Cemara Informa - Agosto 2016

 

Embed or link this publication

Description

Informativo Semestral da Cemara Loteamentos. Ano 10, Edição n°20, Agosto 2016

Popular Pages


p. 1

Informativo Semestral da Cemara Loteamentos Ltda. Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 nesta edição Fique por Dentro Comprar um terreno pode ser bem mais vantajoso que um imóvel pronto Toque de Especialista Flores são destaque na decoração de festas em casa Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT É Bom Saber Cemara é certificada com Selo Verde pelo Jornal do Meio Ambiente/SP

[close]

p. 2

2 EDITORIAL Primeira edição de 2016 traz informações sobre compartilhamento e novidades da empresa! A primeira edição de 2016 fala sobre algumas estratégias trazidas da economia compartilhada e do consumo colaborativo, que estamos incorporando e aplicando na nossa gestão de negócios e também nos nossos empreendimentos. O CEI Nove de Julho é um bom exemplo desse conceito. Estamos abordando o assunto na editoria Matéria de Capa em uma entrevista com o professor e doutor, Almir Ferreira de Sousa, coordenador da FIA (Fundação Instituto de Administração). Essa realidade já é um sucesso e está trazendo para a região desenvolvimento, mesmo em tempos de crise. No Fique por Dentro, apresentamos dicas sobre as vantagens de se comprar um terreno ao invés de um imóvel pronto, principalmente para quem busca facilidade no pagamento e construir conforme as suas preferências. Nesta mesma editoria, mostramos a participação da Cemara no Amcham Business Day; e no GRI (Global Real Estate Institute), no qual participamos de um painel de debates. Além disso, falamos sobre o acompanhamento meteorológico que fazemos para adequar nosso cronograma de obras. Na editoria Bom Papo, conversamos com o representante do Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, sobre a concessão do Selo Verde para a Cemara. O prêmio é concedido a um seleto grupo de empresas que possuem licenças ambientais, que respeitam a legislação e ainda adotam iniciativas próprias que estimulam a preservação do meio ambiente. Na seção De Bem com o Planeta, divulgamos a ação do grupo Voluntários do Bem, realizada no Dia do Meio Ambiente, em Piracicaba/SP. Utilização de flores na decoração é a dica do decorador e paisagista Fernando Reame, na editoria Toque de Especialista. Ele destacou o uso de plantas para decorar a casa que, em tempos de crise, passou a ser o lugar ideal para receber amigos e familiares para jantares, almoços festivos e também para comemorações de aniversário. Em tempos de compartilhar, na coluna Planejar é Crescer, abordamos algumas soluções para a mobilidade urbana no Brasil. São aplicativos que vão desde o aluguel de bicicletas, até caronas, aluguel de carros de pessoas físicas e estacionamento. Na editoria É Bom Saber, divulgamos uma matéria sobre o CEI Nove de Julho no Portal InfraRoi. O Giro Regional desta edição é a cidade de Jundiaí, polo turístico que inclui rotas rurais, ecológicas, gastronômicas e do vinho. Destaque para a Serra do Japi e o roteiro de festas da região. Boa leitura! Marcos Dei Santi Diretor da Cemara Loteamentos GESTÃO E DESENVOLVIMENTO Mulheres ocupam 60% dos cargos operacionais na Cemara Na contramão do mercado, que ainda prefere homens em cargos de chefia, a empresa aposta em perfis criativos e na flexibilidade feminina na operação De acordo com a pesquisa Women in Business 2015, realizada pela consultoria Grant Thornton, 57% das empresas não têm mulheres em posições de importância. Não há dúvida de que ainda há uma grande batalha a ser travada em favor da igualdade de gêneros dentro do mercado de trabalho. Porém, a Cemara aposta nas mulheres, tanto que hoje, 60% dos cargos operacionais e gerenciais são ocupados por profissionais do sexo feminino. Segundo Raquel Dei Santi, diretora e Arquiteta e Urbanista da empresa, chegar a esse quadro majoritariamente feminino foi um acontecimento orgânico. “Buscamos perfis mais criativos do que operacionais e a mulher, muitas vezes, consegue ser mais criativa e resolver muitas coisas ao mesmo tempo”, explicou. Ela disse que a empresa busca os profissionais que mais se enquadram na vaga, independentemente do sexo, e acontece que muitas vezes encontraram nas mulheres o que estavam procurando. MÃES E PROFISSIONAIS Uma das maiores dificuldades das mulheres é conciliar a maternidade com a vida profissional. Depois de ter o primeiro filho, muitas sentem que é impossível manter os dois papéis. Giuliane Trevizan, Gerente de Marketing, viveu esse momento e destacou como a preocupação da Cemara em dar suporte às funcionárias a ajudou nesse sentido. “Quando eu tive meu primeiro filho, ele ficava no berçário e eu podia sair para amamentar. A empresa entendia que eu conseguia apresentar resultados no trabalho e cuidar do meu filho”, afirmou. Giuliane entende que para a maioria das mulheres essa é uma decisão muito difícil. “Eu acho que é possível se encaixar em vários papéis e dar conta do recado”, finalizou.

