RLB 41 - Março de 2016

 

Embed or link this publication

Description

Revista Leitura de Bordo - edição de março de 2016

Popular Pages


p. 1

Ano 7 – nº 41 – Março de 2016 – R$ 6,50 eAdpoegcaeudência

[close]

p. 2

Lei do Cinto de Segurança nº 809/1994 Quando criou a lei do uso obrigatório do cinto de segurança, a Câmara Legislativa também criou uma nova fase no trânsito. Além de proteger as pessoas, essa lei reduziu o número de mortes ao volante e beneficiou não só a nós, motoristas profissionais, mas a todos que usam um veículo para se locomover. A Câmara tem a minha idade, e a lei do cinto é mais uma prova de que ela sempre esteve a meu lado. 25 ANOS APROVANDO O MELHOR PARA VOCÊ. Diogo Lima Motorista profissional, 25 anos 0800 941 8787 www.cl.df.gov.br

[close]

p. 3

| Outro olhar | As teias dos Aparados Ft.: Rogério Lezino

[close]

p. 4

Índice Outro olhar As teias pelas lentes de Rogério Lezino Destinos & Viagens Praça de Touros no Uruguai Programe-se A Feira da indústria dos shows Tribuna Os efeitos do impeachment na economia Must-have Uma churrasqueira que não faz fumaça Refletir Por bondade, Deus não revela tudo Fashion O fundo do mar emforma de jóias Games Revisitando Doom Spotlights Expansão de Hearthstone Comer & Beber Mercearia do Francês 03 05 08 09 12 13 14 16 17 18 Ao olharmos o presente, muitas vezes nos deparamos com as marcas do apogeu e do poder que certas regiões tiveram - mesmo em passado recente. É o caso do Uruguai e da Argentina, que guardam na arquitetura - hoje abandonada - os traços de um período de riqueza. O Campo de Touros incrustrado em Colônia do Sacramento (Uruguai) é reflexo destes dois momentos distintos: antes, a opulência; hoje, o abandono por falta de condições de manutenção. Boa leitura! Alfredo Bessow Editor Revista Leitura de Bordo – Ano 7 - nº 41 – Março de 2016 Publicação da Wosseb C&M, tiragem de 12 mil exemplares – circula nas Salas Vip e Aeroportos, trade turístico, enviada para prefeituras e gestores públicos e distribuição institucional. Edição 41 - fevereiro, março e abril de 2016 A Revista Leitura de Bordo não se responsabiliza pelas opiniões, pontos de vista e argumentos dos artigos assinados e veiculados na Revista. Editora de conteúdo: Sandra Fernandes Editor: Alfredo Bessow Colaboradores: Carlos Vieira, Paulo Antenor, Bruno Henrique, Pedro Ricardo, Marcos Alexandre, Sandra Fernandes, Roberto Kunzendorff Junior Produtor: Pedro Ricardo Teichmann Logística: Marcos Alexandre Bessow Comercial: Wosseb C&M (+55 61 3262 0509 ou 98150 0256) Proj. Gráfico/Diagramação: Wellington Pessoa | MadMídia Capa: Plaza Real de San Carlos - Colônia do Sacramento Fotos: Wosseb C&M E-mail: geral@leituradebordo.com.br Site: www.leituradebordo.com.br Escritório: CLSW 303 Bl. A | Ent. 16 | Sl. 109 Setor Sudoeste | 70673-621 | Brasília (DF) Impressão: Gráfica Ipanema +55 62 3611 2400 Correspondência: Caixa Postal, 72 | 70351-970 - Brasília-DF 4 Leitura de Bordo | março 2016 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 5

| Destinos & Viagens | Imponência desafia o abandono www.leituradebordo.com.br | março 2016 | Leitura de Bordo 5

[close]

p. 6

| Destinos & Viagens | Incrustada em Colônia do Sacramento às margens do Rio da Prata, no lado uruguaio, uma “Praça de Touros” em ruínas revela um pouco mais do poderio financeiro dos hermanos no final do Séc. XIX e início do XX. Construída em estilo mourisco espanhol por um grupo de investidores argentinos, capitaneados por Nicolás Mihanovich a Plaza Real de San Carlos teve vida efêmera – apenas oito touradas oficiais foram realizadas em seus dois anos de funcionamento, sendo que depois o local abrigou shows, inclusive de Carlos Gardel. 6 Leitura de Bordo | março 2016 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 7

