Revista Dataprev Resultados - N.º 13

 

Embed or link this publication

Description

A Revista Dataprev Resultados é um dos principais instrumentos de divulgação da empresa. Tem como foco a apresentação das ações realizadas pela Dataprev.

Popular Pages


p. 1

Revista Dataprev Ano 7 • Nº 13 JOÃO PESSOA TIER III Dataprev conquista certificação de padrão internacional em design para data centers RIO DE JANEIRO FORTALEZA FLORIANÓPOLIS NATAL TECNOLOGIA A SERVIÇO DA CIDADANIA

[close]

p. 2



[close]

p. 3

CONHEÇA O PORTAL DE SERVIÇOS www.dataprev.gov.br

[close]

p. 4

SUMÁRIO 8 CAPA UNIDADES DE DESENVOLVIMENTO COMPLETAM DEZ ANOS DE INOVAÇÃO A SERVIÇO DA CIDADANIA Presentes em cinco estados, UDs tiveram papel fundamental para o aumento da capacidade produtiva da empresa Desenvolvimento 12 Hackathon: Aplicativo que permitirá ao trabalhador verificar benefícios previdenciários vence maratona de programação da Dataprev

[close]

p. 5

Desenvolvimento 16 Mineração de dados contribui no combate a inconsistências 20 Sistema que reúne dados de Registro Civil é usado por 90% dos cartórios 18 Nova folha da Previdência passa por testes em nova plataforma 21 Painel traz dados em tempo real sobre serviços do Ministério do Trabalho Relacionamento 22 Portal de Serviços: Ambiente oferece teste de produtos on-line para clientes Tecnologia 26 Data centers recebem certificação internacional Tier III 28 Novo processo de automação garante mais segurança em data centers 30 Novos servidores X86 ampliam oferta de serviços em nuvem Gestão 33 Grau de maturidade em TI avança em 2016 37 Nova versão de sistema de gestão integrada aumenta produtividade 34 Rankings colocam empresa entre as melhores do segmento 40 Escritório reúne informações gerenciais para apoio a tomada de decisões Transparência 42 Integridade Corporativa busca consolidar cultura de gestão de risco e ética Previdência complementar 44 Fundo de pensão quer atrair nova geração de empregados 45Responsabilidade socioambiental Empresa capacita mais de 400 jovens aprendizes Inclusão 46 Tod@sWeb: Portal Dataprev conquista Prêmio Nacional de Acessibilidade 48 Ações buscam integrar pessoas com deficiência no trabalho

[close]

p. 6

EDITORIAL 6 Revista Dataprev Resultados Ano 7 • Nº 13

[close]

