ABOPE Digital Edição 1

 

Embed or link this publication

Description

Informativo ABOPE

Popular Pages


p. 1

ABOPE Digital Outono 2016, Edição1 Agora nós temos uma nova via de comunicação! Este é ABOPE Digital, um informativo da nossa Associação! Tudo para nos aproximarmos de você. As suas considerações são muito bem vindas! Boa leitura! NESTA EDIÇÃO Palavra do Presidente Matéria de Capa 23º Congresso da iADH Falta de Acessibilidade Agenda ABOPE Terminologia na Deficiência

[close]

p. 2

1 2 ABOPE Digital PALAVRA DO PRESIDENTE Para que serve uma associação? Meus caros “especiais”... Olá amigos, gostaria de começar esse meu texto de abertura do informativo da Associação Brasileira de Odontologia para Pacientes Especiais, nossa querida ABOPE, adjetivando os profissionais que se dedicam a mais nobre das especialidades odontológicas. Mas não temos um adjetivo que nos referencie, como por exemplo, os odontopediatras, os endodontistas, os ortodontistas, os implantodontistas, entre outros. Por isso resolvi, por conta e gosto, tratá-los como “especiais”. Com relação a ser a mais nobre das especialidades, claro que todas as Dr. José Reynaldo Figueiredo Presidente da ABOPE Mestre em Odontologia Legal e Doutor em Ciências Odontológicas Especialista em Odontopediatria e em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais Membro Conselheiro da iADH Membro vitalício da AIOPE especialidades odontológicas, quando exercidas com ética, respeito ao próximo, e profissionalismo são nobres, mas a Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais é... especial. No dicionário do Professor Antônio Houaiss, entre várias acepções para a palavra especial, tem uma que me encanta: fora do comum; fora de série; ótimo, excelente. Os sinônimos também são bem explícitos para distinguir essa classe de profissionais devotados a uma atuação singular: extraordinário, insólito, milagroso, excepcional, prodigioso, diferente, incomparável, inconfundível, esotérico, isolado, peregrino, precioso, raro, único. E você aí, meu colega de profissão, meu amigo de fé, em qual se encaixa! Como se vê, alguns sinônimos são bem efusivos, outros destacam o caráter da individualidade do “especial”. Mas somos felizes O que fazer na Crise Convulsiva durante o atendimento odontológico? 1) Fique calmo e anote a duração da crise. 2) Remova qualquer dispositivo da boca do paciente o quanto antes. 3) Vire a cabeça do paciente de lado, para facilitar respiração e escoamento de saliva. 4) Não remova o paciente da cadeira odontológica. 5) Não prenda os movimentos do paciente. 6) Não administre agua ou qualquer outro liquido. 7) Se a crise durar mais de 3 minutos, crises sequenciais, ou o paciente perder a respiração, acione o serviço de emergência. 8) Após a crise o paciente pode sentir sono, recomende observação. 9) Anote quais as possíveis causas da que possam ter precipitado a crise, como, luz do refletor, sons ou movimentos bruscos. Fonte: Google (Sem direitos reservados)

[close]

p. 3

4 1 2 3 Outono 2016, Edição 1 sendo únicos, isolados, raros, diferentes? sozinho em Não creio. “Nenhum homem é uma ilha, si mesmo...”, a famosa frase de John Donne, poeta inglês do século XVI, mostra como deveria ser o comportamento pessoas. de Não social vivemos das em formada por desejosos de um mundo melhor, que acreditam que a valorização profissional é possível e que muitos podem contribuir para uma qualidade de vida pode das ser pessoas. usada para nem Em ferir contrapartida, uma associação não susceptibilidades, morais ou pessoais. É isso que a ABOPE se propõe, ser uma entidade plural, ética, representativa, congregando profissionais de várias matizes, com opiniões diversas, com ideais iguais ou distintos, mas que se interajam e busquem como bem comum pesquisa o e crescimento fomentando o a da a ataques desmistificando a odontologia em prol de uma sociedade mais justa no cuidado das pessoas ainda mais com um deficiências e grupos especiais. Aproveitando pouquinho do poeta John Donne, ele complementa seu texto assim: “cada homem é parte do continente, parte do todo, se um pedacinho for levado para o mar, o todo fica menor, assim como parte de seus amigos...”. Portanto, meus caros “especiais”, venham conosco, participem, façam parte da ABOPE, juntos somos mais fortes. “SOMOS ESPECIAIS, A ABOPE NOS REPRESENTA”. casulos, por mais que na solidão nossos consultórios, ambulatórios, centros cirúrgicos, isso possa ser aventado. Aí retomo as palavras do título: para que serve uma associação? Uma associação, enquanto forma de organização com social, interesses caracteriza-se pela reunião de indivíduos comuns, pessoais e sociais e pelo seu caráter voluntário. Ela é especialidade, promovendo conhecimento, inclusão, 22nd IUHPE World Conference on Health Promotion Data: 22 a 26 de maio 2016 Local: Curitiba – Paraná –Brazil 2º Simpósio Reabilitação Oral Data: 24 de junho de 2016 Local: APCD Central São Paulo – SP 1º ENCISO (Encontro Científico do Instituto Sorrir) Data: 11 de junho de 2016 Local: Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 – SP) 42º Congresso Brasileiro de Estomatologia e Patologia Oral Data: 04 a 08 de julho de 2016 Local: Manaus Plaza Shopping , Manaus-Amazonas 2º Simpósio de Toxina Botulínica e Preenchimento Facial Data: 29 de julho de 2016 Local: APCD Central 7º Congresso de Odontopediatria APCD – APO Data: 25 e 27 de agosto de 2016 Local: São Paulo – SP 5º Jornada Odontológica das Casas André Luiz Dr. Danilo Falsi Data: 22 de Setembro de 2016-05-24 Local: APCD Central – São Paulo XVI JOCAPE – FOUSP Data: Novembro (a definir) Local: Anfiteatro FOUSP – São Paulo I Encontro ABOPE de Docentes e Gestores em Odontologia para Pacientes Especiais Data: Dezembro (a definir) Local: A definir