[close]

p. 3

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 3 GESTÃO E DESENVOLVIMENTO Empresa compartilha conhecimento para nortear ações e práticas de gestão Papo com a Diretoria é uma das práticas de compartilhamento que foram adotadas pela direção da Cemara Foto: Celso Rafaelli / Revista TRIFATTO O compartilhamento de conhecimento no trabalho é uma forma de assegurar que os colaboradores possam repassar uns aos outros o que sabem, garantindo a disseminação e posse das informações de que necessitam. Este, com certeza é um grande diferencial de competitividade da Cemara, sua capacidade de otimizar a reutilização do conhecimento, gerando envolvimento, transparência e crescimento de todos os envolvidos. Segundo Marcos Dei Santi, diretor da Cemara Loteamentos, o compartilhamento é uma prática de gestão que está sendo adotada na empresa para nortear nossas ações. Uma delas é o Papo com a Diretoria, uma linha direta entre a direção e os seus colaboradores. “Antes de adotar essa prática, passávamos todas as informações desde crenças, metas e objetivos aos nossos gestores, e esses repassavam aos demais colaboradores. Porém, eu sentia que havia ruídos nessa comunicação. Quando passei a focar na transparência como um dos pilares da nossa gestão, entendemos que deveríamos comunicar todos os nossos colaboradores da mesma maneira e se possível ao mesmo tempo”, contou. O diretor explicou que o formato adotado foi realizar encontros em que a direção fala com todos os colaboradores ao mesmo tempo, Raquel, Marcos e César Dei Santi, diretores da Cemara. independentemente da hierarquia. “Dessa forma, compartilhamos conhecimento e transmitimos nossos objetivos e metas, além de receber diretamente as informações, já que as pessoas, independentemente da área ou do nível hierárquico, se sentem seguras em apresentar suas ideias e passar feedbacks”, observou. Além desses encontros, a Cemara desenvolve outras ações de compartilhamento. “Atualmente, temos grupos de trabalho como os embaixadores da comunicação, multiplicadores de 5S, auditores de qualidade, campanha de ideias, entre outros projetos. Nosso objetivo principal, além da capacitação, é que as pessoas na Cemara compartilhem conhecimento, experiências, responsabilidade e que assim possam crescer pessoal e profissionalmente”, destacou. A Cemara também compartilha seus conhecimentos e ações de gestão com outras empresas. Para Dei Santi, é importante realizar o benchmarking para conhecer melhor o que o mercado está fazendo para motivar e qualificar seus colaboradores. “A Cemara, desde que recebeu o prêmio de Melhores Empresas para se trabalhar concedido pelo GPTW, tem sido convidada a compartilhar as boas práticas adotadas. Temos feito isso com alguma regularidade no último ano e as que mais nos procuram são empresas familiares como a nossa”, finalizou o diretor. Aplicativos investem na mobilidade compartilhada As novas tecnologias de informação e comunicação, principalmente através da internet e da conectividade, estão impulsionando o crescimentodachamadaeconomiacompartilhada no mundo. O destaque desse novo modelo é a mobilidade urbana de uso comum. Hoje, existem no mercado aplicativos e soluções de mobilidade compartilhada, que criam maneiras diferentes de usar e ligar diferentes estruturas de transporte que já existem, com uso de carros, bicicletas e até estacionamento. O Brasil é um dos países que tem potencial considerável para que essas ações se desenvolvam com sucesso. As experiências já apontam resultados expressivos. Entre os segmentos da mobilidade compartilhada, o que tem maior potencial de crescimento no Brasil é o das bicicletas com apelo fortíssimo na preservação ambiental. Um dos programas de maior visibilidade é o do Banco Itaú, em funcionamento desde 2011, e implantado em sete capitais. São 750 estações e mais de 7,5 mil bicicletas, que já realizaram cerca de 9,2 milhões de viagens e ajudaram a evitar o lançamento de 3.727 toneladas CO2 na atmosfera, segundo informações da instituição. Entre o compartilhamento de carros, o destaque é o polêmico Uber, considerado modelo de compartilhamento de caronas em cidades, mas que ainda passa por regulamentação no Brasil, e mesmo assim já é um sucesso entre os internautas. A Zazcar, criada em 2013, trabalha com o aluguel de carros por hora ou por dia na cidade de São Paulo, com 50 pontos de retirada/ entrega de veículos. Aplicativos de estacionamento no Brasil já são soluções para os usuários, porque além de permitirem a busca por estacionamentos comerciais, também trabalham com o compartilhamento de garagens privadas e funcionam como intermediários entre o dono do espaço e o motorista. Os mais conhecidos são: ParkingAki, o ezPark e o OndeParar. César Dei Santi Diretor da Cemara Loteamentos

[close]

p. 4

4 FIQUE POR DENTRO Portal de Relacionamento facilita comunicação com cliente Ferramenta de comunicação dá acesso a vários serviços e informações exclusivas da companhia A Cemara está sempre buscando atender seus clientes com qualidade e eficiência. Para facilitar ainda mais a vida das pessoas, a empresa apostou no Portal de Relacionamento, uma ferramenta de comunicação que traz várias facilidades e rapidez no atendimento pela internet. Agora, ficou mais simples receber informações, novidades e ainda solucionar dúvidas de cadastro, pagamentos, entre outros. Para acessar o Portal de Relacionamento, disponível no site da Cemara, o cliente deve digitar seu login e senha na área reservada. Além dessas facilidades, o Portal pode ser utilizado para envio de sugestões, elogios e reclamações. Para isso, é só clicar em Fale Conosco – um canal direto com o Departamento de Qualidade. O ícone do Portal de Relacionamento está disponível em www.cemara.com.br e pode ser acessado também pelo celular. Site Na tela principal, é possível escolher vários serviços e ter acesso a informações exclusivas sobre os lançamentos da empresa, além de acompanhar as obras, fotos dos loteamentos, ter atendimento personalizado pelo chat on-line, entre outros serviços que facilitam o contato do cliente com a empresa. Para saber sobre as oportunidades e conhecer um pouco mais sobre a empresa, acompanhe a Cemara nas redes sociais. AS PRINCIPAIS FACILIDADES DO PORTAL DE RELACIONAMENTO SÃO: 2ª Via do Boleto Informações Pessoais Conta Corrente Alterar Senha Alterar Vencimento

