Relatório Anual 2015

 

Embed or link this publication

Description

controversas

Popular Pages


p. 1



[close]

p. 2

SUMÁRIO Ano de 2015 SUMÁRIO EXPEDIENTE________________________________________________ 03 EDITORIAL___________________________________________________04 APRESENTAÇÃO_____________________________________________ 05 PRINCÍPIOS DA CVM___________________________________________06 FINALIDADES ESTATUÁRIAS____________________________________ 07 ORIGEM DOS RECURSOS______________________________________ 08 INSTRUMENTOS DE CONTROLE________________________________ 09 RECURSOS HUMANOS 2015 ___________________________________ 10 ABRANGÊNCIA TERRITORIAL___________________________________ 11 INFRA ESTRUTURA____________________________________ 12/13/14/15 ATENDIMENTOS EM 2015_____________________________________ 16 CONTROLE DE MATRICULAS DE 2015____________________________ 17 PRINCIPAIS ATIVIDADES DA CVM EM 2015_________________________18 ATIVIDADES DA INSTITUIÇÃIO___________________________________19 EDUCAÇÃO INFANTIL_________ ____________________________20/21/22 COMUNIDADE TERAPÊUTICA______ ______________________23/24/25/26 SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULO_______27 INCLUSÃO PRODUTIVA_________________________________________28 ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL_____________________________29/30/31 CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL__________________ 32 FORMATURA DO CEI 2015_______________________________________33 CVM RUMO AOS 40 ANOS_______________________________________34 FESTA DE FINAL DE ANO NA CVM________________________________ 35 RECONHECIMENTO_____ ______________________________________ 36 BALANÇO FINANCEIRO 2015 ____________________________________37 ORIGEM E FONTE DE RECURSOS_______________________________ 38 BALANÇO FINANCEIRO_____________________39/40/41/42/43/44/45/46/47 02

[close]

p. 3

EXPEDIENTE Ano de 2015 EXPEDIENTE DIRETORIA: Presidente: Fernando da Costa Vice-Presidente: Geny Lúcia Feijó Pereira 1ª Secretaria: Sônia da Silva dos Santos 2ª Secretário: Jorge Bussolo Nunes 1º Tesoureiro: Oriovaldo Luiz Pereira 2º Tesoureiro: Sérgio Costa Pacheco CONSELHO FISCAL: Titulares: Bruno Pacheco Dilma Carvalho Zaia Natacha Feijó Pereira Suplentes: Maria Goreti de Farias CONSELHO CONSULTIVO: Rubens Feijó José Saturnino da Costa Pastor Alessandro F. Delgado Pastor Mário C. Fernandes Pastor Jossemar S. de Oliveira Pastor Antônio D. Martins Neto Luiz Gustavo Pereira Diogo Rodrigues Feijó COORDENAÇÃO EXECUTIVA: Gerência Executiva Geral: Artur Feijó Netto Administrador - CRA 2456 PRODUÇÃO EDITORIAL Redação: Artur Feijó Netto Roberto Tadeu Proença Estadual: Lei Nº 5.611 de Editoração e Revisão: 06/11/1979 Giselle Maria Mendonça Ribeiro Municipal São José: Lei Nº Impressão: 1.254 de 20/11/1979 CVM Municipal Biguaçu: Lei Nº 1.104 Edição On Line: www.cvm.org.br de 23/10/1996 Edição impressa: 50 Municipal Palhoça: Lei Nº 2.165 exemplares de 14/04/1992 Registro no Conselho Nacional de Assistência Social Nº 209.871/81 Certificado de Entidade Benef. de Assist. Social Processo Nº 71010.001734/2007-10 Renovação 2010/13 e 2013/16 Processo Nº 71000.095116/2010 UTILIDADE PÚBLICA: Federal: Lei Nº 89.057 de 24/11/1983 ENDEREÇOS DADOS DA INSTITUIÇÃO MANTENEDORA SEDE DA CVM Rua Otto Julio Malina, 1306 Bairro Ipiranga - São José -SC Cep: 88111-500 Fone: 48-3357-9400 Fax: 48-3357-9410 email: cvm@floripa.com.br Home page: www.cvm.org.br Facebook/CVM - Vinde a Mim as Criancinhas Twitter: @CVMVindeaMim CAS - CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIAL “JANDIRA JOVITA DA ROSA” Rua Emílio Macedo, esquina com Rua Otto Julio Malina -Bairro Ipiranga São José - SCCOMUNIDADE TERAPÊUTICA “DONA GENY JULIA FEIJÓ” Estrada Geral da Estiva, S/N Tijuquinhas- Biguaçu - SC CVM - Creche e Orfanato Vinde a Mim as Criancinhas -CNPJ: 83.813.139/0001-81 -CNAS: 209.871/81 -CEBAS:71000.095116/2010 -CMAS: 002 Gerência Exec. Administrativa: -CMDCA: 004 -Área de Abrangência: Roberto Tadeu Proença Estadual Gerência Téc. e Rec.Humanos: Giovana Feijó Psicóloga - CRP 1205503 EQUIPE DE APOIO: Geny Julia Feijó DADOS DA INSTITUIÇÃO FUNDAÇÃO Izaíane Latrônico Motta Giselle Maria Mendonça Ribeiro 1º de Novembro Sara Amy de Oliveira 03