[close]

p. 4

1 2 ABOPE Digital Falta de acessibilidade é discriminação, e discriminação é crime. De acordo com a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, discriminação por motivo de deficiência significa qualquer diferenciação, exclusão ou restrição baseada em deficiência, com o propósito ou efeito de impedir ou impossibilitar o reconhecimento, o desfrute ou o exercício, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais nos âmbitos político, econômico, social, cultural, civil ou qualquer outro. Adaptação razoável significa modificações e ajustes necessários e adequados que não acarretem ônus desproporcional ou indevido, quando requeridos em cada caso, a fim de assegurar que as pessoas com deficiência possam gozar ou exercer, em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, todos os direitos humanos e liberdades fundamentais. Em suma, esta Convenção - ratificada e promulgada pelo Senado e Câmara Federal - nos ajuda a compreender que cabe à nação brasileira (Governo e sociedade civil, nos níveis federal, estadual e municipal) implementar políticas públicas para possibilitar que as pessoas com deficiência conquistem e conservem o máximo de independência, autonomia e pleno desenvolvimento físico, mental, social e profissional, bem como plena inclusão e participação em todos os aspectos da vida em comunidade – saúde, trabalho, educação, esporte, sexualidade, lazer, cultura e outros. Você pode acessar a tradução oficial da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência na página http://www.direitoshumanos.gov.br . Fonte: Dicas de Convivência com Pessoas com Deficiência. Publicação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul em parceria com a Faders. Porto Alegre, 2011. Fonte: Google (Sem direitos reservados) As Mídias Sociais e sua contribuição para a Especialidade A comunicação, e a busca por informações faz parte do nosso dia a dia. A nova geração que está aí já começa a vida teclando e vivenciando um mundo rápido, instantâneo, com troca de informações a cada instante. O Brasil está entre os 5 países com o maior número de usuários web. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD 2013, realizada pelo IBGE, metade da população brasileira tem acesso à internet. Não há dúvidas de que no futuro a importância da internet e das mídias sociais será ainda maior. Com essas novas formas de vantagem do uso da plataforma digital, valorizar a área que se atua através de uma comunicação e dela, humanizada, interessante. atualizada Através conseguimos conscientizar, educar e encantar cada vez mais pessoas com o nosso trabalho. Não adianta realizar grandes feitos, se você não se preocupa em divulgar. Sabemos que hoje, o cliente moderno conectado em e é totalmente Além da com de ativo. possibilidade do profissional estar contato constante colegas e empresas, especialidade professores, recebendo todas as novidades com mais rapidez e comodidade. E quem não estiver inserido nesse espaço virtual está em grande desvantagem. Nós Cirurgiões-Dentistas não comunicação de acesso ilimitado e alcance muitas vezes incalculável, torna-se divulgação promoção muito da da importante Odontologia a e Especialidade, acredito que essa seja a grande

