Gazeta Valeparaibana

 

Embed or link this publication

Description

Agosto 2016

Popular Pages


p. 1

Ano X - Edição 105 - Agosto 2016 Distribuição Gratuita RECICLE INFORMAÇÃO: Passe este jornal para outro leitor ou indique o site Nove anos a serviço da educação, culturas e tradições brasileiras e da cidadania As primeiras olimpíadas - Boa música Brasileira - Cultura - Educação - Cidadania - Sustentabilidade Social Agora também no seu www.culturaonlinebr.org Baixe o aplicativo IOS Recomendados EDITORIAL DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO Em agosto se comemora o dia Internacional da Declaração dos Direitos do Homem e do cidadão. Mas afinal de contas o que vem a ser isso? A Natureza e a Música, Parte III - As tempestades Página 4 Um “não” para a Globalização Recentemente, houve um plebiscito no Reino Unido sobre permanecer ou sair da União Europeia... Página 5 Crônicas, Curiosidades e Poemas Página 7 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPAS NA SALA DE AULA Página 9 A FORÇA DO PENSAMENTO Página 10 Foram os gregos que criaram os Jogos Olímpicos. Por volta de 2500 AC, os gregos faziam homenagens aos deuses, principalmente Zeus. Atletas das cidades-estados gregas se reunião na cidade de Olímpia para disputarem diversas competições esportivas: atletismo, luta, boxe, corrida de cavalo e pentatlo (luta, corrida, salto em distância, arremesso de dardo e de disco). Os vencedores eram recebidos como heróis em suas cidades e ganhavam uma coroa de louros. Os gregos buscavam através dos jogos olímpicos a paz e a harmonia entre as cidades que compunham a civilização grega. No ano de 392 AC, os Jogos Olímpicos e todas as manifestações religiosas do politeísmo grego foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I, após converter-se para o cristianismo. No ano 1896, os Jogos Olímpicos são retomados em Atenas, por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido com o barão de Coubertin. Nesta primeira Olimpíada da Era Moderna, participam 285 atletas de 13 países, disputando provas de atletismo, esgrima, luta livre, ginástica, halterofilismo, ciclismo, natação e tênis. Os vencedores das provas foram premiados com medalhas de ouro e um ramo de oliveira. A mitologia grega Há muito tempo atrás, as pessoas não podiam explicar os eventos a partir da ciência. Por isso explicavam os acontecimentos naturais a partir das histórias de deuses, deusas e heróis. Os gregos tinham uma história para explicar a existência do mal e dos infortúnios. Acreditavam que, em certa época, todos os males e infortúnios estiveram presos em uma caixa. Pandora, a princesa mulher, abriu a caixa e eles se espalharam pelo mundo. Os mais antigos mitos gregos falam do caos (confusão primitiva), de Gaia (mãe-terra), Ponto (o mar) e Urano (céu). Do casamento de Urano e Gaia, nasceram os titãs, ciclopes e gigantes, que personificaram as coisas grandes e poderosas da Terra: montanhas, terremotos, furacões, etc. O mais forte dos titãs, Cronos, casou-se com sua irmã Réia, e tiveram seis filhos. Temendo a rivalidade de seus filhos, Cronos devorou-os logo ao nascer, exceto Zeus, que Réia escondeu numa caverna. Quando se tornou adulto, Zeus derrotou o pai e obrigou-o a libertar os ciclopes da tirania de Cronos, e eles, em recompensa, deram-lhe as armas do trovão e do relâmpago. Além dos deuses, também os heróis tinham direito ao culto. Resultado da união entre um deus e uma mortal (ou vice-versa), eram considerados intermediários entre os deuses e os homens, atribuía-se-lhes a proteção do local onde estavam sepultados. Outros foram homens excepcionais, cujos feitos, muito antigos, se tinham transformado em lenda. Temos o caso do Édipo que após ter sido expulso de Tebas por ter morto o pai sem o ter reconhecido, conseguiu responder à esfinge, temos em Atenas Teseu que fora seu fundador e vencedor do Minotauro e ainda Hércules, um dos mais populares heróis gregos e considerado como fundador dos Jogos Olímpicos. Fonte: sohistoria www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 2

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 2 Editorial DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO Em agosto se comemora o dia Internacional da Declaração dos Direitos do Homem e do cidadão. Mas afinal de contas o que vem a ser isso? A declaração tornou-se pública em 26 de agosto de 1789, portanto foi elaborada durante a Revolução Francesa, que foi um marco na história, encerrando anos de um regime absolutista (onde o monarca tem o poder absoluto) Foi tão importante que seus ideais influenciaram outras revoluções pelo mundo todo. O artigo 1º dessa Declaração diz: Os homens nascem e são livres e iguais em direitos. As distinções sociais só podem fundar-se na utilidade comum. A declaração define direitos que são universais. Nasceu inspirada pela Revolução Americana de 1776 e pelos ideais iluministas: a igualdade, a liberdade e a fraternidade. Os direitos fundamentais correspondem às necessidades básicas do ser humano, aquelas que são iguais para todas as pessoas e devem ser atendidas para que se possa levar uma vida digna. A importância dessa declaração está no fato dela ter sido a primeira do gênero, abriu caminho para outros documentos que garantem os direitos do ser humano, acima dos interesses do particular. Foi à inspiração para a Declaração Universal dos Direitos Humanos aprovada pela ONU ( Organização das Nações Unidas) em 1948, que vem para afirmar direitos que são inerentes ao ser humano, já nascemos com ele. Serve para nortear a comunidade internacional, promover a cooperação entre as nações e o respeito aos direitos e liberdade do ser humano. A declaração dos Direitos do homem e do cidadão acabou sendo fonte inspiradora de constituições de várias nações. Ninguém tem dúvida de que os direitos fundamentais são pré- existentes a qualquer lei. Mesmo assim necessitamos de textos normativos para percebermos e termos garantidos esses direitos. A concretização desses direitos fundamentais como, por exemplo, o direito à vida, à liberdade, não está efetivado em todos os lugares. Infelizmente essa é uma realidade assustadora, mas estamos nos conscientizando cada vez mais e trabalhando para a concretização desses direitos. O respeito a dignidade da pessoa humana, o respeito ao indivíduo é um caminho que ainda está sendo percorrido. O desrespeito é praticado no mundo inteiro em vários tipos de sociedade. A desigualdade impera, as conquistas realizadas pela humanidade em prol dos Direitos Humanos ainda deixam a desejar. Os direitos fundamentais são inalienáveis, isto é, não posso vender, nem dá-los em doação, e imprescritíveis, quer dizer que não posso perdê-los por não usar. A princípio são irrenunciáveis e indisponíveis também. Esses direitos encontramse amparados em uma sociedade essencialmente democrática. A importância deles encontra-se na nossa Constituição Federal também chamada de Constituição cidadã , e que sofreu influência direta da Declaração Universal dos Direitos do homem. A verdade é que nós assim como temos direitos, temos também deveres. Dentre os deveres estão o de agir como cidadão cobrando do Estado que ele garanta os nossos direitos individuais e sociais, que o Estado desempenhe suas funções de maneira a garantir boas condições de vida, suprindo nossas necessidades, organizando a vida em sociedade e garantindo que possamos gozar dos nossos direitos , principalmente o mais fundamental de todos que é o Direito à vida. Ele precede todos os demais direitos. Temos direito à vida e a viver essa vida com dignidade, ou seja, o Estado tem que nos proporcionar condições para que isso aconteça. Percebemos então que por mais que os direitos humanos nos sejam indispensáveis, o Estado precisa garanti-los formalmente e nos dar condições para que eles se realizem. Os direitos fundamentais são garantidos constitucionalmente, mas só isso não basta. Cabe a nós fiscalizarmos para que eles sejam efetivados, e para que possamos assim usufruir de uma sociedade mais plena, digna e igualitária. Mariene Hildebrando Email: marihfreitas@hotmail.com Todo o homem luta com mais bravura pelos seus interesses do que pelos seus direitos. Napoleão Bonaparte BRASIL O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem de decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância nasce a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior dos bandidos que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e o lacaio dos exploradores do povo. (Brecht ) *********** O povo brasileiro se habituou a enfrentar a vida e a conseguir tudo, quer dizer, superando dificuldades e com muito trabalho. Por que não iria também o derradeiro desafio de fazer as mudanças necessá- rias, para criar relações mais igualitárias e acabar com a corrupção? Os artigos publicados são responsabilidade de seus autores, não refletindo necessariamente a opinião da Gazeta Valeparaibana IMPORTANTE Todas as matérias, reportagens, fo- A Gazeta Valeparaibana é um jornal mensal gratuito distribuído mensalmente para download na web tos e demais conteúdos são de intei- Editor e Jornalista responsável: ra responsabilidade dos colaboradores que assinam as matérias, poden- Filipe de Sousa - FENAI 1142/09-J do seus conteúdos não corresponderem à opinião deste projeto nem Ajude-nos a manter este projeto por apenas R$ 2,00 mensal deste Jornal. Email: assinaturas@gazetavaleparaibana.com Gazeta Valeparaibana e CULTURAonline BRASIL Juntas, a serviço da E- ducação e da divulgação da CULTURA Nacional

