REVISTA VIDA PLENA

 

Embed or link this publication

Description

A Revista VIDA PLENA é uma publicação mensal da ABVIP- ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE VIDA PLENA. As publicidades contidas nesta edição são de única e exclusiva responsabilidade dos anunciantes, não cabendo à ABVIP qualquer obrigação de responder sobre o conteúdo

Popular Pages


p. 1

A FUTURA GERAÇÃO PÁG. 09 CASA DE PAZ PÁG. 10 CONFERÊNCIA PÁG. 24 PRÓXIMOS EVENTOS PÁG. 30

[close]

p. 2

Amado conferencista, é com grande alegria que a nossa igreja deseja-lhe boas vindas. Nosso coração está cheio de alegria porque você está aqui em nossa cidade. Você está pisando em terra da avivamento, sua vida sera transformada para sempre. Expressamos nossa gratidão pela sua participação nesta conferência. Cremos que haverá um grande mover de Deus para nossa vida, família, ministério, que estenderá para as igrejas do Brasil, você será um canal que levará o poder sobrenatural de Deus para a asua cidade.Temos também a certeza que Deus superará todas as nossas expectativas, porque Ele sempre faz infinitamente mais além de tudo que pedimos ou pensamos, segundo o Seu poder que em nós opera (Efésios 3.20) “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” ( 1 Cor. 2.9) Depois desta conferência sua vida jamais será a a mesma. Você aprenderá a treinar líderes para ganhar muitas vidas para Jesus e cuidar muito bem de cada pessoa. Você sera usado por Deus para ganhar a sua cidade para Jesus. Isso é só o começo! O melhor de sua história em Cristo estápara acontecer. No amor do Senhor Jesus Cristo e a serviço d’Ele. Pr. Domingos Jardim da Silva Pra. Rosangela M. Lima Silva Quem Somos Com distribuição trimestral para todos os membros da Primeira Igreja Batista de Marília, nossa revista tem como objetivo trazer matérias que informem, sensibilizem e tragam satisfação ao leitor. Nosso foco é levar às famílias boas notícias da programação de nossa igreja, com qualidade editorial e excelência quanto a forma de linguagem e conteúdo. Conselho Gestor Pr. Domingos Jardim da Silva Pr. David Lee Heddy Texto e Revisão Danielle Reis Tânia Raposo Mello Direção de Arte Danielle Reis Designer Ivan Alves Marinho Junior. Fotos Acervo de fotografia PIB Alan Malheiros Shutter Stock Anuncie (14) 3433-1602 Rua 9 de Julho, 1539 - Centro CEP 17500-120 Marília - SP Impressão Gráfica Cipola (14) 99129-8111 Distribuição 3.000 exemplares A Revista VIDA PLENA é uma publicação mensal da ABVIP- ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE VIDA PLENA. As publicidades contidas nesta edição são de única e exclusiva responsabilidade dos anunciantes, não cabendo à ABVIP qualquer obrigação de responder sobre o conteúdo e a veracidade de tais peças. Fica também a critério da ABVIP selecionar as propagandas

[close]

p. 3

SUMÁRIO 04 PASTORAL 06 MÍDIA 09 KIDS 10 CASA DE PAZ 13 ELES 14 ELAS 17 MISSÕES 18 MDA 20 IGREJA 21 DEEP 22 NOVO TEMPLO 24 CONFERÊNCIA 29 AGENDA 30 PRÓXIMOS EVENTOS revista@pibmarilia.com.br (14) 3433-1602

[close]