[close]

p. 5

4 6 3 5 ficamos de fora dessa realidade, e muitos já estão utilizando as redes sociais como ferramenta para divulgação do seu trabalho e dos seus conhecimentos. É necessário ter paciência e sabedoria, pois esta novidade está em um onde momento o de transição, Cirurgião número maior de pessoas. É importante salientar a importância do consentimento assinado e/ou assentimento para divulgação de fotos de pacientes. Ou ainda o uso de tarjas que não o identifiquem. Em contra partida, o cirurgião dentista também está exposto para que o paciente, atualmente, registre em fotos seu atendimento ou estabelecimento. Desta forma, também devemos nos proteger, sem para não ter imagens autorizações ações, o bom senso e a ética, sejam respeitadas. O Instagram, em especial, é uma ferramenta que prioriza a divulgação de imagens e com ele, as empresas e profissionais podem divulgar ideias e desfrutar de muitos outros benefícios. Já encontramos muitos perfis no Instagram Odontologia importância que dos divulgam e a a Especial Dentista, pode expor-se como pessoa física – sem vínculo nenhum com a profissão e de forma particular ou expor um perfil profissional, em que disponibiliza conteúdo para um cuidados odontológicos para os Pacientes Especiais. Entre tantos, destaco alguns que já possuem um grande número de seguidores e visualizações: @pacientesespeciais @odontologiasistêmica @special_needs_childrens @odontologiadomicilar @draceciliaaguiar @pacientesespeciaisucb @odontoespecial @especialclinodontologia divulgadas. Cremos que para estas Fonte: Google (Sem direitos reservados) Construir uma imagem de credibilidade é muito importante, e para isso, faz-se necessário que o Cirurgião-Dentista conheça o Código de Ética validado para 2013 estabelecido pelo CFO, ao planejar sua comunicação web. É preciso fazer a coisa certa. É preciso ser Ético, inclusive na internet. O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) oficializou, no dia 28 de março de 2016, a criação da Comissão de Mídias Digitais em Odontologia. Um grupo composto por oito cirurgiões-dentistas com ampla experiência e atuação em comunicação on-line. A comissão é um órgão consultivo e de assessoria do Conselho para quaisquer assuntos que envolvam a utilização de mídias digitais no âmbito da Odontologia, uma vez que vivemos essa novidade. E com toda essa evolução, não poderia deixar de citar a criação de aplicativos para facilitar a comunicação entre os usuários de celulares e smartphones. Uma dessas ferramentas interativas é o WhatsApp, que permite aos usuários a

[close]

p. 6

7 1 2 ABOPE Digital Outono 2016, Edição 1 troca de mensagens gratuitas por meio da internet, além de participar de grupos, compartilhando arquivos de texto, áudios, imagens e vídeos. E mais uma vez, nós Cirurgiões-Dentistas que atuamos na Odontologia Especial não ficamos de fora dessa. Foi criado um grupo no WhatsApp, o Odonto-PcD Brasil, que conta com quase 300 participantes de todo o Brasil, que trocam informações, discutem casos clínicos e planejam ações voltadas para os Pacientes Especiais. Então eu pergunto, até onde as mídias sociais podem influenciar a sociedade? É possível ter noção da sua força? A certeza que tenho é de que cada vez mais vivemos num mundo veloz e interconectado. E que isso é bom! Dra Fernanda Urbini Romagnolo Cirurgiã-Dentista Mestranda em Odontopediatria Especialista em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais Pós-Graduada em Odontopediatria Pós-Graduada em Ortodontia Instagram: @minhaodontopediatra 23º Congresso da iADH em Chicago e a história da ABOPE Entre os dias 14 a 17 de Abril de 2016, o 23* Congresso da IADH aconteceu em Chicago, USA illinois, no Westin Michigan avenue Hotel. A ABOPE, há mais de 20 anos participa, ativamente, dos congressos promovidos pela iADH (INTERNATIONAL ASSOCIATION FOR DESABILITY AND ORAL HEALTH). Somos a única Associação Brasileira a representar nosso país e nossas atividades na área de Odontologia para PNE junto à iADH. A história da IADH se inicia em 1971 em Atlantic City, por um grupo de profissionais abnegados ao atendimento ao paciente com necessidades especiais, e com objetivo de desenvolver técnica e cientificamente a área, iniciou-se a realização de congressos a cada 2 anos e hoje se concretiza a 23º edição, com mais de 40 países associados e com o reconhecimento de entidades internacionais e certamente a mais importante associação da área e detentora do mais reconhecido e cobiçado congresso da área. A ABOPE se fez presente e em 2008 trouxe para o Brasil, após aceita sua candidatura em 2004 em Calgary no Canadá onde a Dra Leda Mugayar representava nossos interesses, e sendo representada em 2006 pelo Dr. Marcello Feitosa Boccia, em Gotemburgo na Suécia, assinou o que seria o maior evento da área de pacientes especiais na América Latina. Presidido em conjunto com a

