Jornal Conecta Baixada - 21ª Edição

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Conecta Baixada - 21ª Edição

Popular Pages


p. 1

Recicle informação. Passe este jornal para outro leitor. 995-75-4545 www.conectabaixada.com.br 2016 A INFORMAÇÃO VAI ATÉ VOCÊ BAIXADA FLUMINENSE 2 a 15 de Setembro ANO 2 - N° 21 Distribuição gratuita Reprodução da Internet PREFEITURAS POBRES, PREFEITOS RICOS TRÊS CANDIDATOS À REELEIÇÃO NA BAIXADA TIVERAM AUMENTO DE PATRIMÔNIO. Páginas 6 e 7 BRIGA DE PODERES SEM SAÚDE E SEM ESCOLA EM MEIO À DISPUTA ENTRE VEREADORES E PREFEITO DE JAPERI, POPULAÇÃO SOFRE COM FECHAMENTO DE UNIDADES DE SAÚDE E COLÉGIOS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL. Página 2 INSEGURANÇA PÚBLICA ÍNDICES DE VIOLÊNCIA EXPLODEM NA BAIXADA Agência Brasil CULTURA ABANDONADA Lélio Neto/Conecta Baixada JOGOS SILENCIOSOS PARCERIA PROMOVE INCLUSÃO PELO ESPORTE Reprodução Estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram aumento da criminalidade na região. Página 4 INACABADA, OBRA VIRA PASTO EM MESQUITA Apesar de já ter recebido R$ 889 mil do Ministério da Cultura, Centro de Artes Unificados (CEUs), em Santo Elias, só serve de abrigo para animais e usuários de drogas. Página 3 Alvo da Luta e AVD se unem para buscar títulos em jogos para surdos, no mundial da Turquia. Página 12 Mantenha sua cidade limpa. Não jogue papel no chão.

[close]

p. 2

POLÍTICA 2 BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR DE OLHO NO VOTO BRIGA DOS PODERES EM JAPERI FECHA POSTOS DE SAÚDE E ESCOLAS Reprodução/Facebook Servidores públicos e representantes da sociedade civil organizada de Japeri fazem protesto contra a recusa dos vereadores em votar a suplementação orçamentária, que parou a cidade Davi Boechat davi.boechat@conectabaixada.com.br Mesmo com dinheiro em caixa, a prefeitura de Japeri suspendeu no dia 26 de agosto as aulas e o atendimento médico nas redes municipais de Educação e Saúde. Essas são as pastas mais prejudicadas pelas medidas do prefeito Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, que alega não poder manter as contas em dia devido à baixa suplementação orçamentária aprovada no início desse ano. O acréscimo às verbas disponíveis para a administração municipal foi de apenas 2%. A suplementação orçamentária é um trâmite legal, aprovado apenas pelo Legislativo, que permite ao executivo aumentar os gastos previamente estipulados. "Não temos como adquirir medicamentos necessários para o atendimento nas unidades de saúde, comprar a merenda escolar, fazer a coleta de lixo, e cumprir com os compromissos assumidos com nossos fornecedores. A população de Japeri não merece este sacrifício”, comentou Timor. O projeto de lei proposto por Timor, que prevê um reforço de mais 5% no orçamento para 2016, está atravancado na Câmara de Vereadores há dois meses. De acordo com o estudo realizado pela equipe técnica do executivo, o valor de aproximadamente R$ 9 milhões, seria suficiente para a manutenção dos serviços até o fim do ano. Manifestações favoráveis à suplementação orçamentária estão sendo realizadas desde o anún- cio dos cortes. As mobilizações suscitam um suposto embate político entre os poderes. A tese também é defendida por Humberto Motta, procurador-geral de Jeperi: "É a teoria do caos. Quanto pior, melhor. Fica claro e incontestável que esta atitude prejudica toda a população. Desta forma os vereadores japerienses pretendem colher os louros do possível insucesso da administração pública, mesmo que às custas da população", relatou. Nos corredores políticos da cidade cogita-se que os trabalhos da Câmara serão reabertos, após o recesso legislativo, com a discussão da proposta. Mas nenhum vereador confirma. Procurada pela reportagem do Conecta bauixada, a Câmara de Japeri informou que não dispõe de assessoria de imprensa. Com isso, apenas o presidente da Casa, Célio de Melo (PSB) poderia falar sobre o caso. No entanto, por estar envolvido na campnaha pela sua reeleição, Melo não foi encontrado para falar sobre o caso. LEGISLANDO EM CAUSA PRÓPRIA Antes de atravancar o pedido de suplementação e entrar em recesso, os vereadores aprovaram o aumento em seus salários. Os vencimentos saltaram de R$ 8.680,00 para R$ 10.500,00 e passam valer na próxima legislatura. O reajuste foi vetado por Timor, que alegou inconsti- tucionalidade no processo. "Estamos atravessando um momento muito difícil no país. De acordo com os veículos de imprensa, mais de 63% dos municípios não conseguem pagar a folha do funcionalismo público. Japeri nunca atrasou o pagamento dos seus servidores. Temos várias prioridades, que incluem a saúde, o saneamento básico e a educação, entre outros. Particularmente, considero o aumento aprovado pela Câmara de Vereadores abusivo, ele foi votado a revelia, sem um prévio estudo de impacto de viabilidade financeira, e sem pensar no bolso do cidadão japeriense”, comentou o prefeito. Neste ano, o repasse mensal da prefeitura destinado a Câmara, foi de R$ 500 mil mensais. O total anual de R$ 6 milhões, com o aumento, precisará ser revisto, segundo o executivo do município informou em nota.

