Guimarães mais verde #6

 

Embed or link this publication

Description

Eco-revista da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020

Popular Pages


p. 1

eco-revista #06 NOVEMBRO 2016 Esta revista é uma publicação da Câmara Municipal de Guimarães. Trimestral, de distribuição gratuita, acompanhará o processo de candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020. Will wynn em entrevista ponte também já tem “brigada verde” COMPROMISSO GUIMARÃES MAIS VERDE O Ambiente precisa de todos! Semana Europeia da Mobilidade coroada com aprovação da Ecovia de Guimarães Guimarães mostra boas práticas em liubliana, eslovénia, e em nantes, frança

[close]

p. 2

2 guimarães mais verde Nota Introdutória Na edição de novembro da Eco-Revista destacamos a Semana Europeia da Mobilidade, que mobilizou cerca de 4 mil pessoas nas mais de duas dezenas de iniciativas realizadas. Falamos de Liubliana, Capital da Eslovénia e atual Capital Verde Europeia, com uma entrevista à vice-presidente da Câmara Municipal, Tjaša Ficko, em que se foca a importância e os benefícios do título, bem como as principais mudanças em Liubliana. Will Wynn, membro do Comité Externo de Aconselhamento da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, antigo Mayor de Austin, no Texas, Estados Unidos da América, mostra nesta publicação que acredita que Guimarães tem fortes possibilidades de ser nomeada Capital Verde Europeia em 2020 e deixando alguns conselhos. Conheça ainda os números do sucesso do programa ambiental PEGADAS, mas também do sistema PAYT., implementado no Centro Histórico de Guimarães. Boa leitura! Semana Europeia da Mobilidade Liubliana, Capital Verde 2016 Entrevista a Will Wynn Os números do sucesso do PEGADAS Compromisso Guimarães Mais Verde PAYT Brigada Verde de Ponte Nicolinos plantam pinheiros Última 04 06 08 10 12 13 14 15 16 Ficha Técnica: propriedade Câmara Municipal de Guimarães / periodicidade trimestral / tiragem 20.000 exemplares composição Laboratório da Paisagem / impressão Gráfica Maiadouro / papel Munken Pure / distribuição gratuita (O papel Munken Pure é produzido de acordo a certificação FSC ® - Forest Stewardship Council. O FSC ® é um dos selos florestais mais reconhecidos em todo o mundo. Trata-se de uma garantia de origem que assegura a exploração florestal de forma responsável. Criado em 1993 na Alemanha, por várias instituições internacionais, o FSC ® tem como objetivo estabelecer princípios e critérios para conciliar a exploração da floresta e a conservação dos seus recursos).

[close]

p. 3

guimarães mais verde  3 “Casa Guimarães mais Verde” deu cor ao noc noc Teatro, música, dança, showcooking, workshops, uma horta vertical e muita animação, foram os condimentos para mais uma edição da “Casa Guimarães mais Verde” no festival Guimarães noc noc, que decorreu no primeiro fim de semana de outubro. A “Casa Guimarães mais Verde” foi promovida pelo Laboratório da Paisagem, Município de Guimarães e Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia, juntamente com um conjunto de parceiros que connosco lutam por um futuro mais sustentável e mais verde! Guimarães recebeu sessão de informação sobre cidades e comunidades inteligentes Um representante da Comissão Europeia para os assuntos da energia, Eric Lecomte, apresentou em Guimarães as várias oportunidades de candidaturas que podem ser elaboradas até fevereiro de 2017 no âmbito das “Smart Cities”, cidades inteligentes sustentáveis que, através da aplicação de novas tecnologias no espaço público, têm por objetivo principal melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Durante uma sessão informativa que decorreu no AvePark, o Policy Officer da Comissão Europeia destacou a necessidade das instituições promoverem a criação de redes entre cidades de diferentes países, ressalvando a «compatibilidade entre os conceitos de Cidade Inteligente e Cidade Verde», no contributo para a construção de cidades onde os cidadãos gostem de viver, «mais verdes, mais inclusivas, mais inteligentes e tecnológicas». Presente na abertura do “InfoDay”, realizado com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, o vereador Ricardo Costa sublinhou a importância de «juntar os conceitos de cidade inteligente (Smart City) e Cidade Sustentável (Sustainable City) como contributo para a candidatura a Capital Verde Europeia», um caminho que Guimarães está a trilhar, preparando o respetivo dossiê, sendo simultaneamente líder de um consórcio europeu no âmbito das Cidades Inteligentes: “1000 Smart Historic Cities”. «Somos uma cidade com história, mas com os olhos no futuro», disse.