[close]

p. 5

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 FIQUE POR DENTRO Cemara participa da maior feira de networking da região A empresa participou do 15º Amcham Business Day para divulgar as principais oportunidades da empresa, como o Centro Empresarial e Industrial Nove de Julho. O evento, considerado a maior feira de networking da região e promovido pela Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos, foi realizado no dia 23 de março, no Royal Palm Plaza Resort, em Campinas/SP. Segundo César Dei Santi, diretor da companhia, participar do evento como patrocinador da sala de degustação de vinhos foi fundamental para a empresa reforçar a parceria com a Amcham. “Além disso, nosso objetivo foi mostrar as novidades da Cemara e do Centro Empresarial Nove de Julho, empreendimento voltado para pequenos e médios empresários, que já está em fase final das obras na cidade de Americana”, comentou. Durante o dia, foram ministradas palestras de profissionais do mercado, que abordaram temas como o marketing do futuro e os cinco drivers de mudança das empresas e dos negócios. Entre os destaques, os palestrantes Juliano Prado, criador da Galinha Pintadinha, e André Heller, medalhista Olímpico da Seleção Brasileira de Vôlei, falando sobre estratégias vitoriosas com aplicabilidade no mundo dos negócios. Evento nacional discute o futuro do setor imobiliário e de infraestrutura 5 A Cemara participou, no final de abril, do GRI Loteamentos & Comunidades Planejadas 2016, evento realizado na cidade de São Paulo/ SP, pela GRI (Global Real Estate Institute), clube global que reúne os maiores e principais players dos setores imobiliário e de infraestrutura, com o propósito de discutir o futuro do segmento junto aos decisores do setor imobiliário. Mais de 150 executivos de loteadoras, investidores, instituições financeiras, representantes de órgãos públicos e de associações participaram do encontro que na programação privilegiou a troca de experiências e debateu assuntos de suma importância para o mercado, como perspectivas, erros e acertos, como é possível aos players se adequarem à nova velocidade de vendas, bem menos acelerada do que nos últimos anos, e as diferenças de realidade de padrões de empreendimentos em cada região do país. Marcos Dei Santi, diretor da Cemara Loteamentos, integrou o painel “Bate papo sem censura - Como está o pensamento do consumidor?”, com 25 profissionais do segmento. “Foi um momento para discutir o perfil do consumidor que está cada vez mais criterioso, em busca de informações sobre o imóvel que deseja comprar”, comentou.

[close]

p. 6

6 FIQUE POR DENTRO Comprar um terreno para construir a casa própria pode ser mais vantajoso que o imóvel pronto Morar na casa própria é um dos sonhos do brasileiro e, na hora de tomar essa decisão importante, pode surgir uma dúvida: adquirir uma casa pronta ou um terreno para construir? Para quem busca facilidade no pagamento, planejar o investimento de acordo com as suas posses e construir conforme as suas preferências, comprar um lote pode ser uma boa opção. Para Raquel Dei Santi, diretora e Arquiteta e Urbanista da Cemara Loteamentos, se o consumidor procura um melhor custo benefício no investimento, a escolha pelo lote pode ser mais vantajosa que a compra de um imóvel pronto. “Na compra de um terreno, por exemplo, o comprador é quem define prazo e orçamento para realizar a obra”, disse. A arquiteta destaca alguns motivos que justificam a compra de um terreno. CONHEÇA QUATRO MOTIVOS: 01 Construir de acordo com as preferências do proprietário. Para o consumidor que deseja ter uma casa que contemple os seus desejos, a compra de um terreno pode ser ideal. A disposição dos quartos, a área de lazer e os tamanhos dos banheiros ficam ao gosto do dono. 02 Pagar o terreno para depois construir. Para quem está com pouco dinheiro para investir, uma opção é pagar primeiro as parcelas do terreno, para depois iniciar as obras. É uma forma de obter a casa própria sem onerar o orçamento familiar. 03 Não ter a preocupação de desembolsar uma quantia de uma só vez. É possível fazer dois planejamentos, um para construir a casa – levantar as estruturas – e outro para colocação de materiais de acabamento – como pisos, azulejos, janelas e a pintura. 04 Barganhar preços na compra dos materiais. Ao construir a própria casa, o consumidor pode fazer uma pesquisa junto aos diversos estabelecimentos para identificar os produtos que serão usados na construção. Ele poderá alinhar custo com qualidade e ter a certeza de que seu imóvel tem materiais de primeira linha. SAIBA QUAL É A RELAÇÃO DAS CHUVAS COM O ANDAMENTO DAS OBRAS DOS LOTEAMENTOS: A Cemara Loteamentos preocupa-se com todos os processos de segurança de suas obras. Por isso, faz o acompanhamento meteorológico preventivo e quantitativo. E trabalha em momentos secos para cumprir seus cronogramas. Mas as chuvas com volume superior a 5 milímetros podem causar até três dias de paralisação, além de apresentar risco para os funcionários, para a estrutura da construção e até mesmo para o meio ambiente. Instabilidade dos equipamentos durante a movimentação de terra, com riscos à segurança dos operários e dos demais funcionários; As obras que envolvem a execução da rede de água (potável, esgoto e drenagem) podem ser contaminadas ou entupidas, devido a tubos destampados ou valas abertas neste período; Afetar a resistência e o acabamento do concreto; Dias chuvosos ou com temperaturas muito baixas interferem na qualidade do pavimento; O excesso de água pode comprometer toda a estrutura da fundação do asfalto; Para realizar trabalhos de manutenção, como poda e capina, as máquinas necessitam de terreno seco; Materiais de construção derivados do petróleo, aplicados durante a chuva, podem causar a contaminação de milhares de metros cúbicos de água. Também podem provocar erosões nas obras de terraplanagem e causar assoreamento dos cursos hídricos. ESTES SÃO OS IMPACTOS DIRETOS DAS CHUVAS EM NOSSAS OBRAS. VOCÊ SABIA? SE GOSTOU, COMPARTILHE COM QUEM NÃO SABE!