p. 7

Há 10 anos, a Dataprev iniciava um ciclo de gestão com foco em resultados que a transformou em uma empresa equilibrada financeiramente, com uma infraestrutura tecnológica modernizada, posicionando-a entre as grandes do segmento. A aposta em um novo modelo de desenvolvimento resultou num aumento da sua capacidade produtiva e na melhoria do atendimento a novas demandas e clientes. Foi a decisão certa. Peças fundamentais para essa virada, as chamadas Unidades de Desenvolvimento de Software (UDs) nos ajudaram a recuperar a capacidade de entrega, ganhando escala na produção de novas soluções e deixando para trás o estigma de uma empresa ineficiente, que não conseguia cumprir seus prazos. Mudança que se refletiu na nossa carteira de contratos, que inclui, atualmente, mais de uma dezena de clientes governamentais e instituições financeiras públicas e privadas. Nosso quadro de desenvolvedores também cresceu: de 90 passamos para 736 analistas, que constroem as aplicações usadas no atendimento aos cidadãos. São cinco UDs – Natal, Rio de Janeiro, Fortaleza, João Pessoa e Florianópolis - que trabalham seguindo o mesmo padrão de desenvolvimento, as mesmas ferramentas e a mesma estrutura, garantindo, assim, a qualidade do serviço prestado. Nosso portfólio atual conta com mais de 140 produtos transacionais e analíticos, todos criados para facilitar a vida do usuário. Ganha a empresa, ganha o cliente e ganha o cidadão. A Dataprev é vista hoje como uma empresa que se compromete e entrega soluções. Prova disso é que segue como prioridade a implantação da nova folha de pagamento de benefícios da Previdência Social, que gera crédito de aposentadorias, pensões e auxílios para mais de 33 milhões de pessoas no país. Parte do programa de desativação de mainframes na Dataprev, desde o início de 2016, a nova folha do INSS roda na plataforma baixa, em paralelo com a antiga, na plataforma alta. Os níveis de conformidade já ultrapassam os 99% há vários meses e continuamos trabalhando para alcançar os 100%. O processo de convivência entre as plataformas é extremamente complexo e envolve desafios constantes dentro da empresa, mas a expectativa é concluir toda a operação até meados de 2017. O fim desse processo significa mais agilidade na implementação das soluções que apoiam programas sociais relevantes para a população. Mas o nosso compromisso não se restringe a aperfeiçoar processos e serviços. Queremos também inovar e os próximos anos prometem ser desafiadores. Demos um passo importante nesse sentido ao promover na empresa, em setembro, o Hackathon, primeira maratona de desenvolvimento de software para mobile. Trinta e cinco projetos, com viabilidade e utilidade comprovadas, foram apresentados em todo o Brasil. Os vinte melhores foram escolhidos por meio de votação aberta aos empregados, e uma comissão técnica selecionou os cinco finalistas para desenvolver protótipos. Foram 43 horas ininterruptas de programação até chegar ao vencedor: um aplicativo inovador que permitirá ao trabalhador verificar os benefícios previdenciários a que tem direito. A solução será produzida pela Dataprev e oferecida como mais um produto para clientes governamentais. Em direção semelhante, cujo foco é a inovação, as novas tendências do mercado de TI mundial nos direcionam a concentrar esforços e aumentar o investimento no segmento de Analytics – trabalho analítico e inteligente de grandes volumes de dados, estruturados ou não, que são coletados, armazenados e interpretados por softwares de altíssimo desempenho. No serviço público brasileiro, essa é uma ferramenta ainda nova, que começou a ser explorada há menos de 5 anos. A Dataprev é pioneira em oferecer o serviço e, em parceria com áreas do governo, desenvolveu projetos-piloto de Mineração de Dados, Data Discovery e Big Data. O uso dessas informações é de grande ajuda na tomada de decisões e permite ao cliente prever efeitos e impactos significativos no seu negócio. Essa é, sem dúvida, uma grande janela de oportunidades e pode se tornar nosso carro-chefe no futuro. Para fechar o ano de 2016, nada melhor do que um reconhecimento de padrão internacional. A Dataprev recebeu a certificação Tier III em design para os data centers do Rio de Janeiro e de São Paulo. O selo atesta o nosso atendimento a requisitos específicos de segurança e disponibilidade da infraestrutura de TIC e nos coloca em um patamar ímpar de poucas empresas no Brasil e no mundo que têm essa classificação. Que venham os novos desafios. Boa leitura. Rodrigo Assumpção Presidente Ano 7 • Nº 13 Revista Dataprev Resultados 7

[close]

p. 8

CAPA INOVAÇÃO E TECNOLOGIA A SERVIÇO DA CIDADANIA Unidades de Desenvolvimento de Software tiveram papel fundamental para o aumento da capacidade produtiva da empresa. Em cinco estados, analistas constroem soluções que apoiam os clientes no atendimento ao cidadão 8 Revista Dataprev Resultados Ano 7 • Nº 13

