Revista Pepper 45

 

Embed or link this publication

Description

Revista Pepper 45

Popular Pages


p. 1

nº 45 Ano 03 Julho/2016 www.revistapepper.com.br EMPREENDEDORISMO 100% BRASILIENSE. VOCÊ CONHECE O MOVIMENTO SQS? Página 05 Diariamente somos bombardeados com novas informações... Então POR QUE TEMOS A MEMÓRIA TÃO CURTA? Página 06 CERVA GELADA E BARATA. Separamos os 10 melhores bares de Brasília para os tempos de crise. Página 08

[close]

p. 2



[close]

p. 3

#SUMÁRIO #ENTRETENIMENTO 04. – Será que estamos preparados para os Jogos Olímpicos? A Revista Pepper detalha os altos e baixos que o Brasil está preparando para esse grande evento esportivo 08 #LAZER Nessa crise é sempre bom procurar uma cerva gelada e em conta. A Revista Pepper preparou um Top 10 de bares bons e baratos da cidade 05 #MADEINBSB Empreendedores de Brasília se juntam em um movimento colaborativo para deixar seus estabelecimentos mais fortes. Você conhece o SQS? #COMPORTAMENTO 6. – Muitos casos cabeludos já passaram por nossa linha do tempo, mas temos a memória muito curta... #EXPEDIENTE Publisher Sérgio Donato Contaldo jornalismo@revistapepper.com.br Editora Natália Moraes jornalismo@revistapepper.com.br Assessor Administrativo e Financeiro Gilmar Arantes Redação Abner Martins Natália Moraes jornalismo@revistapepper.com.br Publicidade comercial@revistapepper.com.br Revisão Conttexto.com helenacontaldo@conttexto.com Estagiário Mateus Fraga Mirelle Bernardino Colaboradores Sérgio Assunção J. Carlos Jr Ramalho Romolo Lazzaretti Fernando Cabral Carlos Henrique A. Santos Lisiane Cardoso Armando Barros Diego Lara Zé Maria Ulles Antônio Augusto Cortez #COLUNAS #CINEMA 09. – Zé Maria Ulles, nosso colunista cinéfilo, dá sua nota para os filmes “Memórias Secretas” e “A Garota do Livro” #ECOLOGIA 10. – Diego Lara faz uma crítica do mundo em que vivemos. Que saudades de pegar uma fruta direto do pé... #GASTRONOMIA 11. – O nosso chef expert, Armando Barros, fala um pouco do cantinho mais paulista que Brasília já teve Correspondente Pepper Paraíba Jude Alves Site Natália Moraes e equipe Diagramação Gustavo Facundo gustavofacundo@gmail.com Gráfica Gráfica e Editora Rossetto rossetto@brturbo.com.br Contatos (61) 3257.8434 faleconosco@revistapepper.com.br

[close]

