Revista-Comercio-Industria-Fevereiro-2017

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Fevereiro-2017

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

ÍNDICE EDIÇÃO N°139 - FEVEREIRO / 2017 CAPA Expansão do Sicoob da Barroso DESENVOLVIMENTO Instituições formam um bloco ECONOMIA 33% a menos em vendas GASTRONOMIA Ferroviária ajuda 8 Referência no segmento em todo o País, cooperativa amplia cada vez mais suas ações na Morada do Sol e mira um ano com muitas novidades. Da Redação 05 | Sônia Maria Marques reforça a importância da comemoração dos 200 anos de Araraquara. 10 Grupo criado no ano passado se fortalece e passa a ter reuniões mensais para fomentar o setor econômico em nossa cidade. Sincomercio 34 | Sindicato reúne-se com o governador de São Paulo para discutir interesses do segmento. 16 Segundo levantamento do Sincomercio, feriados de 2017 proporcionarão uma queda nas vendas do comércio local: se não bastasse a crise. Sindicato Rural 37 | Prefeitura Municipal e SENAR-SP apoiam a implantação da Feira do Produtor Rural em Araraquara. 22 Jogos da Ferrinha na Arena Fonte durante o Paulistão 2017 engordam o movimento na Praça de Alimentação, em frente ao estádio. Canasol 44|RenovaBio promete superar o sucesso do Proálcool; conheça todos os detalhes do projeto. Araraquara recebe atleta olímpico O ginasta Francisco Barreto Júnior, integrante da Seleção Brasileira de Ginástica Artística participou, no dia 21 de janeiro, de uma apresentação e de um bate-papo no Sesc Araraquara. O encontro foi uma ótima oportunidade para os atletas locais conhecerem novas experiências. Vale lembrar que a Morada do Sol sempre teve tradição neste esporte, muito por conta do trabalho feito na Fundesport. Nascido em Ribeirão Preto, Francisco Júnior tem 27 anos e foi prata nos Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto, na categoria por equipes. Também ficou com o quinto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Há muito que se aprender com ele. Luz sempre acesa A Prefeitura tem um seviço gratuito para atender as demandas da população envolvendo problemas com a iluminação pública em vias de Araraquara. O telefone é 0800-770-1515. Ele funciona entre 12h15 e 17h45, de segunda a sexta-feira. 4

[close]

p. 5

MEMÓRIA Em terras europeias FEBRE AMARELA Doença devastou a cidade 28 Ex-pracinha araraquarense José Marino conta detalhes da conquista de Monte Castelo, mais importante feito da FEB durante a 2ª Guerra Mundial. Bons tempos 56| Relembre os passos de Gonzalo Cortez, importante nome da música internacional em Araraquara. 55 Em 1895 e 1896, epidemia da peste vitimou boa parte de Araraquara e as pessoas começavam a circular pela Av. São Paulo, onde estava a Farmácia Raia. Vida Social 61| Maribel Santos destaca a trajetória da empresária Carla Daniela da Silva Ammar. Edinho empossa secretários Os treze secretários da nova administração municipal, o chefe de Gabinete e o superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) foram nomeados e empossados pelo prefeito Edinho Silva (PT), em cerimônia realizada no dia 9 de janeiro, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade. Durante a solenidade, Edinho pediu o compromisso dos secretários na construção de uma cidade mais humana, com uma gestão transparente. “Nós estamos assumindo uma imensa responsabilidade. Irá exigir muito trabalho de todos nós. Só temos um patrão e esse patrão é o povo. Os interesses da população precisam estar acima de quaisquer outros interesses, sempre com muita transparência, trabalhando com responsabilidade com o orçamento público”, enfatizou Edinho. Para o prefeito, no ano em que a Morada do Sol completa seu bicentenário, é fundamental fazer uma reflexão sobre a Araraquara que será construída para as futuras gerações. “A cidade dos nossos sonhos não convive com a exclusão, com o machismo, com a homofobia e qualquer forma de discriminação e preconceito”, disse Edinho. Para ele, é preciso pactuar uma Araraquara que seja solidária e participativa, na qual todos se empenhem na construção da história de Araraquara nesses 200anos. DA REDAÇÃO por: Sônia Maria Marques No passado a recepção teria sido bem melhor Sempre desejar boas-vindas, mas ao completar 200 anos de fundação em agosto, Araraquara tem quase que por obrigação, desejar boas-vindas a todos aqueles que nos visitarem e principalmente, até dezembro. Trata-se de uma questão de respeito, admiração e por certo, alegria, pois é um momento único em sua história. A Copa São Paulo de Futebol Júnior com a participação inicial de Palmeiras (SP), Paranoá (DF), Villa Nova (MG) e anfitriã Ferroviária, já teria que ser melhor aproveitada pelo município para propagar sua imagem de cidade hospitaleira e festiva neste bi-centenário. Os atletas da Ferroviária entraram com uma faixa fazendo referência à data na abertura da competição, porém, foi muito pouco diante da grandiosidade da comemoração. Temos que reconhecer a transição do governo: no dia primeiro de janeiro, aconteceu a posse do governo e no dia seguinte, o começo da “Copinha na Arena”, com isso, naturalmente, não houve tempo para preparar a cidade. Fosse no passado, Rubens Cruz, Clodoaldo Medina ou Waldemar De Santi, teriam dado à cidade um banho de faixas e intensa campanha de boas-vindas, porém hoje, os tempos são outros. Em 1967, quando fez 150 anos, Araraquara teve o sabor de comemorar uma data cheia, graças ao prefeito Rômulo Lupo, que não precisou se esforçar muito para propagar um acontecimento tão auspicioso: tinha o AM da Rádio Cultura como o mais forte canal de comunicação em toda a região. É imprescindível que o município se organize para receber verdadeiramente de braços abertos, os visitantes, dizendolhes pelo menos - sejam bem-vindos. Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Editor: Matheus Vieira (MTB 67.923/SP) Diretor Comercial: Humberto Perez Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Heloísa Nascimento, Anderson Rovina Design: Carolina Bacardi, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br Cerimônia ocorreu na Biblioteca Municipal 5

