro) que visam a promoção da redução do uso de embalagens. Eco-Percussão no Largo da Oliveira As freguesias de Fermentões e Brito acolheram ações de sensibilização sobre reciclagem, promovidas pela Resinorte, enquanto que o Largo da Oliveira acolheu uma uma Eco-Feira, onde os visitantes tiveram a oportunidade de adquirir diversos artigos produzidos a partir da reutilização de materiais e assistir a um concerto musical realizado com instrumentos construídos a partir de material que tinha o lixo como destino. A semana terminou com um showcooking intitulado “Cozinha de luxo: como cozinhar o que consideramos lixo?”, no restaurante Cor de Tangerina.

[close]

p. 7

Ação de sensibilização: reduzir, reutilizar, reciclar guimarães mais verde  7 Exposição “Do resíduo ao Produto” A mesma garrafa, mais energia Eco-Descontos nos Hipermercados JUMBO e Bolama Palestra: “Compósitos com carga de resíduos de café” Workshop “Fibrenamics Green: Do resíduo ao produto” Campanha “Consigo Reutilizamos” Cozinha de Luxo: Como cozinhar o que consideramos lixo?

[close]

p. 8

8 guimarães mais verde Entrevista José Mendes, Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente “Uma nomeação de Guimarães representaria a consagração de uma abordagem própria e inovadora” Tendo acompanhado de perto o início desta candidatura, como avalia o trabalho que tem sido desenvolvido em Guimarães, no caminho para um território mais sustentável? A ideia inicial de Guimarães apresentar uma candidatura a Capital Verde Europeia foi sempre acompanhada de um grande sentido de seriedade e responsabilidade. A Autarquia sabia desde o início que o mais importante era a trajetória da sustentabilidade, o percurso de transformar o território, a economia e a sociedade, de forma a construir um processo e uma candidatura credível. O objetivo é sempre entrar no grupo dos finalistas e, se possível, vencer, mas da forma como as coisas têm sido feitas, Guimarães sairá sempre a ganhar qualquer que seja o desfecho do concurso. A constituição de uma equipa alargada, com grupos de trabalho setoriais, e de um comité de acompanhamento constituído por personalidades internacionais presti- giadas é bem o reflexo da solidez do caminho e da vontade de investir no processo. De que forma pode o Estado ajudar Guimarães neste caminho? A candidatura de Guimarães a CVE decorre da sua autonomia e enquadra-se na estratégia própria e legítima do município. Conhecendo o desígnio da autarquia e os objetivos da iniciativa europeia, o governo só pode estar satisfeito com esta candidatura, à qual

[close]

p. 9

guimarães mais verde  9 confere o apoio através dos mecanismos que estão já mobilizados pelo município no âmbito do Portugal 2020, nomeadamente aqueles que integram o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Guimarães. Para além disso, o Município conta com o apoio institucional de um governo que acredita que as suas cidades podem prestigiar o país. Que importância terá este título para Guimarães e para Portugal? Este é um galardão muito exigente, que tem sido maioritariamente atribuído a cidades do norte da Europa que são referências globais na sustentabilidade. No entanto, também as cidades do sul da Europa têm demonstrado que sabem protagonizar projetos de qualidade, porventura com menor intensidade de investimento mas com soluções à medida das necessidades e das características dos seus problemas concretos. Uma nomeação de Guimarães representaria uma honra para a cidade e para o país, mas também a consagração de uma abordagem própria e inovadora. Quais são as potencialidades que Guimarães tem para ser Capital Verde Europeia? O percurso de sustentabilidade de Guimarães vem já dos anos 80 do sé- culo passado. A cidade fez marca na reabilitação urbana, como o demonstra a classificação do seu centro histórico como Património da Humanidade. Mas também o fez na ciência, com o seu Ave Park, e na cultura, com a extraordinária realização que foi a Capital Europeia da Cultura em 2012. Esta aposta na componente ambiental é a formalização de uma estratégia completa, que complementa as anteriores. Exemplos como o projeto de recuperação da zona de Couros, o qual alia a recuperação ambiental à reabilitação do edificado e à preservação de uma memória industrial, as hortas urbanas, a mobilidade ciclável e elétrica, apenas para referir alguns, são bem o reflexo daquilo que se pretende e que é bem avaliado pelos avaliadores da CVE. Num mundo em transformação e cada vez mais preocupado com as questões ambientais, que mensagem deixa aos vimaranenses? A primeira mensagem é que reflitam nesta candidatura a paixão que sempre demonstraram nos projetos mobilizadores do município e da cidade. Sustentabilidade é transição. Transição para uma organização do território, da economia e da sociedade onde a intensidade carbónica seja reduzida e compensada. Ora os vimaranenses incorporam esse estado “O objetivo é sempre entrar no grupo dos finalistas e, se possível, vencer, mas da forma como as coisas têm sido feitas, Guimarães sairá sempre a ganhar qualquer que seja o desfecho do concurso.” José Mendes assinou o “Compromisso Guimarães Mais Verde”