[close]

p. 4

4 guimarães mais verde Semana Europeia da Mobilidade coroada com aprovação da Ecovia de Guimarães A aprovação do início do procedimento para a construção da primeira fase da Ecovia de Guimarães, no valor de 3 milhões e 700 mil euros, bem como o investimento de 3 milhões de euros para a implementação de tecnologia LED na rede de iluminação pública do concelho, foram medidas aprovadas em reunião de Câmara no dia em que encerrou a Semana Europeia da Mobilidade de Guimarães, que envolveu cerca de 4 mil pessoas nas mais de duas dezenas de iniciativas realizadas. Sob o mote “Mobilidade inteligente. Economia forte”, o Município de Guimarães, o Laboratório da Paisagem e a Unidade Operacional de Transporte Local da Estrutura de Missão da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia 2020 mostraram aos vimaranenses, e aos muitos visitantes que todos os dias calcorreiam as ruas da Cidade Berço, os benefícios de um correto planeamento e utilização racional dos transportes para a economia local e da transição para modos de mobilidade alternativos, que conduz à diminuição dos impactos negativos do uso individual do automóvel, permitindo a redução dos custos que lhe estão associados. A Caminhada Solidária e Mini-Maratona da Associação de Paralisia Cerebral de Guimarães (APCG) – Pessoas diferentes, direitos iguais, juntou mais de 3 mil pessoas nas ruas de Guimarães na manhã do último domingo, dia em que várias artérias do centro da cidade foram encerradas ao trânsito automóvel, permitindo aos peões e ciclistas um passeio mais calmo e saudável pelas ruas repletas de história. No dia anterior, mais de meia centena aceitou o desafio de descer a Penha a pé, depois de utilizar o Teleférico para subir a montanha. Um sucesso foi igualmente a iniciativa “Por Couros a Pedal”, que permitiu a alguns vimaranenses um passeio de bicicleta numa área que Guimarães quer elevar à categoria de Património da Humanidade. PROJETO SOBRE RODAS Também a pedalar mais de uma centena aceitou o repto da Associação de Ciclismo do Minho para um passeio noturno pelo Centro Histórico. Entre os participantes, realce para a presença do atleta Olímpico e campeão nacional José Mendes, depois de ter corrido na Volta à Espanha, onde foi o melhor português em prova. A bicicleta foi também o centro das atenções para mais de uma dezena de crianças de um centro de estudos de Guimarães que, através do projeto EducaBicla, da GetGreen, aprenderam não só a manusear uma bicicleta, mas também as regras de trânsito necessárias para poderem andar em segurança. Um dos destaques da Semana Europeia da Mobilidade foi também a Conferência Técnica sobre mobilidade que decorreu no Laboratório da Paisagem, onde marcou presença o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, que aproveitou a ocasião para elogiar o trabalho desenvolvido por Guimarães. Ao longo de mais de três horas e perante uma plateia repleta, um conjunto de responsáveis de várias organizações e empresas mostraram bons exemplos de mobilidade sustentável. Casa cheia também na Escola Secundária de Caldas das Taipas, onde decorreu a habitual tertúlia mensal do Laboratório da Paisagem, “Café com Ambiente”. Várias turmas daquele estabelecimento de ensino, mas também da Escola Profissional CISAVE, ouviram especialistas apresentar as suas visões sobre mobilidade sustentável e o caminho a trilhar na prossecução do objetivo de construir um futuro com recurso a alternativas de mobilidade mais amigas do ambiente. Em parceria com a Associação Vimaranense para a Ecologia (AVE), a Rua da Rainha, em pleno Centro Histórico de Guimarães, acolheu a iniciativa “Parking Day”, uma ação que pretendeu sensibilizar para a necessidade de reduzir os impactos ambientais e utilização racional e sustentável do espaço público. Houve ainda animação musical e um mercadinho biológico na Alameda de São Dâmaso, um percurso pela Veiga de Creixomil, onde vários interessados captaram, através das suas objetivas, alguns exemplos da biodiversidade ali existente, e ainda mais uma edição do “Guimarães Corre Corre”,

