Ensino das Ciências Experimentais no 1º Ciclo

 

Embed or link this publication

Description

Experiências para realizar na Sala de Aula

Popular Pages


p. 1

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VIEIRA DE ARAÚJO ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! Professores responsáveis Maria José Ramalho Maria da Conceição Gomes Macedo Fernandes julho de 2012

[close]

p. 2

ÍNDICE ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! Introdução …………………………………………………………………………………. Metas do projeto…………………………………………………………………………… Objetivos do projeto ……………………………………………………………………… Objetivos específicos …………………………………………………………….. Atitudes científicas ………………………………………………………………………... Descrição geral do projeto ……………………………………………………………… Contextualização…………………………………………………………………… Intervenientes ……………………………………………………………………… Calendarização ……………………………………………………………………. Recursos ………………………………………………………..…………………. Avaliação…………………………………………………………………………………… Normas de segurança ……………………………………………………………………. Símbolos e rótulos de produtos ………………………………………………………….. Planificação de atividades ………………………………………………………………. Grelha de observação da experiência …………………………………………………… Grelha de registo de atividades por estabelecimento de ensino……………….…… Bibliografia ………………………………………………………………………………… Anexos: Fichas com experiências ……………………………………………………….. Guião para elaboração de um relatório científico ……………………………………… 3 5 6 7 8 10 11 11 11 12 13 14 15 16 28 29 30 31 59 SIGLAS PFEEC – Programa de Formação em Ensino Experimental das Ciências PE – Projeto Educativo CEB – Ciclo do Ensino Básico AEVA – Agrupamento de Escolas Vieira do Minho Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 2

[close]

p. 3

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! INTRODUÇÃO O programa de Formação em Ensino Experimental das Ciências (PFEEC) para professores do 1º Ciclo do Ensino Básico foi iniciado em 2006, pelo Ministério da Educação, tendo sido desenvolvido entre 2006 e 2010 (Despacho n.º 2143/2007, de 9 de Fevereiro e Despacho n.º 701/2009, de 9 de Janeiro), com um plano de formação contínua a nível nacional, com a produção de um basto conjunto de documentos especificamente para esse efeito. Este programa preconizava o reconhecimento do Ensino Experimental nos primeiros anos de escolaridade, fornecendo-lhes competências essenciais para o exercício pleno de uma cidadania informada e aumentar os níveis de literacia científica dos alunos. Simultaneamente promoveu um aprofundamento de conceitos e conhecimentos científicos por todos os docentes que estiveram envolvidos e tiveram a oportunidade de conhecer novas abordagens e metodologias específicas do Ensino Experimental. Ao formar melhor os professores pretendeu-se, em última instância, contribuir para a melhoria das aprendizagens dos alunos. Pessoalmente sentimos que ao frequentar esta formação ficamos com uma maior capacidade de desenvolver as Ciências Experimentais no 1º ciclo, pois apreendemos um basto conjunto de conhecimentos, enriquecidos pelo facto de ser uma formação muito prática em contexto de sala de aula. A palavra ciência vem da palavra latina scientia, que significa conhecimento. A ciência é uma política porque, segundo o cientista Latour, é fonte de poder, ou seja, ela tem a capacidade de convencer, interessar e mobilizar os seus intervenientes. Este autor nas suas obras e nos seus artigos expande a ligação das ciências com o resto da cultura e da sociedade. Ao longo dos séculos, através da ciência e dos seus intervenientes, muitos dos hábitos da Humanidade foram alterados e acontecimentos provocados, afetando inevitavelmente a vida das pessoas. Já com Arquimedes, 287-212 a.C., as descobertas científicas originavam momentos de euforia, dando origem, nesse caso específico à famosíssima expressão “Eureka, Eureka” (descobri, descobri!), com a descoberta do meio de determinar a massa volúmica dos corpos, tomando a água como termo de comparação, inventou diversos instrumentos desde a roldana e a alavanca, dedicandose com especial fervor à mecânica. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 3