[close]

p. 7

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 7 TOQUE DE ESPECIALISTA Flores são essenciais na decoração de festas em casa Com a crise econômica, muitas pessoas deixam de fazer grandes festas e acabam recebendo familiares e amigos em casa, para uma festa de aniversário, um jantar ou um almoço. Deixar a casa bonita e ter uma mesa bem arrumada pode ser uma ideia interessante, principalmente usando objetos de decoração e arranjos de flores. Fernando Reame, decorador e paisagista, explicou que as festas em casa nunca “perdem o charme”. Veja a seguir as principais dicas de Reame em entrevista ao Cemara Informa: Cemara Informa - Você tem sentido que as pessoas estão recebendo mais em casa? Fernando Reame - As festas em casa ganharam força com a crise, mas não perderam o charme. Com a crise, temos passado por um ajuste no tamanho dos eventos, mas os clientes nunca abrem mão da qualidade e isso vale para receber em casa. CI - A decoração sempre tem que ter um toque do dono da casa. Quais dicas você dá para que a decoração tenha o estilo de seus moradores? FR - Sempre faça uso de peças que já possui em casa. Isso dá à decoração muita personalidade e ajuda a economizar com locação de vasos, adornos e móveis. E isso é o mais indicado! Fazer uso de acessórios do lar é sempre bem-vindo. Uma baixela de prata pode sim virar um cachepot com flores. Uma composição de garrafas vazias, junto a uma flor natural, pode virar um centro de mesa. CI - Que tipo de flores você sugere para um arranjo central de mesa? FR - Opte pelas flores já plantadas em cachepots, que são as orquídeas em todas as suas espécies, e flores com caules longos para arranjos florais. Por exemplo, em um cilindro de vidro, coloque uma dúzia de copos de leite. Este tipo de arranjo fica lindo, clean e elegante. Se a opção for por flores plantadas, você terá sua casa decorada não só para a festa, mas por várias semanas, pois elas têm uma durabilidade maior. FR - Incorporar os elementos festivos aos arranjos florais sempre deixam eles muito lindos. Para o Natal, sugiro incorporar laços e bolas coloridas aos arranjos. Dão muito efeito. Ovos pintados também deixam qualquer arranjo floral pronto para o almoço de Páscoa. arranjos. Caso tenha dificuldade em montar um arranjo floral, coloque várias plantas dentro de um cachepot. Garanto que você vai impressionar seus convidados. Para os demais ambientes da casa, foque no arranjo que ficará ao centro da mesa de jantar e “perfume” os demais cantinhos com pequenas composições. Até folhagens, que costumamos ter mais no jardim, decoram a casa. Um exemplo disso é utilizarmos a famosa Costela de Adão (Monstera). Ela dá vida a qualquer ambiente. CI - As flores sempre dão um ar festivo para a casa. O que não pode faltar numa mesa para o Natal, Ano Novo e Páscoa? CI - Na decoração para festas infantis, flores são bem- vindas? FR - Sim, só que em maior quantidade em festas de meninas. As flores complementam qualquer decoração. Trazem leveza e delicadeza para a festa. Inclusive, hoje o tema infantil que mais executamos é o Jardim, sempre lindo e com muitas flores. CI - Existem diferentes tipos de decoração para cada evento realizado. Qual é o seu toque para receber um grupo de amigos para um jantar? FR - Para um jantar, pense em decorar pontos estratégicos, como o hall de entrada, com uma composição de Fernando Reame Decorador (19) 3478.6851 contato@fernandoreame.com.br www.fernandoreame.com.br

