Show da Fé - Junho 2016

 

Embed or link this publication

Description

Show da Fé - Junho 2016

Popular Pages


p. 1

Jornal Show da Fé Dicas para um casamento mais feliz PÁGINAS 20 E 21 ANO 3 - Nº 29 - JUNHO DE 2016 SHOWda FÉ O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 Fé no combate à zika e à chikungunya Em meio à epidemia que o país vive por causa das enfermidades causadas pelo mosquito Aedes aegypti, um grande número de pessoas sofre em decorrência de sintomas que podem durar meses. No entanto, algumas delas têm encontrado a cura mais rápido ao recorrerem a Jesus nas reuniões do Missionário. Página B2 MARCELO NEJM Recuperou a visão e a alegria Claudia Gonçalves (foto) não enxergava direito, por isso caía constantemente na rua. Ceres Ferraz Teles corria o risco de ficar cega. Hoje, com a visão restaurada, as duas são só alegria. MARCELO NEJM Página B10 MARCELO NEJM “Precisava de um milagre” Depois de um acidente, Maria Sulamita passou a ter problemas na locomoção. Ela começou a usar bengala, abandonada durante a oração da fé. Página B1 MARCELO NEJM “Não tinha prazer de viver” Vítima de tendinite e bursite, Aldaísa de Oliveira sentia tanta dor que não podia ter uma vida normal. Tudo mudou após uma surpresa feita pela família. Maria Lúcia de Oliveira pula de alegria ao se sentir livre das dores nos ossos causadas pela zika Página B8 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente. Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca (Salmo 105.4,5).

[close]

p. 2

2 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 Expediente Jornal Show da Fé Editorial Palavras de fé do Missionário PÁGINA 24 Dicas para um casamento mais feliz PÁGINA 20 E 21 ANO 3 - Nº 29 - JUNHO DE 2016 SHOWda FÉ O JORNAL DA PALAVRA DE DEUS Fé no combate à zika e à chikungunya Em meio à epidemia que o país vive por causa das enfermidades causadas pelo mosquito Aedes aegypti, um grande número de pessoas sofre em decorrência de sintomas que podem durar meses. No entanto, algumas delas têm encontrado a cura mais rápido ao recorrerem a Jesus nas reuniões do Missionário. Página B2 MARCELO NEJM Recuperou a visão e a alegria Claudia Gonçalves (foto) não enxergava direito, por isso caía constantemente na rua. Ceres Ferraz Teles corria o risco de ficar cega. Hoje, com a visão restaurada, as duas são só alegria. MARCELO NEJM A nossa fé em Cristo jamais será vencida, ainda que aparentemente tudo mostre o contrário. Se usarmos o Nome de Jesus, não perderemos uma luta. Portanto, não deixe o desânimo invadir a sua alma nem fazê-lo sofrer. Lembre-se de que o Senhor está no controle, e Sua Palavra não será envergonhada ou vencida. O segredo da vitória é enfrentar o mal com o Nome do Filho de Deus, prosseguindo até a vitória final. Página B10 MARCELO NEJM “Precisava de um milagre” Depois de um acidente, Maria Sulamita passou a ter problemas na locomoção. Ela começou a usar bengala, abandonada durante a oração da fé. Página B1 MARCELO NEJM “Não tinha prazer de viver” Vítima de tendinite e bursite, Aldaísa de Oliveira sentia tanta dor que não podia ter uma vida normal. Tudo mudou após uma surpresa feita pela família. Maria Lúcia de Oliveira pula de alegria ao se sentir livre das dores nos ossos causadas pela zika Página B8 Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente. Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca (Salmo 105.4,5). Diretor executivo R. R. Soares Conselheiro editorial Eber Cocareli Editora Elaine Monteiro R epórteres Amanda Pieranti Claudia Santos Mônica Ferreira R epórteres colaboradores Isabel Querino e Marcos Couto Fotografia Marcos AC Luiz Fernando Marcelo Nejm R evisão Célia Cândido (Direção), Joseane Cabral (Supervisão), Magdalena Soares (Prova), Jorge Guimarães e Marcella Peçanha (Originais) Direção de arte Kleber Ribeiro Diagramação e A rte-final Bruno Moraes, Leandro Alves Site www.ongrace.com/ jornalshowdafe E-mail jornalshowdafe@ongrace.com R edação Estrada dos Bandeirantes, 1.000 - Taquara - Rio de Janeiro RJ - CEP 22.710-113 Telefone: (0xx21) 3077-5168 É expressamente proibida a reprodução total ou parcial de matérias, entrevistas, artigos, fotos e ilustrações sem prévia autorização dos titulares dos direitos autorais. O Jornal Show da Fé é uma publicação da Graça Artes Gráficas e Editora LTDA. E servireis ao SENHOR, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades (Êxodo 23.25). Mãe usa a fé, e filho se recupera de doença grave Mônica Ferreira DIVULGAÇÃO IIGD E monica.jornalshowdafe@gmail.com ra um dia comum de outubro de 2015, quando Cláudia Cristina Vianna levou um grande susto. Seu filho, Amonn Crispin, de 15 anos, reclamou de dores persistentes na altura do tórax. “No momento em que ele me contou o que estava sentindo, achei que fossem apenas gases. Porém, quando o carro em que estávamos passou por um quebra-molas, meu filho gritou de dor. Então, percebi que poderia ser algo mais grave, e procuramos um hospital”. Depois de alguns exames, veio a notícia: tratava-se de pneumotórax (acúmulo anormal de ar entre o pulmão e a membrana, chamada de pleura, que reveste internamente a parede do tórax). A solução seria submetê-lo a uma cirurgia. E foi à espera desse procedimento que o menino teve complicações no hospital: contraiu pneumonia dupla e infecção generalizada. Ali começava a luta de uma mãe. Diante do quadro crítico do filho, que foi para o CTI, Cláudia ligou para uma amiga que congrega na IIGD. Pelo telefone, ela ouviu sobre o poder de Deus e teve a certeza de que o Senhor atenderia ao seu clamor. “Eu ainda não conhecia o Senhor Jesus, no entanto fui evangelizada depois que pedi ajuda em oração pelo telefone. A Igreja toda passou a interceder por meu filho. Os obreiros o visitavam, clamavam por ele e deixavam palavras de coragem”. A união da Igreja por meio da fé foi essencial para Cláudia enfrentar aquela situação. “Vivi dias terríveis. Amonn tinha febre alta, não comia, vomitava e urinava com sangue. Além disso, sua pressão arterial estava muito baixa. Ele foi sedado, entubado, ficou inchado e passou por transfusão de sangue. Vê-lo daquele jeito era difícil, mas aprendi a usar a fé e a depositar minha confiança em Deus. O Senhor foi tão maravilhoso que colocou uma equipe médica excelente à minha disposi- ção, a qual dizia a todo momento: ‘Deus está no controle’. Isso colaborava para que eu e meu marido seguíssemos em frente”. Vitória ao fim da batalha E a vitória chegou. “A bactéria sumiu, e meu filho saiu do CTI. A pneumonia dupla também desapareceu, e ele recebeu alta. Deus fez o sobrenatural. Os exames não acusaram mais nada. Os órgãos dele estão perfeitos. Eu dou glórias ao Altíssimo por meu filho estar vivo. E como ele perdeu parte do ano letivo, os professores se solidarizaram e lhe deram mais uma chance. Ele se empenhou, estudou bastante após receber alta e conseguiu ser aprovado para o segundo ano do Ensino Médio. Depois dessa experiência com o Senhor, nós nos tornamos membros da Igreja da Graça”.

