Jornal Simpol n° 234

 

Embed or link this publication

Description

Jornal julho 2016

Popular Pages


p. 1

Informativo Oficial do Sindicato dos Policiais Civis - Ano XXII - Julho de 2.016 - nº 234 SINPOL DENUNCIA FALTA DE POLICIAIS CIVIS Em ofício enviado ao Juiz Corregedor, Ministério Público e Corregedoria Auxiliar, Eumauri alerta para a situação desesperadora vivida pelos policiais civis de todas as carreiras, com a enorme carência de recursos humanos. Leis como a Maria da Penha e casos de embriaguês ao volante, onde pode ocorrer flagrante, agravam o problema. Veja na página 11. DISE MANTÉM PRODUTIVIDADE Foto: DISE Ribeirão Preto Especializada de Ribeirão Preto apreendeu quase 30 quilos de drogas numa única ação; além de flagrar furto de combustível e encontrar arma de fabricação artesanal. Saiba mais sobre as ações na página 09. INVESTIGADOR RECEBE TÍTULO DE CIDADANIA E MAIS: 4 Policiais civis de Orlândia prendem traficante; 4 Para relembrar, em 1997 Sinpol promovia palestra de perito que atuou em caso de explosão em avião da TAM; 4 Em Radar e Parabólica, fatos que envolveram policiais civis da região; 4 DIG Sertãozinho prende irmão de chefe de tráfico; 4 DIG Franca encontra calçados falsificados; 4 Policiais civis de São Carlos esclarecem homicídio; 4 Sinpol realiza assembleia; 4 Campos Machado encontra-se com filiados do Sinpol; 4 PLC 257/2016 preocupa policiais civis; 4 Jurídico contabiliza novas vitórias. Impresso Especial 9912250402 - DR/SPI Sinpol CORREIOS O investigador Sebastião Signei de Moraes, conhecido por Sherlock de Ribeirão, recebeu o título de cidadania ribeirão-pretana. A proposta foi do vereador e delegado Samuel Zanferdini e, durante sessão solene, centenas de pessoas, entre juízes, promotores, policiais civis, amigos e até ex-criminosos presos pelo próprio homenageado anos atrás, compareceram Julho/2a0o1e6vento para prestigiá-lo. Leia nas páginas 06 e 07. SINPOL - Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto Rua Goiás, 1.697 - Campos Elíseos - Ribeirão Preto - SP CEP: 14085-460 - Fone: (16) 3612-9008 Fone Jornal: (16) 3610-2886 - jornaldosinpol@uol.com.br

[close]

p. 2

FRANCA DIG ENCONTRA CALÇADOS FALSOS Especializada apreendeu mais de 1.200 pares de calçados falsificados, durante operação que mobilizou Seccional de Franca Cigarros contrabandeados; um ‘acervo’ de calçados falsificados de marcas conhecidas mundialmente; um revólver calibre 38; um celular furtado há quase dois anos. Essas foram algumas das ocorrências registradas no dia 23 de junho em Franca durante operação da Polícia Civil realizada mensalmente na cidade e em outros 16 municípios pertencentes à delegacia seccional. Entre os mais de 3.180 produtos apreendidos, 1.272 eram pares de calçados. Eles estavam em uma chácara na rodovia João Traficante, que liga Franca a Ibiraci (MG), e foram pegos pela equipe da DIG (Delegacia de Investigações Gerais). Marcas como Melissa, Oakley, Nike, Adidas e Havaianas estavam no meio dos produtos, pertencentes a um vendedor de 42 anos. As caixas foram recolhidas e o suspeito, que não estava no local no momento, responderá por crime contra as marcas. Além dos sapatos, os policiais encontraram um revólver calibre 38 e munições intactas, além de duas deflagradas. “Esse vendedor, já identificado, será indiciado por porte ilegal de arma de fogo”, disse o delegado Márcio Murari. Contrabando Um idoso de 69 anos, dono de um bar localizado no Jardim Palmeiras, foi preso em flagrante por contrabando. Em seu estabelecimento, agentes da DIG encontraram quase 140 maços de cigarros oriundos do Paraguai. Através de uma denúncia anônima de que o idoso promovia o jogo do bicho e vendia cigarros das marcas Eight e Vila Rica, os policiais conseguiram um mandado de busca e apreensão, revistaram o bar e encontraram os produtos expostos. Indagado, o idoso, que já foi indiciado uma vez pelo mesmo crime, afirmou que vendia cada maço por R$ 2. Levado à delegacia, o comerciante foi autuado em flagrante e recolhido ao CDP (Centro de Detenção Provisória). O receptador Um ano e sete meses depois de um furto em uma festa no Jardim Pulicano, a dona de um celular recuperou seu aparelho. Ontem, em uma casa na Vila Imperador, os policiais o localizaram com um estoquista de 31 anos. O suspeito, que já possui passagens policiais, franqueou a entrada dos civis, que encontraram o celular. Sobre o objeto, furtado em uma casa no Pulicano em novembro de 2014, ele afirmou que adquiriu na Feira do Rolo. Após pagar uma fiança de R$ 1 mil, o estoquista foi liberado e responderá em liberdade. A operação Na ação, 36 pessoas foram presas. Para isso, participaram 131 policiais em 46 viaturas. Eles cumpriram 34 mandados de busca, prenderam cinco em flagrante e 3.186 objetos foram apreendidos. DISE Um trabalho de agentes da Dise (Delega- cia de Investigações Sobre Entorpecentes) levou mais um traficante para a cadeia na noite desta segunda-feira, 20. Um desempregado de 21 anos, que escondia a droga em um tanque de lavar roupas e na cozinha de sua casa, no JardimAeroporto III, foi parar no CDP (Centro de Detenção Provisória) e viu seu “acervo” de maconha ser apreendido. Quando menor de idade, o traficante ficou seis meses na Fundação Casa por conta do tráfico de drogas. E não deixou de cometer o crime após a experiência, já que, há alguns meses, vem comercializando entorpecentes em seu bairro. Foto: www.gcn.net.br Por um mês, investigadores da especializada fizeram campana e constataram uma movimentação atípica de usuários na casa do acusado. Com um mandado de busca e apreensão em mãos, eles foram até o local hoje e, em revista, encontraram 55 porções de maconha no tanque, dentro de um saco plástico, em meio às roupas sujas que ali estavam. Na cozinha, havia uma porção maior da droga. Levado à delegacia, o desempregado foi autuado em flagrante pelo delegado Djalma Donizete Batista, responsável pela Dise. Por: Marcella Murari - GCN.net.br, com adaptações O titular da DIG de Franca, dr. Murari, coordenou a equipe durante as investigações 02 Julho/2016

[close]

