Escola + Faculdade

 

Embed or link this publication

Description

Juntas tornaram-se o maior grupo educacional de Palotina, a ofertar ensino do berçário à pós-graduação

Popular Pages


p. 1

Escola+FaculdadeRevista Acadêmica da UESPAR/FACITEC - União de Ensino Superior do Paraná Edição Nº 06 - 2016/17 Terra do Saber e UESPAR ofertam ENSINO do berçário à pós-graduação Gestão da Produção Industrial Novo curso da UESPAR para 2017

[close]

p. 2

EDITORIAL Este, com certeza, é um ano de grandes realizações na UESPAR. No primeiro semestre de 2016 a instituição incorporou uma escola atuante há mais de 10 anos em Palotina – Terra do Saber. Não é loucura nem mesmo novidade para o segmento das instituições de ensino privadas do Brasil. Esta é uma tendência das faculdades para ampliar os seus serviços e o número de estudantes na área educacional. UESPAR e Terra do Saber possuem losoas similares e acreditam numa educação sólida e construtiva. Proporcionarão, juntas, formação para todas as faixas etárias, do berçário à pós-graduação. A partir de 2017 o grupo educacional projeta um aumento de 40% do número de alunos e uma expansão estrutural de seus prédios. Além da incorporação, a UESPAR inicia o ano de 2017 com um novo curso de graduação – Gestão da Produção Industrial. Este atenderá uma demanda das indústrias do Paraná, o 4° maior estado empregador e em número de estabelecimentos industriais do país. Não parando por aqui, a instituição deu encaminhamento ao Ministério da Educação a mais um curso de graduação na área de licenciatura, que será ofertado a partir da liberação de portaria de avaliação do MEC. O grande salto foi dado. Após 12 anos lançando prossionais no mercado, a UESPAR agora tem uma responsabilidade ainda maior, construir uma educação forte desde a base, para formar jovens e adultos comprometidos com o futuro. Lariane Aline Paludo Editora Revista ConSensu EXPEDIENTE PRESIDENTE DA UESPAR Mércio Francisco Paludo DIRETOR DA FACITEC Edelar Bulegon DIRETORA DA TERRA DO SABER COORDENADORA DO Cândice Ruaro Zanin CURSO DE ADMINISTRAÇÃO *REVISÃO CONSENSU Silvana F. Chiela Rodrigues COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Egídio Leopoldo Scherer COORDENADORA DO CURSO DE TADS Denise Maria Cotoman COORDENADORA DO CURSO DE ARTES VISUAIS *REVISÃO CONSENSU Eliane Maria Cabral Beck COORDENADOR DO CURSO DE ASSESSORA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL *PRODUÇÃO E EDIÇÃO CONSENSU Edson Antônio Colle Lariane Aline Paludo PROJETO GRÁFICO: Márcio Brustolin | GRÁFICA: Imprevale | TIRAGEM: 800 ALUNOS COLABORADORES SUMÁRIO 3 Gestão da Produção Industrial é o novo curso da UESPAR 4 Escola Terra do Saber passa a funcionar no campus da UESPAR a partir de 2017 6 Professor viaja à Finlândia para conhecer a realidade dos refugiados da Síria 8 RETER TALENTOS é a principal preocupação das empresas em 2016 10 Conselhos Acadêmicos 12 Controle de qualidade na produção de guardanapos de papel 16 Ser professor: um lance de amor 18 Saiba onde investir seu dinheiro para obter maior retorno 20 Aconteceu na UESPAR 22 Geração de energia elétrica: uma contribuição a um planeta mais sustentável 23 Aceitamos encomendas 24 Cliques 26 Felino vive na UESPAR e faz a alegria dos que curtem animais 27 Fique ligado Luan Andress do Carmo Maiara Wasowvicz Luna Fabiele Vieira Tayana Suelen Ahnert Paula Nunes Rezende Gervásio Bartnik Junior Iago Miguel Alves de Barros FACITEC - Faculdade de Ciência e Tecnologia Avenida Presidente Kennedy, 2300, Palotina / PR Telefone: (44) 3649 9002 Site: www.uespar.edu.br Email: comunicação@uespar.edu.br Facebook: Uespar Facitec