[close]

p. 9

Há dez anos, a Dataprev criava mais do que suas primeiras Unidades de Desenvolvimento de Software. Iniciava, em 2006, um ciclo que a transformou em uma empresa equilibrada financeiramente, com uma infraestrutura tecnológica modernizada e uma gestão com foco em resultados. Nessa virada, as UDs tiveram papel fundamental, não só para o aumento da capacidade produtiva da empresa, como para o atendimento a novas demandas e novos clientes. Instaladas em Natal (RN), no Rio de Janeiro (RJ), em Fortaleza (CE), João Pessoa (PB) e Florianópolis (SC), as Unidades de Desenvolvimento são responsáveis pelo desenvolvimento, pela manutenção e evolução de mais de 140 produtos transacionais e analíticos. Se há uma década havia 90 analistas de TI distribuídos em três estados, hoje os desenvolvedores responsáveis por construir as aplicações que são usadas no atendimento a cidadãos em agências da Previdência Social e postos conveniados do Sistema Nacional do Emprego, por exemplo, já somam 736. “As UDs foram o grande marco da virada. A Dataprev era vista como uma empresa que não conseguia fazer entregas, por uma série de razões. Com a chegada das Unidades de Desenvolvimento, em 2006, mudamos o jogo. Ali de fato os nossos clientes modificaram a visão deles sobre a Dataprev”, afirmou o diretor de Relacionamento, Desenvolvimento e Informações, Rogério Mascarenhas. “As UDs trouxeram um novo paradigma de atendimento. Procuramos estabelecer um padrão de desenvolvimento que nos permitisse reverter esse quadro de não entrega”, completa. A reversão desse quadro resultou na diversificação da carteira de clientes. Se há pouco mais de dez anos a empresa atendia predominantemente à Previdência Social e ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), em 2016 a carteira de contratos inclui mais de uma dezena de clientes governamentais e instituições financeiras públicas e privadas. Projetos concluídos nesse período permitiram a modernização das aplicações e a qualificação de dados que servem à prestação de serviços ao cidadão. A partir da mudança de paradigma tecnológico na empresa, que adotou uma infraestrutura de TI baseada em plataformas abertas, as fábricas de software passaram a se dedicar ao desenvolvimento de soluções para apoiar seus clientes na melhoria e na ampliação dos canais de acesso a direitos. Estratégicas para a diversificação do portfólio de serviços da Dataprev, as unidades trabalham seguindo o mesmo padrão de desenvolvimento, as mesmas ferramentas e a mesma estrutura. Isso possibilita que uma mesma solução seja desenvolvida paralelamente por mais de uma UD, o que garante a qualidade e manutenção dos sistemas, indepen- dentemente de sua origem. Para Em cinco estados, o superintendente de Desen- volvimento de Software, Diogo 736 analistas de TI Pizaneschi, a padronização dos processos de desenvolvimento são responsáveis pelo agilizou as demandas e fez das unidades uma alavanca da desenvolvimento, pela empresa para as entregas. “A criação das UDs repre- manutenção e evolução senta um marco na forma como de mais de 140a empresa se estruturou para enfrentar um novo ciclo, carac- terizado principalmente pelo produtos transacionais desenvolvimento e pela entrega e analíticosde soluções para a plataforma baixa. A Dataprev, que tinha uma estrutura baseada em silos de conhecimento, em que cada área utilizava um conjunto de tecnologias, passou a ter um processo de desenvolvimento padronizado. Com a adoção dos padrões e processos com foco na qualidade e manutenção conseguimos, de forma organizada, ganhar escala na produção de novas soluções”, explica Pizaneschi. A descentralização geográfica das unidades, a adoção de ferramentas de apoio ao desenvolvimento e a evolução constante do processo de desenvolvimento também contribuíram para a consolidação do modelo. Uma distribuição lógica baseada na afinidade funcional das aplicações potencializa a produtividade. Ano 7 • Nº 13 Revista Dataprev Resultados 9

[close]

