Balaio dos Prazeres #14

 

Embed or link this publication

Description

Balaio dos Prazeres #14

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

2 Publicação da Revista Figuras&Negócios BALAIO•actualidade assinado acordo para seguro de turismo O Seguro de Turismo irá fomentar o turismo interno e salvaguardará a integridade física de todos aqueles que desejam contemplar as maravilhas que o País oferece. Foto LNL turISMO • reStauRaNTeS • SNaCK BaRS • COMpRaS • seRviÇoS • HotÉis OInstituto de Fomento Turístico (INFOTUR) e a ENSA-Seguros de Angola S.A, assinaram no dia 15 de Agosto, no edifício do Ministério de Hotelaria e Turismos, em Talatona, um memorando de entendimento para o lançamento do “Seguro de Turismo”. A ser comercializado pelo INFOTUR, por intermédio dos operadores do sector, o Seguro de Turismo é um produto que protege o turista durante as suas viagens em qualquer parte do território nacional. De acordo com o Presidente do Conselho de Administração da ENSA, Dr. Manuel Gonçalves, a criação do Seguro de Turismo deveu-se a preocupações apresentadas por vários agentes de turismo, levantadas pelo ministerio de tutela, sobre a necessidade de colocar no mercado um produto que garanta os danos que os turistas possam sofrer no exercício das suas actividade. Por sua vez, o director geral do INFOTUR, Dr. Eugénio Clemente, considera que o Seguro de Turismo deverá aumentar a procura de locais exóticos e fomentar os desportos de aventuras no País, garantido maior segurança contra eventuais imprevistos ao turista. A iniciativa enquadra-se na estratégia do INFOTUR, com vista a fomentar o turismo interno e visa salvaguardar a integridade física de todos aqueles que desejam contemplar as maravilhas que o País oferece. Suplemento da revista Figuras&Negocios Propriedade: Etnia-Comunicação Director: Victor Aleixo Redacção: Ana Kavungo,Yolanda Haitaleseni Capa: Bruno Senna Designer: Armindo Dalas Publicidade: Cinthia Rocha - 942 645 817 Secretariado: Carolina Esteves Telef. 222 393 020 | 222 335 866 comercial@etniacomunicacao.co.ao www.figurasenegocios.co.ao COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 3

Ano 1 - Nº14 - Agosto 2016 3 Menos de 375 mil Turistas HOTÉIS COM QUEBRA DE 25% Os hotéis e restaurantes que em 2014 registaram uma taxa global de 1,5 milhões de ocupantes estão a ser arrastados pela crise financeira com a diminuição de clientes nos dois últimos anos. Essa constatação é do Secretário Geral do Ministério do Turismo e Hotelaria, Paulo King Junior que adianta que a queda da ocupação, em 2015, rondou os 25%, os mesmos que se projectam para 2016, ou seja menos 375 mil pessoas em relação a 2014. Essa constatação já havia sido revelada aqui no Balaio apontandose como causa fundamental a crise financeira que se vive no mundo e que afecta gravemente Angola, o que reduziu a vinda de estrangeiros para o nosso País quer em negócio ou para desfrutar as enormes potencialidades turísticas existentes. E isto também se repercute no turismo interno, o poder de compra baixou muito e os preços das unidades hoteleiras em alguns segmentos continuam com preços proibitivos. Segundo a HORESIA, associação de hotéis, restaurantes, similares e caterings de Angola, a maioria dos hotéis reformulou os tarifários por decisão própria, efectuado uma redução na ordem dos 10% em relação aos preços praticados anteriormente. Foto Nsimba George EMPRESARIOS CONGRESSO apenas OUTUBRO O I Congresso dos Empresários de Luanda, previsto inicialmente para a primeira semana de Julho, foi adiado para 6 e 7 de Outubro devido a atrasos relacionados com aspectos organizativos, como reza uma nota da organização do certame que é coordenada por Francisco Viana. O apoio na promoção de políticas económicas e empresariais e o diálogo permanente entre a classe e o governo constam dos objectivos da iniciativa. Segundo Francisco Viana, o encontro visa como fim último contribuir para o desenvolvimento económico e social da Província, buscando soluções e caminhos que devem ser trilhados. Para o efeito, Francisco Viana garante que várias entidades oficiais já foram contactadas e notificadas do adiamento do encontro. Criada em 2011 e com origens na Associação Industrial de Viana, a Associação dos Empresários de Luanda conta com 500 associados. Francisco Viana, coordenador da Associação dos Empresários de Luanda. Foto © DR COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 4