[close]

p. 10

10 guimarães mais verde Guimarães conquista três distinções ambientais Guimarães, com três distinções em quatro projetos finalistas, foi o município português com maior reconhecimento público na cerimónia de entrega dos “Green Project Awards” (GPA), que decorreu no dia 23 de janeiro, na Fundação Serralves, no Porto. Com estes prémios, que têm por objetivo distinguir boas práticas de projetos que promovam o desenvolvimento sustentável, a Câmara de Guimarães volta a ser reconhecida, depois de ter sido distinguida como um dos três municípios mais sustentáveis do país, no último mês de dezembro. Desenvolvido pelo Laboratório da Paisagem, o projeto “EcoPontas e Papa-Chicletes - Redução e Valorização de Resíduos” conquistou o prémio “Inovação Social Green Project Awards – Sociedade Ponto Verde”. Este novo mobiliário urbano de carácter ambiental tem permitido a redução da acumulação dos resíduos de pontas de cigarro e pastilhas elásticas pelas ruas da cidade, ideia que tem merecido igualmente o interesse de várias outras autarquias do país. O Funchal, na Madeira, tem já instalados oito EcoPontas, sendo que nas próximas semanas serão colocados em mais cinco municípios. Na categoria “Cidades Sustentáveis”, Guimarães conquistou uma menção honrosa com o projeto que levou à construção das bacias de retenção que contribuíram para terminar com o flagelo das inundações na zona baixa da cidade. Já na categoria “Gestão Eficiente de Recursos”, também com uma menção honrosa, Guimarães viu reconhecido o projeto PAYT, implementado no Centro Histórico, numa parceria entre a Câmara Municipal de Guimarães, a VITRUS e a Resinorte e que tem aumentado a recolha de resíduos valorizáveis e a diminuição dos resíduos indiferenciados. Primeiro posto de carregamento rápido de veículos elétricos do País inaugurado O primeiro Posto de Carregamento Rápido (PCR) de veículos elétricos da rede piloto “Mobi.E”, cuja cerimónia de inauguração foi presidida por Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal, e pelo Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, está situado na Alameda Dr. Alfredo Pimenta, em Guimarães. A iniciativa resulta do compromisso assumido pelo Governo em concluir, no início do ano, a instalação dos 50 Postos de Carregamento Rápido da rede piloto “Mobi.E”, bem como da aposta da Autarquia de Guimarães na promoção de políticas ambientalmente sustentáveis, como é disso exemplo a candidatura a Capital Verde Europeia. O Posto de Carregamento Rápido vem complementar as instalações que estão a decorrer dos 14 postos de carregamento rápido previstos para todo o País.

[close]