p. 3

DISE SERTÃOZINHO PRENDE IRMÃO DE CHEFE DE TRÁFICO Policiais civis investigavam ação de homem que “arrendou” pontos de droga após prisão de outro traficante em dezembro de 2015 Os policiais civis da DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Sertãozinho realizaram uma importante prisão, no dia 21 de junho. A especializada integra a Delegacia Seccional de Sertãozinho, que por sua vez, compõe o Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), com sede em Ribeirão Preto e que atende 93 cidades da região. Os policiais civis prenderam o irmão de um traficante, que seria o responsável pela maioria dos pontos de comercialização de drogas, as chamadas biqueiras, na cidade de Sertãozinho. A equipe estava investigando um traficante conhecido por “Xerox”. Ele teria assumido os pontos de droga do antigo responsável, conhecido como “Bel”, e que havia sido preso pela mesma especializada no final do ano de 2015. De acordo com o apurado pelos policiais civis, “Xerox” pagaria a “Bel” uma quantia semanal pelos pontos de venda, uma espécie de sociedade informal, ou um arrendamento propriamente dito. De acordo com informações divulgadas pela Assessoria de Comunicação Social do Deinter-3, os policiais civis identificaram esses pontos de vendas de droga que eram explorados por “Xerox” e passaram a monitorá-los. Durante a investigação, os policiais civis constataram que a residência do irmão de “Xerox” servia como ponto de embalo e distribuição do entorpecente que era distribuído para a venda aos dependentes químicos nas “biqueiras”. Diante das evidencias colhidas pelos policiais civis, a equipe da DISE planejou a ação e, no dia 21 de junho, rumou para o local. Logo que chegaram, os policiais civis foram recebidos pelo proprietário do imóvel, o irmão de “Xerox”. Ao conversar com os policiais civis, o homem autorizou a entrada da equipe da especializada no local. Após realizarem buscas no interior do imóvel, os policiais civis encontraram 19 porções de cocaína, 17 papelotes de maconha, além de 450 cápsulas vazias, geralmente utilizadas para o acondicionamento de cocaína em pequenas frações. A equipe da DISE também localizou diversas cartas e bilhetes com apontamentos sobre a movimentação do tráfico. O homem foi preso em fla- grante por tráfico de drogas e associação criminosa. no momento do flagrante e segue sendo procurado. Seu irmão, “Xerox”, acabou não sendo localizado Com informações do Deinter-3 Foto: Deinter-3 Entre diversos ítens apreendidos junto ao irmão de “Xerox”, várias cartas e apontamentos sobre a movimentação do tráfico em Sertãozinho POLICIAIS CIVIS DE ORLÂNDIA PRENDEM TRAFICANTE Foto: Reprodução Policiais civis da Delegacia de Orlândia flagraram homem com cocaína Policiais civis da Delegacia de Polícia Civil do município de Orlândia prenderam, no dia 20 de junho, um homem acusado por tráfico de entorpecentes. A delegacia, que pertence à Seccional de São Joaquim da Barra, que por sua vez integra a área de atuação do Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), com sede em Ribeirão Preto, chegou ao suspeito após minucioso trabalho de investigação. Os policiais civis de Orlândia já vinham levantando as atividades do suspeito há algum tempo e, quando constataram que havia indícios suficientes para realizar um flagrante, solicitaram mandado de busca e apreensão. O mandado foi expedido pelo Poder Judiciário. De posse do mandado, imediatamente os policiais civis planejaram e executaram a ação. Eles cumpriram a determinação judicial no dia 20 de junho, logo pela manhã. No imóvel do suspeito, os policiais civis apreenderam uma quantia de cocaína que caracterizou a atividade criminosa. A droga flagrada na residência do acusado já estava devidamente fracionada para a venda ao usuário. Ele foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e vai permanecer à disposição da Justiça. Julho/2016 03

[close]

p. 4

EDITORIAL POLÍCIA CIVIL: É DE DESANIMAR Durante o mês de junho, como normal- A situação é de calamidade. Já denunci- 257, os governadores e prefeitos se mente fazemos, fomos a diversas cidades amos a questão para o Ministério Público, condicionam a certas regras. Uma delas é de nossa região, com o objetivo de conver- mas até agora nada de efetivo foi feito para não promover qualquer reajuste salarial dos sar com os associados, ver quais são seus mudar esse rumo. O curioso é que, nas ci- servidores por dois anos. anseios e ver também suas necessidades dades onde encontramos um único policial Um absurdo. Novamente é o funciona- nos postos de trabalho. Além disso, claro, civil na delegacia, fizemos uma análise. O lismo público quem corre o risco de pagar a nossa ideia é levar ao associado o trabalho policial civil é ser humano. Portanto tem lá conta. Bem a cara dos governos do PSDB, que vem sendo realizado pelo Sinpol, dei- suas necessidades fisiológicas, tem que ir desde Mário Covas, que consideram o ser- xando o sindicato sempre mais perto de seu ao banheiro, almoçar, pagar uma conta no vidor gasto, não um investimento, numa filiado. banco. Mas se ele tiver que fazer isso du- ideia ultrapassada e ultrajante para a cate- Mas a cada dia que passa, a situação é rante o expediente, tem que fechar a dele- goria. mais desanimadora. Estivemos em visitas gacia. Estamos cansados deste tipo de coisa, às cidades de Altinópolis, Santo Antonio O governo sabe que tem que enfrentar destes desmandos. Não vamos aceitar pas- da Alegria, Cássia dos Coqueiros, Cajuru, o problema, mas vai gradativamente empur- sivamente. O dr. Samuel Zanferdini já mani- São Simão, Santa Rosa de Viterbo, Luiz An- rando com a barriga. E agora me aparece festou seu repúdio como vereador por Ri- tonio e Guatapará, entre outras cidades. E esse aborto político, o PLC (Projeto de Lei beirão Preto. Nós também estamos solidári- o que vimos foi desolador. Complementar) 257, uma ideia nefasta que os a esse repúdio. Não vamos aceitar essa Em praticamente todas as cidades, há só vem prejudicar ainda mais o servidor. situação. Basta. O governo precisa contra- apenas um policial civil. E em duas encon- Estávamos numa situação deplorável tar. O governo precisa remunerar com o mí- tramos duas mocinhas respondendo pela sob o governo Dilma. E pelo que parece, a nimo de decência os servidores públicos. Delegacia. Possivelmente são funcionárias situação sob o governo Temer está sendo Isso é governar. Acorde, senhor Geraldo cedidas pela prefeitura, se é que isso real- igualmente temerária, com o perdão do tro- Alckmin. Acorde, senhor presidente interi- mente ocorre. Elas ficaram lá tomando con- cadilho. Esse PLC 257 prevê o socorro do no Michel Temer e equipes de trabalho. So- ta da unidade policial, enquanto o único governo federal aos estados e municípios. mos trabalhadores dignos e queremos ser policial civil saiu, provavelmente para en- Primeiro: o governo federal tem rombos tratados desta forma. tregar uma intimação, fazer um levantamen- homéricos em suas finanças e acena para EUMAURI LÚCIO DAMATA to de investigação, ou seja lá por que moti- “socorrer” os estados e municípios. Mas Presidente do Sinpol (Sindicato dos Polici- vo foi. para que haja o socorro, através do PLC ais Civis da Região de Ribeirão Preto) Novos Associados Associaram-se ao Sinpol em maio os seguintes policiais civis: - Marco Antonio Domingues, papiloscopista, Ribeirão Preto; - Maria Elaine Zaneti Ravagnani, escrivã, Franca. A diretoria do Sinpol dá boas vindas aos novos associados e está à disposição de todos os policiais civis que quiserem integrar o quadro associativo do sindicato. Falecimento A diretoria do Sinpol comunica, com pesar, o seguinte falecimento: + Geny Rodrigues Viana, mãe do carcereiro Roberval Maurílio Viana, ocorrido em 28/06. O Sinpol manifesta seus sentimentos aos familiares. Aposentados Associado do Sinpol que ingressou no quadro de aposentados em junho: - José Roberto Mendonça, investigador de Classe Especial. A diretoria do Sinpol felicita o policial civil por sua brilhante carreira, desejando-lhe poder usufruir seu merecido descanso com muita saúde e alegria. Notas Plano de Saúde 1 Atenção associados. Verifiquem a data de validade no cartão magnético do convênio São Francisco, especialmente dos dependentes que cursam faculdade. Para que não ocorra carência, a declaração escolar deverá ser enviada, impreterivelmente, 20 dias antes da data limite de validade. Na dúvida, confira o verso da carteira do plano de saúde, onde consta a data do término da validade. Não deixe para a última hora. Maiores informações na Central de Atendimento Sinpol, telefones (16) 3625-3890 / 3612-9008 / 3979-2627. Cantina para o Associado A Cantina da Chácara do Sinpol, sob o comando de Paulo e Cristina, tem agradado bastante aos associados. Além de porções, aos sábados e domingos estão sendo servidos pratos feitos. A cerveja, o suco e o refrigerante estão sempre na temperatura ideal e constantemente há muitas novidades para os associados. Maiores informações e reservas nos telefones (16) 99398-6912, com Paulo ou (016) 99398-8820 com Cristina. Errata Em nossa última edição, à página oito, na legenda da fotografia, mencionamos a diretora secretária do Sinpol, Fátima Aparecida da Silva, como sendo diretora financeira. Pedimos desculpas pelo equívoco. Na página nove aparecem, nas duas fotos, os diretores corretamente citados nas legendas: Júlio César Machado, diretor financeiro e Fátima, diretora secretária. Lamentamos o erro. Atenção policial civil A diretoria do Sinpol alerta a todos os policiais civis associados que, se receberem intimação para comparecer à Corregedoria ou a qualquer outro órgão, para depoimento, busquem antes orientação no Departamento Jurídico do sindicato. É direito constitucional que em todo e qualquer depoimento, o depoente esteja assistido por um advogado. Plano de Saúde 2 Devido a reclamações recebidas junto à Secretaria do Sinpol, a diretoria do Sindicato pede aos associados usuários do Plano de Saúde que confiram suas cobranças de coparticipação em consultas e exames relativos ao uso do convênio médico. Qualquer dúvida, entrar em contato com a Central de Atendimento do Sinpol, pelos telefones (16) 3612-9008 / 3625-3890. Atenção policiais civis O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, comunica aos associados que, caso necessitem de amparo na área jurídica relacionado à aposentadoria, assim como para acompanhar o andamento de ação já ajuizada, primeiramente entrem em contado com os diretores do Sindicato, através de nossa Central de Atendimento Sinpol, fones (16) 3612-9008 / 3625-3890 / 3977-3850 para oportuno agendamento com o dr. Ricardo Ibelli. EXPEDIENTE O Jornal do Sinpol é uma publicação oficial, de circulação mensal, do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto. Rua Goiás, 1697 - Campos Elíseos CEP: 14085-460 - Ribeirão Preto - SP e-mail: secretaria@sinpolrp.com.br Diretoria: Presidente: Eumauri Lúcio da Mata Vice-Presidência: Célio Antonio Santiago, Darci Gonzales, João Gonçalo Palaretti, Dorlei Morales, Luís Henrique Maringolli de Lima e José Gonçalves Neto; Suplentes: Adilson Massei, Sérgio Ribeiro dos Santos, Luiz Henrique Batista, Carlos Henrique Carneiro Scarparo, Targino Donizete Osório,Adhemar Pereira da Costa e Cláudio Expedito Martins; Secretários: Fátima Aparecida Silva e Doracy Alves da Silva; Suplentes: José Álvaro Ament Júnior e Luís Henrique Zanoello. Diretores Financeiros: Júlio Cesar Machado e Carlos Henrique Pischiotini; Suplentes: José Angelo Marques e Josiane Kátia P. do Nascimento. Patrimônio: Arnaldo Vaz Ferreira; Suplente: Olavo Elias dos Santos. Conselho Fiscal: Prisclia Yoshi S. Hashimoto, Clévis Samuel Lors de Faria e Diva Rodrigues dos Santos; Suplentes: Robert Schmengler Guilhaume, Marisa Lelis Takata e Jefferson Pessoti; Delegados Sindicais: Antonio Carlos Schivo e Josiane K. P. de Souza; Suplentes: Décio Kury Marques e Hélio Augusto da Silva. O JORNAL DO SINPOL É UMA PUBLICAÇÃO EXCLUSIVA DO LABORATÓRIO DE NOTÍCIAS R. Paschoal Bardaro, 633-A - Jd. Irajá Ribeirão Preto - SP Fone/fax: (16) 3610-2886 DIRETOR DE JORNALISMO: Adalberto Luque - MTb 19.218 EDITOR CHEFE: Júlio Castro O Jornal do Sinpol não se responsabiliza por especificações ou informações que não estejam previstas no contrato de publicidade AS COBRANÇAS SERÃO FEITAS EXCLUSIVAMENTE POR: Por boleto bancário emitido pelo Laboratório de Notícias DEPARTAMENTO COMERCIAL: CONTATOS EXCLUSIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS: Fernando Mendonça Antonio Pereira Alvin Vanderlei Costa Aparecido Donizete Tremura MarcosAntonio Fernandes EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Laboratório de Notícias Fone: (16) 3610-2886 e-mail: jornaldosinpol@uol.com.br Os artigos assinados não refletem, necessariamente, o conceito do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores. 04 Julho/2016