p. 4

04 #ENTRETENIMENTO Por Redação jornalismo@revistapepper.com.br OLIMPÍADAS110% PARA ASORIODEJANEIROA O Rio de Janeiro é uma cidade realmente maravilhosa. Mas no meio das belezas naturais e das construções que se fundem perfeitamente criando o cenário maravilhoso que será visto pelo mundo inteiro durante as Olimpíadas, existe uma cidade que opera de forma muito peculiar. A preparação para as Olimpíadas foi intensa, não exatamente como se esperava, mas ocorreu. A cidade estará operando 110% dessa forma bem particular. Veja a seguir alguns dos principais pontos de preparação do Rio: Obras: Um dos maiores legados ficou pronto, mas já está interditado. A ciclovia Tim Maia, que ligaria o Posto 12 no Leblon até o início da Barra da Tijuca, foi desativada depois que uma onda derrubou um trecho da ciclovia, problema causado por falha de projeto. Uma obra que foi inaugurada no mesmo local, uma extensão do Elevado do Joá, já apresenta diversos problemas no asfalto e realmente dá medo em quem passa ali. Os muros de contenção jorram água, a impressão é de que haverá deslizamento há qualquer momento. Segurança: As Olimpíadas contarão com um reforço de 6.000 homens da Força Nacional de Segurança. Os agentes já chegaram e foram alojados em apartamentos do programa Minha Casa Minha Vida, um pequeno detalhe é que não haviam nem camas para os agentes. Achou isso um absurdo? Acredite se quiser, os apartamentos ficam em uma área dominada por uma milícia do Rio. O efetivo da Força Nacional já tomou um devido enquadro da milícia e foi obrigado a seguir as regras dos milicianos, pagando as taxas de extorsão e não podendo andar armados na região. Transporte: A menos de um mês para os jogos, ainda não se sabe se o metrô para a Barra da tijuca estará funcionando. Não precisamos nem entrar no mérito de que o trecho se chama “Linha 4” sendo que a cidade não possui nenhuma “Linha 3”. E outra, os taxistas parecem ter resolvido declarar guerra total ao Uber. Além de protestos e agressões, eles agora também estão mirando passageiros que utilizam o aplicativo, já ocorreram agressões na Rodoviária e nos aeroportos. Contudo, no Rio nem o Uber é solução. Existem relatos de motoristas que assediam mulheres e ocorreu um caso bizarro de um motorista que expulsou uma passageira porque ela pediu para que ele desligasse a música evangélica. Parque Olímpico: Há quem diga que o espaço ficou bonito. Realmente, as arenas por fora possuem um design simples e elegante. Contudo, para quem conhecia a área anteriormente às construções, onde era o Autódromo de Jacarepaguá, sabia que era um local muito arborizado, cheio de verde. O Parque Olímpico, lembrando muitas obras que foram feitas na Copa do Mundo, retirou todo o verde e transformou a região em um grande mar de concreto. Operação Depena Turista: Os bares e restaurantes das zonas de turismo já iniciaram um operação muito comum principalmente na época do Reveillon, a Operação Depena Turista. Os preços sobem mais de 100%, com a única justificativa de sugar o máximo do turista desavisado. Se vier para o Rio fuja dos restaurantes de orla de praia e saiba que qualquer garrafa de cerveja por mais de 10 reais é extorsão.

[close]

p. 5

#MADEINBSB Por Mateus Fraga Fotos: Reprodução/ Divulgação QQBUUEREM DAISSSE ÍLIA É SÓ SERVIDORISMO PÚBLICO? O A necessidade de inovar na hora de empreender é o que empaca várias pessoas que querem abrir seu próprio negócio. Porém alguns empreendedores de Brasília tiveram uma ideia bem criativa para firmar seus respectivos comércios. Quatro lojas se uniram e formaram o movimento SQS - Só Que Sim. Pra quem vive se deparando com as placas e os endereços da cidade não é difícil dizer o significado dessa sigla, super quadra sul, mas o movimento vem para despadronizar isso. O movimento consiste em unir as empresas participantes e acabar com a concorrência entre elas. Todas as lojas indicam umas as outras e se ajudam na divulgação fazendo com que o cliente seja do movimento e não de uma loja especifica. As lojas participantes desse movimento são: Cobogó, Endossa, A Loja Das Camisetas Legais e BSB Memo. Mariana Dap, sócia do Cobogó, foi quem teve a ideia de criar esse movimento e começou a convidar os amigos empreendedores. “A ideia surgiu de onde sempre partem as ideias, da falta de dinheiro. Ao invés de eu sozinha gastar dinheiro com uma agência para promover a minha marca, eu junto com outras empresas e a gente divide os custos. Todos iam sair ganhando, nós, os clientes, a agência.” Ela afirma que tem que rolar amizade entre os participantes. “Eu já conhecia eles, eu já consumia deles e eles consumiam de mim. E o movimento deu certo porque nós somos realmente parceiros, não é apenas faixada, a gente sai junto, a gente se frequenta.” Segundo Mariana, o próximo passo agora é agregar mais empresas e, em breve, será divulgada a quinta participante do movimento. Segundo Raffael Inneco, sócio da BSB Memo, o compartilhamento de clientes é o que dá resultado para os participantes. “A gente apresenta todos os produtos e empresas para os clientes. Isso gera credibilidade. Indicar outro estabelecimento gera credibilidade. É sinal de que ele é bom e o cliente vai lá”, disse. Cobogó Mercado de Objetos SCRN 704/705 Bloco E (61) 3039-6333 BSB Memo CLN 303 Bloco a, Brasília - DF (61) 3034-4427 A Loja Das Camisetas Legais CLN 112 Bloco C Loja 28 (61) 3349-1783 Endossa CLS 306 Bloco A CLN 310 Bloco C (61) 3242-2972 05 REVISTAPEPPER.COM.BR

