Revista Film Export Magazine

 

Embed or link this publication

Description

Revista

Popular Pages


p. 1

Distribuição gratuita - Ano I - Edição 03 - JULHO/AGOSTO/SETEMBRO/ 201 6 ÁFRICA ­ UM MERCADO “TALHADO” PARA PARCEIRO DO BRASIL! Forum Brasil África O novo cinema da Nigéria A Revolução do Futebol Feminino Música no Museu Charlote SP (o filme) Porto Alegre Film Commission Rio WebFest 201 6 O Matador (o filme) COMÉRCIO EXTERIOR - TURISMO - POLÍTICA INTERNACIONAL- AUDIOVISUAL 201 6 I FilmExportMagazine I 1

[close]

p. 2

201 6 I FilmExportMagazine I 2

[close]

p. 3

Editorial! Espero que os nossos leitores, gostem da nossa terceira edição, que está com muitas novidades e novos colaboradores, além mar, como a nossa colaboradora, Embaixadora Maria Auxiliadora Figueiredo, nossa Consul Geral em Lagos, na Nigéria, país mais importante da África, que gentilmente forneceu-nos estas informações, esperando que o nosso novo governo, entabule negociações bilaterais, que propiciem um incremento nas nossas relações comerciaiscom o país com o país, mais importante da África. · Segundo estimativas do FMI e da Economist Intelligence Unit (EIU), o PIB nominal da Nigéria atingiu 573,7 bilhões de dólares em 201 4, 51 5,4 em 201 5 e deverá superar 500 bilhões também em 201 6, o que torna a Nigéria a maior economia do Continente africano. Já é o maior país da África em população, com estimados 1 83,6 milhões de habitantes em 201 6, entre os quais uma crescente classe média. · Até 201 4, o Brasil era o segundo maior país importador da Nigéria, precedido apenas pela Índia. As importações do Brasil compreendiam, em 201 4, 1 0,2% do total das exportações da Nigéria. As exportações do Brasil para a Nigéria, no mesmo ano, totalizaram apenas 1 ,9% do total das importações locais, provenientes, em sua maioria, da China (30,4%),Estados Unidos (11 ,6%), Países Baixos, Índia, Reino Unido, Bélgica, França e Alemanha. O Brasil se encontrava, em 201 4, na 1 2ª posição entre os países exportadores para a Nigéria. · Embora o total do comércio bilateral se tenha reduzido drasticamente em 201 5, as cifras alcançadas em 201 4 e 201 3 foram da ordem de 1 0,5 bihões de dólares. A queda do ano passado se deveu à brusca redução, pelo Brasil, das importações de petróleo da Nigéria, responsáveis, em 201 4, por 90,8% do intercâmbio bilateral. · Com um PIB de cerca de 90 bilhões de dólares em 201 4, Lagos se coloca em sétimo lugar entre as economias da África, superada apenas pelos seguintes países: Nigéria, África do Sul, Egito, Marrocos, Angola e Argélia. · Lagos não era produtor de petróleo. A primeira notícia de que a empresa Yinka Folawiyo Petroleum Company Limited (YFP) passou a produzir petróleo (cerca de 40 mil barris por dia) data de 4 de maio último.Sem considerar o petróleo, Lagos concentra 60% das atividades industriais e comerciais do país e gera 75% da receita da Nigéria. · A Câmara de Indústria e Comércio de Lagos (“Lagos Chamber of Industry and Commerce – LCCI”), criada em 1 888, é a maior associação empresarial do pais e conta com mais de 1 .750 membros. Estima-se que seus associados sejam responsáveis por 60% da produção industrial do país, 65% do comércio e 75% dos serviços financeiros da Nigéria. Da mesma forma que a LCCI, as demais associações empresariais de importância do paísmantêm suas sedes em Lagos. · O Estado de Lagos apresenta enormes dificuldades para eventuais investidores e não apenas no que diz respeito a impostos. A infraestrutura urbana é altamente deficitária em transportes e fornecimento de energia elétrica, água e serviços de esgoto. Há, ainda, carência de mão-de-obra especializada, em que pese a significativa população, estimada em 21 milhões de habitantes. · Tais desafios, contudo, são comuns a investidores de qualquer país estrangeiro. Nossa vantagem comparativa reside no fato de que o Brasil possui considerável experiência em iniciativas que visam a reparar ou contornar o crescimento caótico das EDITORIAL cidades. Lagos não tem qualquer problema que não possa ser objeto de cooperação bilateral ou de serviços a serem vantajosamente prestados por empresas brasileiras. · Situa-se, na Ilha de Lagos, centro financeiro do país, o famoso Bairro Brasileiro (“Brazilian Quarters”) que configurou, no século XIX e grande parte do século XX, o maior conjunto arquitetônico do Brasil no exterior. Destinado, em seu início, a moradias de ex-escravos retornados do Brasil, o Bairro se vê hoje quase totalmente descaracterizado e em situação de completo abandono pelas autoridades locais. Ainda existem alguns poucos casarões, um deles, inclusive, restaurado por alunos da Escola de Arquitetura da Universidade de Lagos. A “Casa da Água“, tornada conhecida no Brasil pelo romance de mesmo nome de Antônio Olinto, permanece intacta, habitada até hoje por descendentes de brasileiros, ao passo que a maioria dos sobrados se transformou em prédio ou foi reformada sem qualquer apreço ao estilo original. (É ainda possívelencontrar casarões brasileiros em Abeokuta, Badagri, Ilê-Ifé e outras cidades da região iorubana, porque os trabalhos dos artesãos formados no Brasil eram muito requisitados). · O Carnaval de Lagos, realizado anualmente no dia 26 de dezembro (“Boxing Day”), deve ter sido originalmente alguma de nossas Festas de Reis. Tem o Bumba-Meu-Boi como uma de suas principais atrações. No centro de Lagos, pode-se comprar feijão preto, localmente denominado “feijão¨, e uma das iguarias famosas dos residentes se chama “mingau”. Em funerais de descendentes de brasileiros, há sempre a exibição do passaporte do Império do Brasil em nome do antepassado que retornou à Nigéria nos anos mil e oitocentos. Os descendentes de brasileiros têm orgulho de sê-lo. Porém, do Brasil, só têm a memória que lhes restou na tradição oral e as notícias da mídia “mainstream”, de pouco alcance e quase sempre tendenciosas. Roberto Nóbrega ­ Diretor Executivo 201 6 I FilmExportMagazine I 3

