I Coríntios -01

 

Embed or link this publication

Description

Corinto era o centro comercial da Grécia. Era um lugar em que se praticavam muitas religiões, a maioria das quais bastante sensuais. Mais de um milhar de prostitutas sagradas serviam no Templo de Afrodite. Este facto deve ter contribuído bastante para a r

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

introduÇÃo corinto era o centro comercial da grécia era um lugar em que se praticavam muitas religiões a maioria das quais bastante sensuais mais de um milhar de prostitutas sagradas serviam no templo de afrodite este facto deve ter contribuído bastante para a reputação imoral da cidade À igreja localizada nesta cidade paulo escreveu a carta que vamos estudar mais ou menos no ano 54 d.c na cidade de Éfeso uma outra carta ele já havia escrito mas perdera-se 5:9 a razão que o levou a escrever esta carta foi dar resposta a um número de questões postas pelos coríntios numa carta que lhe tinham escrito anteriormente 7:1 É uma carta muito prática o autor contesta perguntas feitas pelos irmãos resolve problemas da igreja e dá uma sã doutrina para sua consideração o prático desta epístola é a sua importância para os dias de hoje sendo de grande valor para as nossas igrejas como passaremos a apresentar o propósito deste estudo é recordarmos que desde o antigo testamento a unidade entre os crentes se apresenta como o desejo de deus para o seu povo canta o salmista oh quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união salmo 133:1 júlio sérgio felizardo

[close]

p. 3

recursos do cristÃo 1:1 a 9 as cartas antigas começavam com o nome de remetente vindo em seguida a do destinatário e uma palavra de apreço e saudação em todas as cartas de paulo encontramos este princípio muito original paulo dá à igreja um nome excelente igreja de deus no qual se percebe a dignidade do grupo a que se dirige não se trata de uma sociedade humana para fins humanos e sim de um grupo de origem divina para um propósito divino ter em mente a dignidade da igreja é factor decisivo para dignificar o sentimento dos membros a igreja de corinto era uma mistura de pessoas e personalidades diferentes mas tinham algo em comum foram chamados a ser santos seus pecados tinham sido perdoados e decidiram seguir o exemplo do senhor mas necessitavam duma obra de graça mais profunda a igreja lutava com problemas de carácter doutrinário moral social e espiritual depois de descrita a igreja desde logo se percebe a razão desta carta trata-se de obter a coexistência harmónica que um grupo de personalidades distintas com diferentes graus de cultura e diferentes padrões morais com gostos inclinações tendências índoles profissões e interesses diversos em desiguais graus de aperfeiçoamento assim paulo chama a atenção dos coríntios para alguns factos importantes afirmando-lhes que o redimido por cristo tem muitos recursos e todos eles ricos para permanecer no caminho da vida.

[close]

p. 4

vejamos 1 sua chamada 1-2 a paulo era chamado pessoalmente por deus 1 b a igreja é chamada por deus 2 este verso ensina nos que a carta contempla um círculo maior que a igreja local todos os que em todo o lugar invocam o nome c somos chamados à separação santos santificados d somos chamados a levar a palavra de deus ao mundo 2 a graça 3-4 a graça é quando se recebe o bem que não se merece a salvação perdão de pecados herança e vida eterna b deus é a fonte da graça e jesus é o canal c salvação é o resultado 3 a paz 3 a paz com deus romanos 5:1 b paz com os homens 4 riquezas 5

[close]

p. 5

a quando alguém recebe a cristo chega a ser herdeiro de deus b há riqueza em abundância joão 10:10 c cristo é a riqueza colossenses 1:27 filipenses 4:19 4 esperança da segunda vinda de cristo 6-8 as divisÕes na igreja 1:10-31 a igreja de jesus cristo é uma comunidade fundada em amor a igreja fundamenta-se também no amor do crente para com deus mateus 22:37 além do amor a deus a igreja existe em função do amor dos crentes uns para com os outros a o livro de actos dos apóstolos oferece-nos registos breves mas reveladores da comunhão fraternal na igreja primitiva os crentes estavam unidos actos 2:44-45 o amor de uns para com os outros movia os cristãos a dividirem as suas posses com os mais necessitados b nas epístolas paulo testemunha o amor existente nas igrejas do seu tempo os crentes da macedónia e de acaia responderam positivamente e de imediato ao apelo de socorro aos irmãos da judéia por outro lado os crentes da judéia beneficiados pelo amor e liberalidade dos de