[close]

p. 6

06 #COMPORTAMENTO Por Mirelle Bernardino Fotos: Reprodução VOCÊ SE LEMBRA? Por que nunca mais falaram sobre aquilo? Por que nós temos memória curta? C omo já dizia Érico Veríssimo, “O tempo faz a gente esquecer. Há pessoas que esquecem depressa. Outras apenas fingem que não se lembram mais”. Uma dor, uma saudade uma recordação ao longo do tempo são esquecidas. Mas, e os grandes acontecimentos que marcaram e ainda refletem na vida dos brasileiros, por quais motivos são deixados de lado? Quanto tempo dura um impacto no nosso país? Casos que chocaram e se tornaram conhecidos no país, como: Isabella Nardoni, a menina que morreu após ser atirada de prédio pelo pai e a madrasta em 2008. O do Goleiro Bruno que assassinou a namorada Eliza, no ano de 2012. Casos graves na política como a Operação Lava Jato, o maior esquema de corrupção que o Brasil já viu. Ou até mesmo, o 7X1 sofrido na Copa do Mundo. Todos estes casos foram rapidamente esquecidos, ou são pouco citados nos dias atuais. O que a caixola não lembra o coração não sente?! O que gera revolta na perda de memória do brasileiro são os políticos, que ao longo do tempo roubam, mas são eleitos pelo povo. Como Fernando Collor, que roubou cada centavo das poupanças em 1990 e hoje é Senador Federal. O nível de esquecimento é tão absurdo que no ano de 2006, brasileiros esqueceram mais de dois bilhões de reais em bancos, em prêmios de loteria, restituições do Imposto de Renda nunca resgatadas, e até investimentos antigos. Bizarro, né? Realidade. Mas um fator influente nestes brancos repentinos do brasileiro são os meios de comunicação, que definem o que é colocado em foco. E neste rumo as pessoas se esquecem, pois consideram aquela informação válida, afinal, na manhã seguinte haverá uma nova notícia mais importante do que a anterior. Como uma horda de viciados no Instagram que sequer se recordam do último almoço mesmo tendo registrado todos com filtros. Agora vivemos o caso Eduardo Cunha, que daqui a alguns meses poderemos contabilizar nos casos de esquecimento brasileiro. Então, temos um caso crítico de memória seletiva, no qual nos recordamos apenas daquilo que nos agrada. O único fator que acaba determinando o tempo em que a informação se mantem em voga a comoção gerada com o transcorrer dos eventos.