[close]

p. 5

DIG SÃO CARLOS ESCLARECE HOMICÍDIO Crime ocorreu no dia 20 de maio e policiais civis descobriram que autor foi o próprio amigo da vítima A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de São Carlos conseguiu esclarecer mais um homicídio registrado na cidade.Aespecializada, que tem na titularidade o dr. Gilberto deAquino, realizou um intenso trabalho investigativo para chegar até o responsável pela morte de Eduardo Batista Dias, de 43 anos. Ele foi encontrado morto no dia 20 de maio de 2016. Tinha uma perfuração de faca no peito e um ferimento em sua cabeça. O corpo estava na área do Ecoponto, no bairro Santa Felícia, periferia da cidade. A equipe da especializada concluiu que o autor do homicídio foi V.M., conhecido por Pitoco, que era amigo de Eduardo e morava na região onde o crime aconteceu. Durante o levantamento, os policiais civis constataram que o suspeito teria comprado certa quantidade de drogas e bebidas para consumir com alguns amigos em um terreno baldio próximo ao local onde morava, na região do Ecoponto de Santa Felícia. Entre seus amigos, estava um apelidado por Baixada, apelido pelo qual Eduardo era conhecido. Pitoco, Baixada e outros amigos passavam a noite bebendo e consumindo drogas, até que uma forte chuva caiu sobre a cidade. Baixada decidiu se abrigar da chuva e foi se esconder no quanto onde Pitoco morava. No local, havia uma mulher que também tinha consumido drogas e bebidas alcoólicas. Ela esta- guiu para a DIG que realizou um trabalho eficiente o autor da facada que tirou a vida do amigo. va dormindo e Baixada fechou a porta para não se e chegou rapidamente ao suspeito. O acusado já tinha passagens por agressão, molhar. O dono do quartinho, Pitoco, também re- Pitoco acabou preso e, durante depoimento à violência doméstica e roubo, entre outros solveu sair da chuva, correndo para o local onde equipe do dr. Gilberto deAquino, contou que lem- indiciamentos. Ele foi recolhido ao Centro de Tri- morava, mas Baixada não queria deixá-lo entrar. brava-se de tudo o que ocorreu naquela noite. agem e, posteriormente, encaminhado a um CDP Os dois passaram a discutir e, segundo os Contudo, alegou não se lembrar de ter esfaquea- (Centro de Detenção Provisória), onde permane- policiais civis, Pitoco pegou uma faca e foi para do Baixada.As testemunhas, todavia, foram loca- ceria à disposição da Justiça. O caso foi elucidado cimadoamigo,desferindo-lheumgolpefatal.Bai- lizadaseconfirmaramquePitocoteriamesmosido no dia 23 de junho. xada caiu sobre a mulher, que acordou e viu o fim Foto: Divulgação da acalorada discussão. Outra testemunha que estava próxima também presenciou o homicídio. Em seguida, Pitoco te- ria dado ordem para que as duas testemunhas deixassem o local. Ele levou o corpo para fora, abandonan- do-o já sem vida. Depois fugiu. Pouco depois, o corpo foi encontrado e populares chamaram a Polícia Militar, que iso- lou a área para o traba- lho da perícia. Depois de tudo devidamente registrado, o caso se- Policiais civis que integram a DIG de São Carlos e atuaram na elucidação do homicídio Julho/2016 05

[close]

