Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3



[close]

p. 4



[close]

p. 5



[close]

p. 6

04.12.16 – Culto de Adoração ao Rei da Glória – Culto de Santa Ceia – Bispo Adilson – II Reis 5.1-19 – Os mergulhos da cura. Introdução: A história da cura da lepra de Naamã traz um lindo ensinamento sobre o poder da humildade e da obediência à palavra de Deus. Naamã apesar de ser um estrangeiro, gentio sem conhecimento do Deus de Israel, creu na pequena, mas poderosa palavra de uma jovem escrava. E tudo é possível àquele que crer. Em 2 reis 5:1 encontramos expressões que descrevem sua personalidade, sua honra e sua habilidade no combate. "E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu SENHOR, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso." 2 Reis 5:1 E Naamã em sua necessidade de auto-afirmação como líder de um poderoso exército, em um tempo onde havia uma aliança de paz entre a Síria e Israel (para combater um inimigo comum que se expandia e ameaçava a ambos, a Assíria), pratica uma incursão chamada de [razia], e leva cativa uma jovem israelita. Mas a jovem israelita, ensinada nos caminhos do Senhor, guardou a palavra em seu coração. E não hesitou em lançar uma pequena semente, como a de uma semente de mostarda, enquanto cuidava dos afazeres domésticos da casa da mulher de Naamã. As escravas mulheres ficavam a serviço pessoal da dona da casa em que viviam. "E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra." 2 Reis 5:3 E esta pequena semente, encontrou terreno fértil no coração do general Naamã, que ao ouvir a mensagem da jovem israelita, imediatamente creu no Senhor. Aquela jovem ajudou a construir a paz. E Naamã certamente já havia tentado a sua cura através de incontáveis rituais, dirigidos a diversos deuses,

[close]

p. 7

especialmente a rimom [o original seria aqui "ramam", 'aquele que faz trovejar', uma designação ao deus hadade, também conhecido como baal, adorado por todo oriente antigo]. Porém, ele se apressa em conseguir uma carta de recomendação do seu rei, ao rei de Israel. Ainda que tais cartas fossem comuns no antigo oriente, as frequentes razias e investidas de Ben-Hadade contra o norte de Israel, fizeram o rei suspeitar que era uma disfarce de Naamã para mais um ataque. Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel. 2 Reis 5:8. Ele, depois de tanto esforço, esperava que Eliseu o recebesse e fizesse algum tipo de ritual mágico, algum tipo de oração forte, quem sabe um passe espiritual que o purificasse da sua lepra. "Então Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado." 2 Reis 5:10 Naamã esperava ter que fazer alguma coisa complicada, seguir alguma prescrição difícil, entretanto ele sai da casa de Eliseu com apenas uma simples palavra de obediência. Bastava somente a obediência à palavra de Deus. Era preciso humildade e quebrantamento de toda altivez de um homem acostumado a dar ordens e a comandar exércitos numerosos, a se submeter aos sete mergulhos do rio Jordão. "Porém, Naamã muito se indignou, e se foi, dizendo: Eis que eu dizia comigo: Certamente ele sairá, por-se-á em pé, invocará o nome do SENHOR seu Deus, e passará a sua mão sobre o lugar, e restaurará o leproso." 2 Reis 5:11 O rio Jordão "aquele que desce", está localizado em um vale que constitui um fenômeno único no mundo. Na sua fonte, no pé do monte Hermom, ele está a 563m acima do nível do mar e quando deságua no mar morto atinge 392m abaixo do nível do mar. E realmente, para se aproximar de Deus, muitas vezes é preciso trilhar pelo difícil caminho da descida e

[close]

p. 8

humilhação. Se Naamã não deixasse o seu orgulho, a sua autopercepção de altivez, ele não teria alcançado a cura. “Então desceu, e mergulhou no Jordão sete vezes, conforme a palavra do homem de Deus; e a sua carne tornou-se como a carne de um menino, e ficou purificado." 2 Reis 5:14 1. O primeiro era o mergulho de vencer o orgulho, e a vergonha de se expor. 2. O segundo era o mergulho toda roupagem do velho homem 3. O terceiro mergulho era de vencer a lógica humana já que ele era um general de milhares 4. O quarto era o mergulho vencendo a incredulidade já que ele não conhecia o Deus de Israel. 5. O quinto mergulho do conflito interior entre sua carne e o que ele deveria obedecer. 6. O sexto era o mergulho da fé. A fé que foi necessária para se chegar até aqui, a fé de que com apenas mais um mergulho a benção de Deus se manifestaria; 7. O sétimo mergulho era da perseverança, pela fé, crendo que a vitoria estava chegando. Conclusão: Naamã se converteu ao Deus de Israel de tal maneira que ele se justifica para ao profeta conforme 2 Reis 5.18... E nós devemos aprender com pessoas como Naamã, que a despeito do seu alto cargo ao receber o milagre do Deus de Israel que é o nosso Deus, soube ter uma mudanças de vida instantânea, reconhecendo seu amor por nós, Ele nos conduz por caminhos diversos, onde podemos ser provados. Mas Deus sabe até onde podemos suportar.