Além da beleza arquitetônica, é interessante observar que a estrutura de sustentação das arquibancadas é feita em ferro, lembrando estruturas padrão inglês das ferroviárias. Tinha capacidade para dez mil pessoas e foi inaugurada em 9 de janeiro de 1910, quando se apresentaram dois dos mais aclamados toureiros espanhóis da época - Ricardo Torres (chamado Bombita Grande) e seu irmão mais jovem Manuel (Bombita Chico). Inclusive ou touros vieram da Espanha... O local está interditado, sendo proibido o acesso ao seu interior. O governo uruguaio promete, faz tempo, restaurar o local – com as marcas do tempo e da decadência financeira, a exemplo de outros prédios e estruturas que remontam ao apogeu financeiro. | Destinos & Viagens | Plaza Real de San Carlos Río de la Plata y Av. Nicolás Mihanovich, Colonia del Sacramento 70000, Uruguay www.leituradebordo.com.br | março 2016 | Leitura de Bordo 7

[close]

p. 8

| Programe-se | A Feira da INDÚSTRIA DOS SHOWS Apontada como a principal feira da indústria de áudio, vídeo, iluminação e sistemas profissionais integrados realizada no país, a TecnoMultimedia InfoComm Brasil acontecerá entre 10 e 12 de maio no São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – Vila Água Funda-SP) e reunirá os principais fabricantes mundiais, bem como distribuidores regionais e nacionais, incluindo também empresas integradoras e apresentará ao visitantes em três dias tudo o que de melhor e mais moderno o mundo audiovisual tem a oferecer. Mudança de perfil Em 2015, 501 artistas estrangeiros se apresentaram no estado de São Paulo. Ao todo, foram 583 apresentações e mais de 26 festi- vais. Esses números fazem parte do levantamento anual do portal Rockin’Chair, que realiza o estudo pelo quarto ano consecutivo. Os chamados “megashows”, com mais de dez mil espectadores, perderam espaço para os shows menores, com até duas mil pessoas, que somaram 82% do total. Entretanto, isso reforça a tendência pelo aumento da demanda de empresas especializadas que realizam esses shows. Em 2016, o mercado de shows brasileiro deve atingir US$232 milhões (R$900 milhões) “Quando analisamos o mercado de shows e grandes eventos no Brasil, temos que levar em conta tudo o que envolve a produção de uma atividade desse porte. Desde a infraestrutura e aluguel do local, a organização, os sistemas profissionais de áudio e vídeo, até os prestadores de serviços de diversos segmentos como alimentação, transporte e segurança. Além, é claro, do setor de hotelaria e turismo, que cresce muito no período dos eventos”, afirma Victor Alarcón, gerente de projetos da TecnoMultimedia InfoComm. TecnoMultimedia InfoComm Brasil 2016 Data: 10 a 12 de maio Local: São Paulo Expo (Rod. dos Imigrantes, Km 1,5 – Vila Água Funda / SP – 04329-100) Informações: www.tecnomultimedia.com.br. 8 Leitura de Bordo | Março 2016 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 9