[close]

p. 3

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 3 Inverno Frio e feijoada tudo a haver na mesa da maioria dos brasileiros. Quem nunca teve aquela vontade de comer uma feijoada bem quentinha, nestes dias frios que tem teimado em aparecer pelo Sul e Sudeste do Brasil? E foi pensando nisso que me lembrei de vos trazer uma curiosidade: Você sabe a origem da Feijoada? Não, não é brasileira! Acredite. A Origem da Feijoada. Nem índios, nem negros tinham o hábito de misturar feijão com carne. Essa técnica de preparo não nasceu na Bahia e muito menos nas senzalas. Essa técnica vem de bem longe de muito longe. Nasceu no Império Romano. Desde a antiguidade os Europeus Latinos fazem cozidos de misturas de legumes e carnes. Cada região de influência romana adotou a sua própria variação: O Cozido português, a Paella Espanhola, o Bolito Misto do Norte da Itália; O Cassolet da França, criado no século 14, é parecidíssimo com o que temos como feijoada: Feito com feijão branco, lingüiça, salsicha e carne de porco. Com o feijão preto, espécie nativa da América que os Europeus adoram, o prato virou atração entre os BRASILEIROS MAIS ENDINHEIRADOS. A citação mais antiga que restou sobre a feijoada mostra a refeição bem longe das senzalas. No Diário de Pernambuco de 7 de Agosto de 1833, o elegante Hotel Theatre, do Recife, informou sua nova atração das QUINTAS-FEIRAS “Feijoada à Brasileira”. Calendário Algumas datas comemorativas 01 - Dia Nacional do Selo 05 - Dia Nacional da Saúde 09 - Dia Internacional dos Povos Indígenas 11 - Dia da Televisão 11 - Dia Internacional da Logosofia 11 - Dia do Estudante 12 - Dia Internacional da Juventude 12 - Dia Nacional das Artes 13 - Dia do Canhoto 14 - Dia dos Pais 15 - Dia da Informática 15 - Dia dos Solteiros 16 - Dia do Filósofo 19 - Dia Mundial da Fotografia 19 - Dia do Artista de Teatro 22 - Dia do Folclore Mãe! Hoje é sábado, posso comer feijoada na casa da vovó? Menino Maluquinho Rádio web CULTURAonline Brasil NOVOS HORÁRIOS e NOVOS PROGRAMAS Prestigie, divulgue, acesse, junte-se a nós ! A Rádio web CULTURAonline Brasil, prioriza a Educação, a boa Música Nacional e programas de interesse geral sobre sustentabilidade social, cidadania nas temáticas: Educação, Escola, Professor , Família e Sociedade. Uma rádio onde o professor é valorizado e tem voz e, onde a Educação se discute num debate aberto, crítico e livre. Mas com responsabilidade! Acessível no link: www.culturaonlinebrasil.net www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 4

Agosto 2016 Fala maestro Gazeta Valeparaibana Página 4 A Natureza e a Música, Outra ópera importante do repertório tradicio- mesmo psicológicos há a descrição deste e- parte III - As tempestades nal é A Valquíria (Die Walküre) de R. Wagner, vento perturbador em música que é para ser também talvez o maior compositor alemão de apenas ouvida. óperas e que dedicou sua vida a transforma-r A mais famosa e talvez a expressão mais for- esse espetáculo em uma viagem sonora e visual. Projetou até um teatro onde a orquestra ficasse completamente oculta da visão do pú- te desse evento em música sinfônica é o quarto movimento da Sinfonia nº 6 Pastoral de Beethoven. Essa tempestade é considera- blico. Esse teatro existe até hoje em Bayreuth, cidade alemã onde se realiza um festival da por muitos como a “mãe" de todas as outras tempestades escritas depois! A obra é anual com as óperas do compositor. uma das primeiras grandes sinfonias na histó- A Valquiria é a segunda parte de uma Tetralo- ria da música ocidental que quis provocar nos gia (obra dividia em quatro partes, assim co- ouvintes sensações diversas das tradicionais. mo Guerra nas Estrelas ou O Senhor dos A- Baseado em sensações provocadas pó rhistó- néis) chamada O Anel do Nibelungo (Der rias, imagens ou mesmo sentimentos. A sinfo- Ring des Nibelungen). Uma história complexa nia mostra em seus quase 40 minutos de mú- e fantástica que é assunto para muitos arti- sica aspectos da vida campestre. Os títulos gos! No nosso caso de hoje podemos obser- que o compositor deu a seus movimentos var a primeira cena onde Siegmund um dos são: Olá, mês passado falamos dos Rios e Mares na música, hoje conversaremos sobre tem- heróis procura brigo em meio a uma tempestade e encontra a moradia de Hunding esposo 1. Despertar de sentimentos chegada ao campo alegres diante da pestades. de Sieglinde. A história que está por aconte- Temos dito que as forças da natureza inspiram os artistas. As águas que caem do céu, às vezes furiosamente, outras calmamente, mas sempre de alguma maneira relacionadas com as nossas emoções. Tempestades sempre são assustadoras, imponentes e, talvez por isso mesmo fascinantes. Esse fascínio proporciona a um grande artista inspirações. cer é um misto de emoções humanas e divinas, onde o destino de Sieglinde e Sigmund é manipulado por Wotan, um deus em decadência e sedento de poder absoluto. A tempestade é uma entrada triunfal para essa trama. http://bit.ly/2a1zLsb Há uma peça de Shakespeare que se chama “A Tempestade”. Uma história de magia, traição e poder, onde mais uma vez a tempesta- 2. Cenaà beira de um regato 3. Dança campestre 4. A tempestade 5. Agradecimento dos pastores, após a tempestade O terceiro movimento (a dança) é interrompido pela tempestade. Uma representação emocionante! Quando se trata de um espetáculo visual, como uma ópera, um filme ou uma peça de teatro a música tem um papel importantíssimo de é o símbolo dessa tormenta humana e divina. Essa obra inspirou muitos compositores, e talvez as duas mais conhecidas são: Para ouvir só a tempestade: http://bit.ly/2aCHbOx Para ouvir a sinfonia inteira: para mostrar a força dessa natureza. A Tempestade - P. Tchaikowsky e J. Sibelius http://bit.ly/2a88wdc O primeiro exemplo que gostaria de mostrar a vocês é o início de duas óperas de estilos completamente diferentes mas que iniciam sua narrativa com uma tempestade. O primeiro fez uma obra apenas inspirada na peça e mostra todos os conflitos da peça de uma maneira um pouco mais intimista. Tchaikowsky - A Tempestade Esses exemplos podem mostrar a vocês o poder que a música pode ter de evocar sensações e nos fazer sentir emoções sem estar efetivamente no meio do furacão! A primeira delas é o Otello de G. Verdi, talvez http://bit.ly/2a8stkM o compositor Itália no mais importante de to- Um grande abraço musical dos os tempos. A peça é baseada no texto Já Sibelius compôs a música para a represen- homônimo de Shakespeare onde o ciúme e a tação da peça no teatro. Mto. Luís Gustavo Petri inveja são a motivação principal para os tris- Na abertura ele descreve a tempestade e é é regente, compositor, tes eventos do enredo. Nada melhor, portanto uma das mais assustadoras da história da que uma tempestade para iniciar o espetáculo m ú s i c a s i n f ô n i c a . C e r t a m e n t e - arranjador e pianista. Fundador da Orquestra e já nos colocar sob a fúria do destino e das inspiroumuitoscompositoresatuaisemmúsicaci paixões humanas. nematográfica. Sinfônica Municipal de Santos. Diretor musical da Cia. de Ópera Curta Nesta primeira cena espera-se o protagonista A Abertura da Tempestade de Sibelius: criada e dirigida por Cle- chegar de uma viagem em uma caravela em meio à uma violenta tormenta. Assim que ele consegue aportar há uma festa, mas durante o processo o povo tem medo que a tempesta- http://bit.ly/2aiaE2h Para quem quiser ouvir http://bit.ly/2a88pOD a música completa: ber Papa e Rosana Caramaschi. É frequente convidado a reger as mais importantes orquestras brasileiras, e em sua carreira além de de destrua a nave: Além da ópera e do teatro onde a representa- concertos importantes, participações em http://bit.ly/2a88imc ção da tempestade tem motivos cênicos ou shows, peças de teatro e musicais. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 5

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 5 Cidadania aliarem para conviver em paz umas com as A proposta de integração europeia foi uma outras. Um conjunto de países desenvolvidos ideia “vendida” como um milagre socioeconô- concederem cidadania comum aos seus ci- mico para a população em geral e, na práti- dadãos de forma geral. Se eu fosse um cida- ca, só satisfaz os interesses das elites euro- dão europeu, nos anos sessenta, setenta, peias, principalmente da Alemanha. A Ingla- oitenta ou noventa do século vinte, com cer- terra, carregando o restante do Reino Unido teza apoiaria a integração da Europa, consi- com ela e que provavelmente vai se desunir derando os benefícios promissores de tal uni- em breve, é apenas o primeiro país a deixar ão. Entretanto, a União Europeia, a partir de a União Europeia. Apesar da distância dos 2008, se revelou ser um novo império ale- outros continentes, se o Reino Unido tivesse mão, um “IV Reich” disfarçado de confedera- se confederado aos Estados Unidos, ao Ca- ção. Os líderes europeus criaram um banco nadá, à Austrália e Nova Zelândia, a união central único, uma moeda única mas não cri- provavelmente teria sido bem-sucedida, por aram um governo econômico e financeiro ú- haver uma identificação linguística e cultural nico. E a orgulhosa Inglaterra não se sujeita mais forte, laços históricos, etc. a liderança germânica. Muita gente discorda de mim, mas eu Londres é uma metrópole cosmopoli- acho que, para o mundo, é melhor que a Uni- ta, como Nova York, São Paulo, Toronto, ão Europeia seja desfeita ou, refeita em blo- Um “não” para a Globalização. Sydney, Los Angeles e outras, com popula- cos menores. E que a OTAN acabe. Há paíção pluriétnica, os habitantes têm uma visão ses que se dão melhor unidos e há países multiculturalista, é mais otimista no que se que se dão melhor sozinhos. Por exemplo, os Recentemente, houve um plebiscito no Reino refere a Globalização. Mas a população do 18 países da América Hispânica, do México e Unido sobre permanecer ou sair da União interior da Inglaterra, não tem a mesma visão Cuba à Terra do Fogo, sul da Argentina e do Europeia. O Brexit foi um alto e claro “não” da população na capital nacional britânica. Chile, eu acho válido uma tentativa de inte- para a Globalização. Pelo menos para mim, a Na Escócia e na Irlanda do Norte, também há gração entre eles por serem países que fa- vitória do “sim” pela saída da União Europeia uma identificação maior com a parte conti- lam o mesmo idioma e tem formação históri- é um claro e evidente ressentimento à Globa- nental da Europa. ca e cultural semelhantes. Eles ficariam mais lização e ao Neoliberalismo. E por que? fortes no contexto geopolítico se fossem um A Inglaterra em específico dentro do Reino Unido foi a senhora de um gigantesco império, com território em todos os continentes habitados por seres humanos, na Terra. A nação inglesa tem uma história farta de glória, de conquistas, de progresso, é uma nação orgulhosa de si mesma. Até o país que ainda é a superpotência predominante no planeta é uma ex-colônia da Inglaterra. A língua inglesa hoje tem o poder que o grego e o latim tiveram no passado, é a língua mundial, a língua do comércio internacional, da megabloco. Eu creio que sim.Já o Brasil tem uma formação lusa, tem o português como língua oficial, eu acredito que, para o Brasil, tentar primeiramente estreitar laços com outros países de língua portuguesa como Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, é preferível. Países que falam o mesmo idioma tendem a ter mais afinidades culturais e, portanto, a integração tende a ser mais fácil. É a falta de afinidades culturais que está fazendo o projeto europeu de união falhar. É o que eu acho. tecnologia. Eu pessoalmente acho que o projeto de uni- A União Europeia, originalmente, era ão da Europa fracassou. Não aguentou a prium ótimo projeto de integração de nações de meira grande crise econômica e financeira um continente que foi o palco principal de du- em bloco. Porque, nos cidadãos europeus, as guerras mundiais. Era uma ideia viável de não há um verdadeiro sentimento europeísta. fazer nações que a séculos eram inimigas se João Paulo E. Barros Porque precisamos fazer a Reforma Política no Brasil? Seus impostos merecem boa administração. Bons políticos não vem do nada. Para que existam bons políticos para administrar o país, toda a sociedade precisa colaborar para que eles possam nascer e terem sucesso. É preciso um sistema eleitoral moderno para melhorar a qualidade da política. Os políticos "tradicionais" tem horror à reforma política, porque ela pode mudar a situação atual onde eles usam e manipulam o eleitor e são pouco cobrados ! DESIGUALDADES Os contrastes sociais são responsáveis por todas as desigualdades raciais, étnicas e interculturais. Mesmo em tempos pós emancipação quem tem muita melanina, na maioria das vezes, é olhado de canto, é temido. Julgado e culpado. Prostrado à marginalização e banalidade. Jogado à sorte do destino. É triste ver que muitos são obrigados a sobreviver com pouca coisa, enquanto pou- cos riem e fazem de tudo um circo, vivendo bem e muito bem, "com muitas coisas" O problema da desigualdade social não é a falta de dinheiro para muitos, e sim o excesso na mão de poucos. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 6

