Revista Digital IdealClass

 

Embed or link this publication

Description

5ª Edição

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2



[close]

p. 3

IdealClass Sumário VEJA NESTA EDIÇÃO CNPJ: 15.764. 359/0001-02 revistaidealclass@gmail.com idealestudiografico@gmail.com (47) 3804 0892 IdealClass EXPEDIENTE Diretor Geral: Leno Moura Projeto gráfico/ Diagramação: Juliana de Paula Fotos: Arquivo Pessoal Comercialização: Leno Moura Revisão: Juliana Paz Colaboradores: Luiz Carlos Prates, Estúdio Kza, Adriani Borowsky Deus é Amor... é Luz... é Fidelidade... é Vida. 4 COMPORTAMENTO Vida Moderna Luiz Carlos Prates 5 EMPRESARIAL Há 5 anos pensando no cliente Estúdio Kza 6/7 PSICOLOGIA Sindrome ddo Pânico: entenda o que é Adriani Borowsky 8 GASTRONOMIA SPAGHETTI “CACIO E PEPE” entenda o que é Adriani Borowsky As matérias aqui publicadas não condizem necessaramente a opinião da revista Agosto 2016 - 03

[close]

p. 4

IdealClass Comportamento Foto: Arquivo Pessoal Vida moderna das pessoas, acaso não será lou- cura? E a troca do ter pelo ser? Não importa a muita gente ser infeliz, o que importa é exibir posses, conquistas produzidas pelo crediário ou pelo endivida- mento, e isso não é loucura, lou- cura “moderna”? Quantos que nos cercam, agora, neste momento, leram um bom livro no último ano? E as mulhe- res, bem mais que os homens, coitadas, se não tiverem fibra de “Mulher” vão enlouquecer mais cedo... Precisam ajeitar o corpo de acordo com as modas, com os desejos dos homens, com o desdém ou com a inveja seca ossos de outras mulheres... Uma loucura ser mulher saudável, a mulher saudável sofre bullying das outras mulheres e afugenta Luiz Carlos Prates - Psicólogo e Jornalista / SBT/SC os machos impotentes, a maioria... E o que dizer das doenças pro- Você já deve ter notado que os cavalos, pobrezinhos, que puxam carroças têm uns tapa-olhos laterais que visam a não permiti-los distrair-se com o que não for a linha reta que devem seguir. Coitadinhos. Pois é, mas um dia, tenho certeza, alguém vai inventar algo parecido para a maioria dos humanos que andam por aí. Sim, viseiras humanas para que não percam tempo com as frivolidades da moda e as estultícias da sociedade. Vamos combinar, amiga/o, o mundo anda acelerado para a loucura. E se você duvidar, fácil provar: olhe para os lados e veja o que as pessoas estão fazendo. Nada. Olham, estupidamente, para a tela de um celular. Perdem Acabamos de saber de parte do INSS sobre a preocupante alta nas licenças-médicas por doenças mentais. Doenças mentais? Mas isso não é coisa para “loucos”? Sim, no “passado” era. Agora, todavia, não se admite mais, o politicamente correto proibiu, que se chame de louco, louca, a uma pessoa louca... A preocupação com os nadas da vida, não é loucura? E as ânsias por mais e mais sem que nada desse mais envolva a qualificação da cabeça, do caráter, da alma vocadas pelo estresse, por exemplo, todas as cardiovasculares, como a hipertensão, o infarto e os derrames, os chamados AVCs? Estão matando cada vez mais. E estresse não passa de um modo de perceber e de reagir a um estímulo. Mas é bom não esquecer que a reação não nos vem do estímulo em si mesmo, mas dos nossos valores na vida. Valorizamos os vazios e deixamos passar os essenciais da vida... Quem quiser viver bem, viver melhor, ter mais saúde, longevidade e, por fim, ser feliz que se desapegue, dê de ombros aos outros. Desde, é claro, que a pessoa viva dentro da lei e dos ditames da boa postura. O resto é deixar a caravana passar, os cães vão continuar ladrando... ignorá-los é ser feliz. tempo e vida com o envio de mensagens vazias em troca de outras que chegam mais vazias ainda. O tempo todo, até quando O amor nos tempos do Facebook (Pawel Kuczynski)- imagem que nos faz repensar as nossas vidas e nos ajudam a vê-las sob outro ângulo. atravessam a rua... ilustrações sobre a tristeza do mundo moderno 04 - Agosto 2016