[close]

p. 5

guimarães mais verde  5 iniciativa que todas as segundas-feiras junta dezenas de vimaranenses, num percurso pelo centro da cidade. A Semana Europeia da Mobilidade terminou com três dezenas de alunos do 4º ano da Escola EB1/JI de Santa Luzia a sensibilizarem os condutores em pleno centro da cidade para reduzirem a velocidade, respeitando os peões, na ação “30 no meu bairro”. Também no decorrer desta semana, o Município de Guimarães anunciou a criação da Plataforma “Guimarães à Boleia”, o primeira portal municipal de CarPooling que vai permitir aos vimaranenses partilhar o seu automóvel, contribuindo, desse modo, para a diminuição das emissões de CO2. A Semana Europeia da Mobilidade é uma campanha anual sobre mobilidade urbana sustentável, organizada com o apoio da Direção Geral da Mobilidade e dos Transportes da Comissão Europeia, coordenada em Portugal pela Agência Portuguesa do Ambiente.

[close]

p. 6

6 guimarães mais verde Tjaša Ficko, Vice-Presidente do Município de Liubliana, Eslovénia. “Os prémios devem ser o resultado de esforços contínuos para o desenvolvimento de cidades sustentáveis” Qual é a importância e quais são os benefícios do título Capital Verde Europeia? O título é muito importante porque coloca Liubliana no mapa Europeu e global de cidades sustentáveis. De acordo com o júri da EGCA, Liubliana é a cidade que fez a maior mudança ao nível da sustentabilidade no menor espaço de tempo. Combinamos com sucesso dois aspetos: preservar a natureza e o carácter verde da cidade, e ao mesmo tempo mudamos ativamente as áreas que até então não eram sustentáveis. Como a primeira Capital Verde Europeia na Europa Central e do Sudeste, esperamos promover e reforçar com êxito as ideias e valores subjacentes ao prémio Capital Verde Europeia nesta parte da Europa e inspirar outras cidades para se esforçarem por ser mais sustentáveis. A visibilidade e o interesse internacional em Liubliana aumentaram, também devido a este título, mais turistas e visitantes estão a chegar, proporcionando novos investimentos no montante de aproximadamente 500 milhões de euros, o que permitirá criar cerca 2.000 novos empregos. Mas, acima de tudo, valorizamos a satisfação dos nossos moradores. Segundo o inquérito europeu Eurobarómetro, 92% dos residentes de Liubliana estão satisfeitos com a qualidade de vida nesta Cidade. É um resultado que deixa muito orgulhosos. Quais foram as principais mudanças em Liubliana no processo de candidatura? Ganhar o prémio é realmente um processo de aprendizagem, consciencialização e impulsionamento do desen- volvimento sustentável e de uma mais forte cooperação local e internacional. É importante ter uma visão e coragem para alcançar os objetivos. Cada prémio é uma recomendação para o esforço investido, e a cooperação eficiente de uma grande “família” de 12.089 colegas na administração da cidade, empresas públicas e instituições. Há também muitos outros interessados que querem fazer parte da história “verde” da cidade, o que é encorajador. Na concepção do programa para o Ano Europeu da Capital Verde 2016, trabalhámos em estreita colaboração com representantes dos nossos bairros, organizações não governamentais, instituições culturais e educacionais, empresas privadas, etc. Acreditamos que o prémio Capital Verde Europeia não é um projeto a ser detido pela Cidade, mas por cada habitante de Liubliana. Estando Guimarães no roteiro para o desenvolvimento sustentável e tendo em conta a sua experiência, qual deve ser o nosso foco principal? Cada cidade é única com as suas próprias vantagens e potenciais, é por isso que é impossível dar um conselho direto. Mas é essencial concentrarem-se em boas práticas e realizações e, ao mesmo tempo, partilhar experiências com outras cidades e aprender coisas novas. Os prémios devem ser o resultado de esforços contínuos para o desenvolvimento de cidades sustentáveis, habitáveis, seguras, tolerantes e amigáveis, com uma qualidade de vida ainda maior.

