Jornal do Sintufes - Setembro - 2016 - nº 171

 

Embed or link this publication

Description

Jornal do Sintufes - Setembro - 2016 - nº 171

Popular Pages


p. 1

SINTUFESJORNAL DO Filiado à FASUBRA INFORMATIVO MENSAL DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA UFES – Nº 171 – SETEMBRO DE 2016 Assedio moraL: ouvidor agride TAE, e reitor não o exonera E mais: trabalhadora deixa de amamentar por conta de antidepressivo! Por mais que o Sintufes e a categoria lutem, o assédio moral é uma constante na Ufes. Um recente caso envolve o ouvidor- fala que eu te... -geral da instituição, que sofreu uma simples advertência, após uma sindicância apurar as agressões que ele cometeu contra um dos representantes dos TAE’s no Consuni. Foi isso mesmo que você leu: O OUVIDOR FOI ACUSADO DE ASSÉDIO E NÃO FOI EXONERADO PELO REITOR! Na Ufes dos absurdos, o cidadão que tem de ouvir e evitar conflitos agrediu deliberada- mente um trabalhador, em seu local de traba- lho, com diversos colegas assistindo ao as- sédio cometido pelo ouvidor da Instituição. E pasmem! O reitor o mantém no cargo. Outro caso grave de assédio foi com uma Ela ficou desgostosa do sonho que teve: trabalhadora, que é mãe, e FICOU SEM PODER de estudar, passar num concurso público e Seminário AMAMENTAR O SEU FILHO! Por conta do assé- atuar em uma instituição com estabilidade, Em meio a esses dois graves casos, a dire- dio que ela sofreu em seu local de trabalho, plano de carreiras etc. Tudo por causa do as- toria colegiada do Sintufes quer saber do mag- ela precisou fazer tratamento com psiquiatra. sédio que sofreu e ainda sofre. nifico reitor: ONDE ESTÃO OS ENCAMINHAMEN- E o remédio que ele receitou para depressão a BC. Na página 4 desta edição, leia sobre TOS DO I SEMINÁRIO DE ASSÉDIO MORAL NAS impossibilitou de amamentar o seu filho, redo- o assédio sofrido pelos os colegas da Biblio- RELAÇÕES DE TRABALHO? A DISCUSSÃO SOBRE brando o seu sofrimento. ISSO É MUITO GRAVE! teca Central. ASSÉDIO NÃO PODE TER FIM, SENHOR REITOR! Os casos de assédio Em novembro de 2015, o ouvidor chamou um dos representantes dos TAEs no Consuni de “moleque” e o ameaçou em frente a outras pessoas, sem declarar suas razões. Já a trabalhadora, assediada por sua chefe de setor, crê que há pessoas que trabalham como se a Ufes fosse um patrimônio privado. “Não estava sendo gerenciado para a universidade. Mas sim para garantir um exercício de poder. Tínhamos que pedir para usar materiais, imprescindíveis para realizarmos o nosso próprio ofício”. Confira na página do Sintufes a íntegra desses dois casos de assédio moral na Ufes. Rdeoi,“cIMaSdoeêrmaolisnTnraáeasrnbiocaRaleshmlooabi”çn?rõeheaAsmsdseeéndtioos INFORMES DA CIS Eleições da CIS: é tempo de lutar pelo PCCTAE P2ÁG. #FORATEMER Contra o ajuste fiscal só a greve geral ENSAIO PARA A GREVE Luta já vem P3ÁG. sendo feita pela categoria! P4ÁG.