[close]

p. 3

NOVO CURSO Divulgação Gestão da Produção Industrial é o novo curso da UESPAR Com duração de três anos, o curso passa a ser ofertado no primeiro semestre de 2017 A indústria paranaense ocupa posição de destaque no cenário brasileiro. É a 4ª do país em número de empregos e estabelecimentos. Segundo projeções da Federação das Indústrias do Estado do Paraná – FIEP, o segmento tende só a crescer. Para atender esta demanda das indústrias do estado e do país, a UESPAR – FACITEC trouxe a Palotina o novo curso de Gestão da Produção Industrial, com início previsto para o primeiro semestre de 2017. PERFIL DO PROFISSIONAL O prossional desta área tem como principal responsabilidade aumentar e garantir a produtividade, reduzir os custos de produção e certicar a qualidade nal de tudo o que é fabricado. Ele conhece as particularidades de cada etapa do trabalho, o funcionamento das linhas de produção automatizadas e os softwares de funções administrativas, como aqueles destinados ao controle e à elaboração de balanços e inventários de bens e mercadorias. PROFISSÃO EM ALTA O oeste paranaense é uma região de grande propulsão da indústria brasileira, com destaque para os setores de alimentos, vestuário e acessórios. Representa um PIB Industrial de 15,7% e oferta 11,3% de empregos dentro das indústrias. “A opção por um curso desta natureza deve-se principalmente ao fato do mercado de trabalho na região ser composto basicamente por pequenas, médias e grandes indústrias. Em contrapartida, as mesmas empresas preocupamse com uma política de adequação às mudanças nas estruturas econômicas e sociais decorrentes da globalização. Estas mudanças exigem prossionais que façam frente às demandas de melhoria da qualidade e aumento da competitividade”, destaca o diretor pedagógico da UESPAR/FACITEC, Edelar Bulegon. DIFERENCIAIS DO CURSO DA UESPAR “Reconhecemos a necessidade das empresas em contratar prossionais que saibam colocar em prática o aprendizado que obtiveram durante a faculdade. Para isso rmamos convênios de cooperação técnica com indústrias, de modo que os alunos possam treinar e executar suas atividades num ambiente real de trabalho”, explica o coordenador do curso, Edson Antônio Colle. Além disso, os alunos do curso terão à disposição um laboratório de simulação, onde poderão aprender a manusear os principais equipamentos da atividade. Outro grande diferencial do curso é a sua matriz curricular. “Na elaboração do Projeto Pedagógico do Curso (PPC) nos preocupamos em elaborar uma matriz coerente com as necessidades das indústrias de Palotina e das cidades vizinhas, com enfoque para as áreas de alimentos, agricultura e vestuário”, arma Colle. Edson Antônio Colle, coordenador do curso de Gestão da Produção Industrial da UESPAR | Revista Acadêmica da UESPAR Lariane Aline Paludo MATRIZ CURRICULAR 1° Ano: Tecnologia da Produção; Matemática Financeira; Metodologia da Pesquisa Cientíco Tecnológica; Análise de Cenários Econômicos e Custo Industrial; Estatística Aplicada à Gestão da Produção; Tecnologia da Produção e Informática Aplicada à Gestão da Produção; Comunicação: Leitura, Escrita e Oratória e Sistema de Gestão Ambiental. 2° Ano: Sistemas de Qualidade; Pesquisa Operacional: Métodos Quantitativos Aplicados à Produção; Sistema de Informação Gerencial; Manutenção Industrial; Planejamento, Programação e Controle da Produção; Materiais e Tratamentos; Projeto do Produto, Processos e Fábricas; Automação Industrial e Gestão da Produção Aplicada. 3° Ano: Gestão de Estoque e Logística Industrial; Simulação de Processos; Design e Moda na Indústria; Ergonomia e Segurança do Trabalho; Gestão de Projetos e Desenho Técnico; Sistemas Operacionais e Arranjos Físicos; Projeto de Trabalho de Graduação e Gestão da Capacidade: Tempos e Movimentos. 3

[close]

p. 4

INCORPORAÇÃO Escola Terra do Saber passa a funcionar no campus da UESPAR a partir de 2017 Escola foi incorporada pela UESPAR e passará a atender do berçário ao ensino fundamental (7° ano) Com o objetivo de expandir os seus investimentos na área educacional, a UESPAR incorporou em 2016 a Escola Terra do Saber. Com a compra, a UESPAR passa a ser a mantenedora da Faculdade de Ciência e Tecnologia (FACITEC) - que engloba os cursos de Administração, Ciências Contábeis, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (TADS), Artes Visuais, Gestão da Produção Industrial e cursos de pósgraduação e, a partir de agora, a Terra do Saber – escola que oferece berçário (a partir de quatro meses) educação infantil e fundamental I. Ambas as instituições têm mais de 10 anos de atuação em Palotina e juntas, na situação atual, somarão aproximadamente 700 estudantes, considerando todos os ensinos e programas ofertados pela FACITEC e Terra do Saber. O processo de incorporação, tecnicamente conhecido por fundo de comércio, garante a continuidade do nome da escola, tal como o programa pedagógico e corpo docente da instituição. “Na prática mudaremos apenas de casa e somaremos nossos esforços e experiências na área educacional”, disse Cândice Ruaro Zanin, agora sócia da UESPAR. A incorporação proporcionará o crescimento da escola, tanto do espaço físico quanto na qualidade do ensino, já que ambas as instituições trabalharão com uma missão e objetivos integrados. Com as novas instalações a Terra do Saber terá um espaço verde privilegiado para desenvolver novas atividades externas. Para o presidente da mantenedora UESPAR, Mércio Paludo, esta é uma etapa muito importante para as duas instituições. “Nós como UESPAR planejávamos expandir nossos investimentos na área de educação. A Terra do Saber precisava de espaço para crescer. Queremos ofertar à Palotina um polo de educação forte e que atenda às necessidades da cidade e da região”, disse Mércio. As marcas UESPAR/FACITEC, representando a faculdade, e Terra do Saber, denominando a escola, continuarão existindo de forma independente, mas haverá convergência nas áreas de administração, marketing e infraestrutura. 4 | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 5