[close]

p. 4

ÍNDICE 05 l Forum Brasil África 07 l O novo cinema na Nigériai 09 l Revolução do Futebol Feminino 14 l Bruno Omori 16 l Música no Museu 20 l Charlote SP (o filme) 23 l Porto Alegre Film Commission 32 l Tatiana Monteiro 37 l Rio WebFest 2016 40 l Rio Oil & Gás Expediente Target Consultoria e Assessoria. Diretor Executivo e Jornalista responsável: Roberto Nóbrega - MTB 0081 759/SP Jornalista colaboradora RJ: Juliana Grau DRT041 9770606 Jornalista colaborador SP: Renato Cury - MTB 49471 /SP Web Marketing: Luciana Nóbrega Colaboradores:Simone Williams, Giselda Salbu, Renato Cury,Roseny Kuranyi, Beto Rodrigues, Jaqueline Santos Distribuição gratuita Rua Carlos Tyll,99 - cep: 2571 0-260 - RJ Tel: 55 24 2291 -3621 Cel: 55 21 97469-051 9 redacao@filmexportmagazine.com.br www.filmexportmagazine.com.br facebook.com/FilmlExportMagazine twitter.com/filmexpor A guerra comercial declarada pelos Estados Unidos e China por maior influência no continente africano, abre espaço para outros contendores não tão grandes quanto, mas mais espertos e velozes. E, como diz o dito popular, na luta do mar contra o rochedo, quem se lasca é o Siri e quem se dá bem é o vento. O Brasil tem vontade de ser vento, mas está mais para Siri do que para qualquer outra coisa. Chances e oportunidades para sermos vento nessa história não nos faltam. Os produtos brasileiros naquela região são considerados “originais” e os outros, copias. Os programas de TV brasileiros são líderes de audiência e as novelas introduzem o nosso “brazilian way of life”. Vez por outra, dentre tantas feiras nacionais e internacionais que participamos ou tomamos conhecimento, uma delas se destaca pela facilidade ou pelos aspectos socioculturais. Trata­se da Feira de Negócios em Língua Portuguesa ­ ENLP. A Feira de Negócios em Língua Portuguesa é uma promoção da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP. Essa associação reúne os oito países do mundo que falam português – Angola, Brasil, Cabo verde, Guine Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Na última reunião (Cimeira) da CPLP, em Dili, capital do Timor Leste, a Guiné Equatorial foi admitida como membro pleno; pleito que já vinha tentando há bastante tempo. 201 6 I FilmExportMagazine I 4