[close]

p. 4

EDITORIAL Ano de 2015 EDITORIAL O Brasil atravessa um momento muito difícil, inflação, crise em todas as áreas enfim, não faltam motivos para desanimarmos; mas nós da CVM acreditamos que é tempo de desafios, tempo de permanecermos firmes, sendo fiéis e acreditando no propósito o qual nos comprometemos de ajudar crianças, adolescentes e famílias, tendo a certeza de que Deus é conosco. Somos gratos a Deus pela fidelidade e amor aos necessitados. Aproveitamos para agradecer a todos vocês: amigos, mantenedores, parceiros e voluntários. O vosso apoio e fidelidade em 2015 foram fundamentais para este ministério que cuida e continuará cuidando de crianças, adolescentes e adultos com dificuldades e necessidades. Foram vocês que nos incentivaram a continuar a apoiar os mais carentes, tendo sempre a certeza de que não estávamos sozinhos nesta caminhada, contando com seu apoio na retaguarda. A CVM através deste Balanço Social e Financeiro apresenta a importância deste trabalho na vida de milhares de pessoas que são atendidas, mostra também os projetos desenvolvidos e os recursos despendidos. Continuamos a ser a única ONG de São José auditada por Auditoria Externa Independente, visando demonstrar a transparência de suas realizações. Finalmente, gostaríamos de convidá-lo(a) a conhecer pessoalmente a dimensão deste trabalho através do Balanço Social e Financeiro 2015. “Até aqui nos ajudou o Senhor”. Fernando da Costa Presidente Voluntário 04

[close]

p. 5

APRESENTAÇÃO Ano de 2015 APRESENTAÇÃO A CVM – mais conhecida como Creche Vinde a Mim as Criancinhas, é uma entidade sem fins lucrativos, registrada no CNAS Conselho Nacional de Assistência Social, detentora do CEBAS, Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social e reconhecida de utilidade pública nas esferas federal, estadual e municipal em São José, Biguaçu e Palhoça. Com sua sede na cidade de São José, a 12 Km de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, é uma importante obra social que foi fundada por Jandira Jovita da Rosa e Geny Júlia Feijó. A entidade desenvolveu ainda várias ações sociais, organizadas em forma de programas, projetos e serviços socioassistenciais. - CAS - CVM (Centro de Atendimento Social), que operacionalizou o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo para crianças, Escola de Família (serviço de orientação e apoio sócio familiar), Inclusão Produtiva: Inclusão digital e Curso de Panificação. Foto Aérea da Sede Foto CAS - Centro de Atendimento Social - CT - CVM (Comunidade Terapêutica para Dependentes Químicos ‘‘Dona Geny Júlia Feijó’’); Em Biguaçu, distante 32 km da sede da entidade, está localizada a Comunidade Terapêutica, que terá suas atividades reativadas em março de 2016. Sendo que foram renovados todos os alvarás e licenças (bombeiro, prefeitura e vigilância sanitária), com validade para final de 2016. Foto Aérea da Comunidade Terapêutica - CEI - CVM (Centro Educacional Infantil Criança Feliz); Atendeu 412 crianças de 12 a 5 anos. Sendo que ao longo de 37 anos foram atendidas mais de 12 mil crianças. Crianças CEI CVM 05