p. 4

PASTORAL “Disse o SENHOR: Ocultarei a Abraão o que estou para fazer, visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra? Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito” (Gên. 18.17-19). “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para fqJ stàsqd cdpJ caVacoà v inImnéaeasuehveeiruueeaaessamvscmjeiraiatsassituleeautqrvóestsmhçerccmoumiaaauaemsu.aãjeeseeoipmasmrensEeonntallefpemaaeeraãésT,spsddnaeaDTOPA“aermspoofdfedevDsceasadêêtneniooueJpseaãrescioosnniazqaatcntslstrdsaejusufomoraon,ascfhãccquaiodofomoviee,nlsslE,móiiéaotsguaethiisatiraa”DiJtpassv,slmorrsnqeíesoi-.ce(etpscedeãvedaroian2esuuhãsnudisGmajooaeanadtuepu.aTsosemeDatrtarlf,ssesuaê.;ieodioracamAÉia;smmqnneicnmedotnli,onnDoabcquaouoa.saiaemdedasciaosr2dmruredatsssfastecoatma.cpaimreémvo1iceéahudqpmnçsoevãafr,aie,r2vqsaeuulaãnviooorfaavr1ind)euomoismoiuro.taeadcoas8nepomdu(ones,rmeêadaocd.Êiauaiodnerpt1s;atqoqêDaMasaiEanxaeusod7evaspcsuuss,dsãnoltorcdfe-coiooemaeEeeSevoévseip1dtiuouesmgurspe,oeoa,lér9veeorsaievedunsumedandsdrodt)a:rdidesupts3.aohlanavtoAaceimoaãeeaes.aansadsoçêãssD6dornvccmdAdssemõdoeArin,sideo,íotstsrem1easpebeeooeaeJcmbtê,qmu5ssumeuudrsncaíudereeup)ccspasmostldeaida(mr.uoooprrãeaqanunãeqoáofaDaronnrspopusilaxohfuvacolttisaoaapqeé:,heachaeéheliis,osibhnunuIohonscA.xnosdasqsvm.uoousueidas.aãfdmardaeuebdi,ss,miidelaoéqaeiaaherddochcopparasrupaocaqapoaoassomaEaasãeenar,uuddudddnsomrrrdorliooaaaaaaaaaaeeeeeers--e, Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração” c (Êaxdoadon3o.S1me5)me. pmreenqcuioenvaodcoê, floeirdae gaelgnueéamlogqiuaeddeeJaelsguus-, aS omp4rac2esaçaenssãgssheaoofeuoor,u(srraMaÉ“mçpAcfõiaooamladehrtmbeeeascoevuoosqdafesSriueradero1cneeeud.aehu1ltmmoroi-rdrcs1a,aaaaoo7prndgmP)sateeea.iaiurovsatlao,DeaçcSrvdfeãheaauroonmzaass,;emhdddrooeaaeesdrtocddAeDDdhaiobtaaeeuformsuuéadsdssãaeeo,euodnedpcseaaoauaartaCrhafoaçésovrdãerioeisorsda,envtdamoocsie.rietnspcorãaoartdooaer-a a sua alma e de todas as suas forças. Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar. Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões.” dp (Deaesrucate. o6n:s5dÉ“-Oês9enm)qucuisiesasof.ãuilovhimodsoo,ssenpaepatroiessn,ddebemiisxonas,eroetoqmus,eunpmoasrsaolestgpoaadidsaonoads ecsoufnaé- taram. Não os esconderemos dos nossos filhos; contaremos à próxima geração os louváveis feitos do Senhor, o seu poder e as maravilhas que fez. Ele decretou estatutos para Jacó, e em Israel estabeleceu a lei, e ordenou aos nossos antepassados que a ensinassem aos seus filhos, de modo que a geração seguinte a conhecesse, e também os filhos que ainda nasceriam, e eles, por sua vez, contassem aos seus próprios filhos. Então eles porão a confiança em Deus; não esquecerão os seus feitos e obedecerão aos seus mandamentos. Eles não serão como os seus antepassados, obstinados e rebeldes, povo de coração desleal vdh deVe JoRpJ mçoeaosiroeoeourrapnodeamrecvoiErasemamcrhibn:dmeosgviateeman1aiiaputadl,beªmsUSPorhqasDoieaedrgcuêoimese3m,sgionee,uenmn.5maormsacaODtã.s,argsn1ieoigooeaçqeroie-edrcprãrau1uncrueehenoaonoeto9cesbeodduosdva,)ngvd-euoes.oboedtderee;vífiszameriee3ndtéeeoesamasbªrxuep2laeçsfsaogíeoi0,nouãIroirmdeis,xoeptrsámbrraooaolt:.epaairneeiçreSleneçlssMrdooãm,olfeãeeoioasoeaouémSoãrldEbv”dneefiou-peisoeeg(nbeuvsmSéfrdasieéhvaactsiveiellodeod,.otmfooe.car,mr.anarruxue(oêaidg;o2tarseés,mt,ieeas,r2m7npbaRrt.aam8fªiuoaer:,vpEpedd3içbgried-iloosdoofãse8oesiisissas)sosresusa1dsadoelcfdqm0omiçágiiuemlsepu.,ãgeh1seaoudoeurooog5mnialaaomesr:-sat-çao1trerddãdfoaeaif7réuooaaéerss--;, VIDA PLENA | 04

[close]