[close]

p. 3

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 3 Milagres pela TV O Show da Fé, programa de TV que alcança diariamente milhões de brasileiros, está levando os sofredores a receberem as mais fantásticas bênçãos em suas casas. MARCOS AC “Até fico emocionado ao me lembrar da minha cura” Mônica Ferreira monica.jornalshowdafe@gmail.com Sem depressão e sem nódulo Assistir à programação da Igreja da Graça foi um passo fundamental para Maria Aparecida Nunes superar a depressão que a acometeu após a constatação de um nódulo em sua mama. Além disso, ela era dependente de remédios para dormir. MARCELO NEJM N ilo Custódio da Silva Filho sabe bem o que é sentir dor nos joelhos devido à artrose. Ele já havia operado o joelho direito, e o esquerdo seria o próximo. “Aqueles sintomas estavam comprometendo meu trabalho, principalmente porque atuo fiscalizando obras. Nunca mais senti nada Precisava subir várias escadas e pisar em barro, o que deixava as botas bastante pesadas. À noite, eu ficava com a perna dolorida. Embora tentasse fazer exercícios físicos, como caminhada, para ver se a dor diminuía, não obtinha o efeito esperado. Nem mesmo os remédios estavam proporcionando alívio. Como viajo muito por todo o Bra- sil atendendo às demandas de uma grande mineradora do país, padecer dessas constantes dores era um tormento”. Foi exatamente em uma de suas viagens a trabalho, no local onde ficou hospedado, que Nilo decidiu ligar a televisão e assistir ao Show da Fé. No programa, viu testemunhos que o motivaram a depositar sua confiança em Deus. “Quando o Missionário começou a orar, determinei o restabelecimento da minha saúde. No mesmo instante, percebi uma melhora. No dia seguinte, já não sentia dor alguma. Até fico emocionado ao me lembrar da cura, porque já faz três anos que isso aconteceu e nunca mais senti nada, tampouco precisei operar o joelho esquerdo. Não sinto qualquer incômodo ao realizar meus serviços. Faço minhas caminhadas diariamente e costumo percorrer sete quilômetros. Fui sarado, para honra e glória do Senhor”. Durante o período de tratamento, Maria Aparecida gostava de sintonizar no programa de R. R. Soares. E foi a oração da fé que lhe devolveu o ânimo para determinar a vitória. “Estou curada do nódulo, liberta da depressão e não preciso fazer mais tratamentos, pois fui liberada pelos médicos”. O cristão fiel sabe que o Senhor não tarda, tampouco abandona aquele que deposita a sua confiança nEle.

[close]

p. 4

4 Fotonovela ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 SHOWda FÉ Doença era espiritual Sem motivo aparente, Janes Ferreira Alves perdeu peso e adoeceu. “Na falta de um diagnóstico exato, os especialistas afirmavam que eu estava com depressão e alertaram que eu poderia sofrer uma parada cardíaca, pois o meu coração acelerava muito”. Com a saúde fragilizada, Janes precisou usar cadeira de rodas e ficou sob os cuidados de um irmão. Sem saber mais o que fazer, a família decidiu levá-la à Igreja da Graça, onde aprendeu a tomar posse da bênção e ficou livre de todo o mal. Janes sente dificuldade para andar e perde peso. Fraca, não consegue ficar em pé e usa cadeira de rodas, inclusive para ir ao médico. A profissional não encontra nenhuma anormalidade nos exames e afirma que Janes está com depressão. As crises aumentam, e ela desmaia com frequência. Seu irmão se afasta do trabalho para cuidar da saúde dela. Depois de dois anos de sofrimento, a família decide levá-la até a Igreja da Graça. Janes precisa ser amparada para chegar à casa de Deus. Participando das reuniões, aprende a não aceitar o mal e se torna assídua no culto de libertação. Aos poucos, começa a andar desacompanhada. Fortalecida em Deus, aceita Jesus e se torna uma nova criatura. Livre de todo o mal, dá o seu testemunho e recupera seu peso normal. Com a saúde em dia, volta até a dirigir. PROTAGONISTA: PARTICIPAÇÕES: ROTEIRO E PRODUÇÃO: ASSISTENTE: FOTOS: ARTE: EDITORA: Janes serve ao Senhor na Igreja Internacional da Graça de Deus.

