Informativo Outubro/Novembro de 2016

 

Embed or link this publication

Description

Informativo Outubro/Novembro de 2016

Popular Pages


p. 1

INFORMATIVO Edição 03 - Outubro/Novembro 2016 ESTUDO INÉDITO REVELA A NECESSIDADE DA INDÚSTRIA POR MÃO DE OBRA QUALIFICADA ATÉ 2020 Páginas: 4 e 5 Cenário Nacional: Comércio químico planeja ações estratégicas para voltar a crescer Página: 3 Entrevista CRQ-III: Presidente do SBQRio comenta as perspectivas para a nova gestão Página: 6 Nova Química: Dente de lula pode consertar furos em roupas Página: 8

[close]

p. 2

EXPEDIENTE Isaac Plachta Presidente Eduardo Falabella de Souza Aguiar Vice-Presidente José Antonio de Carvalho e Silva Tesoureiro Paul Antoine Maron Gédéon Secretário Conselheiros Adelaide M. S. Antunes David Tabak Eduardo F. S. Aguiar Harley M. Martins José Antonio C. e Silva Luiz Alberto F. da Silva Marcio F. Oliveira, Paul A. M. Gédéon Sérgio P. Machado Carla C. da Silva Daniel Pomeroy Gabriel O. Apolinário Gandhi Giordano Hélio Camarota Jorge C. Messeder Rafael B. Almada Rafael Gama Escritório - Campos Pça. Santíssimo Salvador, nº41, sala 405 Centro - Campos dos Goytacazes, RJ CEP 28010-000 Telefone: (22) 2733-4551 atendimento.campos@crq3.org.br Escritório - Macaé Rua Dr. Luiz Belegard, nº68, sala 203 Centro - Macaé, RJ CEP 27900-000 Telefone: (22) 2762-0642 atendimento.macae@crq3.org.br Escritório - Volta Redonda Rua Lúcio Bittencourt, nº109, salas 213 e 214 Vila Santa Cecília Volta Redonda, RJ CEP 27260-110 Telefone: (24) 3340-4252 atendimento.voltaredonda@crq3.org.br 2 A gestão Mudar para Crescer visa manter uma conduta moral e ética que satisfaça o mais alto padrão de dignidade, equilíbrio e consciência. Dentre as suas linhas de atuação, tem a missão de fiscalizar a representação dos profissionais e empresas da área da química no estado do Rio de Janeiro. Por isso, o Conselho Regional de Química - Terceira Região busca a constante aproximação com aqueles que fazem do setor químico a quarta maior potência no ranking nacional da indústria e sexta maior indústria química do mundo. A campanha #SouCRQ é uma iniciativa do CRQ-III que visa valorizar as profissões do setor, ressaltando a importância destes profissionais estarem regularizados no Conselho de sua jurisdição. Além de um ato obrigatório, é uma atitude de responsabilidade, compromisso, competência e ética. Engenheiros Químicos, Químicos, Químicos Industriais, Técnicos Ambientais e Técnicos em Petróleo e Gás foram homenageados nesta primeira fase da campanha. Vale ressaltar que o engenheiro químico é um profissional da química (conforme Decreto nº 24.693, de 12.07.34, e Decreto-Lei nº 5.452, de 01/05/43), logo deve estar registrado nos Conselhos Regionais de Química para o exercício de atividades que envolvam conhecimentos de química. A gestão também objetiva impedir que a sociedade seja prejudicada por profissionais e empresas irregulares. Por isso, o CRQ-III enviou um ofício às empresas e instituições de ensino do estado do Rio de Janeiro informando, por um viés normativo, a obrigatoriedade dos profissionais na área da química em registrar-se no Conselho. Isaac Plachta Presidente FALE CONOSCO O que é necessário para requerer registro profissional (Atuação Simultânea) em mais de um CRQ e Jurisdição? Para casos de atuação temporá- sionalestãodisponíveisemnosso ria, por período não superior a 3 site crq3.org.br/registro/, na aba: (três)meses,aatividadepodeser AUTORIZAÇÃODEEXERCÍCIO. regularizada por meio da “auto- rização temporária”, nos termos Para casos de atuação perma- do Art. 2º da RN nº 223/09. nente ou por período indetermi- nado, o profissional deve reque- O requerimento, documentação, rer registro profissional em nossa taxas e procedimentos necessá- jurisdição. rios para requerer registro profis- faleconosco@crq3.org.br