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 6 História Um erro histórico Hoje, em 2016, faço uma reavaliação da História do Brasil e, passo a ter a opinião de que o Marechal Deodoro da Fonseca prejudicou o Brasil. Teria sido melhor ter deixado a família Orleans e Bragança no trono do Brasil. Não faço oposição a República enquanto forma de governo de forma generalizada. Há países que nasceram como alguma forma de República, como os Estados Unidos da América, a Suíça, a maioria dos países da América Latina, e não faz sentido que tais países se tornem Monarquias. E há países que nasceram monárquicos mas se deram melhor como republicanos, como a França, a Itália e a Alemanha, por exemplo. A Espanha não se deu muito bem com a República e voltou a ser Monarquia. E, observando o período republicano da história brasileira, o Brasil é um dos países que erraram em adotar a República. Eu não creio que o Brasil volte a ser Monarquia Constitucional Parlamentarista, a maioria dos brasileiros parecem ter muito preconceito com a Monarquia. Já se passaram mais de cem anos de regime republicano. Entre os países desenvolvidos, há um bocado com Regime Monárquico, como exemplo, o Reino Unido, a Espanha, o Japão, a Holanda, a Bélgica, a Dinamarca, a Suécia, a Noruega... e esses países costumam ser politicamente estáveis com a Monarquia. Mas o Brasil especificamente errou ao abolir a sua Monarquia. Eu creio que, no século vinte, haveriam mudanças como o Senado deixar de ser vitalício e passar a ser eletivo como é hoje, as províncias (Estados) passariam a ter mais autonomia, o Getúlio Vargas até poderia ter sido primeiro ministro, mas não teria implantado o Estado Novo fascista e, não teria havido Regime Militar. Os brasileiros seriam eleitores mais conscientes, elegeriam pessoas melhores como parlamentares, o Brasil iria amadurecer politicamente, e estaria num patamar mais elevado do que está hoje. A República funciona bem em algumas sociedades, mas não na brasileira. Há outros países que, na minha opinião, também erraram em se tornarem Repúblicas. Outros acertaram. O Brasil devia ter conservado a Monarquia Constitucional Parlamentarista que o fundou como Estado independente. O político brasileiro médio não tem espírito republicano. Um chefe de Estado Monarca poderia regular melhor os poderes, legislativo e executivo. Certamente a atual crise política brasileira não estaria acontecendo, se o Brasil fosse Monarquia Parlamentarista. O Marechal Deodoro da Fonseca prejudicou o Brasil. João Paulo E. Barros História - República Podemos dizer que Carl Gustav Jung foi um psicólogo positivo e filósofo. Em qualquer neurose ou depressão, ele envia um impulconsciência.só para a expansão da consciência. *** Não prenda quem se afasta de você. Assim, quem deseja se aproximar de você não irá conseguir fazê-lo. *** Tudo aquilo que nos irrita nos outros nos leva a um melhor entendimento de nós mesmos. *** Se você é uma pessoa talentosa, não quer dizer que tenha recebido algo. Quer dizer que você pode dar algo. *** O encontro de duas pessoas é como o contato entre duas substâncias quími- cas: quando há uma reação, ambas se transformam. *** A República da Espada (1889 a 1894) Em 15 de novembro de 1889, aconteceu a Proclamação da República, liderada pelo Marechal Deodoro da Fonseca. Nos cinco anos iniciais, o Brasil foi governado por militares. Deodoro da Fonseca, tornou-se Chefe do Governo Provisório. Em 1891, renunciou e quem assumiu foi o vice-presidente Floriano Peixoto. O militar Floriano, em seu governo, intensificou a repressão aos que ainda davam apoio à monarquia. A Constituição de 1891 ( Primeira Constituição Republicana) Após o início da República havia a necessidade da elaboração de uma nova Constituição, pois a antiga ainda seguia os ideais da monarquia. A constituição de 1891, garantiu alguns avanços políticos, embora apresentasse algumas limitações, pois representava os interesses das elites agrárias do pais. A nova constituição implantou o voto universal para os cidadãos ( mulheres, analfabetos, militares de baixa patente ficavam de fora ). A constituição instituiu o presidencialismo e o voto aberto. República das Oligarquias O período que vai de 1894 a 1930 foi marcado pelo governo de presidentes civis, ligados ao setor agrário. Estes políticos saiam dos seguintes partidos: Partido Republicano Paulista (PRP) e Partido Republicano Mineiro (PRM). Estes dois partidos controlavam as eleições, mantendo-se no poder de maneira alternada. Contavam com o apoio da elite agrária do país. Dominando o poder, estes presidentes implementaram políticas que beneficiaram o setor agrário do país, principalmente, os fazendeiros de café do oeste paulista. Surgiu neste período o tenentismo, que foi um movimento de caráter político-militar, liderado por tenentes, que faziam oposição ao governo oligárquico. Defendiam a moralidade política e mudanças no sistema eleitoral (implantação do voto secreto) e transformações no ensino público do país. A Coluna Prestes e a Revolta dos 18 do Forte de Copacabana foram dois exemplos do movimento tenentista. Política do Café-com-Leite A maioria dos presidentes desta época eram políticos de Minas Gerais e São Paulo. Estes dois estados eram os mais ricos da nação e, por isso, dominavam o cenário político da república. Saídos das elites mineiras e paulistas, os presidentes acabavam favorecendo sempre o setor agrícola, principalmente do café (paulista) e do leite (mineiro). A política do café-com-leite sofreu duras críticas de empresários ligados à indústria, que estava em expansão neste período. Se por um lado a política do café-com-leite privilegiou e favoreceu o crescimento da agricultura e da pecuária na região Sudeste, por outro, acabou provocando um abandono das outras regiões do país. As regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste ganharam pouca atenção destes políticos e tiveram seus problemas sociais agravados. Política dos Governadores Montada no governo do presidente paulista Campos Salles, esta política visava manter no poder as oligarquias. Em suma, era uma troca de favores políticos entre governadores e presidente. O presidente apoiava os candidatos dos partidos governistas nos estados, enquanto estes políticos davam suporte a candidatura presidencial e também durante a época do governo. O coronelismo A figura do "coronel" era muito comum durante os anos iniciais da República, principalmente nas regiões do interior do Brasil. O coronel era um grande fazendeiro que utilizava seu poder econômico para garantir a eleição dos candidatos que apoiava. Era usado o voto de cabresto, em que o coronel (fazendeiro) obrigava e usava até mesmo a violência para que os eleitores de seu "curral eleitoral" votassem nos candidatos apoiados por ele. Como o voto era aberto, os eleitores eram pressionados e fiscalizados por capangas do coronel, para que votasse nos candidatos indicados. O coronel também utilizava outros "recursos" para conseguir seus objetivos políticos, tais como: compra de votos, votos fantasmas, troca de favores, fraudes eleitorais e violência. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 7

