Jornal do Sintufes - Julho - 2016 - nº 170

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sintufes - Julho - 2016 - nº 170

Popular Pages


p. 1

SINTUFESJORNAL DO Filiado à FASUBRA INFORMATIVO MENSAL DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA UFES – Nº 170 – JULHO DE 2016 ALERTA LIGADO! 31 de Julho de 1992 24anos Reajuste salarial de agosto é aprovado pelo Senado. Mas Câmara aprova urgência no PL 257 o que torna urgente a necessidade de a luta continuar firme e forte Apesar de o Senado Federal ter aprovado um pacote de reajuste de servidores do Executivo e do Legislativo, no dia 12 de julho, um alerta vermelho veio da Câmara dos Deputados na mesma data. É que os deputados aprovaram urgência para o projeto de lei (PL) 257/2016. Caso seja aprovado pela Câmara e sancionado pelo presidente interino Temer, o PL vai suspender a realização de concursos públicos, congelar salários, impedir o pagamento de progressões, destruirá a Previdência Social e pode até fazer uma revisão dos Regimes Jurídicos dos Servidores, focando na retirada de direitos e conquistas da classe trabalhadora. “Ou seja, o Senado nos dá a garantia do reajuste conquistado na greve de 2015, mas a Câmara já mostra que o ataque à classe trabalhadora vai continuar. E há outros projetos além do 257, que estão aí prontos para prejudicar os trabalhadores e a população que mais depende dos serviços públicos. Dessa forma, o alerta vermelho segue ligado, reforçando a importância da nossa luta continuar”, avalia o coordenador-geral do Sintufes, Wellington Pereira. Luto e luta contra os ataques No dia 06 de julho, o Sintufes realizou, junto de outras entidades que também compõem a Frente Estadual em Defesa da Previdência Social, dos Direitos Trabalhistas e Serviços Públicos, a Paralisação Nacional em Defesa da Saúde Pública e da Seguridade Social, que aconteceu no campus de Maruípe/ Hucam, em Vitória. Na atividade, a assessora política do Sin- No luto e na luta. Categoria mostra sua força em paralisação nacional no Hucam dprev-ES, Lujan Miranda, apontou estratégias de luta contra o PL 257 e outras propostas de ataque aos direitos sociais e trabalhistas. “Temos que dizer e pressionar vereadores, deputados e senadores. O Temer disse que vai fazer as medidas impopulares, porque não será candidato a nada. E vocês vão assinar embaixo e apoiar essas medidas? Não podemos retroceder. Não podemos eleger políticos que tenham compromisso com essas medidas”, frisou Lujan, durante o ato no Hucam. Após a palestra da assessora política, a categoria percorreu o campus de Maruípe e soltou balões pretos, representando o luto e a luta contra as medidas impopulares do governo interino. Outros ataquesnAPeoPPPPLfLtEaLECoSCsSCd3t3a2o5o102b43s5s/o71952aãàn//d9t//o22oci22a1v0m0ls00ddpa5i11d11aeesae46–a55srisSgsmd–e–tTr––aeadeeatúLRstreEPvrnadicaeemrxfê5ieeibit.stvnni0.iiair.transcaailpthzç.iiarroaãazeo.çaoddcjãeçoiudrotãrreooaosdis!toeos REPÚDIO AO REI! Consuni é autoritário ao definir a 3ª vaga dos TAEs P3ÁG. REAJUSTE DE AGOSTO Apesar da aprovação, é preciso lutar P4Á-G5S. DESCASO DA GESTÃO Comunidade universitária mostra sua insatisfação P7ÁG.