[close]

p. 5

Forum Brasil África 201 6 I FilmExportMagazine I 5

[close]

p. 6

by Altair Maia Aguerra comercial declarada pelos Estados Unidos e China por maior influência no continente africano, abre espaço para outros contendores não tão grandes quanto, mas mais espertos e velozes. E, como diz o dito popular, na luta do mar contra o rochedo, quem se lasca é o Siri e quem se dá bem é o vento. O Brasil tem vontade de ser vento, mas está mais para Siri do que para qualquer outra coisa. Chances e oportunidades para sermos vento nessa história não nos faltam. Os produtos brasileiros naquela região são considerados “originais” e os outros, copias. Os programas de TV brasileiros são líderes de audiência e as novelas introduzem o nosso “brazilian way of life”. Vez por outra, dentre tantas feiras nacionais e internacionais que participamos ou tomamos conhecimento, uma delas se destaca pela facilidade ou pelos aspectos socioculturais. Trata­se da Feira de Negócios em Língua Portuguesa ­ ENLP. A Feira de Negócios em Língua Portuguesa é uma promoção da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP. Essa associação reúne os oito países do mundo que falam português – Angola, Brasil, Um mercado “talhado” para parceiro do Brasil Cabo verde, Guine Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Na última reunião (Cimeira) da CPLP, em Dili, capital do Timor Leste, a Guiné Equatorial foi admitida como membro pleno; pleito que já vinha tentando há bastante tempo. Dos partícipes da CPLP um está na Europa (Portugal), outro na América do Sul (Brasil), um na Ásia (Timor Leste) e seis estão na África. Apesar de ser um pequeno mercado em termos mundiais, apenas 260 milhões de consumidores, há que se considerar sua distribuição, sua facilidade de distribuição e a facilidade linguística que nos une. Os membros do subgrupo africano, os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa – PALOP´s, estão bem distribuídos dentro do Continente. Todos estão na Costa Leste, a África do “lado de cá”, menos Moçambique que se encontra na Costa Leste, logo acima da África do Sul. Na Costa Oeste africana, Angola que se encontra no Cone Sul africano, a Guine Equatorial e São Tomé e Príncipe encontram­se no Centro da costa africana e, mais acima, temos o Cabo Verde e a Guine Bissau. Angola tem acesso ao bloco econômico SADC, São Tomé e Príncipe e a Guine Equatorial têm acesso ao bloco da África Central e Cabo Verde e Guine Bissau têm acesso ao bloco do ECOWAS, atingindo, desta forma, toda a Costa Oeste africana. O único “senão” a expansão desse mercado é a questão logística. O transporte marítimo para a África é por demais complicado e o tempo de transito (ou transit time) bastante longo. Porém, com um pouco de inteligência e vontade política, essa questão pode ser resolvida com ações pontuais do governo brasileiro junto às Companhias de Navegação, em sintonia com os governos africanos. Uma proposta no sentido de solucionar o problema do transporte entre Brasil e África foi lançada recentemente através do livro “Logística Internacional – O desafio do Atlântico Sul” Para quem quiser conhecer esse livro, basta procurar na Amazon (www.amazon.com). Há um ditado, em bom e puro português, que diz: Tudo vale a pena se a alma não é pequena (F. Pessoa). Pois é: O mercado que fala português na África pode ser pequeno. Mas as portas que ele abre são imensas. 201 6 I FilmExportMagazine I 6

[close]