[close]

p. 3

Nacional COMÉRCIO QUÍMICO PLANEJA AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA VOLTAR A CRESCER O comércio químico se prepara para a próxima fase de recuperação. A expectativa é que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro volte a crescer em exercícios fiscais futuros, impulsionando os investimentos de todos os setores. Na área química, as distribuidoras revisam a cada dia seu portfólio e políticas internas, buscando dar o melhor atendimento aos clientes com o maior resultado econômico possível. A sobrevivência depende dessa capacidade de adaptação e de conseguir desenvolver um plano de negócios de longo prazo compatível com o momento. Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos Químicos e Petroquímicos (Associquim), Rubens Medrano, há muito capital disponível no exterior para investimentos produtivos. No quadro atual, os países mais desenvolvidos operam com taxas básicas de juros negativas ou próximas a zero e, por se tratar de economias maduras, há poucas oportunidades para novos projetos de fôlego. “Os países emergentes, como Brasil, China, Índia, Malásia e Vietnã, entre outros, disputam esses recursos. Os ativos brasileiros até estão baratos, mas a instabilidade política afugenta os potenciais interessados”, Rubens Medrano. O desempenho do comércio químico reflete o momento econômico nacional. “Em 2015, o setor amargou uma queda de 20% de faturamento em dólares; para 2016, espera-se a estabilização desse indicador, com acréscimo de 10% quando cotado em reais”, apontou Medrano. Os empresários do ramo não fixam o olhar somente no curto prazo, mas miram o futuro. “Os distribuidores fizeram sua lição de casa: reorientaram seu mix de produtos, cortaram custos, tornaram-se mais cuidadosos no controle dos estoques; a crise obrigou a rever negócios e redimensionar operações”, comentou Rubens Medrano. Nos últimos anos ocorreu um aumento dos investimentos do setor em sistemas de tecnologia da informação. Esses recursos possibilitam aos empresários acompanhar em tempo real as principais operações de suas empresas, como compras, vendas e aspectos financeiros. A tecnologia da informação também acelerou os contatos por meios eletrônicos, em detrimento do contato direto entre partes, exigindo capacitar o pessoal de vendas. 3

[close]

p. 4

ESTUDO INÉDITO REVELA A NECESSIDADE DA INDÚSTRIA POR MÃO DE OBRA QUALIFICADA ATÉ 2020 “O profissional da Química precisa se capacitar para atender as demandas do mercado de trabalho. Simultaneamente, as instituições de ensino e as empresas devem facilitar estas portas de entrada. Por sua vez, o Conselho é órgão capaz de aproximar todos os setores. Este é o objetivo da gestão Mudar para Crescer.” - Isaac Plachta

[close]

p. 5

Elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Mapa do Trabalho Industrial de 2017 a 2020 subsidia o planejamento da oferta de formação profissional da instituição. O estudo também aponta as áreas com maior demanda por profissionais qualificados para os próximaos quatro anos. Os setores com maior destaque foram Petroquímica e Química com previsão de 327.629 oportunidades; Energia (661.619); Alimentos (1,2 milhão); Metalmecânica (1,7 milhão); e Meio Ambiente e Produção (2,4 milhões). Entre as funções técnicas, as maiores oportunidades devem estar nas seguintes áreas: Controle ambiental (425 mil); Automação industrial e Siderúrgica (361 mil) e Eletrotécnica (272 mil). demanda por formação inclui a requalificação de profissionais que já estão empregados e aqueles que precisam de capacitação para ingressar em novas oportunidades no mercado. “O profissional qualificado tem mais chances de manter o emprego e também pode conseguir uma nova vaga mais facilmente quando a economia voltar a crescer e as empresas retomarem as contratações”, afirma o diretor-geral do SENAI e diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Rafael Lucchesi. A maior necessidade por profissionais capacitados em ocupações industriais se concentra no Sudeste e no Sul, alinhada com a participação das regiões no Produto Interno Bruto (PIB), seguidas pelo Nordeste, Centro-Oeste e Norte. A pesquisa inédita também pode apoiar os jovens brasileiros na escolha da profissão e, com isso, aumentar suas chances de ingresso no mercado de trabalho. A 13 ÁREAS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL COM MAIORES DEMANDAS ENTRE 2017 -2020 Áreas de Formação Construção Meio ambiente e produção Metalmecânica Alimentos Vestuário e calçados Total 3.867.196 2.447.683 1.751.318 1.274.554 974.592 Tecnologias de Informação e Comunicação 611.241 Energia Veículos Petroquímica e Química Madeira e Móveis Papel e Gráfica Mineração 661.619 435.742 327.629 258.570 177.580 130.929 Pesquisa, Desenvolvimento e Design 91.669 Total Geral 13.010.324