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Crônicas, Curiosidades e Poemas Página 7 VOLTO LOGO tamento. Quando é possível peço para alguma amiga passar em casa e lhe fazer um pouco de companhia o que ajuda um pouco, porém, nem sempre tenho pessoas disponíveis para isso e, além de tudo, ela é antissocial e não gosta de sair de casa. Figurinha difícil! Conversando com minha neta, comentei que acho esse comportamento es- tranho, pois quando estou o dia todo em ca- sa e à disposição para brincar e aproveitar de minha presença, ela nem liga. Come, Às vezes saio apressada e muito chateada por deixá-la tão só e com o olhar triste de quem está sendo abandonada, lamenta fragilmente, conforma-se e entra quietinha. dorme, senta-se ao meu lado e quase nem brinca. Fica atrás de mim o dia todo; segueme a cada refeição que faço, fica no banheiro esperando eu sair do banho, deita ao meu lado pra assistir televisão e quando vou trabalhar no computador chama minha atenção Mas quando estou mais tranquila, puxando minha mão e me atrapalhando até converso bastante e explico o motivo da mi- que eu largue tudo pra acarinhá-la ou até nha saída, faço-lhe bastante carinho, mostro que eu fique brava e a recíproca é verdadei- onde está a comidinha, seus brinquedinhos ra. Não gosta de colo, nem liga para os brin- e a conforto garantindo que voltarei breve- quedos e nem quer passear. Só me observa mente. Ela me olha com as pupilas dilatadas e bem atentamente! demonstrando que entendeu e simplesmente me vira a cara. Saio sem as“milongas” de sempre, mas, aborrecida com a malcriação e certa de que a culpa é sempre minha por não poder ficar em casa ea seu“bel” prazer. - Porque será que essa danada quando estou em casa, nem me dá muita “bola” e quando saio fica choramingando? Perguntei a minha netinha. cebe gosa Quando volto para casa, me reaflita, às vezes agressiva, outras denou apenas me olha curiosa até ter cer- - Com a inocência e sabedoria de quem entende melhor que um adulto responde: teza que não sairei de novo acomodando-se - Vó, ela é como criança, gosta de num canto ou vai brincar. A comida fica into- sentir a presença da mãe. É porque assim cável, só se alimenta quando chego e mes- se sente segura. Também sou assim com mo assim tenho que ficar ao seu lado até minha mãe. que termine a refeição gulosamente. Bebe água se eu der e nem se atreve a tocar na que deixo disponível, nem mesmo nos dias crianças - Huumm, e para minha pensei! Animais são gata, sou a mãe dela. mais quentes, em protesto, fica à mercê da Ótimo! sede. GenhaAuga Por conta disso já passou mal, mas, não adianta, ela não muda de compor- Jornalista MTB: 15.320 PAI Genha Auga As passadas do menino ele escuta Namora o gingar da menina Pensamentos ao relento, Aceita os mistérios do mundo Mas sem tanto deslumbramento, Revela sua malícia e sua prole espreita, Quase louco de amor Misturado ao encantamento, Suspira ao crescer dele E admira a boca, com cheiro de amora, dela. O tempo passa e passa logo, Mas que seja assim. E que sejam livres Como doces versos que deixam saudade, De tempos perfeitos E que não voltarão. Ficará somente a vontade Que voltassem. E pudessem os momentos Como esses de deleite, Se eternizassem TAJ MAHAL – Maior Prova de Amor da História Marco Antônio e Cleópatra Talvez a melhor de todas as histórias de amor da História. Sem dúvidas representa o maior símbolo de devoção feito para uma Histórias de amor do Império Romano estão repletas de tragédias, dor e completa adoração por deuses e seres humanos. paixão. Por volta da metade do século XVII, o imperador Shah Jahan perdeu a sua esposa Talvez o caso mais emblemático tenha sido de Marco Antônio com Cleópatra, paixão assumida logo após o assassinato do general Júlio César. dele. favorita com uma morte prematura, após ela dar à luz ao 14° filho Ela era a inspiração de todos os seus atos. Para recuperar a motivação para governar, ele teve um ideia genial, lembrada até hoje, ou seja, construir monumento em homenagem a sua amada. Marco Antônio estava casado com Fúlvia até que, em Tarso, Cleópatra resolveu seguir ao seu encontro, junto com suas características sedutores principais: charme, arrogância e inteligência. A onipresente obra foi erguida com a ajuda de 20 mil homens contratados de diversas regiões distintas do Oriente. A construção suntuosa de mármore branca foi erguida entre 1632 e 1653, representando a Ela foi até o navio ção de quatro dias. dele, que estava se preparando para uma recep- maior prova de amor do mundo. Foi o bastante ao representante romano apaixonar-se pela rainha do Egito. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 8

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 8 Agosto - Mês do desgosto No dia 24 de agosto de 1572 Catarina de em conseqüência dos escândalos de Water- Medici ordenou o massacre de São Bartolo- gate. meu, que ceifou milhares de vidas. Em agosto de 1943 o navio "Cidade de São No dia 14 de agosto de 1831 os poloneses Paulo" chocou-se com uma das alas da Esco- foram vencidos pelos russos na chamada re- la Naval. Dezoito pessoas morreram, inclusive volta de Varsóvia e muita gente morreu so- Dom José da Afonseca e Silva, arcebispo de nhando com a liberdade. São Paulo, além de muitos feridos. No dia 14 de agosto de 1844 a França inva- Durante o mês de agosto de 1952 caiu um diu Marrocos. DC-3 em Goiás, matando vinte e quatro pes- soas e, em São Paulo, caiu um avião Presi- No dia 11 de agosto de 1863 a França domi- dente com um saldo de quarenta e seis mor- O mês de agosto é popularmente conhecido nou o Camboja. tos e trinta feridos. como o mês do desgosto, ou do azar. Mas você sabe por quê? Na cidade de Nova York, no dia 6 de agosto Em agosto de 1963 dez pessoas morreram de 1890, o primeiro homem foi eletrocutado em conseqüência de um choque entre aviões Os romanos deram ao oitavo mês do ano o nome de agosto, numa homenagem ao Imperador Augusto, quando estavam acontecendo os mais importantes fatos de sua vida, destacando-se, dentre os principais, a conquista do Egito e sua elevação à dignidade de cônsul. numa cadeira elétrica, como se o governo americano, arvorando-se em defensor de sua sociedade, achasse justo tirar a vida de um homem que tirou a vida de outro, isto é, fazendo a mesma coisa. Em 24 de agosto de 1910, o Japão invadiu a da Força Aérea Brasileira, em Viçosa, Alagoas. Um DC-8, no dia 21 de agosto de 1963, quando tentava vôo com destino à Europa, caiu no Galeão matando doze pessoas. Porque, como e quando agosto começou a Coréia, às custas de muito sangue, de muitas No dia 4 de agosto de 1963 dois aviões de ser um mês azarento é que ninguém sabe ex- lágrimas. treinamento da FAB se chocaram em Jacare- plicar. paguá ocasionando a morte de seis aspiran- As mulheres portuguesas não casavam nunca No dia 1º de agosto de Grande Guerra Mundial. 1914 começou a 1¦ tes da aeronáutica. no mês de agosto, época em que os navios Em agosto de 1965, um avião da TAP caiu das expedições zarpavam à procura de novas A Itália se apoderou, pela força das armas, da em Cuiabá, fazendo oito vítimas. terras. Casar em agosto significava ficar só, ilha de Corfu no dia 27 de agosto de 1923. sem lua-de-mel e, às vezes, até mesmo viúva. Os colonizadores portugueses trouxeram esta crença para o Brasil. Com a morte de Hinderiburgo ocorrida no dia 2 de agosto de 1932, Hitler assume o governo da Alemanha. Em agosto de 1965 o navio "Duque de Caxias" pegou fogo em Cabo Frio, quando trinta pessoas perderam a vida. Na Alemanha, entretanto, as mulheres não Em agosto de 1955 cinco pessoas morreram acreditam no poder mágico da superstição. A cidade de Pequim é invadida pelos japone- no incêndio da boate Vogue, dentre elas o Enquanto em muitos países maio é o mês das ses no dia 8 de agosto de 1937. cantor americano Warren Hayes. noivas, lá as moças sonham casar no mês de agosto. Na Argentina, não é aconselhável lavar a cabeça durante todo o mês de agosto. Quem lava a cabeça em agosto está chamando a morte. Não satisfeitos com milhões de vítimas causadas pela I Grande Guerra Mundial iniciada no dia 1º de agosto de 1914, os homens iniciam a II Grande Guerra Mundial em agosto de 1939. Em agosto de 1958, uma violenta explosão seguida de um pavoroso incêndio, num paiol de pólvora do Exército em Marechal Deodoro, matou dezenas de pessoas, deixando milhares de desabrigados. A verdade é que a crença popular de que agosto é o mês de desgosto não é somente um ditado popular que rima; é, também, uma superstição internacional de grande aceitação entre nós, principalmente na zona rural do país, destacando-se, de modo muito particular, em todo o Nordeste, onde o processo de colonização foi homogeneamente português. Mas, apesar de muita gente se dizer incrédulo Mais de duzentas mil pessoas morreram nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, quando as cidades de Hiroshima e Nagazaki foram destruídas pela bomba atômica, deixadas cair pelos pilotos Thomas Ferrebre e W. Copoeland. No dia 13 de agosto de 1961 foi iniciada a construção de um muro, em Berlim, depois mais conhecido como o Muro da Vergonha. Em agosto de 1959, um incêndio que destruiu uma fábrica de tintas, no Rio de Janeiro, fez cinco vítimas, entre as quais três bombeiros. Como resultado de uma crise política que assolou o país, suicidou-se, às 08:30 horas do dia 24 de agosto de 1954, no Rio de Janeiro, o então presidente da República Getúlio Vargas, renunciando, assim, não somente à pre- nos azares próprios do mês de agosto, muitos O Paquistão e a Índia começaram a lutar no sidência da República como também à vi- não se casam, não se mudam, não viajam e dia 25 de agosto de 1965. da.Forças estranhas fizeram com que o presi- não fazem negócios em agosto. dente Jânio Quadros renunciasse à presidên- A verdade é que as pessoas - acreditando ou não - preferem não brincar com o mágico, O Exército Vermelho invadiu a Tchecoslováquia no dia 21 de agosto de 1968. cia da 1961. República no dia 25 de agosto de com as coisas do sobrenatural. Na Irlanda do Norte, no dia 12 de agosto de Vítima de um desastre automobilístico, Jusce- Existem muitos registros tres e outros fatos ruins históricos ocorridos de desasdurante o 1968, católicos e protestantes se matar em nome de Deus. começaram a lino Kubitscheck faleceu no dia de 1976 22 de agosto mês de agosto. Conheça algumas dessas da- No dia 8 de agosto de 1974 Richard Nixon tas: renunciou à presidência dos Estados Unidos, Fonte: Universia Brasil Para atravessar agosto também é necessário reaprender a dormir. Dormir muito, com gosto, sem comprimidos, de preferência também sem sonhos. São incontroláveis os sonhos de agosto: se bons deixam a vontade impossível de morar neles; se maus, fica a suspeita de sinistros augúrios, premonições. Armazenar víveres, como às vésperas de um furacão anunciado, mas víveres espirituais, intelectuais, e sem muito critério de qualidade. (Caio Fernando Abreu) www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 9