[close]

p. 5

IdealClass Empresarial Fotos Arquivo Pessoal Há 5 anos pensando no CLIENTEescritório de Arquitetura e Interiores Estúdio Kza, acabou Ode completar 5 anos e tem novidade. A equipe desenvol- veu várias melhorias para a satisfa- ção total do cliente do começo ao término da obra. “Desenvolvemos um projeto colaborativo envolvendo o cliente m todas as etapas, conci- liando suas vontades e necessidades às técnicas de arquitetura”, diz a ar- quiteta Cristina Reinert. Apresentando um ambiente de muito bom gosto e novidades, per- Cristina Reinert - Heloisa Schwartz - Monike Lader mitindo ao cliente uma experiência real antes mesmo de serem aplicadas nos projetos. “Nossos projetos sempre partem do princípio da praticidade e funcionalidade, então junto com nossos parceiros, criamos uma estrutura seguindo essa linha”, conta Monike Lader, sócia e arquiteta do escritório. A nova sócia do escritório, Heloisa Schwartz, assume a gestão de negócios, mais um ponto positivo para somar com essa equipe. “Trago ao escritório o olhar de clientes sem apegos aos aspectos técnicos possibilitando outras percepções dos espaços que estão em desenvolvimento”, diz. Agora mais ágil e transparente, o escritório aproxima o cliente, que está mais presente no dia-a-dia do escritório, também com uma plataforma online, onde o cliente pode acompanhar as etapas e prazos de cada fase, acessar projetos, interagindo com a equipe Estúdio Kza. Chamar a atenção do consumidor é a tarefa mais importante no design de lojas e apresentação dos produtos. Sendo assim o projeto de arquitetura comercial torna-se indispensável no planejamento de um novo ambiente comercial ou na reestruturação de um existente. O Estúdio Kza prioriza o usuário, se coloca no lugar dele para ter uma visão do público consumidor, sempre focadas na experiência do usuário em um espaço comercial. Equipe Estúdio Kza Agosto 2016 - 05

[close]

p. 6

IdealClass Psicologia Síndrome do Entenda m 06 - Agosto 2016 Adriani Borowsky Psicóloga e Psicoterapeuta Adulto e Infantil CRP 12\02195 SC Contato: 47 99048473 psicologiaonlineabc@gmail.com

[close]