[close]

p. 5

MILAGRES A BOA MÃO DO NOSSO DEUS É SOBRE TODOS OS QUE O BUSCAM (Esdras 8.22b – ARA). SHOWda FÉ JUNHO DE 2016 B1 “Precisava de um milagre urgente” Maria Sulamita só conseguia andar com ajuda da bengala. A fé a livrou desse apoio H Missionário R. R. Soares á dez anos, Maria Sulamita de Freitas Fonteneles sofreu um acidente automobilístico e fraturou a tíbia, chamada também de osso da canela. “A recuperação foi difícil. Fiquei bastante tempo em cima de uma cama e, quando melhorei, só me locomovia com a ajuda de uma cadeira de rodas. Depois, passei a usar andador e, por último, bengala. Mesmo assim, andava bem devagarzinho para não cair, porque minhas pernas não estavam firmes”. Segundo Maria, as dores eram constantes e não a deixavam fazer nada. Por isso, ela contava com a ajuda da filha para quase tudo, principalmente levá-la ao médico e cuidar da casa. “Sempre fui independente e, por esse motivo, viver daquela maneira era bastante triste”. Não estamos interessados em pregar religião nem em condenar a religião de ninguém. Porém, temos o direito de informar a todos – religiosos ou não – que há cura e libertação em Jesus. Quando fazemos isso, vemos imediatamente muita gente curada de todas as espécies de enfermidades. Por isso, não podemos deixar de pregar o amor de Cristo. Por incrível que pareça, a coisa mais fácil de conseguir é a cura de qualquer tipo de doença. No entanto, para que isso ocorra, temos de falar da Palavra, pois é dando ouvidos a ela que a fé vem. Desse modo, os sofredores conseguem a cura, bem como a libertação de vícios e das obras das trevas. Aleluia! Jesus a surpreendeu Não suportando mais aquela rotina de dor e sofrimento, Maria Sulamita foi ao culto do Missionário R. R. Soares buscar sua bênção. “Fui andando bem devagar, apoiada na muleta. Antes de começar a reunião, falei com Jesus que precisava de um milagre urgente. Pedi ao Senhor que me surpreendesse e fui atendida”. Maria relata que ficou atenta à pregação e, quando R. R. Soares chamou as pessoas com problema na coluna e nas pernas para a oração da cura, ela foi à frente do altar confiante. “Minha fé era tanta que deixei a muleta no local MARCELO NEJM Hoje, não sinto dor e ando sem a bengala em que eu estava sentada e fui me escorando nas cadeiras”. Ela afirma que valeu a pena o sacrifício. “Hoje, não sinto dor e ando sem a bengala, que está guardada em um quartinho a fim de que eu nunca me esqueça do milagre que recebi e também para que todos saibam o que Jesus Cristo fez por mim. Voltei a ser independente e estou fazendo tudo o que não podia, inclusive cuidar da casa”. Na tua mão há força e poder, e não há quem te possa resistir (2 Crônicas 20.6b).

[close]

p. 6

B2 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 Novo método de combate ao zika vírus e à chikungunya Amanda Pieranti amanda.jornalshowdafe@gmail.com Embora as autoridades tenham colocado até o Exército nas ruas para combater focos do mosquito Aedes aegypti , transmissor do zika vírus, da febre chikungunya e da den- gue, várias pessoas continuam sendo infectadas. O Brasil vive uma epidemia dessas enfermidades. Segundo especialistas, em alguns casos, os sintomas podem durar meses. Por isso, aqueles que não conseguiam se livrar dessas doenças recorreram à fé em Jesus, e muitos estão alcançando a cura por meio da fé. Voltou para casa desfilando no salto MARCELO NEJM Até banho era com ajuda MARCELO NEJM Não saiu da Igreja como entrou MARCELO NEJM “Estava para completar quatro meses acamada com sintomas da febre chikungunya. Não podia andar direito nem calçar os sapatos. No dia da reunião, eu estava sentindo bastante dor e mancando. Como fui de carro com meu marido, acreditando na cura, usei salto alto. No momento em que o Missionário orou por quem sofria de sintomas de chikungunya e zika, Jesus me curou. Até pulei para comprovar que meu corpo e meus pés não doíam mais. Voltei para casa desfilando no salto”. Jozineide de Assis Roque “Por 15 dias, sofri de febre alta e dores nas articulações. Meus pés, joelhos e minhas mãos doíam muito. Às vezes, eu não aguentava me levantar da cama. Andava mancando ou me apoiando nas paredes e nos móveis. Era meu esposo quem me ajudava em casa. Os remédios só davam um alívio momentâneo. Fui ao culto em busca de um milagre e o alcancei. Voltei para casa caminhando normalmente e sem dor no corpo. Arrumo meu lar, faço comida e tomo banho sozinha. Edilene Acioli Silva “Dores nos tornozelos, no pulso, nas mãos e debaixo dos pés, como se estivessem com espinhos, tornaram meus dias difíceis. Eram sintomas da zika. Tinha dificuldade até para abrir a garrafa de café, porque meus dedos ficavam travados. Fui ao encontro de fé confiante de que não sairia da Igreja como entrei. Cheguei com tanta dor que não conseguia andar. Para sair do carro, foi um sacrifício, mas voltei para casa como desejava: totalmente curada e livre das dores”. Maria Lúcia de Oliveira Teixeira Sentia dor nos ossos das pernas MARCELO NEJM Era “freguesa” do pronto-socorro MARCELO NEJM Não podia nem falar ao telefone MARCELO NEJM “Padeci de zika durante dois meses. Tive manchas vermelhas na pele, febre alta, dores nos ossos das pernas, como se elas estivessem paralisadas, e dor na cabeça e nos pés. Como quase não conseguia ficar em pé, parei de trabalhar. Para ir à reunião do Missionário, tomei um medicamento a fim de suportar as quatro horas de viagem. Foi penoso, mas Jesus me abençoou. Pulo, ando, subo e desço escada e fico quase o dia todo em pé sem dor alguma”. Elivone Ramalho do Nascimento Santos “Por mais de duas semanas, fui diariamente ao pronto-socorro. Vivia tomando soro e injeção por causa da dor e da febre de 40 graus causadas pela chikungunya. Já que não podia andar, eu fui obrigada a me afastar do trabalho. O problema só foi resolvido quando usei minha fé em Jesus Cristo, não aceitando mais continuar vivendo com aquela enfermidade. Alcancei o milagre e estou curada e feliz. As dores sumiram, ando normalmente e voltei a trabalhar”. Elaine Mariana da Silva Lucena “Foram três meses sofrendo de dor nas pernas, nos braços, dedos e pés, sintomas do zika vírus. Não tive êxito nos tratamentos e, quanto mais repouso fazia, mais meu corpo doía. Não podia nem falar direito ao telefone, porque minhas mãos ficavam dormentes. Porém, essa doença, que parece maldição, não resistiu ao poder de Deus. Após determinar a minha cura, a dor no corpo desapareceu. Seguro o telefone sem problema, durmo bem e faço de tudo na minha casa”. Silvane Constantino dos Santos