p. 7

O novo cinema na Nigéria, também cineastas, a fim de auxiliar a produção de filmes de conhecido como Nollywwod, é uma fase alta qualidade, bem como para auxiliar a infraemergente do cinema nigeriano, e ano a estrutura adequada distribuição em todo o país. ano, tem obtido progresso e sucesso no exterior. No filme A Deusa Negra, a protagonista descobre traços da cultura ioruba no Brasil, sendo dirigido pelo diretor nigeriano Ola Balongum. Também, bolsas de estudo têm sido usados para ajudar mais cineastas nigerianas a ir para o treinamento formal em escolas de cinema. A partir da ideia do cineasta nigeriano Okechukwu Ogunjiofor, o cinema nigeriano driblou a pirataria vendendo cópias a três Em 201 5, o filme de maior bilheteria da história do cinema contemporâneo nigeriano foi 30 dias em Atlanta (201 4), que arrecadou cerca de ₦ 1 40 milhões. A partir de 201 3, o cinema nigeriano foi dólares. classificado como o terceiro indústria cinematográfica No Egito, o mercado está em declínio, bem distante dos tempos áureos das décadas de mais valiosa do mundo com base no seu valor e as receitas globais geradas. 1 940 a 1 970. Encerrando esta breve matéria, acreditamos que Destaca-se também o Festival de Cinema e Televisão Pan-Africano de Ouagadougou, em Burkina Faso, que é onde a sétima arte do continente se encontra. existe um grande potencial dos cineastas do Brasil em uma interação com os colegas da Nigéria na área de audiovisual, pois o país, detem a maior população da África com 1 80 milhões de habitantes, divididos em 36 estados e do cinema do Brasil, no continente africano. Nos anos 2000, a Nigéria começou a experimentar o crescimento de cinemas, que foi inicialmente estruturado para a classe média e alta. O Grupo Silverbird foi a primeira empresa a lançar uma série de casas de cinema moderno em todo principais cidades da Nigéria, na sua maioria situados em áreas mais abastadas e distritos. Ele lançou suas cadeias de cinema em 2004, começando com o Silverbird Galleria em Victoria Island, Lagos . Desde 2006, os sucessivos governos tem apoiado fundos com "Projeto Nollywood" a 201 6 I FilmExportMagazine I 7

[close]

p. 8

Por ‐ Mariana Cardoso / Futebol Feminino 201 6 I FilmExportMagazine I 8

[close]

p. 9

A REVOLUÇÃO DO FUTEBOL FEMININO Quem pensa que futebol feminino é novidade, está muito enganado. Inglaterra e Escócia foram os personagens da primeira partida de futebol entre mulheres, em 1 898, em Londres. No Brasil, a primeira partida de futebol feminino foi realizada em 1 921 , em São Paulo, onde enfrentaram-se os times das senhoritas catarinenses e tremembeenses. A modalidade está alguns anos atrás em relação à modalidade masculina, pois era proibida por lei em alguns países, no Brasil, por exemplo, a prática só saiu da ilegalidade em 1 980 e na Inglaterra, em 1 971 , por isso, enquanto o futebol masculino crescia mundialmente, o feminino estava restrito. Desde sua liberação, a modalidade feminina tem enfrentado resistência devido aos fatores históricos, dificultando ainda mais o progresso, entretanto, pouco a pouco está se tornando conhecida, e vêm espalhando rapidamente pelo mundo. A primeira Copa do Mundo de Futebol Feminino ocorreu em 1 991 , e desde foram realizadas 7 edições com os seguintes campeões: Estados Unidos com 3 títulos, Alemanha - 2, Noruega - 1 , Japão – 1 . A partir disso, a equipe Americana e Alemã se tornaram referência pelo trabalho realizado com a modalidade. No Brasil, apesar da influência significativa que o futebol tem na cultura, entre as mulheres, têm se popularizado, seja com o apoio das instituições responsáveis pelo esporte, como Ministério do Esporte e CBF, que tem proporcionado que os campeonatos disponíveis ao masculino seja disputado pelo feminino, porém ainda falta patrocinadores para o esporte. Voltado para o Futebol Feminino, o Ministério do Esporte possibilitou a realização de três campeonatos (a partir de 201 2): Copas Libertadores da América de Futebol Feminino; Copa do Brasil de Futebol Feminino; Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. A Copa Libertadores da América, reuni os campeões de cada país da América do Sul, sendo que as equipes brasileira dominam a competição com 6 títulos em 7 edições da competição, sendo 2 – Santos/SP, 3 – São José/SP, 1 – Ferroviária/SP, e a equipe do Colo-Colo(Chile) completa o quadro de campeões. Já pela Copa do Brasil de Futebol Feminino, que teve seu início em 2007, o quadro de campeãs é composto por 2007 - MS/Saad, 2008 e 2009 Santos, 201 0 Duque de Caxias, 2011 Foz Cataratas, 201 2 e 201 3 São José, 201 4 Ferroviária, 201 5 Kindermann, e a edição de 201 6 está entre São José e Audax/Corinthias que será disputada no final de outubro/201 6. O Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, foi criadoem 201 3, com Centro Olímpico se sagrando campeão da primeira edição, 201 4 foi a vez da Ferroviária, 201 5 Rio Preto, 201 6 Flamengo, contando com o patrocínio da Caixa Econômica Federal. A cada temporada, os clubes e campeonatos, e tem ganhado maior destaque, e o crescimento do número de participantes nos campeonatos, têm elevado a qualidade técnica e atraído o interesse do torcedor. A Conmebol, organizadora da Copa Libertadores da América, pensando em auxiliar o crescimento da modalidade, solicita que o clube que desejar-se associar a organização tenha uma equipe de futebol feminino, como divulgado em seu novo estatuto de licença de clubes: – “O solicitante (à licença) deverá ter uma primeira equipe feminina ou associar-se a um clube que possua o mesmo. Além do mais, deverá ter pelo menos uma categoria juvenil feminina ou associar-se a um clube que possua. Em ambos os casos, o solicitante deverá prover de suporte técnico e todo o equipamento e infraestrutura (campo de jogo para a disputa de jogos e treinos) necessária para o desenvolvimento de ambas as equipes em condições adequadas. Finalmente, se exige que ambos os times participem de competições nacionais e regionais autorizadas pela respectiva associação membro” – prevê o regulamento. O desenvolvimento da categoria entre as mulheres é uma aposta em todo mundo, e a Conmebol com essa atitude não pensa diferente. As jogadoras, assim como os homens, também ganharam o mundo. Nos campeonatos dos Estados Unidos, da Europa e da Ásia existem atletas brasileiras atuando, como Marta Vieira da Silva, mais conhecida como Marta, que já foi escolhida como melhor futebolista do mundo por cinco vezes consecutivas, um recorde entre 201 6 I FilmExportMagazine I 9