[close]

p. 2

2 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br FALA, DIRETORIA! Pobres, porém fortes! Há 55 projetos nefastos à classe trabalhadora no Congresso Nacional. O governo ilegítimo e interino de Temer vai iniciar o pacote de medidas impopulares tão logo haja a definição do impeachment da presidente afastada Dilma pelo Senado. Tais propostas vão impactar a vida da classe trabalhadora. Uma das que estão na ordem do dia é a flexibilização da CLT. Sob o falso argumento de que o que está na lei ficará abaixo de acordos coletivos, o governo Temer tem como objetivo dar o manjar aos grandes empresários e ao capital. Haja vista que a flexibilização pode permitir parcelamento de férias, redução do piso salarial, extinção do salário mínimo, ataque ao FGTS e por aí vai. Em um País como o Brasil, essa tal flexibilização vai estourar para o lado dos mais pobres. Porém, não podemos jamais acreditar que por sermos trabalhadores RJU não seremos penalizados. Os ataques contra nossos direitos estão na pauta do Congresso também. E se eles mexem numa conquista histórica como a CLT, você tem dúvidas que eles vão atacar também o nosso Regime Jurídico? Olha o PLP 275, que vai congelar salários e promover o desligamento voluntário de servidores! Sem falar na Adin 1923, que pode abrir brecha para que o Hucam passe a ser gerido por um Organização Social, assim como outros setores da Ufes. Falando em Ufes, nós já somos tratados como uma ‘categoria de segunda’. A gestão do Rei tem se consagrado em promover uma verdadeira perseguição, retirando conquistas como a jornada ininterrupta, penalizando nossos trabalhadores com a economicidade entre outras práticas que comprovam o tratamento autoritário conosco, como a escolha monocrática de uma representação da NOSSA CATEGORIA no Conselho Universitário. Não temos saída, companheiros. A corda sempre arrebenta para o lado dos mais pobres. Seja na flexibilização da CLT, onde os assalariados é que vão pagar a conta. Seja nos ataques aos serviços públicos, onde as ‘categorias de segunda’ é que vão pagar a conta. Seja onde for: precisamos lutar, pois até podemos ser pobres, mas somos fortes. Diretoria Colegiada INFORMES DA CIS Encontro da CIS promove intenso debate sobre o PCCTAE Propostas são encaminhadas à Comissão Nacional de Supervisão Aconjuntura política nacional que caminha para a retirada de direitos da classe trabalhadora e os constantes ataques à autonomia das universidades trazem à tona a necessidade dos técnico-administrativos em Educação se unirem em favor das conquistas históricas do movimento sindical. Uma dessas conquistas, o PCCTAE, foi tema de uma importante e intensa discussão que reuniu trabalhadores da Ufes e do Ifes, no dia 24 de junho, no auditório do Centro de Ciências Exatas (CCE), no campus de Goiabeiras em Vitória. Foi o I Encontro de Aprimoramento da Carreira, realizado pelo Sintufes e pela Comissão Interna de Supervisão da Carreira da Ufes, a CIS. A sua realização atende a um dos pontos do acordo de greve, assinado entre a Fasubra e o governo federal, em 2015. Para contribuir com a luta em Brasília, propostas do I Encontro serão encaminhadas à Comissão Nacional de Supervisão da Carreira, Sérgio Cardoso Categoria acompanha o evento que vai seguir reivindicando o aprimoramento do PCCTAE nas mesas de negociação com o governo federal. “Tivemos palestras importantes de membros da Comissão Nacional, que enriqueceram o debate e mostraram as conquistas históricas em torno da nossa carreira. Além da necessidade de a categoria se fortalecer e se unir em prol de novos avanços e para lutar contra os retrocessos”, pontua a coordenadora do Sintufes e da CIS/Ufes, Ana Maria Hoffman. JURÍDICO Entidades lutam contra revogação do aumento da Geap A Geap Autogestão em Saúde sofreu um aumento de 37,55% em novembro de 2015, resultando na evasão de 23 mil associados e 172 mil liminares na Justiça para barrar o aumento. Em 25 de maio deste ano, o Conselho de Administração (Conad) da operadora de saúde reduziu a mensalidade dos associados para 20%, para evitar o fim do plano. Porém, no dia 17 de junho uma liminar da Justiça revogou a redução de 37,55% para 20% do aumento de contribuição. Por ordem do governo interino de Michel Temer a diretoria da Geap, constituída por servidores públicos, foi destituída e o estatuto da associação foi alterado ilegalmente. A Fasubra, o Sintufes e outras entidades já lutam para reverter a revogação da redução. Para a categoria, a Geap precisa de investimento e não de intervenção política. EXPEDIENTE: INFORMATIVO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA UFES SINTUFES - Avenida Fernando Ferrari, s/nº, Campus Universitário, Vitória, ES - Tel: (27) 3325-6450. Fax: (27) 3227-4000. Subsede - Avenida Marechal Campos, s/nº , Campus de Maruípe, Vitória, ES - Tel: (27) 3335-7262. Fax(27) 3315-3444. Diagramação: Nova Pauta Comunicação. Tiragem: 1,8 mil exemplares. Os textos publicados neste jornal são de inteira responsabilidade da Diretoria Colegiada do Sintufes.