[close]

p. 3

BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR CULTURA AO DEUS DARÁ 3 GERAL Lélio Neto/Conecta Baixada OBRAS DE CENTRO O terreno de 3 mil metros virou pasto e ponto de consumo de drogas CULTURAL ABANDONADAS EM MESQUITA Leilane Oliveira leilane.oliveira@conectabaixada.com.br Aenferrujada estrutura metálica que deveria abrigar o Centro de Artes Unificados (CEUs) é prova do abandono a que foi relegada o setor de Cultura na gestão Rogelson Sanches de Fontoura, o GG. Apesar de ter recebido do Governo federal recursos na ordem de R$ 2 milhões para erguer o espaço, o terreno esta tomado por lixo e parte do imóvel virou abrigo de animais. De acordo com o projeto original, que previa a construção de uma sala multiuso, bibliote- ca, telecentro, auditório com previsão de ser con- com capacidade para 60 cluída em seis meses, a lugares, quadra polies- obra foi abandonada. O portiva, pista de skate, que gera revolta entre os equipamentos de ginás- moradores. É o caso de ticas, playground e pista Carlos Alberto Ferreira, de cami- de 56 anos: nhada no "Foram rbdcbptcPqmeiaosolaouaomiipmmirdcnlaroaeodefrcpmbçndarrolcrorleatueotoaodSdatgmsm,proeadãadooúsenn3ooases.--thomaroErMulRaimaMdUEsoRCePNIrds$NeAUeIpOsCiIS8aLxSdçÍST8VaooTP-9AUAÉI.DRLO9RnfdOO7AoAIohFr8ROnioaAPO,n"as9O,EdDI,d5daLaDAeaOsssEaeeebsgtatoufrarnu.nmpSnrppaddtooaoebooueoumg,suarrditaatnoodefodj.osdosoiaiqcsdTnogabfuvoauhannoaiielmddzdeoanamsiiooesr-----. para lazer e cultura. mosquitos Aedes aegypti, Iniciada pela administra- que transmite Dengue, ção municipal em 2013 e Zika e Chicungunha. Outra questão levantada pelos vizinhos é que a estrutura passou a ser invadida por pessoas que consomem drogas no espaço e praticam assaltos no entorno, sobretudo, num ponto de ônibus próximo. A equipe do Conecta Baixada, esteve no local e registrou a indignação dos moradores do bairro e também de usuários da via. Até o final do fechamento a prefeitura não respondeu sobre a mensagem enviada sobre a questão. Segundo o Ministério da Cultura (MinC), a obra foi suspensa no final de 2015, por problemas com a Urbani- zadora Agaelles Ltda, responsável pelo trabalho. A prefeitura, ainda segundo o MinC, estaria providenciando nova licitação para contratação de outra empresa "para conclusão dos serviços. Ainda não há previsão para a retomada e término das obras". O Ministério da Cultura esclareceu também que "repassa as verbas e acompanha a execução do contrato por intermédio da Caixa Econômica Federal (CEF)". Do valor total previsto, de R$ 2.280.032,96, o MinC já repassou à prefeitura R$ 889.978,95. Procurada pela reportagem, a prefeitura não respondeu.

