RLB 46 - Fevereiro de 2017

 

Embed or link this publication

Description

Revista Leitura de Bordo - Fevereiro de 2017

Popular Pages


p. 1

Floripa todas as magias possíveis

[close]

p. 2



[close]

p. 3

| Outro olhar | Barra Grande www.leituradebordo.com.br | Fevereiro 2017 | Leitura de Bordo 3 Ft.: Rogério Lezino

[close]

p. 4

Índice Destinos & Viagens Floripa, para os íntimos 05 Now-boarding Turkish Airlines: requinte e conforto 13 Enoturismo Roteiros na América Latina 16 Aventura Volta ao mundo de trem... 18 Entre-vistos Espanha inaugura consulado em Goiânia 21 Mundo pet Hotel bom também para cachorro 25 Educação 27 Professor de escola particular: sem glamour Tribuna Temporada de mimimi agita o turismo 29 Must-have 30 Canon anuncia chegada de nova impressora Games Resident Evil VII - sem medo de mudar 32 Ao tempo em que esperamos a implantação do novo aplicativo da revista para IOS e Android, continuamos fazendo as alterações e os ajustes conceituais e de posicionamento da publicação. Não são apenas ajustes pontuais, mas a definição de um novo conceito editorial, enfatizando uma releitura na proposta de oferecer uma diversidade de abordagens para entregar um produto que atenda os desejos e as buscas dos leitores. Precisamos da sua parceria! Alfredo Bessow Editor Revista Leitura de Bordo – Ano 8 - nº 46 – Fevereiro de 2017 Publicação da Wosseb C&M, tiragem de 25 mil exemplares – circula nas Salas Vip e Aeroportos, trade turístico, enviada para prefeituras e gestores públicos e distribuição institucional. Edição 46 - fevereiro de 2017. A Revista Leitura de Bordo não se responsabiliza pelas opiniões, pontos de vista e argumentos dos artigos assinados e veiculados na Revista. Editora de conteúdo: Sandra Fernandes Editor: Alfredo Bessow Colaboradores: Carlos Vieira, Paulo Antenor, Marcos Alexandre, Débora Costa e Silva, João Fagundes, Tiago Kalkmann, Roberto Kundzendorf Júnior, Moniky Bittencourt e Isadora Nicastro Produtor: Pedro Ricardo Teichmann Comercial: Wosseb C&M (+55 61 98150 0256) Produtor gráfico: Bruno Henrique Teichmann Capa: Fim de tarde - Baia do Saco Grande - Florianópolis (SC) Fotos: Wosseb C&M E-mail: geral@leituradebordo.com.br Site: www.leituradebordo.com.br Escritório: CLSW 303 Bl. A | Ent. 16 | Sl. 109 Setor Sudoeste | 70673-621 | Brasília (DF) Impressão: Flex Gráfica +55 62 98141 9149 Correspondência: Caixa Postal, 72 | 70351-970 - Brasília-DF 4 Leitura de Bordo | Fevereiro 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 5

| Destinos & Viagens | Floripa, para os íntimos “ucmAinAchpacopeadidpteaaitltcaceilanrrctahaaroptinaederrdinenisdeteeonprsnreeaordppmeeeuarrrodd” ceiedounomcoaonneoctnoamncdtaeaonru“u”toocmopdpmoeeeodtaacZainnitnohuo onopRoaentcahZoidneinAhmoonr oà IRlhaan–cqhuoedaecaAbomuovriràandIdllishtaooadasno.eo–Nhr–qoiindueloauedagoedaafierccqidaamuobliudrofisaauuilcacaarivdlrdiiedaroasdasndecadeo–n,oscteimhgoaeodoihsoqpihundoaioerlbiiuteiotaxaafspnri.certNesieasscols,oõdclsuoeamsmgcoúaipsn-ruoi-a- dcoas,fafulanrddemos-saenntoigvoossshoatabqiutaens.tEems, lcuogmar dsue aapseon-as nuomrid“DaedsetineomdeuVsiecraãoli”d, vaadlee,acpheeniaocdoenheexcperreFslosrõipeas e únicas, fusunadmemag-iaseemnoqvuoaslqsuoetraéqpuoecsa.dEomanluog. ar de apenas um “Destino de Verão”, vale a pena conhecer Floripa e sua magia em qualquer época do ano. www.leituradebordo.com.br | Fevereiro 2017 | Leitura de Bordo 5