4 Publicação da Revista Figuras&Negócios BALAIO•pontos turísticos Falta de Divisas? On Ir Pra Fora, Cá Den No momento em que escrevemos estas linhas, 100 USD custam 72.000 AKZ no mercado informal. É praticamente impossível adquirir divisas nos bancos comerciais. Não há dólares, não há Euros, não há moeda estrangeira. Como consequência, as pessoas simplesmente pararam de viajar para fora, ou então o fazem com muito menos frequência. Mas será este o motivo para ficarmos eternamente em casa, presos num filme de terror financeiro, na incapacidade de sairmos deste pesadelo? Não nos parece. Colaboração LUANDA NIGHT LIFE www.luanda-nightlife.com www.lnl.co.ao Não vamos aqui fingir que existe turismo interno no verdadeiro sentido deste conceito, e muito menos uma indústria organizada e estruturada que o suporte. Entretanto, já começam a haver algumas opções, ainda que apenas para viajantes com um poder de compra acima da média. Estas opções são invariavelmente mais baratas que o custo total de trocar Kwanzas na rua e efectuar uma viagem ao exterior, e oferecem a oportunidade de conhecer a imensidade e o potencial turístico deste país. Partilhamos aqui alguns lugares espalhadas por Angola, desde fazendas a safaris, bem como dicas sobre como viajar sem sequer pagar estadia, fazendo algo que muita gente, incluindo os nossos amigos do Views of Angola, faz há muito tempo: campismo. Sem mais rodeios: Lodge Kapembawé (Benguela) Mubanga Lodge (Luanda) Flamingo Lodge (Namibe) Pululukwa Resort (Huíla) Rio Cuebe Lodge COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 5

Ano 1 - Nº14 - Agosto 2016 5 Onde ntro? Lodge Kapembawé Mubanga Lodge 18 MIL Média diária no Lodge KWANZAS Kapembawé 48 MIL Média diária KWANZAS no Mubanga Lodge Lodge Kapembawé Localizado na comuna de Talamajamba, município da Baía Farta, o Lodge Kapembawé está “inserido no Parque Ambiental AMAC, uma extensa área mista de savana com acentuados declives, enquadrada a oeste pelo Atlântico, a sul pelo Rio Coporolo e a este/norte por relevos expressivos.” Apesar de estar apenas a 45 minutos da cidade de Benguela, a sensação que se tem no Lodge é uma de isolamento, sossego e paz. O Kapembawé é um dos nossos lodges preferidos no país devido ao leque de actividades que oferece: pode optar por um safari pelo parque (vivem aqui diversos animais, entre macacos, oryx, zebras da planicie, cabras de leque, punjas, bambis, gnus e girafas; passeios de iate pela costa benguelense, passeios de burro e bicicleta, pesca no Rio Coporolo, mergulhos na maravilhosa piscina, BTT, paintball, e várias outras. O Lodge tem uma cozinha de realce, comandada pelo chef angolano Alfredo Gonçalo; é comum receber residentes das cidades de Benguela e Lobito que aparecem de propósito para comer no restaurante. A diária no Lodge Kapembawé é de 18.000 AKZ para um quarto de casal num dos 20 bungalows, com pequeno almoço incluído. O quarto mais básico, o “Basic T1”, custa 13.500 AKZ com pequeno almoço incluído. As actividades são pagas à parte. Reservas: +244 924 867 605 Mubanga Lodge De Luanda Sul até ao Mubanga Lodge, um resort rústico localizado nas margens da Lagoa Kilunda, na Funda, são cerca de 1 hora e 20 minutos, viajando tranquilamente. Apesar da curta distância em relação a capital angolana, quando chegamos ao Mubanga é como se estivéssemos num outro mundo. Respira-se ar puro, ouvem-se cantos de aves e uma muito bem-vinda ausência de barulho. No fim da nossa estadia, não nos apetecia regressar à Luanda e à… realidade. E é precisamente esta a magia do Mubanga. O resort fica localizado no Bairro 56, Funda, município de Icolo e Bengo. A maneira mais fácil de chegar é via auto-estrada. Pegue a Via Expresso em direcção à Viana e vá até ao fim da mesma, que é o cruzamento com a Estrada de Cacuaco (Estrada Nacional 110). Curve à direita e leve a EN110 cerca de 35 mins (39km) rumo ao sul. Por esta altura já vai ver o sinal a dizer “Bairro 56”; em frente ao restaurante do mesmo nome, curve à esquerda, numa rua de terra batida. O Mubanga Lodge fica no fim desta rua. Se estiver no centro da cidade, o conceito é o mesmo: apanhe a Estrada de Cacuaco e depois de passar a vila do mesmo nome, mantenha-se do lado direito na primeira bifurcação para permanecer na EN110 até à Lagoa do Kilunda e o Bairro 56. A cozinha do restaurante gourmet do Mubanga Lodge é certamente um dos destaques do resort. Tem espaço para melhorar, e não fomos fãs de todos os pratos, mas foi sem dúvidas um dos pontos fortes da nossa estadia. O conceito é de um menu degustação: tanto o almoço como o jantar contêm quatro pratos incluindo peixe, carne, e sobremesa, ao critério do chef em serviço. O bar oferece diversas bebidas (que são cobradas à parte) incluindo sumos naturais, cervejas, caipirinhas (a de maracujá é particularmente boa) e mais. A diária do Mubanga é de 46.000 AKZ e inclui a pensão completa: pequeno almoço, almoço e jantar. As bebidas pagam-se à parte. Reservas: +244 933 207 093 COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 6

