Sucesso

 

Embed or link this publication

Description

Sucesso

Popular Pages


p. 1

HISTÓRIA DE SUCESSO Do artesanal às grandes indústrias, avicultura brasileira tornou-se referência mundial

[close]

p. 2

Foto: Agrostock Sumário 16 Tecnologia Mapa inicia preparação para registro eletrônico de produtos de origem animal 24 Capa Conheça os desafios e conquistas da história de sucesso do setor avícola brasileiro 36 Mercado Roubo de cargas nas estradas preocupa empresas. Veja dicas para evitar problemas 04 Observatório 05 Agenda 06 Sindiavipar 08 Na mídia 10 Radar 12 Entrevista 14 Tecnologia 14 Abatedouros móveis 16 Registro Eletrônico 18 Insumos 20 Bem-estar 22 Sanidade 24 Capa 32 Artigo técnico 34 Mercado 34 Grandes exportadores 36 Roubo de cargas 38 Balanço do semestre 40 Redução ICMS 42 Associados 44 Artigo motivacional 46 Notas e registros 48 Estatísticas Sindiavipar

[close]

p. 3

Diretoria Presidente: Domingos Martins Vice-presidente: Claudio de Oliveira Secretário: Olavio Lepper Tesoureiro: João Roberto Welter Suplentes: Luiz Adalberto Stabile Benicio, Ciliomar Tortola, Vallter Pitol e Roberto Kaefer Conselheiros fiscais Efetivos: Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro, Dilvo Grolli e Edno Guimarães Suplentes: Rogerio Wagner Martini Gonçalves, Celio Batista Martins Filho e Marcos Aparecido Batista Delegados representantes efetivos: Domingos Martins e Luiz Adalberto Stabile Benicio Suplentes: Ciliomar Tortola e Paulo Cesar Massaro Thibes Cordeiro Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná Av. Cândido de Abreu, 140 - Salas 303/304 - Curitiba/PR - CEP: 80.530-901 Tel.: 41 3224-8737 | sindiavipar.com.br | sindiavipar@sindiavipar.com.br Fale conosco Se você tem alguma sugestão, crítica, dúvida ou deseja anunciar na Revista Sindiavipar, escreva para nós: revista@sindiavipar.com.br. Expediente Produção Centro de Comunicação centrodecomunicacao.com.br Jornalista responsável Guilherme Vieira (MTB-PR: 1794) Colaboração Camila Castro, Gabrielle Comandulli, Jorge de Sousa, Laura Espada, Paulinne Giffhorn, e Rafaella Coury Design e diagramação Cleber Brito Comunicação e Marketing Mônica Fukuoka Impressão Maxi Gráfica Anuncie na revista Sindiavipar Mônica Fukuoka Gerente de Comunicação e Marketing marketing@sindiavipar.com.br (41) 3224-8737 Editorial A avicultura brasileira, referência mundial em qualidade e produtividade, é o grande assunto do mês. Em agosto, comemora-se a atividade e o dia do avicultor. Com isso, vem à tona a importância de se debater a evolução atingida pelo setor avícola durante esses mais de 500 anos de existência. A avicultura, hoje, é um dos principais pilares da economia brasileira e garante geração de renda para diversos municípios, estados e para o país, impactando diretamente na qualidade de vida da sociedade. Nós sabemos que os desafios e o crescimento continuam. De acordo com dados do relatório técnico da Expedição Avicultura 2015, projeto realizado pelo Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo com apoio do Sindiavipar, até 2021, a carne de frango deve superar a suína em volume de produção e, consequentemente, em consumo no mundo. Até 2025, a avicultura brasileira deve crescer quase 35% e passar a exportar 40% a mais em comparação a 2015. Demanda que exige qualificação e investimento. Na Revista Sindiavipar ed. 53 você confere uma matéria de capa sobre o mês do avicultor, que traz a história de sucesso dessa atividade. Além disso, preparamos um material especial sobre o sistema de integração, com depoimentos, dicas e informações sobre a parceria entre as integradoras e o produtor a partir da década de 60. Matérias sobre bem-estar animal, mercado e o aniversário da nossa Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) fazem parte desta edição. Uma boa leitura e um abraço. Foto: Hamilton Zambiancki selo SFC As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citadas as fontes. Domingos Martins Presidente do Sindiavipar Sindiavipar 3