[close]

p. 6

macedónia e acaia demonstram ardente afecto por eles ii coríntios 9:14 c paulo não cessava de dar graças a deus pelo amor dos efésios para com todos os santos efésios 1:15-16 principalmente para com ele d ele sentia-se profundamente tocado com a participação dos filipenses nos seus sofrimentos porque um profundo amor fora gerado em seus corações e o apóstolo quer mais que o vosso amor aumente mais e mais filipenses 1:9 e os colossenses também experimentaram o amor para com todos os santos colossenses 1:4 poderíamos fazer mais referências bíblicas que mostram as igrejas primitivas respirando em ambiente de amor que estas nos sirvam de exemplo mas não havia apenas amor na igreja primitiva como poderíamos pensar havia alguns graves problemas por vezes somos assaltados por um complexo de inferioridade quando comparamos nossas igrejas com as dos tempos neo-testamentários e imaginamos as igrejas do primeiro século como perfeitas em santidade e amor É bom lembrar para nosso consolo que os crentes das igrejas daqueles tempos eram homens e mulheres como nós sujeitos às mesmas paixões e falhas e aos mesmos pecados havia amor mas existia também falta de amor hipocrisia orgulho vaidade.

[close]

p. 7

eis alguns exemplos a ananias e safira não agiram com sinceridade e amor quando mentiram sobre o valor da venda da sua propriedade actos 5:1-10 ao tentarem imitar barnabé pelo negativo quando este foi verdadeiro actos 4:36-37 b em certa altura houve necessidade de serem escolhidos sete homens para servirem às mesas actos 6:1-6 porque estavam acontecendo algumas irregularidades e preferências indevidas no serviço de beneficência da igreja de jerusalém c na carta aos gálatas paulo usa uma linguagem dura jamais dirigida a pessoas que se amam realmente gálatas 5:15 d paulo queixou-se daqueles que o abandonaram com referência especial a alexandre o latoeiro que lhe fez muito mal ii timóteo 4:14 e o escritor da carta aos hebreus sente necessidade de apelar à consideração entre os irmãos no amor e às boas obras hebreus 10:24 f joão na sua terceira carta refere-se em tom de lamento a diótrefes que se servia de uma posição elevada para exercer uma influência maléfica entre os crentes vv.8,10 verificamos nesta carta que paulo se entristeceu com a falta de amor na igreja de corinto que enfrentava problemas relacionados com sérias dissensões a igreja

[close]

p. 8

estava dividida não devido a uma base teológica mas sim por causa de lealdade a certos líderes 12 É possível que tudo tenha começado quando os membros da igreja expressaram a sua preferência por este ou aquele líder daqui partiram para a discussão de qual deles seria o melhor dentro de pouco tempo estas preferências perfeitamente honestas e inofensivas começaram a criar divisões na igreja a fidelidade a um líder humano estava a sobreporse à fidelidade a cristo a igreja de corinto embora ricamente dotada 1:5 e cheia de entusiasmo estava dividida dividida por uma causa de lealdade a alguns líderes 12 nada existe que possa ser tão nocivo à vitalidade de uma igreja como o partidarismo ele faz os posicionamentos as energias os esforços concentrarem-se e girarem em torno de homens com finalidades egoístas em vez de servirem a jesus cristo paulo identifica quatro partidos na igreja 1 havia os liberais um grupo estava ao lado de paulo talvez por ter sido ele que levou o evangelho a corinto era formado pelos que davam ênfase à libertação do jugo da lei judaica dando apoio à posição de paulo que sempre havia pregado o evangelho da liberdade cristã e o fim da lei 2 havia os intelectuais e filósofos um segundo grupo que tinham apolo pregador judeu chegado a corinto depois