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana E agora José? Debatendo a educação Página 9 INTELIGÊNCIAS MÚLTIPAS NA SALA DE AULA existencialismo humano. Muito ligado às questões espirituais e aos elementos da vida. Desde que a teoria das Inteligências Múltiplas foi lançada por Howard Gardner, temos nos debruçado sobre seus estudos tentando compreender as O PAPEL DO PROFESSOR E AS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS possibilidades de aprendizagem que esta teoria nos oferece. Gardner, propriamente, não é pedagogo. Muito menos é da área da educação. Seus estudos estão embasados na neurociência, mas muito nos é útil em sala de aula. Entendemos que seus estudos possam nos ajudar na melhor compreensão sobre a aprendizagem. Entendemos que ao compreender o básico do funcionamento do cérebro humano, podemos potencializar nossas aulas e contribuir com o desenvolvimento dos nossos alunos, e de nós mesmos. Gardner afirma que possuímos nove inteligências. Afirma também que todos nós possuímos essas inteligências, alguns com maior desenvolvimento, outros nem tanto. Para que o indivíduo desenvolva tais inteligências, Gardner propõe duas hipóteses. A primeira é que o indivíduo nasce com essa ou aquela inteligência já desenvolvida. Tal hipótese está fundamentada nos estudos da genética. O autor entende que podemos carregar no nosso código genético diferentes inteligências dos nossos pais ou avós. A segunda hipótese trata dos estímulos. Garner afirma que a inteligência pode ser estimulada a partir de diferentes atividades ao longo de sua vida. Claro que em uma situação em que o indivíduo nasça com a inteligência musical, mas não tenha estímulo ao longo de sua vida, provavelmente não deixará aflorá-la e ficará “adormecida”. Compreendendo que cada indivíduo possui suas singularidades, precisamos compreender que o outro possui necessidades diferentes das nossas. Aliás, a melhor forma de ensinar, é aprender como aprendemos. Ou seja, fazer uma auto avaliação nos permitindo descobrir que temos mais ou menos facilidade para aprender deste ou daquele modo. Neste momento da história da educação, não faz mais sentido classificar os nossos alunos em determinadas áreas. Precisamos contribuir para que (através de múltiplas linguagens) possamos potencializar a construção do conhecimento pelo nosso aluno. Lembre-se que, de acordo com Piaget, o indivíduo é o grande responsável pela construção do seu conhecimento. Cabe à nós, professores, potencializarmos as condições para que facilite este processo de construção. Todas as disciplinas podem contribuir com o desenvolvimento de todas as inteligências. É um erro pensar que a Geografia é a responsável pela inteligência especial. Que a matemática é a responsável pela inteligência lógica. Que a educação física é a responsável pela inteligência corporal. Todas as disciplinas dentro do seu currículo estruturado possuem diversas possibilidades de desenvolver todas as inteligências. Quando utilizamos diferentes instrumentos de avaliação (avaliação formativa) temos a possibilidade de identificar diferentes aspectos da aprendiza- Diferentes contribuições para o desenvolvimento das Inteligências Múltiplas. gem. Ao identificar uma inteligência pouco desenvolvida, cabe reformular diferentes atividades para que o aluno trabalhe esta inteligência, no sentido Na psicologia da educação, normalmente nos debruçamos sobre os estudos de Vygotsky, Piaget e Skinner. Sem dúvida cada um trouxe uma grande contribuição para a compreensão sobre o “como aprendemos”. Basicamente podemos afirmar que: Vygotsky trata do sóciointeracionismo. Ou seja, aprendemos a partir das nossas relações sociais. A partir da troca de ideias. A partir de diferentes conflitos. Piaget trata do cognitivismo. Ou seja, aprendemos a partir dos nossos esforços (ou do nosso interesse) sedimentando conhecimentos novos adquiridos aos conhecimentos prévios. Assim, chamamos de construtivismo. Skinner trata do condicionamento. O autor entende que nossas ações podem condicionar o comportamento das pessoas moldando-as con- de melhorar suas habilidades. E o conteúdo? Aonde entra? Ora, o conteúdo, dentro desta concepção, vai ser uma excelente ferramenta para dar início às outras atividades. Pense que após trabalhar a “Revolução Francesa”, por exemplo, você pode propor um debate. Pode propor a construção de história em quadrinhos através de recortes de figura de jornal. Pode propor seminários, rodas de discussão, produções textuais etc. O conteúdo, ao contrário do que muitos dizem, é o que vai te abrir a possibilidade de desenvolver tudo aquilo que estamos afirmando aqui. O conteúdo pelo conteúdo já não faz sentido (se é que em algum momento fez). O conteúdo é o sistema propulsor que vai trazer o desenvolvimento das inteligências, à partir de múltiplas linguagens e a apropriação de diferentes saberes de forma significativa. forme nossos interesses. Para isso, devemos fazer uso de recompensas ou punições. AS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS E O PROCESSO DE ENSINO Pois bem, diante da contribuição dos três autores acima, podemos utilizar suas teorias de aprendizagem, com o foco no estímulo ao desenvolvimento das Inteligências Múltiplas. Tanto para nossos alunos (ou filhos) quanto para nós mesmos. Compreendendo as teorias de aprendizagem de Piaget, Vygotsky e Skinner, atrelado à teoria das inteligências múltiplas, podemos passar a planejar nossas aulas objetivando um melhor desempenho do nosso aluno. Ao construir um plano de aula, é importante pensar no desenvolvimento das inteligências múltiplas e pensar em métodos que contemplem as diferentes teorias de a- INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS DE GARDNER prendizagem. Por exemplo: ao pensar em atividades que possibilitem a habilidade oral De forma bem resumida e direta, listamos abaixo as nove inteligências múltiplas: (inteligência linguística), podemos sugerir um debate em grupos. Assim, estaremos contemplando a teoria do sócio construtivismo, aliada ao desenvolvimento de uma inteligência e articulando os conceitos que nos interessam Espacial. Capacidade de se relacionar com o espaço conseguindo se deslocar com autonomia e administrando distâncias e pontos de referência. Cinestésico-corporal. Capacidade em controlar e utilizar o corpo. Realizar diversas atividades motoras complexas em diferentes situações, bem como manipular diferentes objetos de formas criativas, ordenada e diferenciadas. Lógico-matemática. Compreensão dos elementos da linguagem matemática, ordenando símbolos numéricos e algébricos. Assim como também articula quantidades, espaço e tempo. Naturalista. Está associada à percepção e compreensão dos elementos naturais e a relação entre a vida animal, vegetal e os ecossistemas. Apresenta grande capacidade de leitura do ambiente. Linguística. Revela-se grande capacidade de comunicação (oral ou escrita). Musical. Manifesta-se naquele que tem grande capacidade de combinar e compor a música. Apresenta grande sensibilidade ao ouvir diferentes sons e, mesmo sem saber tocar um instrumento, consegue distin- desenvolver em determinada aula. No Programa E Agora José? Do dia 10 de julho de 2016 abordamos com mais propriedade diversas estratégias para desenvolver as inteligências múltiplas em sala de aula. No link https://goo.gl/PtM4ex você pode conferir o programa. Entendemos que para que se desenvolvam inteligências múltiplas, é preciso fazer uso de múltiplas linguagens. As aulas tradicionais seguidas de giz, lousa e exercícios de fixação, não contemplam o desenvolvimento de múltiplas inteligências. Dai que se reforça a importância de fazer uso de diferentes instrumentos para que se desenvolvam diferentes inteligências. Neste sentido, podemos sugerir o seguinte: Diferentes jogos (tabuleiro, competição, corpo). Situações em que os alunos devam se expressar na modalidade oral. Utilização de Filmes e vídeos. Produções textuais diversificadas. Rodas de discussão com grupos de formação variada. Resolução de situações-problema. Entre muitas outras possibilidades. gui-los. Intrapessoal. Estabelece grandes relações afetivas consigo. Consegue Reafirmamos aqui a indicação de acompanharem o Programa E Agora José? no link acima e ao vivo nos Domingos 18h, na se compreender diante dos demais realizando sua auto avaliação. CULTURAonline BRASIL. Esperamos que faça bom uso dos Interpessoal. Tem boa capacidade de compreender as outras pessoas e materiais disponibilizados e que possamos contribuir com u- mantem bom relacionamento com diversos grupos, fazendo uso de ma educação de melhor qualidade. uma verdadeira “leitura do outro”. Existencial. Possui profunda reflexão sobre os limites do cosmo e do Ivan Claudio Guedes www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 10