[close]

p. 7

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 B3 Comemorou libertação das muletas com almoço Com dores que começavam no quadril e se estendiam até as pernas, Aurenice Viana precisou, durante muitos anos, desse apoio para andar MARCELO NEJM F icar em pé e andar sem muletas não era mais possível para Aurenice Viana Santos. Os problemas de locomoção começaram há 21 anos, após um acidente, e pioraram depois de ela ser atropelada, em 2012. “Sentia muitas dores. Elas começavam no quadril e se estendiam até as pernas. Queria cuidar da minha casa com mais zelo, mas era impossível, porque eu não tinha firmeza para andar. Fazia o que podia”. Sem poder contar com a ajuda dos filhos, que moravam longe, seus dias eram de sofrimento e limitações. Aurenice só encontrou a solução para seu problema quando clamou pelo socorro divino. Ao saber que o Missioná- rio estaria na Igreja da Graça da cidade na qual reside, ela não pensou duas vezes. Pegou um táxi e foi para o evento na certeza da vitória. “Recebi o que fui buscar. As dores sumiram, e não preciso mais das muletas para caminhar. Jesus me curou”, afirmou Aurenice, andando sem apoio ou limitação pelo altar, emocionando R. R. Soares e os participantes da reunião. Dias após ter recebido a bênção, ela disse à equipe de reportagem do Jornal Show da Fé estar bem e com muita disposição. “Estou feliz. Lavo roupa e limpo a minha casa como desejava. Comemorei minha cura e a libertação das muletas almoçando em um restaurante”. MARCELO NEJM Foram mais de cinco mil dias com dor Há dores na coluna que são passageiras, mas Maria da Conceição Santos de Souza enfrentou 15 anos de sofrimento. Às vezes, para males como esse, só um milagre. E isso aconteceu com Maria no culto do Missionário. “Havia dias em que eu andava me arrastando e me segurando nas paredes e no muro de tanta dor. Também mancava bastante e não aguentava ficar em pé por muito tempo”. As atividades na casa de Maria ficaram prejudicadas. “Não podia varrer nem passar pano no chão, porque a dor era insuportável. Sentia até febre e corria para o pronto-socorro para tomar remédio, mas não melhorava. Cheguei a ficar 20 dias de cama”. Ela revela que, no dia do culto, sentiu-se mal. “Parecia que a coluna estava mais inflamada. Só melhorou com a oração. Graças a Deus, não tenho sentido mais nada. Lavo a louça e a calçada e varro a casa sem dificuldade alguma”. Não precisa mais conviver com o sofrimento Maria Alice Nascimento da Silva padecia de um desvio na coluna havia dez anos. “Mesmo tomando vários medicamentos, a dor persistia. Eu não podia pegar peso nem cuidar da casa direito. Também não dormia bem, por ser difícil encontrar posição na cama”. Disposta a se livrar do mal de uma vez por todas, Maria Alice compareceu à reunião do fundador da Igreja da Graça, usou a fé e saiu curada. “O médico falou que eu teria de conviver com o problema. Porém, MARCELO NEJM confiei em Jesus, e a dor sumiu completamente. Agora, limpo a minha casa e tenho um sono tranquilo”. Volte correndo aos pés de Cristo e peça perdão a Ele.

[close]

p. 8

B4 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 Cachorros voltaram a tomar banho Ultimamente, os animais viviam sujos e maltratados, porque a dona deles, Maria Deusa, tinha um sério problema na coluna MARCELO NEJM M aria Deusa Pereira cresceu trabalhando na roça com o pai. “Devido ao esforço que fazia, minha coluna começou a doer. No início, eu tomava um analgésico, e o sintoma passava. Com o tempo, a dor se intensificou e só melhorava quando eu ia ao hospital tomar remédios fortes. Vivi assim por dez anos”. De acordo com Maria, a coluna doía tanto que a impedia de ficar em pé e andar. “O problema deixava minhas pernas sem firmeza e caí várias vezes por causa disso. Em uma dessas quedas, quebrei a mão. Também não podia limpar direito a casa. A minha filha, que me ajudava, mudou-se para longe, e passei a fazer tudo sozinha e com bastante dificuldade”. Os cachorros de Maria também sofriam em razão da enfermidade dela. “Quando eu estava bem, tinha o maior zelo por eles, mas, ultimamente, meus bichinhos viviam sujos e maltratados. Isso me entristecia”, relata ela, que encontrou a solução no culto do Missionário R. R. Soares. “Tinha convicção de que seria curada. Falei com Jesus que precisava ser abençoada, e Ele me ouviu. Minha coluna parou de doer, tenho firmeza nas pernas para caminhar, limpo a casa, varro o quintal, que é enorme, e cuido dos meus cachorros, que ficaram sem tomar banho por muito tempo”. MARCELO NEJM Curada de todas as enfermidades MARCOS COUTO Pegar a filha no colo é uma grande alegria A condutora escolar Angela Maria Viana gosta da atividade que exerce. Porém, o fato de passar longas horas dirigindo custou a ela um preço caro. Há cerca de três meses, começou a sentir dor na perna direita. “Quase não aguentava mais trabalhar, descer, subir e transportar as crianças devido à dor que sentia no nervo ciático”. Saltar do carro se transformou também em uma luta para ela, assim como dormir. Angela passou a clamar nos cultos da Igreja da Graça e, todo dia, repreendia aquele mal assistindo ao Show da Fé pela televisão. “Não aceitava aquilo. Como a Bíblia diz em Isaías 53, Cristo levou sobre Si as nossas dores”. E foi assim que ela recebeu a vitória. O que a condutora não esperava era que, após ser curada da crise no ciático, outro problema surgisse e acometesse seu braço direito. Angela ficou o último mês sem conseguir levantá-lo e fazer movimentos simples. Já a dor no ombro era quase insuportável. “Continuei repreendendo a enfermidade em Nome de Jesus e, ao participar do culto do Missionário, senti que seria curada, e o Senhor me abençoou mais uma vez”. Já posso levantar e mexer o braço. Todos os problemas ficaram no passado. Estou curada!”. A anestesia que usaram em Ricardo Jerônimo da Silva, quando ele se submeteu a uma cirurgia, deixou sequelas. “Sentia bastante dor na coluna, como se alguém estivesse me furando com a ponta de uma faca. Muitas vezes, a crise era tão forte que eu não conseguia andar. Era complicado trabalhar nessa situação”. Segundo ele, os três medicamentos que tomava por dia não faziam efeito. “Os médicos diziam que eu tinha de conviver com aquele mal, o qual já durava 13 anos e me causava tristezas profundas. Uma delas era não poder pegar minha filha de um ano e meio no colo”. Cansado de sofrer, Ricardo tomou uma decisão. “Queria ficar livre daquela dor. Como sabia que só Jesus poderia operar esse milagre na minha vida, recorri a Ele e fui abençoado. Minha coluna parou de doer. Já posso trabalhar tranquilamente, pegar minha filha no colo e também brincar com ela. Estou muito feliz”.