[close]

p. 4

GERAL 4 BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR INSEGURANÇA PÚBLICA VIOLÊNCIA EXPLODE NA BAIXADA Marcelle Bappersi marcelle.bappersi@conectabaixada.com.br Enquanto as aten- ções estavam voltadas para a segurança no Rio, cida- de sede dos Jogos Olím- picos, os municípios da vizinha Baixada Flumi- nense batiam recordes de violência. É o que re- velam as estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP), que apon- tou em julho passado o aumento no número de registros de vários tipos de crime na região. Em toda a Baixada 2.234 pessoas foram roubadas, 292 coletivos assaltados, 1.037 carros levados e 142 pessoas foram assassinadas, 45 a mais do que foi con- tabilizado em julho de 2015. O que representa crescimento de 46,3%. As estatísticas ainda revelam que Mesquita, Nilópolis e Nova Igua- çu, cidades que são pa- trulhadas pelo 20º BPM (Mesquita). Os roubos de rua - soma dos registros de roubos a transeuntes, coletivos e celulares- nesses - nos três muni- cípios saltaram de 564 para 1.121. O que re- presenta um aumento de 98,75% em compa- ração a julho de 2015, o maior de toda Baixa- da Fluminense. O que aumentou também foi o número de veículos roubados, que subiu de 265 para 393, o que re- sultou um crescimento de 48,30%. Na mesma época em que o Estado foi impe- dido de reduzir o efe- tivo e munição do 20º BPM (Mesquita) para dar suporte à seguran- ça do Rio durante os Jogos Olímpicos, o nú- mero de homicídios dis- parou. Foram 45 mor- tos, enquanto julho de 2015 registrou 25 mortes. Três deles eram policiais militares. E para discutir sobre os reflexos da violência na Baixada e possíveis soluções, serão montadas mesas de debates na Diocese de Nova Iguaçu, no dia 3 de setembro, às 9h. O evento será o pré-lançamento de um documento, criado para denunciar o descaso do poder público com a população da região e contará com a presença do bispo diocesano iguaçuano dom Luciano Bergamin. A Polícia Civil também criou um novo canal para facilitar o registro das ocorrências pela internet. Com o aplicativo, lançado no fim de agosto, as vítima podem dispensar a ida à delegacia para escolher entre comunicação e ocorrência, extravio de documentos, denúncia de bairro, entre outros. De acordo com a PC, a intenção é facilitar e oferecer praticidade para os cidadãos. Números apontam tendência de alta Um dos números que mais impressionam na crescente do crime na Baixada Fluminense é de roubos em ônibus. Conforme mostrou o site do Conecta Baixada, essa modalidade criminosa teve, em junho, aumento de 41,34% em relação ao mesmo mês de 2015. O comparativo mostrou saltaram de 174 para 355 registros. De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP) do estado, os municípios de Queimados, Duque de Caxias e Magé aparecem nas estatísticas com o maior índice. Reprodução Um dos crimes que apresentou crescimento foi o de homicídios, que saltou de 97 para 142 , um aumento de 46,3%