[close]

p. 4

Observatório Alta nos embarques Segundo dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), os embarques totais de carne de frango apresentaram alta de 19,6% (cerca de 393,8 mil toneladas) a mais do que o mês de maio de 2015. Com esse índice, o acumulado anual da exportação avançou 16,28% em relação aos números do ano passado, com um total de 1,86 milhão de toneladas embarcadas. A receita cambial também registrou saldo positivo, com US$ 612,8 milhões obtidos, dado 4,9% superior ao quinto mês de 2015. Mercado chinês A China sempre se destacou pelas exportações de soja do Brasil. Mas, em 2016, a abertura de mercado do país para as carnes brasileiras tem auxiliado o setor de proteína animal nacional. Segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a nação asiática assumiu a primeira posição na balança comercial da carne de frango e bovina, além de ser o terceiro destino para a carne suína. Na avicultura, houve alta de 52% (total de US$ 346,4 milhões ao todo) em relação ao mesmo ­período do ano passado. Importação de milho No intuito de segurar o preço do milho, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou que irá reduzir taxas e estimular os mecanismos para compra externa, o que evita que produtores não c­oloquem esse insumo no mercado à espera de valores mais altos. A saca de 60 quilos do cereal acumula alta de 40% somente nesse ano. Crédito Rural O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, participou do lançamento do Plano Safra 2016/2017, na S­uperintendência do Banco do Brasil em Curitiba, que destinará R$ 185 bilhões de crédito aos produtores rurais brasileiros. Segundo Ortigara, do valor total destinado ao crédito rural, em média 18% devem ser destinados para o Paraná, que tem a maior carteira agrícola do Banco do Brasil no país. 4 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 5

Receita das exportações Nos primeiros quatro meses do ano as exportações do agronegócio paranaense geraram US$ 4,86 bilhões em receita, sendo que esse montante representou 80% de todo o valor registrado pelo estado. Segundo o diretor do Departamento de Economia Rural (Deral), Francisco Simioni, a desvalorização do real ante o dólar, auxiliou para que países da Europa, América do Norte e Ásia aumentassem sua procura aos insumos produzidos pelo Paraná. Cadastro Ambiental Rural é prorrogado Foi sancionado pelo presidente interino da República, Michel Temer, a prorrogação do prazo de inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR). Os agricultores e produtores rurais devem enviar suas informações até 31 de dezembro de 2017. Outlook Fórum Data 25 e 26 de agosto 2016 Local Curitiba (PR) Realização Agronegócio Gazeta do Povo Telefone (41) 3321-5274 Site http://agrooutlook.com/ IV Workshop Sindiavipar Data 27 e 28 de outubro de 2016 Local Foz do Iguaçu (PR) Realização Sindiavipar Telefone (41) 3224-8737 Site sindiavipar.com.br V AVISULAT Data 22 a 24 de novembro de 2016 Local Porto Alegre (RS) Realização ASGAV / SIPS / SINDILAT e FIERGS Telefone (51) 3228-8844 Site asgav.com.br Sindiavipar sindiavipar.com.br 5

[close]

p. 6

Associe-se! Porque juntos somos mais fortes! Reunião CONESA Foi realizada na sede da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) a 46ª Reunião Ordinária do Conselho Estadual de Sanidade Agropecuária, que teve como foco a Biosegurança na Avicultura, Suinocultura e Bovinocultura. A reunião ainda contou com a palestra do médico veterinário e gerente de saúde animal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Rafael Gonçalves Dias. Desenvolvimento sustentável A última reunião do Conselho Temático do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Coema) teve como tema principal a importância da coleta de embalagens pelo setor industrial, do comércio e do consumidor. Além dessa fala, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) apresentou o programa “Brasil mais Produtivo”, que consiste no auxílio a indústrias de pequeno e médio porte a otimizarem sua produção, inclusive na diminuição de seus resíduos processuais. O encontro ocorreu na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP-PR). Mais informações: sindiavipar.com.br | (41) 3224-8737 6 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 7

Coesa-PR No dia 19 de maio, ocorreu na cidade de Maringá a Reunião do Comitê Estadual de Sanidade Avícola (Coesa-PR), que tratou, entre outros assuntos, da nomeação de novos integrantes para seus cargos diretivos. Lourenço Sausen, veterinário Sanitarista da Brasil Foods, foi escolhido como coordenador, enquanto Alex Macorim, médico Veterinário da C.Vale Cooperativa Agroindustrial, será sub coordenador. O Sindiavipar esteve representado no evento pelo seu diretor executivo, Ícaro Fiechter.