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 10 Socializando A FORÇA DO PENSAMENTO Genha Auga – Jornalista MTB:15.320 contecimentos que influenciam o percurso de tudo. Podemos não gostar do que acontece em outros países, religiões contrárias à nossa, empresas poluentes, atitudes violentas, leviandades, mas, até que ponto, não estamos atrelados a tudo e mesmo àquilo que não gostamos ou discordamos? Sim, ligados por “elos” dessa corrente a qual fazemos parte e que embora muitas vezes condenamos, contribuímos para a existência de tudo que gostamos ou não através dos pensamentos que, emanamos pelo cosmo, potencializando os acontecimentos através de pensamentos e palavras que proferimos. A natureza, nessa bioconexão e interdependência enriquece o solo e preserva o meio ambiente. O ser humano atua numa teia de aconteci- mentos, através de ações e pensamentos agindo com o poder dessa energia transmitida com grande velocidade, independente da distân- Somos formados por várias células que, juntas, formarão ou- cia, reforçando com palavras e pensamentos que emanados, fazem tros seres de onde surgirão as sociedades, povos, lugares, uma infini- com que o “todo” fique mais forte ou fraco. dade de “outros mundos”... Somo elos de algo muito maior do que nós mesmos individualmente; Pensamos por partes e temos o costume de fragmentar a vida abrangemos e integramos amplamente, subtraindo ou somando, ao e por esse prisma, vemos como “todo”, apenas o pequeno panorama que admiramos ou condenamos, pois, nossa participação nessa cor- que vislumbramos. rente é determinante em todos os acontecimentos que inconsciente- Observemos que sentimos o que aflige aos que estão próximos mas mente provocamos e fazemos acontecer. também, nos condoemos com as notícias quando ficamos sabendo Sorte ou azar, passado e futuro... de tragédias ou alegrias que não nos atingem, diretamente, mas que compartilhamos com fortes sentimentos de tristeza ou entusiasmo num ritmo uníssono. Somos o caminho do destino que alimentamos, com esperanças ou receios, o mistério do que está por vir como se fosse alheio à nossa vontade. Cada ser possui uma corrente energética de auras e de pensamentos que fluem pelo ar unindo-se por elos que se espalham cosmicamente... Se,fazemos circular a roda da vida, caminhemos então, em direção à fortuna ou infortúnios, elevando nossos melhores pensamentos e tecendo palavras através de preces para que se propague pelo Univer- Somos essa corrente gigantesca que mesmo a longa distância, pos- so o nosso melhor, semeando o que for bom, para que a colheita sui uma forte conexão capaz de modificar o destino de pessoas que também seja boa neste solo sagrado e sem fissuras,que recebemos nem mesmo se conhecem e de mudar o destino de lugares que, tal- para cuidar e por onde trilhamos com a responsabilidade do que virá. vez, nunca irão conhecer, pelo simples fato do pensar, sentir e profe- rir coletivamente. Pensamentos e palavras, cenas de fatos que vemos e ouvimos diariamente através da mídia, acabam desencadeando uma série dos mesmos acontecimentos, como por exemplo: a queda de um avião ou de uma criança de um prédio, etc... Esses eventos, não raros, em nosso cotidiano, acabam ocorrendo seguidamente, pois todos se conectam nessa série repetitiva e através dessa corrente de pensamentos voltados para essas notícias o tempo todo podem desencadear o “Cuidado com o que você pensa. O que você pensa se tornará suas palavras. O que você fala, é o que você faz. O que você faz se tornará seu hábito. Seu hábito formará seu caráter. Seu caráter será seu destino. Seu destino moverá o mundo”! surgimento dessas ocorrências pela lei da atração. Conectados a tudo e a todos, interligados, formamos uma teia de a- Frank Outlaw POSITIVISMO Definição O positivismo é uma corrente filosófica que surgiu na França no começo do século XIX. Os principais idealizadores do positivismo foram os pensadores Augusto Comte e John Stuart Mill. Esta escola filosófica ganhou força na Europa na segunda metade do século XIX e começo do XX, período em que chegou ao Brasil. Princípios positivistas O positivismo defende a ideia de que o conhecimento científico é a única forma de conhecimento verdadeiro. De acordo com os positivistas somente pode-se afirmar que uma teoria é correta se ela foi comprovada através de métodos científicos válidos. Os positivistas não consideram os conhecimentos ligados as crenças, superstição ou qualquer outro que não possa ser comprovado cientificamente. Para eles, o progresso da humanidade depende exclusivamente dos avanços científicos. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 11

Agosto 2016 Literatura Gazeta Valeparaibana Cinco curiosidades sobre Machado de Assis Página 11 FRASES SOBRE MENTIRAS “Se você tira a mentira vital a um homem vulgar, tira-lhe ao mesmo tempo a felicidade”. Henrik Ibsen O autor de Dom Casmurro nascia há 177 anos Poucos autores foram tão importantes para a literatura brasileira quanto Machado de Assis. Um dos maiores difusores do realismo brasileiro, suas obras eram marcadas por um pessimismo niilista e mordaz que nos deu personagens ambíguos e apaixonantes como Capitu e Bentinho. No dia do aniversário deste grande autor, confira cinco curiosidades sobre sua vida e obra. E, claro, algumas sugestões de livros! Amor Carolina Machado, esposa do escritor, era quatro anos mais velha que ele e extremamente culta. Foi ela quem apresentou a Machado os grandes clássicos portugueses e diversos autores da língua inglesa. Alguns pesquisadores afirmam que era ela quem revisava os textos do escritor. “Machadinho”, como o autor assinava as mensagens de amor para a noiva, entusiasmava a esposa com cartas que previam o destino dos casal: “…depois, querida, ganharemos o mundo, porque só é verdadeiramente senhor do mundo quem está acima das suas glórias fofas e das suas ambições estéreis.” Xadrez Este era o jogo predileto do autor. Ele, inclusive, chegou a participar do primeiro campeonato disputado no Brasil. As peças usadas pelo escritor estão até hoje em exposição na Academia Brasileira de Letras. Machado de Assis foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Modesto, ocupou a cadeira número 23. Como patrono da cadeira número 1, a Academia escolheu José de Alencar. *** “A verdade que fere é pior do que a mentira que consola”. Chico Xavier *** “Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre”. Clarice Lispector *** “Mentir dá remorso. E não mentir é um dom que o mundo não merece”. Clarice Lispector *** “Minha maior mentira todos os dias: meu sorriso”. Clarice Lispector Com a morte da esposa, Machado entrou em profunda depressão. Numa carta ao amigo Joaquim Nabuco, ele lamenta: “foi-se a melhor parte da minha vida, e aqui estou só no mundo”. Segundo alguns biógrafos, as últimas palavras de Machado de Assis antes de morrer foram: “A vida é boa”. O discurso em seu funeral foi feito por Rui Barbosa. Machado foi sepultado no cemitério São João Batista em 1908, mas seus restos mortais foram transferidos para a sede da Academia Brasileira de Letras em 1999. *** “Engolimos de um sorvo a mentira que nos adula e bebemos gota a gota a verdade que nos amarga”. Denis Diderot Numa época em que a moeda nacional se desvalorizava com muita velocidade, a imagem do autor ilustrou uma cédula. A imagem de Machado de Assis foi estampada na cédula de mil cruzados, que circulou entre 1987 e 1990. Fonte: Estante Virtual Joaquim Maria Machado de Assis (Rio de Janeiro, 21 de junho de 1839 — Rio de Janeiro, 29 de setembro de1908) foi um escritor brasileiro, amplamente considerado como o maior nome da literatura nacional. Escreveu em praticamente todos os gêneros literários, sendo poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista, e crítico literário. *** “Crianças, ficção é a verdade dentro da mentira, e a verdade desta ficção é bastante simples: a magia existe”. Stephen King *** “Quem melhor conhece a verdade é mais ca- paz de mentir”. Sócrates www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 12

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 12 + Datas comemorativas 01 - Dia Nacional do Selo cessária e imprescindível para o desenvolvimento das aptidões humanas. Conta com duas forças poderosas que, ao unir-se e irmanar- O motivo desta comemoração se deve a publicação do primeiro selo no Brasil, em 1843 - a pequena estampilha que resolveu o problema mundi- se, levam o homem a cumprir os dois fins de sua existência: evoluir para a perfeição e constituir-se em um verdadeiro servidor da humanidade. Uma dessas forças é o conhecimento que oferece à mente humana; a outra, o afeto que ensina a realizar nos corações. al das correspondências. A ciência logosófica abriu uma nova rota para o desenvolvimento hu- Houve épocas em que as mano. Seu trajeto implica uma direção definida e imodificável, em cu- cartas eram pagas no jos trechos se cumpre, gradual e ininterruptamente, a realização si- destino e se o destinatário multânea dos conhecimentos que possibilitam seu extenso percurso. não pudesse pagar, a cor- A dita realização abarca o conhecimento de si mesmo e dos seme- respondência era devolvi- lhantes; o do mundo mental, metafísico ou transcendente; e o das leis da. universais, unindo-se a ela o avanço gradual e supremo do homem O Brasil lançou seu primeiro selo em 1843 - a famosa série Olho-deboi - e foi o segundo país do mundo a emitir selos. Seguiram-se os até as alturas metafísicas ção e do Criador. que custodiam o Grande Mistério da Cria- selos conhecidos como Inclinados (1844), Olhos-de-cabra (1850) e 12 - Dia Internacional da Juventude os Olhos-de-gato (1854). 05 - Dia Nacional da Saúde O principal objetivo desta data é focar na educação e conscientização dos jovens sobre a responsabilidade que assumem como represen- tantes do futuro do planeta. O Dia Nacional da Saúde foi oficializado e inserido no calendário O Dia Internacional da resolução 54/120, por Juventude foi criado, originalmente, através da iniciativa da Organização das Nações Unidas o f i c i a l b r a s i l e i r o a t r a v é s (ONU), em 1999, como consequência da Conferência Mundial dos do Decreto de Lei nº 5.352, de 8 Ministros Responsáveis pelos Jovens, em Lisboa, Portugal. de novembro 1967, do Ministério da Saúde e da Educação e Cultura. A Assembleia Geral da ONU decretou o ano de 2010 como “Ano Internacional da Juventude”, período em que foram debatidos diversos assuntos relacionados com o tema “Diálogo e Compreensão Mútua”. O dia 5 de agosto foi escolhido para celebrar o Dia Nacional da Saú- Atualmente, por meio do Programa Mundial de Ação para a Juventude por ser a data de nascimento do sanitarista Oswaldo da Cruz, um de, a ONU incentiva ações políticas e diretrizes que ajudam a apoiar importante personagem na história do combate e erradicação das epi- a melhoria na qualidade de vida dos jovens de todo o mundo. demias da peste, febre amarela e varíola no Brasil, no começo do sé- De acordo com o Decreto de Lei nº 10.515, de 11 de julho de 2002, o culo XX. Dia Nacional da Juventude também é comemorado em 12 de agosto. Oswaldo da Cruz nasceu em 5 de agosto de 1872 e foi responsável No Brasil, de acordo com a PEC da Juventude, ficou estipulado que pela criação do Instituto Soroterápico Federal (atualmente conhecido todo indivíduo entre os 15 e 29 anos é considerado jovem. como Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ) e da fundação da Acade- mia Brasileira de Ciências. 22 - Dia do Folclore 11 - Dia Internacional da Logosofia Folclore é a cultura de um povo, o conjunto das tradições culturais dos conhecimentos, crenças, costumes, danças, canções e lendas A palavra Logosofia reúne os elementos gregos logos esofia, que o dos indivíduos dessa nação. autor adotou, dando-lhes a significação de verbo criador ou manifes- Origem do Dia do Folclore tação do saber supremo, e ciência original ou sabedoria, respectiva- O Dia do Folclore é comemorado em 22 de agosto, pois foi nessa damente, para designar uma nova linha de conhecimentos, uma doutri- ta, no ano de 1965, que o Congresso brasileiro oficializou o dia 22 de na, um método e uma técnica que lhe são eminentemente próprios. agosto como o Dia do Folclore, em uma homenagem à cultura popuA Logosofia é uma nova mensagem à humanidade, com palavras ple- lar brasileira. nas de alento, de verdade e de clara orientação. Encerra uma nova 11 - Dia da Televisão forma de vida, forma que move o homem a pensar e a sentir de outra maneira, graças ao descobrimento logosófico de agentes causais, que, ignorados antes por ele, se manifestam agora à vista de seu en- A primeira transmissão televisiva do mundo aconteceu em 26 de fevereiro de 1926, graças ao escocês John Logie Baird, que apresentou tendimento, de sua reflexão e de seu juízo, da mesma forma que à um modelo mecânico de televisão para uma audiência de cientistas sua sensibilidade. na Academia de Ciências Britânicas, em Londres, na Inglaterra. Ciência e cultura ao mesmo tempo, a Logosofia transcende a esfera No Brasil, a televisão só chegou em 18 de setembro de 1950, quando comum, configurando uma doutrina de ordem transcendente. Como foi inaugurada a primeira emissora brasileira: a TV Tupi. doutrina, está destinada a nutrir o espírito das gerações presentes e Fonte: futuras com uma nova força energética, essencialmente mental, ne- www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 13