p. 5

gfnfrrrsnnseoeaaaeraããiurusçetoopm,tãsosenr,oprcfroaaooeioordmldcsIarhndTSaseeéoseherpeebsmiptagssrefrnei.ceerooucd,rauelriramna.niatitsm,orpdoã,eao.voeautaiosgisgvSdfsedoeeolevarearnrnaaigasatdsçhpóoçamãoodãrrdbooioreooad:av:sDEaiidAcl,sstisuaecépãdsguimooeafpvesérriurgp,danéadelnrnmetaçreieçedãmaD,amsoaçoneenãedsqunãouooeupostsscoeJe,,qprodlseevuodasiassiiuseaqiusccusé,useiE;pepoupedleuuesoroesnoslrsnomhEamapituagstriagveesilooitaesiorsuoas----,, “O povo prestou culto ao Senhor durante toda a vida de Josué e dos líderes que sobreviveram a Josué e que tinham visto todos os grandes feitos do Senhor em favor de Israel. Josué, filho de Num, servo do Senhor, morreu com a idade de cento e dez anos. Foi sepultado na terra de sua herança, em Timnate-Heres, nos montes de Efraim, ao norte do monte Gaás. Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados, surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que ele havia feito por Israel. Então os israelitas fizeram o que o Senhor reprova e prestaram culto aos baalins. Abandonaram o Senhor, o Deus dos seus antepassados, que os havia tirado do Egito, e seguiram e adoraram vários deuses dos povos ao 1mPnrdchvJtsenmeacgoteueialleecai7siooarnueasrumearuiomi;uuuuarrmntaunnn1meaemav-sonaeotdãtrss,aeeoCgneonosocoeuenoriderectserarrl,SESATSdaeas(omrdeea;aeiôrpçspeeeseeraxveoreãfsnpdggdarrçoecarniduiaãalotcaéievuvieãguáhmamogtdocãreeodrao.rcinsdaoriaeoccoiaivemptaiío.nrsgCdaierssaoulçairjgalnhnairdaosaaãod1v)deaeaIerdeçaot;asçognem6:,leroooidgjãmrueãdceanzjAae.étreoaa-ea1mooarSveemauree.sifa-cDnsesoecçrfaéil2n6cdça,aardln.ããçd.4eacoec,tãsmmeed.moo3ãadheervaaéonlohod7ofieo(sl,tiíomotseuSp:vr1lo-aee-,ricri-acevcê4enil,rm.draornRivtaRh(osilo2SatpuAeromh1eresdomaosgae)arumnoomrm.rvoiRálbvJrrepilnosoen.e”gaiaéninoaieovrnç,ãmrlm1on(rdsvaeãitaeuJioroaes1uouigdoiiosuãdgujasvidí.o-1asóDzg:o4a,refaassdieeu1lebfrel3:aenumsestaagéiaoem.cjre;ol21tvaãamvu(tjihshacmre1:ane2-sios7inSédaoa.nvp26,m.-d.cl,,Sed1,l.piaét.,uoarodic492enoaEppmaosédpli)uce-,fmcahofodlsr1é1oeaooemceísttSonru0pri6uauzra..onmésaro)alqbu)senmtooS.mlin.suoaeleoolst,eotoapnqli,6e,mroodcensruac.antqtndoci1ueoãreeevveuedãnuo4reoorrrliiuoáaeées---------,, pmdooo.rrEJteesstduaosI.garpeójast,ohloavPiaauelsof,roiadavoivoamseeunptoritminehiraoacaamboar- “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das cpocTfMsdoeddo1rca.ndorcArbhmtsoqpocoareaaaerhheoso7rruusscuoiiaoaaApanipurtsomgçareamDnaaur)2vresrãdsnsmcohaãnBeas,.çsmammaqspeiee.eoeíAiemsoemcs7ãortvetipíurduudlaEafrmcsebuaiaaoaa,ercãie,aaruers1ediaseervnrllaloooarscdmimiCAOFPisrdlp1ervo,eddfdfpstiaavoo,mosecetecaauouoe,praa,edsoiii,bnaisfa1aamsvxeroçcssmsvrguzdteeJrepomfssnsauc7frovdiccuchaa-aedoeazeréseeodtors,toiímíiemscaescScrsarzrt2aJenompptpoeg;onioudnêoireahoaaemeer?ãs9reuruuumruesootpvssnmçestenns,ãao,oEaei;resnmellalssseaãosgíssmoovdejhaaoosttef3mnstseeaguaçraeeoirãundistepsdoso.dmlca,ancn2nrãseuvnaa6lioa,h?oulostíaordagor.ioojãr0aasatãovs,r.iatfeoaorpsrt1rre.oonentoamo.eaoiiseédr,ads2df,rshtrrv3Prartapprrtsfesioovat?eové1e2lsraqsoelai,eoemoarramoes2hveoireeane,lpmnOuSaaarvonir2dimeésc2Ectrdromsaaafzmabqahtaaeieot2hásahaei)neosssdfmuoi3nmrluaexf.scdi)cossC?eponahcd,id”rsuo,adlt.eaheãeecsonmcheroeítooeo(pOeqprfmmmarlrmoooaaotnpAosnano,isEuieitonmasenoednatetreadnptetnceoptneshrotasemataioltdnidsonoeelaqp,ntaaéamos,ío-vaocmoeãeendSenccuíssppouhocivrmmoo(p2rsoaaviviueesdtea.reveoaarJooitparníeramirateeeoãa2poxRsesronlsoscrnmeuoacrvrmottstso,ç:ã.rraeosqmufoveemcepãai4iluaruiãeruoEsgavo.moiruieooScdur,drecsodevsçq,d5oarnt.raleneraeroaíoiraia,oietpmue)eovSorcn2(srdáanrtsemaj.aessJccoteirsteseap.saaotte,dcod(n1taeuenoehis,rmoussIpaaAfpeetvnor-ãadamoammgdpiam,resrsrs1oqlulodsptneurmasoehaoatlvSo,s3paucsilepoipgaaanosrasamaioveep2d;êardjcfaervsdaserscsdabmnemrresm1oJaueáaeofnafaippconsrepeoeoho.sistnmqmlleode1ipxsgsaariosrsarrierdrotdudãcnuupo5mrraeaaeieréesrauroooàaaaaaeeeeurrsss-----------l, ESETPtoeersxlgisreomcaumeJnieoigpridãrralaooeagj:;ggaeITeegrfrriaortaaçeoiççãjp;ãaãoToaod:s:i:IetmIIgoggÉrrorreefeteejaejajsadaooc.acc.o.(oopmAPmmeotlaor1aaé9fafméf.épé1f,óm1ar2si-vato25iovr0oalan;oundaAoPma..ps..a.oo.udcrleot.pa2;.oa..1.ips-ó7ds)a-. DPr.omingos Jardim da Silva Pastor Sênior da Primeira Igreja Batista de Marília VIDA PLENA | 05