[close]

p. 6

| Destinos & Viagens | Cantada em prosa e verso, Floripa é uma cidade cheia de contrastes. Manteve um quê de cidade pequena, com suas ruas e becos a revelar a permanência de alguns manezinhos. Famosa por suas mais de 40 praias, o melhor está nas inúmeras descobertas que a Ilha oferece – desde o artesanato e a comida típica até restaurantes com o melhor da cozinha internacional. Para aproveitar bem a cidade, esqueça outros destinos que por acaso você já tenha visitado. Floripa é única – em sua história, em seu ritmo e na forma como a cidade cativa um número cada vez maior de persona- lidades que veem na Ilha o mix desejado: qualidade de vida, segurança e um custo de vida suportável. A lamentar, o trânsito – caótico a qualquer hora do dia, principalmente se você precisar “cruzar” a ponte ou tiver que se deslocar ao sul da Ilha. Para se movimen- tar, há linhas executivas de transporte público, mas a melhor notícia é a possibilidade de utilizar o Uber, o que agiliza a movimentação e diminui muito os custos. Aventure-se Pode-se fracionar o passeio na Ilha em seis cená- 6 Leitura de Bordo | Fevereiro 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 7

rios distintos – sendo que um deles é indicado para a noite. E não é na Ilha, mas Florianópolis mesmo assim. Rumo ao Sul É roteiro que pode ser feito em um dia – um pouco com pressa, mas mesmo assim possível. O que atrapalha é o acesso, mas o resultado compensa. No Ribeirão da Ilha, há um casario açoriano bem cuidado. Há diversidade gastronômica mais conservadora, com destaque para o Ostradamus – uma casa com uma parte construída sobre um trapiche e que adentra ao mar. É uma das indicações para quem quiser uma comida de mais qualidade, com atendimento esmerado e preços razoáveis. No caso do Ostradamus, destaque todo especial para a sua Carta de Vinhos e um quiosque em frente onde o turista pode comprar – a preços nada convidativos, mas feitos es- pecialmente para turistas – alguns souvenirs da casa e tomar um cafezinho. Uma viagem de “baleeira” Ainda em direção ao Sul, outra dica é seguir o caminho rumo ao Pantano do Sul – passando pelo Morro das Pedras, Armação e finalmente uma praia bucólica e que já foi o “limite sul da Ilha”, hoje título de outros vilarejos que foram crescendo e que, antes inacessíveis, hoje entraram nos roteiros. Na Armação, entulhada de casas, tem a opção de um passeio para o Matadeiro – nome que advém dos tempos de que, naquela região, eram descarnadas as baleias abatidas em caçadas heroicas em frágeis baleeiras e com arpões manuais. De baleeira, por sinal, pode-se navegar até a Ilha do Campeche – mas na temporada cada “passageiro” pode pagar mais de

[close]

p. 8

| Destinos & Viagens | R$ 100 pelo trajeto. Preço especial para turista... Neste caminho, a dica natural é almoçar no Bar do Arante. Ainda que não tenha mais o aspecto rústico do passado, é local onde se pode comer um bom e honesto prato típico da ilha – peixe frito, arroz, pirão e salada. A cerveja é gelada e a cachacinha é de graça – herança que se mantém desde os tempos perdidos no tempo do velho Arante. Por falar em Arante... aproveite a estada lá e deixe também um bilhete – tradição que começou nos anos 70 e que está em milhares deles espalhados em paredes e pelo teto. Rumo à Barra.. Dentro da Ilha, um roteiro tido como imperdível envolve as praias da chamada Costa Leste – Lagoa da Conceição, Costa da Lagoa, Joaquina, Mole/Galheta e Barra da Lagoa. Há uma proliferação de bons bares e restaurantes – com cozinhas para atender todos os gostos e bolsos. Deixe-se levar, porque vale a pena se surpreender com o atendimento e ter tempo para escutar histórias. Há rendeiras com seus bilros e lojas que vendem souvenir e artesanato. O local é pródigo para belas fotos... mas opte pelo cair da tarde. 8 Leitura de Bordo | Fevereiro 2017 | www.leituradebordo.com.br Sons e sotaques Meca das praias mais procuradas por suas águas menos frias, o norte da Ilha possui uma malha rodoviária de melhor qualidade – mas nada que seja suficiente para evitar os transtornos com engarrafamentos. Mais conhecida por um hotel de intensa presença na mídia – quer como anunciante, quer como enfrentando a burocracia – e um museu a céu aberto implantado como compensação ambiental, a praia do Santinho é uma enseada com muita areia e águas nada convidativas – afinal, além do limite dos olhos, só a imensidão do mar aberto.

