GAC Newsletter3 - Fevereiro 2017

 

Embed or link this publication

Description

Atividades realizadas no Fórum e Upro do GAC

Popular Pages


p. 1

Torneio de Corfebol Teve lugar no passado dia 10 de outubro, o torneio de corfebol entre as instituições GAC, GIRA e ARIA no Pavilhão do Complexo Desportivo Municipal do Casal Vistoso, no Areeiro. Foi um torneio organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Federação Nacional de Corfebol. O GAC perdeu nos dois jogos ficando qualificado em terceiro lugar. No fim, houve entrega de medalhas e todos ganharam porque o principal foi participar. Todas as segundas treinámos na atividade corfebol. Trata-se do único jogo colectivo misto, em que passamos a bola uns aos outros, e marca quem encestar. O corfebol foi inventado na Holanda e é praticado em vários países do mundo. Paulo Sousa Acontecimentos importantes • Torneio de Corfebol • Caminhada pela Saúde Mental • Livro de receitas da UPRO • Festa de Natal do GAC

[close]

p. 2

Oportunidades de Formação No passado mês de agosto de 2016, tive a oportunidade de fazer uma formação intensiva de nível 4 no Cambridge School, com a duração de um mês. Esta formação surgiu de uma candidatura a uma bolsa, através de outra instituição e decorreu durante todo o mês. Conheci a forma de trabalhar da escola, onde todas as pessoas que lá trabalham são muito simpáticas e profissionais. A minha deficiência de visão não me impediu de ter uma boa relação com a professora, colegas e todas as pessoas que lá estavam. Gostei muito e espero que no próximo ano possa repetir esta experiência. No dia 25 de agosto do presente ano, tive a oportunidade de iniciar outra formação de Inglês, através do encaminhamento do GAC para o Centro de Emprego de Lisboa, na Matinha. Esta formação decorreu até 19 de outubro deste ano, e na qual eu tenho a mesma opinião em relação à simpatia da professora, colegas e todas as outras pessoas que lá estão a trabalhar. Gostei das formações pois vão ajudar-me tanto a nível pessoal como nas minhas relações com outras pessoas, e, tirei um bom resultado em ambas. Termino a dizer que a Doença Mental não nos impede de fazer o que queremos e gostamos e somos nós que temos que lutar contra o estigma e mostrar aos outros que também temos as mesmas capacidades. Espero que este testemunho sirva de exemplo para outras pessoas que queiram fazer formações. Elisabete Sousa A Atividade do GAC Eu frequento a Musicoterapia e gosto porque desabafo como me correu a semana e também me acalma e fico mais tranquilo. Frequento esta atividade há cerca de 1 ano. A Musicoterapia é dada por um monitor externo de seu nome Miguel Soares, uma vez por semana com duração de 1 hora e meia. Frequentam uma média de 5 colegas e é dada na sala de atividades do GAC. Para mim a Musicoterapia é um espaço de tempo em que os utentes dizem como é que foi a sua semana e de seguida fazem a sua recuperação ao som de vários instrumentos que cada utente vai tocando. Bruno Tomás Página 2 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

p. 3

O que diz o Técnico… Ana Medeiros A Unidade de Vida Protegida (UPRO) do GAC é uma unidade de apoio residencial com carácter temporário para pessoas com experiência de doença mental e que funciona em complementaridade com o Fórum Socio Ocupacional. Tem capacidade física para 4 pessoas (2 utentes do sexo feminino e 2 do sexo masculino) e destina-se a pessoas com doença psiquiátrica estável que se encontrem com necessidade de apoio técnico, em determinada fase do seu ciclo vital. O objetivo passa por melhorar a qualidade de vida dos utentes e promover a participação ativa na elaboração do seu projeto de reabilitação psicossocial e respectiva integração na comunidade. São desenvolvidas atividades como: atividades de vida diária, de educação para a Saúde, culturais de lazer/convívio e de estimulação cognitiva. Para isso a equipa conta também com o apoio de três técnicas auxiliares que constituem uma ajuda preciosa tanto no projeto de reabilitação dos 4 residentes como na dinamização das atividades previamente enumeradas. Às segundas-feiras são feitas as compras semanais e às sextas é discutido “O melhor da semana”. Esta atividade, de implementação recente, centra-se em princípios da Psicologia Positiva e pretende a estimulação do juízo crítico, insight, promoção da autoestima e valorização do ocorrido semanalmente na vida dos utentes. Neste dia da semana reunimo-nos e é tida a leitura e discussão em grupo do Registo d’ “O melhor da semana” de cada um. De entre as atividades de educação para a saúde temos vindo a desenvolver um projecto que tem deixado todos com água na boca. Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de uma alimentação saudável, contribuir para a tomada de decisões saudáveis, prevenir comportamentos erráticos, promover uma responsabilização pela saúde e por se ter reparado que não existia um livro de receitas da UPRO, temos vindo a criar “O nosso livro de receitas simples e saudáveis”. Assim sendo, as quintas-feiras na UPRO são sinónimos de dias de petisco! Lêem-se as receitas, inclui-se na lista das compras semanais os ingredientes necessários, colocam-se as mãos na massa e degusta-se! Damos o nosso cunho pessoal, fazendo algumas alterações à receita original e adicionamo-la ao nosso livro. Para os mais curiosos, ATENÇÃO! O próximo passo será implementar o “Dia Especial do Amigo”. Será acordado um dia no mês em que se convidará um amigo/familiar e/ou técnico do GAC para experimentar os dotes culinários dos 4 chefes. O delineamento das atividades propostas tem um objectivo comum: contribuir para o sentimento de pertença à UPRO, unificar a equipa e os utentes, promover o bem-estar pessoal e potenciar o gosto de viver/ estar em comunidade. Página 3 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