[close]

p. 6

MÍDIA CONECTADOS FACEBOOK “Eu fui impactada com a presença do Espírito Santo neste lugar” Idalina Santos (Barueri/SP) REFLDIomTiAngos Jardim. “Antes de ser Cheio do Espirito Santo você deve sentir esse desejo profundo” Pr Domingos Jardim FACEBOOK “A presença de Deus chega em nosso lar em todos os cultos que assistimos da primeira Igreja Batista de Marília, é uma benção” Adão Idete (Sinop/MT) “Coloque fogo nos sermões ou coloque seus sermões no fogo!” John Wesley FACEBOOK “Estou apaixonado pela Primeira Igreja Batista de Marília, Deus seja Louvado em todo tempo Amém!!” Wilson Luiz Nascimentio (Rio de Janeiro/RJ) “Eu não sou a fonte deste avivamento. Eu sou apenas um agente entre o que vai ser uma multidão” Evan Roberts FACEBOOK “A Primeira Igreja Batista de Marília é o lugar onde conheci o verdadeiro Amor de Deus, hoje posso dizer que eu e minha casa servimos ao Senhor. Renata Silva (Marília/SP) VIDA PLENA | 06 “Nossas orações continuam vivas e ainda serão respondidas em gerações futuras” Wesley L. Duewel (trecho do livro fogo do avivamento)

[close]

p. 7

Facebook.com/pibmarilia.br www.pibmarilia.com.br secretaria@pibmarilia.com.br youtube.com/piboficial livestream.com/tv-pibmarilia Portal Pib Marília 14 981730661 instagram.com/pib_marilia RECOMENDO LIVRO A PRESENÇA RECOMENDAÇÃO PR. DOMINGOS JARDIM Deixe o Espírito repousar sobre você ! Neste livro poderoso, o autor Bill Johnson discute como podemos ser alguém que hospede a Presença de Deus. Apesar de todos os crentes obviamente possuírem o Espírito de Deus em seu interior, existe algo mais que nos faz ser tão cheios a ponto de transbordar Seu Espírito para o mundo. Neste livro sucinto e cheio de poder, Johnson nos encoraja a buscar a Presença de Deus acima de todas as coisas. Neste livro, você irá descobrir: Como prestar atenção no Espírito Santo e responde a Ele. Como o Espírito Santo se manifesta. Figuras bíblicas que eram sedentas por mais do Espírito de Deus e aprenderam a hospedá-Lo. VIDA PLENA | 07

[close]

p. 8

MÍDIA

[close]