6 BALAIO•pontos turísticos Publicação da Revista Figuras&Negócios Flamingo Lodge Quando pensamos no Flamingo Lodge, a primeira palavra que nos vem a mente é “sossego”. Já a melhor sensação é a de adormecer ao som das ondas do oceano Atlântico. Localizado numa praia de 70 km de cumprimento, o Flamingo é o único sinal de presença humana nesta parcela da costa do Namibe. À nossa volta é só mar e deserto. O Lodge em si é composto por 11 bungalows rústicas, no verdadeiro sentido da palavra, sem qualquer luxo. Porém, as camas são confortáveis, os autoclismos funcionam e o chuveiro tem água quente. Albergam, entre elas, um total de 30 pessoas. Há também um campsite para os que preferem dormir em tendas no deserto. O edifício principal do Flamingo alberga o refeitório e o pequeno bar e a geleira repleta de cervejas N’gola a estalar. É o único lugar no lodge com televisão e internet. O Lodge é detido e gerido por um casal sul-africano que vive lá há vários longos ano. Do centro do Namibe, a viagem para o Flamingo Lodge demora aproximadamente 1 hora. Durante a viagem, após saírmos do asfalto e entrado na picada, somos rodeados apenas das areais do deserto e o imenso mar. Em alguns pontos, tivemos de conduzir na praia a escassos metros das ondas bravas. Mas que cenário! Finalmente, lá no horizonte, vimos materializar o nosso destino. Em frente ao Lodge tem a imensidade do Atlântico. A praia é segura para natação, surf e pesca, e o estabelecimento tem disponível algumas pranchas e material de pesca. As águas do mar aqui variam entre os 18°-24° C, dependendo da altura do ano. Por perto está situada a foz do Rio Flamingo, que dá nome ao Lodge e que se encontra seco durante a grande maioria do ano. As noites do Flamingo são mágicas – 19 MIL Média diária KWANZAS no Flamingo Lodg 23 MIL Média diária no Pululukwa Resort KWANZAS nunca mais tinhamos visto um céu assim. A lua brilha intensamente e devido a total ausência de luzes artificias, é possível ver a galáxia em si. São tantas as estrelas… O Flamingo é também um grande destino para os amantes de pesca desportiva, e todos os anos atrai os amantes desta prática vindo dos quatro cantos do mundo, principalmente da África do Sul. A acomodação no Flamingo Lodge COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 7