[close]

p. 7

Liubliana, Capital Verde Europeia 2016 Liubliana (ou Ljubljana) é a capital e maior cidade da Eslovénia com cerca de 272.220 habitantes. É a atual Capital Verde Europeia, tendo vencido o prémio na segunda vez em que concorreu. A escolha de Liubliana, que concorreu com cidades como Essen (Alemanha), Nimega (Holanda), Oslo (Noruega) e Umea (Suécia), deu-se, entre outros fatores, pelo fato de ter 75% da sua superfície destinada a áreas verdes. Todo o centro da cidade está reservado aos pedestres, incluindo uma importante avenida, a Slovenska cesta. Nela, somente são permitidos bicicletas, autocarros, veículos de entregas, e táxis híbridos ou elétricos. Desde 2011 passou também a contar com o sistema de bicicletas partilhadas. O mesmo cartão usado para as bicicletas serve, também, para pagar tarifas de autocarros, estacionamentos e bibliotecas. Em 2010, Liubliana implementou medidas de conservação de dois terços da sua superfície, o que incluiu a proteção de 1400 hectares de bosques, a construção de cinco parques urbanos e a plantação de 2.000 árvores. Destacou-se também no tratamento de águas residuais e na revitalização de áreas industriais. Liubliana é ainda a primeira, e única, capital com meta lixo zero na Europa. Na Capital da Eslovénia, 75% de todo lixo recolhido é reciclado. Mas o objetivo é reciclar todo o lixo recolhido e tornar-se numa cidade sem resíduos, onde tudo é reutilizado num verdadeiro exemplo de economia circular. Durante os últimos dez anos, os habitantes de Liubliana diminuíram em 15% a quantidade de resíduos produzidos. Em 2014 isto representou 283 quilos, a menos, por pessoa, o que significam 41% a menos que a média europeia, segundo dados da Comissão Europeia. guimarães mais verde  7 Guimarães reuniu com Liubliana O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, a Coordenadora Executiva da candidatura de Guimarães a CVE2020, Isabel Loureiro, e o Presidente do Laboratório da Paisagem, Jorge Cristino, participaram no Fórum do Ambiente da Eurocities, que decorreu em Liubliana, Eslovénia, com a qual a delegação vimaranense teve oportunidade de reunir com o Presidente da Câmara, Mr. Zoran Jankovic, e com responsáveis por vários setores da estrutura que está a dinamizar a Capital Verde Europeia. O principal tema em discussão neste fórum, que reuniu especialistas de toda a Europa, foi a economia circular e os processos que podem transformar as cidades em territórios mais sustentáveis e resilientes, com especial enfoque nas alterações climáticas, na biodiversidade e áreas verdes, água e resíduos. Boas práticas ambientais de Guimarães apresentadas durante conferência em Nantes Guimarães participou na Conferência Internacional “Climate Chance” em Nantes, França, evento que reuniu alguns dos principais atores não estatais que participam na luta contra as alterações climáticas, como autoridades locais, empresas, associações, sindicatos ou a própria comunidade científica, demonstrando a importância de uma ação conjunta nesta missão. Na cimeira, com a presença de 140 países e mais de 1.500 participantes, Guimarães co-organizou um workshop subordinado ao tema da “Mobilização e Sensibilização para as Alterações Climáticas”, no qual teve a oportunidade de apresentar o caminho que está a desenvolver para a sustentabilidade ambiental, com um conjunto de projetos, investimentos, mas também programas e atividades de consciencialização e sensibilização ambiental. A presença em Nantes foi ainda aproveitada para um encontro entre a comitiva vimaranense e os seus homólogos daquela cidade francesa, Capital Verde Europeia em 2013.

[close]

p. 8

8 guimarães mais verde Entrevista Will Wynn, Ex-Presidente da Câmara de Austin, Texas, Estados Unidos da América. “Guimarães tem claramente possibilidades de ser nomeada Capital Verde Europeia em 2020” Will Wynn é membro do Comité Externo de Aconselhamento da candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Foi Mayor de Austin, no Texas, Estados Unidos da América, o equipavalemente ao nosso Presidente da Câmara. Ao longo de dois mandatos, este arquiteto formado em design ambiental, introduziu grandes mudanças ao nível da gestão ambiental, fazendo daquela cidade um exemplo ao nível mundial. De que forma o prémio da Capital Verde Europeia pode contribuir para o desenvolvimento sustentável de um território? Aceitar o desafio de querer concorrer ao título de Capital Verde Europeia obriga a que as cidades pensem seriamente no seu planeamento de um futuro sustentável. Só isso trará benefícios aos seus cidadãos. Mas a cidade vencedora, terá, logo de seguida, de iniciar a implementação desses planos, para que o resto da Europa possa ver o impacto das alterações promovidas e poder também réplica-las. Sabendo que a eficiência energética é uma questão determinante, qual deve ser o foco de Guimarães? E como é que a eficiência energética pode promover a qualidade de vida dos cidadãos? O foco na eficiência energética em Guimarães não só reduzirá o impac-