[close]

p. 10

mulheres e homens e foi considerada pela Revista Época um dos 1 00 brasileiros mais influentes do ano de 2009. Em 201 5, ela se tornou a Maior Artilheira da História das Copas do Mundo de Futebol Feminino, com 1 5 gols, e também se tornou a Maior Artilheira da História da Seleção Brasileira (contando a Masculina e a Feminina) com 1 01 gols. Na Seleção Brasileira de Futebol Feminino, Marta é um nome certo nas convocações. A número 1 0 da amarelinha e Melhor Jogadora de Futebol do Mundo, escreve a cada dia uma história de sucesso, determinação e força de vontade. Na América do Sul, a equipe brasileira vem deixando sua marca, sendo considerada a melhor do continente com 6 títulos 1 991 , 1 995, 1 998, 2003, 201 0 e 201 4. Além disso, também se destacou em outras competições como: • Copa do Mundo de Futebol Feminino: 2º lugar (2007) e 3º lugar (1 999) • Algarve Cup: 2º lugar em 201 6 • Copa Ouro Feminina: 2º lugar (2000) • Olimpíadas: medalha de prata (Atenas 2004 e Pequim 2008) • Jogos Pan-Americanos: medalha de ouro em 2003(Santo Domingo), 2007(Rio de Janeiro), 201 5 (Toronto). • Universíada: medalha de bronze em Banguecoque 2007, Shenzen 2011 e Kazan 201 3) Também disputa o Torneio Internacional de Futebol Feminino que é realizada desde 2009, no mês de dezembro. Em sete edições disputadas o Brasil foi campeão seis vezes: nos anos de 2009, 2011 , 201 2, 201 3, 201 4 e 201 5, as brasileiras só não conquistaram o título em 201 0 quando o Canadá foi o campeão. Visando buscar a inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos 201 6, a CBF adotou em 201 5 a chamada Seleção Brasileira Feminina Permanente, da qual 27 atletas escolhidas (Quatro goleiras e 23 atletas de linha) para a seleção permanente deixam de representar seus clubes e passam a se dedicar exclusivamente para a seleção, para melhorar a performance das atletas, porém a equipe ficou 4º lugar nas Olímpiadas do Rio de Janeiro. A partir disso, é notável que o Futebol Feminino está conquistando seu lugar nas entidades responsáveis, clubes, atletas, torcedores e a tendência é que os investidores também passem a dar mais valor a modalidade e comecem a ajudar, só assim conseguiremos evoluir nacionalmente para que possamos estar competindo em alto nível e conquistando títulos pelo mundo, mostrando o futebol brasileiro. PROJETO BOLA BRASIL MULHER Nos últimos anos, em terras brasileiras, as modalidades (futebol e futsal) entre as mulheres, tem se popularizado, com o apoio das instituições responsáveis pelo esporte, como Ministério do Esporte e CBF, e tem proporcionado que os campeonatos disponíveis ao masculino sejam disputados pelo feminino. Com este apoio do ministério, as competições tiveram continuidade e atraiu diverosos patrocínios, entre eles o da Caixa Econômica Federal para os clubes e campeonatos, e tem sido notado que a cada temporada, o crescimento do número de participantes, elevando a qualidade técnica e o interesse do torcedor. A partir disso, entendemos que é necessário termos um projeto que contribui para o desenvolvimento da modalidade, possibilitando os mesmos privilégios que o futebol masculino possui, para as equipes femininas. O Projeto Bola Brasil Mulher – BBM, tem como fundador/CEO: Roberto A. Nóbrega, vice-presidente Luciana Nóbrega que deram o ponta pé, começando a realizar a divulgação do Futebol Feminino. Notaram-se que a modalidade precisava ir além, e para reformulação do projeto, para atender melhor a necessidade das equipes como diretora executiva Mariana Cardoso, Goleira da Ferroviária, com uma convocação para seleção brasileira de futebol feminino sub-1 7. Nesta reformulação, pretendemos realizar a divulgação, o suporte as atletas, auxiliar os clubes masculinos a entrarem nesse universo feminino, dando oportunidade para os “talentos” brasileiros, incentivarem a prática do futebol feminino, realizando torneios e campeonatos, realizando um programa de TV online, entrevistas, produções de audiovisual em curta ou longa-metragem contando a história das atletas que são referências do Futebol Feminino Brasileiro (como Marta Vieira da Silva), proporcionar eventos e premiações com as atletas destaques dos campeonatos nacionais, e futuramente expandir nosso campo de atuação para internacionalmente. 201 6 I FilmExportMagazine I 10