[close]

p. 5

BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 5 GERAL CONEXÃO GERAL Davi de Castro davi.castro@conectabaixada.com.br JUSTIÇA TRABALHISTA E FEDERAL PARA MESQUITA Trazer serviços da justiça trabalhista e federal para Mesquita virou bandeira de luta do candidato a prefeito, Jorge Miranda (PSDB), e do seu vice, Waltinho Paixão (PROS). O objeti- Bruno Santos/Divulgação vo é fazer com que projetos que o ex-prefeito José Paixão idealizou para o município, sejam resgatados e implantados. Tudo já estava pronto, mas com a morte de Paixão, os sucessores não deram con- tinuidade ao projeto. De braços cruzados, o atual prefeito, assistiu os serviços forenses voltarem para Nova Iguaçu. Todavia, depois de manifestações com a participação de Waltinho, lideranças co- munitárias e advogados, os serviços das varas cíveis, criminais, de família e os juizados especiais voltaram ao Fórum mesquitense. SOFRIMENTO Waltinho Paixão disse que assiste com profunda tristeza, trabalhadores, pessoas idosas, pais e mães de família, madrugarem nos pontos de ônibus, com destino ao Fórum de Nova Iguaçu, em busca de atendimento trabalhista. SEM JUSTIÇA Dona Jandira Fragoso da Silva, de 67 anos, reclamava na semana passada, dizendo não entender como uma cidade emancipada não tem Justiça do Trabalho. Ela estava em busca da Defensoria Pública na área federal. SEM DINHEIRO O pedreiro Sebastião José Gouveia, de 74 anos, também ajuda a engordar a lista de reclamações. Diz que não tem condições de pagar advogado e nem o dinheiro de passagem para ir ao Fórum de Nova Iguaçu. INSATISFAÇÃO CONTRA O PREFEITO Nas ruas, a insatisfação do povo cresce contra atos praticados pelo governo Gelsinho, cuja gestão está chamuscada por uma enxurrada de críticas, que vão desde a repercussão da investigação de enriquecimento ilícito a processos sobre desvio de brinquedos recebidos da Receita Federal para serem distribuídos às crianças. Nas ruas se fala também das pinturas para embelezar ruas do centro, como forma de ludibriar a população, enquanto a periferia continua abandonada. É MOLE!!?? Por obra e graça de Washington Quaquá, prefeito de Maricá e presidente do PT no Rio, os rivais políticos Artur Messias e André Taffarel, estão juntos. Candidato a prefeito e vice, eles têm de sorrir diante do povo. HORA DO BOTE Nos municípios da Baixada, a campanha eleitoral ainda está muito tímida. Candidatos endinheirados estão esperando a reta final, que é a ultima semana, para atacar o eleitor. Mas já tem cesta básica e botijão de gás rolando por ai... CARA NOVA A campanha deste ano está com uma cara nova. Ou seja, o eleitor não está animado e parece muito escaldado com os escândalos políticos. Observa-se a tendência de que ele vai votar em quem nunca foi candidato.

[close]