[close]

p. 6

PRESIDENTE DO SBQ-RIO APRESENTA AS PROPOSTAS DA NOVA GESTÃO E ACREDITA NA RETOMADA DO CRESCIMENTO ECONÔMICO BRASILEIRO A Sociedade Brasileira de Química (SBQ) consegue reunir cientistas, professores e estudantes em prol do crescimento do setor, satisfazendo suas necessidades de expressão e de debate científico e político. Ao longo dos anos assumiu um papel de interlocução com autoridades responsáveis pelas políticas de desenvolvimento científico e tecnológico do País. Esse viés contribui para um grande surto de crescimento da Química brasileira, em todos os seus aspectos e formas de atuação. Em 2017, a SBQ completa quarenta anos de fundação e para comemorar sediará o Congresso Mundial de Química da IUPAC. Para tal, elegeu recentemente o novo presidente da secretaria regional do Rio de Janeiro. Entrevistamos Dr. David Rodrigues da Rocha(Doutor em Química) para conhecer as propostas da nova gestão e as expectativas do setor para os próximos anos. Gostaríamos de saber quais são os projetos que o senhor pretende implantar no seu mandato? De que forma a SBQ trabalha para aproveitar os jovens talentos do Rio de Janeiro que se destacam nas Olimpíadas Estadual e Nacional de Química? A SBQ-Rio tem como público-alvo os estudantes do ensino médio, graduação e pós-graduação da área de Química e a ns, bem como os pro ssionais destas áreas de todos os segmentos, dentre eles indústria, pesquisa e educação. Atualmente, a SBQ-Rio tem atuado principalmente através de sua reunião bianual, onde são oferecidas palestras, cursos, além da possibilidade de exposição dos trabalhos de pesquisa desenvolvidos pela comunidade cientí ca do estado do Rio de Janeiro. Neste mandato de 2 anos pretendo ampliar as ações desta secretaria, primeiramente buscando estreitar laços com a nossa comunidade, permitindo assim seu fortalecimento e representatividade. A seguir, estabelecer maiores oportunidades de divulgação da Química em nosso estado, através de palestras e cursos distribuídos ao longo do ano e não somente em nossa reunião cientí ca habitual. CRQ-III: De que forma a SBQ trabalha para aproveitar os jovens talentos do Rio de Janeiro que se destacam nas Olimpíadas Estadual e Nacional de Química? A expectativa para os próximos anos é que o mercado químico avance, juntamente com a retomada do crescimento econômico brasileiro. Outro ponto de destaque, o qual deve propiciar boas notícias para o setor, é a retomada do crescimento da Petrobras, a qual já gura como 2ª maior empresa de capital aberto do país. Atualmente não existe uma ação da SBQ-Rio neste sentido, mas considero de suma importância o aproveitamento destes jovens. Em função da distribuição de seus associados, a SBQ-Rio possui maior penetração no momento nas instituições de ensino e pesquisa e, desta forma, podemos colocar à disposição destes alunos os laboratórios de pesquisa destas instituições. Assim, estes jovens talentos teriam a oportunidade de vivenciar centros de excelência em algumas das principais instituições do país, serem xados na área de Química, na qual já demostraram aptidão, e concorre a bolsas de Iniciação Cientí ca Júnior, por exemplo. No atual cenário, no seu entendimento, quais deveriam ser as ações para dinamizar e aquecer o mercado das indústrias químicas no Brasil? O setor industrial brasileiro tem sofrido desaceleração de suas atividades e com a área de Química não é diferente. Entendo que o aquecimento deste mercado, sobretudo no Rio de Janeiro, depende de maiores investimentos no setor, com a ampliação e diversi cação de nosso parque industrial. Além disso, é de suma importância uma maior integração do setor industrial com os pro ssionais da área acadêmica, através de incubadoras de empresas e start-ups. 6