[close]

p. 9

guimarães mais verde  9 to combinado dos seus cidadãos no planeta, como também terá efeitos económicos ao resultar na redução dos custos de eletricidade e transporte. Esse dinheiro poderá posteriormente ser investido para que os cidadãos possam ter uma qualidade de vida ainda maior. No contexto nacional, Guimarães é considerada uma “boa cidade para viver”, revelando potencialidades, mas também fraquezas. Além disso, em muitas áreas, Guimarães é, e quer ser, uma referência. Acha que é possível para Guimarães ter uma visão ambiental que vá para além dos objetivos políticos e administrativos? Fico realmente entusiasmado quando penso num futuro sustentável para Guimarães. O empenho na corrida para Capital Verde Europeia está a sensibilizar e a identificar potenciais projetos, que podem ir muito além de uma candidatura. E à medida que mais cidadãos começam a experimentar os benefícios dos programas e projetos, muito mais vão perceber a importância do caminho e apoiar estes mesmos projetos. Na sua opinião, qual é a grande mais-valia de Guimarães para conseguir alcançar o título de Capital Verde Europeia em 2020? Guimarães tem claramente possibilidades de ser nomeada Capital Verde Europeia em 2020! A diversidade de ecossistemas no Concelho de Guimarães, a combinação do moderno, que fizeram dela Capital Europeia da Cultura em 2012, e do antigo de uma Cidade que é Pratimónio da Unesco, o compromisso da cidade e dos responsáveis das universidades e, o mais importante, o orgulho dos seus cidadãos, faz-me realmente acreditar na nossa possibilidade de sucesso! E olho ainda com muita expectativa para o nosso trabalho, estando por isso também ansioso pela minha próxima viagem a Guimarães. “O foco na eficiência energética em Guimarães não só reduzirá o impacto combinado dos seus cidadãos no planeta, como também terá efeitos económicos ao resultar na redução dos custos de eletricidade e transporte” “Fico realmente entusiasmado quando penso num futuro sustentável para Guimarães”

[close]

p. 10

10 guimarães mais verde Números revelam sucesso do PEGADAS No seu primeiro ano de implementação o ‘Programa Ecológico de Guimarães para a Aprendizagem do Desenvolvimento Ambiental Sustentável’ (PEGADAS), superou todas as expectativas no envolvimento da comunidade educativa, mas também na resposta positiva por parte de todos os seus intervenientes. Dezenas de parceiros, milhares de alunos e um grande comprometimento com um programa ambiental que tem provado ter margem para continuar a crescer. Alunos ² 19.227 Professores ² 1.780 Ações ² 579 Atividades Escolas Parceiros ²² 193 95 ² 39 De acordo com os dados do relatório do primeiro ano de implementação, desde setembro 2015 o programa ambiental PEGADAS levou a cabo 193 atividades distintas das quais resultaram 579 ações, na totalidade das escolas públicas e privadas do concelho (95), e o envolvimento de 19.227 alunos e 1.780 professores, com a colaboração de 39 parceiros. Números reveladores do sucesso deste programa municipal que juntou os pelouros da Educação e do Ambiente, e que é coordenado pelo Laboratório da Paisagem de Guimarães, tendo recolhido ao longo deste último ano um feedback muito positivo por parte das escolas e dos parceiros envolvidos. Novidades para o próximo ano letivo O plano de atividades do programa PEGADAS para o próximo ano letivo está já delineado, contando com algumas novidades, nomeadamente com a inclusão de novas áreas temáticas: alterações climáticas e segurança rodoviária. Das atividades chave, e para além do programa EcoEscolas, fazem parte, por exemplo, o EcoParlamento, o Projeto Adota um Rio, Concurso Mascote Ecolino (mascote do Programa PEGADAS), Guimarães mais Floresta, Brigadas do Ambiente, ou Biodiversidade GO, esta última uma novidade e que pretende a adesão das escolas na criação de uma grande base de dados de biodiversidade de Guimarães. Refira-se que esta aposta no programa ambiental PEGADAS - que pode ser consultado no site www.labpaisagem.pt -, é revelador do interesse do Município de Guimarães e também do Laboratório da Paisagem em manter o seu caminho no reforço da educação e sensibilização ambiental junto das escolas, um dos objetivos também da Candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia.