[close]

p. 9



[close]

p. 10

FACULDADE DE TEOLOGIA MINISTERIAL A FATEMI é uma escola interdenominacional de um curso Livre em Teologia com Prática Ministerial, com mais de 20 anos, estruturada para contribuir na preparação do Corpo de Cristo, visando sua maturidade, bem como o treinamento da liderança. Tem como propósito ministrar princípios bíblicos que vão ajudar os alunos a tornarem-se hábeis na Palavra de Deus e aptos ao serviço cristão. Com aulas semipresenciais a FATEMItv se difere da totalidade do mercado por ensinar conteúdos baseados na revelação da Palavra de Deus, que podem ser praticados pelos alunos já no momento seguinte à aula. Ou seja, os conteúdos não se baseiam apenas em conhecimento, mas sim, na revelação da Palavra de Deus. Com uma plataforma de ensino moderna, a Fatemi oferece a você duas excelentes oportunidades para estudar a palavra de Deus. FATEMItv A FATEMItv oferece um curso Livre semipresencial, no qual o aluno terá a experiência de participar de uma sala de aula em um Centro Associado da FATEMItv, assistindo ao professor pela televisão. FATEMItad O mais novo programa oferecido pela FATEMI – Faculdade de Teologia Ministerial – Curso Livre de Teologia a Distância, que foi desenvolvido para quem busca viver intensamente a Palavra de Deus, mas não tem tempo para ir à faculdade todos os dias. Dessa forma, tendo em mãos um computador ou dispositivo móvel conectado à internet o aluno acessa as aulas, o material didático necessário e até as atividades avaliativas do curso. Mais que oferecer uma plataforma de ensino com segurança e qualidade, a FATEMI / ETM – Curso Livre de Teologia a Distância, se difere da totalidade do mercado por ensinar em suas aulas conteúdo baseado na Revelação da Palavra de Deus e que pode ser praticado pelos alunos já no momento seguinte à aula. Ou seja, os conteúdos das aulas não são apenas conhecimento, mas sim Revelação da Palavra de Deus.

[close]

p. 11



[close]

p. 12



[close]

p. 13

NATAL E O CRISTIANISMO Pelo exame da Bíblia é muito difícil precisar que Jesus nasceu em dezembro! Lucas 2:8 diz: Ora, havia naquela mesma região pastores que estavam no campo, e guardavam os seus rebanhos, durante as vigílias da noite. Dezembro é tempo de inverno naquela região. Costuma chover e nevar na região da Palestina, assim, os pastores não poderiam permanecer ao ar livre nos campos durante as vigílias da noite. Naquela região, as primeiras chuvas costumam chegar nos meses de outubro e novembro. Durante o inverno os pastores recolhem e guardam as ovelhas no aprisco... Eles só permanecem guardando as ovelhas ao ar livre durante o verão! A origem do 25 de dezembro Muitos crêem que a data de 25 de dezembro foi retirada de uma comemoração pagã relacionada com o Solstício de inverno (Época em que o Sol, tendo-se afastado o mais possível do equador, parece deter-se e estacionar durante alguns dias, antes de voltar a aproximar-se de novo do equador), entre 17 e 21 de dezembro. Baseado nesse solstício, toda civilização que estudavam os astros adotaram a adoração ao sol ou ao seu “deus” mais ilustre nesta data. Notadamente em Roma existia o “Nascimento do Sol Invicto” celebrando o “Novo Sol”. Essas festividades pagãs eram muito populares e, segundo alguns, foram sincretizadas para o cristianismo por Constantino, pois depois da conversão do imperador romano ao cristianismo, a população não queria abandonar esse costume. Assim eles relacionaram Cristo com o “deus-sol”. Note que sincretismos é coisa comum na historia, perceba o da Bahia, na qual cada “santo católico” possui um similar nos cultos africanos, da mesma forma os deuses romanos se sincretizaram com os santos católicos. É percebida varias semelhanças, por exemplo entre Mercúrio e Santo Antonio, também no culto prestado a ambos, além das atribuições de funções a cada deus/santo, um é responsável pela cabeça, outro pela mão, outro pelo parto, etc. Até mesmo a questão dos ex-votos na qual os fiéis depositam pedaços do corpo humano de cera, já era costume dos gregos e romanos. Já outros crêem justamente o contrário. Que a data 25 de dezembro já era comemorada

