Revista-Comercio-Industria-Agosto-2016

 

Embed or link this publication

Description

Revista-Comercio-Industria-Agosto-2016

Popular Pages


p. 1

1

[close]

p. 2

2

[close]

p. 3

3

[close]

p. 4

4

[close]

p. 5

5

[close]

p. 6

ÍNDICE EDIÇÃO N°133 - AGOSTO / 2016 CAPA Panfletos & Cia. ACIA A nova Diretoria PARQUE DOS TRILHOS SINCOMERCIO Araraquara do futuro 1° Feirão do Comércio 10 12 Alegre, divertido, o mascote da Panfletos & Cia. além de comandar a mídia da panfletagem, distribui resultados e chega aos 16 anos com a marca de uma empresa em ascensão. Semana do Empreendedor serviu para a Associação Comercial e Industrial de Araraquara apresentar sua nova diretoria e promover jantar de confraternização. Editorial 09 | Jornalista Ivan Roberto Peroni diz no editorial os contrastes do aniversário da cidade em meio à crise política. Semana do Empreendedor 16 | ACIA lança projeto voltado exclusivamente para postos de combustíveis e lojas de conveniência. 23 Nesta edição, com exclusividade apresentamos o que poderá ser Araraquara nos próximos 10 anos de acordo com cenários estratégicos criados após saída da linha férrea. Exporta Araraquara 18 | Empresas de pequeno e médio porte interesssadas em exportas serão capacitadas a partir de agora. 40 Antonio Deliza, presidente do SINCOMERCIO e Marimar Guidorzi, secretária de Desenvolvimento, comemoram o sucesso do feirão que recebeu mais de 40 mil pessoas. Ele tem 111 anos de vida 20 | Leonidio dos Santos é baiano e reside no Indaiá; ele se prepara para comemorar mais um aniversário Plano para classificação turística Salto Grande, uma das boas atrações de Araraquara dentro de um contexto turístico Foi aprovado pelos vereadores o Plano Diretor de Turismo de Araraquara, como necessidade do processo para classificação de Araraquara como “Município de Interesse Turístico - MIT”. A criação do plano é condição indispensável para a classificação turística da cidade, conforme estabelece Lei Estadual. A aprovação pode proporcionar o recebimento de verba pública para os programas de turismo no município, o que é um grande passo para fortalecer o setor. Novo nome A antiga Praça Minas Gerais, localizada na Avenida João Batista de Oliveira, com Rua dos Estados, do bairro Jardim Brasil, agora tem outro nome: Praça das Missões Geórgia Leandra da Fonseca Brasilino. A mudança ocorreu para atender ao pedido do vereador Doutor Lapena. A praça em questão fica bem na saída do Jardim Brasil, sentido rodovia Ribeirão Preto. 6

[close]