[close]

p. 9

| Destinos & Viagens | Nos Ingleses, já será possível se deparar com um novo sotaque – principalmente no verão e quando o câmbio está favorável ao Hermanos. O portunhol domina as conversas, e os preços também são guiados por esta realidade. Há bons restaurantes, muitos propiciando a vista do mar imenso, com escunas e outros barcos de passeio atracados ao longe. Resquícios “ilhéus” Ainda que as principais praias de Floripa tenham surgido como colônias de pescadores e de nativos, a verdade é que para os lado do norte da Ilha é muito raro encontrar resquícios dos antigos moradores. Alguns barracões ainda abrigam barcos; alguns barcos repousam sobre dormentes na areia – como que a esperar alguém que os fotografe. Nada mais. Logo depois de Ponta das Canas, vêm as duas praias mais famosas de Floripa – destino de turistas e área de veraneio de paranaenses, paulistas e mato-grossenses que, com dinheiro, foram conquistando a região. Canasvieiras e Jurerê formam comunidades, principalmente a primeira, com vida própria – dada a diversidade de serviços (menos de saúde). Ao lado de Jurerê Internacional, que tem como característica marcante o fato de que as casas não podem ter muro ou grades de proteção, está a Fortaleza de São José da Ponta Grossa. Res- taurada e imponente, é visita obrigatória – mas, cuidado, não vá fazer fotos da parte interna, que só são permitidas depois de vencida uma burocracia que demanda antecedência, paciência e fé. A paz de Santo Antônio Outra opção de passeio para quem está na Ilha é conhecer Santo Antônio de Lisboa – com suas casas de origem portuguesa, muitos restaurantes e um mar pouco convidativo. Diante dos olhos, se desvenda a ilha de Ratones. Pode-se caminhar ao longo da orla, num caminho marcado por bares e mais bares – com cozinhas de todos os níveis e padrões. Uma dica é passar no Rosso, onde o atendimento acaba sendo um diferencial posi- www.leituradebordo.com.br | Fevereiro 2017 | Leitura de Bordo 9

[close]

p. 10

| Destinos & Viagens | tivo. E, se você estiver de carro, pode deixá-lo no estacionamento. O que, em termos de Floripa, é um diferencial e tanto. E a comida: vale a pena e o preço é justo e honesto, como são honestas as cervejas artesanais que servem. O fim e o começo Feito o circuito, eis que falta desvendar o “centro” da cidade. Pode ser simples ou complexo, mas vale a pena dividir por áreas, que assim facilita a movimentação. Tenha como ponto de partida a velha figueira da Praça XV. Ali você poderá conhecer parte do coração da cidade. O Palácio Cruz e Souza, a catedral e o Teatro Álvaro Carvalho – antigo, simpático e fechado à visitação. Como também está sempre fechada a igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito – conhecida como a “igreja dos negros e dos escravos”. Andando pela Felipe Schmidt, uma rua com muito comércio e história, restou pequeno e simbólico o espaço que um dia já foi o principal ponto de encontro dos Ilhéus em seus debates e embates políticos. “Senadinho” hoje é um acanhado balcão que continua a vender cafezinho, enquanto que a maior parte do prédio é ocupada por uma financeira a oferecer crédito consignado a aposentados e endividados em geral. O melhor está por vir Há, nesta área central, uma profusão de prédios com bela arquitetura colonial, remontando a tempos passados e muitos deles bem conservados. Vale a pena sua visita: - O Museu Naval, ainda em fase de estruturação, mas com um acervo interessante e que cativa pelo ambiente. A visitação é gratuita e deve constar do roteiro de quem visita Florianópolis. Se, na sua viagem, você tiver tempo de visitar um só espaço, visite o Museu Naval. - Naquele que já foi o prédio da Alfândega, em tempos nos quais o mar fazia parte mais ativa da vida dos nativos da Ilha, hoje você encontra uma diversidade de produtos de artesãos da Ilha. É o lu- 10 Leitura de Bordo | Fevereiro 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 11

gar ideal para adquirir presentes... - O Mercado Público, hoje restaurado, transformou-se em centro gastronômico. Desconsidere os puxões e as conversas de garçons e garçonetes e vá observando até encontrar o que busca. Neste espaço, a predominância é por frutos do mar. Para não errar, a dica é optar pelo Box 32, que desde 1984 sob o comando de Beto Barreiros consegue a primazia de estar na moda e manter a qualidade dos pratos e do atendimento. Beto, por sinal, é figura fundamental para entender a transformação do Mercado em espaço gourmet – com lojas de artesanato e, inclusive, peixarias... - Se você quiser mudar de cozinha e manter-se nos frutos do mar, outra alternativa que irá satisfazer os mais exigentes e requintados é a Lagosteria Rita Maria, perto da cabeceira da Ponte Hercílio Luz. A comida é boa. O ambiente agradável, refinado. Os pratos são pintados à mão e as iguarias preparadas com raro esmero. Pode-se comer bem, acompanhado de bons vinhos e cervejas. Lembretes importantes: Na chamada baixa temporada – que vai de março até fins de novembro – a vida nas praias reduz seu ritmo e há movimento apenas no fim de semana. Durante a semana e à noite, o melhor é ficar pelo centro ou experimentar a rica diversidade de cozinhas oferecidas em Coqueiros, na parte “continental” da Ilha. Uma visita imperdível para a noite em qualquer época do ano, por tudo que tem de história, é o Armazém Vieira, no Saco dos Limões, saindo do