[close]

p. 8

8 MATÉRIA DE CAPA Compartilhar conhecimento e recursos é destaque nos condomínios empresariais As vantagens desse modelo de compartilhamento sustentável são os benefícios econômicos e financeiros, e também uma boa opção para a conquista de novos clientes e negócios Uma opção de empreendimento que vem ganhando cada vez mais adeptos entre os empresários é o condomínio empresarial. Compartilhar custos e economizar recursos é uma das grandes vantagens desses espaços que oferecem, em geral, uma estrutura completa para empreendedores que estão em busca de benefícios econômicos e financeiros. Também é um caminho para conquistar novos clientes e novos negócios, principalmente com a interação natural entre profissionais de diversos segmentos em um mesmo local. Atenta às movimentações do mercado, a Cemara já desenvolve o compartilhamento em sua gestão de negócios e também aplica o conceito em alguns de seus empreendimentos. O Centro Empresarial e Industrial Nove de Julho, localizado em Americana/ SP, às margens da Rodovia Anhanguera, é um bom exemplo de condomínio empresarial onde foi, desde o início do projeto, planejada a economia de recursos de infraestrutura e o compartilhamento em vários setores, como transporte, serviços de RH, logística, segurança, alimentação, entre outros. Para explicar com mais detalhes o funcionamento dos condomínios empresariais, o Cemara Informa falou com o professor e doutor Almir Ferreira de Sousa, coordenador da FIA (Fundação Instituto de Administração), referência entre as escolas de negócio do país, que destacou as principais vantagens para os empresários interessados no modelo de economia compartilhada. Leia a seguir os principais trechos da entrevista: Cemara Informa - Os condomínios empresariais estão cada vez mais presentes no Brasil. Quais são os motivos para o crescimento desse modelo? Almir Ferreira de Sousa - As empresas brasileiras estão cada vez mais preocupadas em desenvolver o máximo possível a capacidade gerencial do negócio e, assim, gerar ganhos de competitividade, principalmente no uso de recursos físicos, humanos, materiais e financeiros, gestão de riscos operacionais e financeiros e na maximização da confiabilidade das decisões de investimento. Embora não seja a única forma para obter ganhos de eficiência e competitividade, a busca progressiva por condomínios empresariais representa uma iniciativa bem sucedida nessa direção. CI - Quais são as vantagens e os diferenciais para o empresário que decide instalar sua empresa em um condomínio empresarial? AFS - Estar em um condomínio empresarial significa compartilhar o uso de recursos, o que tende a trazer uma série de benefícios econômicofinanceiros, mercadológicos e sociais. Por exemplo, o uso de espaços físicos e diversos serviços compartilhados, como estacionamento, segurança, portaria, restaurante, creche, ambulatório médico, transporte de funcionários, espaços de treinamento e convivência são importantes redutores de custos fixos. Em decorrência disso, a empresa é diretamente beneficiada com menor exposição aos riscos operacionais e aumento de rentabilidade direta. Mas a maior e mais importante de todas as vantagens está nos benefícios sociais que as empresas e os funcionários podem gerar com programas de treinamento e o desenvolvimento Foto do local

[close]

p. 9

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 9 do capital humano. Uma concentração física de empresas é capaz de atrair e facilitar atividades de escolas técnicas e escolas de negócios, por exemplo, com ganhos de tempo para empresas e funcionários, ampliando oportunidades sociais para todos. CI - O relacionamento com outros empresários e negócios pode ser uma grande vantagem para as empresas? AFS - Sim. Uma das vantagens está relacionada à possibilidade de, a partir da proximidade física, as empresas desenvolverem diversas formas de parcerias, especialmente se forem integrantes da mesma cadeia de valor. Além disso, outra vantagem é o ganho em economia mercadológica. Na medida em que ocorre a concentração física de empresas, fornecedores e distribuidores encontram atrativos que aumentam o poder de negociação e o potencial de redução de custos variáveis dos condôminos, o que pode gerar ganhos de margens de lucratividade e aumento da competitividade. CI - Por conta do momento econômico, você considera o modelo uma oportunidade para o empreendedor realizar o sonho de ter sua primeira sede? AFS - O sonho de ter uma sede própria é legítimo e geralmente contribui para melhorar a imagem da empresa perante seus stakeholders e elevar o seu valor de mercado. Entretanto, por se tratar de uma importante decisão, que envolve alto investimento de recursos, a análise econômico-financeira precisa ser ampla e aprofundada, até porque é uma alocação financeira com retorno esperado em longo prazo e com baixo poder de reversibilidade. Claro que se o estudo de viabilidade econômicofinanceira mostrar viável, é muito provável que com a tradução monetária das diversas vantagens do condomínio empresarial e sua inclusão nos futuros fluxos de caixa da análise, o dono de negócio obtenha nessa opção mais viabilidade do que em uma localidade isolada. CI - O que o empresário deve pesquisar antes de aderir aos condomínios? AFS - A minha recomendação é que o empresário esteja atento, principalmente, à localização da empresa. Essa será uma das decisões mais estratégicas para o dono do negócio. Por isso, indico realizar estudos prévios, analisando se a localização do condomínio contempla todos os fatores necessários para o seu negócio. CI - Quais são os impactos econômicos e sociais para a região onde o condomínio empresarial e industrial está instalado? AFS - Adensamentos residenciais e empresariais sempre produzem impactos para as regiões onde estão localizados. E se avaliarmos os aspectos socioeconômicos, indiscutivelmente os positivos serão muito superiores. Na medida em que a nossa sociedade sofre com a carência generalizada de planejamento urbano, o surgimento de um condomínio desenvolvido a partir de estudos de viabilidade econômica, financeira e social pode Uma das vantagens está relacionada à possibilidade de, a partir da proximidade física, as empresas desenvolverem diversas formas de parcerias, especialmente se forem integrantes da mesma cadeia de valor." aumentar as preocupações com o local e todo seu entorno. As melhorias podem envolver desde as vias de acesso, iluminação, saneamento, segurança pública, transporte público, escolas e até outras infraestruturas de apoio à sociedade, atraindo mais investimentos e gerando mais empregos, com importantes ganhos para todos. CI - A logística proporcionada por estes espaços é uma forma de beneficiar os diversos ramos da cadeia produtiva? AFS - Na nossa economia, a deficiência de portos, aeroportos, rodovias e demais componentes da infraestrutura de apoio ao escoamento de insumos e produtos tem sido um dos fatores críticos de desperdícios, de aumento dos custos e de perda de competitividade das nossas empresas. Os custos do processo produtivo têm reflexos muito maiores do que é possível perceber. O fato de ter que carregar estoques, por exemplo, submete as empresas a uma inevitável necessidade de capital de giro de natureza permanente, com custo financeiro elevado. O cenário tem feito com que a área de logística venha sendo alvo de crescente preocupação nas empresas e de estudos acadêmicos. Não tenho dúvidas de que a possibilidade proporcionada pelo uso de espaços compartilhados pode ser uma das formas de beneficiar os diversos agentes da cadeia produtiva. Almir Ferreira de Sousa Professor e Doutor Coordenador da FIA (Fundação Instituto de Administração)