p. 6

GERAL PREFEITURAS POBRES, PREFEITOS RICOS 6 7BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR GERAL Fotos: Reprodução da Internet RIQUEZA DESPROPORCIONAL Rodrigo Melo rodrigo.melo@conectabaixada.com.br Enquanto o bolso dos candidatos à reeleição na Baixada Fluminense vai muito bem, obrigado, os municípios ainda sofrem com dívidas. A má administração do dinheiro público não equivale ao patrimônio pessoal dos prefeitos. O prefeito de Mesquita, Rogelson Sanches Fontoura, o GG, faz parte do time de administradores que vão tentar a reeleição, em 2016. Rogelson fez uma boa gestão de seus próprios bens, que tiveram aumento de 312% após quatro anos de mandato. Em 2012, quando foi candidato à prefeitura de Mesquita, GG declarou R$ 156 mil em bens. Ao todo, nove veículos. Já em 2016, ano em que Rogelson tenta a reeleição, foi declarado R$ 642,7 mil. Se antes nenhum imóvel tinha sido declarado, atualmente são dois em nome do prefeito. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), GG possui uma casa localizada na Califórnia, bairro nobre de Nova Iguaçu, avaliada em R$ 132,6 mil e um sítio em Gleba J, em Pi- raí, avaliado em R$ 200 mil. Além dos imóveis e um novo veículo avaliado em R$ 150 mil, Rogelson também adquiriu 50% da empresa Gedan Prestação de Serviços, no valor de R$ 50 mil. Os outros 50% estão em família. A deputada estadual Daniele Guerreiro (PMDB), esposa de GG, que declarou R$ 1 milhão em bens nas eleições de 2014, tem em seu nome a outra parte da empresa. Na noite do dia 31 de agosto um vídeo postado em um perfil do Facebook mostrou imagens de propriedades que pertenceriam a Gelsinho, entre elas uma fazenda em Piraí e uma mansão em Nova Iguaçu. Muro milionário Candidato à reeleição em Nilópolis, Alessandro Calazans (PMDB) é um dos milionários da Baixada Fluminense. Na política há mais 10 anos, o prefeito de Nilópolis não chama atenção só pela vontade de isolar com barreiras o município, mas pela boa administração de seu patrimônio. Em 2006, quando Calazans disputou o cargo de deputado estadual, declarou R$ 583,7 mil em bens. Tentando continuar a frente de Nilópolis, Calazans tentará a reeleição este ano. Em 2012, quando disputava a prefeitura, Alessandro declarou R$ 1 milhão em bens. Quatro anos depois, o prefeito aumentou o patrimônio para R$ 1,9 milhão, cerca de 225% a mais. Sem redução Em agosto de 2015, Nelson Bornier(PMDB) sancionou uma lei que reduziu os salários de comissionados e cargos de confiança da prefeitura de Nova Iguaçu em 10%. Com a promessa de vigência de até dez meses, a lei está em execução até os dias atuais. De acordo com informações, Bornier também teve seu salário reduzido para R$ 13,4 mil (30%). Tentando o quarto mandato em Nova Iguaçu, Nelson Bornier não declarou bens em 2012, quando foi eleito com 207 mil votos. Em 2016, Bornier anunciou um patrimônio de R$ 1,4 milhão em bens. Quando tentou o cargo de deputado federal, em 2010, o prefeito revelou um patrimônio de R$ 426,3 mil. Em seis anos, seus bens tiveram um aumento de 228%. RIQUINHO DA BAIXADA Com um patrimônio de R$ 26 milhões, Charlinho (PMDB) é o candidato com maior patrimônio da Baixada Fluminense. O ex-prefeito da cidade tenta o terceiro mandato. Com um aumento de 550% desde 2008, quando estava em seu segundo mandato, Charlinho tenta a reeleição este ano. Em contrapartida, Carlos Vilela, pupilo do prefeito Max Lemos, de Queimados, tenta se eleger no município. Enquanto Max declarou R$ 1,1 milhão, em 2012, Carlos anunciou apenas R$ 17 mil em bens.

[close]