[close]

p. 8

Na mídia Superando desafios Forçadosetoravícolaemmeio a adversidades é destaque nos veículos de imprensa Durante os meses de maio e junho a avicultura paranaense foi assunto para 252 notícias veiculadas em rádios, TVs, impressos e sites de todo o Brasil. O que rendeu um retorno de mídia espontânea de mais de R$ 900 mil. O alto valor dos insumos, como o milho, foi um dos principais temas trabalhados pela imprensa e mostrou que o setor continua crescendo mesmo diante de desafios. Matérias do Estadão, Isto É, O Presente Rural, CBN Cascavel, Diário do Noroeste, AviSite, Avicultura Industrial, entre outros, apontaram que tanto a produção como a exportação da proteína de frango estão em alta em 2016. Ao todo, 737,35 milhões de cabeças de frango foram abatidas no estado até o mês de maio. O número é 11,8% maior se comparado ao mesmo período de 2015, quando 659,37 milhões de aves foram abatidas. Só em maio, a produção foi de 148 mi- lhões de cabeças. Já o sistema de integração foi pauta de uma matéria especial do programa Negócios da Terra, da Rede Massa, que mostrou a importância da parceria entre a indústria e o avicultor para man- Retorno de mídia - Maio J2o1rn%al O7n9li%ne ter o Paraná na liderança do setor. Na reportagem, o presidente do Sindiavipar, Domingos Martins, destacou que esta aliança foi o que permitiu que fossemos altamente eficazes e produtivos no segmento. O “IV Workshop Sindiavipar: Avicultura do Paraná para o Mundo”, que já está com inscrições abertas, também movimentou os veículos especializados. Portais das revistas Feed & Food, AveWorld, Avisite, Sindirural, entre outros, trouxeram ao público os principais destaques da programação deste ano que contará com 10 palestras, distribuídas ao longo de dois dias de programação. Retorno de mídia - Junho Jornal 2% O3n7li%ne 2T%V Re4v%ista 8 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 9



[close]

p. 10

Radar Não existe crise que não acabe. Esta aqui que estamos vivendo já está acabando, graças a Deus. Nossas dificuldades estão perto do fim e a esperança voltou. Isso é o primeiro passo para reconquistar a confiança do investidor Abílio Diniz, presidente global do conselho de administração da Brasil Foods A China está consolidada como nosso segundo maior importador de carne de frango e terceiro entre os importadores de carne suína. É um mercado valioso, com potencial para crescer ainda mais. O Brasil está altamente qualificado para atender à grande demanda chinesa por alimentos Ricardo Santin, vice-presidente de mercados da ABPA É bom, especialmente para o agronegócio, setor que vem ajudando a manter o superávit da balança comercial, o qual precisa de apoio para continuar sendo esse agente de desenvolvimento, tanto no campo como nas cidades José Roberto Ricken, presidente da Ocepar sobre o compromisso de Michel Temer em não aumentar os impostos no campo 10 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 11



[close]

p. 12

Entrevista Cuidados desde a matriz Melhoramento genético traz inúmeras vantagens para a produção de frangos de corte P ara a Cobb-Vantress, genética e avicultura andam de mãos dadas. Presente no Brasil desde 1995, a empresa desenvolve pesquisas avícolas para gerar uma maior e melhor produção de frangos de corte, por meio de aves matrizes. A companhia não faz abate, nem criação de frangos para o processamento frigorífico, aplica-se somente no desenvolvimento de fêmeas que fornecerão sua boa genética aos herdeiros. Para entender um pouco mais sobre o funcionamento da genética avícola, o gerente de produto da Cobb, Rodrigo Terra, conversou com a Revista Sindiavipar e ressaltou os principais aspectos da atividade. Quais são os cuidados essenciais para ter uma produção de qualidade? A qualidade da carne está muito conectada com a sua sanidade. Os sistemas de produção hoje são modernos e pro- porcionam um ótimo controle de enfermidades, sejam elas infecciosas ou mesmo metabólicas. Não há como, na avicultura moderna, termos eficiência e lucratividade sem acompanharmos as evoluções no melhoramento genético com evoluções ambientais, isto é, nos galpões de criação das aves. Estes cuidados têm o foco de preservar a sanidade e o bem-estar das aves, que serão mais eficientes e proporcionarão menos gastos em sua criação. Quais são as vantagens da genética avícola na produção de frangos de corte? As vantagens do melhoramento genético avícola são claras: proporcionar sempre o melhor produto para o mercado. Ou seja, aquele que produz mais quantidade de carnes nobres, ao menor custo de produção. Com isto, é possível proporcionar duas condições vantajosas: ao produtor, que produzirá mais carne com menor gasto, principalmente de ração; e para o consumidor final, que terá a sua disposição mais quantidade de carne, fonte de proteína, com um preço acessível. Como vê a atuação da Cobb-Vantress no Brasil? A Cobb tem uma atuação responsável e consistente no Brasil e em todos os países em que atua no mundo. A filosofia da empresa é muito clara quanto à integridade em sua relação com as instituições, clientes e competidores. Em seus anos de atuação no Brasil, a Cobb sempre trouxe e disponibilizou ao mercado o melhor produto no segmento de desenvolvimento genético. O conjunto de seu serviço, de alta qualidade técnica e relacionamento íntegro com o cliente e mercado, aliada ao seu produto sempre em desenvolvimento, que faz o “pacote” Cobb atrativo, consistente e confiante. 12 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 13