[close]

p. 6

6

[close]

p. 7

EDITORIAL por: Ivan Roberto Peroni Crise econômica e revolução tecnológica fazem a Tribuna encerrar suas atividades O fechamento da Tribuna Araraquara, após 20 anos de circulação, consideramos uma perda irreparável para os nossos meios de comunicação. Com sintomas de uma imprensa avançada e moderna durante bom tempo, o jornal não suportou os efeitos da crise econômica e o grupo que detinha sua marca - EPTV - acostumado a números dentro de um mercado competitivo, colocou ponto final nas especulações que surgiram após uma dinâmica de demissões nos últimos meses. Em duas décadas foi um dos meios de referência da cidade, disputando o mercado com o quase centenário O Imparcial e a Folha da Cidade, que circula desde fevereiro de 1985. Quando a Tribuna surgiu em 1996, já estava circulando há 11 anos a Folha da Cidade; bem antes, o mais antigo de todos, O Imparcial, comemorava nesta época 66 anos, pois foi fundado em 1931. O Diário da Araraquarense, o mais popular de todos, criado em 1965, já havia baixado as portas pouco antes de 1995. Resumidamente, esta é a trajetória dos jornais diários em Araraquara, cidade de porte médio, conservadora e bairrismo exagerado em determinadas ocasiões. Em janeiro passado, anunciando a implantação de uma mídia alternativa e o desenvolvimento de conceitos inteligentes baseados nas redações digitais, a Tribuna optou em não circular mais, confirmando seu “processo degenerativo”, acelerado após continuadas demissões de profissionais. Observou-se então a chegada da mesma crise que já havia atingido jornais tradicionais do país como Jornal da Tarde, Jornal do Brasil, Última Hora, Folha da Tarde e até mesmo o Notícias Populares. Entre- tanto, o fechamento da Tribuna não é novidade, pois não é de hoje que o fechamento de jornais ou o encerramento de versões impressas vêm sendo tema do noticiário especializado e alvo de discussões em cursos de comunicação. Porém, quando se lê a notícia do fechamento de um título como a Tribuna, toda essa obviedade ou previsibilidade acaba se transformando até mesmo em surpresa e certa indignação. Seja pelos empregos perdidos ou até mesmo pelo apego sentimental à marca que se popularizou pela dedicação dos seus profissionais. E o seu fim motivado pela crise econômica não foi diferente em uma cidade conservadora e onde seus donos jamais tiveram convivência plena com os traços e os costumes da população. O fechamento representa o naufrágio de um dos projetos mais ambiciosos impulsionados pelo poderoso grupo EPTV. O jornal se saiu bem no início. Tinha sonhos, formou uma equipe competente com profissionais que migraram de grandes redações, mas acabou sofrendo os mesmos problemas de outros veículos: a conta não fechou e forçosamente caiu na realidade. Araraquara perde sim; de mãos atadas pela economia e submissa aos caprichos e o imediatismo das mídias sociais, vai-se embora um periódico que marcou época e nenhuma explicação terá poder de convencimento, pois o fim por mais justificável que seja, não aliviará as dores e a saudade por algo que tornou-se tão próximo a nós. Sua presença em casas e empresas, nos leva a recordar o slogan do antigo Diário: “o jornal que faz parte da sua família”. E, por incrível que pareça, a familiaridade ainda é a tônica de sobrevivência dos veículos de comunicação. 7