Fotos: Divulgação NOVIDADES PARA O ANO QUE VEM A UESPAR é detentora de uma área de 26.480 metros quadrados. Arquitetos e engenheiros já estão trabalhando no projeto de ampliação e construção de prédios ideais para a educação infantil. A previsão é de que as obras estejam prontas no início das aulas de 2017. Além de educação infantil e ensino fundamental I, a Terra do Saber implantará o ensino fundamental II em 2017. Nova estrutura da escola Terra do Saber prioriza áreas verdes, adaptadas e modernas Turmas e horários da escola Terra do Saber para 2017 • Período Vespertino - Berçário I e II (a partir de 4 meses de idade) - Maternais I e II - Níveis I e II - 1°, 2°, 3° e 4° anos • Período Matutino - 4°, 5°, 6° e 7° anos • Período Integral - A partir do Berçário * Horário de atendimento 7h15min às 18h15min * AULAS EXTRAS - Aulas: Arte, Culinária, Horticultu- ra e Empreendedorismo. - Esporte: Futsal, Vôlei, Judô - Idiomas: Inglês | Revista Acadêmica da UESPAR 5

[close]

p. 6

VIAGEM Professor viaja à Finlândia para conhecer a realidade dos refugiados da Síria A Finlândia recebeu 32.476 pedidos de asilo em 2015, quase nove vezes mais que o ano anterior, quando 3.651 refugiados chegaram ao país nórdico Entre os dias 21 de setembro de 2015 e 21 de outubro de 2015, o professor Alan Roscamp realizou uma pesquisa in loco nas cidades de: Kemijarvi, Helsinki, Toijala, Tampere e Rovaniemi, na Finlândia, por meio de parcerias com a Punainen Risti – Cruz Vermelha Finlandesa, Helluntaiseurakunta Kemijarvi – Igreja Helluntai em Kemijarvi, Suomen evankelis-luterilainen Kirkko- Igreja Evangélica Luterana da Finlândia. Após conitos entre grupos islâmicos de forte interesse político e nanceiro, muitos sírios deixaram seu país em busca de melhores condições de vida (mesmo que fosse uma utopia) para sua família. Isso trouxe uma série de consequências catastrócas em diversos países da Europa, onde os refugiados chegavam com seus pequenos barcos ou até mesmo botes em busca de algo que parecia impossível. Para compreender qual a situação destes refugiados, Roscamp desenvolveu uma pesquisa baseada em relatos, a partir de entrevistas não diretivas com base nas diculdades enfrentadas pelos sírios ao chegar à Finlândia. sinki, de barcos, oriundos da Alemanha, esperavam alguns dias suas transferências para países da União Europeia. APOIO DO GOVERNO DA FINLÂNDIA O governo Finlandês dispõe de casas e apartamentos para estudantes e pessoas com baixo poder aquisitivo, os quais pagam um aluguel simbólico ao governo. Ao chegar, os refugiados são encaminhados para estes apartamentos, porém ao contrário dos habitantes nlandeses, eles não têm a necessidade do pagamento de aluguel. “Nós estamos dormindo em pequenos apartamentos do governo, em torno de dez homens, A CHEGADA DOS REFUGIADOS A CIDADE DE KEMIJARVI Ao entrar na Finlândia, a aduana expedia o visto temporário para os refugiados. Estes esperavam os ônibus que os levavam para diversas cidades do país. Aqueles que chegavam pela capital Hel- quando solteiros. As famílias estão cando em apartamentos individuais. É um pouco apertado, mas é muito melhor que nosso antigo país”. Arma o refugiado Bakir Alfhdawe. A IMPORTÂNCIA DA CRUZ VERMELHA FINLANDESA NA AJUDA HUMANITÁRIA AOS REFUGIADOS A Cruz Vermelha Finlandesa é uma organização, vinculada à Cruz Vermelha internacional, presente em todos os países. A organização vive de doações e ajuda por meio de voluntários locais e internacionais além de funcionários remunerados. Na cidade de Rovaniemi, Divulgação Alan falando sobre a vida no Brasil na igreja Heluntai na cidade de Kemijarvi 6 | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 7