[close]

p. 10

10 É BOM SABER Portal destaca compartilhamento em empreendimento da Cemara Confira abaixo parte da matéria publicada No momento em que o país discute formas de financiar investimento em infraestrutura, a ideia de núcleos completos, que mesclam habitações e empresas em grandes áreas comuns, pode ser uma estratégia que vai além de investimentos isolados e particulares. Em Americana, cidade do interior de São Paulo, uma área de 5 milhões de m² é exemplo disso. Trabalhada desde 1999 pela loteadora Cemara, o plano de urbanização Carioba entra em nova fase com o loteamento Industrial e Empresarial Nove de Julho, cujo investimento com infraestrutura básica (terraplanagem, eletricidade, água e esgoto, pavimentação etc.) chegou a R$ 20 milhões. Esse projeto inclui uma área de 1 milhão de m², com mais de 430 lotes medindo cerca de 750 m² cada. Marcos Dei Santi, diretor da Cemara, explica, contudo, que outros 3 milhões de m² já foram loteados para residências do padrão econômico popular e mais 1 milhão de m² para residências de alto padrão. Todos esses investimentos completam uma cifra próxima a R$ 150 milhões. “A área empresarial e industrial fecha o circuito, formatando um bairro completo com emprego e moradia num raio médio de 1 km de distância”, diz ele. A ideia da geração y é do compartilhamento, avalia o executivo. Segundo ele, em poucos anos essa geração estará no comando dos processos, e planos de urbanização como o do Carioba atendem a esses anseios. “Quando se concentra um grupo de empresas num loteamento como o Nove de Julho, se permite a ideia do compartilhamento em várias esferas, incluindo serviços de RH, logística, segurança, alimentação etc.”, diz ele. Como exemplo, Dei Santi lembra que a locação de um ônibus fretado para transportar funcionários de uma média ou pequena empresa é cara e dificilmente viável, até pela dificuldade de preencher as cadeiras disponíveis. “Num centro empresarial, as empresas podem compartilhar esse recurso”, diz. Outro exemplo é o de alimentação, permitindo que um dos condôminos, ou até uma empresa terceira, ofereça serviço de refeitório em massa a custos competitivos em relação às grandes indústrias. “E esse compartilhamento pode ser estendido a serviços de marketing, advocacia etc.”. O executivo da Cemara também reflete sobre o problema enfrentado pelas empresas de médio e pequeno porte nos centros urbanos atualmente. “Com o crescimento dos últimos anos, as residências invadiram áreas industriais, os comércios as áreas residenciais e vice-versa. Conclusão: muitas das empresas, que ocuparam os espaços primeiro, hoje estão sitiadas, se tornando um transtorno para a população. A proposta de um cluster, como é esse centro empresarial, elimina essa problemática, permitindo que as empresas fiquem onde estão por quanto tempo desejarem e ainda possam contar com mão de obra próxima”, completa. O loteamento está prestes a ser entregue, com as obras de infraestrutura em fase final de execução. Na perspectiva de Marcos Dei Santi, a ocupação integral do 9 de Julho deverá ocorrer em 10 ou 15 anos e as ações de compartilhamento citadas no começo da matéria estão sendo sugeridas pela Cemara - que instalou parte das áreas comuns, como salas de reuniões compartilhadas, salas de descanso para motoristas e portaria -, mas quem as aplicará será a associação dos proprietários, que deve ser constituída tão logo iniciem as ocupações. “A perspectiva é de que haja áreas compartilhadas como sala de descanso, espaços de beleza, kids, fitness, caminhadas e jogos de mesa, além de lan house, campo de futebol society e churrasqueira dentro de um salão multiuso que estamos entregando construído”, diz ele. Por Rodrigo Conceição Santos, do Portal InfraRoi Artigo originalmente publicado em: http://infraroi.com.br/projeto-de-urbanizacao-interior-de-sao-paulo-mostra-forma-diferenciada-de-investimento-em-infraestrutura-e-atendimento-geracao-y

