Revista-Comercio-Industria-Dezembro-2016

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Dezembro-2016

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

4

[close]

p. 5

5

[close]

p. 6

ÍNDICE EDIÇÃO N°137 - DEZEMBRO / 2016 CAPA Alarm System ECONOMIA Chegou o Natal! SOLIDARIEDADE E fraternidade POLÍTICA Transição e futuro 12 14 21 27 Empresa atuante há mais de duas décadas é referência em sistemas de segurança e de videomonitoramento com alta tecnologia. Compras de fim de ano podem aquecer o movimento no comércio de Araraquara; especialistas comentam o assunto. Grupos de Araraquara promovem campanhas para ajudar pessoas carentes neste final de ano; você também pode colaborar. Da Redação 07 | Em sua crônica, Sônia Maria Marques reforça a importância de se acreditar e investir em empresas de Araraquara. Sincomercio 30 | Ação social do sindicato recolhe lixo eletrônico e reverte todo material para a Casa Cairbar. Sindicato Rural 35 | ’Quem produz, tem identidade’. Este é o tema do encontro de final de ano dos associados. Marcelo Barbieri (PMDB) faz balanço sobre sua gestão e Edinho Silva (PT) escreve seus primeiros passos dentro dos quatro próximos anos de governo. Canasol 44 | Novo plano de saúde coletivo por adesão é fechado com a Unimed de Araraquara. O Dia da Consciência Negra na Câmara No Dia Nacional da Consciência Negra foi de emoção na Câmara Municipal, que comemorou a data com a entrega dos prêmios Zumbi dos Palmares e Laphayette Alves. Os prêmios, que homenageiam “in memória” duas pessoas marcantes e atuantes na comunidade afrodescendente, foram entregues para seus familiares. O músico André Braz, representado no evento pelo pai Aristides Braz, foi homenageado com o prêmio Zumbi dos Palmares; já a Dra. Rita de Cássia Corrêa Ferreira foi representada pela irmã, Luciane Corrêa e recebeu o prêmio Laphayette Alves, organizado pela OAB- Araraquara, em parceria com o Centro de Referência Afro. Singelas homenagens em uma data especial “Quando soube que o André e a Dra. Rita eram os homenageados fiquei satisfeito. Os dois foram pessoas que contribuíram para o enfrentamento da discriminação em nossa cidade. Novos diretores O Instituto de Química da Unesp local tem nova diretoria. Eduardo Maffud Cilli assumiu a administração ao lado da vicediretora eleita, Dulce Helena Siqueira Silva, prezando pela gestão participativa baseada na união da comunidade acadêmica. A posse foi no dia 18 de novembro. 6

[close]

