Revista Anfamoto nº 137

 

Embed or link this publication

Description

Revista Anfamoto nº 137

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4

Editorial Um ano conturbado 2016 não foi um ano fácil. E como já fizemos em outras edições da Anfamoto em Revista, pediu a opinião de alguns dos principais empresários e lideres brasileiros sobre os setores que eles comandam. E como não poderia ser diferente, a opinião foi unanime, 2016 vai ficar para a história como um dos piores anos em termos de produção, perdas e demissões. Bem como as perspectivas para 2017, novamente, são de um ano retraído e com poucas expectativas. Mas não podemos deixar o clima da instabilidade político econômica nos paralisar, temos que criar oportunidades e vencer as dificuldades e obstáculos. Mostramos nessa edição, na seção “Sua Moto em Detalhe”, a utilização dos filtros de óleo, ar e combustível, a importância de manter essa peça sempre em bom estado de conservação para que não comprometa o funcionamento de sua motocicleta. Falamos ainda sobre sua utilização, hora da troca e lembramos sempre que o motociclista deve adquirir peças de boa procedência. Mostramos também como foi o jantar de confraternização da Anfamoto, que aconteceu no dia 15 de dezembro de 2016, na churrascaria Vento Haragano, num clima muito descontraído e de união. Nesse jantar o presidente da Anfamoto pode expor um pouco da retrospectiva do ano de 2016 e das perspectivas para 2017. Fique por dentro também dos lançamentos e novidades no cadernos de duas rodas e noticias de interesse dos leitores. Veja as dicas e lançamento de fabricantes e importadores de motopeças. Até a próxima. EDIÇÃO 137 - NOV/DEZ 2016 A responsabilidade sobre opiniões e fatos presentes nos artigos assinados na “ANFAMOTO em Revista” é exclusiva de seus autores, não exprimindo necessariamente o pensamento desta publicação nem a posição da ANFAMOTO. Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças Presidente: Orlando Cesar Leone 1º Vice Presidente: 2º Vice Presidente: Tesoureiros: Valdenir dos Santos Galvão Valério Valente Divino Jorge da Silva Amarildo Severino Fernandes Conselho Deliberativo - Presidente : Gianfranco Menna Zezze Membros do Conselho Deliberativo: Mônica Orlando de Oliveira Carlos Alberto Fiorotti Renan Chiabi Feghali Suplentes do Conselho Deliberativo: Nelson Pedro Scherer - In Memorian David Teixeira do Amaral Carlos Roberto Pontes Membros do Conselho Fiscal: Sandra Brandani Picinato José Jacob Fernandes José Mauricio Felipe Suplentes do Conselho Fiscal: Giancarlo Vancini Breno de Britto Teixeira Delvino Coser Coordenadores de Setoriais: Fabricante: Freios: Escapamentos: Capacetes: Valério Valente Valério Valente Anfamoto Anfamoto Coordenação Editorial: Fabia Helena Allegrini Pereira Editor responsável: Jacylete Abreu – MTB 825-CE Serviços Gráficos: Gráfica Nywgraf Editor de Arte: Luis Fernando L. Corrêa Secretaria: Patricia Sartori Coordenação de Eventos: Equipe Anfamoto ANFAMOTO em Revista: Equipe Anfamoto Assessora da Presidência: Fabia Helena Allegrini Pereira PUBLICIDADE & COMERCIAL Número de Registro: 823713350 Av. Nove de Julho, 3229 Cjtos 208/209/210 Jardim Paulista CEP 01407-000 - São Paulo-SP PABX: (11) 3052-2002 - Fax: (11) 3885-7637 E-mail: anfamoto@anfamoto.com.br - Site: www.anfamoto.org

[close]

p. 5



[close]

p. 6

Sumário Capa Palavra do Presidente Choque de realidade 8 Mercado Fabricantes de motos projetam alta de 2% na produção em 2017 10 Associado em Destaque TECFIL: Empresa 100% nacional,com 60 anos de fundação, que soube driblar a crise 14 Espaço Anfamoto Jantar de Confraternização da Anfamoto reúne associados e convidados em um clima alegre e descontraído 18 Capa: Nem bem acabava 2015 e já sabíamos que 2016 prenunciava muitas dificuldades. 20 Sua Moto em Detalhe A importância dos filtros de ar, 30 combustível e óleo. 20 Nem bem acabava 2015 e já sabíamos que 2016 prenunciava muitas dificuldades. Sua moto em detalhe 30 A importância dos filtros de ar, combustível e óleo. Evento Caderno Duas Rodas Fique por dentro das novidades do setor de duas rodas 32 Notícias 34 - Dicas & Lançamentos 42 - Lista de associados 45 32 Fique por dentro das novidades do setor de duas rodas