[close]

p. 11

guimarães mais verde  11 Guimarães no “Top 5” nacional das escolas galardoadas com Bandeira Verde O concelho de Guimarães mais do que duplicou o número de escolas com bandeira verde no ano letivo 2015/16, tendo alcançado o 5º lugar no programa Eco-Escolas, num total de 230 municípios inscritos. Dos 38 estabelecimentos de ensino vimaranenses que aderiram a este projeto de carácter ambiental, 28 alcançaram o estatuto de Eco-Escola com a atribuição da respetiva Bandeira Verde, verificando-se um crescimento de 40% no número de escolas inscritas no programa Eco-Escolas, um ano depois de ter sido implementado o projeto ambiental PEGADAS. Foi ainda atribuído à Escola Virgínia Moura e à Escola Profissional Cenatex um diploma de reconhecimento pelos trabalhos desenvolvidos nos desafios “Geração Depositrão” e “Roupas Usadas não estão Acabadas”, respetivamente. O anúncio foi efetuado pelo Presidente do Município, Domingos Bragança, esta quinta-feira, antes da reunião do Executivo Municipal, realçando o importante contributo das escolas do concelho para o «contínuo desenvolvimento e consolidação do Programa de Educação para a Sustentabilidade Ambiental – PEGADAS – e fundamentalmente para a candidatura de Guimarães para Capital Verde Europeia», incentivando a que mais estabelecimentos de ensino participem e se inscrevam no programa nacional Eco-Escolas. Receberam o galardão da Bandeira Verde as escolas EB 2/3 de Pevidém; EB 2/3 Arqueólogo Mário Cardoso; EB1 Agostinho da Silva; EB1 de Pinheiro; EB1 de Tabuadelo; EB1 de Ribeira – Brito; EB1/JI de Teixugueira – Silvares; EB1/JI de Calvos; EB1/JI Casais; EB1/JI de Ronfe; EB 2/3 D. Afonso Henriques; EB da Taipas; EB de Abação; EB de Gondar; EB 2/3 Abel Salazar – Ronfe; EB 2/3 de Briteiros; EB 2/3 de João de Meira; EB 2/3 Virgínia Moura; EB1 de Pinheiral; EB1 Oliveira do Castelo; EB1/JI Cruz d’Argola; EB1/JI da Charneca; EB1/JI de Agras – Gandarela; EB1/ JI de S. Roque; Escola Profissional CENATEX; Escola Profissional Profitecla de Guimarães; Escola Secundária Martins Sarmento; e Escola Secundária de Caldas das Taipas. O “Dia das Bandeiras Verdes”, que decorreu em Aveiro, com a presença do Secretário de Estado da Educação, João Costa, e do Presidente da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), José Archer, assinalou os 20 anos do programa Eco-Escolas, num dia comemorativo ainda abrilhantado pela banda “Xutos e Pontapés” com a música “Não somos os únicos a defender o Ambiente”, um mote lançado às escolas a propósito das duas décadas do programa e que contou ainda com a colaboração do Ginásio Clube Português, responsável pela coreografia. Refira-se que o Eco-Escolas é um programa internacional promovido pela “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) desde 1996 e tem como missão encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pelas escolas, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade. Este ano, estiveram envolvidas 46 mil escolas em todo o mundo, num total de 1.437 escolas inscritas a nível nacional, das quais 1.307 foram galardoadas.

[close]