p. 6

SIGNEI RECEBE TÍTULO DE CIDADANIA “Minha família se mudou para Ribeirão Preto com uma enxada e um garrafão de água, mãos calejadas e muita esperança”, disse visivelmente emocionado o agora cidadão ribeirão-pretano honorário, Signei Sebastião de Moraes, durante sessão solene da Câmara Municipal de Ribeirão Preto realizada no dia 27 de junho, por iniciativa do delegado e vereador Samuel Zanferdini. Natural de Pontal, Signei veio para Ribeirão Preto com 12 anos, trabalhando na roça para ajudar seus pais. Aos 14, foi trabalhar na Cerâmica São Luiz, onde saiu ais 17, por conta de uma política da empresa em razão do alistamento militar obrigatório. Foi feirante e trabalhou no Hospital Santa Tereza. Em 1973, prestou concurso e ingressou como investigador na Polícia Civil. Trilhou uma carreira das mais respeitáveis na história da Instituição. “Signei foi um tira na concepção da palavra. Era respeitado, tinha uma técnica apuradíssima, liderança, lealdade. Era um grande companheiro e um policial civil dos melhores que já presenciei e trabalhei. Ele sabia lidar com o bandido, com o cidadão comum, com autoridade. É uma pessoa diferenciada, que fez escola e deixou uma enorme lacuna com sua aposentadoria”, destaca o amigo e presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. A solenidade reuniu centenas de amigos de Signei, entre juízes, promotores, policiais civis, autoridades e população em geral. A seu lado, a sempre presente esposa Maria Aparecida e os filhos do casal, Elaine, Daniela e Tiago. Elaine é advogada e mora em Fortaleza. Daniela é médica e Tiago é delegado em Tocantins. O autor da propositura, dr. Zanferdini, dis- se estar muito feliz em poder conceder este título a alguém altamente merecedor. “Foi uma pessoa que dedicou sua vida à causa pública, sempre ajudando os outros, os mais necessitados. Jamais gritou com alguém que fosse preso. Sempre procurando ajudar à sociedade, dando forças para as vítimas e tentando reinserir o preso à sociedade. Até hoje ele atua em prol da comunidade, com sua Ong [Organização não governamental]”, acrescentou o delegado e vereador. A Ong Escola de Futebol Vila Esperança existe há cerca de 10 anos. Atende crianças e jovens com o objetivo de tirá-los das ruas. Os mais qualificados acabam sendo encaminhados para os times que possam dar condições de desenvolver uma carreira. “Na Ong, passamos noções de cidadania, auxiliamos com distribuição de remédios e cestas básicas, sem qualquer finalidade lucrativa. E toda ajuda é bem vinda”, convida Signei. “Signei foi investigador 24 horas por dia. Trabalhar com ele era sempre muito bom. Trabalhava dentro da legalidade, era um grande companheiro e posso garantir que foi, sem dúvida, o maior investigador de Polícia que conheci. Trabalhamos juntos por muitos anos, em diversos casos. Ele chegava a abdicar de estar em sua casa, com sua família, para realizar o melhor trabalho possível. Conseguimos esclarecer vários casos, chegar a vários criminosos graças à sua forma de atuação exemplar. O que causa estranheza é o não comparecimento de ninguém da chefia da Seccional ou do Deinter-3. Talvez porque eles não se interessem pela história de Signei e pela história da própria Polícia Civil em nossa região”, criticou Eumauri. A prova de quanto Signei é bem quisto e respeitado estava na plateia que compareceu à solenidade da entrega do titulo de cidadania ribeirão-pretana ao investigador. Um dos oradores destacou que, entre os presentes, estavam algumas pessoas que já haviam sido presas por Signei praticando algum tipo de crime e que, graças ao apoio do policial civil, acabaram se recuperando e voltaram ao convívio O autidório da Câmara Municipal de Ribeirão Preto esteve completamente lotado de amigos do policial civil social, mantendo uma vida honesta em suas comunidades. Ao final, Signei agradeceu à homenagem, agradecendo ao vereador Samuel Zanferdini, ao presidente do Sinpol, Eumauri e à sua família pelo título recebido. Se dependesse de sua vontade, certamente continuaria atuando como investigador até os dias atuais - aposentou-se no final de 2014. “Quando morrer, manifesto minha vontade de que conste em minha lápide: ‘Aqui jaz o Investigador Signei’. Sempre gostei de ser investigador e gostaria de ser lembrado desta forma”, concluiu Signei. A família, sempre presente na vida do investigador Signei, participou da solenidade que concedeu-lhe o titulo de cidadania ribeirão-pretana 06 Julho/2016

[close]

p. 7

PERFIL O SHERLOCK DE RIBEIRÃO PRETO O investigador e, desde 27 de junho, oficialmente cidadão ribeirão-pretano Sebastião Signei de Moraes, ingressou na Polícia Civil em 1976. É considerado o mais emblemático e respeitado investigador de Polícia - ou tira, na gíria policial - da região. Para muitos, o apelido que lhe deram traduzia exatamente seu perfil: o Sherlock de Ribeirão Preto, numa alusão ao detetive Sherlock Holmes, um genial personagem de ficção da literatura britânica criado pelo médico e escritor Sir Arthur Conan Doyle. Realizando um trabalho intenso na investigação, ele participou de grande parte dos crimes de maior repercussão das últimas décadas. Na maioria destes crimes, sucesso absoluto e muitos elogios, não só pela eficiência mas também pelo companheirismo. Admirado pelos colegas de todas as carreiras, sejam eles agentes, carcereiros, escrivães, investigadores ou delegados, Signei foi temido e respeitado pelos marginais. Signei foi conhecido não somente por sua dedicação integral nas investigações - costumava chegar às 5h00 na delegacia -, como também pelo instinto em descobrir falcatruas dos bandidos e pela habilidade em elucidar casos. Logo aos oito anos, começou a trabalhar no campo, ajudando o pai na lavoura. Fez curso primário da fazenda. Aos 12 anos veio com a família para Ribeirão Preto e aos 14 anos conseguiu seu primeiro emprego formal, como ajudante em uma cerâmica. Ainda trabalhou como feirante por sete anos e atuou no Hospital Santa Tereza, até ingressar na Polícia Civil, onde ficou por quase 40 anos. Polivalente, Signei foi professor de Matemática, Física, Desenho Geométrico e Bacharel em Direito. Apesar da quantidade de habilitações que poderia exercer, sempre quis mesmo foi trabalhar como investigador. Um de seus mais importantes trabalhos foi a criação da Ong (Organização Não Governamental) Escola de Futebol Vila Esperança. Ele desenvolve um importante trabalho com crianças e jovens, buscando tirá-los das ruas, com noção de cidadania e prática desportiva. Já encaminhou vários jovens para tentarem carreira como jogador em diversos clubes. Ajuda também as famílias atendidas pelo projeto com cesta básica e medicamentos para os necessitados. Participou e participa ativamente das atividades do Sinpol, entidade da qual é um dos fundadores. O eterno investigador recebeu, no dia 27 de junho, o título de cidadão ribeirão-pretano (leia matéria na página ao lado). O projeto foi de autoria do delegado e vereador Samuel Zanferdini. “Fui chamado ao Sinpol pelo Eumauri. Meu filho Tiago, que é delegado em Tocantins e minha filha Daniela, que é médica reumatologista em Ribeirão Preto, me acompanharam. Lá também estava o dr. Zanferdini, ao lado de Eumauri, quando me comunicaram que iria receber o título de cidadão ribeirão-pretano. Fiquei muito emocionado. Cheguei a chorar. Foi como se naquele momento, tivesse passado um filme de toda a minha vida policial. Me senti gratificado por tudo o que fiz. E fiz com amor à carreira. Então, naquele momento, minha outra filha, Elaine, que é advogada em Fortaleza, me ligou parabenizando. Este título traz um conformo muito grande. Sempre busquei ser uma pessoa correta, agindo com lisura na busca dos interesses da sociedade. Mas nunca imaginei recebêlo. Foi um trabalho do Eumauri, do dr. Zanferdini, de meus filhos e de minha esposa, Maria Aparecida, que me apoiou a vida toda”, revelou Signei. “A sociedade perdeu muito com a aposentadoria de Signei. Mas quem mais perde é a Institui- ção, que ele sempre honrou como investigador. Foi uma atitude caolha da administração da Polícia Civil na região”, lamenta Eumauri. Hoje aposentado, Signei segue participando ativamente da sociedade, sobretudo destacando o trabalho de sua Ong Escola de Futebol Vila Esperança. E reforça o convite para todos os que estiverem dispostos a O investigador ao lado da mãe, da neta e do filho, durante solenidade na Câmara Municipal de Ribeirão Preto ajudar crianças e jovens que vivem em regiões carentes de recursos financeiros e sociais, para participar do trabalho. Signei lembra que toda ajuda é bem vinda. Ele lembra que a entidade não tem qualquer finalidade lucrativa, apenas social. E encerra divulgando o slogan da ong: “Ong Vila Esperança mais você: fazendo o bem”. Entre os companheiros de Sinpol Eumauri e Célio, Signei exibe com orgulho o título de cidadão ribeirão-pretano Julho/2016 07

[close]

p. 8

NOVA SEDE EM 2016, NOVA CASA As obras continuam sendo executadas na futura sede social do Sinpol e o planejamento da diretoria do Sinpol é concluí-la até o final de 2016. A edificação está totalmente pronta e agora os esforços serão concentrados no acabamento interno e externo do prédio. A obra tem evoluído satisfatoriamente de acordo com a diretoria. O prédio está sendo edificado na Avenida Francisco Massaro Farinha, esquina com a Rua Pedro Pegoraro, que é uma travessa da Av. Leão XIII, na Ribeirânia, atrás do Campus da Unaerp (Universidade de Ribeirão Preto) e terá área total construída de 1.600 m², está sendo erguido em um terreno com área total de 2.247,95 m². O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, convida todos os associados que tenham interesse em visitar as obras e conhecer como será a nova sede social do sindicato. Os custos da obra também estão à disposição de todos os interessados, com total transparência. Uma comissão de associados foi formada para acompanhar passo a passo o que é investido no local. As obras foram iniciadas no dia 06 de março de 2012. Acompanhe nas fotos a evolução do empreendimento. 08 Julho/2016