p. 7

EMPREENDEDORISMO ARTIGO CINCO EM CADA 10 QUEREM ABRIR NEGÓCIO DEPOIS DA APOSENTADORIA 8 BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR A BAIXADA NO MAPA DOS BONS NEGÓCIOS Fotos: Renato Ferreira/Conecta Baixada Do Brasil247 - Abrir o próprio negócio é uma das opções mais cogitadas pelos profissionais sobre o que fazer após encerrar suas atividades no mercado de trabalho. O dado é parte da Pesquisa dos Profissionais Brasileiros da Catho – que traça um panorama sobre a contratação, demissão e carreira dos profissionais do País. O que eles querem fazer: Negócio próprio - 0,10% Consultor - 20,20% Autônomo - 15,10% Não trabalhar mais - 7% Outro - 6% Não fazer nada - 1,60% De acordo com dados da última pesquisa, que foi realizada em 2015, há um aumento na preferência por atuar como consultor independente, se comparado com 2014 (de 18,4% para 20,2%). Do total de pessoas que participaram dessa edição da pesquisa, 15% pensam em trabalhar como autônomos, o que mostra que a preferência pela modalidade permaneceu igual, se comparado com dados de 2014. Houve um pequeno aumento, entretanto, no percentual de pessoas que pretendem se aposentar e não trabalhar mais (de 6,8% para 7%). Apenas 1,60% dos entrevistados disse- ram que não pretendem fazer nada após encerrar a carreira, o que permaneceu igual se comparado à pesquisa de 2014. A pesquisa revelou também a idade em que os profissionais pretendem deixar o mercado de trabalho. De acordo com o estudo, a faixa etária média em que a maior parte das pessoas pensa em se aposentar é dos 60 aos 69 anos de idade. Em contraponto, 20,2% dos entrevistados afirmaram que pretendem parar de trabalhar com 75 anos ou mais, o que mostra uma pequena diferença com relação à pesquisa de 2014 (18,6%). Já, uma pequena parcela dos respondentes ( 4,1%) pensa em encerrar suas atividades antes dos 50 anos, o que em 2014 representava um percentual de 5,2%. Pesquisa dos Profissionais Catho A Pesquisa dos Profissionais Brasileiros - Um Panorama sobre a Contratação, Demissão e Carreira dos Profissionais é uma publicação da Catho, site de empregos líder no Brasil, desde 1988. Originalmente lançada a cada dois anos, passou a ser anual em 2013. Luiz Cotrik (detalhe) é o fundador da rede Mont Blanc que já conta com seis hotéis na Baixada Rodrigo Melo rodrigo.melo@conectabaixada.com.br Luiz Cotrik, empresário da rede Mont Blanc, viu em Nova Iguaçu, em 1997, um mercado de muito potencial. Após muito estudo de dados fornecidos pela prefeitura e pelo IBGE, o empreendedor resolveu investir em hotelaria. O sucesso aconteceu e, atualmente, a “capital da Baixada” conta com três hotéis da rede. “Nova Iguaçu é o centro da Baixada Fluminense. O mercado é muito forte por aqui. Tudo isso conspira a favor do empreendedor. Sabendo disso, depende da vontade de traduzir isso em trabalho. As oportunidades existem, depende de cada um. Em 1997, quando cheguei à Nova Iguaçu, vi potencial na cidade. Junto com Samuel, que estava ampliando a empresa Aroma do Campo, criamos o Plaza”, afirmou. Cotrik garante que o sucesso da cidade é essencial para o futuro dos negócios. Porém, mesmo com a boa estrutura, o empresário afirmou que um centro de convenções é fundamental para criar bons empreendedores. “No negócio não existe sorte, existe competência. No empreendedorismo é diferente, só depende da sua dedicação. Somos capazes de tudo. Na época do faroeste, nos EUA, era um bar e um hotel. Nova Iguaçu não tinha nenhum. Em 2004, criamos o Mont Blanc. São equipamentos urbanos que fazem a cidade funcionar. Espero que a cidade continue crescendo. Quanto mais concorrência, melhor. Se não houver mercado é oligarquia. É retrógrado pensar em monopólio. Isso é coisa de quinto mundo”, disse. O empresário disse que é fundamento saber o público-alvo. Identificar o consumidor e conhecer bem o produto faz parte do empreendedorismo. “Entender qual público você quer atingir. Essa é a principal dica que eu posso dar para quem quer começar empreender. À medida que ele identifica o consumidor é só ter o produto certo. Existem camisas de R$ 100 e R$ 1 mil. Às vezes o material é o mesmo, mas o marketing é outro. Não adianta querer vender geladeira para esquimó. Qualquer pessoa ganha dinheiro, mas a realização é algo dentro de você. Temos que produzir mais realizações. Dinheiro é consequência de um bom trabalho”, finalizou.

[close]