| Tribuna | Impeachment e efeitos na economia Com a recriação da CPMF e com a reforma da Previdência praticamente descartadas e sem apresentação de grandes propostas pela nova equipe econômica do governo central, podemos nos dedicar a analisar os eventuais efeitos, em caso de um possível impeachment, na economia. É interessante lembrar que no impeachment do presidente Collor, seu sucessor, Itamar Franco, lançou o Plano Real, acabando com a hiperinflação. Porém em circunstâncias muito diferentes do que as que temos hoje. Vamos a elas: a) Collor pertencia a um pequeno partido, PRN. Já a presidente Dilma pertence ao PT, que ainda é a segunda bancada no Congresso Nacional; b) Collor não tinha apoio de movimentos sociais, ao contrário de Dilma (muito em função do ex-presidente Lula) e do PT. A reação destes movimentos pode trazer riscos imprevisíveis; c) O sucessor natural de Dilma também enfrenta problemas junto ao Tribunal Superior Eleitoral e já foi citado na operação Lava Jato; d) O impeachment não significa o fim da operação Lava Jato, onde a maior parte das lideranças governistas e oposicionistas já foi citada em delação premiada ou figurou em listas; e) O cenário econômico ainda demandará corte de gastos e aumento de receitas, fonte de parte da insatisfação com o atual governo; f ) As eleições municipais deste ano serão acirradas assim com as gerais em 2018, com resultados também imprevisíveis. Ou seja, a nosso ver, o cenário não é nada animador. O sucessor de Dilma precisaria formar um governo de coalizão para enfrentar os problemas e teria forte oposição. E não se deve desconsiderar o fator ruas, cujas manifestações majoritárias são apartidárias: não há qualquer motivo para se crer que estas manifestações desaparecerão juntamente com o processo de impeachment. Sobre o que seria apresentado de novo, o PMDB, partido do vice-presidente, elaborou documento intitulado “Uma Ponte para o Futuro” onde apresenta suas principais propostas: orçamento impositivo; fim das despesas constitucionais para saúde e educação; fim das indexações, inclusive para salários e previdência; idade mínima de aposentadoria para INSS de 65 anos para homens e 60 anos para mulheres; fim da indexação de benefícios ao salário mínimo; mudança na política externa brasileira, negociando acordos comerciais com Estados Unidos, Europa e Ásia, com ou sem a participação do Mercosul; volta ao regime de concessões na área de petróleo, em vez do de partilha, dando à Petrobras o direito de preferência; privatização do que for necessário para reduzir o tamanho do Estado; simplificação e redução do número de impostos, unificando a legislação do ICMS; garantia de segurança jurídica para investimentos e criação de empresas, aprimorando a concessão de licenciamentos ambientais; prevalência de acordos coletivos sobre as normas legais nas negociações entre patrões e empregados, resguardados os direitos básicos. São medidas fortes. Esclarecemos que não estamos assumindo aqui posição contra ou a favor de impeachment, apenas analisando alguns dos possíveis desdobramentos na economia. Afinal, a presidente pode até sair, mas os problemas fiscais ficarão. www.leituradebordo.com.br | março 2016 | Leitura de Bordo 9

[close]

p. 10

Educação pública de qualidade é direito de todos e de todas O direito à educação está implícito em todos os fundamentos da República Federativa do Brasil, preconizados no art. 3º da Constituição Federal, quais sejam:“I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”. Já o capítulo III, seção I, artigos 205 a 214 da Constituição aborda o direito à educação de forma explícita, sendo ele dever do Estado e da família, gratuito nos estabelecimentos públicos oficiais e obrigatório aos estudantes de 4 a 17 anos, devendo ser garantido também às pessoas que não tiveram acesso à escola na idade apropriada. A luta pela igualdade social e por respeito às diversidades - contra a homofobia e os preconceitos étnico racial, religioso e de gênero – passa, indiscutivelmente, pelo acesso de todos e todas à escola com qualidade socialmente referenciada, aquela que dialoga com as necessidades de sua comunidade e prioriza métodos de gestão democráti- ca nos diferentes níveis, etapas e modalidades de ensino, oportunizando plenas condições de permanência e aprendizagem aos/às estudantes. Mas não basta o Estado garantir acesso pleno à escola. É preciso que o ensino público seja de qualidade, o que pressupõe políticas públicas sistêmicas dentro e fora das redes de ensino, seja por meio de financiamento compatível com as necessidades das escolas, seja pela valorização dos profissionais da educação e pela adaptação dos currículos aos interesses da comunidade escolar, ou mesmo pelo auxílio às famílias que necessitam de apoio para manterem seus filhos na escola, sem precisar sujeitá-los ao trabalho precoce. Por outro lado, a complexidade das relações sociais exige profissionais versáteis no mundo do trabalho e cidadãos(ãs) questionadores, criativos e que pautem suas ações na ética social e no respeito às diferenças. E é por isso que quem estuda em escola pública deve cobrar que seja voltada para transformar a sociedade e que não apenas reproduza conteúdos pretendidos pelo sistema capitalista, que tem como premissa concentrar riqueza nas mãos de

[close]