Ano 1 - Nº13 - Julho 2016 7 Flamingo Lodge Pululukwa Resort custa 19.250 AKZ por pessoa por noite. Isto inclui as três refeições diárias, todos os refrigerantes, cervejas e garrafas de água. O transporte da cidade do Namibe para o Lodge custa 11.000 AKZ por carro (4 lugares), apenas ida; do Lubango para o Flamingo custa 55.000 AKZ. Tem também a opção de fazer um tour pelo deserto, que nós fizemos e recomendamos vivamente. O tour pelo deserto leva-o às dunas, à abandonada Igreja da Nossa Senhora dos Navegantes, ao oásis dos Arcos e à praia dos naufrágios, e o Lodge faz-lhe o almoço para levar (cervejas incluídas). O preço: 55.000 AKZ por carro, sendo que cada carro pode levar um máximo de 4 pessoas. Reservas: flamingo@aasafaris.com Pululukwa Resort Não se precisa de muito tempo para se chegar a conclusão que o Pululukwa é o melhor resort do seu género em Angola. Incrivelmente extenso e de uma beleza singular, este aldeamento turístico cobre uma área de 100 hectares, reaproveitando assim o que era antigamente uma fazenda agrícola. A beleza, o verde, o ar puro, o som da água dos fontanários nos lagos e o canto dos pássaros, tudo isto faz-nos sentir a anos luz do frenesim de Luanda e da movimentação do Lubango, impondo em nós uma calma e um sossego delicioso. Pululukwa significa ‘descanso’ em Umbundo. Rapidamente percebemos o porquê do resort ser batizado com este nome. Localizado no bairro da Mapuda, nos arredores do Lubango, o Pululukwa está dividido em três “aldeias” distintas, cada uma com vários bungalows de diversos tamanhos; são elas a Aldeia Madeirense, contendo 8 habitações familiares com arquitectura típica desta ilha portuguesa, o Kimbo Muholo, onde os 21 bungalows seguem os traços arquitectónicos das habitações dos povos huílanos Nhaneca Humbi, e a maior delas, a Aldeia Zulu, com 31 bungalows do estilo sul-africano. A nossa equipa ficou hospedada no Kimbo Muholo. Os seres humanos não são os únicos habitantes do Pululukwa: o resort é também habitado por uma variedade da animais, incluindo zebras, antílopes, COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 8

8 BALAIO•bar &snacks Publicação da Revista Figuras&Negócios 70 MIL Média diária no Rio Cuebe Lodge KWANZAS uma grande variedade de aves, e até jacarés num dos lagos (devidamente assinalado e com protecção, claro). Restaurante dos Lagos é o nome do restaurante do Resort, e fica localizado num longo edifício de pedra ao lado da recepção. Os lubanguenses dizem ser um dos melhores da cidade, se não o melhor, e frequentam o restaurante principalmente aos fins de semana. É um dos pontos altos da estadia no Resort. Durante a quadra festiva o habitual e muito bem referenciado serviço à la carte do restaurante está indisponível, mas o buffet vai para além do considerado normal nos buffets hoteleiros de Angola. Já o menu à la carte é mesmo delicioso. A diária no Pululukwa Resort para um casal é de 23.000 AKZ nos fins de semana com direito a pequeno almoço, e 21.000 AKZ entre segunda a quinta. Para um bungalow VIP, o preço é de 26.000 AKZ durante toda a semana, com direito a pequeno almoço. Este preço não inclui o transporte do aeroporto, que custa 5.000 AKZ por pessoa. Reservas: +244 932 565 017 Rio Cuebe Lodge Ainda é raro ver o nome da província de Cuando Cubango sem as 5 palavras que sempre o acompanham: “terras do fim do mundo.” Felizmente, a maior província de Angola começa a dar os seus primeiros tímidos passos no que toca à sua oferta hoteleira. Localizado nas margens do Rio Cuebe, a cerca de onze quilómetros de Menongue, capital provincial, e inaugurado em fins de 2013, o Lodge destaca-se pela sua luxuosidade, extensão, safari e beleza natural. “É um estabelecimento hoteleiro que procura acompanhar os primeiros passos do turismo de aventura em Angola. Possui comodidades ao nível de hotel de cinco estrelas,” escreveu Carlos Lousada da revista Austral. “Actualmente, a capital do Cuando Cubango oferece os serviços de um dos lodges que pode ser incluído na lista dos melhores de Angola,” concorda Pedro Correia, da revista Rotas & Sabores. Girafas, gazelas, gnus, gungas e zebras são alguns dos habituais residentes dos 200 hectares que compõem o parque florestal do Rio Cuebe Lodge; uma das principais atrações do resort é precisamente o safari. O Lodge também dispõe de piscina, um business & conference center, 34 suites, um spa com massagens tailandesas e, claro, um restaurante sofisticado. Mas não vem barato. A diária no Rio Cuebe Lodge com pensão completa para um casal custa 70.000 AKZ; se preferir apenas o alojamento e pequeno almoço, terá de pagar 50.000 AKZ. O safari para grupos de até 4 pessoas custa 25.000 AKZ, e o spa também paga-se à parte: 10.000 AKZ para uma hora e 18.000 AKZ para duas. Reservas: +244 940 371 873 COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 9