Divulgação a organização conta com uma loja de usados, onde recebe roupas e todo tipo de objetos de uso pessoal. Voluntários separam estas peças e as colocam para venda com valores muito abaixo do mercado, possibilitando que moradores locais com renda baixa ou que recebem ajuda do governo comprem produtos bons e baratos. O faturamento da loja é destinado à sua manutenção e também para que sejam adquiridos produtos usados que são doados aos mais necessitados. A Cruz Vermelha nlandesa atende a todas as necessidades dos refugiados como: roupas, itens básicos de cama, mesa e banho, além de móveis e itens básicos de alimentação como talheres, pratos e copos, visto que estes vieram somente com a roupa do corpo, e, em alguns casos, algumas pequenas bolsas nas costas. Foram realizados mutirões de voluntários de diversas organizações e igrejas locais para alimentar os refugiados no primeiro dia de sua chegada. Como haviam recebido pratos e talheres, as entregas eram realizadas em marmitas e servidas até o terceiro dia. Por meio de entrevista, o refugiado Bakir Alfhdawe armou que era grato a toda ajuda que a Cruz Vermelha e voluntários estavam dando. “Estávamos necessitados, com muito frio e fome, eu não me alimentava há cerca de um dia e meio”. Alan com refugiados na entrega de doações de roupas e utensílios SITUAÇÃO ECONÔMICA DOS NOVOS MORADORES DE KEMIJARVI Após todo auxílio oferecido a eles, o Governo liberou uma ajuda nanceira de cerca de 300,00 euros para cada refugiado, possibilitando que este pudesse iniciar suas compras de roupas, comida e mantimentos básicos. Existe uma grande diferença da União Europeia para o Brasil no quesito de roupas, na Finlândia, por exemplo, há uma grande procura por roupas usadas, não importa a classe social, todos compram roupas usadas. Conforme o relato de uma empresária de loja de usados Zilda Lahtela: “Aqui, se você é rico ou pobre, se você é nlandês ou emigrante, sempre fará compras e visitas a lojas de usados, caso não encontre, aí sim, o cliente vai até uma loja de produtos novos”. Esta facilidade em encontrar produtos usados acabou gerando uma economia para os novos moradores de Kemijarvi, visto que o auxílio que o governo fornecia não era muito para comprar roupas novas e alimentos. No mês que a pesquisa estava sendo realizada houve dias em que a temperatura chegou a -1ºC, então os moradores da cidade, na qual os refugiados estavam hospedados, começaram a levar diretamente roupas de frio e as lojas de usados também forneceram roupas como doação e, em alguns casos, a preços mais baixos. | Revista Acadêmica da UESPAR SOBRE O AUTOR Alan Patrick de Moura Roscamp – Professor da disciplina de Mercado de Capitais do curso de Administração da UESPAR Formado em Administração, especialista em Gestão de Recursos Humanos e mestrando em Desenvolvimento Rural e Sustentável 7

[close]

p. 8

III SEMINÁRIO EMPRESÁRIO DE SUCESSO Fotos: Divulgação RETER TALENTOS é a principal preocupação das empresas em 2016 Três gestores apresentaram os programas e estratégias que aplicam em suas empresas para a retenção de talentos De um lado, prossionais ansiosos por uma carreira que lhes dê autonomia e reconhecimento, mas acima de tudo, que valorizem suas habilidades e anseios pessoais. Por outro, empresas em busca de funcionários com alto grau de motivação interna, que saibam colocar suas habilidades em ação, mas também se comprometam com a empresa. Compatibilizar desejos do empregado e empregador é um dos maiores desaos das corporações para reter talentos atualmente. O estudo realizado pelo LinkedIn ouviu 3.894 recrutadores de todo o mundo, 231 deles no Brasil. A retenção de pessoas foi citada por 42% dos entrevistados como uma das prioridades para 2016. Em seguida, vem o recrutamento de talentos altamente qualicados (33%) e a melhoria da qualidade das contratações (31%). Tratando-se de uma nova geração Y - diferente da geração X ou dos Baby Boomers - empresas que conseguem elaborar programas para manter estes colaboradores comprometidos com ela destacam-se em meio ao cenário competitivo atual. Maurício Luiz dos Santos, administrador e professor da disciplina de Ges- tão de Pessoas da UESPAR; Jaime Basso, presidente da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP e Edilson Backes, sócio e diretor administrativo da Junsoft debateram o assunto no III Seminário Empresário de Sucesso UESPAR, realizado no mês de agosto em Palotina. As palestras dos gestores foram precedidas pela explanação do professor Maurício Luiz dos Santos, que abordou tecnicamente os conceitos e ferramentas para a ecaz gestão de pessoas. SOBRE O SEMINÁRIO Este é o terceiro ano consecutivo que a UESPAR promove o evento em Palotina. Apresenta um formato diferenciado, balizado no debate, tema único e na troca de experiências entre palestrantes e plateia. O seminário tem como objetivo evidenciar e disseminar boas práticas de administração entre os futuros prossionais e empreendedores locais. 8 | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 9