[close]

p. 6

PRINCÍPIOS DA CVM Ano de 2015 PRINCÍPIOS DA CVM Visando a evangelização de crianças, adolescentes e adultos, acreditamos que a verdadeira transformação vem através do temor, compreensão, respeito e acima de tudo vivência com os ensinamentos do Ser Supremo do Universo, o Senhor Todo Poderoso El Shaddai, o único e verdadeiro Deus, que enviou o seu filho por amor a todos os homens, mulheres e crianças. A CVM fundada há quase quatro décadas, atendendo a vontade do Senhor Jesus, tem como princípio maior “ensinar a criança no caminho em que deve andar; pois ainda quando for velho não se desviará dele”, Provérbios 22:6. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA DE QUALIDADE MISSÃO Socializar o atendimento de qualidade à população de baixo poder aquisitivo, na busca de soluções para os problemas das crianças, adolescentes e adultos excluídos, visando à formação de mulheres e homens críticos e responsáveis, promovendo valores, rompendo paradigmas e evangelizando-os nos ensinamentos de Jesus. VISÃO Ser referência na área social, buscando aprimoramento contínuo e inovando pelas ações. VALORES - Ética; - Transparência; - Credibilidade; - Competência; - Integridade; - Seriedade; - Respeito às diferenças; - Temor a Deus. POLÍTICA DE QUALIDADE Os resultados dos serviços prestados, a valorização da equipe de trabalho, o cuidado de vidas com profissionalismo, a organização e a responsabilidade, visando o cumprimento do papel social e a busca da excelência nas atividades desenvolvidas. OBJETIVOS GERAL Fornecer atendimento assistencial, psicológico e educacional às crianças, adolescentes e adultos, bem como aos seus familiares, que resulte para estes uma melhor qualidade de vida. ESPECÍFICOS Desenvolver e executar um planejamento pedagógico e psicológico que estimule a reflexão, autonomia, exercício da cidadania e consciência da realidade do público alvo atendido. Suprir as crianças, adolescentes e adultos em suas necessidades físicas e emocionais, como: alimentação, higiene, solidariedade, atenção, simpatia, amabilidade, estimulação psicomotora e outros; Criar estratégias de ensino que sejam capazes de respeitar cada usuário nas suas dificuldades, explorando suas potencialidades; Criar oportunidades aos familiares para expor e discutir suas idéias, dificuldades e anseios a respeito de seus entes queridos. 06

[close]

p. 7

FINALIDADES ESTATUTÁRIAS Ano de 2015 FINALIDADES ESTATUTÁRIAS A CRECHE VINDE A MIM AS CRIANCINHAS - CVM – pessoa jurídica de direito privado, sob a forma de associação, é uma entidade sem fins lucrativos e com finalidade assistencial e objetivos filantrópicos, cristãos evangélicos, educacionais e assistenciais, com prazo de duração indeterminado, tendo abrangência estadual e nacional, com sede localizada na cidade de São José/SC, à rua Otto Julio Malina n.º 1306, que tem por finalidade: a) b) c) d) e) f) g) Assistência a pessoas necessitadas materialmente; assistência médica, odontológica, psicológica e farmacêutica; assistência social; ensino de educação infantil, fundamental e de segundo grau; ensino profissionalizante; alfabetização de jovens e adultos, além de cursos de capacitação; educação especial; h) administração de creche e acolhimento institucional e outras obras assistenciais, que por ventura a Diretoria julgar por bem manter, instituir ou liderar; i) amparar a infância carente e o idoso, promovendo a integração criança/família, sociedade e idoso, tendo sempre em vista os princípios de que "a vida em família é a mais alta expressão da civilização", e que nenhuma criança deverá ser retirada do lar apenas por motivo de pobreza; j) faculdade ou curso de Teologia; k) a profissão da fé evangélica, com princípios doutrinários dentro da palavra de Deus e de acordo com as escrituras sagradas “Bíblia”. l) m) recuperação e prevenção de toxicômanos e alcoolistas; atendimento de infratores de pequenos delitos e medidas sócio-educativas. n) A entidade poderá expandir suas atividades por todo o território catarinense e brasileiro. o) A entidade mantém e atenderá em Casa Lar / Abrigo / Orfanato, através de sua unidade denominada CASA LAR “JANDIRA JOVITA DA ROSA”. p) A entidade mantém e atenderá a recuperação e prevenção de toxicômanos e alcoolistas, através de sua unidade denominada COMUNIDADE TERAPÊUTICA “DONA GENY JÚLIA FEIJÓ” localizada à Estrada Geral da Estiva, s/nº, Tijuquinhas, Biguaçu, Santa Catarina. 07