Ano 1 - Nº14 - Agosto 2016 BALAIO•RESTAURANTES 9 Luanda Grill, Renovado O Luanda Grill, localizado na Ilha de Luanda, reabriu as suas portas no dia 7 de Julho. O Chef Manuel Mata, que ganhou nome no primeiro hotel de 5 estrelas em Luanda, o HCTA, é o novo chefe de cozinha do espaço. A cozinha criativa e flexível, bem como uma equipa apaixonada pela hospitalidade genuína, são dois factores que pretendem diferenciar este restaurante dos restantes. |Texto Lula Ahrens |Fotografias LNL OLuanda Grill não é um restaurante muito comum na Ilha, já que está alojado num edifício de vidro de quatro andares mesmo na avenida principal. O espaço oferece vistas espetaculares da praia sem o incômodo de mosquitos, ruídos e poluição. O design interior do Luanda Grill é elegante, contemporâneo, limpo, e discreto, criando assim um ambiente ideal para jantares de negócios e refeições mais íntimas. Tanto o primeiro como o segundo piso são usados para o dia-a-dia do restaurante; já o terceiro piso tem uma sala de jantar privada, com uma mesa para doze pessoas, enquanto que o último andar oferece um bar e uma área de entretenimento ampla que está disponível para festas particulares. Tanto o terceiro como o quarto piso podem ser reservados gratuitamente, sendo que o quarto piso apenas estará disponível numa data a anunciar. Fique atento para as noites de jazz e stand-up comedy que o Luanda Grill pretende organizar num futuro próximo. Duas palavras-chave deste remodelado Luanda Grill são COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 10

10 Publicação da Revista Figuras&Negócios BALAIO•restaurantes•luanda flexibilidade e hospitalidade, legado do novo gerente do Luanda Grill, Telmo Viegas, vindo de Portugal com bastante experiência no ramo. “Temos muita concorrência na Ilha. Quando os clientes escolhem o nosso restaurante, sentimo-nos honrados. Dá-nos enorme prazer servir e cuidar de nossos clientes, e nós queremos transmitir esse entusiasmo para eles,” disse Telmo. “Queremos trazer calor humano para que o cliente sinta que está a entrar no prolongamento da sua sala de jantar”. Um exemplo da flexibilidade do restaurante é a constante disponibilidade da cozinha, sempre aberta para pedidos especiais. “Nós cozinhamos praticamente qualquer prato que não esteja no menu, desde que pedido com alguns dias de antecedência.” O Luanda Grill também oferece um serviço interessante: cozinham em sua casa em ocasiões especiais, tais como encontros familiares ou jantares de amigo. É um serviço para aqueles que preferem desfrutar da cozinha do restaurante no conforto das suas casas. Se isso não for suficiente para conquistá-lo, o novo chef de cozinha Manuel Mata tem um argumento convincente: “O nosso novo conceito tem como fonte de inspiração o mar, em conformidade com as vistas espetaculares do oceano que os nossos clientes recebem aqui,” disse. “O menu da casa oferece uma combinação criativa, divertida e empolgante de sabores e cores. É inspirada pela cozinha portuguesa, mas os ingredientes e pratos tradicionais nacionais são também muito representados, embora com um toque contemporâneo e surpreendente.” Dito isto, nada melhor que saborear a filosofia culinária do Sr. Mata e vê-lo pôr em prática. O Telmo recomendounos um delicioso vinho branco Português, ‘Quinta do Monte d’Oiro, Madrigal, Viognier 2010’ para acompanhar as nossas entradas e pratos de peixe. Começamos o nosso menu de degustação com uma mistura de pernas de frango fritas (3.200 AKZ) e salada morna de caranguejo sobre torrada (2.200 AKZ), acompanhado por uma salada pequena de ervas. Este último, com os seus sabores frescos, é um dos pratos que mais sai no restaurante. Nosso primeiro prato de peixe – naco de atum grelhado em crosta de camarão e broa com um purê de batata doce e bok choi acompanhado de uma redução de vinho tinto (4.200 AKZ), resumiu perfeitamente o novo conceito do Luanda Grill. Foi uma deliciosa e colorida harmonia de sabores do mar que encantou-nos bastante. O segundo prato de peixe – bacalhau com paprika e cebolas grelhadas, acompanhado com batatas grelhadas e molho a base de vinho tinto (5.500 AKZ) também recebeu palmas. Provamos também a Mariscada, feita com choco, gambas, lagosta, e cherne grelhados, com legumes salteados, rúcula e um pouco de limão para espremermos (6.000 AKZ). Deliciosa! O terceiro prato – marimba grelhada (tiras de entrecosto COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 11

