Sindiavipar 54

 

Embed or link this publication

Description

Sindiavipar 54

Popular Pages


p. 1

EMBARQUES COMPENSADOS Brasil e UE fecham entendimento para aumentar volume de exportação da carne de frango

[close]

p. 2

Sumário 16 Insumos País se prepara para os primeiros sinais de recuperação econômica. Confira dicas! 24 Capa Brasil fecha entendimento com a União Europeia para exportar mais frango. 34 Mercado Cooperativas paranaenses entre as 1000 Maiores e Melhores empresas do Brasil. 04 Observatório 05 Agenda 06 Sindiavipar 08 Na mídia 10 Radar 12 Entrevista 14 Sanidade 16 Insumos 20 Pesquisa e Tecnologia 22 Mercado 22 Abate Halal 32 Cooperativas 32 Carnes em expansão 24 Capa 36 Associados 38 Artigo técnico 44 Notas e registros 46 Evento 48 Estatísticas Sindiavipar

[close]

p. 3

Diretoria Presidente: Domingos Martins Vice-presidente: Claudio de Oliveira Secretário: Olavio Lepper Tesoureiro: João Roberto Welter Suplentes: Luiz Adalberto Stabile Benicio, Ciliomar Tortola, Vallter Pitol e Roberto Kaefer Conselheiros fiscais Efetivos: Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro, Dilvo Grolli e Rodrigo Guimarães Suplentes: Rogerio Wagner Martini Gonçalves, Celio Batista Martins Filho e Marcos Aparecido Batista Delegados representantes efetivos: Domingos Martins e Luiz Adalberto Stabile Benicio Suplentes: Ciliomar Tortola e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná Av. Cândido de Abreu, 140 - Salas 303/304 - Curitiba/PR - CEP: 80.530-901 Tel.: 41 3224-8737 | sindiavipar.com.br | sindiavipar@sindiavipar.com.br Fale conosco Se você tem alguma sugestão, crítica, dúvida ou deseja anunciar na Revista Sindiavipar, escreva para nós: revista@sindiavipar.com.br. Expediente Produção Centro de Comunicação centrodecomunicacao.com.br Jornalista responsável Guilherme Vieira (MTB-PR: 1794) Colaboração Camila Castro, Gabrielle Comandulli, Jorge de Sousa, Laura Espada, Paulinne Giffhorn, e Dimitri Valle Design e diagramação Cleber Brito Comunicação e Marketing Mônica Fukuoka Impressão Maxi Gráfica Anuncie na revista Sindiavipar Mônica Fukuoka Gerente de Comunicação e Marketing marketing@sindiavipar.com.br (41) 3224-8737 Editorial Após três anos de negociações, o Brasil fechou entendimento com a União Europeia (UE) para aumentar as cotas de importação de carne de frango e de peru in natura. Com o acordo de compensação, devido a entrada da ­Croácia no bloco, em 2013, a exportação de carne de frango será acrescida de 4.766 toneladas, e de peru, de 610 toneladas, com tarifa zero dentro do limite da cota. Entendimento que representará ganhos nos negócios brasileiros com a região. Além deste, os órgãos governamentais junto a entidades do setor, como a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), buscam outros acordos comerciais para liberar entraves do comércio e suprir a demanda pelo alimento nas regiões. O assunto será amplamente retratado em nossa matéria de capa da Revista Sindiavipar edição 54. Boas notícias também estão contempladas na editoria de mercado. As cooperativas paranaenses estão entre as 1000 Maiores e Melhores empresas do Brasil, lista divulgada pela Revista Exame. Além disso, o volume de exportações para os países do Oriente Médio saltou 14,5% em 2016, mostrando o cuidado e o rigor com as exigências do abate halal no Brasil, país referência na prática deste conceito. Informações sobre sanidade, envolvendo os cuidados durante a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, e tecnologia, destacadas em uma das principais feiras do setor, a ANUTEC BRAZIL, estão contempladas nesta edição. Boa leitura! Foto: Hamilton Zambiancki selo SFC As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. Domingos Martins Presidente do Sindiavipar Sindiavipar

[close]