p. 7

DA REDAÇÃO por: Sônia Maria Marques IGNÁCIO DE LOYOLA Dentes ao Sol HOMENAGEM José Ayrton Cury DrogaVen e Emy, modelos de gestão 42 O escritor Ignácio de Loyola Brandão festejou 80 anos de vida em julho, sendo hoje um dos representantes mais ilustres da cidade. Pedro Renzi escreve sobre Loyola nesta edição. Turma de 62 se reencontra 46 | Jovens senhores e senhoras fazem festa 54 anos depois da cerimônia de formatura no antigo ieba 66 Há 30 anos Araraquara perdeu um dos seus mais queridos filhos: o empresário José Ayrton Cury, que na foto recebe o abraço do então prefeito Clodoaldo Medina. Moto Clube Araraquara 64 | Benedito Salvador Carlos diz como era o glamour da Bento de Abreu em dias de corrida de motos Entramos com 80 milhões Os moradores de Araraquara responderam por uma arrecadação de cerca de 80 milhões de reais registrada pelo Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e Associação Comercial e Industrial de Araraquara, até o dia 13 de julho. Isso significa que, de todos os tributos recolhidos no Brasil, uma parte foi pago por quem mora em território araraquarense. Os tributos incluem impostos, taxas e contribuições. Segundo o estudo, O Brasil ostenta um dos sistemas tributários mais abusivos do mundo. Além dos contribuintes brasileiros pagarem os mais altos impostos do mundo, este dinheiro é muito mal usado e dá pouco retorno para quem o pagou. a União ficou com 59,63% do valor; já 29,3% foram destinados aos estados. Causa espanto o fato de a União ter uma participação tão grande, mas se encontra numa situação de grande déficit. É uma distorção. É preciso fazer uma lapidação na administração pública para que os recursos sejam melhor aplicados e a sociedade perceba, em seu dia a dia, o retorno dos impostos. Todos os valores mencionados são nominais e calculados estatisticamente conforme a divulgação oficial dos dados pelos entes arrecadadores e projetados de acordo com a arrecadação histórica. Outro estudo aponta que uma parcela de 97%, avalia que além de pagar muitos impostos, a população ainda tem que pagar plano de saúde, escola e segurança privados por falta de investimento do governo em serviços públicos essenciais. Não é novidade que o varejo araraquarense passa por uma das suas piores crises. Mas um segmento tem chamado a nossa atenção: o de farmácias e perfumarias, que consegue resistir as mais fortes retrações. Levantamento feito em junho mostrou que o setor foi o único que não ficou no vermelho, apresentando ligeiro aumento de 0,8% no volume de vendas, frente ao igual período de 2015. Enquanto isso, as vendas no comércio como um todo recuaram 7,6% na mesma base de comparação. Durante o mesmo período, o faturamento das farmácias e perfumarias cresceu 10,1% sobre o primeiro quadrimestre de 2015. Essa elevação, contudo, é explicada pelo reajuste de 12,5% nos preços dos remédios em abril. Mas, quando se fala em farmácias e perfumarias em Araraquara, logo duas empresas vêm a nossa mente: DrogaVen e a Perfumaria Emy, que são exemplos bem sucedidos de negócios, graças à gestão de dois brilhantes empresários: Marco Antonio Estrella, da Rede DrogaVen e Emília Matsuda, da Perfumaria Emy, que está há 22 anos no ramo e diz que parte desse sucesso deve-se à busca do povo brasileiro pela autoestima. Há uma hierarquia no consumo das pessoas: elas priorizam remédios, alimentos e nos últimos anos, as perfumarias têm conseguido resistir mais porque as mulheres substituem um produto de primeira linha por um de segunda, encontrando assim, uma forma para continuar comprando produtos de beleza. As duas empresas contudo, merecem a nossa admiração, pois crescem com uma gestão caseira, de identificação dos seus proprietários com os costumes da nossa gente. Diretor Editorial: Ivan Roberto Peroni Supervisora Editorial: Sônia Marques Diretor Comercial: Humberto Perez Depto. Comercial: Gian Roberto, Silmara Zanardi, Marcos Assumpção, Heloísa Nascimento Design: Carolina Bacardi, Bete Campos Tiragem: 5 mil exemplares Impressão: Grafinew - (16) 3322-6131 A Revista Comércio & Indústria é distribuida gratuitamente em Araraquara e região * INFORMAÇÕES ACIA: (16) 3322 3633 * COORDENAÇÃO, EDITORAÇÃO, REDAÇÃO E PUBLICIDADE Fone/Fax: (16) 3336 4433 Rua Tupi, 245 - Centro Araraquara/SP - CEP: 14801-307 marzo@marzo.com.br 7

[close]

p. 8

8

[close]