[close]

p. 4

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! A invenção da impressa, de Gutenberg, no século XV, deu início ao longo processo de comunicação e transmissão de conhecimentos e informação, que nos permite estar presentemente a refletir sobre o papel da ciência na nossa vida. Os mares e oceanos foram navegados e explorados devendo às imensas invenções científicas muitas das descobertas alcançadas. As pesquisas sobre o Universo iniciaram-se com as invenções de Galileu Galilei, no século XVI, fundador da mecânica moderna e da física experimental, e depois com as investigações de Newton, no século XVII, cujos esforços no campo quer da matemática, que nas ciências foram sublimes. A invenção do telefone e posteriores meios de comunicação revolucionaram a vida quotidiana do ser humano. Serve esta introdução para aferir da importância da ciência, uma vez que é o conhecimento, ou conjunto de conhecimentos, e não uma fonte de julgamentos de valores subjetivos. A ciência é uma das maiores atividades humanas. É a contemplação da natureza, ou seja de tudo que nos rodeia e da qual fazemos parte. “O propósito da Educação em Ciência, enquanto componente da experiência educativa global de todos os jovens, é prepará-los para uma vida satisfatória e completa no mundo do século XXI. Mais especificamente, o currículo de Ciências deve: Estimular o entusiasmo e interesse pela ciência de modo a que os jovens se sintam confiantes e competentes para se envolverem com matérias científicas e técnicas. Ajudar os jovens a adquirir uma compreensão vasta e geral das ideias importantes e das bases explicativas das ciência e dos procedimentos do inquérito científico, que têm maior impacto no nosso ambiente e na nossa cultura em geral. Possibilitar o aprofundamento de conhecimento quando é necessário, quer por interesse pessoal dos alunos, quer por motivação de percurso profissional.” (in http://www.dgidc.min-edu.pt/outrosprojetos/index.php?s=directorio&pid=4 (28 de junho de 2012, 12:36) Pretendemos então, dar um novo alento à promoção das Ciências Experimentais no 1º ciclo, considerando que será uma área de grande motivação para os nossos alunos. Por este motivo batizamos o nosso projeto com o subtítulo de “Experimento… logo aprendo!”. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 4

[close]

p. 5

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! METAS DO PROJETO De acordo com as orientações emanadas pelo Ministério da Educação aquando do início do PFEEC, e articulando-as com os problemas identificados no PE de Agrupamento, pelo qual todos nos regemos, pretendemos com este trabalho contribuir para a resolução das evidências destacadas. Os problemas evidências destacados no PE do agrupamento são: a) Deficiente nível de relações interpessoais, com demonstração de indisciplina/atitudes incorretas, bem como pouca sensibilidade em relação às questões de ordem cívica, humanística e ambiental; b) Elevada taxa de insucesso aliado à falta de objetivos de vida escolar (“querer ser” e “querer progredir”); c) Baixo nível de expectativas dos alunos e dos pais em relação à Escola; d) Falta de métodos de estudo e de trabalho, escassez de hábitos de leitura e insuficiente domínio de formas de comunicação oral e escrita; e) Falta de acompanhamento por parte dos Pais e Encarregados de Educação; f) Carência de hábitos de higiene e de vida saudável; g) Abandono escolar precoce. Com este projeto pretende-se primordialmente criar novos hábitos de estudo e motivação no conjunto dos alunos, nomeadamente através da: - Criação de métodos de trabalho rigorosos e cooperativos; - Explicação científica de fenómenos naturais (como dissolução, flutuação, combustão e propriedades dos materiais, etc.); - Recolha, organização e representação de dados das experiências realizadas; - Recorrer à disciplina de Área de Projeto como forma de envolver todos os alunos do pré-escolar e do 1º ciclo; - Utilização dos recursos multimédia disponíveis nas escolas para desenvolver maior investigação, nomeadamente os quadros interativos; - Diversificação de atividades de acordo com os vários conteúdos programáticos. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 5

[close]

p. 6

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! OBJETIVOS DO PROJETO Segundo o Ministério da Educação a constituição do PFEEC teve como principais objetivos: 1. Aprofundar a compreensão dos professores do 1º CEB sobre a relevância de uma adequada Educação em Ciências para todos, de modo a mobilizá-los para uma intervenção inovadora no ensino das Ciências nas suas escolas. 2. Promover a (re)construção de conhecimento didático de conteúdo, com ênfase no ensino das Ciências de base experimental nos primeiros anos de escolaridade, tendo em consideração a investigação em Didáticas das Ciências, bem como as atuais Orientações Curriculares para o Ensino Básico das Ciências Físicas e Naturais. 3. Promover a exploração de situações didáticas para o ensino das Ciências de base experimental no 1º CEB, através do aprofundamento e/ou reconstrução de conhecimento científico e curricular. (In http://www.dgidc.min-edu.pt/outrosprojetos/index.php?s=directorio&pid=93, 02-07-2012) Com a implementação do projeto pretende-se contribuir para a prossecução dos seguintes objetivos gerais do PE do Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo (AEVA): - Desenvolver uma cultura de escola e de cidadania; - Desenvolver no aluno o gosto pelo trabalho individual e coletivo, de forma a promover o sucesso escolar e prevenir o abandono escolar; - Incentivar a utilização de práticas educativas inovadoras; - Incentivar o alargamento de horizontes, nomeadamente no que respeita ao conhecimento das realidades não apenas local, como nacional e internacional; - Promover o desenvolvimento das capacidades relacionadas com a inteligência divergente, como a imaginação e a criatividade; - Apetrechar a escola com meios adequados, otimizando espaços adequados às necessidades dos alunos; - Motivar os professores, pessoal não docente, pais e encarregados de educação, promovendo o seu empenho; - Reforçar os laços de solidariedade entre toda a comunidade educativa, através de atividades que mobilizem os saberes de uns, reforçando os saberes dos outros, unidos num projeto comum em que a grande referência seja a Escola como um todo. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 6