[close]

p. 8

ORIGEM DOS RECURSOS Ano de 2015 ORIGEM DOS RECURSOS As fontes de recursos da CVM para sua manutenção são obtidas através do patrimônio e rendas: a) b) c) d) e) f) Os bens móveis e imóveis; Os donativos, subvenções e legados; Os convênios, verbas municipais, estaduais e federais; As contribuições dos associados e mantenedores; Os recursos provenientes de campanhas, pedágios, etc; Os recursos provenientes de aluguéis de suas instalações e/ou patrimônio. g) Cobrança na participação em cursos como Teologia, informática, música, judô, balé e outros, em alguns períodos e horários visando subsidiar o pagamento do pessoal e material necessários para que a entidade ofereça os mesmos gratuitamente aos demais carentes; h) Os frutos advindos de atividades produtivas, com fins lucrativos, tais como: papelaria, bazar, livraria, marcenaria, gráfica, lavanderia, padaria, fábrica de pré-moldados e outros projetos, através da venda/prestação de serviços direta ou participação em licitações, públicas ou privadas, promovidas por organizações governamentais ou não governamentais, sempre visando à arrecadação de recursos para fazer frente ás despesas de atendimento da população mais carente. i) Atividades produtivas como marcenaria, livraria, papelaria, bazar, gráfica, padaria, lavanderia e cursos como informática, música, judô, balé e etc., podendo ainda participar de licitações e concorrências em órgãos públicos particulares, sendo que as mesmas visam fins lucrativos com a finalidade de ajudar a manter todos os programas gratuitos de entidade. Pode ainda solicitar a concessão para instalação de uma Emissora de Rádio, bem como de um Posto de Combustíveis. O que trata este item só poderá ser instituído e mantido para fazer frente as despesas da instituição e não podendo, de maneira alguma, os recursos aqui levantados serem utilizados de outra finalidade, que não os objetivos da fundação. j) Constituir uma empresa lucrativa, visando a captação de fundos para manter os vários projetos sociais da instituição, através do lucro. k) Participação secretária em empresa já constituída ou a constituir, com objetivos de captação de recursos através do lucro, a ser utilizado integralmente na montagem e manutenção dos projetos sociais da instituição. l) Poderão ser criadas pela instituição outras formas de captação de recursos, sempre obedecendo aos princípios da legalidade e da moralidade. A instituição poderá ainda instituir ou constituir outras fontes para levantamento de recursos, destinados a sua manutenção. Serão aplicadas integralmente no território nacional e na manutenção e no desenvolvimento de seus objetivos institucionais, todas a s receitas, rendas, rendimento e/ou eventual resultado operacional da entidade, de acordo com o artigo 3º, inciso IV do decreto Nº 2536/98. 08

[close]