p. 7

IdealClass Psicologia Pânico: melhor o que é Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), de 2% a 4% da população mundial enfrenta esse transtorno. Maior prevalência no sexo feminino. Não é fácil lidar com o problema, mas com ajuda psicológica, a maioria dos pacientes conseguem controlar as crises e ter uma vida normal, e muitas vezes a cura definitiva. Adriani Borowsky Psicóloga e Psicoterapeuta Adulto e Infantil - CRP 12\02195 SC De repente uma dor no peito, falta de ar, tremor, taquicardia, a pessoa pensa estar morrendo, provavelmente deva ser um infarto, ela pensa...A primeira atitude é ir a um pronto socorro. Correto, com esses sintomas ela precisa ser atendida, fazer exames, e checar o que está acontecendo. A pessoa chega muito assustada, é examinada, e o médico chega a conclusão de que ela está apenas com grande ansiedade, receita algum tranqüilizante, e a pessoa melhora. O que foi essa ansiedade, a pessoa se questiona, pois nunca teve algo parecido.Os sintomas físicos reais, junto a sintomas psíquicos, deixam a pessoa transtornada e com muito medo de morrer, caracterizando um ataque de pânico. Os ataques de pânico ocorrem sem nenhum motivo aparente, podem inclusive ocorrer quando a pessoa está dormindo e acorda apavorada. Porém com a psicoterapia pode-se descobrir qual foi a situação de estresse ou trauma, ocorrido anteriormente aos episódios de pânico que desencadearam demasiada ansiedade e ataques de pânico. A Síndrome do Pânico, é quando a pessoa passa a ter com freqüência ataques de pânico. A pessoa começa a temer sair de casa sozinha e ter um ataque de pânico, sem ninguém para socorrê-la, e quanto mais ataques de pânico a pessoa for tendo sem tratamento, mais o quadro vai se agravan- do, levando a agorafobia que é o medo (fobia) de sair de casa. Geralmente as pessoas recebem o diagnóstico de sín- drome do pânico “com” ou “sem” ago- rafobia. A síndrome do pânico costuma afetar mais mulheres do que homens e pode ser desencadeada por alguns fatores considerados de risco, como: • Situações de estresse extremo • Morte ou adoecimento de uma pessoa próxima • Mudanças radicais ocorridas na vida • Histórico de abuso sexual du- rante a infância • Ter passado por alguma expe- riência traumática, como um acidente Geralmente os sintomas de uma crise de pânico são (podendo ter ape- nas alguns deles): • Sensação de perigo iminente • Medo de perder o controle • Medo da morte ou de uma tra- gédia iminente • Sentimentos de indiferença • Sensação de estar fora da rea- lidade • Dormência e formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto • Palpitações, ritmo cardíaco acelerado e taquicardia • Sudorese • Tremores • Dificuldade para respirar • Calafrios • Ondas de calor • Náusea • Dores abdominais • Dores no peito e desconforto • Dor de cabeça • Tontura • Desmaio • Sensação de estar com a garganta fechando • Dificuldade para engolir Muitas vezes, a síndrome pode desencadear problemas mais graves, como alcoolismo, depressão e abuso de drogas. E o principal objetivo do tratamento da síndrome do pânico é reduzir o número de crises, assim como sua intensidade e recuperação mais rápida. O tratamento mais indicado é a psicoterapia, podendo ou não ter indicação para o uso de medicamentos. Com a psicoterapia o paciente passa a compreender os ataques de pânico, e a lidar melhor com eles no momento em que acontecerem, passando a ter uma vida normal sem medo de ter um novo ataque. A família pode ajudar muito o paciente, não subestimando os sintomas, dizendo que não é nada, ela deve incentivá-lo a procurar tratamento, não desvalorizando a doença. Por isso o tratamento deve incluir orientação a família também, para que possa ajudar o paciente no momento da crise e na prevenção para que o transtorno não evolua ou se agrave. Se você se identificou com esses sintomas, ou conhece alguém próximo que está passando por isso, a indicação é procurar o quanto antes o tratamento psicológico: a psicoterapia. Agosto 2016 - 07

[close]

p. 8

IdealClass Gadtronomia Spaghetti “Cacio e Peppe” Para quem está procurando dar um toque de sofisticação em uma clássico spaghetti, nossa dica é a receita do chef alemão Heinz Beck. Simplesmente irresistível! Ingredientes (4 pessoas) - 360 g de spaghetti. - 150 g de queijo pecorino - 250 g de camarão branco - 1 limão - 20 g de pimenta preta - 150 ml de caldo de peixe (1/2 kg de carcaças de peixe, 1.5 litro de água, 1 talo de aipo, 1 cenoura, 1 cebola, 2 tomates, 1 xícara de vinho branco, 1 raminho de salsa, 2 dentes de alho) - cerefólio (tipo de salsinha), azeite extravirgem e sal a gosto. Preparo (20 minutos) Limpe os camarões, removendo o fio em volta, corte-os ao meio e marine em suco de limão com casca, azeite e sal. Para fazer o caldo, frite levemente os legumes já cortados em cubos com alho e salsinha, adicione as carcaças e despeje o vinho. Leve a água para ferver. Rale o queijo e adicione à pimenta recém-esmagada. Coloque para ferver o spaghetti em água e sal e retire dois minutos antes do tempo previsto de cozimento. Termine de cozinhar o spaghetti nos 150ml de caldo de peixe (sempre em fogo alto). Quando terminar de cozinhar, escorra e misture com o queijo e a pimenta e, por fim, o camarão. Decore com o cerefólio ou salsinha. 08 - Agosto 2016

[close]

p. 9



[close]

p. 10



[close]

Comments

no comments yet