[close]

p. 7

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! Objetivos específicos Estabelecemos igualmente alguns objetivos específicos do projeto, que são os seguintes: - Adquirir e aprofundar conhecimentos sobre a temática das ciências, articulando com os conteúdos programáticos do currículo do 1º ciclo; - Fomentar o gosto pelas ciências nos alunos em geral; - Diversificar estratégias de atuação em contexto de sala de aula, como forma de motivação geral dos alunos; - Impulsionar a experimentação e observação de fenómenos do quotidiano, facilmente explicáveis com termos científicos; - Desenvolver o trabalho colaborativo; - Desenvolver a compreensão de conceitos; - Promover o uso de vocabulário de forma natural e quotidiana pelos alunos, de acordo com as experiências realizadas; - Desenvolver o pensamento crítico, dedutivo e criativo dos alunos; - Sistematizar o método experimental/metodologia científica no 1º ciclo; - Fomentar a observação e descrição; - Desenvolver o espírito científico dos alunos e o gosto pela investigação; - Contribuir para que o ensino experimental se incorpore na rotina quotidiana; - Contribuir para que os alunos cresçam como cidadãos participativos na sociedade atual. Antes de qualquer objetivo pessoal e específico este documento deverá servir para melhorar e diversificar o trabalho junto dos alunos, sempre considerando a envolvência do professor e a sua capacidade de os mobilizar para a temática das Ciências. A implementação deste programa pretende valorizar uma articulação pedagógica curricular entre ciclos de ensino, no seguimento das recomendações evidenciadas nas orientações curriculares e pedagógicas do Ministério da Educação e dos diversos documentos oficiais, sendo igualmente uma das prioridades educativas deste Agrupamento de Escolas (AEVA). Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 7

[close]

p. 8

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! ATITUDES CIENTÍFICAS Simultaneamente deverão ser desenvolvidas várias atitudes científicas, que são transversais a outras áreas do saber, contribuindo no seu todo para o desenvolvimento emocional dos discentes. Estas atitudes facilitam a aquisição de hábitos de estudo, promovendo a autonomia e o sentido de responsabilidade. Através das atividades de ciências poderão ser promovidas oportunidades para desenvolver atitudes e qualidades pessoais dos alunos, essenciais enquanto cidadãos. - Curiosidade, através das experiências a generalidade das crianças desenvolve o espírito de curiosidade, pois vai seguir todo um conjunto de etapas necessárias para concretização da desejada experiência. É importante aproveitar esta curiosidade pelo desconhecido para a aprendizagem. Neste sentido, o docente tem a tarefa de estimular os alunos para alimentar essa curiosidade, quando colocam as suas questões que deverão ser consideradas, e após as experiências validadas. Nas atividades de ciências é de extrema relevância o questionamento, sendo uma das mais importantes atitudes científicas que deve estar presente na aprendizagem da ciência. - Respeito pela evidência, que se verifica pela capacidade que as crianças revelam na identificação das evidências em consonâncias com as suas próprias ideias. Para fomentar esta atitude é essencial que sejam capazes de descrever e explicar o que observam, para que compreendam que as suas ideias só poderão ser validadas através da existência de evidências consistentes. - Espírito de abertura, é de extrema importância que os alunos aceitem novas ideias, sendo uma das condições basilares para a evolução do conhecimento científico, pois essa abertura permite que novas explicações científicas reformulem outras. - Reflexão crítica, sendo necessário ouvir as ideias e opiniões dos outros, valorizando o que os outros sugerem, pois devem perceber que ideias diferentes das suas poderão ser úteis e muito importantes. Outro aspeto a realçar é a necessidade de os alunos entenderem a possibilidade de mudar de ideias e opiniões quando surgirem outras que melhor se ajustam às evidências verificadas entretanto. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 8