Acreditamos na educação como um processo contínuo Em uma pesquisa realizada pela revista Você S/A, em 2015, a Sicredi foi considerada uma das melhores empresas para se trabalhar. Para atingir tal reconhecimento, Jaime Basso destaca a importância de manter prossionais comprometidos com a empresa, ofertando programas de valorização e benefícios para os funcionários. A educação é um dos pilares deste trabalho, “é um poderoso instrumento de transformação e de desenvolvimento de pessoas”, diz. ALGUNS DOS PROJETOS PARA RETENÇÃO DE TALENTOS DA SICREDI § EDUCAÇÃO: • Ensino à Distância Sicredi Aprende; • Pagamento de 70% dos cursos de pós-graduação para funcionários. § VALORIZAÇÃO PESSOAL: • Reconhecimento por tempo de casa; • Jeito Sicredi de Ser; • Gestão do clima. § REMUNERAÇÃO: • Tabela de remuneração com base no mercado e pesquisa realizada com empresas do setor; • Adiantamento salarial mensal; • Programas de benefícios: vale alimentação, plano de saúde, previdência privada e seguro de vida. Investimento em um ambiente de trabalho dinâmico A Junsoft conquistou em 2014 duas etapas do Prêmio MPE Brasil, uma no estado do Paraná e outra em nível nacional. Mostrou que apesar de ser uma empresa de pequeno porte é capaz de se destacar no quesito retenção de talentos. Por meio de indicadores gerenciais acompanha sistematicamente todos os processos produtivos da empresa. Com um quadro de funcionários formado unicamente pela geração Y, Backes mostrou a preocupação da empresa em atender os anseios deste prossional, ofertando um ambiente de trabalho dinâmico e propiciando o livre exercício da criatividade. “Nos preocupamos em proporcionar qualidade de vida aos nossos funcionários, oferecendo um ambiente de trabalho agradável, eventos de lazer e outras atividades que valorizem o prossional dentro da empresa”, diz Edilson Backes. ALGUNS DOS PROJETOS PARA RETENÇÃO DE TALENTOS DA JUNSOFT § CONTRATAÇÃO: •Análise de currículo; • Avaliação comportamental; • Avaliação técnica. § CAPACITAÇÃO: • Acompanhamento psicológico e de carreira para os colaboradores além de cursos técnicos e de liderança. § REMUNERAÇÃO: Indicadores de remuneração variável. ESTRATÉGIAS PARA RETER TALENTOS § Explicar aos funcionários as vantagens em demonstrar empatia; § Demonstrar aos funcionários a importância da satisfação ao cliente; § Manter um programa de incentivos que recompense funcionários por iniciativas que gerem satisfação ao cliente; § Desenvolver um sistema que identique os tipos de comportamento no cargo que serão reconhecidos; § Estabelecer um sistema de remuneração que recompense o esforço extra; § Proporcionar treinamento e desenvolvimento focado em cada funcionário. | Revista Acadêmica da UESPAR 9

[close]