p. 11

guimarães mais verde  11 Guimarães no top 3 dos municípios mais sustentáveis em 2016 A Câmara Municipal de Guimarães foi distinguida por ser o terceiro município de Portugal mais sustentável de 2016, de acordo com um índice resultante dos 21 critérios de classificação do programa ECOXXI, que atribuiu bandeiras verdes de sustentabilidade a 43 autarquias. O galardão, promovido pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e que comemora 10 anos, destina-se a premiar as boas práticas e políticas ambientais dos municípios portugueses. Em 2015, na primeira vez que Guimarães se candidatou ao programa “Município ECOXXI”, ficou no 8º lugar com uma pontuação de 74% na classificação dos 21 indicadores. Este ano, sobe ao 3º lugar com quase 83% e já muito próximo do 1º lugar. Ao nível dos 21 indicadores que a ABAE analisa, a Autarquia de Guimarães está no topo na Gestão dos Resíduos, onde obteve a pontuação máxima (devido ao projeto pioneiro PAYT), Informação ao Munícipe, Educação Ambiental e Desenvolvimento Rural Sustentável. é o único caminho possível para superar obstáculos e constrangimentos e potenciar as nossas forças e capacidades», referiu o vice-presidente da Autarquia, Amadeu Portilha. O índice “ECOXXI” sintetiza o resultado obtido em cada ano pelos municípios. Para além de uma ferramenta de gestão da sustentabilidade possibilitada pelos 21 indicadores e 54 sub-indicadores que o compõem, este programa da Associação da Bandeira Azul da Europa pretende traduzir o caminho a percorrer para atingir a meta dos 100%, ou seja, o percurso da sustentabilidade. «A melhoria substancial que obtivemos em cada um dos indicadores avaliados são o resultado objetivo do trabalho coletivo que está a ser feito na preparação da nossa candidatura a CVE2020, num esforço conjunto da Câmara Municipal, Universidade do Minho, Laboratório da Paisagem e dos vários parceiros envolvidos, numa demonstração inequívoca de que o trabalho colaborativo Câmara adquire veículo elétrico para a Polícia Municipal de Guimarães O Município de Guimarães, designadamente a Polícia Municipal, passou a contar com um novo veículo 100 por cento elétrico. Adquirido por concurso público, trata-se de um VW e-Golf dotado de todos os equipamentos necessários ao cumprimento da sua função. Caracterizado com a imagem da Polícia Municipal, em consonância com as disposições legais, o veículo é um puro elétrico, totalmente isento de emissões poluentes e de ruído nas suas deslocações.

[close]

p. 12

12 guimarães mais verde Guimarães funda Rede de Municípios para a Adaptação Local às Alterações Climáticas Guimarães é uma das 30 autarquias fundadoras da Rede de Municípios para a Adaptação às Alterações Climáticas, cuja missão é aumentar a capacidade dos municípios portugueses para incorporar a adaptação às alterações climáticas nas suas políticas, instrumentos de planeamento e intervenções. Tal será feito pela partilha de experiências no domínio da adaptação, pela cooperação internacional com outras redes e estruturas, pela capacitação técnica das autarquias e pela manutenção do sistema de informação sobre adaptação local desenvolvido no âmbito do projeto ClimAdaPT.Local. A Rede, fundada pelos 30 municípios portugueses que já dispõem de Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas, está aberta à participação dos restantes municípios portugueses, designadamente dos que pretendam elaborar os seus planos municipais de adaptação às alterações climáticas, bem como de outras entidades (empresas, universidades, ONG ou associações) que desenvolvam atividade neste domínio. Através da assinatura de uma Carta de Compromisso, os municípios comprometeram-se a contribuir ativamente para a concretização da missão e objetivos da Rede e a promover a adaptação nos seus concelhos. E-Leclerc de Lordelo e Arriva aderem à associação Laboratório da Paisagem EducaBicla apresentou resultados de inquérito Um inquérito realizado a 1.463 alunos do 6º ano das escolas dos 14 agrupamentos do concelho e nos colégios do Ave e da Nossa Senhora da Conceição, revelou que 60% “não sabe”, ou sabe “mais ao menos” andar de bicicleta. Um número que não deixa de surpreender, mas que atesta a importância deste programa, que resulta de uma parceria entre o Município de Guimarães e a empresa vimaranense Get Green. Em 2016, no primeiro ano de implementação, este projeto chegou a 66 turmas, num total de 198 sessões nas escolas. O EducaBicla tem como objetivo ensinar os jovens a andar de bicicleta cumprindo as regras de segurança. O projeto visa também sensibilizar a comunidade estudantil para a adoção de comportamentos amigos do ambiente. O Hipermercado E-Leclerc de Lordelo, em Guimarães, e a Arriva Portugal são os novos associados do Laboratório da Paisagem – Associação para a Promoção e Desenvolvimento Sustentável. Os protocolos foram assinados pelo Presidente do Conselho Diretivo do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino, e pelos representantes das duas instituições privadas, respetivamente Fabrice Lachize, Diretor do E-Leclerc de Lordelo, e Manuel Oliveira, Presidente da Comissão Executiva da Arriva Portugal Transportes.