[close]

p. 9

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! - Perseverança, sendo indispensável uma motivação sistemática dos alunos, levando-os a perceber que a capacidade de persistir é essencial para alcançar os objetivos determinados e verificar se as hipóteses estavam corretas. Neste sentido, é função primordial incentivar os alunos em todas as etapas e tarefas, evidenciando os aspetos positivos e reforçando os elogios nos esforços efetuados. - Espírito de cooperação, nas atividades de experimentação é primordial a existência de um espírito de partilha, ajuda e colaboração, dinamizando-se atividades que promovam o diálogo e a troca de ideias e opiniões. Para desenvolver estas atitudes é primordial ter consciência do modo como se organiza a turma para ensinar ciência, devendo as atividades serem organizadas pelo professor, considerando a intervenção dos alunos como fundamental no ensino e aprendizagem da ciência. As atividades propostas devem ir ao encontro dos interesses dos alunos e situações ou problemas que apresentam, devendo o professor ter como ponto de partida essas ideias, interrogações e dúvidas para partir, posteriormente, para a experimentação. Desta forma tenderá a aumentar a motivação e curiosidade dos alunos. As atividades deverão ser, geralmente, realizadas em grupo, favorecendo a partilha e colaboração entre pares. Não existe um número previamente determinado para as atividades, dependendo das idades das crianças e da experiência que cada grupo já possui neste tipo de metodologia de trabalho. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 9

[close]

p. 10

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! DESCRIÇÃO GERAL DO PROJETO O projeto que nos propomos implementar contém duas vertentes, uma científica, partindo sempre de uma situação problemática, uma questão geradora, sobre a qual se desenvolverá todo o processo de experimentação, por outro lado, existe uma vertente pedagógica que pretende fazer a transversalidade com os conteúdos desenvolvidos em contexto de sala de aula, permitindo a sua verificação experimental. Procedimentos gerais: Existe um conjunto de processos científicos a seguir no processo experimental: a) Observar, que implica a utilização de vários sentidos. Neste processo o professor deverá ajudar os alunos a focalizar nos detalhes e no todo; os alunos identificam pormenores, semelhanças e diferenças. b) Classificar, depois de analisar os vários materiais deverão agrupá-los segundo o que lhes parece mais lógico. c) Seriar, as crianças devem ser estimuladas a determinar critérios de seriação. d) Inferir, dando significado às observações efetuadas, explicando o que vê. e) Elaborar hipóteses, produzindo explicações genéricas na tentativa de identificar um padrão geral a partir das observações. f) Prever, é no fundo tentar explicar o que se espera que aconteça com base nas inferências realizadas em outros contextos. g) Experimentar, verificar se as previsões se concretizam, sugerindo possíveis contrariedades ao longo da experimentação. h) Organizar dados, fazer os registos de cada etapa da experiência através de preenchimento de tabelas/grelhas ou realização de desenhos. i) Interpretar dados, fazendo a comparação entre as hipóteses previamente estabelecidas e as conclusões da experiência. Os alunos terão de identificar o problema, dependendo da faixa etária, serão auxiliados nessa tarefa. Deverão questionar o que pretendem mudar e registar os dados através de tabelas, quadros, gráficos e outros modelos de registo. Nesses registos formularão as hipóteses (o que pensam que vai acontecer e porquê), depois de realizar a experiência deverão descrever o que aconteceu e verificar se as hipóteses se confirmaram ou não. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 10

[close]

p. 11

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! Contextualização O AEVA, foi criado de acordo com a organização específica do concelho de Vieira do Minho, enquadrando-se na denominação de Agrupamento Vertical, uma vez que integra escolas dos seguintes níveis de ensino: Educação Pré-escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário. O contexto em que se enquadra é rural, onde se multiplicam situações de emigração dos habitantes das várias aldeias, principalmente para países europeus. O projeto é específico para o 1º ciclo, todavia, sempre que possível deverá ser reforçada a articulação entre ciclos, com a participação dos alunos do Pré-escolar, principalmente os grupos de 5 anos de idade. Intervenientes - Alunos do ensino pré-escolar (sempre que possível e com grupo dos 5 anos); - Alunos do 1º ciclo do ensino básico; - Professora coordenadora do projeto e outros elementos da equipa; - Todos os docentes titulares de turma; - Professores de outros ciclos, que poderão colaborar em determinadas atividades/experiências. Consideramos primordial incluir os alunos do Ensino Pré-escolar pois o Ministério também já estabeleceu metas de aprendizagem para esse nível de ensino, considerando-a como a primeira etapa de todo o processo educativo. Essas metas serão consideradas na organização e planificação do projeto. Calendarização No que se refere à calendarização e recursos utilizados estes obedecem a uma planificação temática por faixas etárias e de acordo com os conteúdos programáticos. As atividades experimentais deverão ser realizadas no tempo letivo destinado à Área de Projeto, numa sala destinada para a Ciência, na escola dos alunos, de forma que nunca tenham de se deslocar da sua própria escola. Os planos apresentados são uma orientação de trabalho, não impedindo que cada professor reforce o trabalho experimental com outras experiências e com uma sequência diferente da apresentada, atendendo as particularidades de cada grupo de alunos. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 11