p. 9

KIDS Como no conhecido ditado “É preciso uma vila para criar um filho”, podemos dizer que “É preciso uma célula para criar um filho que siga a Jesus”. Células de gerações integradas podem contribuir para que crianças tenham um desenvolvimento mais saudável do que crianças que não têm outra influência no discipulado, exceto a de seus pais. Jesus ama as crianças. Certa vez, durante seu tempo aqui na terra, ele disse: “Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como estas crianças” (Mateus 19:15.15). Deus ama as crianças e as prioriza. Nós também devemos fazê-lo. Sabemos que as crianças são o futuro e, de fato, elas não serão crianças por muito tempo. Algumas vão inclusive ser nossos futuros líderes. Estatísticas dos Estados Unidos nos dão conta de que aproximadamente metade de todos os americanos que aceitam a Jesus Cristo como seu Salvador o fazem antes de atingir os 13 anos de idade (43%) e que dois em cada três cristãos nascidos de novo (64%) fizeram seu compromisso com Cristo antes de seu 18° aniversário (Barna, 2004). Claro, isso pode variar mundo afora, mas a verdade permanece: precisamos alcançar as crianças. aprendem que conectar-se e crescer com outros cristãos é uma importante prioridade. Esse aprendizado irá moldá-los em seus próprios compromissos na vida adulta. À medida que a comunidade da célula se desenvolve, as crianças têm diversos “tios” e “tias” na fé. As crianças aprenderão do exemplo (e algumas vezes, do ensino) desses adultos, que se revezarão e reforçarão o que seus pais estão transmitindo em casa. E, naturalmente, Jesus disse aos seus discípulos que se tornassem como crianças pequenas. Os adultos na célula se beneficiam do exemplo das crianças ao ouvirem uma criança orar, ou ao verem a confiante receptividade das crianças à Palavra. É preciso um esforço e planejamento adicional para criar uma célula de gerações integradas significativa, e com certeza é o desejo de Deus que isso aconteça na sua célula. As crianças são o futuro, a próxima geração que levará um grande avivamento, gerado no céu e operado aqui na Terra. Min. Taigor Vicari Ministro de Juniores da Primeira Igreja Batista de Marília As crianças que vão com seus pais à célula VIDA PLENA | 09

[close]

p. 10

CASA DE PAZ A casa de Paz é uma estratégia evangelística que nos foi dada pelo próprio Jesus há mais de dois mil anos. Em Lucas 10:1-24 lemos o relato de Jesus enviando “outros setenta e dois discípulos à sua frente, de dois em dois, a todas as localidades, vilas e aldeias que tencionava visitar mais tarde” a pregar as boas novas de salvação. Para isso Jesus lhes deu autoridade para expulsarem demônios, curar os enfermos e operarem milagres. E foi exatamente isso o que aconteceu (Mc 6:13)! Ao receberem a orientação de Jesus eles acataram alegramente e puderam ver o poder do Evangelho em ação. Foi realmente uma estratégia evangelística poderosa. A Bíblia nos conta que eles voltaram admirados de tudo o que tiveram o privilégio de fazer e ver “quando os setenta e dois discípulos voltaram, cheios de alegria, contaram: ‘Senhor, os próprios demônios nos obedecem quando nos servimos do teu nome’” (Lc 10:17). Os frutos dessa missão foram visíveis! Hoje, em nossa igreja, temos o privilégio de poder repetir o feito. Deus nos orienta a realizarmos a “Casa de Paz” seguindo o mesmo prin- VIDA PLENA | 10 cípio bíblico descrito nos textos acima mencionados. Nossa motivação é a de pregar o Evangelho do Senhor Jesus em toda a cidade e apresentar para Ele frutos dignos de seu sacrifício. A Casa de Paz consiste, estrategicamente, em formarmos entre os membros da igreja, duplas as quais chamamos de “semeadores da paz” que terão como objetivo encontrar pessoas e/ou famílias que os receberão em suas casas, a fim de ouvirem a mensagem de salvação. As pessoas que recebem os semeadores da paz são por nós chamadas de “filhos da paz”. Uma vez estabelecidas as pessoas ou famílias que serão os filhos da paz, cada dupla de semeadores se comprometerá a ministrar a Palavra de Deus a eles durante o período de sete semanas, sendo esse período em dia e horário fixo estabelecido pelo filho da paz. A ministração será feita através de um livreto que oferece estudos da Palavra de Deus sobre o amor dEle por nós, o propósito dEle ao criar-nos, nosso futuro com Ele, entre outras coisas. O nosso meio de contato para estabelecer quais serão nossas casas de paz é, de maneira muito clara, porém sutil. Nosso chamariz é abordar a pessoa com a seguinte questão: “há algo

[close]

p. 11

em sua casa que está lhe tirando a paz?” Obviamente num mundo sem Cristo o que mais encontramos são pessoas e famílias destruidas e com diferentes situações roubando-lhes a paz... Ao abordá-los com essa indagação, teremos uma abertura maravilhosa para oferecer-nos para irmos até sua casa e orar por eles a fim de que o problema que lhes roubam a paz possa ser resolvido por meio de Cristo. A partir desse momento, temos uma conexão com a pessoa o que nos permite propor o estudo de sete semanas. Na total depêndencia do Espírito Santo, em constante intercessão pelos filhos da paz, cada dupla de semeadores vai, semana após semana, pregando o Evangelho do Senhor em suas respectivas casas de paz. A motivação é levá-los ao arrependimento de seus pecados e fazê-los entender o plano da salvação em Jesus a fim de que entreguem seus corações a Ele. Nosso próximo passo é prepará-los para o batismo e garantir uma poderosa colheita para a glória de Deus! A Casa de Paz é uma benção que realmente só poderia ter nascido no coração do nosso Salvador. Poder fazer parte dessa benção nos dias de hoje é algo que nos alegra o coração e nos faz desejar cada vez mais estar no centro da vontade de Deus resgatando muitas almas para o nosso senhor Jesus! Vamos todos juntos semear a paz em nossas “Casas de Paz”! VIDA PLENA | 11 CASA DE PAZ