[close]

p. 13

guimarães mais verde  13 Assembleia Geral da EUROCITIES aprova adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente A Assembleia Geral da EUROCITIES, rede que integra as maiores cidades europeias, aprovou, em novembro último, a adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente, grupo de trabalho no qual são analisadas questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental e que representa a organização das cidades junto da Comissão Europeia em Bruxelas, entre outras instituições. Na reunião, uma delegação de Guimarães deu a conhecer em Milão, durante a conferência anual da EUROCITIES, um conjunto de boas práticas ambientais que têm sido implementadas pela Câmara Municipal, como é o caso da Academia de Ginástica como edifício sustentável, Ecovia, Bacias de Retenção, Programa PEGADAS, projeto pioneiro de recolha de resíduos no Centro Histórico (PAYT), entre outros. Sob o tema “Sharing Cities” (Cidades que Partilham), conceito que significa a partilha de valores através de uma economia híbrida, Guimarães apresentou às restantes cidades a importância do desenvolvimento de estratégias apoiadas na educação, sensibilização, planeamento e partilha para a implementação de um modelo de território sustentável, no caminho que está a ser percorrido para ser candidata a Capital Verde Europeia. Foi também destacada a importância da reabilitação urbana e do património cultural, bem como o título de Capital Europeia da Cultura e Cidade Europeia do Desporto. Neste evento, teve ainda lugar a Assembleia Geral da EUROCITIES, na qual foi aprovada a adesão de Guimarães ao Fórum do Ambiente. As cidades ali reunidas tiveram ainda oportunidade de produzir um manifesto para a importância de contribuírem para a sustentabilidade mundial. VITRUS oferece sacos para incentivar à reciclagem O sistema PAYT continua a ter os ajustes necessários para prestar à população do centro histórico de Guimarães o melhor serviço com o maior conforto possível. Neste sentido, já começaram a ser distribuídos gratuitamente os sacos para a reciclagem aquando da entrega dos sacos para resíduos indiferenciados. Esta medida vai de encontro aos objetivos do projeto PAYT, nomeadamente o de incentivar à reciclagem. Daniel Pinto, administrador executivo da VITRUS AMBIENTE, refere que “Esta medida acaba também por responder a algumas necessidades e sugestões apontadas pelos utilizadores. Esperamos que faça com que um maior número de pessoas, quer sejam moradores ou comerciantes do centro histórico, separarem ainda mais os seus resíduos e, desta forma, diminuam a sua tarifa.” Desta forma, vai ser possível facilitar o serviço de recolha, uma vez que o tipo de resíduos vai estar identificado pela cor do saco. Outra vantagem desta ação é a diminuição do ruído causado pela recolha de vidro, já que este vai deixar de ser descarregado diretamente do contentor para o veículo de recolha.

[close]