[close]

p. 8

REPORTAGEM DE CAPA Sicoob Araraquara está pronto para crescer ainda mais em 2017 Genuinamente araraquarense, mas com amplitude regional na sua prestação de serviços financeiros, o nosso Sicoob dribla a crise e em meio à turbulência do mercado financeiro faz investimentos, acompanha a evolução tecnológica, demonstra capacidade de gestão e se classifica como modelo em seu segmento no País. Ao dizer “nossa cooperativa”, o presidente Antonio Tomazetti Gaban, não está apenas aproximando o Sicoob dos gestos e costumes de uma cidade que comemora 200 anos de fundação em 2017. Ele torna ainda mais afetivo o relacionamento da instituição financeira fundada em 1983 com milhares de cooperados que hoje também se sentem donos da agência. Atual agência do Sicoob Araraquara, na Avenida Barroso, 350, entre ruas Gonçalves Dias e Nove de Julho, em breve ocupará mais um andar no prédio Diretoria responsável pelo crescimento do Sicoob em nossa cidade e região: Sidnei Oltremare, Antônio Tomazelli Gaban e Walter Francisco Orloski (sentados, membros da Diretoria Executiva); Aparecido Luís dos Santos, José Antônio Fragali, Ademar Ramos da Silva, Mário Thuyosi Hokama, Luís Henrique Alfonsetti e Eduardo Antonialli Del’Acqua (em pé, membros do Conselho de Administração) No final de janeiro, Gaban reservou pelo menos duas horas de um final de tarde para comemorar com a Revista Comércio, Indústria e Agronegócio, o sucesso de uma jornada iniciada 34 anos atrás numa das salas de treinamento da Villares. Era 21 de novembro de 1983, uma segunda-feira, logo após o expediente, quando os funcionários da indústria transformavam em realidade um sonho: eles estavam constituindo naquela noite, uma cooperativa de crédito. Walter Francisco Orloski, um dos participantes do encontro, ainda hoje lembra o que disse aos colegas: “Estamos provando com este ato, que um pequeno grupo de pessoas comuns, é capaz de se organizar de forma voluntária, sem a influência ou benesses do governo, conquistando a autossuficiência financeira e, portanto, livre da exploração pelas altas taxas de juros praticadas pelos bancos. Mas, antes de se transformar em Sicoob Araraquara, a entidade se uniu em 2007 à Comcred (Cooperativa dos Comerciantes de Araraquara e Região), afunilando uma proximidade ainda maior com o comércio e a indústria tornando-a uma instituição financeira mais fortalecida, capaz e soberana, o suficiente para disponibilizar praticamente todos os produtos financeiros aos seus associados. Ao longo desta trajetória, sempre apresentando índices de crescimento, mesmo nos momentos mais adversos da economia, o Sicoob foi a primeira cooperativa da cidade a conquistar a categoria de “livre admissão”, possibilitando que qualquer cidadão pudesse se associar. Hoje o Sicoob conta com um posto de atendimento na Iesa, uma agência no centro de Araraquara (Avenida Barroso), outra no centro de Matão e inaugurou outra agência, em Dobrada, no ano passado. 8

