Médicos de bem antigamente

 

Embed or link this publication

Description

Jornal de Arcoverde N. 261 - Maio/Junho de 2011 - Página 3

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

médicos de bem antigamente pedro salviano filho neste final de ano a minha turma da faculdade de ciências médicas de pernambuco faz a festa dos 40 anos de formatura puxa parece que foi ontem que eu frequentava o hospital e clínicas de arcoverde aproveitando todas as folgas e férias da faculdade participava das várias equipes de médicos ajudando em muitas cirurgias e nos ambulatórios lembrando dos médicos daquele tempo e identificando a procedência de cada um constatei que alguns haviam nascido em arcoverde e ali decidiram exercer as suas atividades a partir dessas lembranças não pude ficar sem questionar quem foram os primeiros médicos da nossa região e mais qual foi o primeiro médico filho da terra que depois viria ser arcoverde sem conter o meu gosto em pesquisar os fatos que ocorreram em nossa terra e tornar muitos deles registros claros para nossos leitores fui à busca de respostas no livro da criação da vila de cimbres 1762-1867 [recife 1985 ­ pág 242 encontra-se o documento que transcrevo e que nos traz algumas respostas interessantes registro da carta de médico do doutor josé martins teixeira império do brasil escola de medicina da bahia diploma de doutor em medicina a faculdade de medicina da bahia em atenções aos estudos regulares feitos pelo senhor joão martins teixeira natural da cidade de penedo província das alagoas com trinta anos de idade nos diversos ramos do curso médico desta escola e o conhecimento de que deu prova nos exames pelos quais passou lhe conferiu no dia vinte de novembro de mil e oitocentos e cinquenta e dois no grau de doutor em medicina e para que seja como tal reconhecido e possa exercer livremente no império a sua profissão e gozar dos direitos que lhe compete lhe dão este diploma assinado tão somente pelo diretor e secretário e selado no selo grande da faculdade feita na bahia aos quinze de abril de mil e oitocentos e cinquenta e sete e eu prudêncio josé de souza brito cotergipe secretário vila de pesqueira 11 de outubro de 1864 o secretário severiano rodrigues pires jatobá no citado livro o pesquisador gilvan de almeida maciel inseriu uma nota adicional que bem ilustra como a medicina era exercida até então o major panta pantaleão de siqueira cavalcanti júnior era filho do coronel pantaleão de siqueira cavalcanti chefe político de pesqueira por muito tempo e neto de manuel josé de siqueira o último capitão-mor de ararobá e fundador de pesqueira o major panta mesmo sem ser formado na realidade era o médico de pesqueira onde gozava de boa reputação residia na fazenda tambores mas quem foi a primeira pessoa nascida no que corresponde hoje a arcoverde a se formar em medicina?

[close]

p. 3

creio que deve ter sido o dr leonardo arcoverde de albuquerque cavalcanti ele nasceu na fazenda fundão em 6 de julho de 1855 e faleceu em 17 de maio de 1950 no recife porém ele quase não exercia a profissão de médico como conta luiz wilson no seu livro minha cidade minha saudade recife 1972 tenho a impressão de que o dr leonardo arcoverde jamais fez clínica em rio branco na minha época atendia apenas a um amigo a um parente ou a uma pessoa pobre e estava vez por outra em campina grande na paraíba onde era dono ou um dos sócios do ´motor´ que fornecia luz à cidade registre-se que o dr leonardo era casado com carolina de caldas lins dona caró ele foi deputado por pernambuco no tempo do império e prefeito de ipojuca no começo do século passado adquiri num sebo eletrônico um livro considerado raro pelo menos por quem o vendeu pequena medicina ou noções rudimentares de medicina prática ao alcance de todos de 1931 de autoria do dr leonardo no referido livro ele é apresentado como doutor em medicina pela faculdade de paris e laureado pela mesma faculdade creio também tratar-se de um dos primeiros livros de autores da terra junto a livros do seu irmão joaquim arcoverde como a mulher cristã síntese de filosofia federação católica etc aproveito para apresentar aos leitores as fotos que estão em duas páginas onde são mostrados os pais e irmãos do texto apenas transcrevo um parágrafo da introdução a `pequena medicina é um livrinho modesto uma cartilha que podem ter sempre à mão os chefes de família os amadores de medicina os farmacêuticos os vigários e os doutores baratos quando falta o médico verdadeiro ou quando a moléstia já conhecida e de natureza benigna não exige grandes conhecimentos clínicos