p. 10

CAPA 10 ANOS DAS UDs Em Fortaleza, no Ceará, está concentrado o desenvolvimento da nova folha de pagamento de benefícios da Previdência, que compõe o programa de desativação do mainframe CV3 (página 18). Mais do que ter seu processamento migrado da plataforma alta para baixa, a nova folha conta com características que trarão ganhos não só para o INSS, como também para a Dataprev. Os seus atributos incluem, por exemplo, maior flexibilidade, com a possibilidade de alteração da estratégia de geração de créditos conforme o mês processado. Em Natal, no Rio Grande do Norte, está reunida a maior parte dos projetos do Sistema de Gestão de Pessoas do Governo Federal (Sigepe), em que a Dataprev atua em parceria com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). O Sigepe vai atender mais de 1 milhão de pessoas, entre servidores, aposentados e pensionistas da administração pública federal. Até 2017, substitui o atual Sistema de administração de Pessoal (Siape), responsável pela produção das folhas de pagamento de mais de 200 órgãos. Já os desenvolvedores que atuam em João Pessoa, na Paraíba, estiveram sempre envolvidos na criação de novas soluções para o Portal Mais Emprego. O portal foi desenvolvido em 2011 em linguagem Java e abriga sistemas que abrangem não só a concessão do seguro-desemprego, 10 Revista Dataprev Resultados Ano 7 • Nº 13

[close]

p. 11

como a busca por vagas, por meio da Intermediação de Mão de Obra (IMO), e a consulta a cursos de qualificação profissional. A integração de bases de dados e a padronização de processos se traduziram em benefícios ao trabalhador, que passou a receber em menos tempo seu benefício. O portal facilitou ainda a busca por vagas, que antes eram mantidas em bases descentralizadas. O Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (Sirc), por sua vez, ficou sob responsabilidade das equipes de Florianópolis, em Santa Catarina. A plataforma — desenvolvida e operada pela Dataprev para captação e tratamento dos dados dos registros civis de nascimento, casamento, óbito e natimorto —contribui para aperfeiçoar a qualidade e a gestão dos registros das bases de dados governamentais e apoia o planejamento de políticas públicas (página 20). O Rio de Janeiro, por sua vez, se destaca pela manutenção dos sistemas da Receita Federal do Brasil (RFB) e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), recém-modernizados, além do desenvolvimento de aplicações mobile para o INSS, que permitirão o acesso a serviços da Previdência Social por telefones celulares e tablets. Fechado esse ciclo de entregas, o momento é de renovação. Segundo Pizzaneschi, é necessário buscar soluções inovadoras e acompanhar as novas tendências de integração de dados de forma cada vez mais ágil. “É muito claro para nós que, apesar do modelo atual das UDs ter se mostrado extremamente válido, já estamos entrando em um novo ciclo e precisaremos nos adaptar para continuar com a eficiência esperada. É preciso conceber soluções inserindo uma boa dose de inovação considerando novas possibilidades de integração de dados e sistemas para as novas soluções. Nossos processos devem ser aprimorados para garantir cada vez mais a agilidade e foco na entrega contínua de valor ao cliente, esse é nosso objetivo”, afirmou. Neste novo ciclo, segundo o diretor Rogério Mascarenhas, é fundamental acompanhar as novas tendências do mercado de TI mundial para que a empresa possa atender as expectativas e necessidades de seus clientes. “A nossa indústria está passando por uma transformação ímpar, com mudanças que envolvem computação cognitiva, a própria mobilidade, análise e inteligência de dados. Nós temos plena condição de dar conta desse desafio para a TI pública. Mas precisamos mudar a forma como encaramos essas mudanças e a maneira como estruturamos os processos”, ressalta Mascarenhas. “Nossa maior comemoração não é pelo que fizemos nesses últimos dez anos, mas como chegamos preparados para enfrentar a próxima década”, finaliza. 11Ano 7 • Nº 13 Revista Dataprev Resultados

[close]

p. 12

DESENVOLVIMENTO COM FOCO Dataprev NO CIDADÃO 12 Revista Dataprev Resultados Ano 7 • Nº 13