[close]

p. 9

DISE RIBEIRÃO NÃO PARA Especializada realizou diversas apreensões, uma com quase 30 quilos de maconha, além de casos curiosos que não envolvem só drogas A DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Ribeirão Preto continua desenvolvendo sua rotina altamente movimentada e produtiva no combate à criminalidade. Segundo o titular da delegacia, dr. GustavoAndréAlves, além de grande quantidade de drogas apreendidas todos os meses, a especializada se depara, muitas vezes, com situações no mínimo curiosas. “Todo o trabalho que realizamos é investigativo. Muitas vezes estamos apurando o envolvimento de determinada com o tráfico e acabamos descobrindo outros tipos de crime. E, por sermos uma Delegacia de Polícia, continuamos com todo o processo, fazendo a autuação da mesma forma”, explicou o dr. Gustavo. Uma das situações curiosas registradas pela DISE de Ribeirão Preto ocorreu no final do mês de maio. Policiais civis estavam em diligências no bairro Adelino Simioni, zona norte da cidade. O objetivo era mapear possíveis pontos de tráfico naquela região. Durante o trajeto, depararam-se com dois rapazes que demonstraram apreensão ao ver a viatura. Imediatamente foi feita a abordagem e os policiais civis descobriram que um vendia um atestado médico para o outro. Um dos envolvidos confessou que ganharia R$ 40 pelo atestado liberando o outro jovem por cinco dias do trabalho. Ele também disse ter mais atestados em sua casa. Os policiais foram até lá e, apesar da mãe do rapaz tentar destruir os atestados, os policiais civis conseguiram apreender 15 folhas, carimbo com CRM e folhas de receita em branco. Diante dos fatos, o rapaz recebeu voz de prisão em flagrante e foi conduzido à sede da especializada, onde o delegado ratificou a voz de prisão em flagrante. Em outra investigação, os policiais civis descobriram que uma borracharia, na Rua Analândia, Jardim Salgado Filho, zona leste da cidade, estava ven- dendo combustíveis roubados, num esquema que envolvia motoristas de uma distribuidora de combustíveis. Havia duas carretas estacionadas em frente ao local e os policiais civis encontraram galões com combustíveis subtraídos das carretas. Os motoristas foram presos em flagrante por furto qualificado e os homens da borracharia por receptação e armazenamento de combustível em local inadequado. No dia 15 de junho, os policiais civis da DISE Ribeirão estavam investigando outra suspeita de tráfico de entorpecentes em um imóvel na Avenida dos Andradas, Parque Ribeirão Preto, zona oeste da cidade. No local a equipe não encontrou drogas, mas descobriu indícios que ligam um morador ao tráfico. A equipe encontrou e apreendeu uma balança de precisão e um rolo de plástico filme, usado normalmente para envolver porções de drogas. Mas o que chamou a atenção dos policiais civis foi um cartucho calibre 38. Imediatamente os policiais civis questionaram sobre o projétil deflagrado. O rapaz então mostrou onde estava escondida uma arma artesanal que ele mesmo havia fabricado. O objeto surpreendeu os policiais civis, mostrando-se eficiente. Inclusive o picote constante na cápsula possui profundidade compatível com a agulha de percussão da arma, mostrando sua eficácia no disparo. O rapaz foi encaminhado à DISE, onde foi autuado por posse irregular de arma de fogo de uso permitido. Como não pagou fiança de R$ 900, continuou detido. Drogas Diversos casos de apreensões e prisões relacionadas ao tráfico de drogas também foram registrados durante o mês de junho. Num deles, no dia 21, os policiais civis conseguiram localizar drogas , num terreno onde um imóvel estava sendo construído. A equipe da DISE encontrou 210 cáp- sulas contendo cocaína, totalizando 178 gramas da droga. Além disso, encontraram também 20 porções e um tablete de maconha, totalizando 410 gramas. A droga foi apreendida na favela do bairro Adelino Simioni. No momento não havia ninguém no local, mas as investigações prosseguem. O caso que registrou a maior quantidade numa única ocorrência durante o mês de junho ocorreu no Jardim Florestan Fernandes, zona leste de Ribeirão Preto. Após investigações, os policiais civis chegaram até uma residência com portão eletrônico e cercas elétricas. Durante as buscas, a equipe encontrou cerca de 28 quilos de maconha. A droga estava escondida em diversos pontos da residência. A equipe também encontrou diversos apetrechos utilizados no fracionamento da droga. Não havia ninguém na residência, mas os policiais civis encontraram fotos do suspeito, que já foi identificado. A maconha foi apreendida, encaminhada para análise e, posteriormente, será destruída. O dr. Gustavo faz questão de destacar o empenho da equipe da DISE. “Isso proporciona um resultado grande de produtividade, de flagrantes com prisões e apreensões de drogas. É um trabalho que tem apresentado um grande resultado”, concluiu dr. Gustavo. Dr. Gustavo, delegado titular da DISE Ribeirão, destaca o empenho de toda a equipe, resultando em um trabalho de grande produtividade Julho/2016 09

[close]

p. 10

ASSOCIADOS APROVAM VENDA DE SEDE ANTIGA O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, e a diretoria do sindicato convocaram uma Assembleia Geral Ordinária para deliberar sobre dois assuntos. O primeiro seria a prestação de contas do período, que seria feito pelo diretor financeiro do Sinpol, Júlio César Machado. O segundo item da pauta seria para deliberar sobre a possível venda da atual sede social do sindicato, localizada no bairro dos Campos Elíseos, zona norte de Ribeirão Preto, uma vez que as obras de construção da futura sede social estão chegando ao seu final. A assembleia foi realizada no dia 17 de junho. Contudo, às vésperas da realização da assembleia, o diretor financeiro do sindicato sofreu um enfarto. “Felizmente o Júlio se recuperou, mas não a tempo da assembleia. Então decidimos com os presentes que a prestação de contas do Sinpol seria feita em outra oportunidade, quando ele estivesse totalmente recuperado”, explicou Eumauri. Compareceram à reunião cerca de 30 associados, atendendo à convocação feita pela diretoria. A assembleia foi iniciada pontualmente às 20h00, com a leitura da pauta a ser tratada durante o encontro. Esclarecida a questão da falta de tempo hábil para apresentar as contas naquele momento, a reunião prosseguiu para tratar da questão da venda do imóvel onde atualmente está instalada a sede social do Sinpol. O local é próprio, adquirido pelo sindicato há mais de 20 anos. Já passou por diversas reformas, mas com o passar dos anos e com o crescimento do sindicato, segundo Eumauri, tornou-se muito acanhado para sua finalidade. “Foi quando conseguimos, graças ao trabalho do dr. Samuel Zanferdini [delegado e vereador] a doação do terreno por parte da prefeitura e iniciamos a construção de nossa tão sonhada nova sede social, mais ampla, com condições de oferecer ainda mais ao nosso associado”, explicou Eumauri. Com a proximidade da conclusão das obras e da inauguração da nova sede, Eumauri e a diretoria concluíram que seria o momento de vender o imóvel utilizado como sede social, atualmente. Na assembleia, ele expos a proposta, alegando que a venda seria interessante para, inclusive, reforçar o caixa do sindicato. Colocado em votação, a venda foi aprovada por unanimidade dos presentes. Contudo, para aceitar eventuais propostas - uma vez que o sindicato não colocou o imóvel à venda, mas foi procurado e recebeu uma proposta - será necessário haver ajus- SINPOL ENCONTRA CAMPOS MACHADO O PTB (Partido Trabalhista Brasileiro) realizou uma reunião na Câmara Municipal de Ribeirão Preto, no dia 25 de junho. O presidente estadual do PTB, deputado Campos Machado, esteve presente, prestigiando o evento de seu partido. Sabendo da presença do deputado estadual, o Sinpol reuniu diversos associados para saudá-lo. Segundo o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, Campos Machado tem sido um dos deputados estaduais que mais defendem a Polícia Civil em seus projetos. “Ele já nos representou diversas vezes e está trabalhando em cima da Lei Orgânica da Polícia Civil”, salientou o presidente do Sinpol, ao encontrar-se com o político e amigo pessoal. tes. O objetivo é continuar no imóvel até a inauguração da nova sede. Os associados acharam a medida altamente salutar, uma vez que, com a nova sede em funcionamento, não haveria uma destinação definitiva para o imóvel da atual sede. “Havendo a formalização da proposta, levaremos o assunto aos associados, oportunamente”, concluiu Eumauri. Assembleia aprovou por unanimidade a venda da atual sede social SINPOL PARTICIPA DE REUNIÃO NO DAP O Presidente do Sinpol Eumauri Lúcio da Mata e a secretária Fatima Aparecida Silva foram a reunião realizada no dia 21 de junho no DAP com a Sra. Terezinha Semioli Tomaz, a qual é chefe do setor de Análise e Métodos, bem como professora na Academia para um parecer referente ao Decreto 62030 publicado no diário oficial na data de 18.06.2016 que retrata “sobre a elaboração de laudos e pareceres técnicos para fim de apreciação de pedido de aposentadoria especial de que trata o Artigo 40 § 4º, inciso III da Constituição Federal”. A Lei 144/2014 dispõe sobre a aposentadoria do servidor público policial nos termos do § 4º do artigo 40 da Constituição Federal e está implícito o inciso II, dessa forma a priori o decreto não se aplica aos servidores policiais civis, e o referido decreto fornece a possibilidade para a regulamentação de outros servidores que ainda não a possui. 10 Julho/2016