[close]

p. 7

#COLUNA CRÍTICAS DE UM CINÉFILO Filme 2: SMEECMRÓERTAIASS Por Zé Maria Ulles ulles@terra.com.br 6,5NOTA A eterna temática judeus/nazistas é muito bem trabalhada em “Memórias Secretas”. Só que aqui, a trama/vingança passeia por pessoas na Terceira Idade... O diretor Atom Egoyan (“O Preço da Traição” de 2009) mostrou competência e não complicou o roteiro simples e bem bolado de Benjamin August. Benjamin faz seu primeiro trabalho em um longa metragem - poderia ter sido mais ousado! Mastigando: Judeus que moram em um asilo nos EUA arquitetam matar um membro da SS alemã que eliminou seus familiares, nos campos de concentração de Auschwitz, durante a Segunda Guerra Mundial. O filme poderia ser mais longo, são apenas 96 minutos. Existe uma certa lentidão, mas levando-se em conta que o protagonista é Christopher Plummer, 86 anos, não se deve esperar muita ação... Na verdade, o elenco principal é composto por atores velhos. Martin Landau e Jurgen Prochnow se destacam... Ate 70% da fita, o filme parece que vai ficar na casa do “regular”, mas a coisa muda e toma um ar de guerra com certa tensão. A trilha sonora de Mychael Danna merece atenção especial. “Memórias Secretas” foi lançado em outubro do ano passado e teve criticas positivas em todo o mundo... Christopher Plummer tem grande atuação, literalmente, barbariza! Parte superior do formulário 8,0Filme2: GAAROTA DO LIVRO NOTA M uita gente vai querer rasgar as páginas desse livro! De conteúdo profundo, o filme aborda questões familiares com objetividade singular. O enredo entrelaça passado e presente - ao longo de toda a obra - despertando grande interesse no expectador. Essa relação temporal é tão bem feita que o destaque da película fica por conta da equipe de montagem. Mastigando: adolescente de 14 anos se relaciona com homem mais velho que se deixa atrair pelas belezas angelicais da mocinha. Durante os encontros, ele liberta intenções bem criativas... Depois de alguns anos, ambos se reencontram gerando lembranças amargas. Marya Cohn faz sua estreia na direção de um longa-metragem. Ótimo trabalho! O elenco está afinado. Os destaques: a protagonista, Emily VanCamp, (a lourinha da série Revenge) tem belíssima interpretação, assim como, Michael Nyqvist e Ana Mulvoy. A trilha sonora deixa a desejar. O roteiro, assinado pela própria diretora, fica opaco por uns 10 minutos - entre o meio e o final - além de ser curto. São apenas 86 minutos de projeção. Mas o que faz valer o ingresso é a vastidão de temas que permeiam o enredo. Machismo, traição, desejo reprimido, sexualidade descontrolada e abuso de poder estão em primeiro plano. A temática lembra bastante a obra cinematográfica “Moça com Brinco de Pérola” de 2003. Se seus olhos estão despertos, em “A Garota do Livro” você vai aprender a olhar o invisível... Mas se você é o tipo de pai desinteressado que quer manter o mundo do jeito que está, não veja o filme em questão! 07 REVISTAPEPPER.COM.BR

[close]