[close]

p. 7



[close]

p. 8

Orlando Leone Presidente CHOQUE DE REALIDADE Sempre que me preparo para escrever a palavra do presidente, procuro fazer um apanhado do que ocorreu no período, mas, principalmente quando chegamos ao final do ano, me preocupo em passar uma mensagem de otimismo e força para o ano seguinte. Nosso otimismo ficou muito acanhado frente à trajetória desastrosa da economia em 2016 que já vinha muito fragilizada, arrastando os problemas políticos econômicos de 2015. Em nosso tradicional balanço do ano em que consultamos presidentes de diversas entidades e nossos associados o que não faltou foram motivos para que esse ano fosse embora (e logo) sem deixar a mínima saudade: forte recessão, crise político econômica, desemprego, falta de crescimento, desconfiança, queda no PIB e outras tantas notícias negativas que nos sufocaram ao longo do ano. O ano novo chega com o peso e a responsabilidade de nos desvencilharmos do cenário pavoroso criado no ano anterior. Mas também, não podemos ignorar que algumas sementes foram plantadas e que devemos cultivá-las. A sociedade brasileira mobilizou-se contra a corrupção e impunidade que há anos imperava no país, ainda que tímido esse movimento vem ganhando força. Outro acontecimento que trará suas consequências para 2017 foi o impeachment. Ele trouxe mudanças concretas na política ecônomica, e reforçou a confiança de que o país ao menos voltaria a crescer. A balança comercial voltou a registrar superávit, empresários e consumidores começaram a reagir e voltamos a atrair investimentos estrangeiros. Com tudo isso o real voltou a se valorizar perante o dólar, o alto desemprego fez com que o consumo caísse e caiu também por consequência a inflação e isso propiciou ao Banco Central iniciar um processo de redução da taxa de juros que deve permanecer assim ao longo do ano, salvo se houver algo muito grave. Quem sabe retomaremos o ciclo virtuoso: a redução da taxa de juros permitirá a retomada do crédito que facilitará o consumo e atrairá mais investimentos e finalmente gerará mais empregos e por consequência crescimento econômico. Ai vem o choque de realidade. 2017 não será um ano maravilhoso, será um ano de luta de reconstrução do mercado financeiro e de adaptação à nova realidade para a economia, indústria e varejo. Mas também, será um ano em que a expectativa de melhora começa a tomar forma. Apesar de medidas impopulares como a da reforma da previdência, da tensa aprovação da PEC do teto dos gastos públicos por 20 anos, e do embate legislativo-judiciário, da já anunciada queda no PIB, temos que acreditar na força do nosso mercado e do nosso trabalho. Precisamos trabalhar para que 2017 seja produtivo e menos pior que os dois últimos anos. É o momento de renovarmos nossas forças e energias para esse ano que se inicia. Da nossa parte a Anfamoto continuará trabalhando para cumprir sua missão e promover o desenvolvimento sustentável do setor, contribuindo para geração de empregos e mais oportunidade. Os empresários devem se manter unidos como pilar de desenvolvimento do segmento. Momentos difíceis não significam momentos sem solução, mesmo que cercados de incertezas. Vamos estar atentos às oportunidades e agarrá-las e desse modo usar o cenário atual com inteligência para nosso planejamento e ação. A todos os nossos associados, familiares, leitores e amigos, um excelente 2017 com muita esperança, coragem e sabedoria para enfrentarmos os desafios. Forte Abraço, Orlando Cesar Leone Agenda Dezembro 13 – Reunião Extraordinária de Diretoria 15 – Jantar de Confraternização Janeiro 13 – Reunião administrativa 18 – Reunião INMETRO/RJ |||| 08 | ANFAMOTO em Revista | Edição 137