[close]

p. 12

CASA DE PAZ TESTEMUNHO Eu sou a Francisca, sou membro da célula céu na terra 23. Eu sou a Thamires e também sou membro da célula céu na terra 23. Francisca: Nós estamos aqui pra falar um pouquinho da nossa casa de paz e do que Deus tem nos proporcionado e nos capaci- tado a fazer por esses dias. Quando nos foi dito que teríamos que entrar nesse projeto, confesso que eu fiquei um pouco assustada mas, através da minha amiga Thamires, Deus nos levou a uma casa de paz que é de um amigo dela. Thamires: Realmente eu já conhecia um dos moradores da casa porque ele trabalha comigo, mas eu sabia que a casa dele precisava mesmo da paz do senhor Jesus. Então, eu fiz o convite e ele aceitou receber-nos de imediato. A primeira visita foi impactante. Vimos uma família tão necessitada de Deus... No momento só pude orar ao Senhor pedindo a Ele que nos capacitasse quanto ao que falar e Deus nos usou muito. Eu disse à Francisca que orássemos porque sem a direção e capacitação de Deus nós não podemos fazer coisa alguma. Francisca: Chegando lá nós fomos bem recebidas contudo, ficamos um pouco assustadas porque a situação da família é complicada mas, através de Deus, tudo se acerta. A família nos acolheu e a partir daí, Deus agiu e transformou. Nós começamos nossa casa de paz na segunda feira e quando foi na quarta da mesma semana já tivemos o privilégio de levar um morador da casa para a nossa célula. Ele ficou impressionado. Esse morador é um com a situação. Nós fizemos com que ele participasse, ele se sentiu muito bem. Ele já é muito amado por todos nós. Thamires: Deus tem feito mesmo a obra porque na casa em que nós semeamos, existe algumas crianças que não são filhas de nenhum dos moradores, mas que vivem ali por problemas particulares da mãe. Surgiu nessas crianças o interesse em participarem da célula e dos cultos, e nós ficamos muito felizes com isso porque nos fez pensar em nós mesmos: “será que fizeram isso conosco quando precisamos?” Que nós possamos realmente abrir os nossos corações porque Deus tem mesmo algo para falar através de cada um de nós. Tenho certeza que através de (e também desse rapaz que tem se disposto a aprender sobre Jesus), toda aquela família e crianças serão transformadas em nome de Jesus. Não se trata de casa bonita ou feia, riqueza ou pobreza e sim de um coração que ame a Deus. Francisca: Eu creio que o nosso Deus é poderoso e Ele vai transformar toda essa cidade! Em relação à nossa igreja, eu sei que ainda vou ver o nosso templo novo lotado de filhos de Deus louvando e agradecendo ao nome do nosso senhor Jesus Cristo. ex presidiario e usava drogas, mas hoje ele está muito contente Casa de Paz, faça parte você também dessa benção! VIDA PLENA | 12

[close]