[close]

p. 7

Internacional BAYER E CARLYLE MOVIMENTAM MERCADO DAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS Em um espaço de 23 dias, duas aquisições agitaram o mundo das indústrias químicas, chegando a cifra de quase US$ 70 bilhões (cerca de R$ 223 bilhões). Primeiramente, no dia 14 de setembro, a farmacêutica e companhia de produtos químicos alemã Bayer comprou a empresa estadunidense Monsanto, líder mundial dos herbicidas e engenharia genética de sementes, por US$ 66 bilhões. A outra aquisição foi do grupo estadunidense Carlyle que adquiriu a Atotech, de especialidades químicas, da petroleira francesa Total, no dia 7 de outubro, pelo valor de US$ 3,2 bilhões (em torno de R$ 10 bilhões). A negociação entre a Bayer e a Monsanto é a maior compra realizada até hoje por uma empresa alemã. Em comunicado, as empresas disseram que o “acordo de fusão definitiva” foi aprovado por unanimidade pelo Conselho de Administração da Monsanto, Conselho de Administração da Bayer e Conselho Fiscal da Bayer. Do acordo surgirá uma empresa que dominará mais de um quarto do mercado mundial combinado para sementes e pesticidas em uma rápida consolidação da indústria de insumos agrícolas. Juntas, Bayer e Monsanto se transformarão em um gigante mundial com um volume de negócios anual de 23 bi- lhões de euros (US$ 25,8 bilhões) e quase 140 mil empregados. Já a venda da Total está inserida no processo de reestruturação dos negócios. Entre 2015 e 2017, a companhia pretende levantar US$ 10 bilhões em desinvestimentos. Paralelamente, a venda para o grupo Carlyle traz recursos ao caixa da petroleira em um momento difícil aos preços do petróleo. Em comunicado, a Total ressaltou que o Carlyle está bem posicionado na Ásia, na Europa e nos Estados Unidos, com amplo leque de investimentos, e é um dos mais experientes investidores na indústria química global. Com forte presença no mercado asiático, a Atotech é líder em segmentos de químicos de alta tecnologia e emprega cerca de quatro mil trabalhadores, principalmente na Alemanha e China. A transação está sujeita à aprovação de órgãos reguladores. QUÍMICO 7

[close]

p. 8

NOVAQUÍMICA DENTE DE LULA PODE CONSERTAR FUROS EM ROUPAS Pesquisadores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estão desenvolvendo um novo tipo de embalagem mais eficiente que o plástico. Uma substância presente no leite pode criar um material que protege alimentos e ameniza um pouco nossos problemas com a poluição. Os cientistas isolaram especificamente uma proteína que existe dentro da bebida, a caseína. Quando polimerizada, a substância forma estruturas com poros tão pequenos que conseguem isolar o alimento do contato com o ar de modo 500 vezes mais eficiente do que as embalagens de plástico que temos atualmente. “Os filmes feitos com base em proteínas são poderosos bloqueadores de oxigênio que previnem a deterioração dos alimentos. Isso poderia diminuir o desperdício de comida durante sua distribuição”, afirmou Peggy Tomasula, pesquisadora da USDA. Uma das utilidades mais exploradas pelos envolvidos no projeto é a criação de pequenas embalagens que sirvam para armazenar porções únicas de alimento e que não criem resíduos. Durante a apresentação do projeto no encontro anual da Sociedade de Química dos Estados Unidos, Laetitia Bonnaillie, co-autora da pesquisa, preparou um café colocando uma pequena embalagem dentro de um copo com água quente. O plástico se dissolveu com temperatura elevada, não alterou o gosto da bebida e ainda adicionou algumas proteínas ao café. Não houve produção de resíduos. “Se você quiser, você poderia comer a embalagem. Se não, pode jogar fora - o material é biodegradável, não vai gerar lixo”, comentou. Outra possibilidade é o uso da substância em forma de spray. Por enquanto, os pesquisadores estão testando a técnica em cereais matinais. A embalagem deixa os flocos crocantes por mais tempo, sem usar açúcar (técnica utilizada atualmente). A promessa é que o produto continue sendo testado e aperfeiçoado até olançamento,projetadopara2019. Calendário de Eventos 16º Encontro Brasileiro de Síntese Orgânica Data:15 a 18 de Novembro Local: Hotel Atlântico Búzios, em Búzios/RJ Encontro Anual da Indústria Química – ENAIQ Data: 02 de dezembro Local: Sheraton WTC, em São Paulo/SP Premiação da Olimpíada de Química do Rio de Janeiro Data: 12 de dezembro Local: Solenidade de encerramento e premiação, no Auditório do Campus IFRJ, na Rua Senador Furtado, 121, no Bairro do Maracanã. Conselho Regional de Química - Terceira Região Rua Alcindo Guanabara, 24 - 13º andar Centro - Rio de Janeiro, RJ, CEP - 20031-130 Tel.: (21) 2524-2236 Email: faleconosco@crq3.org.br Seg. a Sex. das 08:30h às 17:30h. 8

[close]

Comments

no comments yet