[close]

p. 2

2 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br FALA, DIRETORIA! Assédio moral e político A Ufes é uma instituição de absurdos, onde o ouvidor assedia o trabalhador. O Brasil é o País dos absurdos, onde o presidente golpista, aposentado aos 55 anos e com uma singela aposentadoria de R$ 30 mil, se articula para aumentar o tempo de contribuição do trabalhador para 65 anos. E o que é pior: quer igualar o tempo de contribuição da mulher aos mesmos 65. Sem falar no ajuste fiscal que vai fazer sangrar o povo brasileiro. Para citarmos mais uns absurdos: um procurador da República diz que tem convicção de que o Lula foi um comandante de toda corrupção no País durante os anos em que o PT esteve no poder. Ele afirmou ter convicção, mas não ter como provar. Daqui a pouco o maluco beleza do Henri Cristo vai estar convicto de que é Jesus, já que um membro do MPF ignora a necessidade cabal de haver provas para se denunciar alguém. Eo Lula? Estáde brincadeira, né? “Por que todo ano, por mais ladrão que ele ( o político) seja, ele tem que ir pra rua encarar o povo e pedir voto. O concursado não. Se forma na universidade, faz um concurso e tá com um emprego garantido para o resto da vida”, declarou o ex-presidente em coletiva após ser denunciado pelo Ministério Público. Para começo de conversa, ladrão tem que estar na cadeia. Porém, caso seja julgado e condenado e com provas. Seja ele político, funcionário público, empresário. Não dá para relativizar “por mais que ele seja ladrão”. Além disso, o presidente ignora a dura realidade nossa aqui na Ufes por exemplo. Quanto assédio moral, quanta perseguição que nossos colegas sofrem. Há colegas deprimidos, estressados, pensando em largar o trabalho. Ouvir uma declaração dessas de que temos um emprego garantido é, no mínimo, ultrajante, repugnante. Só lembrando, pois jamais podemos nos esquecer o quão traíra foi o senhor Luis Inácio. Chegou ao poder e deu de costas para quem o levou até lá. É fácil ser concursado, né? Olha a situação dos colegas da Biblioteca Central que perderam sua jornada e veem o reitor omisso. É osso. É muito assédio moral e político. Precisamos seguir lutando! Diretoria Colegiada INFORMES DA CIS Eleições da CIS: qual é seu compromisso com o PCCTAE? Processo eleitoral já está aberto. Candidatos podem se inscrever até 30 de setembro Qual é o seu comprometimento com o seu plano de carreiras – o PCCTAE? A Ufes está vivendo um importante momento Sintufes, Ana Maria Hoffman. Segundo ela, a CIS realiza um trabalho junto ao sindicato e também com os representantes político que vai desencadear na definição dos dos técnico-administrativos nos conselhos su- novos representantes da categoria na Comis- periores da universidade. são Interna de Supervisão da Carreira da Ufes “É com essa articulação que lutamos por es- – a CIS/Ufes. paços onde vamos introduzir a discussão para “O processo eleitoral já foi divulgado pela aprovarnormasemedidasquevãoterinfluência ComissãoqueconduzaseleiçõesdaCIS.Então, direta na vida funcional da nossa categoria. Por convocamos as trabalhadoras e os trabalhado- isso é muito importante que todos que se candi- res a ficarem atentos a isso. É muito importan- datarem tenham essa compreensão e essa dis- te que os candidatos à CIS tenham noção da posição,poiséumatarefamuitodifícil”,explica. dimensão e da importância deste espaço de Os quatro membros titulares e quatro su- construção do aprimoramento da nossa carrei- plentesqueserãoeleitosficarãoàfrentedaCIS/ ra”, argumenta a membro da CIS e diretora do Ufes pelos próximos três anos. CONFIRA O CALENDÁRIO Inscrição dos candidatos Homologação e divulgação dos candidatos Interposição de recursos/candidato Inscrição de fiscais Data da eleição Divulgação do resultado parcial Interposição de recursos/Eleição Homologação da Eleição 19 a 30/09/2016 – Protocolo Geral Ufes/ Hucam/CCS e Secretarias de Adm. CCAE/ CCENS e Ceunes 03 de outubro de 2016 04 de outubro de 2016 Até 17 de outubro de 2016 25 de outubro de 2016 26 de outubro de 2016 27 de outubro de 2016 28 de outubro de 2016 JURÍDICO 3,17% Já calculou o valor do contador? O processo dos 3,17% segue sendo pago pela Justiça Federal. Mais de 80 já receberam nos últimos meses. Porém, há muitas pessoas que ainda não pagaram o valor cobrado pelo contador. E vale lembrar que o dinheiro só é liberado após o contador apresentar os cálculos à Justiça. Se você tem crédito a receber, entre em contato com o sindicato (273325-6450) para saber como fazer o pagamento ao contador. EXPEDIENTE: INFORMATIVO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NA UFES SINTUFES - Avenida Fernando Ferrari, s/nº, Campus Universitário, Vitória, ES - Tel: (27) 3325-6450. Fax: (27) 3227-4000. Subsede - Avenida Marechal Campos, s/nº , Campus de Maruípe, Vitória, ES - Tel: (27) 3335-7262. Fax(27) 3315-3444. Diagramação: Nova Pauta Comunicação. Tiragem: 1,5 mil exemplares. Os textos publicados neste jornal são de inteira responsabilidade da Diretoria Colegiada do Sintufes.