p. 4

Observatório Cuba vira importador avícola do Brasil O comércio de pintos e de ovos férteis nacional conseguiu alcançar mais um importador. Trata-se de Cuba, país da América Central, que a partir de setembro iniciou a compra de material genético. Atualmente cerca de 50 países realizam esse comércio com o Brasil, o que movimentou, somente em 2015, um valor aproximado de US$ 123 milhões. Em sua carta de aprovação, as autoridades cubanas citaram o forte controle sanitário brasileiro como fator preponderante na realização do acordo comercial. Agronegócio exportou bilhões em 2016 Nos sete primeiros meses desse ano as exportações brasileiras do agronegócio conseguiram bom índices, sendo responsáveis por 49,6% dos embarques nacionais, com um total de US$ 52,8 bilhões de arrecadação. Esse número mostra superávit de cerca de 1% sobre o mesmo período de 2015. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Parceria entre Brasil e Argentina Os ministros da agropecuária brasileira e argentina (Blairo Maggi e Ricardo Buryaile, respectivamente) se reuniram em Buenos Aires para debater o futuro do Mercosul, com foco nas exportações dos dois países. As discussões ainda avançaram as tratativas comerciais nas áreas do agronegócio e da biotecnologia entre as nações. “Nós somos parceiros e podemos andar juntos mundo afora fazendo o enfrentamento no mercado mundial”, afirmou Maggi após o encontro. 4 sindiavipar.com.br Líder em embarques de produtos brasileiros A China é a principal parceira comercial do Brasil nos últimos anos e em 2016 atingiu uma importância ainda maior para o mercado nacional. Dos cinco principais produtos de exportação brasileiros (soja, minério de ferro, óleos brutos de petróleo, açúcar e carne de frango), apenas o insumo avícola não tem a nação asiática como líder (que é a Arábia Saudita), tendo o país o segundo posto nos embarques. Atualmente cerca de 55% do total das exportações nacionais tem como destino a nação asiática. Sindiavipar

[close]

p. 5

Parabéns, veterinário No dia 9 de setembro foi comemorado o dia do médico veterinário, profissional importante em todos os elos da cadeia produtiva animal. Se atualmente o Brasil e o Paraná são referências mundiais de status sanitário, o comprometimento e a dedicação do médico veterinário foram determinantes para que isso fosse possível. Nossos sinceros parabéns e muito obrigado a todos os veterinários paranaenses! Inauguração A cidade Marechal Cândido Rondon, região oeste do Paraná, inaugurou no dia 8 de setembro um Centro de Pesquisa em Avicultura, localizado no Campus da Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste). O espaço será disponibilizado para realização de experimentos do Grupo de Estudos em Metabolismo e Desempenho de Aves (GEMADA), fundado em 2010 pelo professor da universidade, Ricardo Vianna Nunes. Com área de 715 m², o galpão abriga um aviário formado por 114 unidades experimentais (boxes), cada um com 2 m² de área, permitindo alojar cerca de 25 aves em cada box. O Centro de Pesquisa é complementado por laboratório de processamento de carne, laboratório de análises, sala de freezer, sala de metabolismo, escritório, copa, banheiro, sala de ração e depósito. IV Workshop Sindiavipar Data 27 e 28 de outubro de 2016 Local Foz do Iguaçu (PR) Realização Sindiavipar Telefone (41) 3224-8737 Site sindiavipar.com.br V AVISULAT Data 22 a 24 de novembro de 2016 Local Porto Alegre (RS) Realização ASGAV / SIPS / SINDILAT e FIERGS Telefone (51) 3228-8844 Site asgav.com.br SIAVS Data 29 a 31 de agosto de 2017 Local São Paulo (SP) Realização ABPA Telefone (11) 3095-3120 Site abpa-br.com.br/siavs Sindiavipar sindiavipar.com.br 5

[close]

p. 6

Associe-se! Porque juntos somos mais fortes! Logística Reversa No mês de agosto, representantes do Sindiavipar participaram de uma reunião no Sincabima sobre a implantação do plano de logística reversa no setor de alimentos. Diversas questões técnicas foram abordadas, além dos aspectos legais da logística reversa no Paraná. Também foi apresentada a nova legislação de Rotulagem de Alergênicos RDC 26/15. Os temas tratados na reunião foram pautados por engenheiros químicos, de alimentos e advogados do setor. ANUTEC Brasil Dos dias 2 a 4 de agosto, o Sindiavipar participou como expositor da ANUTEC Brasil, maior feira de negócios voltada para a indústria de alimentos do país. A edição desse ano foi realizada na cidade de Curitiba (PR), no EXPO Unimed. No estande o sindicato apresentou informações sobre as empresas avícolas associadas e dados da atividade no estado. Além disso foram divulgadas ações do sindicato, como a Revista S­ indiavipar e a programação do IV Workshop da Avicultura Paranaense, que teve parcerias prospectadas durante o evento. Mais informações: sindiavipar.com.br | (41) 3224-8737 6 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 7

Ajuste Fiscal No dia 29 de agosto, a empresa Gralha Azul Avícola, sendo representada por Roberto Pecoits, participou de uma audiência pública no plenarinho da Assembleia Legislativa do Paraná a respeito do Projeto de Lei nº 419/2016, que trata de um reajuste fiscal no estado, inclusive na taxação na captação de água pelas empesas, o que acarretará em um substancial aumento de custos de produção aos avicultores paranaenses Após a audiência foi encaminhado para todos os associados os seis desmembramentos feito pelo Poder Legislativo através de um comunicado da Fiep-PR.