p. 9

EDITORIAL por: Ivan Roberto Peroni Na antessala dos seus 200 anos de vida Em meio a euforia do aniversário de Araraquara em agosto e a proximidade dos seus 200 anos em 2017, está a expectativa do reacerto da nossa economia que contrastando com os resultados dos últimos 10 anos, vive consequências incertas e não sabidas. O reflexo do desacerto bate nas questões públicas, desnorteia a política municipal, hoje cada vez mais fragilizada e sem poder de reações práticas e rápidas, para tornar seguro o caminho da gestão. Este aniversário de Araraquara se mostra bem diferente dos anos anteriores, apenas com a cara de um feriado simplório e prolongado, distante do que efetivamente seu povo gostaria de ver e ter. Com um comércio aparentemente em baixa, a indústria tentando retomar uma estrada que a conduza à evolução fabril e à prestação de serviços escorada na desaceleração dos valores abaixo do mercado, a economia araraquarense vive quem sabe, seus piores anos. A iniciativa do SINCOMERCIO em promover o Feirão do Comércio em julho foi plenamente louvável; o investimento feito pela entidade deu ânimo ao comerciante em tempos de vacas magras e a chance de recuperação financeira foi ampliada com a desova de estoque. De agosto até o final do ano, o Dia dos Pais cria esperanças em alguns segmentos, da mesma forma que o Dia da Criança, sustenta a ansiedade das lojas de brinquedos. Curiosamente, os próximos cinco meses serão em ritmo de contagem regressiva, onde o empreendedor do varejo viverá de semana em semana, querendo antecipar por incrível que pareça o clima natalino. É uma experiência comportamental quase que inédita, ocasionada por uma política despreparada e ilusionista. Nem é preciso dizer que se não há público consumidor não haverá fábrica produzindo; trabalhadores sem emprego não vão ao restaurante e se inicia aí a quebra da cadeia produtiva, atingindo o governo que deixa de receber impostos se afundando na dívida pública. O despreparo do governo deixa agora sua marca num dos setores até então mais estáveis dentro da nossa economia, o agronegócio, pois com o populismo do preço da gasolina, sem reajuste desde 2010, massacrou o setor sucroalcooleiro. Todos sabem que a base da cultura local é a cana e a laranja. Popularizando o preço da gasolina, num espaço de três anos as vendas do etanol despencaram 40%. Felizmente - para o setor - no ano passado o governo aumentou o preço da gasolina, elevou a tributação e liberou a Petrobrás para reajustá-la quando for preciso. Com isso, a boa notícia foi dada em julho, anunciando sinais de recuperação. A recuperação, porém, será lenta. As usinas estão endividadas, desde 2008 - 85 delas fecharam, 71 entraram com pedido de recuperação judicial, sendo que 31 delas quebraram de vez. O jornalista Flávio Senzi lembrou bem, em um dos seus comentários na Folha: toda vez que governos interferem em determinado setor o resultado é afundar esse setor. No caso do álcool o governo deveria incentivar a produção, afinal é um combustível limpo, é nosso, gera milhares de emprego e não depende dos humores dos grandes produtores de petróleo. Para o governo, o bom mesmo nos últimos 12 anos era incentivar a Petrobrás (?). Contudo, nem de todo o aniversário da nossa cidade está perdido em agosto; é mais reflexivo do que comemorativo, oportunidade costumeira de debruçarmos sobre o que esta cidade tem nos dado de bom e ruim. Mas, para quem aqui nasceu, independente de qualquer julgamento, ela será eternamente ”divina e graciosa”, como cantava Orlando Silva. 9

[close]

p. 10

Frota de veículos REPORTAGEM DA CAPA Panfletos & Cia. Há 16 anos distribuindo resultados A panfletagem hoje em nossa cidade, é utilizada por empresas de todos os segmentos, atingindo seus clientes nos diversos níveis e classes sociais. Tem sido essa uma das razões que leva a Panfletos & Cia. a comemorar o crescimento dos seus negócios e se consolidar como mídia alternativa de grande sucesso. O panfleto, quando bem distribuído e utilizado, influencia a decisão de compra do consumidor, mesmo que a categoria do produto esteja em sua lista inicial de compra. Os dados de recente pesquisa realizada por empresa especializada, apontam que os clientes que pegaram o panfleto e o consultaram adquiriram, em média, um produto da marca específica anunciada, sendo que 50% destes clientes relembraram a necessidade de compra de alguns dos produtos promocionados por meio dos panfletos. Aqueles que pegaram ou receberam o panfleto compraram, em média, dois produtos anunciados a mais do que aqueles que não tiveram acesso ao material de divulgação. Mas não é só essa experiência que hoje faz da Panfletos & Cia. uma grande empresa ou a principal do setor na região de Araraquara. São 20 colaboradores registrados e preparados para a função, trabalhando uniformizados e identificados por crachás, sendo eles submetidos a permanente capacitação para um perfeito desempenho. Em seu prédio próprio, a Panfletos & Cia. manuseia o material recebido das gráficas e empresas, promovendo a setorização de entrega nos pontos pretendidos pelos clientes. “Há 16 distribuidores divididos em equipes comandadas por três coordenadores e uma secretária, trabalhando no plano estratégico da panfletagem”, diz a empresária Suelen Paiva. O que a Panfletos faz A figura alegre do mascote simboliza o prazer de levar sempre a melhor mensagem a todos pontos da cidade - Identificação de público - Levantamento de datas - Mapeamento de áreas - Definição de modalidades - Coleta de dados - Artes personalizadas - Designers profissionais - Aprovação / Alteração - Escolha do material - Produção gráfica - Qualidade off-set - Prazos cumpridos 10

