Gazeta de Alagoas - Alagoas Memorável - Fascículo 8

 

Embed or link this publication

Description

Gazeta de Alagoas - Alagoas Memorável - Fascículo 8

Popular Pages


p. 1

08 oitavo fascículo 21x23.indd 2 22/08/2011 19:22:28

[close]

p. 2

presidente de honra jornalista ana luísa collor de mello presidente do conselho estratégico carlos alberto mendonça diretor executivo luis amorim coordenador editorial Ênio lins presidente de honra jornalista ana luísa collor de mello alagoas memorável pat r i m Ô n i o arquitetÔnico núcleo de projetos especiais coordenação geral leonardo simões coordenação editorial farol editora e marketing ltda textos cármen lúcia dantas douglas apratto tenório josé luiz mota menezes revisão ivone dos santos fotografia ricardo lêdo direção de arte diagramação e desenhos wellington charles tratamento de fotos victor josé santana paiva impressão gráfica moura ramos tiragem 15.000 exemplares instituto arnon de mello 82 3326-1604 capa paço imperial penedo 08 oitavo fascículo 21x23.indd 3 22/08/2011 19:22:30

[close]

p. 3

08 oitavo fascículo 21x23.indd 4 22/08/2011 19:22:30

[close]

p. 4

igreja santo antônio bairro do barro vermelho 208 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 5 22/08/2011 19:22:33

[close]

p. 5

arquitetura e arte penedo atmosfera de passado cármen lúcia dantas museóloga c onhecida como a capital do baixo são francisco penedo é a síntese da importância alcançada pelo comércio e cia condições ideais para a defesa dos colonizadores os registros sobre a sua origem dão conta de que em 1636 a antiga feitoria provavelmente com o nome de penedo de são pedro foi elevada à condição de vila a vila do são francisco décadas depois no final do mesmo século passou a ser chamada penedo do rio são francisco mais tarde simplesmente penedo desde então a cidade respira uma atmosfera de passado onde a arte e a gente do lugar estão impregnadas por um tipo de colonização delineada por cami nhos fluviais essa característica fez de seu porto o ponto de convergência da região onde as embarcações ancoravam a comunicação era direta com a bahia e depois da abertura dos portos às nações aliadas em 1808 navios de grande calado chegavam à cidade sem a intermediação portuguesa com eles vinham as novidades das metrópoles o intercâmbio comercial sobretudo com a inglaterra facilitou a vinda de matrizes culturais europeias influindo de forma decisiva no gosto do penedense do século xix pelo fausto social e econômico de uma história que atravessa séculos sem perder o encanto de outrora situada no extremo sul do estado feito uma ponta de pedra que avança para o rio a cidade pode ser apreciada de vários ângulos o melhor deles sem dúvida é avistado por aqueles que navegam pelo são francisco margeando a formação rochosa que nomeou o lugar cuja topografia ofere alagoas memorável patrimônio arquitetônico 209 22/08/2011 19:22:33 08 oitavo fascículo 21x23.indd 6

[close]

p. 6

uma vitrine arquitetônica essa contingência fez de penedo uma verdadeira vitrine arquitetônica responsável ainda hoje por reunir uma sequência de estilos que se estende do início do século xviii até o começo da arte moderna demarcada no estado pela construção do hotel são francisco em 1959 desde as primeiras edificações o perfil construtivo da cidade aproveitou materiais disponíveis na natureza e que melhor se adequavam às condições climáticas da região ao lado da pedra o barro a princípio em seu estado natural e depois como tijolos de cerâmica foi a principal matériaprima utilizada nas casas e posteriormente nos sobrados os barreiros se multiplicavam na beira do rio e os portugueses já conheciam a técnica da taipa facilmente adaptada às condições locais a abundância da madeira e do barro por todo o vale popularizou o método conhecido por taipa de sopapo ou pau-a-pique que consiste em preparar a base do alicerce também em argila batida e socada com pedras sobre essa base as paredes são levantadas em trama estrutural com varas de madeira presas com cipó e depois com prego entre os esteios fincados no alicerce e nas vigas horizontais os mestres taipeiros garantiram a durabilidade das construções que resistem à passagem dos séculos utilizavam sobrado onde morou o barão de penedo também a técnica mista levantando a caixa arquitetônica de pedra ou de tijolo e as paredes internas de taipa 210 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 7 22/08/2011 19:22:33