[close]

p. 9

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 MARCELO NEJM B5 Parece uma boneca de mola MARCELO NEJM MARCELO NEJM MARCELO NEJM A o passar a mão na coluna de Teresa Maria da Silva, era possível perceber que os ossos estavam trincados. Após uma queda da escada, Teresa ficou com a região machucada e com reflexo nas pernas. “O médico falou que minhas pernas poderiam ficar paralisadas. Quando eu andava, elas ficavam dormentes, como se estivessem anes- tesiadas. Por isso, eu mancava”. De acordo com Teresa, a dor na coluna era tão forte que atingia sua cabeça. “Foram mais de cinco anos assim. Eu ficava impossibilitada de trabalhar e de pegar algo pesado por causa da dor. Finalmente, minha bênção chegou”, afirma Teresa, referindo-se ao dia em que participou da reunião do Missionário da qual saiu curada. No altar, contando o milagre, ela parecia uma boneca de mola, mexendo-se para todos os lados, o que deixou o Missionário emocionado. “Ela se tornou uma garota, pessoal! Glória a Deus. Vai, garotinha de Jesus”, disse-lhe o líder da Igreja da Graça ao despedir-se após seu relato. “Hoje, corro para lá e para cá sem dificuldade. O toque de Deus me curou”. MARCELO NEJM satisfeitos, eles poderão parar de se alimentar um pouco, que tenham Não faltam capacidade, poderaté e disposição a digerido –para entendido o favor que lhes Deus operar – em dos foi entregue. oprimidos e enfermos. Porém, Ele está escrito que é impossível agradar-Lhe Quando você tiver entendido sem fé – abrir o caminho o recado, pare de procurarpara por as Suas operações. alimento e passe a usar o que já lhe foi dado. Então, ao A fé não de é um esforço mental, precisar mais comida e sim a certeza de que espiritual – revelação do possuímos o que a Palavra que está escrito –, poderá declara. Com a fé, você pode voltar mesa sagrada orar e à ser atendido. É preciso edar se ouvidos alimentar quanto ao o que o Pai diz necessitar. para a fé surgir em seu coração. Amém? preso pela Sua Palavra, pois está Ao buscar Senhor, o faça aos pelo Deus dáodo santonão alimento que as pessoas dizem a respeito Seus sem limites. Ao se sentirem dEle, mas de acordo com as Escrituras. Felicidade por pegar a neta no colo De tanto trabalhar sentada, Maria Veronica Alves da Silva ficou com a coluna prejudicada. “Exerci a profissão de anos. O problema limitava as atividades do dia a dia e tirava de mim a alegria de segurar minha neta de quase um ano no colo”. Maria Veronica, no entanto, alcançou em Jesus a cura e, hoje, tem nova vida ao lado da família. “É como se a minha coluna tivesse voltado para o lugar. Não senti mais dores, ando sem dificuldade e aguento pegar a minha netinha no colo”, diz ela, que experimentou o poder de Deus. Não senti mais dores manicure por dez anos e isso me causou dores horríveis da espinha ao quadril por mais de 30 Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados (Isaías 53.5).

[close]

p. 10

B6 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 MARCELO NEJM Ela usou nova arma para se livrar da fibromialgia e da lombalgia Vanda Maria sofreu dessas enfermidades, que não a deixavam se locomover direito, por mais de 20 anos “A enfermidade ou o problema vem como o ladrão e, quando nós percebemos, já levou tudo: a nossa paz, alegria, família e o nosso dinheiro. Você tem de estar espiritualmente preparado para atacá-los, como uma mulher ou um homem armados. Porém, a arma que usará é a sua fé em Jesus, porque Ele destrói qualquer doença ou problema”. Vanda Maria de Almeida Sousa participou da reu- nião na qual o Missionário R. R. Soares fez essa afirmação. Depois de sofrer de fibromialgia e lombalgia por mais de 20 anos, Vanda usou a fé como arma para aniquilar as enfermidades e teve a saúde restaurada. “Eu já tinha feito vários tratamentos com diversos médicos, mas não melhorava. Meu esposo e meu filho me ajudavam a cuidar da casa porque eu não tinha condição de fazer tudo sozinha. Às vezes, faltava-me força para abrir a torneira”. Por causa dos problemas, Vanda não conseguia mais trabalhar. “Minhas mãos, pernas e meus pés inchavam, e minhas articulações pareciam estar enferrujadas. Era triste não poder me movimentar normalmente. Ficava mais deitada do que em pé. A mudança na minha vida após o evento é visível. Curada, limpo a casa sozinha, saio e pego ônibus sem dor ou dificuldade. Realmente, estou vivendo uma vida nova graças a Jesus”. MARCELO BARBOSA Parecia ter espinhos nas costas Foi acreditando nas promessas de cura descritas nas Escrituras Sagradas que Teozanira Leite Gondin clamou ao Senhor e alcançou a cura das fortes dores nas costas. “O problema apareceu na minha primeira gravidez. MARCELO NEJM Corpo ficava travado Maria Silva de Jesus recebeu uma grande bênção do Senhor ao participar do encontro de fé com o fundador da Igreja da Graça. “Eu estava com uma dor tão forte no joelho direito que todo o meu corpo travava. Ficava dura mesmo; não conseguia andar nem me mexer”. Durante o evento, que aconteceu ao ar livre, a dor se intensificou porque Maria ficou o tempo todo em pé. “O Sol também estava forte e me incomodava bastante. ‘Segurei firme nas mãos de Deus’, confiei e recebi a bênção”. Quando saiu do encontro, Maria revela que ainda sentia dor. “No momento em que me sentei no ônibus de volta para casa, o mal sumiu completamente. Desde então, não tive mais dificuldade para andar. Agradeço a Jesus por esse milagre”. Ficava muito impaciente Fiz várias sessões de fisioterapia, no entanto eu não ficava curada. Além disso, caso pegasse um pouco de peso, a crise retornava. Era como se tivessem espinhos nas costas, impedindo que eu me movimentasse”. A ajuda para limpar a casa vinha da filha. “Ficava muito impaciente por não poder auxiliá-la. Depois que Jesus restituiu a minha saúde, pego peso e limpo tudo. Estou até praticando exercícios. Levo minha vida normalmente, como se nunca tivesse sofrido de mal algum nas costas”. Venha receber a sua bênção IIGD POMPANO BEACH – 1261 East Sample Road Pompano Beach, FL 33064 – Igreja: (954) 785-3699 Pr. Willian Sodré – pompano@iigdusa.com ENTRADA GRÁTIS Missionário R. R. Soares Reuniões: segundas, quartas e sextas-feiras – 7:30pm Domingos – 10am e 7pm