[close]

p. 3

JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br 3 Repúdio ao rei e ao conselho universitário: monocrático e autoritário Foi lamentável o ocorrido na reunião do Conselho Universitário (Consuni) no dia 01/07/2016, no qual a administração central da UFES pautou e o colegiado aprovou, de forma monocrática e autoritária, a indicação para a terceira vaga representativa dos técnico-administrativos no Consuni. Lamentável também a exposição de motivos aceita e acatada como única saída para legitimar a indicação, qual seja, a economicidade, o tempo e o trabalho dispensado na realização de eleição, neste caso, aproveitando o candidato derrotado na última eleição realizada há um ano para compor o quadro. Curiosamente, quando se trata de pautas referentes aos TAEs, o vale tudo tem sido a prática usada. Neste caso o indicado não representará sua categoria, mas aquele que o indicou. Lamentável ainda foi a unanimidade reforçando a pratica antidemocrática que os TAEs vêm lutando há anos pra combater no interior da universidade, notadamente quando se trata de indicação da administração para a ocupação dos espaços. Ignora a administração que na nossa pauta de lutas está a reivindicação da democratização das relações sociais e trabalhistas nas universidades, inclusive e principalmente nos Conselhos Universitários. Mais lamentável ainda é nossos pares TAEs não terem percebido que a decisão do pleno do Conselho Universitário significa um retrocesso na luta forjada com muito sacrifício para conquistar o direito de participar com equidade nos Conselho Superiores desta universidade. E mais ainda, nossos pares esqueceram que não representam a si próprios, mas outros técnico-administrativos que, pelo sufrágio universal, poderiam concorrer à terceira vaga e, inclusive, defender a voz dos aposentados no Conselho. No entanto, mais uma vez todos os demais trabalhadores foram alijados do processo pela prática de indicação monocrática, autoritária, despótica e antidemocrática da administração. Muito lamentável será daqui pra frente se esse episó- dio antidemocrático prevalecer, na medida em que pois, ter mais um representante ao Consuni só significa verdadeiro avanço se a representatividade for pautada e referendada pela e, principalmente, para a política da categoria representada, não em causa própria. Sem vender ilusão, esse colegiado continua com o quórum dividido 70% de professores, 15% de técnico-administrativos e 15% de estudantes, e no caso em questão quem ganhou foi a administração que, A TOQUE DE CAIXA, mais uma vez resolveu as questões referentes aos TAEs. Lamentável mesmo será não reagirmos ao engodo da última plenária e não exigirmos a realização de novas eleições para compor a vaga disponível no Consuni. Neste sentido, em primeiro lugar, o Sintufes repudia com veemência a prática antidemocrática da administração e encaminha seu repúdio para ser lido no conselho; em segundo lugar, solicita dos conselheiros eleitos o compromisso com um posicionamento contrário à pratica antidemocrática e autoritária da administração superior da Ufes; em terceiro lugar que sejam realizadas eleições para a escolha do nosso represente as ocupar a terceira vaga. Em outros termos, o Sintufes defende neste Consuni a realização de eleições para os representantes dos TAEs nos conselhos superiores desta casa, na medida em que a não realização de eleições, certamente toda pauta referente aos TAEs será enfraquecida e desqualificada pelo Consuni que continua antidemocrático e conservador como ficou bem demonstrado na reunião na qual foi aprovada a viagem do reitor para o exterior sem nenhuma demonstração de relevância acadêmica. Enquanto isso a verba para capacitação foi diminuída em 25%, o seminário de integração dos novos TAEs nos campi do interior foi abortado e por aí vai... Saudações universitárias e Sindicais Diretoria Colegiada do Sintufes