Ano 1 - Nº13 - Julho 2016 11 acompanhado por mandioca frita e salada, 3.900 AKZ) – provou que não há nenhuma razão para os amantes de carne evitar este elegante restaurante. Para acompanhar as costeletas, serviram um vinho tinto Português ’12 Vertente Douro, Niepoort 2014’; um vinho encorpado com frutas escuras, café e aromas de especiarias com taninos equilibrados. Felizmente ainda tivemos espaço para degustar as costeletas de borrego em duas texturas com arroz do mesmo. O borrego é servido numa cama de espinafres, hortelã e rúcula por cima e foi provavelmente o nosso prato preferido (4.200 AKZ). Apesar do pendor para os pratos do mar, até porque não há como ignorar a qualidade do peixe nacional, é necessário salientar que existe aqui uma maravilhosa seleção de pratos de carne, incluindo porco e cabrito, no menu. Para terminar, veio como sobremesa um trio delicioso de pannacotta de manga com coulis de natas (1.800 AKZ), um mousse de chocolate super cremoso com trufa de cacau (2.200 AKZ), e tartin de maçã quente e telha de sésamo com gelado de baunilha (2.200 AKZ). O Luanda Grill apresenta uma extensa e variada lista de vinhos com um foco claro em portugueses. Os preços são razoáveis para uma cozinha do seu nível, com as entradas a rondarem os 2.500 AKZ e pratos principais entre 5.000 – 5500 AKZ. As porções de todos os pratos são generosas. Este restaurante tem o conceito e o menu para acomodar uma ampla variedade de clientes. Vá e delicie-se em primeira mão. Luanda Grill Rua Mortala Mohamed n° 260 A, R/C 928 986 992 | 928 986 979 COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 12

12 Publicação da Revista Figuras&Negócios BALAIO•comer & beber grelhados ao sabor da Spetus Steakhouse OSpetus Steakhouse é um recémaberto restaurante no Nova Vida especializado em carnes e rodízio. É também caracterizado pela sua ampla esplanada coberta e noites de música ao vivo. Infelizmente, peca pela fraca relação preço-qualidade, e o atendimento ainda precisa de alguns ajustes. Localização - O Spetus está localido no Living Retail Park, Urbanização Nova Vida, ao lado do supermercado Mel e do Banco Atlântico. Decoração - A parte interior do Spetus tem uma decoração moderna e minimamente elegante, mas a maioria das pessoas que frequentam o espaço preferem sentar na sua ampla esplanada de madeira. É a parte mais agradável do restaurante. A Comida - O Spetus tem uma COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 13