p. 8

BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 9 RELIGIÃO E FÉ PROFESSOR CLÁUDIO DUARTE CONEXÃO EVANGÉLICA evangelho@conectabaixada.com.br O SEU VOTO É CRISTÃO? "Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme". Provérbios 29:2 Já tratei antes deste tema, a participação do cristão na vida política e civil, mas agora, com a proximidade dos pleitos municipais, julgo importante voltar ao assunto. Como é necessário que os cristãos verdadeiros, aqueles que buscam seguir e praticar a Palavra de Deus, participem da vida política de sua cidade! Participar da POLÍTICA, grafada com letras em caixa alta, que busca estabelecer for- mas e meios de a população receber leis justas e tratamento digno por parte de seus governantes, e ter pessoas sérias, honestas e competentes governando. O voto cristão é fundamental nesta e em qualquer eleição! Talvez alguém esteja agora perguntando: O que é este voto cristão? Basicamente, um voto de alguém que não se alegra com a injustiça, tem asco de corruptos e da corrupção, quer o bem de seus concidadãos independente de etnia, posição social ou credo religioso, e acredita que os governantes são pessoas esta- belecidas por Deus para governar o povo com equidade e justiça. Você pode muito com seu voto! Diga um Não bem alto aos corruptos. Diga um Não bem alto aos que roubam dinheiro público e deixam hospitais e escolas à míngua e crianças e idosos sem tratamento digno e respeitoso. Diga Não aos que não têm nenhum compromisso com os pobres, com os que choram, com os que sofrem, mas somente miram o enriquecimento pessoal por meios ilícitos e imorais. Você, cristão, pode muito com seu voto. Pode dizer um Sim à ética, ao bem comum, à dignidade e ao respeito humano. Pesquise e se informe sobre os candidatos, afaste-se dos picaretas e safados, não aceite negociar seu voto sob qual- quer pretexto, e não se submeta às negociatas que possam estar sendo feitas pelo seu líder. Vote pela sua cidade, vote pelas famílias, vote pela cidadania, vote pelo Temor à Palavra de Deus! GIRO PELAS IGREJAS Todos os domingos, sempre às 10h30 e 19h30, acontecem cultos de louvor e adoração a Deus na Primeira Igreja Batista , na rua Paraná, 224, centro. Mande para nossa coluna a programação e eventos de sua igreja, e divulgaremos GRATUITAMENTE. O endereço do e-mail é claudio.duarte@conectabaixada.com.br. CURSO DE EMPREENDEDORISMO SOCIAL DE GRAÇA NA UNIABEU O Centro Universitário Uniabeu está com as inscrições abertas para o curso gratuito de Empreendedor Social, no campus Belford Roxo. As aulas iniciam no dia 19 de setembro e serão realizadas em quatro encontros, sempre às segundas-feiras, das 13 às 17 horas. Durante os encontros, os alunos vão conhecer panoramas de ações sociais realizadas no mundo. Agentes da mudança O curso favore- ce o desenvolvimento de multiplicadores que possam organizar ações e projetos que provoquem mudanças sociais. As vagas são limitadas. Cada turma é composta por, no máximo, 25 alunos. Reprodução internet As vagas para o curso são limitadas Curso de Empreendedor Social Centro Universitário Uniabeu Rua Itaiara, 301, Centro, Belford Roxo Informações: (21) 2104-0450 faleconosco@unia- beu.edu.br

[close]

p. 9

SOCIEDADE E CULTURA 10 BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR karolveiga@hotmail.com CASAMENTO DO ANO Acontece no dia 23 deste mês o casamento da empresária Carla Dias e do médico Bruno César. A festa, que será no salão de festas Glass Palace, vai contar com a presença de muitos amigos e familiares. Ouvi por aí que será o CASAMENTO DO ANO. E na sequência, o casal segue em lua de mel para Dubai. Felicidades ao casal! A Dra Gabrielle Matos comemorou seus 11 anos de formada da forma mais profissional possível, em um congresso sobre implantes, o Osteology 2016, que aconteceu em São Paulo. O evento contou com grandes nomes da odontologia. A bela dentista promete muitas novidades para atender seus pacientes da Baixada. MOSTRAS E FESTIVAIS GANHAM EDITAL Estão abertas até o dia 16 de setembro as inscrições para o Edital de Mostras e Festivais, que a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e a RioFilme lançaram no início de agosto. O valor total do investimento é de R$ 1 milhão, que será distribuído entre quatro categorias: Mostras e/ou festivais com no mínimo edições realizadas; Mostras e/ou festivais com no mínimo três edições realizadas; Mostras e/ou festivais que tenham no míni- mo duas edições realizadas; Mostras e/ou festivais que sejam inéditas ou tenham no máximo 1 (uma) edição realizada. O incentivo varia de R$ 25 a R$ 100 mil. Serviço: Edital de Mostras e Festivais de Audivisual 2017 Inscrições: até 16/9 www.cultura.rj.gov.br www.rio.rj.gov.br/riofilme Informações: 2225-7082 ramais 222 / 205 / 263 FÉRIAS ANIMADAS As blogueirinhas Isabella Cotrik, Manu Veiga, Luma Veiga e Maria Victoria Macedo, encerraram o mês das férias com chave de ouro. As pequenas se divertiram no parque Beto Carrero, onde fizeram muitas selfies, vlogs, gravaram vídeos e posaram para muitas fotos, além de visitarem vários pontos turísticos do local. A diversão foi total. A empresária de Mesquita Silvia Miguel abriu as portas do seu sítio, em Paracambi, para comemorar o aniversário do seu marido, o pediatra José Roberto Fernandes Júnior. A comemoração contou com uma cavalgada entre amigos, moda de viola e muita animação! Quem foi não se arrependeu.