p. 13

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte. 2 Cor 12:10 É comum ouvir pessoas se queixando das dificuldades. No meio da Igreja de quando em vez, há necessidade de encorajarmos os líderes. É muito comum homens, líderes, chefes de família, se sentirem cansados, desanimados com vontade de parar tudo. O homem é um ser limitado, mas também possui uma capacidade incrível de superar desafios, quando não é barrado por si mesmo. Deus sabe das nossas limitações, conhece profundamente nossas fraquezas, nossas necessidades, e sempre tem uma palavra para nos fazer olhar na direção certa. Nosso inimigo luta constantemente para nos fazer olhar as coisas, diferente de como elas realmente são. Nosso inimigo é perito em pintar o quadro com uma vista terrivelmente pior do que a realidade retrata. Ele sabe que se conseguir nos distrair, se conseguir nos sugerir que somos fracos, se conseguir nos fazer realmente acreditar que somos fracos, é assim que ele vai conseguir fazer com que alguns de nós paremos no meio do caminho. Uma simples sugestão, pode interromper uma caminhada vitoriosa. Digo isso, porque eu mesmo já pensei em desistir inúmeras vezes. Hoje percebo que se eu tivesse cedido á sugestão do diabo, se tivesse parado para olhar as circunstâncias, ou mesmo se tivesse ouvido a voz do meu enganoso coração, já não estaria caminhando como estou hoje. Se tivesse cedido às minhas fraquezas, ao quadro da dificuldade das tempestades, jamais poderia ver e ouvir alguns testemunhos tão impactantes como os que tenho ouvido hoje. Há pessoas enfrentando crises financeiras, turbulências no casamento, ataques na mente, na saúde, na alma. Isso é verdade. O que acontece, é que quando estamos vivendo essas tempestades, nos esquecemos de olhar para pelo menos 3 coisas: - Nenhuma tempestade é eterna, do mesmo modo como nenhuma bonança também. A dor das crises nos fazem pensar que o vento está tão forte que não conseguiremos sair dela vivos; o que não é verdade. Quem está no “olho do furacão” chega a pensar que o mundo todo está acabando, quando na realidade o furacão está apenas em um local, momentaneamente, e que logo mais a frente o sol vai aparecer tão forte quanto antes. Deus diz que não nos sobrevirá nenhuma provação maior do que possamos suportar. Essa é uma palavrado do próprio Deus. Estamos falando de um Deus vivo, verdadeiro, fiel, imutável que nunca mentiu e nunca errou. Deus não está cansado, inerte ás nossas dores e nossas dificuldades. A Palavra Dele diz que nem um fio de cabelo sequer cai de nossa cabeça sem que Ele saiba. Ele garante que assim como as aves do céus são sustentadas, nós muito mais ainda, veremos a provisão Dele em nossa vida. Nunca somos os únicos a enfrentar tempestades. Sempre haverá alguém passando por lutas maiores que nós. Sempre haverá alguém suportando mais dor física do que nós. Sempre haverá alguém com problemas financeiros maiores do que os nossos. Sempre haverá alguém com dilemas na alma mais profundos do que os nossos. Sempre. O fato de Paulo escrever que quando somos fracos, aí somos fortes, diz muito bem que precisamos aprender a dizer para Deus que Nele nós somos fortes. Sempre há uma chance para nós. Enquanto há vida, podemos nos arrepender dos nossos pecados, podemos começar de novo, podemos sonhar de novo. Satanás não. Ele não tem mais chance, ele não tem futuro, ele nunca mais experimentará a misericórdia de Deus. Você e eu sim. Ainda podemos contar com o favor de Deus. Você começou mal o seu dia? Ainda pode terminar bem. Começou mal esse ano? Ainda pode ver milagres extraordinários de Deus. Sua força não vem de você. Se você realmente é um filho de Deus, Ele jamais te deixará terminar sua história derrotado. Você ainda crê? Quando Jesus voltar, Ele ainda encontrará em você fé suficiente para acreditar no que Ele disse e ainda mais, naquilo que Ele deixou escrito? Siclair Ferreira Responsável pela Região Amarela da PIB de Marília VIDA PLENA | 13 ELES

[close]

p. 14

ELAS “submissionear” UMA REFLEX ÃO PARA O MINISTÉRIO Sabidamente é de conhecimento que o termo “sub- neiam” são aquelas que, baixo total dependência do Esmissonear” não existe oficialmente na nossa Língua pírito Santo, se colocam à disposição de Deus para serem Portuguesa, contudo, sua utilização nesse texto é feita de forma proposital e necessária. Na gramática, o termo correto é submissão. Definido como um adjetivo, o estado de um ser em determinada situação ou em relação à determinada pessoa. Neste artigo, o que fizemos foi dar ação ao adjetivo, ou seja, torna- lo um verbo. Fizemos isso sob uma perspectiva e um propósito espiritual, interpretando o conceito bíblico da submissão da mulher ao seu esposo, não simplesmente como um adjetivo outorgado a ela, mais bem como uma direção de como deveria ser sua atuação no Reino de Deus. O conceito deve ser entendido como submissão idoneamente ATIVA em relação à missão entregue ao marido usadas por Ele em tudo aquilo que favorecer, auxiliar e impulsionar o ministério do esposo (que na verdade, é dos dois). Uma mulher que “submissioneia”, tem em seu interior o mesmo senso de responsabilidade que tem o seu esposo em realizar com excelência a obra que o Pai lhes entregou. Mas suas ações são realizadas segundo a orientação do esposo. Uma esposa líder deve em primeiro lugar ter a consciência de que ela serve, em primeira instancia, à liderança e à necessidade ministerial de seu esposo. Isso significa dizer que ela é a primeira, e porque não dizer, o principal agente submisso, porém altamente ativo (e não passivo), do ministério que ele exerce. Submissonear é elevar o nível da submissão enquanto (líder e responsável final sobre a ‘visão ministerial’ a ele a um mero adjetivo passivo, a uma ação idônea de au- conferida). xilio ao ministério do esposo sujeitando-se alegremente “Submissonear” é uma palavra criada para um con- e, em consequência, atuando alegremente em concor- ceito bíblico muito antigo apresentado de muitas maneiras na Palavra de Deus - ora de forma implícita, ora de forma explícita - nas narrativas das heroínas nela citada. A ideia principal de “submissonear”, como citado anteriormente, é que à mulher lhe foi entregue o grandioso privilégio de participar ativa e idoneamente na missão/visão/ministério do casal, mas delegada em primeira instância ao esposo. Esse conceito faz frente à visão de submissão muitas vezes posto em nosso meio e infelizmente aceito por grandes mulheres de Deus de nosso tempo, como algo relacionado à passividade. A não necessidade de envolvimento com o chamado de Deus que é feito aos dois, dância com o esposo para o pleno alcance da missão/ ministério. Quando pensamos nas mulheres da Bíblia, vemos muita sujeição aos seus esposos. Mas não uma sujeição triste, sem ação, apática e contrariada. Ao contrário, nelas encontramos apoio e sujeição não arbitrária aos grandes líderes (esposos), demonstrado através de AÇÕES inteligentes, conscientes e planejadas para alcançar o fim que eles necessitavam. De maneira breve e sucinta podemos falar, por exemplo, de Joquebede (Êxodo 2: 3) que, com toda a criatividade engendrada na criação de um sistema impermeável que pudesse garantir vivo ‘o libertador de Israel’ – Moisés - demonstrou atuação precisa na missão entregue ao na figura responsável do esposo. O conceito como ele casal de serem os progenitores do personagem de umas realmente é, remete na verdade, a ideia de que a mulher das maiores narrativas bíblicas. Sara que apesar de to- deve transformar sua submissão em ações colaborado- dos os percalços no início de sua história, exerceu papel ras em prol da plena execução da missão que o casal recebe da parte de Deus. Em termos gerais, submissonear tem haver com trabalhar com excelência e afinco e não com passividade e apatia, como acontece em muitos casos, quando se acredita que a responsabilidade pertence somente a ele. No ministério cristão, as mulheres que “submissio- importantíssimo quando da decisão difícil de despedir a Ismael e estabelecer a linhagem realmente por meio de Isaque (Gn 21: 10). A esposa do já referido Moisés, ao cuidar diligentemente de seus filhos sem imputar a Moisés culpa ou cobrança (porque a Bíblia não registra isso) no período em que a missão/visão dada a Moisés lhe exigia distância, mais esforços e a dificuldade na sobrevivência era maior. VIDA PLENA | 14 As inúmeras esposas dos sacerdotes que se organiza-