[close]

p. 13

Maratona com 43 horas de programação resultou em propostas de aplicações mobile para o apoio a políticas públicas e sociais Quarenta e três horas de duração, 20 analistas, cinco equipes e um objetivo: criar aplicações mobile — para uso em smartphones, tablets e outros dispositivos móveis — que atendessem às necessidades da empresa e de seus clientes no apoio a políticas públicas e sociais. Primeira maratona de programação realizada pela Dataprev, em setembro deste ano, o Hackaton teve como vencedor um aplicativo inovador que permitirá ao trabalhador verificar os benefícios previdenciários a que tem direito. A solução será produzida pela Dataprev e oferecida como mais um produto para seus clientes governamentais. “Esse é nosso objetivo, transformar a vida do cidadão. O Hackathon é mais uma maneira de alcançar isso. É uma alternativa para avançarmos no desenvolvimento, acompanhando em tempo real as transformações de TI e levando para nossos clientes e, consequentemente, para a população, o que há de mais moderno, prático e necessário no que compete à TI pública”, afirma o diretor de Relacionamento, Desenvolvimento e Informações da Dataprev, Rogério Mascarenhas. Todos os empregados foram convidados a concorrer e o resultado foi expressivo: 35 projetos apresentados, de desenvolvedores de diferentes estados, especialmente das cidades onde a empresa mantém Unidades de Desenvolvimento de Software. Em seguida, foram feitas apresentações de cada projeto para que todos os empregados da Dataprev pudessem escolher, por votação, os 20 melhores. Para concorrer, os projetos tinham que ter sua viabilidade e utilidade comprovadas. Na etapa seguinte, uma comissão de técnicos da empresa selecionou os cinco finalistas (ver quadro). Cada autor de projeto formou então uma equipe de quatro programadores para desenvolver sua ideia no prazo de apenas 43 horas ininterruptas. Toda a produção neces- sária foi providenciada para apoiar as equipes nesse período, como alimentação, áreas de descanso e laptops. As equipes de desenvolvedores ficaram imersas de 13 a 15 de setembro de 2016 em uma casa no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. A avaliação dos protótipos e a definição da equipe vencedora coube a uma banca julgadora composta por uma comissão multidisciplinar, com representantes da Dataprev, do governo e de clientes, além de especialistas e membros de universidades. Criado por um analista da Unidade de Desenvolvimento de Software Paraíba, o projeto vencedor foi um aplicativo de consulta aos serviços previdenciários, em que o trabalhador terá acesso a várias informações em tempo real, entre elas, o seu direito à aposentadoria e como proceder para adquiri-la. A proposta é que a solução ajude a diminuir as idas às agências do INSS e o número de ligações para a Central de Atendimento da Previdência. “Minha ideia foi justamente criar um sistema em que o trabalhador veja a Previdência como se fosse uma conta-corrente, verificando, por exemplo, quantas contribuições faltam para ter a aposentadoria”, contou Fabrício Vicente, que desenvolveu o projeto durante a maratona ao lado dos companheiros de equipe Miguel Queiroga, da Paraíba, e Hamon Barros Henriques e Ítalo Soares de Oliveira, ambos do Rio Grande do Norte. A equipe vencedora recebeu como premiação a participação de um integrante no Mobile World Congress 2017, que será realizado em Barcelona, entre 7 de fevereiro e 2 de março. Outros três participantes estiveram no congresso Agile Brazil 2016, que aconteceu em Curitiba, entre 7 e 9 de novembro. O diretor Rogério Mascarenhas: objetivo é transformar a vida do cidadão 13Ano 7 • Nº 13 Revista Dataprev Resultados

[close]