[close]

p. 4

antônio de albuquerque cavalcanti capitão budá e sua esposa marcolina dorothéa pacheco do couto antônio francisco de albuquerque cavalcanti o capitão budá 1822-1870 nascido na fazenda fundão da qual com a morte do pai em 1843 tornar-se-ia proprietário por muita gente era considerado um matutão de poucas falas rude malvado incivil inculto no entanto o que quase ninguém enxergava nele era a extraordinária percepção que tinha das coisas do mundo e do futuro de seus filhos tipo dotado de muito tino administrativo criatura admiravelmente previdente excelente chefe de família desde cedo cuidara da instrução dos filhos nove ao todo meigo compreensivo bondoso o extraordinário capitão budá contentava a todos os filhos sem exceção permitindo que cada um deles traçasse o seu próprio destino na vida e para os melhores educandários da europa enviava-os por um capricho da sorte não chegaria a ver a formatura de qualquer filho nelson barbalho em caboclos de urubá ­ recife 1977 algum tempo antes de sua morte a esposa retirou-se um dia do seu quarto com os olhos cheios de lágrimas o capitão tem-se a impressão que morreu de um tumor malígno do estômago em consequência de desgosto pelo assassinato de seu velho pai budá chamou-a e disse-lhe o seguinte `contenha-se que isso é natural eu morro hoje você morre amanhã nossos filhos morrerão depois e o velho e grande capitão tinha razão não há nada mais natural do que a morte todos nós um dia iremos embora deste mundo e quando chegar a hora da grande viagem pai mãe esposa filhos irmãos amigos ninguém poderá fazer coisa alguma o que budá pediu a esposa antes

[close]

p. 5

de morrer foi que cuidasse da educação dos filhos até o fim luís wilson em roteiro de velhos e grandes sertanejos ­ 6 recife 1978 e nesse mesmo tópico do livro está a citação do seu filho dr leonardo É contam muitas estórias do meu pai mas ele era um homem de bem um homem bom e um homem extraordinário 1 cardeal joaquim arcoverde de albuquerque cavalcanti 2 cônego antônio arcoverde de albuquerque cavalcanti 3 dr leonardo arcoverde de albuquerque cavalcanti 4 dr francisco de albuquerque cavalcanti 5 dr antônio de albuquerque cavalcanti e 6 jerônimo arcoverde de albuquerque cavalcanti

[close]

p. 6

dr leonardo arcoverde de albuquerque cavalcanti e sua esposa carolina de caldas lins na fazenda fundão nasceram todos os filhos de antônio francisco de albuquerque cavalcanti e de sua esposa d marcolina dorothéia pacheco do couto o 1º d joaquim arcoverde em 1850 2º cônego antônio arcoverde de albuquerque cavalcanti 1851 3º capitão jerônimo arcoverde de albuquerque cavalcanti 1852 4º tereza arcoverde de albuquerque cavalcanti 1853 5º dr leonardo arcoverde de albuquerque cavalcanti 1855 6º dr francisco de albuquerque cavalcanti 1956 7º ana arcoverde de albuquerque cavalcanti 8º maria arcoverde de albuquerque cavalcanti 1864 9º dr antônio francisco de albuquerque cavalcanti 1869 luís wilson município de arcoverde rio branco ­ recife 1982 e aproveito para acrescentar que o segundo médico nascido na terrinha foi o irmão do dr leonardo dr francisco de albuquerque cavalcanti nasceu na fundão em 4 de maio de 1856 faleceu em 2 de maio de 1937 foi doutor em medicina pela universidade de montpellier na frança casou-se e viveu em são paulo o dr leonardo foi pai do médico dr leonardo arcoverde de albuquerque cavalcanti filho como curiosidade o jerônimo arcoverde de albuquerque cavalcanti foi o único filho do cap budá que não estudou na europa e ficou para ajudar o velho na fazenda fundão já o dr antônio de albuquerque cavalcanti era bacharel em direito estas e outras várias informações sobre a família arcoverde foram compiladas e estão no link http bit.ly/isrujq mas agora volto meu olhar para outro aspecto genealógico como já fiz em outros escritos na inserção dos entrelaçamentos familiares no site