[close]

p. 8

Na mídia Crescimento constanteBalançopositivo da indústria avícola paranaense, no 1º semestre, mostrou força do estado Nos meses de julho e agosto, o crescimento em exportação e produção avícola contribuiu para que a avicultura paranaense estivesse em destaque em mais de 200 notícias neste período. No primeiro semestre de 2016, os embarques de carne de frango no Paraná aumentaram 17% em volume, se comparado ao mesmo período do ano passado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). A produção também foi positiva e registrou o Retorno de mídia - Julho 17TV% Re7v%ista J2o7rn%al O4n9li%ne abate de 893,84 milhões de aves no primeiro semestre deste ano, alta de 11,62% quando comparado as 800,76 milhões de cabeças no mesmo período do ano anterior. Os números foram repercutidos no Valor Econômico, Jornal de Londrina, Tribuna do Vale, Diário do Noroeste, BandNews, Globo Rural, Correio do Cidadão, Diário da Indústria & Comércio, Canal Rural, entre outros. Ao todo, o retorno de mídia espontânea somou aproximadamente R$ 1 milhão com inserções em diversas plataformas como rádio, televisão, revista, jornais e sites ao longo desses dois meses. Retorno de mídia - Agosto Re1v9is%ta J4o9rn%al O3n2li%ne O IV Workshop do Sindiavipar: Avicultura do Paraná para o Mundo, também pautou os veículos especializados em agronegócio. O tema rendeu matéria para o Agrolink, Sindirural, Avisite, Revista Feed & Food, etc. Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar), Domingos Martins, o evento é de grande utilidade para o setor visto que “o debate é importante para nos posicionarmos sempre à frente, atendendo as mais altas exigências de mercado, tanto nacional como internacionalmente. Pensando nisso, acrescentamos um dia de programação”, explica. 8 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Radar Nós temos que pegar a mala e viajar pelo mundo e pedir aos governos para que autorizem a compra dos produtos agropecuários brasileiros Blairo Maggi, Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Acreditamos que a reforma deverá proporcionar importantes ganhos para a sustentabilidade do emprego no país Francisco Turra, presidente da ABPA, sobre a reforma trabalhista proposta pelo Ministério do Trabalho Nosso trabalho hoje é para abrir novas fronteiras ao Paraná, que de acordo com o Financial Times, é o Estado com a melhor estratégia de atração de investimentos da América do Sul Carlos Alberto Richa, Governador do Paraná 10 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 11



[close]

p. 12

Entrevista hExopraiznodinntdeos Para se manter próxima aos consumidores da América Latina, Evonik inaugura fábrica no Paraná Aalemã Evonik é referência em especialidades químicas. Com seu olhar atento às tendências de setores como nutrição, eficiência de recursos e globalização, está presente em mais de 100 países. No Brasil desde 1953, a empresa alia estratégia coorporativa e tecnologia integrada para desenvolver produtos que são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais nacionais. Para alavancar ainda mais seus resultados nacionalmente, a Evonik inaugurou, recentemente, uma nova fábrica em Castro (PR). Para entender um pouco sobre este investimento, o diretor regional e vice-presidente da Evonik Nutrition and Care na América Latina, Martin Toscano, conversou com a Revista Sindiavipar. Qual a expectativa da Evonik com este investimento? A Evonik anunciou que sua nova planta, em Castro (PR), fabricará L-lisina, Biolys®. Com esse investimento nós estamos aproveitando as oportunidades de crescimento nos mercados emergentes da América Latina. O Brasil desempenha um papel vital nos mercados mundiais de proteína e queremos estar aqui para apoiar os nossos clientes. A planta terá como objetivo atender à crescente demanda que a Evonik tem acompanhado para o Biolys® na América Latina e particularmente no Brasil. Estamos avaliando permanentemente e de forma intensiva o fornecimento e desenvolvimento da demanda nos mercados globais e afirmamos que estamos prontos, com capacidades adicionais para atender às necessidades de aminoácidos para alimentação animal. Por que a Evonik escolheu Castro (PR) para trazer a nova fábrica? A proximidade com os nossos principais clientes da região, especialmente do Paraná. Os serviços e a logística locais, bem como matérias-primas produzidas localmente e acesso aos mercados de exportação também foram essenciais no processo de tomada de decisão para estarmos em Castro. A planta tem uma capacidade de produção anual de cerca de 80 mil toneladas e cerca de 100 empregos serão criados. A Evonik está claramente empenhada em manter o ritmo com o desenvolvimento do mercado através da expansão de capacidades e excelência operacional das novas e já existentes instalações. Qual o impacto na avicultura paranaense? Nossa estratégia tem sido e será garantir a segurança de abastecimento para todos e cada um dos nossos clientes no mundo. Ao produzir localmente, estamos nos aproximando dos nossos clientes no Brasil e na região da América Latina, podendo oferecer melhor e maior segurança de abastecimento para os nossos parceiros de negócios no mercado do Paraná, entre outros. A Evonik Industries tem uma forte pegada ecológica em aminoácidos para alimentação animal no Brasil. Nossos clientes confiam em nossos serviços e contam com nossas novas soluções para os atuais e novos desafios. 12 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 13

