Gazeta Santa Cruz

 

Embed or link this publication

Description

Jornal

Popular Pages


p. 1

JORNAL GAZETA SANTA CRUZ escolamunicipalsantacruz.blogspot.com.br Volume 1, Edição i Somos Setembro, 2016 Nova Milano destaque nacional! Nossa escola con- O IDEB foi criado em quistou um feito históri- 2007 e representa a ini- co no Rio Grande do ciativa pioneira de reu- Sul. Com nota 8,7 no nir em um só indicador IDEB - Índice de Desenvolvimento de Educação Básica, a escola também dois conceitos importantes para a qualidade da educação: fluxo escolar e médias de de- ficou entre as vinte me- sempenho nas avalia- lhores do Brasil. ções. A comunidade escolar está em festa. Agradecemos o empenho da equipe diretiva, dos professores, funcionários, pais e toda a comunidade escolar que colaborou para que a escola repetisse o excelente resultado. Séries Iniciais - 8,7 Séries Finais - 7,2 Alunos comemoram resultado que ficará na história

[close]

p. 2

Poetizando Ser Humano Ser humano é nunca desistir Ser persistente, tentar até conseguir Fazer a coisa certa sem esperar algo em troca É saber que amigo não se troca Ser humano é chorar, levantar e seguir É saber parar e ouvir É saber brincar, pedir desculpas e depois rir É se comprometer e ir Ser humano é se apaixonar É ser amigo, é apoiar É ver as coisas fugirem de controle É ser você mesmo Tentando ter a vida sob controle Isabelle Varaschini, 6º ano, 62 Professora: Veridiana Brustolin B. Corrêa Ria de graça Irritado com os alunos, o professor lança um desafio. -Quem se considera burro faça o favor de ficar em pé. Todos se mantêm sentados, até que o melhor aluno da classe decide se levantar. -Então quer dizer que você se acha burro? - indaga o mestre, indignado. -Bem, pra dizer a verdade, não. Mas fiquei com pena de ver o senhor aí em pé, sozinho... O garoto apanhou da vizinha, e a mãe furiosa foi tomar satisfação: -Por que a senhora bateu no meu filho? Ele foi mal educado, e me chamou de gorda. E a senhora acha que vai emagrecer batendo nele? Página 2 Nayane Leseux, 8º ano

[close]

p. 3

VOLUME 1, EDIÇÃO I Página 3 Acontece na escola... Gincana Santa Cruz No mês de julho, os alunos participaram da gincana, momento esse em que aprenderam a se organizar, trabalhar em grupo e identificar suas próprias potencialidades e as de seus colegas através de atividades recreativas, esportivas e artístico - culturais. 1° Lugar - Equipe Flash, coordenados pela professora Estela. 2° Lugar - Equipe Seven Team, coordenados pela professora Patricia. 3° Lugar - Equipe Balão Mágico, coordenados pela professora Marisa. Tocha Olímpica Terça feira (dia 16/08) tivemos a visita mais do que especial da Tocha Olímpica que veio acompanhada pelos mascotes dos Jogos Olímpicos Rio 2016. A Tocha Olímpica representa a união, a paz e a amizade entre os povos. Setembro Cívico Na manhã do dia 05 de setembro, aconteceu o hasteamento das bandeiras nas dependências da escola, autoridades máximas do município, professores, alunos e comunidade se fizeram presentes. Semana Farroupilha Nossos alunos participaram do Concurso Farroupilha Bem Gaúcha. Kauan Martini, Matheus Henrique e Gabriel Michel participaram na categoria instrumental, Jociéle Fachini e Kauanny Martini participaram na categoria declamação mirim, sendo que Kauanny conquistou o prêmio de 3º lugar. Na escola, também foram realizadas comemorações alusivas, com a participação dos alunos e professores. Isadora Domingues, 6º ano

[close]

p. 4

Jogos Estudantis Farroupilhenses (JEF’S) Nossos atletas mais uma vez deram show nos Jogos Estudantis Farroupilhenses (JEF’s). Nas diversas modalidades em que participaram nossos alunos conquistaram muitas medalhas. O resultado não podia ter sido melhor e a escola já garantiu o primeiro lugar geral nas modalidades de Basquete e Futsal. Página 4 JORNAL

[close]

p. 5

VOLUME 1, EDIÇÃO I Página 5 Enzo Zardo, 6º ano Futebol - Paixão Nacional O Brasil é considerado o país do futebol, no lugar da Inglaterra onde o esporte foi criado. A explicação para esse amor pode ser explicada pela conquista de cinco Copas do Mundo. Em tese, o sucesso desse esporte não se refere somente a isso: Gilberto Freyre defendia que o talento do brasileiro para o futebol era graças à grande miscigenação dos povos e suas raças. Entretanto existem outras explicações. O futebol tornou-se tão popular graças a seu jeito simples de jogar. Basta uma bola, equipes de jogadores e as traves, para que, em qualquer espaço, crianças e adultos possam se divertir com o futebol. Na rua, na escola, no clube, no campinho do bairro ou até mesmo no quintal de casa. O intenso fanatismo desse esporte e a sua capacidade de atrair multidões fizeram com que ele fosse perdendo o prestígio entre os intelectuais e ganhando força nas classes abastadas da população. Após a Copa de 50, os meios de comunicação passaram a acompanhar mais esse esporte, de uma forma que enaltecia os ídolos de cada time e divulgava as partidas e os campeonatos. O crescimento econômico, ocorrido na década de 50, é visto como um dos motivos para o crescimento do futebol. Nessa época, surgiram vários campos nas cidades e as pessoas puderam praticar o esporte em qualquer lugar. Resumidamente não hà como pensar no Brasil sem citar futebol já que isso passou desde cedo a fazer parte do país. Fonte: http://futebol-nobrasil.info/futebol-paixaonacional.html Tiago Branco, 9º ano