[close]

p. 11

SHOWda FÉ JUNHO DE 2016 B7 CAMPANHAS DE FÉ LANÇA O TEU CUIDADO SOBRE O SENHOR, E ELE TE SUSTERÁ; NUNCA PERMITIRÁ QUE O JUSTO SEJA ABALADO (Salmo 55.22). Nódulo foi diminuindo até desaparecer Missionário R. R. Soares Há uma razão pela qual Deus fez Jesus ser o Todo-Poderoso. Ele teve de descer ao Inferno e vencer Satanás e os demônios, despindo-os da autoridade que haviam roubado do homem. Com tal poder, o tentador fustigava as pessoas, colocando nelas os mais terríveis males. Deus fez isso pensando em mim e em você – na verdade, em todas as pessoas –, fazendo cair sobre Cristo todo sofrimento que existe ou existirá. Por isso, temos de anunciar a todos o Evangelho – a Boa Notícia do Reino de Deus –, pois, quando as pessoas ouvem a Palavra e creem nela, são libertas. Isso agrada ao Senhor! A MARCOS COUTO revelação de R. R. Soares foi clara: Deus ia fazer um nódulo sumir durante aquela oração. No entanto, Dalba Micheli Vera Amarilla Ghidetti, 35 anos, não sabia que o Espírito Santo movia o Missionário para falar sobre o seu caso. Aos dez anos, em uma brincadeira com os primos, ela sofreu uma queda e machucou a coluna cervical. Aos 20, começaram as dores no pescoço. E, daquele momento em diante, os problemas só pioraram. “Aquele mal se tornou crônico. Todos os dias, doía, limitando alguns movimentos. Uma ressonância diagnosticou desvio na coluna, compressão das vértebras e degeneração. O nódulo era semelhante a uma pequena bola, e ficava bem aparente em meu pescoço”. Ao lado do filho Mateus, 6, Dalba conta como ficou surpresa com o calor que sentiu no pescoço durante o clamor. “Ao passar a mão na região do nódulo, senti que ele estava diminuindo”. Mesmo assim, ela não contou a bênção imediatamente. “Ele foi regredindo até desaparecer completamente. Nesse instante, percebi que estava totalmente curada e contei o milagre. As dores e limitações também sumiram. Jesus me sarou”. Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas (Atos 1.8a – ARA). Leia também “Não tinha prazer de viver” Página B8 Cirurgia deixou braço duro Página B9 Recuperaram a visão e a alegria Página B10

[close]

p. 12

B8 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 Um dia para ser lembrado “V ocê pode estar com o braço aleijado há 50 anos, mas, se acreditar, Deus opera o milagre na sua vida. O Senhor concede saúde a seu corpo doente, visão a seus olhos cegos, audição a seus ouvidos surdos e abre portas para quem sempre as encontrou fechadas”. Essa foi uma das mensagens do Missionário R. R. Soares nos cultos que realiza. Milhares de pessoas que ouviram essa afirmação colocaram a fé em prática, confiaram em Jesus e foram curadas. Um dia de bastante alegria e que jamais será esquecido, conforme veremos a seguir. MARCELO NEJM “Não tinha prazer de viver” Aldaísa de Oliveira Silva foi surpreendida por seu marido e seu filho. Sem que ela soubesse, eles a levaram para participar do culto de R. R. Soares, pois acreditavam que ela seria curada de tendinite e bursite nos braços, enfermidades que não a deixavam ter uma vida normal havia cinco anos. “Quando saímos, pensei que fôssemos buscar um cachorro para nossa chácara. Só estranhei a demora para chegar ao local onde o animal estava. Porém, não desconfiei dessa maravilha que eles prepararam para mim”. Quando chegaram à Igreja da Graça, Aldaísa, que sempre assiste ao Show da Fé e vê centenas de pessoas serem curadas pelo poder de Deus, ficou bastante feliz e acreditou que aquele era o dia da sua libertação. “Um especialista havia dito que não havia cura para o meu caso. Sentia muita dor e só melhorava quando tomava injeção, mas eu só podia tomá-la com intervalos de 90 dias, e o alívio durava apenas um mês”. Ela relata que seu cotidiano era um transtorno. “Eu tinha dificuldades para pentear o cabelo e me vestir. Havia dias em que não aguentava mexer os braços”, afirma ela, que precisava da ajuda do marido para limpar a casa. A surpresa feita pelo filho e o esposo mudou a vida de Aldaísa. A data será lembrada para sempre como o dia em que Jesus a libertou das dores e devolveu sua alegria. “Meu problema era sério, mas não para o Senhor. Às vezes, não tinha prazer de viver, pois sofria demais. Depois daquele culto, retornei feliz para casa. Sou outra pessoa. Ergo os braços, faço vários movimentos e me visto normalmente. Pentear o cabelo também não é mais problema”. “Quando temos fé, conseguimos tudo” A mensagem do fundador da Igreja da Graça fortaleceu ainda mais a fé de Jucilei Jargenboski, que padeceu, por sete meses, de fortes dores no braço direito. “Era uma dor por dentro do osso, o qual parecia estar infeccionado. Ela começou fraquinha e foi aumentando”. Jucilei não conseguia trabalhar direito, porque tinha dificuldade para mexer o braço, principalmente erguê-lo. “Trabalho com limpeza, e era complicado passar pano no chão e na parede. Cuidar da minha casa também era uma tarefa árdua”. Foi a irmã dela que a convidou para a reunião. “Estava a caminho do ortopedista quando ela me chamou para ir à Igreja. Fui, usei minha fé, e a dor sumiu. Não foi mágica, foi milagre de Deus. Quando temos fé, conseguimos tudo”, testemunha ela, que, agora, trabalha sem dor. MARCELO NEJM “Acabaram as limitações” Aos três anos de idade, após tomar uma vacina, Vivian Araújo Alberto ficou com o braço esquerdo praticamente paralisado. O problema, que a acompanhou até a fase adulta, a impedia de usar computador e pegar objetos, tendo em vista que sua mão vivia trêmula e dolorida. “Fazia tudo com a mão direita. Para me levantar, precisava de ajuda e não pegava peso. Cozinhar era outro sacrifício”. Ela também não conseguia mais pentear os cabelos por causa das dores e resolveu clamar ao Senhor por sua cura, sendo atendida. “Acabaram as limitações. Movimento o braço normalmente, e a mão parou de tremer e de doer”. MARCELO NEJM