p. 10

Estoque acumulado é dinheiro parado Maiara Wasouvicz 3º ano Ciências Contábeis Em situações de crise, as empresas tendem a acumular um grande volume de estoques. No entanto, estocar nem sempre é garantia de que sua empresa terá um bom giro de capital. Quando a empresa mantém estoques além do necessário, ocorre uma perda da capacidade de investimento e de espaço físico para a empresa. Não se pode denir um percentual padrão de estocagem, pois a quantidade de estoque necessário varia de uma empresa para outra e depende do ramo de atividade. Por isso, é importante conhecer a empresa e mensurar o seu giro de estoque, considerando um período de segurança. É preciso também, ter cautela na hora de estocar! Um dos elementos do custo de estocagem é o custo da falta de dinheiro. Vale a pena lembrar que estoque acumulado é dinheiro parado! Você não vai querer entrar nessa, não é? Manter a segurança das informações é muito mais fácil que recuperá-las Gervásio Bartnik Jr. 3º ano Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O surgimento da internet foi um marco gigantesco para a humanidade. Ela tornou a comunicação e disseminação de informações muito mais rápidas, quase instantâneas, entre muitas outras facilidades que trouxe. Mas também trouxe perigos para os usuários. A exposição de informações pessoais na internet passou a ser algo comum em todo o mundo. Ter cuidado com suas informações e arquivos é algo de extrema importância. As pessoas devem evitar acessar sites duvidosos, abrir e-mails e arquivos pessoais em computadores de outras pessoas, devem tomar cuidado com as informações que expõem em redes sociais. São cuidados simples, mas que podem evitar grandes dores de cabeça. Manter a segurança de suas informações é muito mais fácil que recuperá-las em caso de perda ou exposição na internet. Planeje e respeite as etapas da vida Luan A. do Carmo 2º ano Administração Para você jovem, com planos em curto prazo, saiba que o planejamento é fundamental, pois sucesso é uma estrada que se trilha passo a passo e cada passo dado considere como uma etapa vencida. Não pule etapas, pois ela retornará e pode ser que volte com diculdade maior e não seja vencida. É importante respeitar as pessoas que estão ao seu lado durante a caminhada, porque nada se constrói sozinho. Acredite! Ter uma formação e manter um investimento nanceiro são medidas que favorecem a realização dos sonhos. O teatro melhora a qualidade de vida e estimula a mente Luna Fabiele Vieira 4º ano, Artes Visuais Se você é tímido, tem diculdades em se expressar em público, ou ainda, em fazer amizades, aulas de teatro podem ser uma excelente solução para este problema. O mercado de trabalho exige cada vez mais pessoas desinibidas e expressivas. O teatro, além de ajudar no crescimento prossional, melhora a qualidade de vida e estimula a mente. Eu, por exemplo, tinha muita diculdade em me relacionar com as pessoas e com a disciplina de Teatro do meu curso aprendi a me expressar com mais facilidade. Mas é claro, é preciso romper certas barreiras, e isso só depende de você. 10 | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 11



[close]

p. 12

ARTIGO ADMINISTRAÇÃO CONTROLE DE QUALIDADE NA PRODUÇÃO DE GUARDANAPOS DE PAPEL FERRARI, R. P¹; SILVA, A. P. C¹; COLLE, E.A². ¹Acadêmicos do 4º ano de Administração da UESPAR. ²Especialista em Gestão Financeira e Controladoria pela UESPAR e Gestão de Negócios pela FGV, graduado bacharelado em Administração de Empresas pela UESPAR e professor orientador da disciplina de Estágio Supervisionado II do curso de Administração da UESPAR. INTRODUÇÃO Atualmente com a grande concorrên- cia vigente, possuir produtos com diferenciais se faz extremamente necessário para garantir espaço no mercado. Assim, promover a qualidade na organização se torna uma questão decisiva no que se refere à competitividade e perpetuidade da empresa. A qualidade de um produto ou serviço traz benefícios para toda a empresa, mais especicamente ao seu processo produtivo, uma vez que a “boa qualidade reduz custos de retrabalho, refugo e devoluções e, mais importante, boa qualidade gera consumidores satisfeitos.” (SLACK, CHAMBERS, JOHNSTON, 2002, p. 549). Visando a propagação dos benefícios da implantação da qualidade nos processos das empresas, o presente artigo tem por objetivo a identicação e vericação de necessidade de adequação de procedimentos de avaliação e controle de qualidade seguidos por uma empresa de produção de artigos de papel. DESENVOLVIMENTO De acordo com Juran (2004), o pri- meiro conceito de qualidade relacionado à produção industrial surgiu no Japão quando suas montadoras de veículos passaram a utilizar tal critério como um diferencial de mercado a m de se sobressair em relação a concorrência. Nos dias atuais, porém, apresentar um produto de qualidade deixou de ser ape- 12 nas um fator para conquistar o cliente e tornou-se uma necessidade. Sua importância pode ser expressa por meio de um indicador: os custos. Para estimar as perdas resultantes em um processo, pode-se chamar de custos da má qualidade todos os recursos que são suprimidos durante este processo. (JURAN, 2004) Pode-se dizer que a qualidade de um produto ou serviço está presente em suas características, o que estas representam e oferecem aos seus usuários, conforme é citado por Campos (2014, p. 26), “um produto ou serviço de qualidade é aquele que atende perfeitamente, de forma conável, de forma acessível, de forma segura e no tempo certo às necessidades do cliente”. Contudo, Slack, Chambers e Johnston (2002) enfatizam que o processo de produção deve atender as especicações de produtos ou serviços que a organização determina como o apropriado para atingir o seu público alvo. A apresentação de um projeto de produto possui substancial importância para o processo produtivo da empresa, pois denirá qual seu foco e, por consequência, quais procedimentos este deve seguir para atingir seus objetivos. As ferramentas direcionadas ao controle dos processos de qualidade, segundo Graelm e Peinado (2007), são responsáveis pela identicação e apresentação da solução de problemas. Dentre as quais, destacam-se: folhas de vericação, grácos demonstrativos, grácos de controle estatístico de processos e análise de Pareto. Para a construção do presente artigo, foi utilizada a pesquisa bibliográca, além de visitas à empresa, observação pessoal e diálogo com os responsáveis pelo setor de qualidade da produção e chefe de produção e análise de documentos disponibilizados pela organização. A empresa estudada atua na conversão de bobinas de papel e celulose em guardanapos, papel higiênico e papel toalha interfolhas e em bobinas. Encon- tra-se inscrita como uma empresa de pequeno porte e possui 47 funcionários. Para o presente estudo, foi escolhido como produto principal o guardanapo de papel 20 cm X 21,50 cm Premium, com gramatura entre 19g/m² a 20g/m². O processo de produção tem início com o posicionamento das bobinas junto às máquinas, que realizam o corte, dobragem e gofragem do papel. A contagem dos guardanapos a serem embalados é realizada pela própria máquina e o processo de embalagem e selagem é realizado manualmente pelos funcionários daquele setor. A conversão de peso de papel em unidades se dá devido ao fato de a empresa estudada realizar suas vendas a partir da quantidade de guardanapos nos pacotes, mas realizar a compra de matéria-prima tendo como parâmetro o peso. Assim, o controle do fator gramatura tem fundamental importância no custo e no processo produtivo, uma vez que, quanto maior a gramatura do papel, maior será o peso de papel necessário para produzir a mesma quantidade de guardanapos. Visando um melhor entendimento da importância da gramatura no processo, pode-se explicá-la como sendo o peso em gramas de papel por metro quadrado. Aplicando sua importância no processo produtivo da empresa, pode-se concluir que cada folha de guardanapo padrão escolhido para ser estudado possui comprimento de 20 cm, largura de 22 cm e uma média de gramatura de 20g/m², assim, obtendo um peso de 0,00088 Kg por folha. Assim, como primeira proposta de melhoria para o processo foi recomendada a implantação da utilização das chas de vericação pelos funcionários durante o processo produtivo. Estas apresentam campos para preenchimento sobre as características do papel, controle de paradas, perdas e quantidades produzidas, a m de avaliar, entre outros, a produtividade da empresa e índices de perda de matéria-prima e avarias por fornecedor. | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 13