p. 9

INSTRUMENTOS DE CONTROLE Ano de 2015 INSTRUMENTOS DE CONTROLE Para garantir uma maior transparência, e continuar preservando a imagem adquirida ao longo de quase 4 décadas de trabalho em Santa Catarina, a CVM vai continuar a utilizar os instrumentos de controle enfatizados abaixo: ORGANOGRAMA ASSEMBLÉIA GERAL CONSELHO CONSULTIVO DIRETORIA DIRETORIA EXECUTIVA CONSELHO FISCAL DIRETORIA TÉCNICA EQUIPE TÉCNICA COORDENADORIA DO CENTRO EDUCACIONAL COORDENADORIA DA COMUNIDADE TERAPÊUTICA COORDENADORIA DO ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL (CASA LAR) COORDENADORIA DE SERVIÇOS DIRETORIA ADMINISTRATIVA FINANCEIRA CONTABILIDADE ÁREA ADMINISTRATIVA DE TODOS OS SETORES TESOURARIA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO ESTATUTO ASSEMBLÉIA GERAL DIRETORIA CÓPIAS DE CHEQUE ARQUIVO EM MEMÓRIA ELETRÔNICA BLOCO DE RECIBOS NUMERADOS LIVRO DIÁRIO LIVRO RAZÃO ARQUIVO EM PASTAS E CAIXAS CONTROLE DE CONCILIAÇÃO BANCÁRIA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CADA PARCERIA ANALISADO PELO SETOR CONTÁBIL (DO RESPECTIVO PARCEIRO) E TRIBUNAL DE CONTAS BALANÇO ANUAL RELATÓRIO ANUAL BALANÇO SOCIAL E FINANCEIRO PUBLICAÇÃO ANUAL, BIENAL OU TRIENAL - 2.000 EXEMPLARES AUDITORIA EXTERNA REALIZADA POR EMPRESA INDEPENDENTE REGISTRADA NO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE E NA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS CONSELHO FISCAL CONTROLE INFORMATIZADO DE CONTRIBUIÇÕES DE MANTENEDORES BALANCETE MENSAL PUBLICAÇÃO DO BALANÇO ANUAL NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO E EM JORNAL DE CIRCULAÇÃO REGIONAL CONTROLE PATRIMONIAL INFORMATIZADO E ETIQUETADO 09

[close]

p. 10

RECURSOS HUMANOS EXISTENTES EM 2015 Ano de 2015 RECURSOS HUMANOS EXISTENTES 01--GERENTE GERENTEEXECUTIVO EXECUTIVOADMINISTRATIVO/FINANCEIRO GERAL 01 01 - GERENTE EXECUTIVA RECURSOS HUMANOS 01 - COORDENADORA PEDAGÓGICA 01 - COORDENADORA AUXILIAR 01 - ASSISTENTE SOCIAL 01 - NUTRICIONISTA 01 - ADVOGADO 01 - ASSISTENTE ADMINISTRATIVA 01 - AUXILIAR ADMINISTRATIVO 01 - AUXILIAR ESCRITÓRIO 01 - RECEPCIONISTA 01 - MOTORISTA / MOTO BOY 20 - PROFESSORES 01 - PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA 01 - PROFESSORA DE INCLUSÃO DIGITAL 17 - AUXILIARES DE SALA 01 - AUXILIAR DE MANUTENÇÃO 01 - ZELADOR 01 - PADEIRO 01 - COZINHEIRA 02 - AUXILIARES DE COZINHA 03 - AUXILIARES DE LIMPEZA 06 - OPERADORAS TELEMARKETING TOTAL DE 67 PROFISSIONAIS ATUARAM NA CVM EM 2015. TOTAL DE 67 PROFISSIONAIS ATUARAM NA CVM EM 2015. 10

[close]

p. 11

FORMAS DE ATENDIMENTO Ano de 2015 FORMAS DE ATENDIMENTO A CVM atende um grande número de crianças e adultos em seus vários programas. Tem uma capacidade de atendimento maior que o realizado, entretanto, para expandir os mesmos precisa de recursos financeiros que os mantenham. CAPACIDADE DE ATENDIMENTO ENCAMINHAMENTOS Em 2015 a CVM teve espaço físico suficiente para expandir seus atendimentos, no entanto, muitos serviços não puderam ser ampliados em decorrências da falta de recursos financeiros. Programa CAS - CVM CEI - Criança Feliz CT - ‘Geny Julia Feijó’ Quanto ao projeto desenvolvido no CAS, os encaminhamentos foram, além de espontâneos, feitos pelo Conselho Tutelar e pelo projeto de Educação Infantil da Instituição. O projeto de Educação Infantil desenvolvido em 2015 teve encaminhamento da Secretaria Municipal de Educação e busca espontânea. Capacidade 800 500 24 PARTICIPAÇÃO DOS USUÁRIOS Os usuários dos diversos programas participaram através de sugestões e críticas. Existe em cada programa uma caixa de sugestões onde os usuários ou membros da equipe fazem suas colocações. Foram realizadas também reuniões periódicas com os beneficiados para saber o grau de satisfação e sugestões. É realizada também pesquisa de satisfação, sendo que, cada pessoa atendida recebe um questionário onde avalia todos os setores da entidade, desde o contato telefônico até a limpeza. ABRANGÊNCIA As atividades estão concentradas no município de São José - SC, mas devido a limitação de vagas, priorizou o atendimento aos moradores do Bairro Ipiranga no município de São José. 11

[close]

p. 12

INFRA ESTRUTURA Ano de 2015 INFRA ESTRUTURA 1 - CAS - CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIAL O CAS-CVM, é um dos Programas mantidos pela CVM, atende famílias em situação de vulnerabilidade social e risco pessoal, com vistas à promoção integral do ser humano. O atendimento da CAS acontece através dos seguintes projetos: a)Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo Familiar para Crianças e adolescentes; b)Serviço de Inclusão Produtiva (Panificação e Inclusão Digital); c)Projeto Escola de família e Serviço de Orientação e Apoio Sócio Familiar; d)Projeto Coração voluntário; e)Projeto de Defesa e Garantia de Direitos; f)Projeto Remédio para Todos (Planos de implantação para 2016, em 2015 foram feitas pesquisas sobre a viabilidade e aparato legal, bem como elaboração do planejamento). Está em fase de implantação. a) SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULO FAMILIAR PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 01 Sala de aula 42 m2; 01 Sala de informática; 01 Refeitório; 01 Biblioteca; 01 Sala de TV e Vídeo; 0 1 Q u a d r a p o l i e s p o r t i v a (com vestuário masculino e feminino); Materiais esportivos. b) INCLUSÃO PRODUTIVA: PANIFICAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL Caracteriza-se como um trabalho social com famílias vulnerabilizadas decorrentes da pobreza. Por meio de cursos profissionalizantes, promove espaços de reflexão sobre a cidadania e com a intervenção da equipe interdisciplinar do CAS-CVM, articula ações e redes de apoio, que favorecem a inserção no mercado de trabalho. Fachada do CAS Sala de atendimento do CAS Sala de atendimento do CAS Elaboração do cenário para o filme “Ressurreição de Cristo”/Páscoa Aula de educação física Piquenique 12

[close]

p. 13

INFRA ESTRUTURA b1) PANIFICAÇÃO: Ano de 2015 01 Sala de 44 m²; todo maquinário de Panificação de ultima geração; mesas, cadeiras, armários, geladeiras, entre outros; iluminação adequada; serviços de Limpeza; 02 instalações sanitárias (masculino e feminino); material didático. Oficina oferecida para a comunidade em dezembro de 2015, que ensinou como preparar bolachas natalinas e panetones. b2)INCLUSÃO DIGITAL 01 Sala de 44 m²; 01 Ar Condicionado; 01 Quadro branco; 12 Computadores completos; 12 Mesas medindo 70x120; 12 Cadeiras; 12 Suportes de CPU; 02 Salas para atividades administrativas; Iluminação adequada; Serviços de Limpeza; 02 instalações sanitárias - masculina e feminina; Material didático fornecido gratuitamente. Aula de Inclusão digital para os alunos entre 4 e 5 anos de idade que freqüentam o CEI da CVM. c) PROJETO ESCOLA DE FAMÍLIA E SERVIÇO DE ORIENTAÇÃO E APOIO FAMILIAR Tem como foco principal a prevenção das situações de risco social, dependência química e violência intrafamiliar. Desenvolve atendimentos sócio assistenciais à família, de forma individual e/ou em grupos, com o propósito de desenvolver o caráter protetivo das famílias, bem como fortalecer o vínculo entre seus membros. Funciona em uma casa localizada a rua Emílio Macedo, esquina com a rua Otto Julio Malina. 01 Sala de 44 m²; Mesas, cadeiras; Serviços de Limpeza; Instalações sanitárias; Material didático. d) CORAÇÃO VOLUNTÁRIO O projeto CORAÇÃO VOLUNTÁRIO, trata-se de um projeto intergeracional que busca por meio de trocas entre diferentes idades, nível econômico, social e cultural, desenvolver a prática da cidadania e da solidariedade. Voluntário Seu Borges Voluntário Pastor Mário Voluntária Dona Dinora Voluntária Sra.Bety 13