[close]

p. 7

neoclássico da arquitetura oficial no século xix com o fim do regime colonial e início do império surgiu a necessidade de se construir prédios para abrigar as demandas da administração pública essas edificações introduziram em todo o país o estilo neoclássico como padrão da arquitetura oficial suprindo convenientemente o anseio político da classe dominante o modelo recém-importado passou a ser adotado também nas construções civis correspondendo às credenciais de afirmação de um sistema social e político em formação penedo que àquela época concentrava o poder econômico da região aderiu imediatamente ao estilo em evidência sobrados do século xviii passaram a exibir em suas fachadas elementos neoclássicos mantendo a originalidade interior esse capeamento estilístico mudou a paisagem urbana da cidade em sua área primitiva hoje sítio tombado sedimentando por meio da arquitetura a história da cidade que mudara de fisionomia no século xix casa do final do século xix hoje sede do sebrae alagoas memorável patrimônio arquitetônico 211 22/08/2011 19:22:36 08 oitavo fascículo 21x23.indd 8

[close]

p. 8

arruado à beira do rochedo o arruado que se formou na beira do rochedo é uma das áreas mais antigas da cidade e mantém suas casas enfileiradas da mesma forma como foram construídas no passado quando ainda não existiam saneamento nem abastecimento de água nas casas o local era caminho para o banho nesse período os espaços públicos para banheiros eram frequentes e naturais havendo rigoroso respeito ao local e aos horários diferenciados para homens e mulheres o caminho de rua do banho passou a ser também conhecido por rua das lavadeiras visto tratar-se do ponto preferido pelas mulheres que iam lavar as roupas pela manhã até hoje é uma prática comum às moradoras da área as casas de feitio construtivo mais simples com porta e duas janelas ao lado telhado de cumeeira paralela à rua com caibros apoiados diretamente nas paredes frontais estão alinhadas como que a equilibrar-se no despenhadeiro da rocha a ladeira íngreme desce para o rio paralela à rua da corrente nela ainda existe uma escada de pedra com os degraus excessivamente gastos que denotam a longevidade do uso alberto salles no livro arruando para o forte lembra que a rua do banho fica justamente no chamado beiço da rocheira local que pode ter sido o ponto por onde o colonizador aportou devido à qualidade de seu píer natural rua das lavadeiras 212 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 9 22/08/2011 19:22:36

[close]

p. 9

alagoas memorável patrimônio arquitetônico 213 22/08/2011 19:22:36 08 oitavo fascículo 21x23.indd 10

[close]

p. 10

a cidade majestosa de frente para o porto uma sequência de sobrados alguns com até quatro andares compõe ao lado da igreja da corrente uma área notável da cidade nela se destaca o paço imperial hoje ocupado por um museu o colégio anchieta atualmente pousada colonial a antiga cadeia e os altos sobrados mistos de moradia e casa comercial o conjunto é típico da penedo dos séculos xviii e xix época em que a cidade efervescia no setor econômico com alto prestígio social creditado ao fluxo de gente e de mercadorias efetuado pelo rio a restrição em 1800 da construção de prédios do lado do porto deixou livre a área destinada ao embarque e desembarque arejando o movimentando ir e vir na região portuária o empório comercial só começa a declinar com a instalação das vias férreas e logo em seguida das rodovias beneficiando outros municípios e tornando a comunicação pela malha viária que se estendia cada vez mais rápida e econômica essa expansão do transporte terrestre esvaziou a hegemonia do porto penedense que hoje atende apenas às comunidades mais próximas e à travessia de veículos de uma margem a outra igreja da corrente e paço imperial vistos do rio são francisco 214 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 11 22/08/2011 19:22:37

[close]

p. 11

paço a hospedaria do imperador sobrado do século xviii nele residia a família lemos a mesma responsável pela edificação da igreja da corrente em 1859 serviu de hospedaria ao imperador pedro ii em viagem com destino à cachoeira de paulo afonso nessa ocasião o monarca apreciando a beleza da paisagem registrou em seu diário de viagem o local é muito bonito e creio que devera estar aqui a capital da província a partir dessa visita o prédio passou a ser conhecido por paço imperial e integrou-se ao patrimônio histórico e artístico nacional como referência da memória cultural brasileira após deixar de ser residência foi ocupado por repartições públicas e a cada mudança de função o prédio sofria intervenções na restauração da década de 1970 voltou à sua feição original uma vez que no século xix recebera elementos neoclássicos na fachada e uma placa comemorativa da passagem de dom pedro ii nessa restauração descobriu-se um porão cujas paredes deixam à mostra a estrutura de pedra da construção e um possível porto para atender particularmente a seus moradores varanda posterior do paço imperial hoje museu alagoas memorável patrimônio arquitetônico 215 22/08/2011 19:22:42 08 oitavo fascículo 21x23.indd 12