Número de Ocorrências % Acumulado Por meio de documentos disponibilizados pela empresa, foi possível compreender que a máquina apresenta uma capacidade de processamento médio em torno de 0,60 kg de papel por minuto, ou seja, 680 unidades de guardanapos. Foi constatado também que, do total de matéria-prima analisada, 139 Kg apresentavam uma gramatura de 21g/m², ou seja, encontravam-se com a gramatura acima da especicação técnica, o que resultou em uma produção de 7.506 folhas a menos, se comparada com a produção da gramatura de 20g/m² estabelecida como padrão, conforme Tabela 1. Gramatura (Kg/m²) Produção (und. X Kg) Gram. 20 322.056 Gram. 21 306.747 8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000 0 Análise de Pareto 60% 26% 14% Gramatura Perdas Produção Perdas Papel 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Produção Analisada 314.550 FIGURA 1 – REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DA ANÁLISE DAS CAUSAS DE PERDAS NO PROCESSO DE PRODUÇÃO. Fonte: O autor (2016). TABELA 1 - REPRESENTAÇÃO DE CÁLCULOS DE PERDAS DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. Fonte: O autor (2016). As perdas produtivas e orçamen- Ao se estabelecerem os padrões de tárias causadas pela falta de controle produção propostos, existe a oportuni- Nessa análise foram transformados da gramatura cam ainda maiores se dade de ganhos reais de 3.079 pacotes 285 Kg de papel em folhas de guardana- elevadas a uma grande escala. Reali- de guardanapos. Hoje a empresa prati- po, dos quais, 1,50 Kg foram considera- zando um cálculo simples de capaci- ca um preço médio de vendas de R$ dos perdas por problemas não especi- dade efetiva da máquina de 60g por 0,50 por pacote, escalonado aos cados com o papel, o que resultou em minuto, com tempo disponível de tra- ganhos reais poderiam gerar uma recei- uma perda de produção de 1.704 folhas balho de 450 minutos por dia, chega- ta de faturamento de R$ 36.948,00 anua- de guardanapos. Segundo o responsá- se a uma produção diária de 270 Kg is, apenas para este produto, conside- vel pelo setor, estima-se que o processo de papel. Ao elevar estes valores a rando que a empresa possui duas produtivo apresenta um nível de 1% de um índice mensal e, considerando a máquinas deste formato, os efeitos das perdas de produtos por defeitos na pro- utilização de 22 dias, a quantia trans- causas e das soluções são igualmente dução. Levando-se em consideração a formada efetiva é de 5.940 Kg de equiparados uma vez que o processo produção total analisada de 285 Kg, papel no mês. de transformação possui as mesmas constata-se uma perda de 3.237 unida- Levando em consideração os dados características produtivas. des de guardanapo durante o processo. sobre a produção da empresa, conclui-se Visando reduzir estas perdas e cus- Aplicando as informações sobre as que, em 285 Kg produzidos, 48% da maté- tos da má qualidade, foi proposto como causas de problemas com a má qualida- ria-prima encontravam-se em gramatura procedimento um controle rígido no rece- de na produção, de acordo com a tabela acima da prevista na especicação. A bimento dos materiais, que deve ter iní- 2, conclui-se que a maior responsável por partir disso, foi constatada uma perda de cio no departamento de compras, com perdas é a gramatura acima do padrão produção de 153.964,8 folhas de guar- exigências a fornecedores para entrega estabelecido para o produto estudado. danapo ou 3.079 pacotes de 50 unida- da matéria-prima com gramatura especi- cada, bem como implantação de pro- Tipo de Problema Ocorrências % Acumulado % Acumulado cedimento de devolução da matéria- Gramatura Perdas Produção 7.506 3.237 60% 7.506 26% 10.743 60% prima não conforme. Outro problema encontrado foi em 86% relação às amostras retiradas para o Perdas Papel 1.704 14% 12.447 100% controle de qualidade. Atualmente, Perdas Papel 12.447 100% TABELA 2 - REPRESENTAÇÃO DAS CAUSAS DE PERDAS DO PROCESSO DE PRODUÇÃO. Fonte: O autor (2016). considerando a capacidade produtiva da máquina, o percentual de conferência é de 0,00256% apenas para a quan- tidade de folhas nos pacotes. Não são Conforme a análise de Pareto (- des em um mês de produção (Tabela 3). avaliadas as medidas das folhas, o gura 1), ca evidente a importância da gramatura correta para a efetividade do processo produtivo, uma Desvio Diferença Produção Gram. 20 X 21 (und./Kg) Produção Mensal Kg fora da especicação Produção fora da especicação vez que, a diferença de 1g na gra- 48% 54 5.940 2.851 153.965 matura do papel ocasionou 60% de todas as perdas observadas duran- 40% 54 5.940 2.376 128.304 te este processo. 30% 54 5.940 1.782 96.228 TABELA 3 - DIFERENÇA DE PRODUÇÃO POR MATERIAL EM DESACORDO COM A ESPECIFICAÇÃO. Fonte: O autor (2016). | Revista Acadêmica da UESPAR 13