[close]

p. 14

pelos cristãos primitivos, e um imperador romano, para enfraquecer a fé cristã, colocou a festa do “Nascimento do Sol Invicto” para certamente, enfraquecer esta data. O nome “Papai Noel” A árvore de natal e os presentes Mais uma vez alguns crêem que a origem da árvore de natal vem de Lutero, que quis relacionar com o céu, outros crêem que a origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia, de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Segundo a qual a árvore representa o próprio Nirode redivivo, e que em determinado período, seu espírito se apossava da árvore. Realmente existem em muitas culturas, os cultos as árvores e animais também. Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egípcios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas durante a Saturnália, inclusive o “santo daime” que é uma droga usada por seitas latinas atuais, etc. Já o costume de dar presente vem dos Reis Magos, na qual eles trouxeram presentes para Jesus, E entrando na casa, viram o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro incenso e mirra. Mateus 2:11. Ou ainda, como alguns acreditam, de um costume pagão atribuído a Odim, deus nórdico, na qual Odim dava presente a seus adoradores através de uma árvore. Velas e luzes O Uso de velas é um ritual de dedicação aos deuses ancestrais. A vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, que mantêm vivo o sol, ou ainda iluminando as almas no mundo do além túmulo. Não tem nenhuma relação com o candelabro judaico (ou Menorah). é uma corruptela do nome “São Nicolau”, um bispo romano que viveu no século V. São Nicolau, bispo de Mira, um santo venerado pelos gregos e latinos no dia 6 de dezembro… A lenda de suas dádivas oferecidas as escondidas, de dotes, às três filhas de um cidadão empobrecido. Daí teria surgido a prática de se dar presentes “as escondidas” no dia de São Nicolau (6 de dezembro). Mais tarde essa data fundiu-se com o “Dia de Natal” (25 de dezembro)

[close]

p. 15

ENTÃO QUAL É O OSSO PROCEDIMENTO COMO EVANGÉLICO? Qual a verdade e o princípio da moderação. A verdade é uma só: O natal muito provavelmente não é a data do nascimento de Cristo, mas o mais importante é que Cristo nasceu realmente e esta é uma data excelente para pregarmos a Cristo para todo o mundo. A tempo e a fora de tempo. Prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino. II Timoteo 4:2 O princípio bíblico é o da moderação, nós evangélicos não podemos ter a aparência de beatos, como Antonio Conselheiro de Canudos, pregando o fim do mundo, que tudo é pecado, que todos estão perdidos e irão para o inferno. Não sejas demasiadamente O exemplodjuedsmetoaP,saiualdoamente nem Paulo estava em Atenas, ssuaábailmoa; esptaovar entqrisuteecidate pela idolatria do povo, porém ele vê nesta idolatria uma oportunidade para dpersegtraur iriasa aCristo. ti Então Paulo, estando de mpéensommoe?io dNo ãAoreópsageoja, s disse: Varões atenienses, em tudo vejo que sois excepcionalmente religiosodse; mpoarqsuiea,dpaamssaenndtoeeu e observando também um oalstarobejmetoqsuedíomesptvaoivsoas,oenscecurmilttoo:s, AeeOjnacsDonEttUoreSlio; DESCONHECIDO. Esse, popiso, rque vqóusehonrmaisosrreemrioas conhecer, Os gregos éo criam que vos que havia uamannDutenescuiso.dsuoApetortisoerua17t:toed2om2s-p2o3so? deuses deles, Deus esse, tãoEgcralendseiaqsuetensão7p:o1d6eri-a1se7r conhecido por ninguém, por isso eles fizeram um altar para esse Deus. Igualmente hoje no natal, Jesus, apesar de ser honrado pelo dia do Natal, não é conhecido. Podemos fazer como Paulo e pregar esse DEUS DESCONHECIDO. Que na verdade é o nosso próprio Deus. Pregue a Cristo a tempo e a fora de tempo I Timoteo 4:2. O exemplo de Jesus O ser humano gosta muito de festa e de alegria, e a Bíblia não recrimina isto, Jesus nós dá exemplo disso quando faz o seu primeiro milagre numa festa de casamento João 2:1-2, também é um bom exemplo a Festa da Dedicação - Hanuká. Deus não instituiu esta festa, mas o povo judeu a fez em celebração a grande vitória sobre os gregos, sob o comando de Judas Macabeus, esta historia encontrasse nos livros de Macabeus, nota este livro é apócrifo e está só na Bíblia Católica e não na nossa. Mas Cristo participou desta festa e aproveitou para ensinar ao povo sobre o Reino de Deus, João 10: 22.... O natal é uma grande oportunidade para pregarmos sobre Cristo ao contrário de combater uma celebração feita a Ele mesmo. FONTE: jacuipenoticias.com/

[close]

Comments

no comments yet