[close]

p. 4

4 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br Confira como fica a tabela de vencimento do PCCTAE a partir de 1º de agosto de 2016 Reajuste é aprovado pelo Congresso. Veja mais na página ao lado

[close]

p. 5

JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br 5 NA LUTA Reajuste é aprovado, mas... Aprovação não soluciona outras questões do acordo de greve que não estão contempladas no PL OSenado Federal aprovou no dia 12 de julho o projeto de lei (PL) 34/2016, que altera a remuneração, as regras de la, mas vamos manter acompanhamento, pois a variação no step pode representar ganhos de até 6% no salário, a partir de janeiro de 2017”, promoção, de incorporação de gratificação ressalta o coordenador de Finanças do Sintu- de desempenho a aposentadorias e pensões fes, José Magesk. de servidores públicos da área da educação. Com isso, os reajustes dos trabalhadores técnico-administrativos em Educação são contemplados no PL. O PL 34 (além do 30 a 37) foram aprovados conforme vieram da Câmara. Com isso as tabelas devem estar mantidas, para que o projeto não tenha de voltar a Câmara. Entretanto, dentro desse rito definido no dia 12, ficou para o governo interino Temer vetar matérias que não se reportem a vencimentos, como criação de Para a diretoria colegiada do Sintufes e para a direção nacional da Fasubra, a aprovação pelo Congresso ainda não resolve a situação dos técnico-administrativos em educação. É que há uma série de questões do acordo de greve que não fazem parte desse PL, como os editais de vagas de graduação e especialização para técnico-administrativos, o seminário sobre assédio moral, a discussão da pauta da EB$ERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) junto dos servidores do RJU, a demo- Perrceeanjutusatel de 55,05%,%01nn%ajojaogannonsseoaaseiltlirásáorotorreidiododpee-e--2a2a2a00p0p1p11aa6a7r7r.rt.t.tiirirrdddeee cargos e transposição de carreiras. cratização nas universidades e a mudança de “A expectativa agora é como vai ser inter- quem está no PUCRCE para o PCCTAE. pretado o aumento do step. Se for como venci- Tabelas. Veja abaixo e na página 4 como fi- mento, pois ele está embutido na tabela, então cam as tabelas de vencimento do PCCTAE a par- não teria como vetar ele sem vetar toda a tabe- tir do dia 1º de agosto. Confira como fica a tabela do Anexo XI a partir de 1º de agosto Vencimento básico dos cargos de Médico do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação – PCCTAE, de que trata a Lei n° 11.091, de 12 de janeiro de 2005, com jornada de 40 horas semanais. Vencimento básico dos cargos de Médico do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação – PCCTAE, de que trata a Lei n° 11.091, de 12 de janeiro de 2005, com jornada de 20 horas semanais.

[close]