p. 7

DA REDAÇÃO por: Sônia Maria Marques ENTRE AMIGOS JOCONESP em Araraquara MEMÓRIA ‘Ela voltou’ 46 58 V Jogos Abertos dos Contabilistas do Estado de São Paulo reuniu delegações de todo o Estado para disputas em diferentes modalidades esportivas. Seu Nome Está na Rua 56| Edição resgata a memória da família de Alfredo Gabriel Haddad, uma das mais tradicionais da cidade. Há 50 anos, a Ferroviária retornava à Divisão Especial do Campeonato Paulista; conheça detalhes e personagens desta conquista. Vida Social 76 | Maribel Santos destaca exposição da artista plástica Vera Olivi Bernardi, no Espaço Ulivi. Violante recebe título Araraquara ganhou um novo filho na segunda quinzena de novembro. Carlos Alberto Mousinho dos Santos Monteiro Violante, natural de Getulina, no interior de São Paulo, recebeu, ao lado da esposa Rosângela, o título de Cidadão Araraquarense, das mãos do vereador Roberval Fraiz (PMDB), autor da iniciativa. “A humildade dele é o mais importante. É um merecedor pelo que fez na Fazenda Pública, com mudanças que ajudaram em muito ao município. Aprendi muito com ele”, afirmou Fraiz. Violante se mostrou muito grato e feliz com a homenagem. “É uma grande honra para mim. Agradeço a iniciativa do Roberval, o Chediek e todos os vereadores e o prefeito Marcelo Barbieri. Roberval foi um grande parceiro quando instalei a Vara da Fazenda Pública aqui. Depois tive a alegria de instalar a Vara da Família, implantando o setor de conciliação. Já sinto esse vínculo de filho de Araraquara, pois fui bem acolhido. É uma honra muito especial”, declarou. O prefeito municipal Marcelo Barbieri (PMDB) também esteve presente. “É uma alegria muito grande a cidade de Araraquara tê-lo agora como filho. Este título é voltado para quem colabora com o município e o seu trabalho na Fazenda Pública foi muito importante”, disse. Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Violante começou sua trajetória na carreira do Direito nos anos 80, quando se formou bacharel em Direito pela PUC Campinas. INVESTIR SEMPRE NO COMÉRCIO LOCAL Enquanto presidente da Associação Comercial e Industrial de Araraquara, Renato Haddad chegou a desenvolver uma campanha conscientizando o consumidor a prestigiar e comprar no comércio local. Até por uma questão de fidelidade e respeito aos costumes e as tradições da ACIA, por comandar na época este movimento, pois é aqui que vivemos, formamos família e nos alimentamos das belezas desta cidade, cumprimos nosso dever. A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio, por exemplo, há 12 anos, jamais deixou de ser impressa em Araraquara, como reconhecimento à luta dos que investem na nossa economia. Trabalhar com o empreendedor araraquarense não seria apenas cumprir o foco de uma campanha. Mais que isso: mostrar que participamos de uma cadeia produtiva e de valorização ao nosso parque gráfico. E com orgulho afirmamos no expediente que a nossa revista é impressa pela Grafinew. Isso é obrigatoriedade e bom senso. Com a chegada do Natal, nos lembramos da campanha e da insistência do ex-presidente da ACIA em prestigiar o comerciante araraquarense. Nesta edição, quando falamos do Natal da Superação, uma vez mais buscamos sensibilizar o consumidor a gastar em nosso comércio, pois é uma maneira de também colaborarmos na geração de empregos e divisas ao município. Araraquara, queiram ou não, possui tudo de bom e o que temos, também já está enraizado no emergente comércio dos bairros. Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Editor: Matheus Vieira (MTB 67.923/SP) Diretor Comercial: Humberto Perez Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Heloísa Nascimento, Anderson Rovina Design: Carolina Bacardi, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio, Indústria e Agronegócio é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br Violante recebendo o título na Câmara 7

[close]

p. 8

ComTexto Cultural apresenta exposição de Marê Moraes Mostra reuniu fotografias das viagens da artista pelo mundo Araraquara recebeu, no mês de novembro, o projeto cultural Fotografia e História: a Europa vista pelas lentes de Marê Moraes. Viabilizado por meio do ProAC (Programa de Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo) e produzido pela ComTexto Cultural, empresa especializada na criação, elaboração e gestão de ações voltadas para a área da cultura, a mostra fotográfica visa retratar a pluralidade cultural de diferentes países europeus. A exposição, que aconteceu no Shopping Jaraguá, reuniu 15 obras da fotógrafa Marê Moraes de suas viagens pelo continente europeu. As peças foram produzidas em metacrilato, uma técnica capaz de oferecer maior brilho, profundidade e qualidade. “Expor o meu trabalho é uma forma de compartilhar com o público a oportunidade que tive de conhecer e fotografar a diversidade cultural. Acredito que a observação desse contraste de costumes é capaz de nos tornar mais tolerantes em relação a todas as coisas do mundo”, conta. Com fotografias exclusivas da França, Itália, Grécia e Portugal, o projeto também contemplou a execução de um trabalho com estudantes do Ensino Médio da cidade. Alunos visitaram a exposição e receberam um catálogo, desenvolvido pela ComTexto Cultural, com foco em fatos históricos das fotografias expostas. Um concurso de redação também foi realizado. “Foi maravilhoso receber alunos das escolas de Araraquara. Houve uma troca muito rica nas monitorias, com um pessoal bacana e interessado, tanto nas técnicas de fotografia que utilizei, quanto no conteúdo histórico abordado durante a exposição”, afirma a artista. A exposição, que é uma realização da ComTexto Cultural, foi desenvolvida com o patrocínio da Açúcar Caravelas e Belenus Parafusos e Porcas, por meio do Programa de Ação Cultural (ProAC). Alunos de várias escolas de Araraquara visitam exposição Marê Moraes www.maremoraes.com fb.com/maremoraesfotografa ComTexto Cultural ctexto.com.br/cultural (16) 3324 5300 8