p. 4

Anedotas Entra um anão num bar. Vendo um balcão muito alto, começa aos saltos: Um sumo! Um sumo! Ninguém aparecia. Ele dá a volta e vê outro anão aos saltos: - Fresco ou natural? • Dois morcegos estavam a falar um com o outro: - Vou sair à procura de sangue, ok? - Ok. Mas eu fico por aqui! E lá foi o morcego todo sorridente. Alguns minutos depois volta o morcego com a cara cheia de sangue e também partes do corpo, rapidamente o outro se interessa. – Hei que espetáculo, como é que conseguiste tanto sangue assim? – Simples, estás a ver aquela árvore ali à esquerda? – Sim. – E aquela outra mais ali à direita? – sim, estou a ver. – Estás vendo aquela bem ali no meio daquelas duas? – Sim também estou a ver. – Pois, eu é que não a vi. • Um bêbado entra num autocarro e senta-se ao lado de um padre. O padre olha para ele com ar de comiseração e diz: Você não vê que esse é o caminho para o inferno, meu filho? – Fogo! – Exclama o bêbado. – Entrei outra vez no autocarro errado! Ana Carolina Euro 2016 O jogo da final do Campeonato Europeu de Futebol decorreu em Paris a dez julho em Stade de France, onde Portugal venceu por 1-0 após o prolongamento, cujo autor da vitória foi Éder. Ao longo do jogo, toda a gente rezava para que nos consagrássemos campeões … aguenta coração! O reflexo da história desta vitória foi muito grande porque para além de já sermos bem conhecidos no meio futebolístico com o Eusébio e no fado com a Amália, passámos ainda a ser mais conhecidos, e mais bem vistos na Europa e no Mundo. Portugal ficará para sempre como o país vencedor, tanto nacional como além-fronteiras. Esta fome de ganhar tornou-se uma realidade em 2016, e ficará gravado na alma e no coração de milhões de portugueses que estão no nosso país ou emigrados. Desde o tempo das grandes descobertas que Portugal se mostrou como um país de lutaEduorroes20e1s6onhadores, que nunca desistem daquilo que querem, e que lutam por aquilo que desejam. Carla Gomes Atividades realizadas no GAC - Em junho realizámos a atividade de Música do professor de música Paulo Marinho, na Escola Básica e Jardim de Infância do bairro da Horta Nova, pelo Projeto Pulsar, e fomos também a visitas culturais. - Em julho alguns utentes participaram na colónia de férias da Junta de Freguesia de Carnide, indo às praias e piscinas de Santarém, e o GAC realizou uma sardinhada aberta à comunidade. - Em agosto fomos à mata de Benfica, à Quinta das Conchas e dos Lilases. Fomos também à Torre de Belém e ao CCB. - Em setembro fomos a uma visita cultural ao Museu de Santo António. Houve uma atividade de karaoke na sala de atividades do GAC, onde cantámos uma variedade de canções. Paula Clara Página 4 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