p. 6

6 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br Aposentadas/os no Consuni já! Categoria aprova que terceira vaga dos TAEs no Conselho seja ocupada por quem já se aposentou Após duas, três décadas de suor e dedicação ao seu local de trabalho, a aposentada e o aposentado são descartados como se fossem meras ferramentas com prazo de validade vencido. É um desrespeito de apertar o coração. É de doer alma você ter toda sua trajetória dentro da instituição simplesmente ignorada. Sem falar que quem se aposenta perde auxílio-alimentação, fica fora de acordos de greve e chega até a se sentir rejeitado quando faz uma simples visita à universidade. Para o Sintufes, no entanto, essa realidade precisa mudar. E uma proposta para reverter esse quadro é destinar a terceira vaga dos técnico-administrativos em Educação a quem já se aposentou. A proposição foi aprovada, por unanimidade, na assembleia das/os aposentadas/os, realizada na sede do sindicato, em Goiabeiras, no dia 15 de julho. “É uma covardia o que se faz com as aposentadas e os aposentados. Porém, eles têm a contribuir, sim. Com a instituição e com quem já atua e até com os novos trabalhadores. Além disso, muitos podem colaborar com as decisões políticas da Ufes. Por isso, a assembleia aprovou a proposta de destinar a terceira vaga dos TAEs no Consuni às aposentadas e aos aposentados”, explica a coordenadora de Assuntos de Aposentadoria do Sintufes, Marly da Conceição Balduíno. Desaposentadoria Na assembleia, as/os aposentadas/os foram informadas/os sobre as mudanças na Previdência e os impactos que elas podem trazer para a vida de todos. A desaposentadoria também foi debatida. Em agosto, a assembleia terá oficina de maquiagem. Confira as datas das próximas assembleias ao lado. Após darem suas vidas em anos de trabalho, aposentadas/os lutam para contribuí- rem com a política da Ufes CALENDÁRIO DAS ASSEMBLEIAS DAS/OS APOSENTADAS/OS E PENSIONISTAS As assembleias são nas terceiras sextas-feiras do mês, no horário das 10h30, na sede do Sintufes, em Goiabeiras. Mês Dias Agosto Setembro Outubro Novembro 19 16 21 18 EU TRABALHO AQUI! Parabéns, motoristas! A Coluna Eu Trabalho Aqui do Jornal do Sintufes ouviu dois trabalhadores do setor de Transporte e Logística da Prefeitura Universitária. É que dia 25 de julho é o Dia do Motorista. Para marcar a data, esta edição traz duas entrevistas de dois profissionais que atuam na Prefeitura Universitária, que ‘leva a Ufes para todos os lugares’. “A terceirização é uma pena” Entrei na Ufes concursado como motorista, em 1992. Em relação ao nosso trabalho, normalmente atendemos a classe acadêmica de modo geral. Professor, estudante, servidor tanto aqui dentro do município quanto dentro do Estado e fora do Estado. Os carros de hoje são bem melhores que de quando entrei. Éramos uns 20 motoristas oficiais. Hoje somos sete e com 12 ou 13 terceirizados. Em termos salariais, eles (terceirizados) recebem menos, mas o tíquete deles é maior. Nossa relação é normal. Mas a terceirização é uma pena, pois a pessoa não tem a estabilidade, penso que se fossem todos concursados seria melhor. Alnecir Albino Gava, motorista há 24 anos, na Prefeitura Universitária. “Extinção do cargo de motorista foi precipitada” Logo quando entrei, em 1982, era tudo mais difícil. Não tinham essas ferramentas todas de hoje. Agora, com tudo informatizado, conseguimos ter um controle maior. Com programas apropriados, fica mais fácil gerenciar que antigamente. Já em relação ao cargo de motorista, a universidade vai crescendo, então, na minha visão, a terceirização foi a saída já que o cargo foi extinto. Não sou de acordo com a extinção do cargo. Não vai acabar nunca a função de motorista da Ufes, pois ela caminha com as rodas do setor de Transporte. É um setor que não será extinto tão cedo. Por isso, penso que foi precipitada a extinção do cargo. Carlos Roberto Coelho da Silva, trabalhador há 34 anos na Ufes. Atual coordenador de Transporte e Logística da Prefeitura Universitária. 12 de julho é o Dia do Engenheiro Florestal. Parabéns, profissionais!