[close]

p. 9

de paulo partir actos 18:18 19:1 vindo de alexandria actos 18:24-28 e que era possuído de elevada elequência seus seguidores os intelectuais se influenciavam mais pela forma de expressão do que pelo conteúdo doutrinário da mensagem seu propósito era tornar que o cristianismo se convertesse numa filosofia em vez de uma religião 3 havia os legalistas um terceiro partido que se agregava à volta de pedro cefas eram os membros judaicos firmavam-se na religião de seus pais na lei e no cerimonialismo ao fazê-lo tiravam valor à graça este grupo atraía os mais tradicionais que queriam um líder que tivesse acompanhado a cristo 4 havia os cristãos que tinham cristo como o seu herói e que eram os mais perigosos devido ao seu orgulho espiritual que se julgavam melhores crentes que os demais desprezavam a união com qualquer grupo e ostentavam arrogantemente sua liberdade em cristo 6:12 sua verdadeira falta não estava em dizer que pertenciam a cristo mas em não actuarem como se lhes pertencessem paulo demonstra que a sabedoria mundana que os coríntios tanto valorizavam é a própria antítese da sabedoria de deus 18-25 a pregação refere-se ao conteúdo da mensagem e não ao método de sua apresentação 19 ao fazê-lo paulo menciona que a causa fundamental dos problemas que

[close]

p. 10

perturbavam a igreja de corinto era a carnalidade dos crentes por serem ainda meninos imaturos 3:1-2 outras questões que dividiam a igreja incluíam a a libertinagem a devassidão 6:13 b o relacionamento entre homens e mulheres na igreja 11:2-16 c leis sobre os alimentos 8:10 10:25 d o falar em línguas cap 14 e a ressurreição dos mortos cap 15 realcemos a maneira como paulo se refere aos coríntios irmãos em dois versículos 10,11 ao usar esta palavra paulo demonstra duas coisas a suaviza a censura esta não provém do mestre com uma vara mas de alguém que não sente outra coisa que amor b a mesma palavra servia para lhes mostrar quão erradas eram as divisões eram irmãos e deveriam viver no amor fraternal ao tentar uni-los paulo utiliza duas frases interessantes 1 que não haja dissensões entre eles 10

[close]

p. 11

2 que estejam bem unidos 10 os cristãos deviam estar perfeitamente unidos em um mesmo sentido e em um mesmo parecer isto não significa que tinham que concordar em tudo pois paulo refere se a espírito de entendimento não de opinião deviam resolver os problemas e as diferenças de opinião no espírito de cristo e de acordo com os seus propósitos depois de repreendê-los pela sua carnalidade paulo dálhes a conhecer a função dos pregadores eram cooperadores um começa o trabalho lança a semente outro dá continuidade rega a plantação nem o que inicia entretanto nem o que continua podem receber honra porquanto só deus pode dar o crescimento à sua obra 3:4-7 os argumentos que paulo usou para reconduzir os coríntios ao bom senso foram os seguintes 1 um só cristo será que cristo está dividido 1:13 cristo não está dividido o cristo em quem cremos cabeça da igreja é um só qual a razão por que nós seus seguidores e servos nos dividimos e nos colocamos em lados diferentes tendo um cristo só devemos ser um povo unido não pode haver possibilidade de quem o estiver seguindo andar em direcções divergentes ou opostas 2 um só redentor foi paulo crucificado por amor de vós 1:13