[close]

p. 14

que deveria ter grande relevância. Fazendo-se comprovar a ineciên- cia dos controles por amostragem, foi proposta como a terceira melhoria a ser implantada, que a retirada das amostras se dê em um período menor de tempo e em um número maior de pacotes, sendo recomendada a retirada de amostra de 15 em 15 minutos e com a conferência de 3 pacotes, o que resultaria na conferência de 1,5% dos pacotes produzidos. O processo de amostragem deve ser relatado na cha de vericação Controle de Amostragem. CONCLUSÃO São inúmeras as vantagens obti- das quando se consideram as questões relacionadas à qualidade em um processo, sobretudo ao se considerar a implantação dos princípios defendidos pelas teorias apresentadas. Com base nisso, o presente artigo mostra que, com a implantação de um controle de qualidade, se torna possível obter resultados vantajosos, sobretudo na redução de custos. À vista disso, visando solucionar os problemas diagnosticados na empresa foi oferecida como proposta de melhoria a utilização das chas de vericação durante o processo produtivo, a m de solucionar o problema de falta de informações. Foi proposta também a implantação de um controle rígido no recebimento de materiais, visando prevenir as perdas em virtude de irregularidades com a gramatura. Por m, foi apresentada como sugestão a realização das retiradas das amostras de qualidade em maior quantidade e frequên- cia, elevando a conabilidade do procedimento de conferência. Dessa maneira, ca comprovado que um programa de controle de qualidade adaptado à realidade da empresa resulta na redução de custos, na melhoria da produtividade, da padronização de produtos e da rentabilidade do negócio. REFERÊNCIAS CAMPOS, V. F. TQC: Controle da Qualidade Total (no estilo japonês). 9. ed. Nova Lima: Editora Falconi, 2014. GRAEML, A. R.; PEINADO, J. Administração da produção: operações industriais e de serviços. Curitiba: UnicenP, 2007. JURAN, J. M. A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade em produtos e serviços. Traduzido por: Nivaldo Montingelli Junior. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004. SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 14 | Revista Acadêmica da UESPAR

[close]

p. 15



[close]

Comments

no comments yet