p. 5

Agenda GAC Fevereiro: - Dia 17, passeio a Castelo Branco pela Junta de Freguesia - Dia 27, acção de sensibilização na Saúde pela SCML Janeiro a Maio: - Visitas e workshops Fundação Calouste Gulbenkian Fevereiro a Maio: - Actividades Pulsar (Literatura, Psicomotricidade e Música na Comunidade) Jogos Paralímpicos Chamo-me Paula Cruz e com 14 anos entrei para a natação em 1989, através da ACAPO porque sou invisual. Aos 15 anos, o treinador aconselhou-me a entrar no campeonato do mundo de juniores, de 03 a 12 julho de 1990, e eu sem hesitar aceitei. Portugal através da Federação Portuguesa de Desporto para Deficientes, participou com as modalidades de atletismo e natação, conquistando 2 medalhas de ouro, 3 de bronze e 1 de prata. O torneio decorreu em França, em Saint Étienne. Nadei 100 metros de crawl e de costas. Obtive o quinto lugar ficando extremamente feliz. Considero que para a primeira participação é um resultado muito gratificante. Em 2016, realizaram-se os Jogos Paralímpicos no Rio de Janeiro, no Brasil. Os atletas portugueses ganharam 4 medalhas de bronze, 2 em boccia e 2 em atletismo. Ao todo, participaram 37 atletas portugueses de 7 modalidades. São elas, atletismo, futebol de 7, salto em altura, futebol de 5, basquetebol em cadeira de rodas, corridas em cadeira de rodas e por fim, natação. Estas são algumas das muitas modalidades dos jogos paralímpicos. Todos os dias havia um programa no canal RTP 1, depois do jornal da noite, que fazia a divulgação dos jogos paralímpicos. Aí, divulgavam os jogos dos países e respetivos resultados e medalhas. Os brasileiros aplaudiam muito os atletas portugueses. Sentimos que a Comunicação Social devia dar mais relevância aos Jogos Paralímpicos. Paula Cruz e Joel Tavares Sugestão Cultural MAAT- Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia O MAAT cruza estas três áreas debatendo-as. Pretende para além disso a sua descoberta e ter também um pensamento crítico e de diálogo internacional. O mesmo pretende apresentar exposições nacionais e internacionais com o contributo de artistas, arquitectos e pensadores comtemporâneos. Reflectindo sobre grandes temas e tendências atuais, a programação apresentará ainda diversos olhares a nível de curatoria sobre a Coleção de Arte da Fundação EDP. A programação do MAAT começou a 30 de junho com a apresentação de quatro exposições do edifício da Central Tejo. A 5 de outubro, o novo edifício abriu ao público com uma obra de grandes dimensões criada pela artista francesa Dominique Gonzalez-Foerster especificamente para este espaço. Com o MAAT, a Fundação EDP proporciona um novo e grande impacto cultural. Pretende ainda promover uma diversidade de programas artísticos na capital, pensada para todos os públicos, para todas as idades. Funciona das 12 às 20 horas, encerrando às terças-feiras. Fonte de Origem: https://www.maat.pt/pt/sobre João Pedro António e Ana Alexandra Página 5 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