[close]

p. 13

SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 MARCELO NEJM B9 “V Pela bênção, vale até mudar de nome Para chegar à reunião, ela precisou viajar por cinco horas e sentindo muita dor. “Valeu a pena o sacrifício, pois meu sofrimento, que começou após uma oltei para casa curada e contente. Já fui ao mercado de carro, e pude passar todas as marchas no veículo. Também carreguei sacolas pesadas sem dor alguma”. Essa é a declaração que Dorzina José de Carvalho concedeu à equipe de reportagem do Jornal Show da Fé dias depois de ser abençoada na reunião de R. R. Soares. Na ocasião, após ouvi-la contar seu testemunho, o Missionário sugeriu que ela mudasse de nome. “Agora, você pode ser chamada de ‘Saúdina’, e não Dorzina”. Saía toda despenteada cirurgia no ombro, acabou. Meu braço direito ficou duro depois da operação. Embora tenha feito mais de 200 sessões de fisioterapia, não recuperei todos os movimentos”. Ela também não conseguia fechar totalmente a mão nem pegar os objetos corretamente. “Dirigir era outro problema, pois tinha muita dificuldade para passar as marchas. Para pentear os cabelos, necessitava da ajuda de minha filha. Precisava ir à casa dela, que ficava em outra rua. Saía toda despenteada. Era deprimente”. Já a limpeza da casa ficava por conta de seu filho. “Ele também lavava a roupa suja. Agora, nem ele nem a irmã precisam me ajudar, porque estou curada, graças a Deus. Faço tudo o que não podia”. MARCELO NEJM Com o vigor de um menino Luiz Medeiros Mendes sofreu de pressão arterial alta por 30 anos. “Os remédios sempre controlaram a enfermidade, mas, nos últimos meses, já não faziam efeito. A pressão ficava muito alta, e eu desmaiava constantemente. Tomava seis comprimidos por dia, fazia dieta, mas nada adiantava”. Devido à hipertensão, ele, que é vaqueiro, parou de trabalhar. “Queria muito voltar a cuidar das minhas vacas, mas não podia. Se me abaixasse, mexesse com os ombros ou erguesse os braços, ficava tonto”. Não aceitando aquele quadro, Luiz buscou em Jesus a solução e a encontrou. “O Senhor me abençoou, e minha pressão arterial está normal. Hoje, caminho seis quilômetros diariamente e não sinto nenhum mal-estar. Também voltei ao trabalho, no qual ordenho as vacas e carrego balaios de capim que pesam 20 quilos. Estou com o vigor de um menino de dez anos”. Pronto para voltar ao trabalho MARCELO NEJM Quem não assume a palavra que lhe foi dada mente diante de Deus. Vicente Luiz Duarte trabalhava em uma chácara capinando até que sentiu seu braço esquerdo travar. “Além disso, passou a doer bastante. Não podia movimentá-lo, erguê-lo nem trabalhar naquela situação. Fiquei afastado por uma semana”. Enquanto tentava se recuperar, ele viu a chamada para o culto e decidiu participar do encontro. “Foi difícil chegar à reunião, mas Jesus me recompensou com a cura. A dor passou milagrosamente, e posso movimentar o braço sem dificuldade. Estou pronto para voltar ao trabalho”.

[close]