p. 14

DESENVOLVIMENTO HACKATHON IMERSÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS Alojados em uma casa no Rio de Janeiro totalmente estruturada para as atividades, os desenvolvedores trabalharam em regime de imersão para o desenvolvimento dos projetos. As equipes viraram a madrugada elaborando e testando as soluções. Todos os cinco projetos compreenderam aplicações móveis para serem utilizadas pelo cidadão. A realização do evento mobilizou equipes das áreas de Desenvolvimento de Software e Gestão de Carreira. Durante o trabalho, os participantes puderam aprender e trocar ideias com outros desenvolvedores sobre as melhores práticas para o desenvolvimento de ferramentas com diferentes tecnologias. O Hackathon promoveu ainda a interação entre os empregados da empresa, estimulando a criação de soluções voltadas para a política pública de tecnologia. “Pedimos ajuda aos colegas, e vice-versa, porque faz parte do jogo”, contou Luciano Figueiredo, gerente do Departamento de Gestão do Planejamento e Suporte do Atendimento. Ainda segundo Luciano, a empresa tem O termo ‘Hackathon’ “mentes criativas fantásticas” e precisava de algo significa ‘maratona como o Hackathon para criar produtos voltados de programação’ para atender melhor o cidadão, proporcionando e resulta da soluções relevantes para combinação das a sociedade. Em um cenário em que palavras inglesas as constantes inovações no setor de TI exigem das ‘hack’ (programar de empresas de tecnologia um grande esforço e forma excepcional) criatividade para acompanhar as necessidades e e ‘marathon’ mudanças do país, a Dataprev volta seu olhar e suas (maratona) ações para as experiências e diretrizes mundiais do setor. Segundo o superintendente Desenvolvimento de Software, Diogo Pizaneschi, o Hackathon é uma tendência internacional, que possibilita investir, reconhecer e aprimorar os talentos da empresa, tendo como resultado a criação e viabilização de soluções necessárias para acompanhar as transformações tecnológicas, principalmente no que diz respeito a mobile. “Nós vemos o quanto a empresa está mudando ao longo dos anos para atender as demandas do mercado de TI e do Brasil. Os produtos apresentados e desenvolvidos no Hackathon são muito bons, o que demonstra a condição favorável da Dataprev e de seus profissionais para acompanhar as evoluções tecnológicas. O Hackathon é uma iniciativa para que as ideias se tornem realidade. Para que cada dia mais possamos facilitar a vida das pessoas. Esse é o nosso compromisso. Por isso, estamos incentivando que esses protótipos e produtos se concretizem”, ressalta Pizaneschi. 14 Revista Dataprev Resultados Ano 7 • Nº 13 Conheça os cinco finalistas PROJETO VENCEDOR Expectativa de Direito aos Benefícios Previdenciários Autor: Fabrício Gustavo de Paiva Vicente Aplicativo permitirá ao trabalhador acessar seus registros da previdência social por meio de plataforma mobile, similar a uma conta-corrente. O contribuinte poderá checar seus dados previdenciários, pendências, extratos e direitos. Também é possível realizar o agendamento presencial em uma Agência da Previdência Social (APS), enviar documentos digitalizados e localizar a agência mais próxima. Haverá redução da sobrecarga de atendimento nas agências e na central telefônica 135.

[close]

p. 15

Atendimento Cognitivo na Dataprev Autor: Luciano da Silva Figueiredo Solução multiuso, disposta em uma plataforma mobile para smartphones ou tablets, que utiliza o reconhecimento de voz para ser usado no atendimento de serviços públicos em geral. Garante ao usuário maior agilidade no atendimento e controle das solicitações e seu respectivo retorno, sem intermediários. Diminui a burocracia, agilizando o processo e tornando mais eficaz os resultados. e-CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social Digital Autor: Wallace Roque de Figueiredo Dias Aplicativo para celular que permite ao trabalhador consultar de maneira prática seu registro e histórico de informações trabalhistas. Também é possível acessar outras informações do Ministério do Trabalho. Usuário poderá, ainda, receber informações de seu interesse e será fiscal de seus próprios direitos frente ao respectivo trabalhador. Emprego Aqui Autor: Carlos David Ribeiro Pasco Dias Permite a busca por vagas de emprego de acordo com a região, usando a localização do usuário através do GPS do celular, e acesso a outras informações sobre o mercado de trabalho, como a remuneração média regional de determinada ocupação. Reduz a ida aos postos do Sistema Nacional de Emprego (SINE) e possibilita a localização de outros serviços oferecidos pelos governos federal, estadual ou municipal, como hospitais e Agências de Previdência Social (APS), entre outros. Perícia Fácil Autor: José Felipe Ribeiro Araújo Aplicativo para orientar o segurado do INSS sobre auxílio-doença e como proceder para obter a perícia médica. Também permite o agendamento de consulta e a visualização de todo o histórico do processo pericial. Diminui o número de atendimento nas agências e na central telefônica 135. 15Ano 7 • Nº 13 Revista Dataprev Resultados

[close]

Comments

no comments yet