[close]

p. 7

JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br 7 Gestão Centoducatte reafirma seu descaso com a comunidade acadêmica Percepção é a de que falta governabilidade por parte da Reitoria Afalta de governabilidade da gestão Centoducatte tem gerado insatisfação na comunidade universitária. Isso re- Taxa de cobrança para inscrição em mestrado da Ufes é outro ponto que só confirma que falta governabilidade por parte da cortada em 25%. O seminário de integração foi suspenso nos campi do interior. Os trabalhadores do Hucam e do CCS estão fora do PDI força a prática do descaso da Reitoria com gestão da instituição em defender a univer- (Plano de Desenvolvimento Institucional). as pautas da nossa categoria, dos estudan- sidade pública, gratuita e de qualidade. O aumento do Restaurante Universitário tes, de professores. E isso não é de hoje. A forma antidemocrática como o reitor Prejuízos aos técnicos (RU) encareceu os valor da refeição para os trabalhadores técnico-administrativos, que decidiu pela comissão de revisão do Esta- Além do descaso com a comunidade uni- agora pagam o mesmo valor pago por quem tuto, sem consultar a comunidade universi- versitária, a Reitoria prejudica os trabalha- é de fora da Ufes. tária não agradou aos segmentos da Ufes. A dores técnico-administrativos em Educação E a flexibilização da jornada de trabalho? falta de uma posição firme por parte do rei- por conta do horário especial de funciona- Veja na página 08 desta edição o que aconte- tor frente à política fiscal do governo federal mento da Universidade, das 7h às 13 horas, ceu com a Biblioteca Central. é outro tema que revela que não há uma sin- que entrou em vigor em 13 de julho e se es- São situações que reafirmam todo o tonia da gestão com os pleitos da comuni- tende até o dia 31 do mesmo mês. descaso da gestão da Ufes com a comuni- dade universitária. A verba para capacitação de técnicos foi dade universitária. Basta de perseguição sindical! O Sindicato dos Trabalhadores da UFF é expulso de sua sede. Diretores da Asunirio são atacados pela Reitoria e recebem processos administrativos por fazerem a luta. Os companheiros da Unicamp em greve têm sua pauta ignorada pelo reitor. A situação está muito som- bria para a categoria pelo Brasil afora. Aliado a isso, a conjuntura política traz diver- sos ataques do Congresso e do governo interino. É preciso dar um basta a essa perseguição sindical. Lutar ainda é e, no que depender de nós, sempre será um direito! Lutar não é crime! II ENE aprova paralisação em defesa da Educação para o dia 11 de agosto Sintufes e CIS marcam presença em Seminário de Integração Delegação capixaba marca presença no Encontro Nacional da Educação O II Encontro Nacional de Educação (ENE), realizado em Brasília, nos dias 16,17 e 18 de junho, aprovou uma declaração em defesa da construção de um projeto de educação democrática e classista. O Encontro deliberou por fazer um Dia Nacional em Defesa da Educação Pública, previsto para 11 de agosto, com a possibilidade de ações e paralisações em todo o País. Trabalhadores técnico-administrativos em Educação na Ufes participaram do evento na capital federal e das etapas anteriores realizadas no Estado. Além disso, o relatório final do II ENE já foi divulgado e pode ser acessado na página do Sintufes: www.sintufes.org.br. Acompanhe o site para ficar por dentro da mobilização em torno do Dia 11 de agosto! Importância da Comissão e do sindicato é passada aos novos trabalhadores Apesar da gestão Centoducatte reduzir a verba, foi realizada, em 11 de julho, mais uma edição do Seminário de Integração de novos servidores. O evento aconteceu no auditório do DDP, no campus de Goiabeiras, em Vitória. O Sintufes e a Comissão Interna de Supervisão da Carreira da (CIS/Ufes) marcaram presença no Seminário de Integração de novas/os Trabalhadoras/es na Universidade. Diretores do Sintufes explicaram a importância da entidade sindical para a categoria. E integrantes da CIS falaram sobre o papel da Comissão em favor dos avanços no PCCTAE. “Apesar do reitor ignorar a importância da atividade, já que reduziu a verba, nós mais uma vez marcamos presença, pois entendemos que esses espaços são de extrema importância para contribuirmos com o início da trajetória desses trabalhadores, política e socialmente, na universidade”, afirma a coordenadora do Sintufes, Ana Maria Hoffman.