[close]

p. 11

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 11 É BOM SABER Cluster é realidade no Brasil e chega ao agronegócio Piracicaba/SP será o endereço de novo empreendimento já conhecido como o Vale do Silício do setor A prática do uso comum de recursos não é novidade e é utilizada pela humanidade há centenas de anos. No  entanto, uma nova cultura de consumo (que estimula o uso em vez da  posse) e a escassez de recursos, como matérias-primas, dinheiro e espaço urbano, são alguns dos fatores socioeconômicos que impulsionam o crescimento da economia compartilhada. Essa tendência é a base para o conceito de cluster, popularizado pelo economista Michael Porter, em 1990. Cluster é a concentração de empresas de segmentos semelhantes ou distintos que competem, mas também cooperam entre si e, dessa forma, se tornam mais eficientes, aumentando a produtividade e estimulando a formação de novos negócios. O Vale do Silício, nos Estados Unidos, é uma das maiores aglomerações de empresas com domínio de tecnologia de ponta do mundo, e também o maior exemplo de sucesso de cluster. No Brasil, esse conceito já é realidade. Campinas/SP, Santa Rita do Sapucaí/MG e Porto Alegre/RS têm se destacado e são conhecidas como o Vale do Silício brasileiro devido às suas iniciativas de incentivo à inovação tecnológica. Agora, esse modelo de economia compartilhada vai tomando conta de outros segmentos. Uma dessas ações é o projeto de transformar Piracicaba/SP no Vale do Silício do agronegócio. Foi lançado, no início do ano, um empreendimento chamado AgtechValley, que também é conhecido como Vale de Piracicaba. A ideia é reunir em um mesmo local um polo de desenvolvimento e de inovações para o agronegócio, empreendimentos tecnológicos e ainda algumas das empresas que já atuam na cidade. Segundo Cesar Dei Santi, diretor da Cemara, o investimento no agronegócio na região estava no radar da empresa há algum tempo. "Economistas no Brasil destacam que o agronegócio é uma maneira real de salvar a economia no país e, para nós, isso foi ótimo. Estávamos com dois loteamentos em Piracicaba que, por conta da crise, seriam lançados somente em 2018. Com esse novo polo de negócios, antecipamos o lançamento para o ano que vem, porque sabemos que vamos ter demanda de novas moradias". Além desses lançamentos, a Cemara já havia lançado outro loteamento em 2009. Os três empreendimentos ficam nos bairros do Campestre e Bongue. Fonte: http://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/noticia/2016/06/empresas-miram-vale-do-silicio-da-agricultura-e-mudam-para-piracicaba.html Cemara conquista Selo Verde por boas práticas socioambientais Certificado emitido pelo Jornal do Meio Ambiente é concedido a empresas que adotam iniciativas próprias que preservam a natureza A Cemara Loteamentos conquistou o Certificado de Destaque Ambiental - Selo Verde - emitido pelo Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. O prêmio é concedido a um seleto grupo de empresas que possuem licenças ambientais, que respeitam a legislação e ainda adotam iniciativas próprias que estimulam a preservação do meio ambiente. Segundo o Jornal, o Selo Verde tem como propósito reconhecer, estimular e certificar o compromisso de empresas com boas práticas socioambientais, por meio da difusão de exemplos que têm como princípio a sustentabilidade, a justiça social e o respeito à vida. A certificação só é concedida após uma rigorosa pesquisa junto aos órgãos ambientais, tais como Ibama, Conama, Secretarias Estaduais e Municipais do Meio Ambiente, que formam o Comitê Ambiental. Em seus empreendimentos, a Cemara atua sempre preocupada com o impacto ambiental e adota iniciativas que contribuem para a preservação. Por isso, obteve o reconhecimento do Comitê por assumir o compromisso com o desenvolvimento sustentável, com licenciamentos em dia e boas práticas ambientais. Os critérios de avaliação usados foram: água e efluentes; energia; matérias-primas e resíduos; emissões atmosféricas e educação ambiental. A empresa cumpriu todos os requisitos para receber o Selo Verde. Iniciativas ambientais A empresa urbaniza áreas, implantando bairros planejados com toda a infraestrutura necessária para construção de casas e espaços empresariais. “A Cemara está cada vez mais engajada em adotar iniciativas que contribuam para o meio ambiente. Passamos a usar, por exemplo, matéria-prima reciclada em algumas fases da pavimentação dos loteamentos, o que causa menos danos ao ecossistema, porque reutilizamos um material que seria descartado na natureza e, muitas vezes, de forma errada”, comenta César Dei Santi, diretor da companhia. A Cemara também tem em seus loteamentos áreas de preservação ambiental. No Centro Empresarial Nove de Julho (CEI), empreendimento recém-lançado na cidade de Americana/SP, são 154 mil m² de área verde preservada. Anexo ao loteamento, também há 180 mil m² de Área de Preservação Permanente (APP). Ao todo, o empreendimento tem 334 mil m² de área verde, o que corresponde, aproximadamente, a três Parques Ecológicos de Americana. O espaço já foi licenciado pela CETESB. No empreendimento Jardim Piazza Itália, localizado em Piracicaba/SP, a empresa pretende plantar mais de 10 mil árvores até o final das obras. No local, já existem mais de 3,5 mil mudas para contribuição da preservação ambiental do local. Restauração de APP realizada pela Cemara no bairro Nova Carioba em Americana.