Martin Toscano É formado em Química, Agronegócios, Administração de Empresas e Gestão de Contas de instituições em todo o mundo. Iniciou a carreira na Evonik em 1997, como Gerente de Vendas e Serviços Técnicos. Trabalhou na área de nutrição animal do México e Estados Unidos. Hoje é diretor regional e vice-presidente da Evonik Nutrition and Care na América Latina. O Brasil desempenha um papel vital nos mercados mundiais de proteína e queremos estar aqui para apoiar os nossos clientes Vai e volta Mercado O Brasil continuará atraindo grandes investimentos e um maior crescimento nos negócios ligados à agricultura e proteína. Sanidade Entendemos que alguns aditivos, como os probióticos, irão desempenhar um papel fundamental na resolução de problemas de qualidade e segurança alimentar nessa área. Avicultura O Brasil está entre os quatro melhores em termos de demanda total de carne, que é fornecido integralmente pela produção local e onde a indústria avícola desempenha um papel fundamental. Insumos A abundância de matérias-primas locais disponíveis, devido ao aumento da produção de grãos, e as excelentes condições de produção dos animais locais são os principais fatores que mantêm o país em uma boa posição. Foto: Alex Silva / Evonik

[close]

p. 14

Sanidade Perigo estrangeiro A vinda de mais de 400 mil estrangeiros para os Jogos Olímpicos fez o Governo Federal aumentar a fiscalização O Brasil é uma potência mundial do agronegócio, sendo um dos líderes de exportação em diversos produtos. E grande parte desse sucesso no mercado internacional se deve as rigorosas normas sanitárias realizadas pelo país. Em agosto, a cidade do Rio de Janeiro recebeu os Jogos Olímpicos de Verão e mais de 1,2 milhão de turistas durante a competição, sendo que desses mais de 400 mil eram estrangeiros, segundo dados do Ministério do Turismo. Com o objetivo de impedir a entrada de pragas e doenças que acometam a agropecuária o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou um provimento de biosseguridade para o recebimento dessas pessoas nos aeroportos e portos nacionais, além de aumentar o número de fiscais agropecuários nessas localidades. O coordenador-geral do Sistema de Vigilância Agropecuária, Fernando Augusto Pereira Mendes, explicou que os procedimentos de fiscalização não foram feitos apenas com os turistas, mas também com as delegações olímpicas. “Aqui no Brasil já é feito um procedimento muito rigoroso e foi ainda mais intensificado para os Jogos. Tivemos que criar uma normativa específica para as delegações que traziam cavalos para competições, rações e outros objetos para as provas”. Todo esse processo levou quatro anos de planejamento e contou com a participação de todos os órgãos do setor agropecuário do Governo Federal. “No final de tudo podemos dizer sem dúvida que foi um sucesso”, avaliou Mendes. Mas não foi apenas nos aeroportos e portos nacionais que a fiscalização foi ampliada. Internamente o controle também foi reforçado durante o período 400mil turistas estrangeiros estiveram no Brasil durante os Jogos Olímpicos dos Jogos Olímpicos. A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) também lançou um provimento para seus associados, tendo como objetivo a conscientização sobre a importância da restrição de visitantes no interior das granjas. “É primordial realizar esse isolamento dos interiores 14 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 15

de nossas granjas, especialmente em um momento de grande atenção com relação à manutenção do status sanitário brasileiro frente à enfermidades graves presentes em países da Ásia, Europa e América, como é o caso da Influenza Aviária ou Peste Suína Clássica”, afirmou o diretor de relações institucionais da ABPA, Ariel Antônio Mendes. Aqui no estado do Paraná a fiscalização também foi aprimorada. Segundo o gerente de Saúde Animal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Rafael Gonçalves Dias, o principal foco do órgão foi a vigilância nas propriedades rurais parana- enses. ”O estado tem dois pontos turísticos importantes, Curitiba e Foz do Iguaçu, mas a fiscalização nos aeroportos dessas cidades já é muito rigorosa. Por isso focamos em aumentar a vigilância nas propriedades, seja ela ativa, que é quando produtor nos chama até a localidade, ou a passiva, que é quando recebemos alguma informação de possível problema sanitário”, esclarece. Dentro do cenário avícola nacional, o Paraná tem grande importância, sendo o líder de exportações (35% do total dos embarques brasileiros) e de abates nacionais (152,4 milhões de cabeças de frango somente em julho desse ano).

[close]

Comments

no comments yet