[close]

p. 12

o pregador fosse quem fosse não foi crucificado pelos coríntios nenhum homem fora o autor da obra da salvação só uma pessoa tinha condições de morrer em nosso lugar ele morreu por todos morreu por mim morreu pelo meu irmão se somos salvos por um mesmo salvador redimidos por um mesmo redentor deveríamos estar mais unidos trabalhar mais unidos servir mais unidos 3 um só baptismo fostes vós baptizados em nome de paulo 1:13 isso quer dizer que a entrada para a igreja não era feito em nome de qualquer homem mas da trindade ninguém havia sido baptizado em nome de nenhum desses homens mas no nome do pai do filho e do espírito santo antes de nos submetermos ao baptismo todos nós que estamos na igreja demos pública profissão de fé em jesus fomos pois baptizados em seu nome o baptismo do meu irmão é o meu baptismo também 4 um só senhor que é apolo e quem é paulo servos por meio de quem crestes e isto conforme o senhor concedeu a cada um 3:5 não é a elequência que salva todos somos salvos mediante a cruz os homens por melhores que sejam não passam de cooperadores 3:9 instrumentos servos do senhor a sabedoria humana nunca descobriu a deus nem foi capaz de idealizar um plano de salvação nós todos

[close]

p. 13

servimos ao mesmo senhor não é isso uma razão importante para fazermos cessar as dissensões entre nós 5 uma só lavoura vós sois lavoura de deus 3:9 os crentes de corinto não eram lavoura de pregadores e sim de deus todos nós não obstante as diferenças somos frutos da lavoura do senhor não pertencemos a lavouras diferentes não se justifica que andemos trabalhemos e sirvamos colocando obstáculos uns aos outros 6 um só edifício vós sois edifício de deus 3:9 paulo não diz que somos cada um de nós um edifício separado mas em conjunto formamos um edifício já imaginámos as pedras de um edifício atacando-se umas às outras o edifício não resistiria em breve desmoronaria É isso que desejamos para a nossa igreja 7 um só fundamento ninguém pode lançar outro fundamento o qual é jesus cristo 3:11 o fundamento do edifício de deus é jesus cristo se alguém tem um fundamento diferente de jesus cristo não deve estar na igreja mas se o único fundamento de todos nós do edifício que somos é jesus cristo não temos razão para nos dividirmos em grupos que lutam um contra o outro 8 um só santuário não sabeis que sois santuário de deus 3:16

[close]

p. 14

chamamos o templo de santuário mas o verdadeiro santuário de deus é a igreja nós somos santuário individualmente porque o espírito habita em nós juntos somos santuário como igreja o mesmo espírito que habita em mim habita no meu irmão esse facto tira toda a razão para as nossas dissensões agressivas e desgastantes as dissensões têm muitos perigos elas concorrem para o aniquilamento do espírito que deve nortear nossas igrejas contribuem para o seu enfraquecimento entre outros males podemos salientar os seguintes a impede a prática do amor entre os crentes porque os divide em vez de os aproximar passando a lutarem uns contra os outros b quebra a força espiritual da igreja e sua capacidade de acção diante do mundo pois ela passa a actuar como casa dividida c impede a edificação da igreja porque dá lugar a sentimentos cada vez mais baixos a intrigas mexericos iras orgulho ofensas etc d escandaliza os do mundo vivem naturalmente em constante conflito cada qual procurando sobrepor-se aos outros os filhos de deus porque são novas criaturas devem viver em amor em harmonia e enfraquece a fé muitos crentes decepcionados com a dissensão se retiram ou se tornam indiferentes na igreja.

[close]

p. 15

havia crentes na igreja primitiva que agiam com hipocrisia e maldade mas a ausência de amor por parte destes não impedia que muitos buscassem a vontade de deus e se esforçassem para a existência de um ambiente de amor e comunhão fraternal por outro lado o facto de muitos hoje não darem a sua colaboração pessoal e espiritual para que as igrejas se tornem comunidades de amor não invalida o nosso anseio e o nosso esforço nem significa que seja impossível o amor entre nós o amor é possível como iremos estudar mais tarde cap 13 mangualde janeiro de 2001 júlio sérgio felizardo

[close]

Comments

no comments yet