p. 11

poucos e socializar a miséria para muitos. Desde 25 de junho de 2014, o Brasil conta com um poderoso instrumento capaz de transformar nossas escolas públicas em locais atrativos e de grande significado para os jovens, crianças e adultos – infelizmente, algo que se perdeu ao longo de uma longa história de descompromisso de grande parte dos gestores públicos com a escola pública. O Plano Nacional de Educação (Lei Federal 13.005/2014) e os planos estaduais, distrital e municipais de educação, que têm muitas metas e estratégias a serem cumpridas. No Distrito Federal, Plano Distrital de Educação (PDE) – sancionado no dia 14 de julho de 2015 - estabelece 21 metas para o desenvolvimento do ensino na capital nos próximos dez anos. Pelo documento, o DF deve oferecer até 2024 educação em tempo integral em 60% das escolas, com atendimento de pelo menos um terço dos estudantes, triplicar a oferta de vagas do ensino técnico e aumentar o percentual do PIB nos investimentos de educação de 3,23% para 6,12%. Algumas metas têm o prazo mais curto para se ade- quar. O GDF tem até este ano para garantir matrículas na rede pública e conveniada para crianças de 4 a 5 anos e jovens de 15 a 17 anos. O plano prevê também que os profissionais da área de educação tenham salários equiparados com servidores de carreiras do serviço público com qualificação equivalente (até o quarto ano de vigência do PDE), além de estabelecer que o GDF deva garantir a formação continuada dos educadores. O texto estipula o limite de um ano para que o Executivo adeque a Lei de Gestão Democrática a este PDE e aprovar na Câmara Legislativa leis do Sistema Distrital de Educação e Responsabilidade Educacional, de acordo com as orientações nacionais. Agora é hora de todos e todas cobrarem a consecução de todas as metas. A participação da comunidade escolar como um todo, dos(as) professores(as) e orientadores(as) educacionais e dos(as) estudantes na vida da escola e da rede de ensino é fundamental para construirmos uma Escola Pública Forte e de Qualidade. Fotos: Deva Garcia

[close]

p. 12

| Must-have | Bic na cabeça Dentro da proposta de ser uma empresa dedicada à importação e distribuição exclusiva no Brasil de marcas internacionais de renome mundial, buscando constantemente produtos que transformem o trivial em algo criativo e inusitado, a AS Fun Gifts apresenta um porta-caneta que é uma tampa da icônica Bic. Preço sugerido: R$ 69,90 Informações: www.asfungifts.com.br Barbeador Cadence Dotado de aparador de bigodes e costeletas, o Pro Shave 3 é perfeito para finalizar e fazer os acabamentos da barba, sem contar que suas lâminas flutuantes garantem proteção ainda maior que a de seus concorrentes, prevenindo cortes. Além disso, se adaptam a cada contorno do rosto, queixo e pescoço.. Ideal para ser transportado em viagens, é bivolt automático, recarregável e possui autonomia de funcionamento de até 45 minutos. O preço sugerido é R$ 129,90 Informações: www.cadence.com.br Churrasqueiras da Cadence são eficientes e não fazem fumaça As churrasqueiras elétricas são produtos que não podem faltar nas residências dos apreciadores de churrascos. Práticos e leves, esses produtos preparam carnes e grelhados mais saudáveis e saborosos. A Cadence está trazendo ao País dois produtos que vão ao encontro da necessidade dos consumidores. São a Churrasqueira Elétrica Tasty II - GRL802 e a Churrasqueira Elétrica Pratic Tasty II - GRL852. Informações: www.cadence.com.br Esmerilhadeira da Stanley A Stanley traz ao Brasil uma nova esmerilhadeira angular 4-1/2” de 600W, própria para uso em concreto, alvenaria e metal. O produto é 100% rolamentado, tem desenho ergonômico e se adapta facilmente à forma da mão. Com 600W, o motor da esmerilhadeira atinge velocidade sem carga de até 12.000 RPM. Informações: www.stanleyferramentas.com.br Quadrata Experimente combinar o sabor do pão quentinho ao charme de utensílios da linha Quadrata da Tramontina sobre a mesa. São produtos que aliam a transparência do SAN – um material que se assemelha ao acrílico – à delicadeza e à resistência do aço inox. Informações: www.tramontina.com.br Tramontina lança tomada USB A Tramontina Eletrik amplia seu portfólio de acessórios elétricos com o lançamento da Tomada USB, que oferece conforto e rapidez no carregamento de celulares, tablets, câmeras digitais, MP3 players, fones de ouvido bluetooth e outros dispositivos eletrônicos com saída USB. Disponível nas cores branca e grafite, a Tomada USB é bivolt - podendo ser utilizada em terminais com potências de 110v e 220v - com saída de 5V dc e corrente de 1,5A. Soprador aspirador A Dewalt apresenta ao mercado o novo soprador/aspirador com velocidade variável. O produto é voltado, principalmente, para a limpeza em marcenarias e áreas externas de grande dimensão, na função soprador de folhas e outros tipos de resíduos. Informações: www.dewalt.com.br 12 Leitura de Bordo | Omuatruçobr2o021061|6w|wwww.lwe.ilteuirtaudraedbeobrdoord.coo.cmo.mbr.br