p. 8

TOP #LAZER 08 BARES DE DEZ BRASÍLIA Do copo sujo ao mais sofisticado: selecionamos bares e restaurantes que servem comidinhas deliciosas, drinks e cervejas com preço justo. Se aventure mais. Vale a pena conhecer. Chega dessa história que Brasília não tem nada pra fazer! Esse papinho já é velho e clichê. A cidade está crescendo, e como consequência bares e festas estão surgindo sempre trazendo um diferencial e ótimos preços. O problema dos jovens brasilienses é que a maioria sempre estão presos à uma roda de bares e amigos, descartando qualquer outra possibilidade de conhecer novos lugares porque “é melhor ficar no conhecido do que se aventurar e se ferrar”. Como a Revista Pepper está cercada de jovens que estão vendo seu dinheirinho sumir com essa crise, nós resolvemos pesquisar e montar uma lista top com os melhores cantinhos de Brasília, levando em conta o preço das cervejas, dos petiscos, ambiente e o diferencial. Vem com a gente! Distribuidoras de Bebidas Piauí O bar é bem copo sujo mesmo, mas está sempre lotado com pessoas de todas as idades. Apesar do atendimento não ser dos melhores, o churrasquinho deles é maravilhoso (e meio caro, porque segundo um dos garçons “a Dilma passou por aqui e disse que tava tudo muito barato”). O litrão sai a R$ 7,50. Como o bar também é uma distribuidora de bebidas, o preço das biritas acaba sendo mais barato. Endereço e funcionamento: 403 Sul; Domingo, segunda e terça 7h às 1h, quarta à sábado 7h às 2h. Bar Boteco A comida é ótima e com preços razoáveis. Existem os pratos da casa e o rodízio. Mas se você está num clima mais saudável talvez esse não seja o lugar. Outra coisa legal é que a decoração é inspirada em bares antigos do Rio de Janeiro. O público que frequenta o local está em torno dos 25 anos para cima. A original custa R$10,90. Domingos e segundas o chopp é em dobro: paga um e toma dois. Endereço e funcionamento: 406 Sul; Segunda à quinta das 17h às 00h30, sexta e sábado 17h à 1h30, domingo 12h à 00h Paradiso Cine Bar A proposta do bar é muito interessante. Totalmente temático, ele tem a decoração inspirada no cinema, com drinks e pratos batizados com nomes de filmes. Apesar de caro, a cartilha de drinks é maravilhosa. Endereço e funcionamento: 306 Sul; Segunda à quarta 11h30 à 1h, quinta, sexta e sábado 11h30 às 2h,

[close]

p. 9

A Por Redação Fotos: Divulgação fecha aos domingos. Tanura by Kafta da Mama Esse é o bar perfeito para quem curte fumar narguilé. Os garçons montam tudo direitinho e são muito atenciosos. Se você quiser depois emendar a noite em outro lugar, do outro lado da rua tem o pub irlandês O’riley. Porém o preço de bebidas é um pouco salgado e o bar só vende long neck. Endereço e funcionamento: 408 Sul; Terça, quarta e domingo 19h à 00h, quinta 19h à 1h, sexta e sábado 19h às 2h Pauliceia Bar e Restaurante É o típico bar copo sujo que todo mundo ama. O bar é frequentado por clientes assíduos há tempos. O carro chefe do cardápio é a picanha. Se o plano é tomar uma cervejinha e comer uma carne deliciosa e barata, recomendamos esse bar. Os preços são justos. Endereço e funcionamento: 113 Sul; Segunda à sexta 17h às 2h, sábados 11h às 17h, aos domingos o bar fecha. 5uinto bar Diferencial: o 5uinto bar é dos mesmos donos da festa de música eletrônica que acontece na 904 sul todas as quintas-feiras. Logo, a decoração das paredes, banheiros e mesas são os flyers promocionais da festa. Visualmente falando, é bem psicodélico. Outra coisa que faz com que o bar seja uma ótima pedida para noite são as comidas, todas são gostosas e com bons preços. A cartilha de drinks também se destaca, mas os preços são um pouco salgados. Quem não estiver na “vibe” de drinks, tem opção de cerveja litrão com o preço justo. Endereço e funcionamento: 102 Norte; Terça, quarta e domingo das 18h à 1h, quinta à sábado das 18h às 2h. Shisha Bar A comida é árabe, os quibes são deliciosos e os preços são razoáveis. O mais interessante é que eles têm narguilé, então para quem curte comida árabe, nargui e litrão de cerveja, esse é o lugar. O único problema é que o bar sempre lota, é bom chegar cedo, principalmente a partir da quinta feira quando os estudantes da UnB começam a lotar a 410 norte toda devido à quantidade de bares copo sujo da quadra. A cerveja de garrafa custa R$ 8,50. Endereço e funcionamento: 410 norte; Segunda a domingo de 15:00 à 00:00 Insônia Diferencial: O bar é um achado, quem frequenta o local é o pessoal que mora no final do lago sul. O diferencial está no atendimento intimista e o narguilé. Quem mora no final do lago e quiser curtir uma cerveja boa e fumar narguilé sem ter que se descolocar para o plano piloto é uma excelente opção. É interessante lembrar que o Insônia recebe Djs todas às quartas-feiras. Endereço e funcionamento: Comercial da QI 29 no lago sul; Abre todos os dias às 19h e só fecha quando o último cliente vai embora. O bar é fechado às segundas. Deck do Dudu A proposta do Deck do Dudu é oferecer um saboroso e variado cardápio no café da manhã (à la carte) com várias opções. Já para o almoço, durante a semana, quatro opções de pratos que variam de R$22,90 a R$39,90. Para o finalzinho do dia e a noite, a boa pedida é o cardápio de drinks e aperitivos, com opções de delícias para petiscar. Endereço e funcionamento: SHIS QI 11 CL 11 - Lago Sul; Segunda a sábado, das 7h às 2h; domingo, das 7h às 17h Com informações Catraca Livre. 09 REVISTAPEPPER.COM.BR