[close]

p. 12

12 Situação das obras em maio de 2016 De olho nas obras de infraestrutura Jardim Piazza Itália Arborização Demarcação Implantação de guias e sarjetas Pavimentação Rede de coleta de esgoto Rede de distribuição de água Rede de drenagem Rede elétrica Terraplanagem Sinalização 23% 0% 0% 14% 0% 0% 0% Residencial Vila-Lobos Arborização Demarcação Implantação de guias e sarjetas Pavimentação Rede de coleta de esgoto Rede de distribuição de água Rede de drenagem Rede elétrica Terraplanagem Sinalização 0% 0% 0% 14% 0% 0% 0% Residencial Pau-Brasil Cabeamento Rua 8 Arborização Demarcação Implantação de guias e sarjetas Pavimentação Rede de coleta de esgoto Rede de distribuição de água Rede de drenagem Rede elétrica Terraplanagem Sinalização Portaria 0% 0% 100% 95% 100% 100% 96% 96% 90% 100% 91% 88% 98% 99% 100% 85% 100%

[close]

p. 13

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 13 Centro Empresarial e Industrial Nove de Julho Módulos I e II Arborização Demarcação Implantação de guias e sarjetas Pavimentação Rede de coleta de esgoto Rede de distribuição de água Rede de drenagem Rede elétrica Terraplanagem Sinalização Portaria 15% 75% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% Módulos III e IV Arborização Demarcação Implantação de guias e sarjetas Pavimentação Rede de coleta de esgoto Rede de distribuição de água Rede de drenagem Rede elétrica Terraplanagem Sinalização Portaria 0% 0% 0% 0% 75% 100% 91% 97% 93% 100% 100%

[close]

p. 14

14 EMPREENDIMENTO EM FOCO Campanha Indique um Amigo dá prêmios para clientes da Cemara Compradores de três empreendimentos da empresa podem participar da Campanha A Cemara Loteamentos criou a campanha Indique um Amigo para premiar clientes da empresa que compraram lotes no Jardim Piazza Itália, em Piracicaba/SP; no Residencial Vila-Lobos, em São José do Rio Preto/SP; e no Jardim Girassol, em Mirassol/SP. Os participantes indicam um ou mais amigos para a compra de terrenos nos empreendimentos onde são proprietários e, após a indicação e a efetivação da compra, o cliente que indicou ganha uma bicicleta. A campanha está sendo um sucesso e vários clientes da empresa já aderiram à ideia e ganharam o prêmio por indicar seus amigos e familiares. “Gostei muito de receber o prêmio. Eu indiquei minha irmã para comprar um lote em Piracicaba e futuramente ela será minha vizinha”, disse Alexandra de Cássia Quadros, cliente da Cemara. Esse sucesso se deve à confiança dos clientes nos empreendimentos implantados pela Cemara e o principal objetivo é estimular a prática de atividade física usando a bicicleta, pois um dos nossos pilares é incentivar a qualidade de vida dos moradores. Não fique de fora, acesse o regulamento em: cemara.com.br e indique um amigo!

[close]

p. 15

Ano 10 • Edição nº 20 • Julho 2016 GIRO REGIONAL Jundiaí surpreende visitantes com Rota da Uva e turismo rural Cidade é destaque ainda nos atrativos naturais como a Serra do Japi, festas tradicionais como a Festa da Uva e gastronomia com tradições italianas 15 Com mais de 350 anos, Jundiaí é uma das cidades mais importantes do estado de São Paulo e uma das maiores em território, sendo a 59° maior do Brasil, superando quatro capitais estaduais. Hoje, com aproximadamente 374 mil habitantes, possui mais de 700 indústrias, um centro urbano bastante desenvolvido e uma das principais economias do Brasil, além de ser reconhecida como a cidade que possui um dos melhores Índices de Desenvolvimento Humano de São Paulo (IDH). Mesmo com todo o progresso pelo qual a antiga Vila passou, o município não perdeu suas características de cidade do interior, sendo ainda conhecida pela produção das uvas, de frutas e pela vida rural. Jundiaí também é reconhecida pelas festas, como a Festa da Uva, famosa nacionalmente. A cidade ainda foi berço do desenvolvimento espontâneo, por meio de uma mutação genética da uva Niágara Rosada, a uva de mesa mais consumida no país. O calendário da cidade é ainda complementado por inúmeras outras festas e eventos como a Festa da Colônia Italiana, integrante do calendário oficial de eventos do Estado de São Paulo, a Festa Portuguesa, a Festa do Vinho Artesanal e tantas outras atividades realizadas em vários bairros da cidade, guardando a tradição da vivência em comunidade, típica das pequenas cidades do interior. Outro destaque em Jundiaí, que integra o Circuito das Frutas, é o turismo rural, com roteiros que mesclam cultura, história e contato com o campo e a natureza. O dia a dia do campo, as tradições, a culinária, as frutas frescas colhidas direto do pé, os aromas dos pratos feitos no fogão a lenha, dos doces, dos bolos e pães fresquinhos, servidos com café feito na hora, o vinho e os licores são algumas das experiências que os turistas podem aproveitar na cidade que tem ainda atrativos naturais, em especial a Serra do Japi. ROTA DA UVA Um dos destaques dos roteiros turísticos de Jundiaí é a Rota da Uva. Formada pelos bairros do Caxambú, Colônia, Toca, Roseira e adjacências, a rota possui uma história marcada pela imigração italiana que trouxe consigo não somente a vontade de desbravar um novo país, mas também de plantar aqui suas raízes e reconstruir suas tradições. Com isso, a cultura da uva foi quase uma consequência e, com ela, a produção do vinho. Para a gastronomia tradicional, passar a compor as atrações da região foi só mais um passo. Com essa tradição, a Rota da Uva hoje é uma rota de cores, paisagens e sabores indescritíveis. A uva in natura, o vinho, os doces, as geleias, os pães caseiros, os bolos e as massas tipicamente italianas são apenas algumas opções que o passeio oferece ao visitante.

[close]

Comments

no comments yet