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Mercado Fabricantes de motos projetam alta de 2% na produção em 2017 Em 2016 saíram das fábricas 29,5% menos motos que em 2015. Crise fez indústria recuar ao nível de 2002, compara Abraciclo. das. Ainda assim, a projeção para as vendas é de queda de 1,1% nas lojas e de 4,1% no atacado (vendas para concessionárias). No acumulado de 2016, os emplacamentos somam 818.956 unidades, considerando as cinquentinhas usadas que passaram a ter os licenciamentos fiscalizados nos estados. Entretanto, o volume é de 26,7% menor que o de 2015, que teve 1.116.735 motos emplacadas entre janeiro e novembro. De acordo com a Abraciclo o Brasil produziu 29,5% menos motos em 2016, até novembro, em comparação com o mesmo período de 2015. Apesar desse cenário as montadoras projetam que em 2017, haverá um crescimento de 2,2%, também na comparação anual. De janeiro a dezembro de 2016 foram produzidas 854.839 motos. A produção de motocicletas em 2016 voltou aos patamares de 2002 e demandou ajustes na estrutura de toda a cadeia produtiva, fornecedores, fabricantes e concessionárias. Mas a expectativa do setor para 2017 é de atingir resultados semelhantes ao do ano anterior. Devemos também levar em conta que esse ano será realizado o Salão das Duas Rodas que deve contribuir com as ven- Exportação - É esperada alta de 66,1% nas exportações sobre 2016, que tem um patamar bem baixo: de janeiro a novembro, as vendas de motos ao exterior caíram 16,7% na comparação com os primeiros 11 meses de 2015. Foram 52.620 unidades exportadas contra 63.179 no ano passado. Fonte: Abraciclo |||| 10 | ANFAMOTO em Revista | Edição 137

[close]

p. 11



[close]

p. 12

Mercado |||| 12 | ANFAMOTO em Revista | Edição 123

[close]

p. 13



[close]

p. 14

Associado em destaque TECFIL: Empresa 100% nacional, com 60 anos de fundação, que soube driblar a crise Fundada em 20 de março de 1953 pelo então vendedor de motores na Mesbla Abílio Gurgel, a Tecfil iniciou suas atividades fabricando filtros especiais para máquinas industriais. Na época a indústria automobilística nacional dava os primeiros passos e precisaria cada vez mais de filtros automotivos, produto que era importado em sua grande maioria. Antes mesmo de completar 10 anos de existência a empresa já contava com 45 funcionários e era capaz de produzir cerca de 1.200 filtros/dia. Tudo era acompanhado de perto pelo proprietário, desde o processo de fabricação até a venda final do produto. Atualmente a Tecfil fabrica 170.000 filtros/dia, entre filtros de ar, óleo, combustível, ar condicionado e filtros especiais e conta com 1.500 colaboradores, possuiu 3 unidades sendo 2 unidades fabris e 1 Centro de Distribuição, com uma área total de mais de 118.000m². Suas unidades fabris possuem alta tecnologia com máquinas e laboratórios de última geração. Conquistou pela 9ª vez em 2016 o prêmio “Uma das 150 melhores Empresas para se Trabalhar” do Guia Você S/A Exame. A Tecfil vem conquistando também o mercado externo ao longo dos anos, tendo uma participação cada vez mais significativa. Exporta diretamente para 26 países e indiretamente para mais de 40. Exportamos para Argentina, Chile, Bolívia, Uruguai, Paraguai, Equador, Peru, Colômbia, Venezuela, Panamá, Costa Rica, Honduras, El Salvador, República Dominicana, Guatemala, Estados Unidos, Portugal, Alemanha, Rússia, Angola, Egito e Nigéria. O crescimento do setor automotivo do País, na década de 50, ajudou a empresa a se estabelecer. Foi um crescimento vertiginoso, mas nem sempre as coisas foram fáceis, pois inevitavelmente a Tecfil participou e enfrentou todas as crises pelas quais o país passou nos últimos 50 anos. Houve uma época em que as condições eram tão difíceis que a empresa quase faliu. Nesse momento os filhos do fundador, Abílio e Arthur assumiram a administração da empresa e implementaram um novo modelo de negócio e de gestão. Foram tempos difíceis, mas a receita deu certo. Hoje a empresa é líder no mercado de reposição e a maior do país com capital 100% nacional. Mesmo com o cenário de crise atual temos batido metas consecutivas - a crise passa longe! Com um conceito moderno, pioneiro e altamente eficaz de gestão horizontal, quatro diretores tomam as decisões na Tecfil, abolindo o cargo de presidente. “A nossa liderança tem um segredo: é baseada em pessoas!” comenta Simone Minhoto Queiroz – Supervisora de Marketing. E mesmo em meio à crise que estamos vivendo, o mercado de motocicletas, seja ele de venda ou re- |||| 14 | ANFAMOTO em Revista | Edição 137

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet