eisFluências - Revista Literária e Informação

 

Embed or link this publication

Description

eisFluências - Revista Literária e Informação eisFluências - Literary Magazine and Information Revista de Dezembro de 2010 Magazine December 2010 Revista literária e informação em lingua portuguesa e eventualmente com artigos em espanhol Literary

Popular Pages


p. 1

issn 2177-5761 issn 2177-5761 9 772177 576008 revista bimestral dezembro/2010 ano ii núm viii eunice weaver a grande servidora do bem por carmo vasconcelos eunice sousa gabi weaver nasceu numa fazenda de café na cidade de são manoel interior de são paulo em 19/09/1902 filha de henrique gabbi carpinteiro natural da província de reggio emilia itália e de leopoldina gabbi natural de piracicaba/sp sua vida foi totalmente dedicada aos portadores do mal de hansen e suas famílias era portadora de beleza particular impressionava pela altivez sem imposição pela decisão sem arrogância e pela simplicidade repassada de nobreza sua mãe de origem suíça falava muitas línguas imprimia hábitos de estudo e princípios morais austeros eram muito amigas e quando ela morreu moravam em uruguaiana no rio grande do sul foi estudar em são paulo e durante as férias na fazenda ocorreu este facto começo de século são paulo fazenda de café próspera no terreiro vagaroso como numa procissão vem entrando um bando em farrapos os rostos ocultos são mendigos doentes associados na miséria no abandono da vida que apanham agasalhos e alimentos deixados na porteira as crianças da casa grande são levadas para dentro às pressas portas fechadas cortinas corridas uma das meninas se esconde súbito uma mulher abandona o grupo e aproxima-se há nela um vago ar aristocrático restos de nobreza voz serena escondida na sombra do grande chapéu de palha não se vê o rosto sou rosa mesmo que não se lembrem de mim quero agradecer meus pais dizem que me suicidei é melhor assim seria segregada joguei minha roupa no rio pensaram que me afoguei casei-me com aquele homem nessa vida de cigano é melhor ser um só rosa fernandes fora uma linda jovem filha de vizinhos que se tornou cobiçada donzela e que a todos encantava mas que havia há algum tempo desaparecido esta moça tinha contraído lepra nos tempos de colégio nunca mais eunice esqueceria os olhos de rosa e a partir deste episódio começava o seu trabalho em benefício dos nossos irmãos chegados como a grande servidora do bem ela talvez não tenha feito nada por rosa fernandes mas o fez por muitas rosas que desabrochavam do seio de hansenianos e que por enfermidade de seus pais não podiam permanecer com eles em 1927 reencontrou charles anderson weaver que havia sido seu professor de latim dirigia o colégio granbery havia enviuvado e tratava da edição de seu livro em são paulo eunice ficou fascinada por sua cultura inteligência bondade e brilhantismo de ideias quando se casaram foram morar em juiz de fora onde leccionou história e geografia embora o casal não tivesse tido filhos eunice cuidou dos quatro filhos do primeiro casamento do marido foi mais do que um simples matrimónio antes um encontro de almas mutuamente dedicadas que se reuniram para um sublime ministério de amor e solidariedade humana em seguida dr weaver foi convidado pela universidade de nova iorque a dirigir uma universidade flutuante a bordo de um luxuoso transatlântico que faria uma longa viagem para melhor formação de seus alunos em volta do mundo aceitando o honroso convite partiu do rio de janeiro acompanhado pela esposa em inesquecível cruzeiro de cultura e amor eunice aproveitou para estudar jornalismo sociologia e filosofia oriental visitando 42 países mais tarde estudou na columbia university e fez curso de serviço social na universidade de carolina do norte eua como repórter trabalhou durante a viagem viveu um dia inteiro num templo budista foi até ao himalaia de jumento e entrevistou durante quatro horas mahatma ghandi um dos fatos mais emocionantes de sua vida foi o homem mais próximo de jesus cristo que conheci por onde andaram ela procurou conhecer de perto o problema da lepra o que em relação a ela se havia feito e o quanto restava por fazer estagiou em numerosos leprosários nas ilhas sandwich no pacífico sul no egipto na china no japão e na Índia em todo lugar recolhia material de experiência para o ministério redentor a que iria se entregar totalmente de volta ao brasil em juiz de fora começou a fazer a campanha de assistência aos leprosos foi fundada a sociedade de assistência aos lázaros pois em minas gerais nesta época o problema da lepra era terrível o trem passava de madrugada o vagão de segunda classe cheio de doentes encaminhados ao único leprosário em belo horizonte o santa isabel e ela levava à estação roupas cobertores e refeições a recomendação era sempre a mesma dona eunice tome conta de nossos filhos não os deixe passar fome não permita que fiquem doentes com esta terrível moléstia aquilo ficava em seus ouvidos sabia que a lepra não era hereditária e a primeira campanha foi organizar preventórios mais tarde transformados em educandários com a preocupação de educar crianças sem recalques fazendo-as participar da comunidade em condições normais em 1935 com muita coragem conseguiu convencer o presidente getúlio vargas a ajudar oficialmente a obra que lhe prometeu dar o dobro do que ela conseguisse junto a sociedade civil.

[close]

p. 2

02 eisfluências dezembro 2010 após esse acordo eunice passou a viajar por todo o brasil lançando a campanha da federação das sociedades de assistência aos lázaros e defesa contra a lepra uma das passagens mais interessantes durante as construções dos educandários deu-se no amazonas eunice estava no canteiro de obras da futura instituição que iria abrigar os filhos dos hansenianos daquela região quando de repente um bando de jagunços aparece e tenta impedir a obra sob a alegação que não queriam um leprosário no local pois na região não existia lepra eunice então sugeriu ao líder dos jagunços que subissem o rio onde em poucas horas ela lhe mostraria algum leproso caso contrário não construiria o educandário nesse instante pegaram um barco e subiram o rio após várias horas percorrendo o referido rio nenhum leproso foi encontrado os jagunços com sua costumeira arrogância e cheios de si por terem conseguido impedir a construção do leprosário resolveram dar a questão por encerrada entretanto num determinado momento eunice vendo uma choupana disse pare aqui tem lepra ao descerem do barco concluíram que dentro da choupana havia mais de trinta leprosos o líder dos jagunços atónito com o fato ocorrido abandonou as suas funções de jagunço e passou a ajudar na construção do educandário surgia naquele momento o primeiro coordenador do educandário de manaus dona eunice weaver esteve presente também em memoráveis labores assistenciais criando e ajudando obras meritórias surgidas no brasil como verdadeira sacerdotisa da fraternidade foi a primeira mulher a receber no brasil a ordem nacional do mérito no grau de comendador em novembro de 1950 e também o troféu internacional damien-dutton pela primeira vez outorgado a uma pessoa da américa do sul publicou a vida de florence nightingale a enfermeira e a história maravilhosa da vida representou o brasil em inúmeros congressos mundiais sobre a doença organizou serviços contra a lepra no paraguai cuba méxico guatemala costa rica e venezuela em 1960 eunice weaver recebeu o título de cidadã carioca ao completar 25 anos na direcção da federação e em 11/09/1965 por indicação do vereador pedro de castro recebeu o título de cidadã honorária de juiz de fora em outubro de 1967 foi para a onu como delegada brasileira no 12º congresso mundial sofreu entretanto incompreensões e experimentou amarguras sem fim corajosa e arrebatada possuía elevado carácter que a permitiu manter-se lutando tenazmente em defesa dos seus filhos enfrentando dificuldades compreensíveis e situações complexas mas a batalhadora eunice weaver perde inesperadamente o esposo rompendo-se o elo de luz que lhe sustentava o equilíbrio no labor de consolação e de misericórdia na ausência do sempre solícito esposo a jornada a sós lhe é mais difícil amigos leais buscaram animá-la confortando-a e encorajando-a para a luta mas a ausência física do idolatrado companheiro pungia fortemente entretanto em 1959 uma de suas amigas levou-a até pedro leopoldo para conhecer o médium chico xavier e a mensagem de paz e optimismo transmitida pelo médium deu-lhe forças para continuar ela agora sentia que seu marido não a abandonara e com garra voltou a enfrentar todas as tarefas que a vida lhe impusera as viagens contínuas e exaustivas continuavam sustentadas pelo amor feito de renúncia pelos menos favorecidos os filhos do calvário marchando em direcção do amanhã ajudada por centenas de mulheres valorosas que ainda prosseguem inspiradas no seu imorredouro exemplo sempre trabalhando faleceu em 9 de dezembro de 1969 aos 67 anos como sempre vivera dedicada ao próximo transladado seu corpo para o rio de janeiro foi sepultada no cemitério dos ingleses ao lado do seu idolatrado esposo seu trabalho missionário entretanto cresceu e prossegue no ministério do socorro e apoio aos hansenianos e suas famílias gigante como eunice weaver não morre é como a vela se gasta no afã de servir iluminando o caminho de alguém rev manoel h da silva mário albino martins coordenador do educandário carlos chagas subsídios wikipédia e espiritismogi.com.br pesquisa e composição de carmo vasconcelos a liberdade é a possibilidade do isolamento se te é impossível viver só nasceste escravo fernando pessoa ficha tÉcnica director victor jerónimo portugal/brasil directora cultural carmo vasconcelos portugal responsável pela redacção mercêdes pordeus brasil design gráfico e composição victor jerónimo nosso sítio http www.eisfluencias.verbostrepitus.com conselho de redacção abilio pacheco brasil humberto rodrigues neto brasil luiz gilberto de barros brasil marco bastos brasil petrônio de souza gonçalves brasil rosa pena brasil correspondentes alemanha antónio da cunha duarte justo argentina maría cristina garay andrade bielorussia oleg almeida brasil elizabeth misciasci revista de eventos actualidades notícias culturais político/sociais e outras mas sempre virada à directriz cultural nas suas várias facetas propriedade de mercêdes batista pordeus barroqueiro recife/pe/brasil tiragem 100 ex distribuição gratuíta divulgação via internet depósito legal lei do depÓsito legal lei n° 10.994 de 14 de dezembro de 2004 biblioteca nacional brasil isnn 2177-5761 contacto eisfluencias@gmail.com

[close]

p. 3

eisfluências dezembro 2010 03 distinciÓn a la personalidad destacada de la cultura cellista sol gabetta noviembre 2010 argentina maría cristina garay andrade sol gabetta nació en 1981 en la ciudad de villa maría provincia de córdoba estudió cello piano y canto en su provincia natal a los 5 años empezó con un pequeño cello a destacarse como una niña prodigio ganando el primer premio del concurso para niños y jóvenes de córdoba siguió estudiando buenos aires y luego recibió una beca para formarse en españa país al que se traslada junto a su familia a los doce años vivió en españa francia y alemania donde continuó perfeccionándose su salto a la fama internacional se produjo en 2004 cuando recibe el prestigioso premio credit suisse al mejor joven artista en el festival de lucerna tocando como solista con la orquesta filarmónica de viena de allí en adelante obtuvo numerosos premios y actuó en distintas orquestas de varios países europeos en el año 2005 creó su propio festival de música de cámara en olsberg suiza al que llamó solsberg actualmente es titular de una cátedra de instrumentos en la academia de basilea su agenda en el mundo comprende 200 conciertos por temporada y se cuenta entre los/as jóvenes instrumentistas mas requeridos/as de la actualidad ha grabado numerosos álbumes y recibido premios la musicóloga cecilia scalisi quien dijo de la cellista ya desde su nombre se refleja el brillo de una personalidad deslumbrante pronuncia al astro de la luz al tiempo que entona un bella nota musical tan radiante y aún mucho más que ese luminoso nombre es la propia sol gabetta una de las instrumentistas jóvenes más exitosas y carismáticas de momento revelaciÓn de amor maría cristina garay andrade esta revelación de amor vertiente permanente fortaleza de mi ser que en devoción complaciente ahogo las ansias de tenerte en la espera celadora dominando el inquieto erotismo que me acalora ¿por qué el amar incondicional a veces duele tanto ¿por qué termino siempre perdida por tus encantos eres como manantial del rio que continuo lega demandante exigencia de tu querer que me doblega que llama viva arde en encendidas horas aplacando la sed cuando con la mirada me devoras bañada de tus deseos lentamente me despojas haciendo de mis sentidos erizados lo que te antojas intensidad de besos acoplado mi cuerpo hace que aliente cálidas caricias en roce ardiente fluyendo frente a frente el paraíso de tu ser cubriéndome imantado se apega y con deleite entre tus brazos me pierdo en jadeante entrega maría cristina garay andrade derechos reservados de autora monte grande ­ buenos aires ­ argentina por mi mente maria cristina garay andrade sólo cerrando los ojos puedo sentir el roce de tu piel tus palabras de amor por mi mente giran en carrusel estimulan obstinadas mi delirio por tus brazos apacibles cuando entregada a ti mi desnudez rodean impasibles me cubre tu presencia la noche acorrala deseos acunando lunas enciendo el fuego de los devaneos supuesto tiempo que improviso librado a la suerte ya no quiero despertar jamás de ese sueño de tenerte me ronda la esperanza con fantasía de anhelo quisiera disfrutarte siempre a mi lado y sin consuelo acaricio tu figura que imaginando ávida arrimaría esos contornos tuyos inventados por mi apego en agonía se priva el amor de embriagarse consentido me lleva a guardarlo insondablemente conmovido alejado tu sentir totalmente de mí lo vuelve inadvertido el carrusel gira en un mañana invitándote al olvido ©maría cristina garay andrade© derechos reservados de autora monte grande ­ buenos aires ­ argentina o primeiro amor questão é curiosa nesta filosofia qual seja mais precioso e de maiores quilates se o primeiro amor ou o segundo ao primeiro ninguém pode negar que é o primogénito do coração o morgado dos afectos a flor do desejo e as primícias da vontade contudo eu reconheço grandes vantagens no amor segundo o primeiro é bisonho o segundo é experimentado o primeiro é aprendiz o segundo é mestre o primeiro pode ser ímpeto o segundo não pode ser senão amor enfim o segundo amor porque é segundo é confirmação e ratificação do primeiro e por isso não simples amor senão duplicado e amor sobre amor É verdade que o primeiro amor é o primogénito do coração porém a vontade sempre livre não tem os seus bens vinculados seja o primeiro mas não por isso o maior padre antónio vieira in sermões

[close]

p. 4

04 eisfluências dezembro 2010 luz dos teus olhos sei do teu cio pelos teus olhos opacos conheço quando explodes mãe-natureza a mata esconde o rio em seus buracos o seu manto não domina a correnteza verdes brilho vivo de vivas esmeraldas olhos roubaram céus mares azuis reais refervidas rubras lavas já águas caldas olhos-mestiços teus castanhos pedem mais chego mais perto e teus olhos me acendem se tu queres que me queimem eu mais demoro sei que me decifras sentes que te devoro assim nossos olhos na tenda se entendem chama e óleo na noite seda em que desperto sendo sede cedo senda eu sou deserto marco bastos membro do conselho de redacção da revista eisfluêcias engenheiro e professor universitário escreve poesias crônicas e contos É pintor amador jurado em concurso internacional de poetrix membro do conselho de redação da antologia andradina ­ prosa e verso poesias em cinco antologias brasileiras criador de sites de literatura e verbete nas enciclopédias virtuais de prosa e poesia contemporâneas da blocos online salvador bahia/br poema ­ óleo s/tela ­ marco bastos sobre as academias de letras virtuais por marco bastos a internet tem contribuído fortemente para o crescimento da literatura e para a democratização dos espaços de cultura revistas como a nossa eisfluências vêm se tornando importantes alternativas para a divulgação de trabalhos que atingem nível de qualidade excelente a sociedade ao dispor de veículo tão eficaz organiza-se para dar vazão à criatividade e à produção do conhecimento e do saber latentes em todos os cantos do planeta temos acesso à grande e diversificada produção literária cultural e científica mundial os sites as revistas os blogs os grupos os portais e as academias passam a refletir as escolas literárias científicas políticas e a própria escola direciona-se cada vez mais para a ead ­ educação à distância a tradicional academia de letras também adere à nova tecnologia para desempenhar os seus papéis na sociedade como já previa na década de 80 a terceira onda de alvin toffler o mundo atual é diversificado e desmassificado minorias e grupos diferenciados passam a ser representativos e encontram seus meios de inserção e atuação social nesse contexto a academia feminina espírito-santense de letras adapta-se à modernidade e estende o seu braço virtual revitalizando a sua atuação histórico da academia feminina espírito-santense de letras por silvana soares sampaio a estruturação da academia feminina espírito santense de letras surgiu como uma necessidade histórica das mulheres capixabas e também como reação à academia espírito santense de letras que não aceitava a presença de mulheres em seus quadros a afesl nasceu no pós guerra numa época de intensa movimentação cultural no espírito santo consolidando-se na década de 50 e início dos anos 60 vindo a recrudescer exatamente no período áureo da ditadura militar ­ quando todas as atividades culturais foram colocadas sob suspeita pelo regime criada a 18 de julho de 1949 sob patrocínio da academia espírito santense de letras que não concordava com mulheres em seus quadros mas que apoiava uma instituição específica para mulheres numa postura reveladora dos valores machistas que imperavam na época a afesl em sua fundação contou com 12 acadêmicas atuou em vários eventos intelectuais durante a longa gestão de annette de castro mattos como presidente apesar disso apresentou vários períodos de recesso e completa inatividade em sua fase inicial a academia feminina espírito santense de letras teve dois casos de censura sendo impedidas de serem acadêmicas as escritoras haydée nicolussi e carmélia maria de souza por levarem uma vida boêmia e por serem ativistas políticas essa injustiça foi reparada ao se efetuar a reorganização da afel em 1992 quando as duas escritoras tornaram-se patronas das cadeiras nº 6 e nº 30 respectivamente após a sua reorganização pela acadêmica maria das graças neves na década de 90 a afesl vem desenvolvendo atividades mais constantes sempre participando e promovendo eventos culturais no estado hoje a afesl possui quarenta cadeiras ocupadas por poetas e escritoras capixabas por nascimento ou por adoção além de dezesseis acadêmicas correspondentes espalhadas por diversas cidades brasileiras na diretoria da afesl a prof dra ester abreu vieira de oliveira encontra-se em seu segundo mandato consecutivo e silvana soares sampaio assume este ano a vice presidência as insígnias da afesl são a capa cor de vinho com galões dourados e a medalha com o símbolo da afesl gravado este símbolo é a musa clio uma das nove filhas de mnemósine e zeus que segundo a mitologia grega eram todas voltadas para o fazer artístico.

[close]

p. 5

eisfluências dezembro 2010 05 sendo a afesl uma entidade que abriga escritoras dos mais diversos gêneros literários curvamo-nos ao poder destas nove musas mulheres como nós e muito a propósito foi escolhida clio a historiadora como nossa protetora que no emblema da afesl porta um livro aberto tendo em sua capa o desenho do mapa do espírito santo fundadoras da afesl anna annette de castro mattos arlette da silva cypreste e cypreste doralice de oliveira neves hilda pessoa prado ida vervloet finamore judith leão castello ribeiro maria josé albuquerque de oliveira maria stella de novaes sylvia meirelles da silva santos virginia gasparini tamanini yamara vellozo soneghet melchiors zeny santos algumas atividades promovidas pela afesl em 2010 a afesl reúne-se mensalmente e nestas reuniões ocorrem palestra de convidados principalmente pesquisadores na área da literatura as reuniões são sempre abertas ao público a principal atividade da afesl este ano foi a realização do 1º encontro de escritoras capixabas em comemoração ao centenário do dia internacional da mulher ocorrido de 13 a 17 de abril que contou com a presença de escritoras e de mulheres ilustres das mais diversas áreas profissionais como palestrantes colaboradoras e participantes do evento durante o evento aconteceram momentos artísticos com música declamações performances oficinas e palestras em outubro foi lançada a 7ª antologia publicada pela afesl intitulada múltiplas vozes além das atividades que envolvem todas as acadêmicas muitas ações individuais ou em pequenos grupos em nome da afesl foram realizadas tais como palestras e comunicações em congressos e seminários visitas a escolas bibliotecas parques praças feiras culturais e de livros presídios dentre outros lugares sempre com o objetivo de proporcionar atividades de incentivo à leitura e divulgação da literatura a afesl também mantém um blog ­ http afesl-es.ning.com administrado por acadêmicas com mais de 200 membros de diversas localidades brasileiras e de alguns países de língua latina simpatizantes à instituição sina maria do carmo schneider ultrapassei montanha e esbarrei num grão de areia astuta e hábil aranha prendi-me em antiga teia ah pó grãozinho estranho que simboliza o meu carma ah fio teia de sonho que nem o tempo desarma acadêmica maria do carmo marino schneider cadeira nº37 fotos clio acadêmicas edifício-sede da academia espirito-santense de letras e academia feminina e.s.l natal maria helena teixeira nas festas de natal do ano que finda recordo meus brinquedos de criança no embalo da alegria vejo ainda deslumbramento em olhos de esperança no coração o bimbalhar de um sino tocava alegremente mundo afora festejando a alegria do destino sem negras noites era sempre aurora o riso que aflorava em meus caminhos fugiu atrás de tanto desencanto levou-me as rosas me deixou espinhos já não é mais de hosanas o meu canto solfejo a dor em solidão tardia silêncio é meu disfarce de alegria acadêmica maria helena teixeira de siqueira falecida em janeiro de 2010 atualmente patrona da cadeira nº40 divulgação de marco bastos

[close]

p. 6

06 eisfluências dezembro 2010 irmãs de criação rosa pena doce saudade angélica teresa almstadter dos seus beijos vou sentir uma bruta saudade dos seus braços vou ficar orfã e do seu corpo tão ousado vou ter delírios quando desejar iguaria como seus beijos não há em confeitarias nem similar para meu paladar a prisão dos seus abraços tem requintes de tortura e prazer e não há outra que eu queira provar quanto a procela do seu cavalgar não vou apagar as marcas que cicatrizam no meu corpo para sempre me lembrar com apetite da fome que elas saciaram as lembranças contarão os segredos que um dia eu tive medo elas encherão de alegrias os dias e noites em que a solidão vier morar no meu peito saudade e solidão coloridas com a mesma tinta distintas só pelas sombras que uma na outra pinta fotografa rosa pena a saudade se espalha como a mancha de tinta no papel a cor se farta se já sofro na quarta como será na quinta nascente e foz rosa pena para john lennon vida-transição-vida solta a voz você permanece entre nós john winston lennon liverpool 9 de outubro de 1940 nova iorque 8 de dezembro de 1980 foi um músico compositor escritor e ativista em favor da paz rio desafinado rosa pena para tom jobim depois que você se foi ipanema deu uma envelhecida a nascimento silva tomou ares de viúva o bar veloso mudou acalmou ficou quase preguiçoso o sorriso da garota que vem e que passa perdeu um bocado da graça.a nossa alma ainda canta quando se chega ao aeroporto não porque se deslumbra o rio mas por se ter mais um motivo para sussurrar seu nome as águas que fechavam o verão caem agora o ano inteiro acho que choram de saudades pois na realidade sem você não há beleza é só tristeza enfim a cidade virou orquestra sem maestro não basta só o som se não se tem mais o tom antonio carlos brasileiro jobim nasceu em 25/1/1927 e faleceu em 8/12/1994 www.rosapena.com ainda nÃo humberto rodrigues neto a Última namorada humberto rodrigues neto ah deixa-me ficar um pouco mais aconchegado aos teus ebúrneos braços a desfazer contigo meus cansaços e a sussurrar-te airosos madrigais não eu não quero te deixar agora não é tão tarde pra deixar-te oh não vem à janela vê que cerração que fria garoa enfrentarei lá fora ah não condenes em mim esse defeito de as horas esquecer por teu carinho ah deixa-me ficar mais um pouquinho abraçadinho assim junto ao teu peito s.paulo/brasil já vem descendo sobre mim o outono desta existência de gentis primores quando fui presa e ao mesmo tempo dono de inesquecíveis e sutis amores quantas premi de encontro aos lábios loucos num fervilhar de anseios e arrepios paixões que agora vão tornando aos poucos meus dias de sol cinzentos e vazios mas neste inverno de uma vida finda que me aproxima da eternal morada no anonimato eu sei que me ama ainda a minha derradeira namorada o nosso amor secreto é uma benesse pois nunca teve algo em comum comigo dela só espero o mimo de uma prece e o ramo de uma rosa em meu jazigo!

[close]

p. 7

eisfluências dezembro 2010 07 resssentimento mÁgoa maus pensamentos humberto rodrigues neto este texto tem o escopo precípuo de alertar os menos esclarecidos sobre o quão prejudiciais se tornam os ressentimentos como também a mágoa ou um simples pensamento negativo que venhamos a dirigir contra quem quer que seja sempre sublinhamos em nossas palestras que tais sentimentos funcionam como autênticos bumerangues os quais retornam infalivelmente na direção de seus arremessadores já dizia lèon denis que quando os emitimos forma-se ao redor do nosso perispírito uma espécie de campo escuro que afeta sensivelmente todas as nossas funções orgânicas inclusive as do metabolismo basal podendo originar uma série bastante apreciável de enfermidades ademais esse campo obscuro permanecerá conosco e não nos abandonará nem mesmo quando seguirmos para a outra dimensão onde será percebido pela entidade espiritual encarregada de nos receber e orientar concomitantemente o fenômeno também gravará no perispírito do ofendido sentimentos de profunda aversão contra nós se aquele a quem dirigimos tais sentimentos negativos for um espírito de pouca luz ele irá buscar-nos em todos os cantos do outro plano até encontrar-nos a fim de mover contra nós a mais tenaz obsessão esse campo negativo todavia pode ser atenuado ainda em vida a partir do momento em que peçamos e consigamos do ofendido o perdão pela falta cometida e o incluamos em nossas orações de fim-de-noite É por isso que jesus dizia reconcilia-te com teu inimigo enquanto estás a caminho ou seja volta às pazes com ele enquanto estejam ambos encarnados porquanto um ajuste de contas já como espíritos será muito mais difícil portanto mesmo que tenhamos absoluta certeza de que a culpa pela inimizade é inteiramente do outro ainda assim é vantagem nos colocarmos na posição de réu e pedir-lhe desculpas por mais que essa atitude nos pareça injusta e até humilhante essa é a atitude que sempre recomendamos a todos os aprendizes dos cursos que humildemente mas pela graça de deus ministramos sobre a doutrina guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que o outro morra william shakespeare 1564-1616 tÁxi tÁxi marcelo sguassábia pra onde pro inferno vai pro inferno meu camarada toca em frente infeliz no caminho a gente resolve olha seria bacana o senhor me tratar com um pouco mais de finesse caso contrário eu deixo vocês aqui mesmo quero ver os dois peladões a polícia chegando e levando o casalzinho meigo pro distrito por atentado ao pudor aliás o que é que vocês estavam fazendo assim nuzinhos em plena consolação chamando táxi você se lembra se a maçã era fuji argentina ou gala amor se você que pegou a maçã não sabe eu é que vou saber mulher se liga em cada detalhe que diferença isso faz agora vai se queixar pro ceagesp ou pro ceasa agora é tarde minha nega já estamos expulsos mesmo mas o que aconteceu meu deus do céu pois foi o deus do céu foi esse mesmo moço acabamos de cair fora do paraíso ordem de despejo sei mas foram expulsos do bairro ou da estação do metrô não do paraíso mesmo meu amigo imagina só a única coisa que o homão barbudo pediu era pra gente ficar longe daquela maldita árvore mas sabe como é mulher né podia ter pego uma jaca um maracujá uma meia dúzia de limas da pérsia chafurdado a fuça numa melancia sei lá qualquer coisa daquele pomar lindo menos a maçã ela devia ser expulsa sozinha a culpa foi dela caramba tá bom e a mordida que você deu devia ter recusado quando te ofereci aquela serpente era uma víbora enganou a gente direitinho agora quero ver o que a gente faz da vida você nuazinha e inteiraça desse jeito não demora e arruma um dinheiro fácil mas e eu que não sou nenhum adônis como é que eu fico adônis quem é adônis adãozinho olha em briga de marido e mulher ninguém mete a colher e eu sou só um taxista querendo ganhar a vida honestamente mas pelo jeito vocês são adão e eva portanto viveram muito antes desse mitológico rapaz grego um modelão de beleza ­ se é que ele existiu de verdade a dona eva tá certa não tem como vocês terem conhecido ele não aliás ele é descendente de vocês e eu também diga-se de passagem somos todos filhos de caim com não sei quem moço explica melhor essa história agora bagunçou minha cabeça caim é o nosso filhinho É o seguinte segundo a bíblia que começa contando a história de vocês seu filho caim matou seu outro filho o abel sujeito cem por cento maior ficha limpa e pra humanidade ter continuado o caim precisava ter tido uma mulher que até onde eu sei não consta do livro sagrado a menos que vocês dois tivessem aumentado a prole fora do jardim do Éden fato que a escritura também não deixou claro aumentado a prole acho que não vai ter clima também acho a base do casamento é a confiança e você traiu a minha e a do criador dá licença aí desculpa interromper a troca de gentilezas mas vou aproveitar que o sinal fechou pra deixar vocês por aqui viu pelado não tem bolso e onde é que tá a grana da corrida alguém pode me mostrar e já vou avisando que não aceito maçã como pagamento ainda mais essa maçã amaldiçoada aí que vocês pegaram mais respeito seu taxista mais respeito não se esqueça que eu sou seu avô avô distante mas sou mas avô que se preza não sacaneia o neto ora vamos seja um netinho obediente vou começar a espalhar meu currículo logo consigo uma colocação e pago o que lhe devo sei sei se você conseguiu ser expulso do paraíso imagina de uma empresa mas já falei a culpa foi da sua avó pra fora os dois já neto ingrato mas deixa estar deus é pai o homão barbudo há de fazer justiça essa é boa eva e adão repete o que você disse repete seu boca suja http www.consoantesreticentes.blogspot.com/

[close]

p. 8

08 eisfluências dezembro 2010 do nosso correspondente oleg almeida eis-me aqui amáveis leitores para compartilhar convosco uma notícia interessante no próximo dia 19 de dezembro o povo bielorrusso elegerá seu novo chefe de estado o voto não é obrigatório na bielorrússia ao invés do brasil mas ainda assim o entusiasmo dos votantes está bem acima da média vários candidatos vão participar da eleição tendo o atual presidente alexandre lukachenko as maiores chances de ganhá-la e não se trata neste caso concreto de nenhuma armação maquiavélica boa parte dos bielorrussos realmente gosta do líder que conseguiu estabilizar a economia abalada no início da década de 90 pelo colapso da união soviética e dá-lhe toda a confiança recorrendo às analogias históricas pode-se dizer que o governo de lukachenko se parece com o de getúlio vargas em seu segundo mandato força do poder e atenção à problemática social foto palácio do governo em minsk capital da bielorrússia e agora deixemos a questão política de lado ultimamente tenho lido diversas obras de autores brasileiros e portugueses para montar a minha antologia virtual stéphanos dia destes fiquei tão impressionado com uma dessas obras que decidi resenhá-la não vou mais lavar os pratos por cristiane sobral athalaia brasília 2010 que título desafiador ­ penso eu com o livro de cristiane sobral em mãos ­ o que será mais um manifesto feminista que veio abalar os pilares do machismo global ou tão somente o desabafo de uma dona de casa exasperada com a rotina do lar abro o livro meio cético e tropeço nas primeiras palavras lidas não vou mais lavar os pratos nem vou limpar a poeira dos móveis sinto muito comecei a ler a curiosidade me invade imperiosa e à medida que vou folheando as páginas desdobra-se ante meus olhos um monólogo sóbrio sincero e comovente da mulher moderna uma daquelas mulheres que têm objetivos a alcançar e mais que isso sonhos a realizar sonho a gente não aborta como diz a própria cristiane sonho de amar e ser amada de ter filhos de construir uma casa sólida e aconchegante de lograr êxito na esfera profissional enfim sonho de levar uma vida que não se limite a carregar de forma esquizofrênica sua pasta executiva e seja portanto feliz em todas as suas dimensões e o único modo de tornar esse sonho possível consiste em lutar por ele agarrá-lo com unhas e dentes revelar-se mesmo em detrimento de sua natureza feminina uma verdadeira guerreira nzinga do poema homônimo rainha digna de exaltação assim sendo a proposta literária de cristiane parece trivial que mulher não queria nos dias de hoje conquistar seu espaço inalienável neste mundo criado e governado por homens sem todavia depender de nenhum deles parece mas não é a poetisa tem suas armas para combater os presumíveis clichês do conteúdo e usa-as com muita habilidade antes de tudo cristiane sobral é irônica ela não se contenta com meras reproduções da realidade mas interpreta diversas facetas desta sob a mesma ótica desprovida de qualquer pieguice a solidão intrínseca dos habitantes de uma metrópole ­ seja o exuberante rio de janeiro em que a autora nasceu ou a geométrica brasília onde mora atualmente ­ eva a miséria coletiva que passa de geração em geração dando início às explosões da violência urbana carma os múltiplos e inextirpáveis preconceitos da sociedade consumista algodão black power ­ nada escapa desse olhar penetrante e amargurado de quem conhece a vida tal como ela é até um beijo de língua a misturar os efêmeros sabores luso e francês num metafórico porto 6 deixa o campo das convenções eróticas para integrar o quadro ludicamente ambíguo de nosso cotidiano e aí me recordo da máxima de heinrich heine não sei onde termina a ironia e começa o céu cristiane faz alusões distribui piscadelas provoca o leitor brinca com ele e sempre o deixa numa dúvida cruel é essa a nossa civilização é desse jeito nós todos vivemos a poesia de cristiane sobral tem outro aspecto de igual importância a negritude essa vertente artística que remonta às obras do mítico senegalês léopold senghor e do grande haitiano rené depestre muitas vezes fica à margem da cultura oficial brasileira a poetisa definea como um quarto escuro onde ninguém quer entrar cuidado e ao juntar-se ao imenso coro dos partidários da negritude a voz dela se destaca tanto pela singularidade da entonação lírica como pelo trágico realismo de suas canções a afrodescendência não se associa para ela à cor da pele mas sim ­ e principalmente ­ à identidade histórica e cultural senzala pixaim banzo capitão do mato e outros espectros que cristiane evoca nos seus poemas mais incisivos não são reminiscências do passado remoto e esquecido mas pormenores chocantes da atualidade atávica ainda não somos livres ­ exclama ela com indignação ainda e conclui melancólica depois de tanto tempo aliás seria injusto reduzir o mundo poético de cristiane sobral ao feminismo e à africanidade há nele motivos sentimentais e satíricos há lágrimas e sorrisos há males descritos e remédios prescritos ao esboçar o retrato espiritual da mulher brasileira e tocar na melindrosa questão racial a poetisa está prestes a ir muito além desses próximos horizontes aonde É o tempo que nos dirá isso finalizando aproveito a ocasião para desejar-vos meus caros leitores feliz natal e próspero ano novo muita paz e felicidade para todos vós e que as boas magias do amor humano vos acompanhem por toda parte nesse ano de 2011 como diz a sagacidade francesa au gui l an neuf oleg almeida http www.olegalmeida.com/

[close]

p. 9

eisfluências dezembro 2010 09 misÉria humana jorge cortás sader filho as cartas de van gogh ao seu irmão theo e o depoimento deste não deixam dúvida pouco antes de morrer vincent disse que la misère ne finira jamais mais uma conclusão do pintor que revolucionou a arte vincent não afirmou que a miséria monetária do homem não teria fim seu alcance foi bem mais longo ele sabia que a miséria humana não tem fim sentiu esta verdade dentro de sua alma o homem sofre é uma condição da vida sentiu ao longo da sua existência que o fato é verdadeiro embora tenha sido um doente da sua doença surgiram os mais belos quadros e sobretudo expressivos que conhecemos além de mestre nas tintas compreendia bem a vida não fosse assim não conseguiria transmitir a emoção que quis e conseguiu passar para a humanidade são pinturas expressivas aos extremos ora tristes e igualmente de uma beleza incomum o par de botas o quarto do pintor ele mesmo com a orelha decepada por um corte de navalha fruto de uma briga com o seu contemporâneo gaugin tudo isto importa numa visão de vida exterior e interior muito grande o homem nasce sozinho vive sozinho e morre sozinho a despeito do que queremos crer por mais amor que o cerque sua existência é solitária foi isto que o mestre concluiu e viveu seus campos seus trigais as cenas humanas retratadas mostram um homem que conhece suas limitações e misérias mostram igualmente a grandiosidade de um homem que mesmo sabendo nada soube transmitir o tudo É verdade que a vida está cheia de lados negros mas o melhor é vivermos com todas as felicidades que ela nos oferece a começar pelo amor tem tanta coisa jorge cortás sader filho http aduraregradojogo24x7.blogspot.com coraÇÃo aberto como se rainha fosse entrou sem pedir licença no meu coração postou-se sem nenhuma desavença deixo ficar não me esquivo e se nele pediu abrigo foi por seu desejo ativo este coração mui amigo fique o bem que me traz tudo compensa feliz eu muito gosto e me apraz coração outro procura isto toda a gente o diz some vai toda a amargura jorge cortás sader filho suave tanka brilhante este mar lindo e calmo de pasmar e bom para amar corações ficam sorrindo tantas flores vão-se abrindo os olhos da amada tanka os olhos da amada são na cor esverdeada tranquila enseada Água límpida e abrigada transformo minha morada lÁgrimas na rosa tanka gota de sereno que brilhando esplendorosa lágrima na rosa pois todo o campo chora é quando desperta a aurora jorge cortás sader filho certeza sempre que ela passa olhos mirando você ela está fazendo graça só quem é cego não vê jorge cortás sader filho pensamento nós temos cinco sentidos são dois pares e meio de asas como quereis o equilíbrio david mourão ferreira escritor e poeta português

[close]

p. 10

10 eisfluências dezembro 2010 a culpa é da bebida© por elizabeth misciasci com os olhos voltados a mesa de jantar rosane não reage diante da notícia transmitida há pouco pelo noticiário local o semblante cansado também denota a irritação para com o ilimitado e contínuo descaso do marido porém antes que alguma voz quebrasse o profundo silencio paulo afonso deixa cair sobre a mesa o copo com dois dedos de aguardente e sem compostura se entrega a uma escancarada gargalhada rosane tensa procura disfarçar o rubro da face diante do casal de amigos que sem cerimônias desconversam enquanto trêmula ela providencia a troca do prato e dos talheres indiferente a qualquer manifestação paulo afonso se levanta e segue em direção á cantoneira onde esta uma garrafa de ballantines 30 years old sem hesitar se serve de uma dose generosa de uísque com a tolerância por um fio rosane o fita revoltada pronta para descarrilar seu repúdio mas logo é interceptada por carmem que desvia sua atenção para o saboroso filé com molho madeira servido minutos antes enquanto nasce um novo assunto que acaba por entreter as amigas paulo afonso sem ninguém para acompanhá-lo se embebeda na mistura das bebidas expostas tornando-se uma desagradável presença todos procuram manter o bom nível das relações em respeito e consideração à anfitriã que se desdobrou entre os preparativos a fim de promover um lindo jantar de comemoração pelos quinze anos de casamento tentando seguir a sua programação tão cuidadosamente planejada para a data festiva rosane alerta paulo afonso que a sobremesa será servida juntamente com a coqueluche da festa o bolo dos enamorados porém a despeito de seus cuidados o marido embriagado ignora a data a mulher e os presentes erguendo o copo do nada saúda seu time de futebol naquele momento sem nexo paulo afonso percebe a falta de reação dos convidados e como se estivesse cheio de razão chama a atenção da mulher -que é isso preta você não vai brindar comigo rosane visivelmente chateada pede licença aos presentes e vai para a cozinha inconformado o marido a segue e completamente desorientado grita -não está ouvindo É com você que eu falo complementa -o que é isso paulo afonso pelo menos hoje você poderia ter se policiado -o que você quer dizer com policiado questiona -poderia não ter bebido ou pelo menos não exagerado e misturado tanta porcaria -porcaria aonde tem porcaria -se tem alguma porcaria aqui é você -argumenta já em alto tom -vamos parar por aqui você esta começando a gritar e nossos convidados estão na sala hoje era pra ser uma noite especial não vou discutir mais -lamenta rosane que enxuga as lágrimas e se vira para retornar a sala sem aceitar o fim da conversa paulo afonso insiste em discutir mas é ignorado então puxa rosane pelo braço e ao pé do ouvido alerta em tom de ameaça -escuta que eu estou falando com você não me deixe mais irritado senão te quebro inteira sua insignificante rosane solta à mão que a segura e tentando ser paciente ainda pede com jeito para que o marido tenha consideração pelo menos diante das visitas no entanto interpretada de forma avessa pelo companheiro totalmente irracional acreditando estar sendo desrespeitado provoca neste uma transformação imediata segurando seu rosto aperta sua mandíbula berrando palavrões e ameaças já sem ter como driblar a situação rosane tenta em vão se esquivar enquanto paulo afonso com olhar vidrado lhe aperta ainda mais a face no outro cômodo os amigos que tudo ouve se comunicam gesticulando sem saberem qual a postura correta a ser tomada levando em conta a alta dosagem alcoólica de paulo afonso e relevando que afinal é uma discussão de casal sem razão e sem sentido mesmo com a tensão predominante do ambiente continuam apenas como ouvintes acreditando que o desacerto é meramente em função da embriaguez e que mais uns minutinhos tudo volta ao normal assim permanecem mudos e inertes mas para o marido de rosane há razões e motivos diversos para que não finde um atrito gerado do nada afinal distante da lógica e com pensamento atordoado e confuso mal sabia onde estava e o porquê de tamanho atrito as discussões com a mulher eram freqüentes contudo no mais puro anonimato brigas isoladas e choradas as escondidas sem maiores conseqüências isso em razão da necessidade extrema de se alcoolizar sem controle no consumo eram costumeiros os acessos de ira e quebraquebra que logo se apagavam com uma boa dormida talvez por esta razão rosane mantinha as aparências e se sujeitava á sorte acreditava que a mudança de comportamento do marido era algo controlável e por ser na discrição do lar inexistiam motivos para torná-lo de conhecimento alheio ou passar adiante essa saga já que haviam se tornado cenas rápidas e rotineiras mesmo porque pra ela a culpa era tão somente da bebida mantendo o equilíbrio temendo estender aquela situação constrangedora rosane permaneceu á mercê das mãos do marido que com uma força descomunal vez ou outra lhe apertava brutalmente as partes mais salientes da face a cada grito ela balançava de forma afirmativa a cabeça como se concordasse com cada prolação obediência era a chave da futura calmaria não se tratava de submissão em sua opinião e por experiências constantes sabia que rebater por mais natural que fosse não era aquele o momento permaneceram naquela constrangedora situação por aproximados quinze minutos foi quando paulo afonso sentindo-se dono de uma verdade inexistente e absurdamente criada do nada com os olhos esbugalhados e a baba caindo abriu um sorriso aparentemente doentio como se tudo estivesse perfeitamente normal retornando á sala o casal de amigos tolhidos e sem esboçar reações ocultaram o mal estar retomando ares de uma receptividade distante num assunto qualquer em seguida rosane adentra o ambiente visivelmente envergonhada com as marcas dos dedos do marido estampados em feridas no rosto esboçando aparência de quem está totalmente sem graça e infeliz contudo ela não aceita opiniões pensando que é apenas uma fraqueza do marido diante da dependência alcoólica sendo a culpa da bebida não vislumbra maiores conseqüências e acreditando estar nela apenas nela à superação deste drama não admite ajuda sem muito que contestar uma vez que não se permitiram sugestões os convidados anteciparam a ida não havia razão para experimentar o bolo enamorado já que entre tantos paulo afonso adormeceu profundamente na cadeira de balanços rosane não os detém nem tenta explicar o inexplicável afinal ser feliz a sua moda é o que importa então acompanhando-os até a porta com um sorriso de quem já esta refeita exclama a culpa é da bebida depois abraça cada um demoradamente limitando sua vida ao marido e a aguardente elizabeth misciasci http www.eunanet.net/beth/index.php http www.revistazap.org

[close]

p. 11

eisfluências dezembro 2010 11 instante noturno os olhos em um frenesi exagerado engole a noite fria sussurros mesquinhos na escuridão estômago no deleite de um pão são sonhos os fatos a cama para dormir é a dureza da vida de um chão sujo batido e mau cimentado lençóis são as notícias dos burgueses esparsas em folhas de papéis qualquer são letras estranhas no pesadelo noturno esperanças estão nas estações medíocres que reguia o corpo para qualquer lugar balbuciando palavras diversas como quem reza pela boca faminta pedindo quem sabe água e pão para saciar a sede e matar a fome airton souza nasceu em marabá em 1982 É acadêmico de história da faculdade metropolitana de marabá e de letras da universidade federal do pará publicou de forma artesanal em 2009 o seu primeiro livro de poemas denominado incultações noturnas é participante de várias antologias nacionais inclusive da antologia literária cidade no vol ii v e vi e de várias antologias publicadas pelo cbje blog www.airtonsouzza.blogspot.com www.airtonmaraba.blogspot.com chuva vem forte traz o vento teus cheiros teus sons És linda caindo levando lavando gostando de ser assim quando cessa é triste faz o sono passar faz secar os olhos e a nuvem se desfaz cai siga seu curso e volte caindo outra vez venha com o aroma de cada gota e junte-se ao olhar perdido como tantos dilúvios ao qual não podemos conter quando acontecem dentro de cada ser silvana sousa barros natural de bragança pa reside em belém psicóloga possui publicações em antologias entre elas a antologia literária cidade e algumas outorgas em concursos o presente poema foi premiado no prêmio literacidade ­ 1ª edição e faz parte de seu livro-solo Íntimos e diáfanos a ser lançado pela editora literacidade em abril de 2011 email para contato silvanasbarros@hotmail.com divulgação de abílio pacheco www.abiliopacheco.com.br uma chamada para a agenda literÁria ver mais em http antologiacidade.wordpress.com/outras-acoes/agenda2011 frases soltas o verdadeiro analfabeto é aquele que aprendeu a ler e não lê mário quintana o poeta é um ser que lambe as palavras e depois se alucina manoel de barros acho a televisão muito educativa toda as vezes que alguém liga o aparelho vou para outra sala e leio um livro groucho marx

[close]

p. 12

12 eisfluências dezembro 2010 vitor de vasconcellos figueiredo homenagem póstuma vítor manuel fernandes de vasconcelos figueiredo escritor poeta romancista cronista místico e conferencista nasceu em lisboa em 3 de setembro de 1931 e faleceu em faro em 31 de outubro de 201o o cumprimento do serviço militar iniciado em lisboa levou-o para ponta delgada na ilha de s miguel ­ açores e depois para goa no antigo estado português da Índia a sua paixão pela Índia levou-o a permanecer em goa como funcionário público voltando quase sete anos mais tarde a portugal colocado no então ministério do ultramar em lisboa trabalhou ali cerca de dois anos sendo então colocado em luanda ­ angola viveu naquela ex-província ultramarina até 1975 ano em que regressou a portugal e emigrou para o brasil ali viveu em curitiba ­ paraná trabalhando na grande loja dos países de língua portuguesa da antiga e mística ordem rosacruz ­ amorc de antiquíssima tradição fundamentada no egipto antigo regressando 12 anos depois a portugal na sua qualidade de assessor que foi dos três grandes oficiais daquela ordem na chefia de vários departamentos e como membro desde 1972 da grande loja da frança ­ amorc e desde 1975 da grande loja do brasil participou e colaborou exaustivamente na convenção internacional em curitiba em 1975 e noutras convenções naquela cidade e no rio de janeiro participou ainda de muitos conclaves rosacruzes nas lojas de curitiba e lisboa e prestou colaboração em diversas outras actividades da loja e da grande loja em curitiba como membro e funcionário da ordem.entre várias funções que desempenhou naquela organização desenvolveu intensa actividade em publicidade marketing e relações públicas destacando-se como conferencista e fazendo palestras semanais do foro espiritualista e esotérico sobre controlo mental aura humana poder da mente expansão e divulgação da amorc etc em decorrência das suas actividades de carácter profissional o autor fez vários cursos especializados em s paulo ­ brasil ainda em curitiba e já numa actividade particular criou um espaço esotérico ­ o kheops ­ círculo de difusão do conhecimento humano ­ dando cursos de auto-ajuda de controlo e criação mental aura humana etc e orientando e aconselhando literatura do foro espiritualista esotérico e místico e também assistindo e tratando pessoas em sessões de cromo terapia de relaxamento com pirâmides etc vocacionado desde a adolescência para a literatura a psicologia a filosofia e a física quântica o autor publicou alguns contos e poemas em jornais portugueses assim como anos mais tarde em revistas e jornais de angola foi colaborador também da redacção do jornal literário alvorada em lisboa e do jornal a palavra em luanda colaborou ainda com trabalhos especializados e publicados pela ordem rosa cruz ­ amorc no brasil sobre expansão da organização e psicologia/misticismo mormente com o ensaio o homem e a mente tendo cedido os direitos autorais para o brasil à referida ordem esta editou a primeira parte deste ensaio num livrete para os seus membros conjuntamente com outros titulados como série n de discursos do mesmo modo a segunda parte foi editada pelo seu carácter esotérico apenas para leitura nas convocações rituais dos templos que a grande loja dos países de língua portuguesa superintende no brasil e em portugal denominados lojas capítulos e pronaoi este ensaio deu origem a duas palestras que o autor fez no grupo ecos da poesia do msn da net com perguntas e respostas sobre o tema e que ali está publicado fez também várias palestras em alguns grupos do irc na net baseados nos 43 artigos do foro místico esotérico e espiritualista que publicou no jornal do incrível em lisboa em 1987/88 participou em vários jogos florais com contos e poemas obtendo vários prémios e menções honrosas obras do autor um volume de poemas ­ memórias do amor impossível um dos poemas do livro obteve o 2º prémio e outros três foram distinguidos com menções honrosas nos jogos florais do banco nacional ultramarino em 1995 2 um livro de contos ­ primeira carta a dília e outras histórias algumas das histórias deste livro foram premiadas nos referidos jogos florais do bnu com o 1º 2º e 3º prémios este último ex-aequo e uma menção honrosa um dos contos ­ evocação de uma tarde de amor numa praia sem ar condicionado ­ ganhou também uma menção honrosa do júri na modalidade de prosa nos ii jogos florais irene lisboa organizado pela câmara municipal de arruda dos vinhos em abril de 1999 É uma colectânea de contos cartas e escritos seleccionada pelo autor entre várias histórias escritas em diversos lugares ao longo de alguns anos em sua maioria inéditas e subordinadas de modo geral ao amor 3 um romance ­ a trajectória do impensável memórias de um sobrevivente da Índia angola brasil e portugal ­ vol i ­ a invasão e ocupação do estado português da Índia em 1961 o romance foi publicado no grupo ecos da poesia agora extinto 4 participação com 4 trabalhos na 2.ª antologia dois povos ­ um destino na parceria do ecos da poesia/abrali editada em janeiro 2006 o autor vinha preparando um outro livro desde há alguns anos uma obra de maior fôlego e diferente temática à qual dedicava mais interesse e que intitulou de os fios dourados trata-se de uma colectânea de cartas trocadas com várias correspondentes brasileiras sobre temas esotéricos e místicos e na qual inclui vários dos 43 artigos que publicou também na secção de correspondência no jornal do incrível ­ criada pelo autor e intitulada a vista da pirâmide em 1987 e 1988 já anteriormente citados obra incompleta ensaios o sorriso do gato ­ ensaio sobre a alma a aura essa desconhecida ­ uma abordagem científica e metafísica o homem e a mente ­ uma abordagem psicológica e esotérica pretendia o autor editar também em portugal este ensaio como anteriormente já referido publicado no brasil.

[close]

p. 13

eisfluências dezembro 2010 13 destas obras as seguintes encontram-se editadas em e-book´s que poderão ser lidos em http www.delnerobookstore.com/bibliotecas_virtuais/vitor_de_figueiredo/index.htm memórias do amor impossível ­ poemas a aura essa desconhecida ­ ensaio primeira carta a dília e outras histórias ­ contos a trajectória do impensável ­ romance 2 vol 1ª e 2ª parte o homem e a mente ­ ensaio a vista da pirâmide ­ artigos ­ 2 vol 1ª e 2ª parte breve apontamento da sua poesia noite sem ti vitor de figueiredo outra noite sem ti faz da tua dor um poema goethe ando a esgatanhar a noite com dedos gastos nas feridas que supuram nas ruínas desta procura de tudo e em tudo isto misturo teus olhos adormecidos indiferentes ao conteúdo que se esvai das minha mãos e é toda a tragédia mole de procurar por aí em horas de gritos roucos a coerente ternura de possuir toda a gente neste esqueleto dorido gritos de ferir a noite de acusá-la do fracasso que se enrola na garganta como cancros já antigos dedos sujo de fingir gritos malditos de querer tocar na pele dos sorrisos e nos lábios inquietos de tanta mulher dispersa É talvez tudo loucura neste poema sem ti por que não estás nesta noite e a dor é demasiada eis um poema cruel que dói o ódio de existir em noites de blasfémia contra sentimentos podres de sexo tédio e a amargura de estares do lado da ponte que fecha no pôr-do-sol e deixa a ranger na noite a certeza de que dormes esperanças e amanhãs e eu só me enrolo na noite em túnicas absolutas e capuzes cor de bruma rígida a boca no frio olhos a velar ausência no desespero de saber que já nunca terei olhos para alcançar horizontes que vão além destes versos para ti ainda há caminho e sangue vivo consentindo latitudes virginais desejos desconhecidos noites enormes sem horas mas a mim o corpo dói-me pecados nem sei quais são torpes espasmos cansadas garras de agarrar seios como afogados tábuas fugidias de salvação portas abertas que se fecharam tudo me dói como navalhas no coração visco cabelos de coisas mortas em cada mão ri-me velhice nos dentes escorbutos e dores esquisitas nesta noite de sentença marginal húmida luzes mortiças acenando prazer no calhambeque bâton lancôme e nenhuma daquelas túnicas de seda vermelha é tua em frente ao hotel universo já são três da manhã e tu distante comodamente quentinha na madrugada de cacimbo e eu a gritar rouco com dedos gastos esgatanhando a noite indiferente a noite sem ti luanda/1971 do livro memórias do amor impossível ­ poemas direitos autorais registados nos termos legais para portugal e brasil http akhnaton.spaces.live.com/

[close]

p. 14

14 eisfluências dezembro 2010 a sua última tentativa de poema 1 semana antes da sua transição onde tudo acontece ao começo dos dias vitor de figueiredo quando se ama se espera se espera apenas e assim se fixa e no absurdo se esgota a própria vida são as coisas faro/portugal 23/10/2010 seu percurso pode resumir-se a uma existência intensamente vivida na busca do conhecimento de si mesmo desde a adolescência praticando o amor possível que sempre procurou e muitos anos emigrado da terra natal assegurou a sua descendência já plantou algumas árvores tentou o cultivo da fraternidade e do amor ao próximo e provavelmente com alguma coerência consigo mesmo tinha de exprimir-se através da literatura e em seus escritos colocou mais as emoções da sua vivência do que talento ficcionista com alguma imaginação e a experiência interior sofrida nos caminhos do amor e da vida mas provavelmente repercutindo e recriando apenas os problemas sonhos esperanças amarguras e desilusões que são de toda a gente e que estando inefavelmente inscritas no inconsciente colectivo dele emergiram e se reflectiram no espelho de imagens que é a alma do autor palavras do próprio autor material recolhido do vasto acervo pessoal de sua irmã carmo vasconcelos in memorian condorcet aranha faleceu no passado dia 19 de novembro o escritor e poeta condorcet aranha pesquisador científico nível vi aposentado pelo instituto agronômico campinas/sp}governo do estado de são paulo doutor em ciências pela universidade estadual de campinas/sp ­ unicamp farmacêutico-químico pela universidade federal do estado do rio de janeiro rj publicações científicas cinco livros e sessenta artigos nas mais conceituadas revistas boletins e periódicos científicos artigos científicos no jornal o estado de são paulo colaborador dos jornais diário do povo e correio popular campinas sp poemas contos e artigos científicos colaborador do jornal de serra negra serra negra sp poesias artigos científicos análise política e charges colaborador com crônicas para o jornal a notícia joinville santa catarina publicações literárias em dezenas de antologias premiações em concursos literários a nível nacional e internacional livros solo versos diversos poesias 2001 histórias do famaliá contos/crônicas 2003 sonhos ou verdades contos/crônicas 2006 membro titular da cadeira n° 25 colegiado acadêmico nas Áreas de letras e de ciências do clube dos escritores de piracicaba são paulo brasil membro no grau superior da ordem da sereníssima lyra de bronze porto alegre rio grande do sul brasil academico da accademia internazionale il convívio castiglione di sicília itália membro correspondente da academia cachoeirense de letras espirito santo brasil membro da casa do poeta rio-grandense são luiz gonzaga rio grande do sul brasil membro correspondente da academia ponta-grossense de letras e artes ­ apla ­ paraná brasil membro correspondente da casa do poeta rio grandense porto alegre/rs brasil sócio honorário da associazione culturale zacem città di savona itália sócio da alpas xxi ­ associação artística e literária palavras do século xxi brasil sócio da apperj ­ associação dos poetas profissionais do estado do rio de janeiro/brasil world poets society ­ a literary organization for contemporary poets from all around the world grécia cônsul em joinville/sc do poetas del mundo actualmente era vice-presidente da avspe academia virtual sala de poetas e escritores

[close]

p. 15

eisfluências dezembro 2010 15 versejando-me condorcet aranha joinville santa catarina toda poesia que eu faço é dúvida infinda busca pela vida e até por que a beleza existe por isso estudo procuro e não é nada ainda porque será que me mantenho indignado e triste já no ocaso dessa vida de futuro incerto enquanto a cada dia a saudade cresce também por conseqüência vejo o fim mais perto como me alegrar se o meu eu padece como perceber que a felicidade existe como manterei dentro do peito o amor se minha dura e maior dúvida é cruel persiste no destino que não quero e temperando a dor não posso enganar que deixarei o perdão a quem me pôs aqui para levar depois pelo que sinto no meu coração angústia e sofrimento não por mim por dois pois a mulher e filho que na vida deixo terão muita alegria pra sofrer no fim e se sentirão apenas como um seixo para carregar saudades do meu eu de mim nasci e cresci logo que os conheci e amei senti que deixaria aqui a natureza linda e tudo que desejo com a dúvida eterna mas partirei deixando meu protesto enquanto me versejo centelhas de ilusÃo condorcet aranha joinville santa catarina meu coração agora incandescente que se aproxima de ser pó ser cinza enquanto arde e é ainda quente mantém um velho chato e ranzinza enquanto o fogo existe há esperança na ilusão fingida e na centelha onde guardei com fé desde criança não só o amor também a minha ovelha hoje já sei que a paz nunca existiu que a vida é tempo que escoa fácil e o sentimento foi mais um ardil para enganar-me de uma forma grácil por que será que a fé ainda persiste entre os escombros desse corpo frágil se no amanhã por certo nada existe e até a mente já será volátil mas no ocaso desta vida incerta talvez a paz se chegue e me consagre seguro a fé e fico bem alerta pra ser o exemplo se existir milagre 21.dez.2012 uma nova era ou uma mistificação terceira e última parte para os maias no último desastre a civilização teria sido destruída por uma grande inundação que deixou apenas alguns sobreviventes dos quais eles eram seus descendentes pensavam que ao conhecer o final desses ciclos muitos humanos se preparariam para o que viria e que graças a isso haviam conseguido conservar sobre o planeta a espécie pensante o ser humano falam sobre o tempo do não-tempo um período de 20 anos chamado katún os últimos 20 anos desse grande ciclo de 5.125 anos quer dizer de 1992 até 2012 diziam que nesse tempo manchas do vento solar cada vez mais intensas apareceriam no sol e que a partir de 1992 a humanidade entraria em um último período de grandes aprendizagens de grandes mudanças que nossa própria conduta de depredação e contaminação do planeta contribuiria para conscientização coletiva e nos forçaria a uma nova conduta perante o planeta essas mudanças acontecerão para que possamos entender como funciona o universo e avançar em níveis superiores deixando para trás o materialismo e nos livrando do sofrimento diziam que a terra despertará pelo norte e pelo poente começando uma época de escuridão que todos nós enfrentaríamos com nossa própria conduta disseram que as palavras de seus sacerdotes seriam escutadas por todos nós como orientação para o despertar eles falavam dessa época como o tempo em que a humanidade entrará no grande salão dos espelhos um momento de mudanças o homem em frente a si mesmo para que enxergue e analise seu próprio comportamento com ele mesmo com os demais com a natureza e com o planeta em que vive uma época para que toda a humanidade por decisão consciente de cada um decida mudar e eliminar o medo e a falta de respeito de todas as nossas relações diziam que o comportamento de toda a humanidade mudaria rapidamente a partir do eclipse solar de 11 de agosto de 1999 dia em que um anel de fogo cortou o céu foi um eclipse sem precedentes na história pelo alinhamento em cruz cósmico com o centro da terra de quase todos os planetas do sistema solar eles nos posicionaram quatro signos do zodíaco que são os dos quatro evangelistas os quatro guardiões do trono que protagonizam o apocalipse segundo são joão além disso a sombra que a lua projetou sobre a terra atravessou a europa passando por kosovo depois pelo oriente médio irã iraque e posteriormente se dirigindo ao paquistão e à Índia sua sombra parecia prever uma área de conflitos e guerras os maias sustentavam que a partir desse eclipse o homem perderia facilmente o controle ou então alcançaria sua paz interior e tolerância evitando os conflitos anunciavam uma época de mudanças que é a antessala de uma nova era diziam que a energia que recebemos do centro da galáxia aumentará e acelerará a vibração em todo o universo para conduzir a uma maior perfeição isso produzirá mudanças físicas no sol e psicológicas no ser humano.

[close]

Comments

no comments yet