[close]

p. 11

SINDICALISMO SINDICATO COBRA MAIS POLICIAIS CIVIS VEREADOR REPUDIA PLC 257 E SINPOL APOIA ATO Delegado e vereador em Ribeirão Preto, dr. Samuel Zanferdini apresentou Moção de Repúdio à proposta que tramita em Brasília Desde abril, tramita em Brasília o PLC (Projeto de Lei Complementar) 257/2016, que estabelece o Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal e supostas medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal. Em outras palavras, o PLC 257 propõe a renegociação das dívidas dos estados com a União, estabelecendo algumas regras para que isso ocorra. Entre os pontos considerados polêmicos, estão a suspensão dos concursos públicos o congelamento dos salários e mudanças nas regras de previdência e aposentadoria dos servidores. “Direitos básicos dos servidores públicos federais, estaduais e municipais estão ameaçados. Suspensão dos concursos públicos, congelamento dos salários, não pagamento de progressões e outras vantagens como gratificação, destruição da Previdência Social e revisão dos regimes jurídicos dos servidores estão entre as medidas que querem desmontar os serviços públicos”, dispara o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Segundo ele, o PLC 257 mostra o que o governo do PSDB pensa do servidor público desde que assumiu o governo do estado de São Paulo em 1995. “Para o governo do PSDB, funcionário público é culpado por tudo e é quem sempre paga a conta. E agora vem esse projeto nefasto, criado pela presi- dente afastada, Dilma Rousseff e levado a efeito pelo interino, Michel Temer”, acrescentou Eumauri. O delegado e vereador em Ribeirão Preto, dr. Samuel Zanferdini, apresentou à Câmara Municipal uma Moção de Repúdio ao PLC que tramita em Brasília. Entre as considerações apresentadas pelo dr. Zanferdini, a constatação de que o projeto causará inúmeros prejuízos aos funcionários públicos nas três esferas. Além disso, de acordo com o vereador, prevê aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, proíbe aumentos salariais para ativos e inativos, proíbe progressão de carreira, realização de novos concursos e nomeação de aprovados em outros concursos, incentiva demissão voluntária, acaba com quinquênios e anuênios, acaba com licença prêmio, proíbe receber em pecúnia férias e licenças não gozadas e autoriza a contratação somente de terceirizadas, entre outras aberrações, de acordo com texto que teve despacho aprovado. “Ante a tanta corrupção que assola nossa nação, se aprovado o presente PLC 257/2016, mais uma vez caberá à população e, mais precisamente aos funcionários públicos, arcarem com o ônus desses devaneios, pois se trata de uma proposta aviltante e imoral para toda a sociedade brasileira”, justificou na Moção de Repúdio. Dr. Samuel (esq.) e Eumauri: repúdio ao PLC 257/2016 Há muito tempo Eumauri vem denunciando a falta de funcionários na Instituição O presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, encaminhou um ofício especial criticando a excessiva carga de trabalho a que estão sendo submetidos os policiais civis, em razão da falta de funcionários e ainda de diversas leis que foram criadas e outras que estão por vir, que geram ainda mais trabalho burocrático. O ofício foi encaminhado à Corregedoria Auxiliar de Ribeirão Preto, ao Juiz Corregedor e ao Ministério Público. E entre as leis que acarretam mais trabalho burocrático, justamente num momento onde os quadros de funcionários estão esvaziados de forma jamais vista, Eumauri cita a Lei Maria da Penha e o Código de Trânsito Brasileiro, sobretudo nos casos de embriaguez ao volante, ambas passíveis de autuação em flagrante delito. Eumauri critica o descaso de Alckmin em, no mínimo, repor o número de cargos em aberto de- correntes de aposentadorias e demais afastamentos de policiais civis. De acordo com o presidente do Sinpol, todas as carreiras sofrem com defasagem. Mas as principais são as que atuam diretamente com a população. Escrivães estão, segundo Eumauri, com cartórios abarrotados de inquéritos. “Investigadores com a obrigação de elucidar crimes e cumprirem ordens de serviço nos Inquéritos. E o pior, fazem diligências para encontrarem pessoas que não são encontradas por Oficiais de Justiça. Carcereiros, agentes e demais servidores não fogem às regras. Muitos trabalham em escolta, plantões e cumprem atividades habituais. Nem mesmo os delegados estão livres da sobrecarga”, conclui Eumauri. No ofício especial, ele pede a compreensão da Corregedoria e do Ministério Público, além de pedir o engajamento de ambos na luta pela contratação de mais recursos humanos para a Instituição. Julho/2016 11

[close]