[close]

p. 9

9

[close]

p. 10

10

[close]

p. 11

EDITORIAL por: Ivan Roberto Peroni Há 50 anos, uma tarde de chuva, poucos enfeites, um presépio e uma torcida feliz. Sobre as marquises da Casa Barbieri naquele 22 de dezembro de 1966, uma quinta-feira, a simbologia do Natal dava inspiração aos pequenos enfeites pendurados entre as fiações da rede elétrica que sustentava os cabos dos ônibus da CTA. O romântico transporte coletivo fazia da Rua Dois um vasto caminho de luz e poesia no fim de uma tarde chuvosa. O pequeno Jesus no alto da marquise, todo em cerâmica trazido da Itália, embalado pelo olhar de José e Maria, seguia alguns passos apressados de um amontoado de gente vestida de cor grená, acobertada por chapéus e guardas-chuva. Era a chegada triunfal da Ferroviária que há 50 anos se tornara campeã para retornar à principal divisão do futebol paulista. Futebol e economia sempre estiveram juntos. Eu sei disso. Ainda mais, naquele ano de 66 em que a nossa Ferroviária mais precisava de apoio para ser campeã da Primeira Divisão, com direito a retornar à elite do futebol de São Paulo. Isso me faz lembrar da quarta-feira molhada do Pacaembú, 21 de dezembro. A chuva no gramado barrento silenciava os gritos roucos de um valente chamado Tabú, do São Geraldo, professor de mecânica da antiga Escola Profissional Ferroviária, exageradamente destemido como foram Aldo Comito, Carlos Coutinho de Oliveira Filho, Eduardo Lauand, Dorival Silvestre, Pádua Lopes, Geraldo Brogna, Alceu Almeida Santos, Vicente Micelli, Orlando Luzia e tantos outros que se juntaram na Campanha da Volta, e da qual participei como repórter de campo aos 16 anos de idade, início de uma carreira. Agora era o dia seguinte. A Ferroviária derrotara o mundo financeiro do XV de Piracicaba, sepultava o poder do comendador Humberto D’Abronzo e da cachaça Tatuzinho, onde ele era o dono. E naquele final de tarde, na Rua Dois eu via de longe o Jamil Issa Tammer conversando com sua esposa Vani, quando devagar chegou Fioravante Sarti, da Ótica Fiore. Eles se abraçaram na meia luz dos enfei- tes que o Zito Melhado colocara no final de novembro. Eram uns arranjos simples, resto quem sabe do ano anterior que o prefeito Rômulo Lupo mandara o Espingardinha (José Benedito de Souza) guardar. Clodoaldo Medina, presidente então da Associação Comercial até que concordara, embora tivesse feito um movimento com alguns comerciantes para estender a iluminação até a Barroso. Pra isso em outubro, Medina já tivera uma conversa com Alfredo Miguel Saba, que assumira o recém fundado Sindicato do Comércio Varejista no ano anterior, 1965. Só que agora, pouco mais das cinco e meia da tarde, tudo era festa. Anoitecera de repente. Aquela gente grená - me parece que o Tico estava também à frente - subia como a desafogar o pranto na fina chuva. Até o Pernambuco havia deixado o bar e colocava a cara na rua enquanto a mulher continuava a servir os fregueses das seis horas. Na medida que a torcida passava, o Chaffizinho, eterno Rei Momo, já com seus 70 anos, ensaiava o “abre-alas” em frente à Centrolar, quase em frente à Casa Barbieri. Ali também, só que do outro lado da rua, esquina com a Duque, o Waldemar Fruteiro e seu fiel escudeiro Urso, se preocupavam em proteger a banca de frutas armada sobre três cavaletes e coberta por um pedaço de encerado Locomotiva. Tudo que acontecia naquele instante me fazia lembrar da música recém lançada - A Banda, do Chico Buarque -, dizendo “o homem sério que contava dinheiro, parou, o faroleiro que contava vantagens, parou, a namorada que contava as estrelas, parou para ver, ouvir e dar passagem”. Jamil e Vani, agora também a Mariinha da Ótica Lupo, estavam parados só para ver aquela gente passar. Cinquenta anos depois - o futebol ainda se mistura à economia de uma cidade, as pessoas se foram no sopro do vento e me custa acreditar que eu menino ainda, na incerteza do que viria depois dos meus 16 anos, teria um pouco de história pra contar. E se eu o faço, é pra que nada se perca, pois sempre haverá de existir o que chamo de familiaridade em cada conto, como recompensa e reconhecimento ao que estes moços-velhos de ontem me mostraram. 11