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana Página 13 É coisa nossa! MANDIOCA ção, exigindo-se daqueles o plantio de, pelo menos, quinhentas co- Diz uma lenda do Norte do Brasil que, certa vas por escravo. Desde o século XVII, portanto, ela vem representanvez, um cacique teve uma filha branca como do um elemento bastante significativo na alimentação dos nordestio leite, diferente dos membros de sua tribo. nos e nortistas, sendo largamente utilizado na culinária junina, onde, Considerando-se desonrado, o cacique resol- além das comidas de milho, destacam-se os deliciosos bolos elaboraveu matá-la. Em seus sonhos, porém, apare- dos com a massa da mandioca, e os chamados pés-de-moleque e ceu Sumé, o grande mestre dos índios, dizendo-lhe que, se não qui- Souza Leão. A farinha de mandioca está sempre presente, inclusive, sesse ser castigado, nada de mal fizesse à menina, porque esta nada no prato tradicional brasileiro - a feijoada - e, com ela, faz-se também havia feito de errado. O cacique obedeceu prontamente ao mestre, e as tapiocas e farofas, onde são adicionados o azeite de dendê ou a a criança, que era muito linda e inteligente, começou a andar e a falar manteiga de garrafa. no primeiro dia de vida, recebendo o nome de Mani . O amido da mandioca, advindo da fabricação da farinha e das Acontece que o grande deus Tupã reservara a Mani um outro raspas da raiz, é produzido por algumas Casas de Farinha. Esse subdestino: sem ter tido qualquer doença, a menina morreria de repente, produto é obtido do caldo - desprezado, na maior parte das vezes antes de completar um ano de idade. Seu pai, o cacique da tribo, en- que escorre das prensas. Possuindo um grande valor nutritivo, devido terrou-a na maloca e, conforme o costume indígena, regou o seu tú- à sua riqueza em proteínas, vitaminas e sais minerais naturais, ele é mulo diariamente. Um dia, ele percebeu que, do chão, brotou uma utilizado na fabricação de biscoitos, sequilhos e outros produtos aliplanta desconhecida. Nela apareceram flores, frutos e, a seguir, raí- mentares. zes. Ao serem descascadas, estas últimas eram brancas como Mani. No que diz respeito ao consumo da mandioca faz-se necessário Diante do ocorrido, os índios agradeceram a Tupã e, desde então, salientar que, nos lugares onde predominam as lavouras de subsis- não deixaram de plantar e de se alimentar daquela raiz, dando-lhe o tência, encontra-se um elevado consumo de carboidratos complexos, nome de Mani-oca, que significa casa de Mani. Através da elabora- proveniente de um ou dois cereais e raízes (tais como a mandioca, o ção dos beijus e do cauim - uma bebida popular entre eles - a mandi- inhame, a batata-doce, o milho e o arroz), que tanto podem ser con- oca se transformou em um dos elementos importantes da alimenta- sumidos de forma isolada, quanto combinados com certas legumino- ção dos índios. Trazida por eles, a mandioca incorporou-se à culiná- sas, a exemplo do feijão. Nesses casos, o papel dos demais alimen- ria brasileira. tos, no fornecimento de nutrientes importantes, passa a ser secundá- Há registros, entretanto, de que a planta é originária da Guiana rio, e o desenvolvimento das pessoas torna-se prejudicado. Brasileira (Norte do Amazonas e do Pará), do sul das três Guianas Por sua vez, desde que haja um aproveitamento do amido resi- (Britânica, Holandesa e Francesa), do sul da Bahia e do Nordeste de dual proveniente das prensas, nas fábricas de farinha e de raspas, é Minas Gerais. possível, ainda, produzir-se uma farinha de melhor qualidade. Mas o Foram os colonizadores portugueses que, aproveitando os seus que ocorre, na maior parte das vezes, é o aproveitamento de, somenconhecimentos sobre a maquinaria da uva e da azeitona, criaram as te, uma pequena percentagem do líquido que escorre. Segundo os tradicionais Casas de Farinha, presentes no Norte e no Nordeste do especialistas no assunto, são perdidos cerca de 75% dos melhores Brasil. Nessas Casas, antes de ser liberada para o consumidor, a nutrientes da mandioca, entre os quais as proteínas, as vitaminas e mandioca passa por um processo delicado. Em primeiro lugar, colhe- os sais minerais,naturais. Apesar desse fato, aquela planta continua se a raiz, raspa-se a sua casca, manualmente, e, em seguida, a parte representando o verdadeiro pão do Brasil. Aqui, apenas nas terras branca é passada em um ralo fino, acionado por intermédio de uma consideradas demasiadamente argilosas, ou em trechos montanhoroda grande. Geralmente, são os homens que movem o ralador e, as sos, muito secos, empedrados, íngremes em demasia, ou em baixamulheres, que enfiam a mandioca no caititu. Depois, a massa restan- das úmidas demais, é que não se cultiva a mandioca. te é imprensada no tipiti - um tipo de prensa - para dela se retirar a Através de seus hábitos alimentares, então, os portugueses in- manipuera (ou ácido cianídrico), um produto venenoso da raiz. Após troduziram a mandioca em sua culinária, bem como alguns outros in- esse procedimento, os blocos de massa são retirados da prensa, gredientes importantes: o coco (trazido da Índia), o sal, e a canela em desfeitos e, a seguir, peneirados em uma arupema. Somente no final pó - uma das especiarias - misturada com açúcar. Ao longo dos 500 dessa etapa é que o produto vai ao forno, transformando-se na popu- anos, desde o descobrimento, foi sendo forjada uma nova cozinha. E lar farinha de mandioca. as trocas alimentares, a união dos novos produtos, caminhos e expe- Cabe registrar que os principais ingredientes da alimentação riências, a mistura de etnias e culturas, a miscigenação de gostos, dos escravos africanos eram a farinha de mandioca e a carne-seca. formas e aromas, fez nascer a rica culinária brasileira. Mediante alvarás e provisões régias datadas de 1642, 1680 e 1690, Por: Semira Adler Vainsencher os senhores de engenho e lavradores de cana eram obrigados a culti- Pesquisadora da Fundação Joaquim Nabuco var aquela planta. Decretos posteriores vieram reiterar essa obriga- pesquisaescolar@fundaj.gov.br DESIGUALDADES Os contrastes sociais são responsáveis por todas as desigualdades raciais, étnicas e interculturais. Mesmo em tempos pós emancipação quem tem muita melanina, na maioria das vezes, é olhado de canto, é temido. Julgado e culpado. Prostrado à marginalização e banalidade. Jogado à sorte do destino. É triste ver que muitos são obrigados a sobreviver com pouca coisa, enquanto poucos riem e fazem de tudo um circo, vivendo bem e muito bem, "com muitas coisas" O problema da desigualdade social não é a falta de dinheiro para muitos, e sim o excesso na mão de poucos. www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 14