[close]

p. 10

BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR 11 PASSATEMPO EXPEDIENTE: Presidente: Ricardo Lucena Consultor Editorial: Sérgio Ramalho Coordenador Editorial: Marco Antonio Canosa Projeto Gráfico : Daniel Souza e Renato Ferreira Diagramação: Renato Ferreira Tecnologia: Ronald Henrique Tiragem: 20 mil exemplares Distribuição Gratuita Edição Quinzenal Impressão: InfoGlobo O Jornal Conecta Baixada não se responsabiliza pelas opiniões emitidas por colunistas e colaboradores. Redação: Rua Dr. Mário Guimarães . Nº 428, SL. 308 . Centro, CEP: 26255-230, Nova Iguaçu, RJ. Tel: (21) 3765-3423 Comercial: (21) 3765 3423 WhatsApp: 995-75-4545 Email: contato@conectabaixada.com.br WhatsApp 995-75-4545

[close]

p. 11

ESPORTES INCLUSÃO ESPORTIVA 12 BAIXADA FLUMINENSE, 2 a 15 de Setembro WWW.CONECTABAIXADA.COM.BR Fotos: Reprodução Facebook Rodrigo Melo rodrigo.melo@conectabaixada.com.br Com o início dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, os olhos do mundo estarão novamente voltados para o Brasil. Com o início marcado para o dia 7 de setembro, atletas lutarão pelo lugar mais alto do pódio. Na Baixada Fluminense, professores levam projetos esportivos sociais e ajudam na cidadania de jovens carentes. Jordan, Eduardo e Marquinhos. Os faixas-preta ajudam na formação de atletas de alto rendimento por todo o Rio de Janeiro. Jordan de Almeida, criador do Projeto Esportivo Social Alvo da Luta, afirmou que a parceria com a AVD (Associação Valorizando Diferenças) só fortalece o esporte na Baixada. “Nós estamos implantando um conceito eficaz e melhorando a qualidade dos atletas. Nós ficamos muito felizes com a parceria. Estamos realizando aulas de judô para surdos e ouvintes, fortalecendo os integrados de PCD (Pessoas com deficiência) do projeto. Não tenho dúvidas que será um sucesso”, afirmou o faixa-preta. PROJETO FAZ Equipe AVD tem a primeira faixa-preta campeã mundial de surdos. Vanessa Reis venceu o campeonato, em 2013 PARCERIA EM BUSCA DO OURO Superando limites Criado em 1924 com o nome de Jogos Internacionais Silenciosos, as surdolimpíadas acontecerão na Turquia, em 2017. O evento, pouco conhecido no Brasil, é bem representado no judô. Adalberto Trigueiro é um exemplo de superação. O atleta foi vi- Jordan Almeida(E), criador do Projeto Alvo da Luta, faz parceria com a AVD ce-campeão mundial de judô para surdos, em 2013, na Venezuela. Vanessa Reis, primeira faixa-preta surda do Brasil, foi ouro na competição. “Temos que valorizar as diferenças. Independente de deficiência, temos que lutar e sempre nos manter de pé. Tenho certeza que vamos colher muitos frutos com a AVD ao nosso lado. Estou cercado de pessoas que querem ajudar o projeto”, finalizou. O atleta Leonardo Ramos é Faixa Azul de Jiu-Jitsu e campeão estadual

[close]

Comments

no comments yet