[close]

p. 13

| Refletir | ‘Grampo’ Fiquei surpreso quando soube que muitas pessoas não conheciam a prática do grampo de telefone. Talvez jamais fossem descobrir se a autoridade máxima desse país não estivesse envolvida numa conversa com um dos grampeados, e se isso não tivesse sido tornado público. A despeito de qualquer juízo pessoal sobre o teor da conversa e o fato de termos ficado sabendo de tudo, achei oportuna a reflexão a respeito do tema grampo, num sentindo mais amplo, envolvendo todas as pessoas, inclusive você e eu. Pra que fique claro, repito, absolutamente não quero defender quem quer que seja, apenas promover reflexão sobre o assunto. E se nós fossemos grampeados, nas conversas nos mais diferentes meios? O que todos ficariam sabendo que, a princípio, gostaríamos que ficasse à sombra, ou nem imaginaríamos que fosse ser descoberto? E se nossos familiares e amigos fossem grampeados e nós pudéssemos saber de tudo que pensam, dizem e fazem? ‘O que todos nós fazemos quando ninguém nos vê fazendo?’ ‘O que acontece na balada e deve ficar na balada?’ Na verdade, muitos não sabem, mas tem alguém para quem absolutamente nada fica à sombra, às escuras, encoberto. Deus sabe pontualmente tudo que fazemos, falamos, até mesmo o que pensamos (Salmo 139.4). Por ser bondoso, Deus não fica revelando tudo para todos a toda hora. Mas nos deixou saber na Palavra que, para os insistentes na vida às sombras, numa hora dessas tudo será revelado (Lucas 12.2). Aliás, essa história começa no coração amoroso de Deus, que se permite cuidar de nós e saber de tudo que se passa conosco. Por isso, acaba conhecendo o que não gostaria de conhecer, ouvindo o que não gostaria de ouvir... Enfim, que sejamos mais cuidados com o que fazemos ou dizemos, para o nosso bem, o bem de outros, e a alegria do nosso Deus de amor. Pense com carinho, e vamos conversando... Fraterno abraço Roberto Kunzendorff Júnior formou-se pelo Seminário Concórdia de São Paulo Pastor da Congregação da Esperança da Igreja Evangélica Luterana do Brasil em Brasília wwwww.lwe.ilteuirtaudraedbeobrdoord.coo.cmo.mbr.b| rO|umtuabrçro 2016 | Leitura de Bordo 13

[close]

p. 14

| Fashion | Ofundo do mar em forma dejoias As belezas do oceano fascinam desde o princípio dos tempos. Corais, estrelas-do-mar e conchas encantam e cativam gerações. Inspiradas nas maravilhas do fundo o mar, a Essere Joias cria uma coleção com peças delicadas e femininas que combinam com a mulher romântica e contemporânea. Diz a lenda que as estrelas-do-mar eram estrelas que foram hipnotizadas por animais marítimos para enfeitar os oceanos. Na Essere, a estrela aparece em brincos de safira e brilhante, anel de ouro 18k e também no modelo Heras, ador- nada por 28 pontos de brilhantes e repousada em uma morganita lapidada. Usadas como talismã pelas civilizações antigas, as conchas simbolizam prosperidade e sorte, além de ser um dos símbolos da feminilidade. Na Essere, as conchas são representadas pelo brinco que leva o mesmo nome, feito em ouro amarelo 18k e brilhantes. As pérolas, um presente do oceano, são destaques do brinco e anel leque. A beleza dos corais é fonte de inspiração para o brinco homôni- mo. Feito em ouro rosa 14k com pedra coral e diversos pontos de brilhante, é a peça que faltava para as amantes de joias. Criada em 2009 pelas empresárias Beatriz Zaluski e Marja Zaluski a Essere é uma grife gaúcha de joias que busca valorizar a diversidade do universo feminino. Inspirado na cultura italiana, o nome “Essere” significa “ser”: ser admirada, ser linda, ser mulher. As peças estão disponíveis no site www.esserejoias.com.br e no showroom da marca. 14 Leitura de Bordo | Março 2016 | www.leituradebordo.com.br

[close]

p. 15

wwwww.lwe.ilteuirtaudraedbeobrdoord.coo.cmo.mbr.b| rO|umtuabrçro 2016 | Leitura de Bordo 15

[close]

Comments

no comments yet