[close]

p. 11

Por: Luciana Nóbrega Real Estate Creci: 34905-RJ luciana.marketing@terra.com.br Tel: 21 98034-6549 / 24 99238-931 0(whatsApp) Prédio disponivel para aluguel na Avenida Paulista, no centro de São Paulo, ideal para Universidades, Fundações, Empresas de Software, Tecnologia, Empresas de Petróleo, Gaz, Energia e Centro Internacional de Negócios, Consulados, Câmaras de Comércio entre outros. Área: 6.843 m2 Por pavimento : 437 m2 – andar corrido Pavimentos: Loja, Sobre loja, + 1 4 pavimentos tipo + 1 5 e 1 6 andar. Vagas de garagem: 64 em 3 subsolos. Heliponto a ser homologado. 201 6 I FilmExportMagazine I 11

[close]

p. 12

Divulgação ‐ Embratur Vinicius Lummertz durante a abertura do festival, na quarta-feira (5), e ao lado de representantes de diversos países EMBRATUR APOSTA NA INTERNACIONALIZAÇÃO DA OKTOBERFEST Tradicional produto turístico tradicional ganhará impulso na promoção do Brasil no exterior Ao considerar a Oktoberfest de Blumenau um “produto turístico maduro”, o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinicius Lummertz, disse que o próximo passo para que a festa cresça, tanto em volume de turistas quanto em qualidade e conforto para os visitantes, será uma campanha para internacionalizar o evento. A expectativa dos organizadores para este ano é reunir 500 mil pessoas. “Está na hora de sermos mais contundentes em nossas ações para atrair não só os turistas de países vizinhos, como Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile, mas Otakmtobbéemrfeosst deeuroMpuenuiqs.uePoartraqiuegennãteo?deSatobdeomoosmquunedoa, mas nossa festa já tem mais de 30 anos, está consolidada, só precisa ser mais divulgada”, resumiu Lummertz. Lummertz passou a quinta-feira (6) percorrendo os pavilhões, conhecendo novos detalhes da organização do evento e divulgando o apoio que a Embratur já dá e continuará prestando ao evento. Esta é a 33ª edição do evento, que se realizará até o dia 23 de outubro. Entre as novidades deste ano está a programação do Parque de Diversões, instalado no terreno ao lado da festa. Na gastronomia, a inovação é o Espaço Funcional, que oferece alimentos sem glúten, destinado aos celíacos e vegetarianos. www.embratur.gov.br www.twitter.com/embraturnews www.facebook.com/embraturbrasil www.instagram.com/embraturbrasil O presidente garantiu que a Embratur dará todo o apoio necessário para, junto com o trade turístico local, organizar press trips e fam tours para que o festival se torne mais conhecido. Lummertz também ponderou que além de jornalistas especializados e operadores, é preciso sensibilizar investidores, em especial os da rede hoteleira, que hoje é insuficiente para atender o grande público que participa da Oktoberfest e demais festas que acontecem em outubro em Santa Catarina. Vinicius participou do desfile de abertura da festa, na noite de quarta-feira (5), e depois, no principal pavilhão da festa, abriu, junto com o secretário de Turismo de Blumenau, Ricardo Stodieck, o primeiro barril de chope. Somente nesta primeira noite, mais de 20 mil pessoas se divertiram nos pavilhões, ao som de música tradicional dos descendentes de alemães e outros povos europeus que colonizaram a região do vale do rio Itajaí. 201 6 I FilmExportMagazine I 12