[close]

p. 9

Em janeiro, Orloski anunciou que o Sicoob já tem definido seu projeto de expansão em Matão, devendo ser em seis meses a maior agência bancária da cidade. O COMEÇO DE TUDO Antônio Gaban, Presidente “A nossa alegria é servir Araraquara, dando a ela uma instituição financeira que se ajusta ao perfil da comunidade” “Antes, um sonho; hoje, a realidade nos mostra que valeu a pena enfrentar os desafios e crer no poder do ser humano” Walter Orloski, Diretor AS AGÊNCIAS Atual prédio do Sicoob no centro de Matão Projeto da futura agência a partir de agosto, no centro de Matão Agência Sicoob em Dobrada, inaugurada no ano passado PARCERIA DO SICOOB Walter Fancisco Orloski explica que o Sicoob no ano passado estabeleceu parceria com a ACIA visando beneficiar suas empresas associadas. O acordo assegura que o Sicoob já oferece alguns dos produtos financeiros mais utilizados pelos empresários. Para ele, o Sicoob Araraquara sempre teve este perfil de estar próximo do empreendedorismo: “O objetivo do nosso trabalho é de contribuir com o desenvolvimento econômico da cidade, gerando empregos e possibilitando que o comércio mantenha seu processo de expansão”, considera o dirigente. Um dos itens que proporciona benefício é oferecer tarifa e taxas reduzidas para empresas que utilizam boletos bancários. Hoje, diz Orloski, oferecemos a menor taxa do mercado, suplantando as ofertas dos estabelecimentos bancários convencionais. A parceria com a associação ainda determina a disponibilidade para as empresas que trabalham com cartão no seu dia-a-dia: “A ACIA oferece às empresas associadas a SIPAG, máquina de recebimentos via cartão que também garante benefícios importantes para os associados que a utilizarem durante suas vendas”. Para se ter a SIPAG não há pagamento da taxa de adesão, tendo ainda a menor mensalidade do mercado e o empresário também conta com a menor tarifa operacional nas transações de débito ou de crédito à vista ou parcelado. O presidente Antônio Gaban considera que com essas ofertas e apresentando tecnologia superior a dos concorrentes do mercado, o Sicoob avança em 2017 para ser uma das mais completas cooperativas financeiras do interior. O trabalho se completa com a máquina de cartões (SIPAG) que também oferece funções administrativas do crédito, inclusive menu de antecipações de recebíveis, além de um aplicativo completo para web e smartphones. “Acompanhamos a evolução tecnológica e colocamos a agência com a mesma qualidade dos centros inovadores”, conclui Gaban. 9 Parceria com a ACIA leva o Sicoob a estar ainda mais próximo da classe empreendedora em Araraquara, através da disponibilização da SIPAG, máquina de recebimentos via cartão SICOOB ARARAQUARA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO José Antônio Fragali Presidente Luís Henrique Alfonsetti Vice-Presidente MEMBROS Antônio Tomazelli Gaban Ademar Ramos da Silva Eduardo Antonialli Del’Acqua Aparecido Luís dos Santos Mário Thuyosi Hokama DIRETORIA EXECUTIVA Antônio Tomazetti Gaban Presidente Walter Francisco Orloski Diretor Administrativo Sidnei Oltremare Diretor Operacional CONSELHO FISCAL José Zambo Migliatti Júlio Fernando Pascoal Basso Marcos Roberto Cumpri André Castro Rizo José Mauro Gracindo

[close]