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana 09 - Dia Internacional dos Povos Indígenas Página 14 Entre os pontos defendidos por essa declaração, podemos destacar algumas afirmações, tais como: – Os indígenas estão totalmente inseridos na Declaração Internacional dos Direitos Humanos; – Os indígenas são iguais perante os demais povos e não podem sofrer qualquer tipo de discriminação; – O direito à autodeterminação, considerado legítimo para todas as entidades internacionais; – O direito à nacionalidade própria; – Os povos indígenas devem ter preservados a sua integridade física e cultural, que devem ser garantidas, inclusive, pelos Estados; – A população em questão não pode ser removida à força de seus territórios; – Os indígenas têm direito de utilização, educação e divulgação de seu próprio idioma; – A população indígena tem o direito de exercer suas crenças espirituais; – O Estado deve garantir uma ajuda financeira, se necessário, para a manutenção dos direitos básicos dos povos indígenas. Além desses, existem vários outros pontos na carta elaborada pela O Dia Internacional dos Povos Indígenas, mais do que uma simples ONU, esta composta por um total de 46 artigos e que se posiciona data comemorativa, é um momento de luta para garantir os direitos como uma enumeração dos direitos mais básicos desses povos, mas dessa população . que não pode ser considerada como um instrumento que imponha um O Dia Internacional dos Povos Indígenas é uma data celebrada mun- limite ou um teto para tais direitos. dialmente no dia 09 de agosto e foi estabelecido pela Organização É importante ressaltar, no entanto, que muitos desses e outros direi- das Nações Unidas (ONU) no ano de 1995 para expressar o reconhe- tos dos povos indígenas não são devidamente cumpridos em todo o cimento internacional em relação a esses povos, que ainda carecem mundo. Para se ter uma ideia, 50% de todos os índios adultos do da manutenção de alguns de seus direitos mais básicos. mundo sofrem de diabetes tipo 2. Nos EUA, um índio está 600 vezes Segundo dados da própria ONU, a população indígena no mundo está estimada em cerca de 370 milhões de pessoas, o que representa algo em torno de 5% da população mundial. No entanto, segundo a entidade, esses povos compõem cerca de um terço da população mais pobre do mundo e são expostos a uma série de problemas, que abrangem doenças, discriminação, perseguição, baixa expectativa de mais suscetível a contrair tuberculose do que outro cidadão do país. Na Austrália, a expectativa de vida dos povos aborígenes é 20 vezes menor do que o do restante da população do país. No Brasil, frequentes são os atentados aos territórios indígenas por posseiros e grileiros, o que ocasiona a erradicação de muitas etnias e troncos linguísticos. vida, ameaças territoriais e poucas garantias de verem cumpridos os Portanto, no Dia Internacional dos Povos Indígenas, mais do que sim- seus direitos humanos. plesmente comemorar a ocasião de uma data e prestar homenagens No dia 07 de setembro de 2007, a ONU também aprovou a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas, que visa garantir e reafirmar os direitos básicos dessa população simbólicas, é preciso que a população empreenda uma agenda de lutas e reivindicações para garantir que os índios do Brasil e do mundo não tenham os seus direitos básicos ainda mais cerceados. em todo o mundo, servindo de instrumento para a imposição de san- ¹ A Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indí- ções sobre aqueles países e governos que não visarem à manuten- genas pode ser acessada diretamente aqui. ção de tais direitos. Por: Me. Rodolfo Alves Pena Quando nos mostramos o nosso respeito por outros seres vivos, eles respondem com respeito por nos. Nao basta falar sobre a Paz, e preciso pensar, sentir, agir e viver em Paz. Provérbios índios Numa sociedade movida à dinheiro e hipocrisia, encontramos pessoas propensas aos mais diversos rumos incluindo-se a devassidão. Cuidado com quem andas, pois tua companhia sumariza quem és. Não tenha medo de lutar pelo que acredita, apenas seja você mesmo nos mais divergentes momentos que possam surgir. Fazendo isto, certamente afetará os que estão à tua volta que não gostam do que veem. Saberão fazer a triagem do joio e do trigo. Só tome cuidado com o lado com que ficará, pois uma escolha errada pode te afetar drasticamente. Pense no seu futuro. Sua escolha hoje, será o seu futuro amanhã. Seja feliz, haja com honestidade sempre. Mas acima de tudo, cuidado com o que te tornarás! Filipe de Sousa www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

p. 15

Agosto 2016 Gazeta Valeparaibana EUROPA hoje e ontem (artigo continuado) Página 15 Por: Michael Löwy Observação que vale especialmente para os Bálcãs, a Rússia e o Cáucaso, até o Portugal”. longínquo Oriente, Iraque e Palestina, as Sociólogo, é nascido no Brasil, formado em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo, e vive em Paris desde 1969. Diretor emérito de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS). Homenageado, em 1994, com a medalha de prata do CNRS em Ciências Sociais, é autor de Walter Benjamin: aviso de incêndio (2005), Lucien Goldmann ou a dialética da totalidade (2009), A teoria da revolução no jovem Marx (2012) e organizador de Revoluções (2009) e Capitalismo como religião (2013), de A desativação da bomba revolucionária na Espanha, em Portugal e na Grécia, foi a base política indispensável sobre a qual se prosseguiu, na década de 1980, na direção da constituição da União Europeia (UE), de um lado, e do desmantelamento da URSS e do chamado “bloco socialista”, do outro. A URSS, em plena crise econômica interna, pressionada para a busca de um acordo com o imperialismo mundial, comprometeu-se formalmente com a defesa e manutenção da “ordem europeia” nos Acordos de Helsinki e crises, os enfrentamentos nacionais e as guerras expressaram, cada vez mais, a crescente oposição entre os capitais e os Estados europeus, também divididos entre eles, e o imperialismo norte-americano. As manifestações da tendência para a fragmentação da União Europeia se acentuaram, ao mesmo tempo em que ela se estendia até abranger 27 Estados, desmentindo àqueles que a consideravam irreversível e portadora de um progresso econômico infinito. Walter Benjamin de Belgrado, celebrados em meados da Capitalismo e democracia na Europa PARTE VIII Em 8 de dezembro de 1974 se instituiu a “Terceira República Helênica”; o arcebispo Makarios voltou ao mesmo tempo ao governo de Chipre. No mesmo período acontecia a “Revolução dos Cravos” em Portugal e se iniciava a “transição democrática” na Espanha, no meio a imensas mobilizações populares e a uma década de 1970 com os representantes dos EUA e da Europa capitalista. Em 1990, logo depois da queda do Muro de Berlim, e na véspera da dissolução da URSS, a UE foi finalmente constituída e proclamada para estabelecer o marco definitivo de contenção da revolução social no pós-guerra; um marco que permitisse restabelecer os velhos Estados Nacionais esgotados por duas guerras mundiais como formas de dominação política do capital, e resolvesse a crise mundial de sobreprodução mediante uma eliminação parcial das barreiras ao comércio europeu e mundial. Na virada para o século XXI, a crise econômica nos EUA (a crise da bolsa das “novas tecnologias”, ou Nasdaq) pareceu fortalecer, momentaneamente, a posição internacional da UE. O fluxo de capitais europeus para os EUA, estes já “reativados” pela impulsão artificial dada pela Federal Reserve através da queda da taxa de juros, em especial no mercado imobiliário, no entanto, além de oficiar como um dos fatores de contenção da crise pelos EUA, integrou ainda mais esses capitais com os capitais norte-americanos. Quando a crise do mercado imobiliário dos EUA explodiu, em forte radicalização operária. A Europa do Sul, A UE também fornecia um método político 2007-2008, a crise “norte-americana” revelou a Europa das ditaduras, se decompunha em para unificar a ofensiva contra os rapidamente sua base mundial, transmitindo- meio a situações revolucionárias; a trabalhadores depois do fim do boom se com extraordinária rapidez para a Europa Comunidade Econômica Europeia (CEE) econômico do pós-guerra e o começo da já “unificada” e parcialmente detentora de buscava, nessas condições, se consolidar etapa de crise, assim como uma plataforma uma moeda única, uma moeda (o euro) que como entidade política continental. Governos para concorrer no mercado mundial com o chegara a ser vista como provável e partidos da França e Alemanha interviram capital norte-americano, no quadro dessa concorrente, e até substituta, do dólar no diretamente para arbitrar a colaboração dos crise. Era, finalmente, uma tentativa dos mercado mundial. partidos políticos locais, especialmente os socialistas e os comunistas (estes últimos embarcados na aventura “eurocomunista”) para garantir a reconstituição do Estado nos países “periféricos” da Europa, Grécia incluída. Consolidada a “democratização”, a 1º de janeiro de 1981 Grécia foi readmitida e se tornou membro pleno da CEE. Os Pactos de la Moncloa, na Espanha, em que o PCE e o PSOE renunciaram à histórica reivindicação da República, foram o símbolo continental dessa política. Estados mais poderosos, especialmente a Alemanha, para adaptar-se à derrubada da URSS e da Europa Oriental e para anexar os novos mercados capitalistas do Leste europeu e da Rússia. O imperialismo europeu passou logo a montar um conjunto de “corredores” (transportes de variado tipo, caminhos e dutos), para enlaçar o oeste da Europa com o Cáucaso e a Ásia Central, passando pelos países da península dos Bálcãs. A guerra e a divisão da Iugoslávia, em 1994, A eclosão da crise financeira foi seguida por uma depressão econômica de alcances igualmente planetários. As economias mais desenvolvidas registraram uma queda superior a 3% em 2009, depois da estagnação durante o ano anterior. Nos primeiros meses da crise, o estouro dos mercados de ações e o retrocesso da produção industrial alcançaram registros superiores àqueles da pior depressão da economia capitalista até então, a da década de 1930. Diferentemente daquela, contudo, Foi não levando em conta o caráter marcou o limite em que esses objetivos os analistas econômicos consideraram que o cont rarre vo lu cionário da s d ire ções poderiam ser levados adiante de maneira curso do desmoronamento (que na década de majoritárias de esquerda (e das direções “pacífica”. A guerra imperialista nos Bálcãs 1930 se prolongou em um tobogã ininterrupto nacionalistas na Espanha) que o marxista deu início a um novo período mundial de por muitos anos) fora limitado por um massivo grego Nicos Poulantzas ousou, em 1975, crises internacionais, guerras e revoluções. A resgate financeiro que havia sido evitado fazer uma previsão que não se revelaria formação e consolidação da União Europeia setenta anos atrás. No fim de 2009, se correta: “Dada, sobretudo, a força do se revelaram impossíveis através de um declarava oficialmente o fim da recessão. movimento popular, desencadeado pela queda dos regimes e desenvolvido durante este processo, a prazo mais ou menos curto, a questão da transição para o socialismo se colocará em toda sua intensidade e nas condições de dependência específicas de cada país. Ou seja, é duvidoso que nesta situação eminentemente instável a etapa de democratização possa se consolidar como tal no longo prazo e que a burguesia consiga, processo histórico pacífico e linear, pois representaram, em diferentes etapas, os intentos de adaptação e de sobrevivência da burguesia imperialista europeia às condições mutantes da crise mundial. Sob a pressão da crise econômica mundial e das lutas dos trabalhadores, as tendências centrífugas tenderam a impor-se sobre as centrípetas. A utilização das rivalidades nacionais por parte do capital financeiro norte-americano, em Os dados que se mostravam para provar que a marcha para o abismo havia sido detida e inclusive, revertida, eram enganosos. A situação de falência dos bancos foi dissimulada por manipulações de “contabilidade criativa”, destinados a superestimar o valor de ativos desvalorizados, um método que, na Grécia, se estendeu para as contas nacionais. como fez em outros países europeus, concorrência com a UE, tendeu a fratura-la. O bloquear, durante um longo período, o crescimento da luta interimperialista surgimento de conjunturas revolucionárias. condicionou a crise política mundial. Desde CONTINUA NA PRÓXIMA EDIÇÃO www.culturaonlinebrasil.net /// CULTURAonline BRASIL /// www.culturaonlinebr.org

[close]

Comments

no comments yet