p. 12

12 guimarães mais verde Vimaranenses convidados a assinar Compromisso Guimarães Mais Verde O projecto Guimarães Mais Verde precisa do compromisso de todos os vimaranenses para que possa ser bem sucedido. Foi nesse sentido que no arranque do novo ano escolar, a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia desafiou os mais novos a comprometer-se com o projeto de construir um Município mais sustentável, protegendo a natureza e respeitando o ambiente, entregando-lhes um desdobrável, com uma declaração de compromisso. O lançamento do Compromisso Guimarães Mais Verde aconteceu na EB 1 de S. Roque, na freguesia da Costa. Na oportunidade, o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, lançou o repto aos pequenos estudantes para serem também protagonistas na candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. «Levem o documento para casa, conversem com os vossos pais e, se assim concordarem, assinem o Compromisso», disse, reforçando que o pedido requer a adoção de comportamentos simples, como «um esforço de poupança da água, a utilização de transportes alternativos, a separação do lixo, a protecção dos rios e da floresta». Ministro já assinou A declaração de compromisso é dirigida a todos, mas aos vimaranenses em particular. Para além dos muitos anónimos e outras figuras públicas de destaque, o Ministro do Ambiente, José Matos Fernandes, bem como o Secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, também já assinaram o Compromisso Guimarães Mais Verde. Câmaras reunidas em Guimarães vão assinar declaração de compromisso em defesa do rio Ave O encontro, que decorreu no mês passado no Laboratório da Paisagem, em Creixomil, contou com a presença extraordinária de responsáveis de Câmaras Municipais de Fafe, Felgueiras, Póvoa de Lanhoso, Vizela e Famalicão, cujos concelhos são atravessados pelo rio Ave. A reunião assinalou, também, a entrada de mais instituições no Plano de Ação, como é o caso dos Agrupamentos Escolares cuja localização se situa nas freguesias do concelho por onde passa o rio Ave. A preparação de uma declaração de compromisso conjunta, transversal a todos os Municípios e entidades envolvidas no combate à poluição do rio Ave, é uma das conclusões da quarta reunião de acompanhamento e avaliação intercalar do Plano de Ação que tem por objetivo recuperar a principal linha de água da bacia hidrográfica, devolvendo a qualidade ecológica da água, promovendo a natureza e a biodiversidade. Durante de toda a manhã, representantes das instituições envolvidas na gestão da bacia hidrográfica do Ave definiram medidas e projetaram reuniões técnicas para ser efetuada uma monitorização ao longo de todo o curso do rio, com o objetivo de identificar potenciais unidades contaminadoras que estão nas fronteiras dos municípios. Nesta altura, estão a decorrer mais trinta autos de notícia, de acordo com informação prestada pelo Administrador da Agência Portuguesa do Ambiente do Norte. «Tem de acabar o sentimento de impunidade! Não se pode pôr em causa a qualidade da nossa água», referiu José Pimenta Machado.

[close]

p. 13

Primeiro semestre do PAYT com resultados muito animadores guimarães mais verde  13 Desde abril deste ano que o sistema PAYT (Pay-as-youthrow ou Paga o que Produzes) entrou em vigor no centro histórico de Guimarães prometendo revolucionar a recolha de resíduos urbanos nesta área da cidade. Os dados referentes a este projeto inovador em Portugal não deixam margem para dúvidas. Desde a sua implementação, houve um aumento dos resíduos recicláveis na ordem dos 86% e uma redução de 35% nos resíduos domésticos, superando as expectativas europeias em 56 e 20 pontos percentuais, respetivamente. Daniel Pinto, administrador executivo da VITRUS, aponta para o enorme sucesso do projeto referindo que “apenas no mês de agosto foram encaminhadas para a reciclagem mais de 34 toneladas de resíduos seletivos, o que comprova que os hábitos das pessoas em relação a esta temática estão a mudar. O sucesso do PAYT materializa-se com dados como estes, acabando por justificar também o investimento económico e humano da VITRUS”. Desde janeiro que o centro histórico da cidade está livre de ecopontos e contentores já que a recolha porta-a-porta é feita 7 vezes ao dia em horário definido. Em média, a VITRUS recolhe diariamente mais de 800 kg de lixo reciclável. “Família de Objetos Vimágua” apresentada para incentivar consumo de água da rede pública A Vimágua apresentou no dia 24 de outubro os mais recentes membros da “Família de Objetos Vimágua”, duas garrafas reutilizáveis e um jarro de vidro. Todos os Munícipes de Guimarães e Vizela poderão, assim, consumir água da rede pública, em segurança e em qualquer contexto das suas vidas. Na sede da Vimágua e no posto de atendimento de Vizela, os responsáveis da Vimágua, realçaram os pressupostos que estão subjacentes à criação destes objetos, que são a salvaguarda da saúde pública e do meio ambiente, sendo que a água da rede pública é uma qualidade, acessível a todos e que pode ser consumida com segurança. Nas Escolas EB1 de S. Roque na Costa e EB S. Miguel em Vizela foi apresentada a nova garrafa reutilizável, apta a ser transportada na lancheira escolar e que permitirá aos alunos levarem, sempre, consigo, a sua garrafa que podem encher na torneira da escola. Esta nova garrafa será oferecida a todas as crianças do primeiro ciclo do ensino básico e pré-escolar dos concelhos de Guimarães e Vizela, sendo a sua entrega articulada com a unidade de saúde pública, tendo em vista o estabelecimento de laços cada vez mais estreitos entre ambas as entidades.