p. 10

SINCOMERCIO, SINDICATO RURAL, CIESP E CANASOL Formado bloco econômico em defesa da nossa cidade Por iniciativa da Revista Comércio, Indústria e Agronegócio - Sincomercio, Ciesp, Sindicato Rural e Canasol se unem para criação de um fórum permanente de debates. O movimento iniciado em outubro do ano passado ganha força e começa a discutir com as autoridades os problemas que afligem o município. Em uma iniciativa inédita em Araraquara, sindicatos e associações se uniram para formar um grupo econômico que tem como objetivo promover ações de fortalecimento e crescimento no município. Em reunião realizada no dia 20 de janeiro, na sede do Sindicato Rural de Araraquara, foi definida a criação de um fórum permanente de debates para manter em pauta o desenvolvimento econômico e estreitar o relacionamento dessas entidades com a população e com o poder público. Participaram do encontro o Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), o Sindicato Rural e Associação dos Fornecedores de Cana de Araraquara (Canasol). A reunião foi organizada pela revista Comércio, Indústria e Agronegócio, que em seus 12 anos de circulação, sempre focou o desenvolvimento econômico, contribuindo ainda para o resgate da história empresarial da cidade. Entre os temas abordados, destaque para a fiscalização contra o comércio ilegal, profissionalização de feiras de alimentos, manutenção e melhorias nas estradas rurais, ampliação da segurança para os moradores do campo e expansão da indústria local. Os encontros deverão acontecer mensalmente, criando, dessa forma, um Fórum de Desenvolvimento Econômico para traçar as agendas de interesse da cidade em conjunto com o poder público. A reunião dos líderes empresariais foi aberta pelo presidente do Sindicato Rural, Nicolau de Souza Freitas e durou cerca de duas horas e meia. 10 NOVOS DESAFIOS Atendendo ao convite da revista e parceiros do movimento, o vice-prefeito Damiano Barbiero Neto, que hoje também responde pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agricultura, além dos agradecimentos, destacou a preocupação do prefeito Edinho Silva em implantar inicialmente ações consideradas urgentes, ligadas à Saúde, bem como apressar o serviço de tapaburacos em nossas vias públicas. Damiano estava acompanhado da coordenadora de Agricultura, Silvani Silva e demais assessores. Ele destacou que a Prefeitura está aberta para dialogar com todos os setores e afirmou que a contribuição do grupo será importante para a cidade. De acordo com o presidente do Sincomercio, Antonio Deliza, a formação desse bloco econômico agrega força às demandas dessas instituições. “O intuito da criação desse grupo é discutir uma pauta coletiva para cidade. Cada entidade tem sua atuação particular e defende as demandas de seu segmen-

[close]

p. 11

INSTITUIÇÕES QUE FORMAM O FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Nicolau de Souza Freitas Sindicato Rural Ademir Ramos da Silva Luís Henrique S. Oliveira Ciesp Regional Araraquara Canasol Antonio Deliza Sincomercio Mário Porto Senar Araraquara to, mas o trabalho de todas converge na busca do desenvolvimento da cidade. Por isso, decidimos juntar forças e nos apoiar”, afirma Deliza. O Sincomercio, que tem como uma de suas principais bandeiras o combate ao comércio ilegal, encontrou nesse bloco econômico uma força maior para lutar pelo aumento da fiscalização. Por outro lado, o Sincomercio também se tornou parceiro das iniciativas traçadas pelo Sindicato Rural e Canasol de profissionalizar as feiras de alimentos do campo, que valorizam a produção das famílias rurais. O presidente da Canasol, Luís Henrique Scabello de Oliveira, demonstrou duas grandes preocupações que os produtores rurais vêm tendo: segurança da zona rural e a conservação das estradas. Para Luís Henrique, “não é de hoje que os donos de propriedades rurais (fazendas, sítios e chácaras) sofrem com furtos e assaltos. Nos preocupa, sobremaneira, repetidas ocorrências com emprego as vezes de extrema violência”. As propriedades rurais não dis- põem do mesmo aparato de segurança patrimonial dos centros urbanos e, por este motivo tornam-se mais vulneráveis à ação de criminosos”, explicou o presidente da Canasol a Damiano. O presidente do Sindicato Rural, Nicolau de Souza Freitas, comentou que era uma satisfação acolher os parceiros e a presença de todos demonstra o fortalecimento dos ideais do grupo. Ao secretário de Desenvolvimento Econômico e Agricultura, ele reivindicou a melhoria nas estradas municipais, normalmente em propriedades rurais. O dirigente do Sindicato Rural, em nome da classe, disse que “é preciso inserir no Plano Diretor a conservação das estradas pois em determinados períodos, as propriedades ficam isoladas da região urbana”. Chegou a ser comentado que este isolamento também afasta as crianças do período escolar pois os ônibus deixam de circular por causa das péssimas condições das estradas. Neste caso, o município teria que inserir no orçamento verbas específicas para a conservação. O Ciesp, através do seu diretor re- gional Ademir Ramos da Silva, aproveitou a oportunidade para solicitar a criação de espaços para novas indústrias que queiram se instalar no município. Segundo consta, há casos de empresas que ainda não avançaram com as concessões de uso dadas pela Prefeitura e por causa da demora, as áreas teriam que ser retomadas para que novas indústrias venham se instalar. Damiano Barbiero Neto está encaminhando ao prefeito as reivindicações do grupo 11