[close]

p. 12

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! Recursos - Equipamento informático disponível nas escolas; - Quadros interativos - Formulários das atividades experimentais - Formulários dos relatórios das atividades experimentais - Cópias e material de desgaste - Variado material reaproveitado, de acordo com cada atividade experimental - Dossiê com todos os registos das atividades experimentais realizadas por cada escola, nomeadamente grelhas de observação e de realização de todas as experiências Todas as experiências apresentadas podem ser sujeitas a alterações, não sendo imperativo seguir a ordem sugerida, podendo cada docente realizar outras, que considere relevantes para complementar conteúdos. Foi considerado de extrema relevância a utilização dos manuais e livros de experiências dos alunos, tentando-se minimizar o gasto de material de desgaste, usando os materiais existentes e recorrendo o mínimo às fotocópias de fichas. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 12

[close]

p. 13

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! AVALIAÇÃO O projeto será desenvolvido em todas as escolas e avaliado através da elaboração de um registo após cada experiência, descrevendo a forma como decorreu e detetando possíveis falhas, para posterior retificação. A equipa sugere uma transversalidade dos temas das atividades experimentais a todas as áreas, ficando ao critério de cada docente a sua aplicabilidade. As experiências terão uma grelha de observação, que o professor acompanhante deverá preencher, identificando possíveis lacunas, imprevistos, problemas durante a atividades experimental, assim como registará o nível de interesse, participação e motivação do grupo de alunos e cumprimento de objetivos. Todas as atividades serão avaliadas e a equipa do projeto elaborará trimestralmente um relatório sobre a evolução do mesmo, com base nas grelhas de observação e nas fichas de registo realizadas pelos alunos aquando da realização das experiências. Ao longo do ano letivo poderão ser feitas ajustes pontuais ao projeto, ajustando às características das turmas/escolas. Pretende-se igualmente criar um blogue destinado à divulgação das atividades do projeto, para que toda a comunidade educativa tenha conhecimento das atividades desenvolvidas. No final do ano será elaborado uma reflexão crítica e factual do desenvolvimento projeto, apontando os pontos fortes e estratégias de melhoria. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 13

[close]

p. 14

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! NORMAS DE SEGURANÇA Ao realizar qualquer uma das experiências propostas deverão seguir sempre um conjunto de normas de segurança. 1- Nunca realizar as experiências sem a presença de adultos. 2- Não comer, beber na zona onde se realizam as experiências. 3- Realizar as experiências respeitando as regras estipuladas pelo professor orientador das mesmas. 4- Não mexer em materiais ou substâncias desconhecidas. 5- Ouvir com atenção as instruções e expor as dúvidas antes de iniciar as experiências. 6- Evitar o contacto com produtos químicos com a boca e os olhos. 7- Nas experiências mais perigosas devem usar luvas de látex. 8- Lavar sempre as mãos depois do trabalho experimental. 9- Os materiais usados nas experiências devem ser sempre guardados e mantidos longe do alcance das crianças. 10-O local de realização das experiências deve ser iluminado e ventilado, possuindo também uma torneira com água. 11-Lavar e arrumar todos os materiais usados durante as atividades experimentais. 12-Todos os alunos participantes nas experiências devem seguir as etapas de acordo com o plano da experiência. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 14

[close]

p. 15

ENSINO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS NO 1º CICLO Experimento… logo aprendo! SÍMBOLOS E RÓTULOS DE PRODUTOS tóxico- Evitar o contacto com o corpo humano, através da inalação (cheiro), ingestão ou absorção pela pele. inflamável - Manter os produtos afastados das chamas ou fonte de calor. radioativo - Evitar o contacto com o corpo humano, através da inalação (cheiro), ingestão ou absorção pela pele. corrosivo – Evitar o contacto com a pele, olhos e vestuário. explosivo – Evitar o choque, a fricção e a exposição a temperaturas elevadas. nocivo ou irritante – Evitar o contacto direto com o corpo humano. Agrupamento de Escolas Vieira de Araújo Página 15

[close]

Comments

no comments yet