[close]

p. 12

REPORTAGEM DE CAPA Alarm System Reuniões para elaboração de projetos no setor de segurança eletrônica Projetos e implantação de sistemas de segurança Ao completar 21 anos de atividades e se tornar uma das empresas mais conceituadas na criação de projetos e inovação de sistemas de segurança e videomonitoramento, a Alarm System se qualifica pelo seu avanço tecnológico, qualidade e agilidade na prestação de serviços. Diariamente os noticiários, sejam nos telejornais ou redes sociais, têm mostrado ações de bandidos, filmados por câmeras de segurança. No entanto, são raros os casos onde se consegue identificar o indivíduo. Isso se dá pela qualidade da maioria das câmeras instaladas, tendo elas uma tecnologia analógica com baixa resolução, usada apenas para identificar a ação e não a pessoa. Aliado ao atendimento sempre ágil, a empresa é líder no fornecimento de soluções integradas, apresentando como diferencial em cada projeto, completos recursos para aquilo que o cliente necessita 12 Para Jefferson Barroso, gestor de segurança eletrônica e diretor da Alarm System, a gravação das imagens é fundamental e na maioria das vezes isso não ocorre porque os produtos não são adequados.

[close]

p. 13

Sede da Alarm System na avenida Queiroz Filho, 194, na Vila Sedenho Departamento de Vendas Essa é uma das razões que tem levado os especialistas do setor a recomendar a contratação de uma empresa capacitada para elaborar o melhor projeto de segurança, aplicando as melhores tecnologias à necessidade do cliente. Jefferson chega até mesmo a sugerir as câmeras IPs ou câmeras de rede que vêm revolucionando o mercado de segurança: “É uma tecnologia avançada que permite a configuração e programação dos produtos, atualizados por software, com ajustes finos e excelente resolução de imagens”, diz ele. A Alarm System dispõe de modernos sistemas de segurança, alarmes, proteção para perímetros, monitoramento 24 horas, câmeras de segurança, automação e consultoria para empreendimentos comerciais, industriais e soluções completas para condomínios. A empresa é associada da ABESE (Associação Brasileira das Empresas de Segurança Eletrônica), desde 1996. Área de atendimento ao cliente PROJETOS DE SEGURANÇA Um detalhe contudo tem desperta- do a atenção das empresas que atuam no setor: é a falta de projetos de segurança nas plantas e construções de prédios residenciais ou empresariais. Para ele, através de planejamento adequado, os projetos de segurança poderiam ser aplicados com maior tranquilidade, pois é bem mais fácil alterar no papel do que depois da obra pronta. A explicação que se dá neste caso é que ainda falta uma conscientização dos engenheiros e arquitetos em preparar as obras para receber os sistemas de segurança. “É mais uma questão cultural, pois os sistemas de segurança sempre foram deixados para o final da obra, sendo assim, não se pensa em segurança no projeto”, afirma o diretor da Alarm System. Mas também tem um porém, completa Jefferson: “Não adianta dispor de um excelente projeto de segurança se a implantação do sistema não seguir os padrões de qualidade dos produtos e serviços aprovados pelos órgãos regulamentadores do setor”. PORTARIA REMOTA Na linha da modernidade e alta tec- nologia, a Alarm System como empresa também de monitoramento, abre seu leque de serviços para propiciar aos condomínios, uma economia em até 50% com a instalação da Portaria à Distância, minimizando as falhas humanas e evitando transtornos no acesso ao prédio. A Central de Monitoramento no condomínio é responsável pelo atendimento 24 horas da portaria, utilizando câmeras de segurança para visualizar as entradas e saídas e um link de voz para conversar com os visitantes, transferindo as ligações para os moradores. Portaria remota para condomínios 13 A Alarm System na atualidade monitora cerca de 1.500 residências e empresas em Araraquara e região, atuando também em condomínios, utilizando biometria, catracas, cancelas, câmeras e o videomonitoramento. Além destes serviços, o cliente tem suporte 24 horas por dia. SERVIÇO Alarm System Tecnologia Tel.: (16) 3311 8800 End: Avenida Queiroz Filho, 194, esquina com Dr. Emílio Ribas (Vila Sedenho) www.alarmsystemsp.com.br