[close]

p. 11

O prédio da Panfletos & Cia. foi projetado para abrigar de forma moderna e funcional, os departamentos que o setor utiliza no bom desempenho da sua atividade Gabriel Paiva e a esposa Suélen na administração da empresa EM ARARAQUARA A história da Panfletos & Cia. em Araraquara começa em 2005, quando os irmãos Daniel e Gabriel realizaram trabalho de pesquisa e sentiram que teriam espaço para suas atividades. O apoio da mãe, dona Alice, foi fundamental. A expansão da empresa foi meteórica, pois hoje além de manter a unidade em nossa cidade, a Panfletos & Cia. está presente em São Carlos e Jaú, com estrutura e projetos semelhantes, o que demonstra a segurança da família em torno dos negócios. MODALIDADES DE DISTRIBUIÇÃO Veículos estacionados Semáforos Corpo a corpo Porta a porta Espaço destinado ao manuseio dos impressos que chegam das gráficas e empresas para distribuição - Ação estratégica - Equipes treinadas - Diversas modalidades - Coordenação - Acompanhamento - Orientação SERVIÇOS: Av. Luiz Manini, 187 Jd. São Gabriel - Araraquara / SP Fones: 16 3322.8440 / 3331.2428 contato@panfletosecia.com panfletosecompanhia - Envio de relatórios e cronogramas - Mensurar resultados 11

[close]

p. 12

Antonio Junquetti e José Janone Júnior, da ACIA, com os irmãos José Carlos, Elias, Antonio José e José Roberto, representando a Família Cardozo, que recebeu a Comenda Mérito Empreendedor, na homenagem à Ca-Suco, durante jantar no Jeca Tatu, em julho ACIA 82 ANOS Singela homenagem à Ca-Suco no jantar de aniversário da ACIA A Semana do Empreendedor organizada pela Associação Comercial e Industrial de Araraquara, foi pontuada por eventos que marcaram o Dia do Comerciante e o 82° aniversário de fundação da entidade fundada em 30 de junho de 1934. A diretoria da ACIA ainda contabiliza elogios que lhe foram atribuídos por ocasião das comemorações de mais um aniversário de fundação. Desta feita, o presidente José Janone Júnior, empossado em 25 de abril, optou em marcar para o dia 16 de julho, o tradicional encontro da classe empresarial para simultaneamente, comemorar o Dia do Comerciante, disse José Natal de Moura, diretor social da entidade. No Jeca Tatu Eventos, o palestrante Marcelo Baratella fez uma exposição sobre Designer de Vendas 12

[close]

p. 13

A HISTÓRIA DA CA-SUCO O Senado Federal, que é parte de um dos três poderes do País, é o palco das grandes discussões políticas, ainda mais neste período de turbulências. Em Araraquara, cravada entre a Prefeitura e a Câmara, está o “senadinho” local: a Ca-Suco, lanchonete nascida no dia 19 de junho de 1978, uma segunda-feira, quando a cidade vivia o clima da Copa do Mundo, na Argentina. Contamos isso, disse o cerimonialista e jornalista Ivan Roberto Peroni, para lembrar como estava Araraquara há exatamente 38 anos, com cerca de 100 mil habitantes; e em meio a essa euforia de Brasil e Argentina, no dia 18 de junho de 1978, a família Cardozo se preparava para inaugurar no dia seguinte, a Ca-Suco. Mas tudo aconteceu pela existência do “seo” José Cardozo, que depois de ser aprendiz nas antigas oficinas da Estrada de Ferro Araraquara, ocupando a função de telegrafista, foi subindo de cargo até se aposentar após 37 anos de serviço como Inspetor Operacional. Ele e o filho mais velho, José Roberto, se empenharam de forma decisiva para o sucesso de uma das mais afamadas lanchonetes e cafés do interior. Foi dele a estratégia de montar uma lanchonete no centro da cidade para custear os estudos dos filhos José Carlos e Elias, que ingressavam na época, nas faculdades de Engenharia e Civil e Educação Física, respectivamente. Foi assim que surgiu a Ca-Suco, na Duque, sempre no mesmo lugar, com o seo José, tendo ao lado o filho mais velho José Roberto, também o Antonio José, a figura extraordinária de dona Ladi, a auxiliar. O Zé Carlos e o Elias, ficaram com a responsabilidade de tocar a lanchonete nas horas de folga dos estudos. O reconhecimento veio logo; o local tornou-se muito conhecido por atrair pessoas de todas as idades, ganhando também a fama de “plenarinho”, onde os debates políticos sempre estiveram em torno do balcão até os dias atuais. Seo José Cardozo, responsável por tudo isso, completaria no dia 15 de setembro próximo, 90 anos de idade, deixando com dona Air, ou Ladi, como era chamada, para a nossa comunidade, esse legado: os filhos José Roberto, Antônio José, José Carlos e Elias. José Roberto Cardozo quando da entrega da comenda Mérito Empreendedor, feita pelo presidente da ACIA, José Janone Júnior Antonio José recebe a comenda do vicepresidente da ACIA, Luis Fernando Petroni José Carlos Pascoal Cardozo recebe a comenda de José Natal de Moura, diretor da ACIA Elias José Cardozo com a comenda entregue pelo diretor Antonio Junquetti 13