[close]

p. 15

IDONEAMENTE DE ESPOSAS (PASTORAS E LÍDERES) vam de tal maneira em todas as áreas permitindo aos seus esposos a possibilidade para exercerem seus ofícios livres de qualquer outro tipo de preocupação. Mulheres como Priscila, no Novo Testamento, que exercia sua submissão à missão de Áquila em serem líderes de uma “célula” de referencia para todas as eras (Rm 16: 3 - 5). As ações de Priscila eram focadas para torná-la (a reunião em sua casa) muito agradável, especial e notável ao ponto de ser citada pelo apóstolo. Ela com certeza tinha uma submissão ativa e suas ações fizeram de sua “célula” um modelo mundial, como já mencionado anteriormente. Podemos também falar da mulher do apóstolo Pedro que, apesar de não haver sido citada na Palavra de Deus, é de conhecimento das pesquisas bíblicas, que fazia de sua casa um lugar de refrigério para a chegada de seu esposo e de nosso Salvador quando estavam na cidade. Inclusive, através da situação de doença de sua mãe, temos o privilégio de conhecer um pouco mais do poder sanador de Jesus. Ela apoiava seu esposo no ministério servindo-os e demonstrando que sua fé também era firme em Cristo, com certeza um estímulo para Pedro. Como não mencionar também Maria, a mãe de nosso Salvador. Ela foi parte crucial na excelente missão de José de ser a resposta à profecia de que Jesus seria da linhagem de Davi, da tribo de Judá. José preenchia esse requisito (sobre esse tema, vale a pena um estudo detalhado, completo e aprofundado) e Maria submissionou a missão de seu esposo recebendo Jesus em seu ventre a despeito de todos os problemas que isso lhe poderia acarretar. Essas são apenas algumas mulheres que rapidamente podemos mencionar, sem fazermos uma análise mais profunda sobre tantas e tantas outras que viviam o conceito de submissonear incutido na ideia de submissão em “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor...” (Efésios 5: 22). Submissonear vai muito além de uma postura passiva e apática assumida por muitas mulheres líderes cristãs. Submissonear é trabalhar ativa e idoneamente sujeitando-se à missão que é dos dois. Em outras palavras é priorizar o ministério dado aos dois por meio dele. Canalizar esforços (com alegria) a esse ministério e visão. Às outras atividades que a esposa exerce na igreja, que não têm ligação direta com o ministério do esposo (e consequentemente do casal), ela pode dedicar suas ações também, mais numa escala muito menor, sabendo tratar-se de um chamado secundário e não prioritário. Sejamos todas mulheres que “submissionam” idoneamente a missão que recebemos com nossos esposos! Tania Mello Responsável pelo ministério de missões VIDA PLENA | 15

[close]

Comments

no comments yet