[close]

p. 14

ESPECIAL ECONOMIA ACREDITAR SEMPRE Natal da superação Especialistas e professor universitário pontuam data como um possível alento dentro do momento delicado que a economia brasileira enfrenta; horário especial do comércio em Araraquara funciona até o dia 23 de dezembro. Na véspera de Natal, sábado, das 9h às 17h. SEGUE 14

[close]

p. 15

ESPECIAL ECONOMIA COMPRAR AQUI. BOM PARA TODOS. Hora de pesquisar preços e criar boas opções de compra e pagamento Essas são algumas ações estratégicas que podem beneficiar os dois lados da moeda: clientes e comerciantes; data visa superar o movimento de vendas de 2016 em 2%. A crise econômica que o Brasil enfren- ta está tirando o sono de muita gente, afinal, segundo números oficiais do go- verno, até maio deste ano, 14 milhões de trabalhadores foram demitidos, número este que engloba empregados e empre- sários, que viram seus empreendimentos passarem por situações extremamente críticas ou decretarem falência. Porém, em levantamento feito no começo de setembro pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e divulgado no site Agência Brasil, há indí- Antônio Deliza Neto, presidente do SINCOMERCIO de Araraquara, confia na criatividade dos comerciantes para aumentar o movimento em suas lojas cios de que o País começa a reagir. De acordo com o coordenador do Grupo de “Os resultados de vendas do comér- nível, o consumidor procura as lojas que Conjuntura do Ipea, José Ronaldo Souza cio varejista em 2016 não foram muito oferecem melhores condições de pa- Júnior, ainda há um longo caminho para animadores para os lojistas. Mas, duran- gamento, desde promoções até prazos a recuperação total do Brasil, mas um fio te o segundo semestre do ano, o consu- maiores para o pagamento. A adaptação de esperança começa a ganhar vida. midor vem se mostrando mais otimista dos produtos oferecidos também será Dentro desta realidade, com a chega- em relação à sua condição atual e tam- um fator importante, uma vez que o con- da do Natal, o comércio de Araraquara bém em relação a suas perspectivas fu- sumidor tem uma renda menor disponí- vive uma expectativa de tempos melho- turas, fator que pode gerar um consumo vel para gastar em comparação a anos res. Algo como um presente do Papai um pouco melhor no Natal”, analisa. anteriores. Espera-se um crescimento Noel recheado por um Assim, a expectativa no movimento de vendas, porém com movimento intenso e muitas vendas, visto que esta data é a que mais movimenta o mercado não só aqui, mas nos quatro cantos do mundo. Para se manter em 2016, o lojista teve que enxugar custos, deixar de contratar, reduzir estoques e negociar contratos. dos lojistas para esta data é de aumento nas vendas, para que elas sejam ao menos iguais aos resultados de 2015. Numa visão mais positiva, espera-se um crescimento de cerca produtos de valores menores”, analisa. Deliza completa. “Essas estratégias são essenciais para que o empresário consiga vender bem, principalmente no caso do setor de bens duráveis. É essencial que o empresário tenha essa percepção de que o consumidor mudou Antonio Deliza Ne- de 2% em relação ao ano seus hábitos durante o ano e os produ- to, presidente do SIN- passado. No máximo po- tos oferecidos deverão se adequar a COMERCIO de Araraquara, adota um derá atingir 3%. esse novo consumo. Os lojistas ainda discurso cauteloso, porém com certa “O grande fator chave que determina- não devem esperar uma retomada forte dose de confiança, com algumas saídas rá o crescimento ou não, será a própria nesse Natal, mas ao menos um cresci- práticas que podem dar um novo contor- ação dos lojistas. No cenário atual, de mento pequeno já significará muito após no à crise. restrição de crédito e pouca renda dispo- um período de tanta contração”, pontua. 15

[close]

Comments

no comments yet