[close]

p. 12

LINHA DE ASSESSORES NO BLOCO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Durante o encontro no Sindicato Rural, as instituições participantes do bloco levaram seus assessores para a propagação das ações discutidas junto as suas bases. Para Damiano Barbiero Neto, é importante que a Prefeitura Municipal estabeleça esse diálogo com o objetivo de conhecer as demandas e trabalhar em parceria para contribuir com soluções, inclusive, que garantam desenvolvimento do município. Iran Carlos Ribeiro, advogado do Sincomercio Michelle Pelaes, gerente regional do Ciesp Araraquara Silvani Silva, coordenadora de Agricultura no município O agrônomo Erick Vinicius Bertoli e Eduardo Henrique Marin, da Agricultura • PANFLETAGEM ESTRATÉGICA AMORTECEDORES a partir de R$ 35 ,00 Borracharia Pneus aro 14 por apenas R$ 119,90 Pneu remold 185/60/14 Preço a vista - Carcaça a base de troca - Montagem e Desmontagem inclusa Alinhamento Balanceamento + Rodízio de Pneus borracharia.testa.araraquara por apenas R$ 60 ,00p/veículosleves 17anos12 ‘‘DISTRIBUINDO RESULTADOS’’

[close]

p. 13

13

[close]

p. 14

INVESTIMENTOS DE VERÃO Esquentando os negócios Paulo Galvão Reis conheceu a Oggi em uma feira de franquias em São Paulo, capital Altas temperaturas do verão araraquarense impulsionam empresários locais a investir em novas ideias, aquecendo o lucro para o começo deste ano. Araraquara é uma cidade “quente” praticamente o ano todo. E quando chega o verão, as temperaturas atingem níveis altíssimos, agradando alguns, desapontando outros. O fato é que esse período pode ser uma boa oportunidade para empreendedores mergulharem em negócios típicos desta estação. Dentro desta atmosfera podemos citar o professor de educação física Paulo Galvão Reis, que após décadas de ensino infanto juvenil, parou de lecionar para ser empresário de um ramo extremamente gelado e saboroso: a venda de sorvetes. Porém, sua ideia é ousada e única em nossa cidade. Após uma visita a uma Feira de Franquias em São Paulo/SP, Reis ficou encan- tando com o mecanismo de trabalho e também com a qualidade da Oggi Sorvetes & Cia. “Voltei pra casa com muitas ideias, mas a Oggi comigo. Depois de muito Diversos freezers garantem os mais variados sabores para os clientes pensar, juntei minha intuição ao fato da nossa cidade ser muito quente e arrisquei, afinal, nada melhor que um sorvete gostoso para aliviar o calor, não é?”, conta o empresário. Instalada luxuosamente na Avenida Bento de Abreu há pouquíssimo tempo, a Oggi Sorvetes & Cia trabalha com uma nova forma de comercializar sorvetes em atacado (tanto picolés quanto massa) a partir de R$ 20. Complicado? Que nada. Qualquer compra acima deste valor, o cliente paga o preço diferenciado e mais justo. Este mecanismo vale para todos os produtos do local, que também apresenta uma linha diet exclusiva. “Além do alívio no bolso, nosso sorvete apresenta um sabor maravilhoso, que com certeza agradará os paladares da família araraquarense. Venham nos conhecer”, finaliza o empresário Paulo Galvão Reis. Assim, Araraquara une o útil ao agradável neste verão, disponibilizando sorvetes deliciosos para todos os gostos. 14

[close]

p. 15

NO BAR, COM OS AMIGOS E para quem prefere enfrentar o calor tomando aquele chopp e cerveja gelada após o trabalho, o boteco Pé na Cova, que abre suas portas a partir das 16h (de segunda a sexta e aos sábados, às 12h), aparece como a melhor opção no centro de Araraquara para refrescar a cabeça e curtir os amigos. Com diversas porções saborosas e generosas, o bar também oferece diariamente promoções especiais para seus clientes. Além da tradicional costela, aos sábados, a novidade do parmegiana também é uma delícia. Boa pedida são os pratos mexicanos. “A dica é ficar atento ao nosso facebook. Lá sempre tem alguma novidade”, informa Adriano Daltrini, proprietário do local. E uma delas é a realização do Carnaval, cujas datas já estão definidas: 25, 26, 27 e 28 de fevereiro. O tema deste ano é “Até defunto fica em pé”. A expectativa é que a festa do Pé na Cova seja uma das mais agitadas da cidade. O Boteco abre suas portas às 16h, tornando-se uma ótima pedida para um happy hour 15

[close]

Comments

no comments yet