p. 12

SOCIAL A vida é um milhão de novos começos movidos pelo desafio sempre novo de viver e fazer todo sonho brilhar. Feliz Agosto aos nascidos em junho! MEMÓRIA POLICIAIS CIVIS CONTRA MÁRIO COVAS 1 Roberto Borges de Oliveira José Carlos Caporusso José Guilherme Torrens de Camargo Jeferson Marcos Sedassari Marcelo Lázaro Pereira Gilberto Haruo Yamaoka 2 João Carlos Cazu Antonio Sérgio Pereira Ettore Francisco Brunelli Milton Bergamin 3 Fátima Aparecida Silva 4 Antonio Carlos dos Santos Netto Ary Lopes Daniel Nicoleti da Silva Eduardo Bittencourt de Lima Dario José Cantarelli 5 Jair Jorge Cano João Delfino de Souza Euclides Batista de Sousa Júnior José Rubens dos Santos Rita Paula de Moraes 6 Márcio Antonio Pinho Bertolino José Mauro Chiaretti Luís Henrique Martin 7 Jussara Junqueira Rosemary Carlini de Oliveira 8 Samuel Antonio Zanferdini Odair Batista Sirlei Ferreira Rabello Simonea Marangoni da Silva 9 Dalva Aparecida Chiaretti Mário Portugal Gonçalves Antonio Luiz de Biaggi Luiz Carlos Valério Trocca Jeane Moraes Cleverson Lima Garcia 10 Maurício Kusumota Antonio Edson Ferreira de Freitas Luiz Carlos Contin Filho Pedro Afonso da Silva 11 Anderson Aparecido Chrispim 12 Wilson Sasaki Walter Rossetti Júlio Cesar de Paula Gumercindo Rodrigues Carvalheiro Maria Aparecida Alves da Silva 13 Antonio Arrisse Adelino Pinto Ribeiro Maria Fátima dos Santos Daniel Paulo Radaeli Rita Eliza de Pace 14 - José Luiz Tor 15 Valido José da Silva Paulo Augusto Ciampone Melo Carlos Eduardo Fabbri Robert Schmengler Guilhaume José Silverio de Paula Neto Marcia Ap. de Arruda Ferreira Luís Fernando Di Donato 16 Antonio Boleli Neto Celso Botelho dos Santos Eliana Aparecida do Nascimento Caio Iberê Galvão Gobato José Ceará Neto 17 João Gonçalo Pallaretti Carlos Moreschi Hugo Anselmo Ravagnani Rosa Maria Dezzotti Bittencourt de Lima Elieu de Souza 18 Luís Carlos Chiaparini Gislene Vieira Teixeira da Silva 19 Luiz Alberto Lopes Roberto Rudon Bettini Inês Paplovskis Pinto Valmir Palharini Danilo Alves Rabello José Eduardo do Nascimento José Carlos de Paula Rafael Eduardo Pereira 20 Osmar Ignácio Silas Anselmo Antonio Lula de Figueiredo Júnior Roberto Flávio Narducci Bergson Newton Berthaud Paulo Kendi Takahashi 21 Paulo Roberto Scarparo Vanilda Rodrigues Antonio Carlos Rodrigues Simões Sílvio Ruivo Luiz Carlos Barbosa Lima 22 Gino Augusto Franco Sant’Anna Susete Ap. dos Reis Costa Aguiar Ricardo Takahashi Edmilson Sandoval do Vale Pedro Luiz Acetoze 23 João da Silva Ester Marina dos Santos Sonia Ap. Messias de Paula Lucimari Cambuy da Silva José Carlos Travizan 24 Wilson Lauro Leite de Mello Aguinaldo Maciel Barbosa Hugo Manoel Ravagnani Leonardo Naves dos Reis Ivanil A. Alves Pereira 25 Hedemil Gomes Felipe Ana Palmira Belini de Oliveira Granger 26 Luiz Francisco Grotta Paulo Sérgio Rossi Isabel Cristina Janke Wilson Francisco Araújo 27 Luís Carlos da Silva Vieira Jadis Dalton Ferreira Viella Alexandre Aparecido da Silva Wagner Cândido da Silva Eni Aparecida Silva Zaccaro Artur Assalin da Silva Maurício Roberto do Amaral Wilson Aparecido Leonelo 28 Rosa Maria de Carvalho Rocha José Augusto Mendes Vera Terezinha Dias Guioto 29 Lilian de Simone Benedito de Castro Filho João Fernandes Vieira Neto José Ricardo Lisi Nilton Ferreira Borges Kátia Cristina Ferreira da Silva 30 Geremias Lourenço de Castro Mauro José Zancheta Ataliba Vicente Júnior 31 Wilson Gonzaga Júnior O Sinpol lembra aos aniversariantes que é preciso fazer o recadastramento anual junto ao Banco do Brasil, em qualquer agência ou naquela onde receber seus vencimentos ou, em caso de portabilidade, no banco em que o beneficiário optou. Quem não se recadastrar corre o risco de ter os vencimentos suspensos. Em setembro de 1999, os policiais civis seguiam na campanha de reivindicação por melhores condições de trabalho e salários. O então governador Mário Covas mostrava- se avesso ao diálogo e, para complicar a situação, propunha uma reforma da previdência, incluindo o aumento da alíquota de contribuição do IPESP (Instituto de Previdência do Estado de São Paulo). No dia 17 de setembro, cerca de 30 mil manifestantes protestaram em frente ao Palácio dos Bandeirantes contra a questão previdenciária do funcionalismo. Entre os manifestantes estavam diversos policiais civis de Ribeirão Preto, numa excursão organizada pelo então presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, um dos líderes da manifestação. DO FUNDO DO BAÚ O Sindicato dos Policiais Civis da Região de Ribeirão Preto está mantendo um acervo de imagens relacionadas à Polícia Civil. Para tanto, a Diretoria está incentivando a participação de associados que tenham em seus arquivos fotografias que possam ilustrar diferentes aspectos da história da Instituição. “Temos certeza que muitos colegas guardam várias fotos com lembranças de reuniões, eventos e de situações cotidianas dentro da Instituição, com um valor inestimável pelas lembranças que representam”, ressalta o presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata. Os interessados em colaborar com esse resgate da memória da Polícia Civil da região podem entrar em contato com a Secretaria do Sinpol, através dos telefones (16) 36129008, 3625-3890 e 3979-2627, ou do e-mail sinpolrp@sinpolrp.com.br. “As fotografias serão digitalizadas e prontamente devolvidas aos seus proprietários”, garante Eumauri. O material reunido pelo Sinpol será publicado no Jornal do Sinpol e no site da entidade (www.sinpolrp.com.br). 12 Julho/2016

[close]

p. 13

RADAR DISE Ribeirão Policiais civis da DISE (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Ribeirão Preto realizaram no dia 02 de junho uma incursão na favela do bairro Simioni, localizada na Avenida Magid Simão Trade. O objetivo era realizar investigações sobre biqueiras de venda de drogas naquela região. Durante a incursão, os policiais civis conseguiram recuperar uma pistola semiautomática calibre .45, de propriedade da Polícia Civil do Estado de São Paulo, que havia sido furtada em 2015. Quando os policiais civis entravam na comunidade, alguns suspeitos perceberam a movimentação e iniciaram uma fuga pelos becos e ruelas do local. Os suspeitos conseguiram fugir, mas na correria, acabaram perdendo a arma, que foi encontrada pelos policiais civis durante a perseguição. No local onde o grupo estava, nada além da pistola foi encontrado. Aarma foi encaminhada para a perícia e, em seguida, foi reincorporada ao arsenal da Instituição. As investigações prosseguem para identificar quem estava na posse da arma. Jardinópolis Policiais civis da Delegacia de Jardinópolis (Deinter 3 – Ribeirão Preto) pren- deram, na tarde de 13 de junho, dois comerciantes, por posse irregular de arma de fogo e contrabando, no bairro Santo Antônio, na mesma cidade. Os policiais receberam informações de que em determinado imóvel estavam sendo escondidas armas de fogo destinadas a ações criminosas. Prontamente, diligenciaram ao local onde, além de um imóvel residencial, havia também um mercadinho. Nesse estabelecimento, foram encontrados 16 pacotes de cigarros contrabandeados, o que ensejou a prisão da responsável pelo mesmo. Ato contínuo, na residência, também de um comerciante, foram encontrados escondidos em um guarda-roupa, uma pistola calibre 7.65 e um revólver calibre 32, municiados. O homem foi preso em flagrante por posse irregular de arma de fogo. Bebedouro Policiais civis de Bebedouro prenderam um farmacêutico por venda irregular de anabolizantes e outros remédios. No dia 16 de junho, policiais civis do 1º DP (Distrito Policial) de Bebedouro prenderam um farmacêutico de 56 anos por venda irregular de substâncias no centro da cidade. Os policiais civis receberam denúncias de que o dono de uma farmácia estaria comercializando anabolizantes, psicotrópicos e remédios manipulados de forma irregular. De posse de mandado de busca e apreensão e acompanhados pela Vigilância Sanitária da cidade de Bebedouro, os policiais civis foram até a farmácia, onde constataram que as denúncias eram verdadeiras. No local, os policiais apreenderam diversos anabolizantes de uso proibido, 120 comprimidos importados utilizados no tratamento de disfunção erétil, psicotrópicos e diversos outros medicamentos manipulados, sem qualquer controle e sem e documentação exigida por lei. Borborema Policiais civis da Delegacia de Polícia de Borborema (Deinter 3 – Ribeirão Preto) prenderam, no dia 08 de junho, na Vila Hermes Vasques, naquela cidade, um motorista, de 33 anos, acusado de estuprar a própria enteada, de 13 anos de idade, à época. Segundo as investigações, o motorista se aproveitava da ausência da mãe da vítima, para manter relações sexuais com a menor. Os crimes perduraram por cerca de um ano, até que a adolescente resolveu contar para a mãe o que estava acontecendo. O padrasto foi denunciado Remédios apreendidos por policiais civis de Bebedouro Foto: Polícia Civil na delegacia de Borborema e a Justiça local o condenou à pena de 22 anos e 8 meses de prisão em regime fechado, expedindo o respectivo mandado. Após o desenvolvimento de trabalho de inteligência, os agentes localizaram o procurado e em atuação de campo conseguiram prendê-lo. O motorista foi recolhido à prisão, onde permanecerá à disposição da Justiça. Porto Ferreira Policiais civis da Delegacia de Polícia de Porto Ferreira, pertencente à Seccional de São Carlos e, por conseguinte, ao Deinter-3 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) de Ribeirão Preto, apreenderam no dia 21 de junho, um adolescente de 15 anos, por tráfico de entorpecentes. O rapaz foi surpreendido após o desenvolvimento de trabalho de inteligência. Ele foi identificado e traficava drogas na cidade de Porto Ferreira. Iniciada a atuação de campo, os policiais civis conseguiram chegar até a residência do menor, onde realizaram vistoria e conseguiram apreender 930 gramas de cocaína e 100 gramas de crack. Todo o material foi enviado para análise da perícia. O adolescente foi apreendido. Pistola calibre .45, recuperada pela equipe da DISE Ribeirão em favela da cidade Julho/2016 13