[close]

p. 6

Projeto “Horta Escolar” No mês de março a direção As ferramentas utilizadas no da escola solicitou junto a Se- cultivo são da própria escola, cretaria do Meio Ambiente para enquanto que as mudas e o participar no Projeto Coletivo adubo estão sendo doados por Educador de Farroupilha, sendo alunos e pela comunidade. que esse projeto tem como uma Os envolvidos no projeto das finalidades a reativação da são alunos do 6º ao 9º ano, horta escolar. Na nossa escola que participam voluntariamen- está sob coordenação da profes- te em período contrário as au- sora de Ciências, Juliana Mauri. las. Aproximando-os assim ao O projeto que está em evolução, consiste em dar chance aos alunos cultivarem e colherem temperos e hortaliças. meio ambiente, além de resgatar a infância dos pais dos alu- nos que também vivenciaram esta prática, no seu tempo de escola. Professora Juliana, coordenadora do projeto. Murilo Maggioni, 8º ano Coluna Social Secretaria da Educação, Elaine Giuliato e diretora da Escola Flávia Zangalli, comemorando o resultado no IDEB. A professora Marisa junto com seu aluno Murilo Maggioni, comemorando a seleção do seu texto para a etapa estadual da Olimpíada de Língua Portuguesa. Professora Márcia sendo homenageada pelo alcance de sua aposentadoria. Página 6 Professora Paula recebendo homenagens junto com sua aluna Nayane Leseux, que conquistou medalha de bronze na Olímpiada Brasileira de Matemática. JORNAL

[close]

p. 7

VOLUME 1, EDIÇÃO I Página 7 De olho nas Paralimpíadas Se as Olimpíadas já são um grande exemplo de como a força de vontade é capaz de levar homens e mulheres a darem o máximo de si em busca de um objetivo, o que dizer dos emocionantes exemplos de superação que vemos nas Paralimpíadas? Os atletas que estão nas Paraolimpíadas são exemplos inspiradores de como podemos e devemos perseguir os nossos objetivos apesar de todas as adversidades. Obstáculos não existem para separar você do seu objetivo e sim para mostrar que você quer o objetivo apesar dos obstáculos. Para portadores de deficiências físicas, o esporte adaptado só teve início ofici- almente após a Segunda Guerra Mundial, quando muitos soldados voltavam para casa machucados. Na Inglaterra, o médico alemão Ludwig Guttmann, que cuidava de pacientes vítimas de lesão medular ou de amputações de membros inferiores, teve a iniciativa de fazer com que eles praticassem esportes dentro do hospital. Em 1948,o médico aproveitou o décimos sexto Jogo Olímpico de Verão para cri- ar os Jogos Desportivos de Stoke Mandeville. Apenas 14 homens e duas mulheres participaram. Já em 1952, os Jogos de Mandeville ganharam projeção, contando com a participação de 130 atletas portadores de deficiência. Tornou-se uma competição anual. Em 1958, quando a Itália se preparava para sediar as XVII Olimpíadas de Verão, Antonio Maglia, diretor do Centro de Lesionados Medulares de Ostia (Sítio arqueo- lógico na Itália), propôs que os Jogos de Mandeville do ano de 1960 se realizassem em Roma, após as Olimpíadas. Aconteceram então os primeiros Jogos Paralímpicos, as Paralimpíadas. A competição teve o apoio do Comitê Olímpico Italiano, e contou com a participação de 240 atletas de 23 países. Aqui no Brasil já começaram as Paralimpíadas, que vão do dia 7 até 18 de setembro. Estão sendo disputadas 27 modalidades entre elas: basquete em cadeira de rodas, voleibol sentado, atletismo, judô, entre outros. “Obstáculos não existem para separar você do seu objetivo e sim para mostrar que você quer o objetivo apesar dos obstáculos”. Maria Eduarda Maggioni, 7º ano

[close]

p. 8

Organização Escola Municipal de Ensino Fundamental Santa Cruz Rua Roque Vitor Barbieri, Nova Milano Tel: (54) 3268 08 01 JORNAL GAZETA SANTA CRUZ O jornal escolar Gazeta Santa Cruz tem por objetivo informar os leitores acerca dos fatos considerados relevantes para a comunidade escolar, estabelecendo uma relação de fidelidade perante estes. O jornal insere o aluno no convívio escolar, sendo também um subsídio para a história da escola, e ainda motiva os alunos ao uso da escrita e da leitura. Fomenta a criatividade dos alunos, o saber trabalhar em equipe, sendo um excelente meio para que expressem suas inquieta- ções, desejos e ideias. Editora-chefe: Mariane Mangini Professora responsável pela revisão dos textos: Marisa Tebaldi Moras Coordenadora Pedagógica: Luciana Zanfeliz Colunistas: Enzo Zardo, Isadora Domingues, Maria Eduarda Maggioni, MuriloMaggioni, Nayane Leseux e Tiago Branco Responsável Técnico: Nicolas Neis

[close]

Comments

no comments yet