[close]

p. 13

Ministro Geddel Vieira Lima, presidente Vinicius Lummertz e diretores Tufi Michreff Neto e Gilson Lira (Embratur) 66 EMBRATUR E SECRETARIA DE GOVERNO FAZEM PARCERIA PARA DIVULGAR ARTESANATO BRASILEIRO 99 Turismo brasileiro fomenta a comercialização dos produtos artesanais visando a geração de emprego e renda no País A Embratur (Instituto brasileiro de turismo) e a Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov) assinaram nesta segunda­feira (10) no Palácio do Planalto, Acordo de Cooperação Técnica que viabiliza parceria institucional entre os órgãos com o potencial de contribuir na promoção do artesanato brasileiro e em outros países. A primeira ação resultante da iniciativa consiste na participação da SEGOV na feira World Trade Marketing (WTM), que acontecerá entre 7 a 9 de novembro, em Londres, em que ocupará espaço fornecido pela Embratur dedicado à exposição de peças de artesanato. A técnica escolhida para a exposição foi a de renda, em razão da maior praticidade para demonstração ao vivo, e como uma forma de relembrar a abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro, que homenageou os artesãos brasileiros. Mais de 20 artistas mostrarão seus trabalhos na WTM, considerada uma das maiores feiras de turismo do mundo. Pela Embratur, participaram do evento, além do presidente Vinicius Lummertz, os diretores Gilson Lira, de Inteligência Competitiva e Promoção Turística da Embratur, e Tufi Michreff Neto, de Gestão Interna. O presidente do Instituto comemorou o acordo e ressaltou que a plataforma internacional do Brasil no exterior é muito extensa, capilarizada em vários continentes. “A Embratur pode levar muita arte, ela não precisa só vender turismo, mas também conceitos”, destacou Lummertz. Por sua vez, o ministro Secretaria de Governo da Presidência da República (Segov), Geddel Vieira Lima, reiterou a importância da parceria e afirmou seu incondicional apoio à causa: “A promoção do desenvolvimento do setor artesanal brasileiro fomenta o mercado e estimula ações que geram oportunidade de trabalho”. A identificação de espaços mercadológicos adequados à divulgação e à comercialização dos produtos artesanais brasileiros é uma estratégia adotada com a intenção de promover a geração de renda aos trabalhadores. Desde 2013, o Programa Artesanato brasileiro é vinculado à diretoria de Micro e Pequena Empresa da Secretaria de Governo da Presidência da República, que detém, entre suas competências, a de formular políticas públicas de apoio ao artesanato brasileiro. A finalidade do Programa é coordenar e desenvolver atividades que visem valorizar o artesão e desenvolver artesanato e a empresa artesanal. Por isso, são desenvolvidas ações voltadas à geração de oportunidades de trabalho e renda, aproveitamento das ações vocacionais regionais, a preservação das culturas locais, capacitação de artesãos para o mercado competitivo promovendo a profissionalização e comercialização dos produtos artesanais brasileiros. 201 6 I FilmExportMagazine I 13

[close]

p. 14

POR: Bruno Omori / Retomada do Crescimento 201 6 I FilmExportMagazine I 14

[close]

p. 15

201 6 I FilmExportMagazine I 15

[close]

Comments

no comments yet