p. 14

14 guimarães mais verde Rede de Cidades e Vilas de Excelência atribiu bandeira a Guimarães O reconhecimento público do trabalho que a Câmara Municipal de Guimarães está a desenvolver no âmbito da valorização ambiental, patrimonial, qualificação urbana e coesão social foi distinguido com a atribuição da Bandeira Cidades de Excelência – Nível II, atribuída pela Rede de Cidades e Vilas de Excelência, numa cerimónia que decorreu em dezembro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. A distinção é justificada «com o grau de evolução da implementação do Plano de Ação Local» proposto pelo Município em matéria de planeamento estratégico e de ações especificas no quadro dos planos estratégicos, de mobilidade e de regeneração urbana em sede de candidaturas ao Portugal 2020, como sucede com o esboço de toda a rede de percursos cicláveis entre as vilas e a cidade, com lugar à divulgação pública desta intervenção bem como da intenção deste projeto considerado estratégico no plano de mobilidade urbana sustentável de Guimarães. 38 toneladas de lenha oferecidas para aquecer escolas do concelho de Guimarães A Câmara Municipal de Guimarães, através da empresa municipal VITRUS Ambiente, distribuiu gratuitamente 38 toneladas de lenha em quatro meses, por 11 escolas do Ensino Básico do concelho, o que perfaz uma média de 3,5 toneladas por estabelecimento de ensino, resultante da entrega de 1.300 sacos de 30 quilos desde o mês de setembro, altura em que principiou o ano letivo 2016/17. A iniciativa pretende rentabilizar os recursos disponíveis, reduzir o desperdício e proteger o ambiente da desflorestação, numa exemplar medida de economia circular, extremamente valorizada pela Comunidade Europeia no âmbito da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020, que enaltece a forma como os recursos naturais podem ser úteis para a comunidade. Entre outras funções, a VITRUS é a entidade responsável pela limpeza e desmatação de caminhos públicos, como são os casos da Rota de São Torcato, Rota da Citânia, Rota da Penha, Caminho Real e Pista de Cicloturismo. Pontualmente, procede à recolha de árvores caídas e de troncos resultantes das podas efetuadas no concelho. «Esta ação de responsabilidade social e ambiental previne o abatimento indiscriminado de árvores, rentabiliza recursos e promove uma política de entreajuda na comunidade. É uma forma mais sustentável de responder a esta necessidade, porque as escolas iriam continuar a precisar de lenha e teriam que a obter de qualquer forma», refere Daniel Pinto, administrador executivo da VITRUS Ambiente.

[close]

p. 15

guimarães mais verde  15 Quatro mil escuteiros assinam “Compromisso Guimarães Mais Verde” A Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020 (CVE) e a Junta de Núcleo de Guimarães do Corpo Nacional de Escutas (CNE), com cerca de 4 mi escuteiros, assinaram declarações de “Compromisso Guimarães Mais Verde”, documento que propõe a adoção de comportamentos simples, como o respeito pelas normas do ruído, um esforço de poupança de água, utilização de transportes alternativos, separação do lixo, redução de fatura energética, respeito pelos rios e linhas de água, proteção da floresta, entre outros. A cerimónia protocolar, que decorreu no Laboratório da Paisagem, contou com a presença do Presidente do Município, Domingos Bragança, e do Chefe de Núcleo de Guimarães do CNE, Ernesto Machado, que preside à maior estrutura do país, reunindo 56 agrupamentos do concelho. A sessão teve ainda a presença do Vice-Presidente, Amadeu Portilha, da Coordenadora Executiva da CVE, Isabel Loureiro. «A soma de todos é que opera a mudança, partindo do local para o geral! O sonho comanda a vida e só quem começa a caminhada é que consegue chegar ao fim, até porque o caminho a percorrer permite-nos aumentar patamares de qualidade! Queremos um compromisso com entusiasmo, com paixão, porque nós acreditamos! Cada um de vós tem de envolver mais três amigos», propôs Domingos Bragança, mencionando o fundador do movimento escutista como uma das referências na proteção do ambiente e da promoção da ecologia. O Artigo 6º da Lei do Escuta serviu de base à intervenção de Ernesto Machado. «O escuta protege as plantas e os animais!», disse, garantindo que o Núcleo de Guimarães irá «assumir o compromisso com honra e confiança». «O melhor galardão é deixar o mundo melhor do que aquele que encontramos. Temos de criar uma grande envolvência e cada um de nós terá de convidar mais três amigos a assinar este Compromisso», finalizou. Há mais cinco Brigadas Verdes no Concelho A União de Freguesias de Briteiros Santo Estêvão e Donim, Atães, Aldão, Longos e a escola Cisave, constituíram a sua Brigada Verde, juntando-se assim a Fermentões e a Ponte na defesa do ambiente. A Brigada Verde tem por missão colaborar na realização de ações de formação, promover a sensibilização e educação ambiental nas escolas e na comunidade, além de efetuar ações de fiscalização para a identificação de focos poluidores, através de ações coletivas ou individuais, com a respetiva comunicação à Junta de Freguesia para posterior envolvimento das entidades competentes. Ao mesmo tempo, irá promover ações de limpeza de caminhos, matas e cursos de água, plantação de árvores, recolha e separação de resíduos.

[close]

Comments

no comments yet