[close]

p. 7

www.lanta.myheritage.com que desenvolvo encontrei casamentos entre os descendentes do meu bisavô salviano bezerra leite melo e os arcoverde para entender melhor damos um mergulho mais profundo no tempo no alvorecer do século 19 vindo de floresta do navio-pe francisco gomes de sá se casa com joana e entre vários filhos nasce joaquina francisca de sá que se casou com meu bisavô salviano bezerra leite de melo e em 1830 nasce antônio gomes de sá que casado com joaquina francelina de melo tiveram entre outros filhos luiz marques de mello lulu 1862-1946 a primeira filha do meu bisavô salviano maria vieira de melo sinhara 1865-1946 casou-se com este seu primo em primeiro grau e três das suas filhas se casaram com três irmãos da família arcoverde virgínia marques de melo virge 1883 com andré arcoverde cavalcanti neto adelina marques de melo dilú 1885-1969 com joaquim arcoverde cavalcanti sinhô 1883-1950 e josefa marques da conceição juca 1891 com luiz arcoverde cavalcanti filho lulinha 1882-1952 eles eram filhos de luiz cavalcanti arcoverde e izabel de oliveira souza o pai do luiz arcoverde cavalcanti foi andré de albuquerque cavalcanti arcoverde nascido em 20-5-1824 que era irmão de antônio francisco de albuquerque cavalcanti o cap budá pai dos irmãos leonardo e francisco os médicos nascidos na fazenda fundão como vimos acima como informação o avô do andré do cap budá e de muitos outros irmãos foi o capitão andré cavalcanti de albuquerque arcoverde 1753-1829 ­ casou-se em conceição da pedra hoje pedra-pe que por muito tempo assinou como andré arcoverde e parece ter sido o primeiro da família nos séculos 18 e 19 a adotar este nome [arcoverde luís wilson ararobá lendária e eterna pesqueira 1980 para fixar melhor este andré arcoverde que adotou o arcoverde nome do cacique pai da princesinha ameríndia muirá-ubi que foi uma das esposas do fidalgo jerônimo de albuquerque da sua ascendência era avô do andré pai do luiz que era avô do andré casado com virge que teve 9 filhos além dessas três filhas casadas com os arcoverde o casal lulu e sinhara tiveram joaquina marques de melo pintinha 1890-1974 salviano marques de melo vião 1893-1968 e maria vieira filha nenê 1901-1976 uma curiosidade contada por familiares é que sinhara e virgínia tinham os olhos cor de pedra-lipes e a moda dos sites genealógicos e seus aperfeiçoamentos têm me permitido gratas surpresas além de saber que este ramo da minha tia-avó sinhara que viveu até o fim da vida em buíque-pe é hoje uma bela família esparramada principalmente no sudeste do país preso aos dados cartoriais da pedra e buíque eu só podia contemplar os ramos dali a internet me pôs em contato com muitos parentes e o site http www.myheritage.com.br/site-family-tree-78109233/marques-de-melo-silva me deixou ver gerações mais recentes a cara de tanta gente nova e bonita que antes só podia imaginar para mostrar outro entrelaçamento das famílias salviano e arcoverde e mais uma vez com filho do mesmo andré irmão do cap budá começo com o ramo de francisco campelo de albuquerque um recifense que veio provavelmente no final do século 18 começo do 19 para conceição da pedra hoje pedra-pe e casou-se com maria bezerra de albuquerque meus trisavós paternos dos filhos deste casal destaco luiza campelo de albuquerque e nuno campelo de albuquerque luiza se casou com josé dos santos cavalcanti meus bisavós que entre outros filhos tiveram minha vó marica maria wanderley de albuquerque 1867-1956 mãe do meu pai pedro

[close]

p. 8

salviano de albuquerque 1895-1963 já nuno campelo de albuquerque se casou com leonarda de araújo cavalcanti e em 1872 nasceu tereza campelo de albuquerque que se casou com francisco de albuquerque arcoverde nascido em 1867 este francisco foi um dos vários filhos do andré cavalcanti de albuquerque arcoverde do seu segundo matrimônio com cordulina tenório de albuquerque o seu primeiro casamento foi com maria rosalina cavalcanti este citado em algumas publicações para complementar o tema cito o dr luís coelho que foi o primeiro médico a se estabelecer profissionalmente em nosso município ele nasceu em 1895 em bonitope e estudou na faculdade da bahia chegou a rio branco arcoverde em 1920 em 1930 tornou-se o segundo prefeito nomeado que tomou posse permanecendo no cargo até 1935 quando deu um impulso transformador na nossa antiga vilazinha de poucas ruas foi depois eleito deputado estadual foi o primeiro proprietário de casa de saúde faleceu em 26 de dezembro de 1985 eu o conheci e também fui amigo do seu filho luís coelho filho médico nascido e radicado em arcoverde como muitos outros que faleceu este ano mais dados sobre o veterano dr luís coelho podem ser lidos em http bit.ly/mtvvwk

[close]

Comments

no comments yet