[close]

p. 10

#COLUNA 10 SERÁ ESSE O Por Diego Lara NOSSO DESTINO?diego.contaldo@gmail.com H á poucos dias entrei numa farmácia, dessas grandes, estilo franquia nacional. Logo na entrada um display roubou toda a minha atenção. Era grande, com prateleiras de madeira rústica. O logotipo bem bonito e as fontes estilizadas chamavam ainda mais a atenção. Quando percebi os produtos que estavam a ser vendidos nesse display, fiquei perplexo. Eram frutas. Até aí tudo bem. Nós compramos frutas todos os dias nos sacolões, nas quitandas, feiras, etc. Mas as frutas estavam dentro de embalagens plásticas, dessas como costumamos ver nos doces, bolos e tortas. Uma embalagem para cada fruta. Uma banana dentro de uma embalagem plástica, uma maçã dentro de outra, uma goiaba dentro de outra, enfim, já deu para entender né? Será esse nosso destino? Pense numa criança que não conhece nada ainda desse mundo e foi criada a vida toda na cidade. Ela nunca viu um pé de fruta qualquer. Viu apenas a maçã dentro de uma embalagem plástica. Para essa criança tal forma será normal. E ela não entenderá, ou demorará muito para que ela compreenda de onde vêm as frutas. Do mesmo modo a água que sai da torneira. Aquela criança não viu um córrego, um ribeirão, um rio. Viu um canal de concreto em sua grande cidade. Não faz ideia do que é uma nascente. Fala-se em proteger o meio ambiente. Vende-se uma banana dentro de uma embalagem plástica. Onde está o sentido? A mãe da cidade diz ao seu filho: Tira o pé dessa terra suja, menino! Pois eu diria: Limpe seu pé na terra menino, e sinta sua realidade! Pois ainda não somos máquinas. Ainda. Tornamo-nos, com gosto, operadores de botão. Ou comandantes de voz. Tipo: Casa, abra a janela! Geladeira, dê-me comida! E num clique a automação vai sobrepujando aquele fazer que era gostoso, de colher um tomate e uma cenoura da horta. Ou roubar uma goiaba ou manga na casa do vizinho e comer aquela fruta madura e suculenta na hora. Que meninos tristes a cidade guarda. Guarda em suas caixas-casaapartamentos e só os ensina a apertar botões. Que nos espera daqui pra frente, a partir dessa dicotomia? De um lado a necessidade de preservar o pouco que resta de realidade natural. Do outro, a cidade vem crescendo e sugando tudo dessa realidade, fazendo tudo virar concreto cinza. O céu que era azul, no horizonte da cidade é cinza. Os carros de ferro, mesmo coloridos, vendo-os de longe, tornam-se cinzas. Tornemo-nos de vez homens-máquinas do mundo-fábrica, na sincronia dos horários e nas batidas dos cartões de ponto. Vamos permitir que a tecnologia nos possua, quando deveria ser o oposto. Paremos de pensar. Aí fica tudo de boa, como dizem por aí. Ver a cada dia um pedaço de mim indo embora com tudo que se vai pelo esgoto afora. Comer os venenos pesticidas e escutar que não dá para plantar sem veneno. Ver colarinhos brancos com contas bilionárias dizerem que não tem dinheiro pra limpar os rios. Ver as trilhas de terra tornarem-se calçadas de cimento e arder os pés. Caminhar é preciso, sim. Sempre. Mas na estrada de terra. Pra que a gente se lembre de onde viemos e para onde vamos. Terra.  