[close]

p. 14

14 guimarães mais verde Ponte também tem Brigada Verde O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e crianças do Centro Escolar de Ponte, dos 3 aos 10 anos, plantaram árvores de fruto, designadamente, 12 laranjeiras, 8 macieiras, 6 castanheiros e igual número de limoeiros e ameixoeiras, além de carvalhos e tílias, numa iniciativa ambiental que assinalou a comemoração do Dia Nacional da Água, promovida pela Junta de Freguesia de Ponte, em parceria com o Município e o Agrupamento de Escolas Arqueólogo Mário Cardoso. A ação, que se realizou no âmbito do projeto CRIAR, da Brigada Verde de Ponte, contou também com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Amadeu Portilha, do Presidente da Junta de Freguesia de Ponte, Sérgio Castro Rocha, do Diretor do Agrupamento de Escolas, Artur Monteiro, do Presidente da Associação de Pais, Paulo Esteves, entre outras personalidades. ambiental e cívica. Colocamos nas mãos de todos as ferramentas da cidadania participativa em prol de um futuro mais verde», disse. A Brigada Verde reúne voluntários de todas as idades e de várias entidades, desde escolas, escuteiros, empresas, Associação Portuguesa do Ambiente e Instituto de Formação Profissional, tendo já inscritas perto de uma centena de pessoas que, voluntariamente, limpam as margens do rio Ave, áreas diversas de terreno e eliminam focos de poluição, além de procederem à plantação de arbustos e de flores, no âmbito do projeto CRIAR, a vertente pedagógica deste programa. O desafio foi lançado no âmbito do programa “Guimarães Mais Verde”, desenvolvido ao abrigo da candidatura a Capital Verde Europeia 2020 e que pretende «abranger todas as freguesias do concelho», referiu Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, mencionando «a componente pedagógica» desta iniciativa e o significado que representa «uma ação que envolve a comunidade escolar». Sérgio Castro Rocha, Presidente da Junta de Ponte, afirmou que, no âmbito do projeto CRIAR, serão igualmente os alunos a plantar flores e plantas nos canteiros e nos jardins da vila. «Damos raízes à responsabilidade

[close]

p. 15

guimarães mais verde  15 Reflorestação de monte preserva natureza e tradição do Pinheiro nas Festas Nicolinas A plantação de uma dezena de pinheiros, da espécie “pinus pinaster”, na Quinta de Aldão, local de onde, desde há muitos anos, por vontade dos seus donos originais e sucessores, é retirado um exemplar para o cortejo das Festas Nicolinas, resultou na reflorestação daquele simbólico terreno, numa iniciativa da Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG) para a qual foram convidados o Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, e os membros da Comissão de Festas liderada este ano por Nuno Guimarães. Além de promover a preservação da natureza e de uma tradição secular vimaranense, esta ação de ca- rácter ambiental teve também como objetivo realizar um encontro informal entre novos e velhos nicolinos e dar continuidade a uma decisão anunciada quando a associação plantou meia centena de pinheiros como forma de assinalar o início das comemorações dos 50 anos da AAELG, tendo ficado definido nessa altura que, doravante, seria plantado pelo menos um pinheiro em substituição do então retirado. O cortejo do Pinheiro, onde participam muitas dezenas de milhares de novos e velhos, dá início às festividades dos estudantes de Guimarães. As Nicolinas prosseguem depois ao longo de uma semana com um programa recheado de iniciativas. Eco-Associativismo destacado nas Ecorâmicas 2016 A Associação Vimaranense para a Ecologia (AVE) organizou mais uma edição das Ecorâmicas, mostra de cinema documental com sobre ambiente e sociedade. Ao longo de quatro dias, elegeu-se o Eco-Ativismo como tópico de discussão e alertou-se para os problemas ambientais que as sociedades contemporâneas enfrentam. A programação iniciou-se com a exibição do filme “Amanhã”, vencedor do César de Melhor Documentário de 2016, em parceria com o Cineclube de Guimarães e que juntou cerca de sete dezenas de pessoas, no auditório da Fraterna. O dia 28 foi dedicado às escolas e, no fim-de- semana, foram exibidos vários documentários, intercalados por tertúlias, que contaram com a presença de convidados ativistas na reflexão sobre as sessões. O Presidente da AVE, José Cunha, salientou que «quem se deslocou às Ecorâmicas 2016, ficou a perceber melhor o “eco-ativismo”, quer na forma mais passiva, que envolve alterações na forma de estar no quotidiano, quer na mais ativa e intervencionista».

[close]

Comments

no comments yet