[close]

p. 14

TÚNEL DO TEMPO UM MÊS DE PERÍCIA Edição 27 do Jornal do Sinpol reportou a visita, no mesmo dia, de Badan Palhares e Oswaldo Negrini Netto, este último a convite do sindicato A edição 27, que circulou em dezembro de 1997, mostrou que o mês de novembro foi bastante movimentado, com o Sinpol realizando e participando de diversas atividades, sem deixar de lado, todavia, sua principal bandeira: a luta sindical. No editorial, essa questão ficava bastante clara. O então e atual presidente do Sinpol, Eumauri Lúcio da Mata, escreveu que, por um lado, os resultados não foram tão satisfatórios como se esperava no começo do ano, um período de intensas lutas, reuniões, manifestações e reivindicações. Mas por outro lado, Eumauri destacava que, graças à união dos policiais civis, Covas se viu obrigado a ceder e a negociar e dialogar com os policiais civis, temendo uma greve. Na editoria de turismo, duas cidades mostraram sua pujança: a mineira Guaxupé e a paulista Miguelópolis. Já a editoria Ação mostrou o trabalho da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto, com uma equipe coordenada pelo dr. Udelson Canova Simionato, que atuou num grande assalto praticado no então recém inaugurado Wal Mart. Naquela época, falava-se em um montante de R$ 500 mil roubados. A economia andava balançando e o governo federal anunciou medidas que atingiam os policiais civis. Mas nada se compara ao caos vivido na economia e na política dos dias atuais, 19 anos depois. A cidade de Orlândia realizou, naquele novembro de 1997, um Fórum regional para debater o problema do uso de drogas. Entre os palestrantes estava o dr. Luiz Carlos da Silveira, delegado de Orlândia. Em artigo, Francisco Macegoza, delegado do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado de São Paulo na região de Bauru, fez duras críticas à falta de organização dos policiais civis na política. Um dos entrevistados da edição foi o então titular do 1º DP (Distrito Policial) de Ribeirão Preto, dr. Décio Agostinho Gonzalez. Na ocasião, ele disse que o “sindicato é a segurança que se pode socorrer no momento de dificuldade”, referindo-se ao trabalho do Sinpol. Titular da Delegacia do Município de Guariba em 1997, o dr. Carlos Alberto Gomes Rocha da Silva comemorava o trabalho realizado por sua equipe que fez os índices de criminalidade recuarem na então problemática cidade que vivera meses antes uma disputa entre grupos de traficantes. O trabalho que deu grandes resultados, todavia, não significa que foi feito por muitos policiais civis. Já naquela época a questão dos recursos humanos preocupava os policiais civis. Apenas um investigador estava à disposição do delegado, que avaliava serem necessários mais oito investigadores e seis escrivães. “Falta pessoal para complementar o nosso trabalho”, disse o delegado à época. O eterno problema da superlotação nas cadeias voltava a preocupar. Vila Branca era uma das mais superlotadas no Estado. Outro trabalho intenso no combate ao crime era realizado em Bauru. Naquela época o foco maior da então Delegacia Regional de Bauru era o tráfico de drogas. Num mês de muita movimentação no Sinpol, Casa Branca recebeu um Curso de Procedência de Veículos, promovido pelo sindicato na cidade, que contou com 22 participantes. O Sinpol promoveu um grande encontro naquele mês. No dia 07 de novembro, o perito criminal Oswaldo Negrini Netto proferiu uma palestra aos associados do Sinpol e convidados, no salão nobre do Hotel Nacional. O perito, que atuou no caso onde uma bomba explodiu em pleno voo em um avião da TAM, catapultando uma pessoa em pleno ar e ferindo outras duas no tímpano. Ele tam- bém participou na perícia do chamado “Massacre do Carandiru”, onde 111 presos acabaram mortos durante uma rebelião e confronto com a Polícia Militar. A informática ainda engatinhava na Polícia Civil, mas Negrini já a utilizava em larga escala para esclarecer os casos em que participava e esta foi a tônica de sua palestra. No mesmo dia, no salão nobre da ACIRP (Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto), a convite da entidade, o médico legista Fortunato Badan Palheres proferiu uma palestra e abordou, sobretudo, sua participação na perícia das mortes do empresário Paulo Cesar Farias, o PC e sua namorada Suzana Marcolino, em Maceió. O dia ainda prometia. Após a palestra de Negrini, Eumauri viajou para Marília, onde participou de uma homenagem promovida pelo então delegado Regional de Marília, dr. Moysés José Cocito. Ele promoveu uma festa de confraternização dos aposentados da Polícia Civil, num gesto de valorização àqueles que dedicaram sua vida à Instituição. Um mês inesquecível. Reprodução de capa da edição 27, do Jornal do Sinpol, que circulou em dezembro de 1997 14 Julho/2016

[close]

p. 15

JURÍDICO SINPOL OBTÉM NOVAS CONQUISTAS Reversão de aposentadoria, dois mandados de segurança garantindo paridade e integralidade e uma absolvição em sindicância foram destaques de junho O departamento jurídico do Sinpol conti- “Durante muitos anos, o governo insistiu nua sua rotina de colecionar vitórias em favor em aposentar os policiais civis utilizando cri- dos associados. Segundo o presidente do sin- térios que contrariam a Constituição Federal. dicato, Eumauri Lúcio da Mata, já são cente- Enquanto todos os estados brasileiros utili- nas de vitórias garantindo aos associados zavam-se da LCF 51/85, o governo de São Pau- mandado de segurança para que eles possam lo insistia na famigerada LCE [Lei Complemen- se aposentar nos moldes da LCF (Lei Comple- tar Estadual] 1062/2008, alegando que a lei fe- mentar Federal) 51/1985, posteriormente atua- deral não haveria sido recepcionada pela Cons- lizada pela LCF 144/2014. tituição Federal. Desta forma, não aposenta- Advogados Ricardo Ibelli e Viviane Ibelli Pinheiro, que atuam no Jurídico do Sinpol va o policial civil com direito à paridade e integralidade, o que representa uma grande perda no salário. Diante disso, traçamos uma estratégia que deu certo e já há alguns anos estamos colecionando vitórias, garantindo aos policiais civis o direito de se aposentar com paridade e integralidade”, explica Eumauri. Segundo os advogados Ricardo Ibelli e Viviane Cristina Ibelli Pinheiro, que integram o departamento jurídico do Sinpol, a estratégia utilizada foi ingressar com mandados de segurança, garantindo então o direito ao policial civil de se aposentar com a integralidade de seu salário e com direito à paridade, isto é, o mesmo reajuste salarial concedido ao policial civil da ativa é também concedido ao aposentado. Vitórias Durante o mês de junho, o departamento jurídico do Sinpol contabilizou uma vitória de reversão de aposentadoria e duas garantindo o direito de policiais civis se aposentarem com paridade e integralidade. O investigador aposentado de Ribeirão Preto, Wilson Paulo de Oliveira, obteve vitória em primeira instância. O juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública julgou procedente o pedido para reconhecer o direito à aposentadoria especial, com integralidade e paridade, condenando a SPPREV a efetuar o devido apostilamento e pagamento das diferenças a serem apuradas desde a data da aposentado- ria, acrescidas de correção monetária. O investigador de Ribeirão Preto, José Roberto Zago, obteve mandado de segurança em primeira instância, garantindo-lhe o direito à paridade e integralidade, ao se aposentar nos moldes da LCF 51/85, posteriormente atualizada pela LCF 144/2014. O também investigador de São Joaquim da Barra, Carlos Jivago Campos da Silva, obteve semelhante vitória. Ele conquistou o mandado de segurança em primeira instância, que lhe garante o direito à aposentadoria especial. Nos três casos, cabe recurso. Absolvição As vitórias do jurídico do Sinpol, todavia, não ficam restritas somente a questões de aposentadoria. Foi o caso de uma das vitórias registradas durante o mês de junho, que garantiu a absolvição do escrivão de Jaboticabal, Roberto Luís Limeira Volpe. Ele estava respondendo a uma Sindicância Administrativa junto à 3ª Corregedoria Auxiliar, em Ribeirão Preto. A delegada corregedora determinou a absolvição do policial civil e a Sindicância Administrativa foi imediatamente extinta. “Estamos sempre atentos aos direitos dos policiais civis e nosso departamento jurídico está sempre atuante. Na dúvida, entrem em contato que teremos imenso prazer em esclarecer. Se for o caso, faremos o encaminhamento aos nossos advogados”, concluiu Eumauri. Julho/2016 15

[close]

Comments

no comments yet