[close]

p. 14

A FESTA DA ACIA ATRAÇÃO O network com Marcelo Baratella Com a Magia do Mundo dos Negócios, o palestrante já capacitou mais de 12 mil vendedores e gestores de vendas em cerca de 350 empresas brasileiras. Uma das atrações das comemorações do Dia do Comerciante no aniversário da ACIA, foi a exposição do tema Design de Vendas, com Marcelo Baratella, consultor, treinador e considerado um dos 20 maiores palestrantes de vendas e negociação do Brasil (Gigante das vendas do grupo Venda Mais). Exímio negociador e experiência em vendas, começou cedo acompanhando as vendas do seu pai, um dos melhores vendedores da extinta Kodak no Brasil e por 15 anos, foi vendedor em empresas familiares e multinacionais como Syngenta, Tatu Marchesan, Vale, Netafim e Coelho da Fonseca, tanto no Brasil quanto internacionalmente. O objeto do tema no coquetel de network foi apresentar técnicas práticas que realmente possam aumentar a produtividade no ambiente de trabalho do vendedor e que ele possa vender mais quantidades de produtos e serviços, com maior lucro, sendo mais assertivos no processo de persuasão e economizando recursos como tempo, energia e dinheiro. Dagmar Bizzinotto entrega flores para Betânia Lupo Nascimento Cardozo Regina Ramos homenageia com flores Ana Lúcia Cardozo Najla com o pai José Carlos Pascoal Cardozo, um dos homenageados em nome da Ca-Suco José Janone Júnior ao lado da mãe Jane e da esposa Graziela Uma história familiar para sempre ser contada Família Cardozo reunida num momento histórico logo após as homenagens: Ana Lúcia, a filha Maria Luiza e o marido Elias; Najla com o pai José Carlos; Betânia com o marido Antonio José; e José Roberto Cardozo Banda Starlight, uma das mais requisitadas no Estado de São Paulo, se apresentou durante o jantar dos 82 anos da ACIA 14

[close]

p. 15

CAFÉ DA MANHÃ Nova diretoria termina o mandato em abril de 2019 ACIA apresenta sua nova diretoria Café da manhã e palestra marcaram a apresentação da nova diretoria da ACIA, eleita em 15 de abril e empossada dez dias depois. A Semana do Empreendedor organizada pela Associação Comercial e Industrial de Araraquara, teve em sua programação a palestra do consultor do SEBRAE, André Wormhoudt, versando sobre Oportunidades de negócios em tempos de crise. O encontro da classe empresarial ocorreu no dia 16 pela manhã no auditório do SESI. Dentre os vários itens, o palestrante focou o capital de giro dentro da empresa. Segundo ele, a maioria das empresas fecha porque o empresário não consegue controlar bem o seu capital de giro, que é basicamente o controle de estoque e os prazos de pagamento e recebimento de suas mercadorias. “Muitas vezes o empresário compra o seu estoque à vista e depois recebe de forma parcelada, causando esse desencaixe financeiro”, disse. O trabalho Palestrante André Wormhoutd durante encontro empresarial no SESI de André, vivendo a realidade comercial nos tempos atuais, recebeu muitos elogios. O café da manhã também serviu para a apresentação da nova diretoria da ACIA, onde o presidente José Janone Júnior, destacou o papel de cada dirigente e a necessidade de todos estarem integrados para que a entidade cumpra suas finalidades. Oportunidade rara de um reencontro entre os dois irmãos, ambos empresários bem sucedidos: Ademir e Ademar Ramos da Silva Equipe do SESI Araraquara: Alexandre Minghin (Diretor), Roberta Marques (Agente de Mercado) e Paulo Caetano (Gerente Financeiro) José Janone, presidente da ACIA e Silvio Rabelo, consultor da Vilage Marcas e Patentes, uma das empresas parceiras na Semana do Empreendedor 15

[close]

Comments

no comments yet