Rodrigo Terra Graduado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Júlio Mesquita Filho (Unesp) – Câmpus de Botucatu Responsável pelo serviço técnico para matrizes e gerente de produção de avós da Agroceres Avicultura de 1984 a 1993 Em 1999 ingressou na família Cobb, tornando-se gerente de produto em 2007 Sindiavipar Vai e volta Mercado Essencial. A demanda do mercado consumidor nos orienta e motiva para continuarmos sempre evoluindo. O contato com ele nos direciona sempre para o lugar certo. Sanidade Sem sanidade não conseguiremos atender nosso mercado interno, nem manter nossa posição de maiores exportadores de carne de frango do mundo. Avicultura Proporciona proteína barata e em quantidade para toda a população do planeta de maneira sustentável. Insumos Preocupação constante. Compõe o mais importante custo de produção: a ração. Por isso a evolução na eficiência alimentar é tão crucial para manter nosso negócio rentável e de custo acessível ao consumidor. As vantagens do melhoramento genético avícola são claras: proporcionar sempre o melhor produto para o mercado

[close]

p. 14

Tecnologia Abmaótevdeol uro Tecnologia da Embrapa promete melhorar a produtividade em regiões afastadas de centros industriais O abatedouro móvel é uma tecnologia recente, capaz de melhorar as condições de produtividade para comunidades que se encontram afastadas dos centros industriais e cooperativas. Desenvolvido pela Embrapa Suínos e Aves e pela empresa Engmaq - máquinas e equipamentos industriais, o projeto começou a ser elaborado em 2012, foi lançado na Expointer em setembro de 2015 e apresentado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em janeiro deste ano. Disponível para aves, suínos, pescados, caprinos e outros animais, o abatedouro móvel para aves encontra-se em dois tamanhos: um deles tem capacidade para 600 kg ou 300 cabeças de frango por turno, e o outro, 1,2 mil kg ou 600 cabeças. O pesquisador da Embrapa, Élsio Figueiredo, responsável pelo trabalho, explica que a iniciativa é válida quando o abatedouro pode operar cinco dias por semana e com, pelo menos, 70% de sua capacidade total. Na avicultura, cabe ressaltar que o sistema pode ser aplicado também para o abate de frangos coloniais, caipiras e orgânicos, além de marrecos e galinhas de descarte. Entre os benefícios dessa tecnologia para a avicultura, está a possibilidade de levar o abate de frango para regiões mais afastadas, como destaca o pesquisador. “Muitas comunidades possuem vocação produtiva, mas estão distantes de cooperativas e indústrias, no entanto, isso não muda o fato de que os produtores precisam de recursos e ferramentas para progredir”. A estrutura desse tipo de abatedouro assemelha-se a um caminhão frigorificado e ele pode ser comprado ou alugado. O local em que o veículo irá operar precisa ser preparado e licenciado. Após a obtenção da licença, em aproximadamente um mês o aba- 14 sindiavipar.com.br Sindiavipar

[close]

p. 15

tedouro móvel está disponível. De acordo com Figueire- do, a tecnologia está sendo disponibilizada conforme os estados solicitam e precisa ser aprovada pelo sistema de inspeção de cada localidade. “Durante os meses de julho e agosto, o abatedouro ainda será testado pelo Mapa para que possa ser aprimorado. Se for possível incluí-lo em uma legislação nacional, não será mais necessária a aprovação de cada estado, mas isso é algo para analisarmos no decorrer dos meses”, comenta. Há 17 projetos de abatedouros móveis em negociação para aves, suínos e peixes, que 70% da sua capacidade total é o mínimo para viabilizar a operação do abatedouro móvel estão em etapa de estudo e viabilização. No momento, a demanda por esse tipo de abatedouro tem sido maior na região nordeste, especialmente para o abate de caprinos e ovinos. Os produtores têm a possibilidade de se unir para tornar a atividade mais viável. No Sul do Brasil, ainda não há uma necessidade tão intensa desse tipo de recurso, porque as agroindústrias são bem desenvolvidas. Mesmo assim, o pesquisador da Embrapa estima que há possibilidades de ele ser inserido no Paraná no próximo ano. Atualmente, há abatedouros móveis sendo implementados na Bahia, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso e em Santa Catarina, único representante da região Sul.

[close]

Comments

no comments yet