Ano 1 - Nº14 - Agosto 2016 13 O restaurante tem uma ementa variada mas que está claramente dominada pela carne grelhada. COMPRAS SERVIÇOS BARES As pessoas que frequentam o Spetus Steakhouse preferem sentar na sua ampla esplanada que é a parte mais agradável do restaurante. ementa variada mas que está claramente dominada pela carne grelhada. Entre as entradas encontrará o mesmo que em muitos outros restaurantes: gambas ao alho (5.900 AKZ), pica-pau (2.400 AKZ), frango à passarinho (2.300 AKZ), chouriço (2.000 AKZ), e picanha na chapa com batatas, (4.000 AKZ), que de todos é o menos comum noutros restaurantes. Há também saladas, crepes e massas. Entre as diversas carnes encontrará maminha, alcatra, t-bone, vazia, lombinho, cupim, picanha, e várias outras, os preços variam entre 5.600 a 5.800 AKZ. Também há carne de porco (lombo, costelinha) disponível. A opção de rodízio inclui todas as carnes disponíveis no restaurante e custa 7.900 AKZ. Entre as opções de peixe e marisco encontrará bacalhau à lagareiro ou grelhado, choco, polvo, lagosta e gambas. Ao almoço o Spetus também tem disponível um buffet por 4.500 AKZ. Não está incluído no rodízio. Preços - O Spetus é demasiado caro para a qualidade de comida oferecida. Como comparação, o rodízio do Mirantes custa 5.600 AKZ durante a semana e inclui não só mais opções como também direito ao buffet de quentes e frios; o do Spetus custa 7.900 AKZ, tem menos carne e não inclui buffet. A reter • Alguns cortes de carne, como a maminha, são grelhados quase na perfeição; • A esplanada é agradável. A melhorar • O restaurante é demasiado caro para aquilo que oferece e pela qualidade de comida; • É necessário melhorar o atendimento. Colaboração LUANDA NIGHT LIFE www.luanda-nightlife.com www.lnl.co.ao RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 14

14 BALAIO•serviços Publicação da Revista Figuras&Negócios Roupas, acessórios feito com tecido de pano afric |Texto Yolanda Haitaleseni |Fotografias © DR Já temos no mercado estilistas e criadores da moda que apostam na valorização do uso de bijuterias com tecido africano em várias peças. Hoje se obtem um par de calçado, um conjunto de bijuterias, malas ou t-shirts costurado à mão com pano e a cada dia esta tendência tem conquistado imensos corações de pessoas entre nacionais e estrangeiros que andam fascinados pelas inúmeros obras encontradas no mercado nacional no sector da moda com estas artes. A moda surgiu e pegou com a influencia de estilistas de países vizinhos ou através do espírito viajado do angolano. Hoje as nossas raízes culturais podem ser vividas em vestuários, bijuterias, bolsas e muito mais com panos de origem africana personalizado ao gosto do cliente que solicitar os serviços dos estilistas e criadores amantes da arte. A valorização dos hábitos e costumes da nossa cultura ganha espaço cada vez mais na vida dos citadinos, já se vê com frequência pelas rua o uso de artigos costurados com pano, coisa que antes era raro, pois, as pessoas sentiam-se acanhados em usar roupas, missangas, pulseira e outras bijuterias feitas totalmente de pano. São artigos de arte que identificam Angola e tem causado impacto nos turistas, que são atraídos pelas lindas obras. E assim os nossos estilistas têm o contributo para levar avante o nome do pais. COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

p. 15

Ano 1 - Nº14 - Agosto 2016 15 ano artistas do pano Confira connosco alguns estilistas que podem satisfazer a sua curiosidade em peças com sabor À cultura angolana. Luísa Germana, personal style e Prudenciana Ndayola, estilista Serviços • Vestidos de noiva personalizado • Lenços, chapéus a pano • Criação de peça de bijuterias a pano • Bolsas • calcados Urbanização Nova Vida, rua 7, atendimento de segunda a sábado, horário ao critério do cliente. Telef.: 946 990443 Email: prudenianarac@gail.com Foto Ilustrativa © DR Alfaiataria Alberto Bairro Cassenda, rua 3, atendimento de segunda a sexta-feira das 8h00 às 18h00, aos sábado das 8h00 às 16h00. Pano-no-pano Serviços Venda no atelier com serviço de entrega ao domicílio. • Vestuário personalizado • Camisa de tecido cetim a pano-nopano • Calças social e vestidos a pano Urbanização Nova Vida, rua 57, prédio nº 166, 2º andar, apt. 11, atendimento de segunda-feira a domingo, horário ao critério do cliente. Telef.: 949 595 019/ 924 429 502 COMPRAS SERVIÇOS BARES RESTAURANTES HOTÉIS PONTOS TURÍSTICOS

[close]

Comments

no comments yet