[close]

p. 8

8 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br NA LUTA Terceirização: e se a Ufes virar uma OS? Diretores da Fasubra promovem importante debate sobre o tema Para a nossa categoria, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EB$ERH) representa a privatização do Hospital Cassiano Antônio Moraes (Hucam). Porém, há uma realidade ainda pior que está porvir: a possibilidade da gestão do Hucam, dos demais campi da Ufes e das universidades públicas do País ser entregue às organizações sociais (OS). Isso é o que prevê uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) favorável a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) 1.923/98. Essa Adin permite que as contratações das organizações sociais pelo poder público possam ser feitas sem licitação, inclusive. E isso não apenas na Saúde. Mas também na Ciência e Tecnologia. O que isso significa? “A própria EB$ERH pode ser substituída por uma OS, que terá vínculos ainda mais precários”, alertou o coordenador-geral da Fasubra, Rogério Marzola, em palestra no dia 07 de junho na subseção sindical do Sintufes, no Hucam. O também coordenador da Federação, Mário Júnior, lembrou que a situação será ainda pior para os trabalhadores. “A EB$ERH faz concurso. Agora, a OS vai contratar seguindo suas regras, com salários menores e até a filiação sindical desses trabalhadores poderá ser dificultada”, pontuou Júnior, que também participou do evento realizado pelo sindicato. Filiação da EB$ERH Outro ponto abordado pelos coordenadores da Fasubra foi sobre a PROPOSTA de representação dos funcionários da EB$ERH PELOS SINDICATOS DA BASE DA FEDERAÇÃO. E NÃO APENAS PELO SINTUFES! Muita polêmica envolve esse tema, uma vez que sempre houve luta contra a EB$ERH. Por outro lado, a representação desses trabalhadores Debate discute a polêmica proposta de representação dos funcionários da Empresa Brasilei- ra pelas entidades de base da Fasubra poderia fortalecer os sindicatos das universidades, que podem enfraquecer com o tempo, já que não haverá mais concurso público para técnico-administrativos em Educação nos hospitais universitários geridos pela Empresa Brasileira. Para o Sintufes, é importante a categoria discutir e aprofundar o tema, pois a decisão trará consequências que podem prejudicar a força de representação da entidade sindical. Lembrando que para os patrões: quanto mais dividida for a classe trabalhadora melhor. Não jogue este impresso em via pública. Biblioteca: Sintufes segue na luta contra o fim da jornada ininterrupta Após as/os trabalhadoras/es da Biblioteca Central serem penalizados pela própria instituição, elas/es passaram a trabalhar 08 horas diárias. Com isso, a jornada ininterrupta, que mantinha o funcionamento perfeito do local, deixou de ser uma realidade. A alteração da jornada da BC atende a uma decisão da Justiça Federal, tomada a partir de uma ação civil pública do Ministério Público Federal (MPF). Ação essa que a Procuradoria da Ufes poderia ter evitado, caso alegasse que a Ufes tem autonomia universitária para definir a jornadade seus trabalhadores.E mais: a própria universidade já regulamentava a jornada interrupta da BC por meio da resolução 60/2012. “Entendemos que a universidade não teve interesse em evitar este retrocesso, sendo que ela própria já havia regulamentado a jornada ininterrupta da BC. Vamos continuar lutando para tentar reverter mais essa perseguição à nossa categoria”, afirma a coordenadora de Assuntos Jurídicos do Sintufes, Joanicy Pereira. Audiência Embora não caiba mais recurso, o Sintufes aguarda que a Justiça Federal convoque o setor jurídico do sindicato e as demais partes envolvidas para uma audiência de conciliação referente à ação civil pública. É que o Sintufes ajuizou uma ação declaratória de nulidade, protocolando recurso de agravo de instrumento contra a decisão que Problema teve início no final de abril, e Sintufes marca presença em reuniões para defender a categoria indeferiu a tutela de urgência. A situação se estende desde o final de abril, e o sindicato sempre tem marcado presença para defender esses trabalhadores.

[close]

Comments

no comments yet