[close]

p. 11

#GASTRONOMIA Por Armando Barros Barros.armando@hotmail.com UM POUQUINHO DE SÃO PAULO EM BRASÍLIA #RECEITADOMÊS Q ue São Paulo é capital nacional Gourmet, ninguém pode questionar! Existem lugares para comer, comprar produtos de cozinha e ingredientes para os seus pratos como em nenhum outro lugar do nosso País! Visitar o Mercado Municipal para as compras de frutas, legumes, azeites, queijos, peixes e outros, além de poder degustar um pastel de bacalhau ou um autêntico sanduíche de mortadela Ceratti no mezanino, não tem preço! Passear em um sábado de manhã pelo Bairro da Liberdade para comprar produtos orientais e aproveitar a feirinha semanal, também não tem preço! Escolher uma, entre tantas, feiras livres e ainda comer um legítimo pastel de feira. Ir à Casa Santa Luiza, nos Jardins, onde não sei se é um mercado gourmet, um empório ou supermercado. É uma viagem, produtos maravilhosos do mundo inteiro em um espaço amplo, moderno e que te abre o apetite! Eu adoro ir à casa Santa Luzia e apesar de as pessoas falarem que é tudo mais caro, perto dos preços de Brasília não são! Logo quando você chegar vai tomar um susto pelo preço do estacionamento coberto. Mas fique tranquilo, o preço é só para assustar os transeuntes próximos. Quem faz compra lá, não paga. Eu acho que estou morrendo de saudades de Sampa, enquanto digito as letras aqui nesta coluna, o meu cérebro me encheu com uma viagem de imagens, odores e sabores. Estou até com a boca aguando! Esta é apenas uma pequena amostra do que você pode degustar em Sampa. Mas em Brasília tem um lugarzinho chamado La Palma! Graças ao esforço do Rogério, da Mari e de suas duas filhas, a Kiki e a Paula. Conseguimos em um único lugar, desfrutar da São Paulo Gourmet. No La Palma, podemos encontrar um pouquinho do Bairro da Liberdade, um pouquinho do Mercado Municipal, um pouquinho da Casa Santa Luzia e de tantos outros lugares do mundo! Os mais diversos ingredientes para o preparo daquele prato que você tanto deseja fazer, você provavelmente deverá encontrar no La Palma, mas se por um caso não tiver, não tem problema! O pessoal da casa vai se esforçar para encontrar para você! No La Palma ainda você  vai encontrar um ingrediente difícil de achar, a SIMPATIA dos donos e de sua equipe muito bem treinada! Vai ainda poder aprender a fazer algum prato ou descobrir como se usa aquele ingrediente diferente. A Mariko ou Mari, como tantos a conhecem, como boa japonesa, poderá ajuda-lo com as receitas orientais. O Rogério é um Gourmet inveterado, um estudioso de coração, além de cursos que faz para se aperfeiçoar na arte de cozinhar, viaja o mundo experimentando novos sabores e também poderá te auxiliar em alguma receita. Realmente, além de poder comprar ingredientes de qualidade superior, o La Palma é um lugar muito gostoso de passar algum tempo. 011 REVISTAPEPPER.COM.BR

[close]

p. 12



[close]

Comments

no comments yet