p. 6

Concurso de Prosas – FNERDM Chamo-me Ana Carolina e sofro de doença psiquiátrica com perturbação da personalidade borderline. Também sofro de epilepsia de grande mal desde os seis anos de idade. Desde a infância que tinha dificuldades de aprendizagem em certas áreas, tais como Matemática e Físico-química, para as quais sempre tive explicações apesar de gostar da escola. Era muito boa a Português (disso posso gabar-me!), pois adoro a nossa língua, ler e escrever. Tive sempre uma infância, adolescência e fase adulta atribuladas, apesar de muitos momentos bons, e isso deixou as suas marcas. Hoje em dia sou, já com trinta e oito anos, uma pessoa frágil, com alguns traumas que ficarão para sempre, embora lute para os ultrapassar. Aos trinta e um anos foi-me diagnosticada a doença mental, pouco depois de a minha filha nascer, e com mais essa notícia fui-me abaixo. Não queria aceitar o facto de me retirarem a guarda da minha filha com um ano e meio, o que agravou muito o diagnóstico, a aceitação da doença e de ter de tomar mais medicação para o resto da vida. Ainda hoje me custa muito falar sobre a minha filha e não consigo aceitar muitas coisas. Sou uma pessoa revoltada com a vida e com muito do que já passei, mas tento lembrar-me dos momentos bons e viver o dia-a-dia. Preencho-o com imensas atividades que adoro na instituição que frequento, o GAC – Grupo de Acção Comunitária, e da qual tive conhecimento em 2014 através da Unidade de Projecto do Hospital de Santa Maria. Tem feito muito bem à minha reabilitação, pois hoje sou uma pessoa mais feliz e preenchida. Tive dois internamentos compulsivos em 2011 em Santa Maria, de duração de quinze dias cada, onde conheci a minha médica psiquiatra, a Dra. Rita Barandas, que me tem acompanhado regularmente até à data e de quem gosto muito. Infelizmente, quanto à neurologia, já não posso dizer o mesmo. Desde que deixei a Dra. Karin Dias e me foram atribuídos outros médicos que não tem corrido do meu agrado. Fiz o desmame do Topiramato em março, o qual foi desesperante. Foi o meu pior desmame e o meu pior tratamento em duas áreas que estão ligadas ao cérebro, a psiquiátrica e a neurológica. Não entendo porque fazem tanta guerra em vez de se unirem e trabalharem em equipa! Desde então que me alteram a medicação em ambas as áreas e eu reajo logo a medicamentos novos e experimentais e os efeitos secundários indicados surgem passado pouco tempo. Sou aquele tipo de pessoa para quem a medicação tem de ser sempre a mesma (não posso servir de ratinho de laboratório!). Aquando da minha entrada para o GAC em 2014, com algumas inquietações por não conhecer o espaço nem as pessoas, senti que não iria gostar da mudança como aconteceu na Unidade de Projeto de Santa Maria de onde vim. Integrei o GAC à terceira tentativa e finalmente consegui ambientar-me e gostei de tudo. Como se costuma dizer: à terceira é de vez! E foi! Comecei a ver e a encarar as coisas de outra forma e a gostar cada vez mais das variadíssimas atividades que temos. Tem-me feito muito bem à reabilitação, à aceitação da doença e à tolerância face aos outros e a mim própria. Hoje sou uma pessoa mais feliz e completa. As atividades de que mais gosto são as que são realizadas nas escolas envolvendonos com as crianças nas várias áreas, assim como as atuações em público de Música, Teatro, e poesia (que muitas vezes é trabalhada na Escrita Criativa). Gosto também muito de Artes Plásticas, Jornal, e Recovery (que me tem ajudado muito a compreendermo-nos melhor e ao próximo), assim como as atividades que são realizadas fora da instituição. Tenho feito amizades com estas pessoas ditas «diferentes» (assim como eu!), tenho observado muito a sua personalidade, tenho vindo a minorar os seus problemas e características menos boas, e a compreendê-las melhor. Tento pôr-me no lugar delas e ajudá-las, sendo muitas vezes difícil mas gratificante. Acho muito importantes as conferências para pessoas com experiência de doença mental, gostando muito de participar e dar o meu testemunho, pois alguém poderá identificar-se comigo, e é nestes sítios que conhecemos inúmeras pessoas como nós e outras instituições importantes que nos podem ajudar e com quem trocar experiências. Tudo isto é muito importante para a nossa recuperação! Sem isto, penso que estagnávamos e nunca evoluíamos como tenho vindo a observar. Entretanto, enquanto uns estão na sua recuperação, existem outros que fazem tudo para a retardar. A estes chamamos-lhes os «médicos malucos», que se testam a si próprios e, de tanto se testarem, somem! E assim desaparece mais um grande médico. E há mais histórias por aí! Tantas e tantas! Não acabam aqui!... Anda-se à volta da lógica da ciência e dos átomos que circulam no maravilhoso labirinto que é o corpo humano. Felizmente para uns e infelizmente para outros, a lógica da ciência e dos átomos neste maravilhoso labirinto continuará para sempre a atormentar-nos ou a criar-nos grandes sucessos!... Ana Carolina Prosa de utente do GAC entre as 5 mais votadas no facebook Página 6 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

p. 7

GAC-Grupo de Acção Comunitária. Rua Vítor Santos, Lote R8 Loja A Carnide, 1600-785 Lisboa Telefone: (+351) 21 4074258 E-Mail: geral@gac.com.pt Web Site: www.gac.com.pt Festa de Natal do GAC No dia 13 de Dezembro de 2016 teve lugar a Festa de Natal do GAC no Centro Cultural de Carnide. A parte musical foi encantadora e inspiradora trazendo à baila músicas da nossa raiz popular. Participaram os utentes do GAC e da Academia Sénior de Carnide. Os Gaiteiros de Lisboa fecharam a parte musical de uma forma magistral relembrando também de certa forma um ambiente medieval. O Dr. Tomás e o colega Jorge declamaram poesia. Foi também exibido um filme de animação realizado e produzido pela Vália com os utentes do GAC. Os Poemas e o Filme intercalaram os diferentes momentos, quer musical quer do Teatro. A terminar o espetáculo, foi apresentada a peça de Teatro do GAC, cuja temática era o imaginário comum. Muito bem executada e sincronizada, foi do agrado do público. A festa não acabou sem antes podermos comer um almoço partilhado e oferecido por muitas entidades locais. Este evento foi um exemplo de organização e de entretenimento. Ficha Técnica Participantes: Carla Gomes, Fábio Ramos, Ana Alexandra, João António, Joel Tavares, Ana Carolina, Paula Cruz, Elisabete Sousa, João Nunes, Jorge Matos, Bruno Tomás, Paula Clara, Paulo Sousa Grafismo: Fábio Ramos e Miguel Almeida Orientação: Nuno Antão Revisão: Equipa Técnica e Direção José Carlos Pereira Rodrigues 19/01/2017 Como ajudar o GAC  Seja Voluntário!  Torne-se Sócio!  Seja benemérito, transfira o seu donativo para o seguinte IBAN: PT50.0036.0121.9910.0040.3302.6 Obrigad@ Para mais informações contate-nos Página 7 Fevereiro 2017 ● Newsletter ● GAC ● (+351) 21 4074258

[close]

Comments

no comments yet