p. 14

B10 SHOWda FÉ ANO 3 - Nº 29 - USA - Junho de 2016 MARCELO NEJM Recuperou a visão e a alegria Claudia Santos Marcos Couto claudia.jornalshowdafe@gmail.com marcosstefano@gmail.com “E u não enxergava quase nada com o olho esquerdo. Sentia como se tivesse uma cicatriz, ou algo parecido, dentro dele que impedia a minha visão. Ouvi do médico que não havia cura para meu problema. Andava na rua com cuidado, pois caí várias vezes por não ver onde pisava”. Essa declaração de Claudia Gonçalves Costa mostra bem o drama que ela enfrentou por quatro anos. A dificuldade a fazia forçar a vista na hora de ler ou assistir à televisão. “O olho ficava lacrimejando. Pegar ônibus era outro problema para mim e, para piorar, minhas pernas estavam bastante doloridas ultimamente”. Em busca de um milagre, Claudia viajou três horas para participar do culto com R. R. Soares. “Cheguei cedo, arrumei um bom lugar, participei do culto atentamente, e Jesus me curou. Enxergo tudo: leio, vejo televisão e ando na rua naturalmente. Minhas pernas também não doem mais. Estou muito feliz”. MARCELO NEJM Em breve, ela ficaria cega MARCOS COUTO Quando sentiu a vista turva, Ceres Ferraz Teles procurou imediatamente um especialista, e o diagnóstico não foi bom. “Ele disse que o problema era grave e que, em breve, eu perderia totalmente a visão. No entanto, não aceitei aquela sentença e passei a clamar a Jesus por minha cura”. O Senhor respondeu à oração de Ceres durante o culto realizado por R. R. Soares, no qual ela foi sarada. “Sou costureira, e era bastante complicado trabalhar com a visão limita- Movimentando o braço como uma menina Vanderlita de Sousa Rolim enfrentou problemas de tendinite no antebraço direito, pela primeira vez, há dez anos, mas superou todas as adversidades. No entanto, nada que se comparasse com o mal que a acometeu há mais de três meses. “Ficava impossibilitada de dormir de lado, da. Ficava triste com meu estado, no entanto confiei em Jesus e alcancei o milagre que fui buscar”, afirma Ceres, que, agora, coloca linha na agulha e faz arremates nas roupas sem a menor dificuldade. colocar minha bolsa no ombro eram atividades complicadas. Dependia da minha filha para limpar a casa”. Os tratamentos não davam o resultado esperado, e Luzia não conseguia dormir por causa da dor. “Jesus me curou e mudou a minha história. Cuido das roupas de casa e até esfrego o chão. Meu ombro não dói mais quando uso bolsa e durmo bem”. pois acordava com dores horríveis. Pentear o cabelo ou levantar o braço também era impossível”. O fim do sofrimento só aconteceu quando Vanderlita participou do culto do Missionário R. R. Soares e, com fé, determinou sua cura, retornando para casa com a vitória. “Quando ele mandou levantar os braços e bater palmas, comecei a fazer esses movimentos sem parar e como uma menina”. Quatro anos com dores no estômago Tudo o que Cleide Vieira do Carmo comia a fazia passar mal. Devido às fortes dores, parecia que algo rasgava seu estômago. Nos últimos quatro anos, ela suportou cotidianamente esse drama. “Aquele sintoma me assombrava, e os exames não revelavam nada”. No dia em que foi ao culto de R. R. Soares clamar por sua cura, a crise estava tão forte que Cleide não conseguia ficar em pé. Mesmo assim, manteve-se firme na confiança e na fé. E não saiu do encontro decepcionada. “Enquanto o Missionário orava, senti meu peito queimar. Nesse momento, as dores e o desconforto no estômago sumiram”. MARCOS COUTO “Jesus mudou a minha história” Luzia Alves de Souza sentia dor no braço esquerdo devido a um acidente que sofreu há um ano. “O médico falou que essa sensação passaria logo, pois se tratava apenas de uma luxação. O tempo passou, e o sintoma piorou. Estender roupas no varal, carregar sacolas ou Venha receber a sua bênção IIGD BOSTON – 85 Washington Street Somerville, MA 02143 Igreja: (617) 996 9194 Pr. Glauber Morare – somerville@iigdusa.com Segundas, quartas, quintas e sextas-feiras – 8pm Domingos – 10am e 7pm MISSIONÁRIO R. R. SOARES ENTRADA GRÁTIS

[close]

p. 15

LIBERTAÇÃO E JESUS, VENDO A FÉ DELES, DISSE AO PARALÍTICO: FILHO, TEM BOM ÂNIMO; PERDOADOS TE SÃO OS TEUS PECADOS (Mateus 9.2). Missionário R. R. Soares SHOWda FÉ JUNHO DE 2016 B11 Missionário R. R. Soares Jogos, drogas, bebida, miséria e superação Mônica Ferreira MARCELO NEJM monica.jornalshowdafe@gmail.com A Os que conhecem e utilizam o amor de Deus conseguem um entendimento a respeito de quem Ele é. Pode-se dizer que foram cheios da plenitude do Pai. Esse deve ser o seu alvo. Por que tatear no escuro, tentando alcançar o Altíssimo, se é possível encontrá-Lo e rece­bê-Lo na extensão que Ele sabe que podemos suportar? os sete anos de idade, Francisco de Assis Cunha Martins, assim como várias crianças, gostava de video game. Como não podia ter um, pagava por algumas horas nos fliperamas, máquinas de jogos eletrônicos famosas na década de 1980. O problema começou no momento em que Francisco passou a faltar à aula para jogar. “Isso afetou meu rendimento escolar e, quando percebi, estava viciado em jogos. Aos dez anos, eu já tinha repetido a 5ª série do Ensino Fundamental [atual 6º ano] três vezes”. Foi nesse período que Francisco se envolveu com uma quadrilha que praticava roubo e com um grupo de pichadores. “Eu ganhei um apelido, Chiquinho, e comecei a furtar também. Em casa, roubava coisas para vender e sustentar o vício em fliperamas. Certa vez, eu e alguns outros meninos fomos levados para a delegacia, na qual permanecemos por algumas horas. Como era menor de idade, minha mãe foi me buscar”. Algum tempo depois, a mãe dele, portadora do vírus HIV, faleceu. Francisco teve de trabalhar para se sustentar. “Foi muito difícil, apesar de já estar com 19 anos. Tornei-me vendedor ambulante”, relata ele, que não sabia, mas o pior estava por vir: ele reencontrou a turma de infância que o apresentou às drogas. “Deixei que um amigo usasse entorpecentes na minha casa e experimentei o crack, droga na qual me viciei. Eu andava para cima e para baixo com todo tipo de gente e frequentava boates. Estava sempre entre prostitutas, assaltantes e traficantes. Meus finais de semana eram de bebedeira”. Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar (1 Coríntios 10.13). Da queda para uma nova vida Francisco estava se afundando cada vez mais. “Em menos de dois anos, perdi tudo e virei mendigo. Sem família e amigos, fui morar em um albergue da prefeitura. Foi bastante complicado para mim, até que recebi a ajuda de um familiar e de um amigo de muitos anos”.  Era o início de uma nova chance, mas Francisco ainda não conseguia largar o crack. “Bebia e fumava todos os dias e continuava a fazer coisas erradas, como vender mercadorias roubadas, emitir notas falsas, mentir, praticar estelionato, ir à boate”.  Não aguentando mais essa vida, ele resolveu morar com o pai. “Nessa época, montei uma banca de doces e, ao meu lado, havia um outro comerciante que passou a me evangelizar. Deus estava trabalhando na minha vida. Comecei a assistir ao Show da Fé e senti o desejo de ir à Igreja da Graça”. Não demorou muito para ele se entregar a Jesus. “Fui liberto de tudo. Estou livre do crack há 14 anos”. 

[close]

Comments

no comments yet