[close]

p. 12

centro em direção ao sul da Ilha, mesmo caminho que você irá tomar para chegar até o aeroporto Hercílio Luz - ainda nas mãos da Infraero e que deve ser repassado à iniciativa privado em março, tirando dele o aspecto de um acanhado campo de pouso e eliminando mais um resquício da velha Floripa, hoje cada vez mais cosmopolita e cuja vida própria vai muito além dos banhos de mar. Antes de viajar: Lembre-se sempre de que Florianópolis não é apenas um destino ideal para os meses de verão. O diferencial de Floripa é exa- tamente o fato dela ensejar muitas possibilidades em termos de roteiros ao longo do ano, sempre com características pecuiliares. inclusive para quem quiserconhecer outras regiões de Santa Catarina tendo Florianópolis como ponto de partida - e de regresso - por cidades do Estado.

[close]

p. 13

| Now boarding | Turkish Airlines: requinte e conforto A Turkish Airlines tem investido para que a experiência de voo seja ainda mais prazerosa. Em linha com essa estratégia e tendo como prioridade a satisfação dos passageiros, a companhia aérea aprimorou recentemente o entretenimento a bordo. Em parceria com a Denon, a Turkish Airlines passa a oferecer na classe executiva de todos os voos nas Américas a oportunidade de qualidade de som renovada, com o par de fones de ouvido Denon capazes de reduzir em 99% o ruído ambiente. Os passageiros em viagens com duração superior a duas horas e meia e aqueles em voos sem tela nos assentos terão a possibilidade de assistir filmes ou jogar games em um tablet Samsung Galaxy S2. Escolhida como a “Marca Mais Valiosa” da Turquia, a companhia aérea atualizou seu aplicativo para smartphones e tablets, trazendo novas funcionalidades. Voo para Carcóvia Com o título de “Companhia aérea que voa para mais países no mundo”, com uma oferta de 295 destinos em 119 países, a Turkish Airlines passa a operar em Carcóvia, a segunda maior cidade da Ucrânia, a partir de 30 de março de 2017. No país, a companhia já realiza voos para Dnepropetrovsk, Kherson, Lviv, Odessa, Zaporizhia e para a capital Kiev. As tarifas de ida e volta, com embarque pelo Aeroporto de Guarulhos em São Paulo, custarão a partir de US$ 899 (mais impostos e taxas). A partir de 30 de março os voos para o Aeroporto Internacional de Carcóvia operam quatro vezes na semana, sendo às segundas, quartas, quintas e domingos. A partir de 30 de maio os voos serão diários. www.leituradebordo.com.br | Fevereiro 2017 | Leitura de Bordo 13

[close]

p. 14

| Destino Federal | Unique, referência na hotelaria de luxo em SP Há quinze anos, um novo símbolo da hotelaria de luxo nascia na cidade de São Paulo. Com a proposta de oferecer à capital paulista um hotel que mesclasse características modernas, criatividade, profissionalismo e paixão, foi inaugurado, em 2002, o Unique. A princípio a ideia era transformar o terreno de 2000 m² em um Shopping Center, mas o pensamento mudou quando os idealizadores do projeto perceberam que ainda faltavam na cidade hotéis particulares, menores e de serviços personalizados. Do alinhamento deste insight à vontade de dar a São Paulo um ícone arquitetônico marcante e contemporâneo surgiu o Unique, “que veio para ser uma referência em design, conforto e luxo, aliando características urbanas ao conceito de hotel boutique”, conta Ruy Ohtake, arquiteto responsável pelo seu projeto inovador. O bar e restaurante Skye, localizado na cobertura do hotel, oferece vista deslumbrantes de São Paulo. Do Skye é possível avistar o horizonte oeste e sul da cidade, o bucólico bairro do Jardins, o Parque do Ibirapuera e os prédios imponentes da Av. Paulista. Reconhecido como um dos principais points da cidade, se tornou um símbolo da gastronomia da capital graças às pesquisas feitas ao redor mundo pelo Chef Emma- 14 Leitura de Bordo | Fevereiro 2017 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 15

nuel Bassoleil para oferecer um cardápio. O caráter singular do hotel também se dá por sua localização: Av. Brigadeiro Luis Antônio, esquina com a Rua Henrique Martins. Seu exclusivo espaço para eventos é cobiçado, por estar próximo aos principais centros de negócios e lazer de São Paulo e ao Aeroporto de Congonhas. | Turismo de luxo | www.leituradebordo.com.br | Fevereiro 2017 | Leitura de Bordo 15

[close]

Comments

no comments yet