[close]

p. 3

JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br 3 QUE VENHA A GREVE GERAL! Classe trabalhadora reafirma sua disposição para lutar contra o ajuste fiscal e pelo Fora Temer em duas grandes manifestações em Brasília CRIMINALIZAÇÃO DA LUTA PRIVATIZAÇÃO REFORMA TRABALHISTA REFORMA DA PREVIDÊNCIA Areunião ampliada dos servidores públicos federais (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais - Fonasefe) com mais de 1 mil trabalhadoras/ es, aprovou a construção de uma greve geral para ser deflagrada até o mês de novembro. A decisão foi tomada na tenda montada na Esplanada dos Ministérios, no dia 14 de setembro, após dois dias de intensa manifestação na capital federal. A Fasubra reafirmou sua força para lutar, ressaltando que sua base já está em estado de greve, que é o caso do Sintufes, aprovado no dia 31 de outubro. Outras datas de luta foram aprovadas: paralisação nacional no dia 29 de setembro; e um dia unificado de lutas na segunda quinzena de outubro. “A construção da greve geral é a resposta da classe trabalhadora ao arrocho fiscal do governo golpista e do Congresso Nacional. Estamos dispostos, como sempre estivemos, a lutar contra tudo isso”, afirma a diretoria colegiada do Sintufes. Protestos Milhares de trabalhadoras/es e aposentadas/os ocuparam as principais vias de Brasília na noite do dia 12 e na manhã de 13 de setembro. Primeiro, cobraram a cassação do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que foi cassado por seus ex-colegas. FORA TEMER! Milhares de trabalhadoras/es tomam as ruas de Brasília rumo ao movimento paredista nacional Já no dia 13, pontos estratégicos da capital federal foram tomados por milhares de trabalhadoras/es reivindicando o FORA TEMER e o fim do ajuste fiscal (PEC 241 e PLP 257) e das reformas que visam penalizar os serviços públicos. “Banqueiros lucraram bilhões, grandes empresas poluidoras vêm tendo faturamento recorde, a auditoria da dívida pública não é feita, o déficit da Previdência é apregoado, mas a verdade é que ela é bastante lucrativa. Não vamos aceitar pagar essa conta. Vamos rumo à greve geral”, destaca a direção colegiada do Sintufes. Criatividade e irreverência do Sintufes são destaques O Sintufes, mais uma vez comprovou a sua versatilidade para lutar em favor da mudança desta conjuntura política e econômica do País. Foi o que se viu na marcha no dia 13 de setembro. Em meio a milhares de manifestantes de todo o País, trabalhadoras/es da Ufes com roupas de vampiro, com os cartazes vampirescos com o presidente golpista e a diretora do Sintufes Alvaléria Cuel vestida de Frozen foram destaques na imprensa nacional e chamaram a atenção na manifestação. “Somos um dos sindicatos mais criativos da base da Fasubra, sempre inovamos na arte enquanto elemento de transformação social”, frisa o coordenador-geral do sindicato, Wellington Pereira. Artes. Veja no site do Sintufes quem são os criadores das artes. Wellington: “é a arte usada enquanto elemento de transformação social” Projetos do ajuste A luta da classe trabalhadora é contra o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 241/2016 e o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/2016 (projetos do ajuste fiscal). A PEC prevê congelar os gastos públicos, em saúde e educação entre outros, por 20 anos. O 257 prevê a demissão de servidores públicos e o aumento de contribuição previdenciária do funcionalismo público. Já as propostas de reformas da Previdência e Trabalhista visam aumentar a idade das aposentadorias para homens e mulheres para 65 anos e a previsão de aumento da jornada para 12 horas de trabalho/dia, respectivamente.