[close]

p. 14

INFRA ESTRUTURA e) PROJETO DE DEFESA E GARANTIA DE DIREITOS Ano de 2015 O Projeto de Defesa e Garantia de Direitos da CVM, ocorre desde sua fundação, a CVM compreendeu desde o início que é necessário conhecer as legislações e participar das decisões que dizem respeito à sociedade, em especial as Entidades Beneficentes de Assistência Social e aos usuários por elas atendidos. Sendo assim, além de prestar serviços, a CVM buscou ter voz ativa e participativa nos órgãos deliberativos, contribuindo para as decisões referentes às políticas públicas no âmbito do município e estado. A CVM promove ações de divulgação e conscientização à população, quanto a seus direitos e representa as Entidades Beneficentes de Assistência Social por meio de reuniões e participação também nos Fóruns municipais e estaduais da criança e do adolescente e da assistência social. e1)Participação nos Conselhos: Participação nos Conselhos de âmbito municipal: CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e CMAS – Conselho Municipal da Assistência Social; Participação nos Conselhos de âmbito estadual: CEDCA - Conselho Estadual dos Direitos das Crianças e Adolescentes; CEAS – Conselho Estadual de Assistência Social. e2)Promove encontros periódicos entre as Entidades de Assistência Social e Associações. e3)Participação nos Fóruns da Criança e do Adolescente e Assistência Social. e4)CVM – JORNAL- CIDADANIA: Informativo elaborado pela equipe técnica da Instituição. Socializar informações significa para a CVM o compromisso com a garantia do direito à informação, como direito fundamental de cidadania. 2 - CENTRO EDUCACIONAL INFANTIL CRIANÇA FELIZ Funciona no Prédio sede de 04 (quatro) andares com área total de 4.020 m², contando com as seguintes instalações: 01 cozinha, 01 refeitório, 01 padaria, 01 lavanderia, 08 depósitos (alimentos, material de higiene e limpeza, verduras, etc.), arquivo morto, rouparia, setor pedagógico, biblioteca, sala de reunião, 5 (cinco) salas de administração, BWC nos setores administrativos, 22 (vinte e duas) salas de aula, 01 solário, 01 sala (oficina de alimentação), 04 dormitórios, 01 quadra de esportes, 01 parque, garagem, recepção de materiais, hall de entrada, 01 solário, etc. Fachada da CVM Quadra de esportes Parque de diversão Sala de aula Refeitório Sala de Informática Padaria Sala de vídeo 14

[close]

p. 15

INFRA ESTRUTURA 3 - COMUNIDADE TERAPÊUTICA Ano de 2015 A Comunidade Terapêutica “Dona Geny Julia Feijó” foi inaugurada em 1996 com o propósito de atender dependentes químicos de substâncias psicoativas na perspectiva de motivar a provocação de uma mudança, em busca da ressignificação de histórias de vida do público atendido, intervindo em todas as áreas: física, mental, espiritual, social, familiar e profissional. Atualmente o espaço físico da comunidade terapêutica está sendo reestruturado com o propósito de atender 24 pessoas, observando as normas da ANVISA. 4 - ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL “ATIVIDADE PARALISADA - SEM PREVISÃO DE ATENDIMENTO”. Espaço alugado para a Prefeitura Municipal de São José onde funciona atualmente o Acolhimento Institucional Municipal. O espaço físico do serviço de acolhimento é aconchegante e seguro, com padrões arquitetônicos semelhantes ao de uma residência; foi organizado de modo a favorecer a privacidade e interação das crianças. Conta com espaço para TV, armários, todos os quartos com suíte (BWC), espaço para realização de tarefas escolares. Existem quartos (suites) para acolher 2 (duas) crianças, quartos (suites) para acolher 4 (quatro) crianças, quartos (suites) para acolher 6 (seis) crianças. Para a distribuição de crianças por quarto é observado os seguintes aspectos: idade, sexo e se há grupos de irmãos ou outro vínculo familiar, e ainda se há afinidade construída espontaneamente entre os jovens. O serviço de acolhimento está localizado em área residencial (Rua Emílio Macedo, S/N - Bairro Ipiranga), garantindo espaços privados e adequados ao desenvolvimento das crianças. A infra-estrutura da unidade é nova e adaptada as exigências do Corpo de bombeiros, Vigilância Sanitária, a Tipificação Nacional de Serviço Social Assistencial e a acessibilidade. A área total utilizada é de 615,16 m². 15

[close]

Comments

no comments yet