[close]

p. 12

piso inferior do paço imperial 216 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 13 22/08/2011 19:22:45

[close]

p. 13

hoje o sobrado é sede do museu do paço imperial instituição pertencente à fundação educacional raimundo marinho mantenedora também do memorial ao seu patrono no andar superior está instalado o museu que expõe peças dos séculos xviii xix e início do xx a contribuição das famílias penedenses foi fundamental para a formação desse acervo circuito expositivo do museu do paço imperial ao percorrer o circuito expositivo o visitante percebe o requinte característico do povo da cidade o que se confirma por meio das peças de mobiliário da arte sacra dos objetos decorativos e dos serviços de jantar trazidos de limoges e de sèvres consideradas as melhores porcelanas europeias da época além das baixelas e floreiras de selo inglês o registro da passagem de dom pedro por penedo é reiterado pela conservação de inúmeros objetos a exemplo de porcelanas e cristais com a insígnia do império condecorações pinturas a óleo gravuras e fotografias da família imperial o relógio usado no mesmo sobrado durante a visita está em exposição no museu da mesma forma que as peças do barão de penedo e de outras personalidades do mesmo período a formação desse acervo foi direcionada para a recomposição de uma época da sociedade penedense com ênfase para a importância do próprio sobrado como exemplar da memória histórica da região alagoas memorável patrimônio arquitetônico 217 22/08/2011 19:22:55 08 oitavo fascículo 21x23.indd 14

[close]

p. 14

um guardião da memória circuito expositivo do memorial raimundo marinho o memorial preserva a história de seu patrono e da cidade em um recorte de tempo que compreende as décadas de 60 70 e 80 do século passado época em que penedo na administração de raimundo marinho alcançou desenvolvimento cultural e econômico e teve seu perfil arquitetônico valorizado a partir do acervo pessoal da família ramalho marinho ele foi estruturado de forma a se constituir em um guardião da história de um homem público a ênfase é dada às atitudes visionárias do patrono sobretudo com relação ao patrimônio cultural abrangendo um período preservado da história de penedo através dos registros fotográfico e documental 218 alagoas memorável patrimônio arquitetônico 08 oitavo fascículo 21x23.indd 15 22/08/2011 19:23:05

[close]

p. 15

a praça e o burburinho do mercado a grande praça em frente à igreja de são gonçalo garcia concentra o comércio da cidade com lojas restaurantes bancos o mercado público o teatro a associação comercial vários sobrados e a antiga mesa de renda atualmente em processo de restauro para ser ocupada pelo iphan o conjunto já sofreu perdas irreparáveis fruto de demolições e descaracterizações como alguns sobrados que tiveram suas fachadas reformadas na parte térrea para atender ao interesse comercial de seus proprietários as famílias não mais habitam os andares superiores que hoje se prestam para escritórios ou depósitos de mercadorias o mercado recentemente restaurado centraliza o movimento comercial sua construção é do final do século xix em terreno que a princípio pertenceu à ordem franciscana a planta é de autoria do renomado arquiteto luigi lucarini e a inauguração ocorreu provavelmente por volta de 1898 a beleza da arquitetura está na sobriedade da forma na solidez da estrutura horizontal de ornatos discretos e frisados contínuos encimando o prédio uma platibanda arremata o contorno na mesma linha de austeridade que caracteriza o imóvel as portas que o circundam têm o formato de arcadas avantajadas obedecendo a um ritmo repetitivo que contribui com a praticidade da edificação as quatro centrais dão acesso aos grandes corredores que se cruzam e se estendem por entre os arcos perfeitos que dividem internamente o prédio na fachada principal a porta do centro é diferenciada por frontão guarnecido por elementos decorativos discretos mercado público alagoas memorável patrimônio arquitetônico 219 22/08/2011 19:23:06 08 oitavo fascículo 21x23.indd 16

[close]

Comments

no comments yet