[close]

p. 4

4 JORNAL DO SINTUFES | www.sintufes.org.br Disposição para o movimento paredista! Categoria já mostrou estar disposta para lutar em atos em agosto e setembro Sempre na luta. Seja na rua ou no saguão do Aeroporto, trabalhadoras/es mostram sua força reivindicatória No que depender da garra e da disposição, o Sintufes vai ser forte na greve geral que vem sendo construída. No tassem contra a proposta. Já na noite de 24 agosto, o sindicato pro- testou na abertura do 4º Congresso Brasileiro zadas assembleias no Hucam e em Goiabeiras com enfoque nas propostas que visam o ajuste fiscal do governo Temer (FORA!). dia 09 de agosto, diretores do Sintufes ama- Médico e Jurídico, em Vitória, onde esteve Ri- Em setembro, o Dia da Independência, 7, nheceram no Aeroporto de Vitória, onde parla- cardo Barros, ministro da Saúde do governo foi marcado pelo Grito dos Excluídos, no qual mentares embarcavam para Brasília. No ato, golpista. Pouco antes, no dia 16 do mesmo as/os trabalhadoras/es e aposentadas/os da eles panfletavam contra o PLP 257/2016, mês, a categoria promoveu o Dia de Mobiliza- Ufes reforçaram a marcha contra a destrui- cobrando que os deputados capixabas vo- ção rumo à greve geral, na qual foram reali- ção ambiental causada pela Samarco. Jornada da BC: reitor é obscuro e sem posicionamento Desde o final de abril, as/os trabalhadoras/es da Biblioteca Central (BC) da Ufes vêm passando por uma situação delicada que culminou com perda da jornada de trabalho ininterrupta do setor, amparada pelo Resolução 60/2012 da Ufes. E o reitor que poderia resolver a situação tomou atitudes obscuras. Em um dado momento, se dispôs a resolver. Dias depois, porém, ele deixou de fazer o que havia dito. E a situação seguiu o entendimento da Procuradoria da Ufes de que a BC tem que fazer as 08 horas diárias, conforme a ação movida no Ministério Público Federal (MPF) e a decisão da Justiça. “O reitor parece bipolar, fica obscuro, ora diz que é a favor da jornada, outrora não mantém sua posição. Falou que ia resolver. Tinha ido ao MP, à Justiça para colocar outros elementos na decisão. Mas aí aparece a nota técnica (da Procuradoria). A liminar (da Justiça mantendo a decisão e liberando corte de salários para quem reduzir a jornada), e ainda o assédio moral com ameaça de demissão de servidores que estão lutando por seus direitos. Ele não se posiciona, por quê?”, questiona o coordenador do Sintufes José Magesk. Qual a sua posição, rei? Explicite-se, magnífico! Sintufes na luta contra retorno de aposentados à Ufes Por falta de legislação específica, amparada por repentinas mudanças normativas por parte do governo, quase 40 aposentadas/os – a maioria da área da saúde, está sendo convocada para retornar ao trabalho, na Ufes. Para lutar contra mais este ataque, o Sintufes se reuniu com esse grupo de aposentadas/os no auditório do DDP, no campus de Goiabeiras, em Vitória, no dia 23 de agosto. O Sintufes explicou eles teriam de receber um comunicado oficial da Ufes, e que o telegrama que haviam recebido não tinha esse caráter. O sindicato disse que vai recorrer administrativamente. E, caso não surta efeito, entrará na Justiça Federal para tentar reverter essa convocação.

[close]

Comments

no comments yet