[close]

p. 7

4 3 5 ABOPE Digital Associação Argentina de e iADH do Dr. Boccia, abriu-se uma vaga para membro do conselho onde foi convidado o feito ao Dr. Rafael Celestino que foi um dos palestrantes do congresso. Estivemos presente, mais uma vez, neste evento, contando ainda com a presença do Dr. Almir Oliva, diretor científico da ABOPE e a Dra. Isabela Castro, seus que apresentaram trabalhos paciente especiais AAODI, representada pela Dra. Gabriela Scagnet, o evento no Brasil foi realizado em Santos em 2008 , o que nos elevou de patamar junto as associações ao redor do mundo. Desde então, somos ouvidos, representados e lutamos pela América Latina e seu desenvolvimento na área de Odontologia para PNE. Com a ascensão à executiva da atual Presidente da ABOPE, o Dr. José Reynaldo Figueiredo que agora se incorpora a iADH e ajudará no fortalecimento do Brasil e América Latina junto a Instituição. As portas se abrem aos também em Chicago. Com isso, vemos a importância que chegamos, nossa representatividade e nossa força para que elevemos a odontologia para pacientes com necessidades especiais, não só no âmbito nacional, mas rompendo fronteiras na América Latina e ao redor do mundo. brasileiros, com a presença de um dos nosso diretores, e ficamos honrados e felizes pelo convite Dr. Marcello Boccia Especialista e Mestre em Endodontia Especialista em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais Membro do Executive Board da iADH Membro vitalício da AIOPE Vice Presidente da ABOPE

[close]

p. 8

ABOPE Digital VOCÊ SABIA? A ciência ainda não consegue explicar porque algumas pessoas com deficiência (indeterminada) possuem extraordinária capacidade para realizar cálculos mentais ou memorizar sons. Um exemplo é o Tom Fuller, que vivia nos Estados Unidos, ele levou dois minutos para responder que havia 47 milhões e 304 mil segundos em um ano e meio. Desta forma, pensemos nas potencialidades, pois o que define uma pessoa com certeza não é a sua deficiência! Adaptado de: Sitedecuriosidades.com Fonte: Google (Sem direitos reservados) Terminologia sobre a Pessoa que tem Deficiência Uma dúvida constante é como se referir a uma pessoa com alguma deficiência, seja ela física, intelectual, visual, auditiva ou múltipla. O uso de um vocabulário inadequado pode refletir preconceito e falta de conhecimento, mesmo que na tentativa de ser politicamente correto. É preciso ter ciência de que um pessoa com deficiência é diferente de um paciente com necessidades especiais, como regularmente no referimos em Odontologia, desde 2001. Atualmente, quando for se referir a uma pessoa, o termo correto é pessoa com deficiência, caso se refira a um caso clínico, o termo é paciente com necessidades especiais – reconhecido pelo CFO. Mas isso pode mudar, pois, com tempo são repensadas as políticas com base nos direitos deste grupo, uma vez que termos por mais simples que sejam, refletem a realidade de forma positiva e devem têm o apoio das pessoas com deficiência. OS TERMOS MAIS ADEQUADOS Pessoa com deficiência. Termo presente na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, da Organização das Nações Unidas, que o Brasil ratificou com valor de emenda constitucional em 2008. Não diga pessoa portadora de deficiência ou portador de deficiência. A pessoa não porta, não carrega sua deficiência, ela tem deficiência e, antes de ter a deficiência, ela é uma pessoa como qualquer outra. Pessoa com deficiência física. Substitui os termos deficiente físico, o deficiente, a deficiente. O termo deficiência física se refere à categoria dentro da qual existem muitos tipos (amputações, paralisias, paresias, baixa estatura, amputações, malformações congênitas etc.). Pessoa com deficiência visual. O termo deficiência visual se refere à categoria dentro da qual existem os tipos cegueira e baixa visão (em variados graus). Pessoa cega. Muitas pessoas cegas aceitam ser chamadas cegas. Evite dizer pessoa cega total ou pessoa com cegueira total ou cego total, pois são termos redundantes. Pessoa com baixa visão. Substitui o termo pessoa com visão subnormal. Pessoa com deficiência auditiva. O termo deficiência auditiva se refere à categoria dentro da qual existem os tipos surdez e baixa audição (em variados graus). Pessoa surda. Muitas pessoas surdas aceitam ser chamadas surdas. Evite dizer pessoa surda total ou pessoa com surdez total ou surdo total. Pessoa com baixa audição. Substitui os termos pessoa com surdez parcial, surdo parcial, que são redundantes. Algumas pessoas com baixa audição preferem ser chamadas pessoas com deficiência auditiva ou deficientes auditivos em vez de pessoas com surdez parcial, pois elas não se consideram surdas.

[close]

p. 9

ABOPE Digital Pessoa com tetraplegia. Substitui os termos tetraplégico, tetra, quadriplégico. Pessoa com deficiência intelectual ou pessoa com déficit cognitivo. Substitui os termos deficiente mental, excepcional, retardado mental. O termo deficiência intelectual se refere à categoria dentro da qual existem muitos tipos, dependendo dos apoios, habilidades adaptativas e outros fatores. Pessoa com transtorno mental. Substitui o termo doente mental. Pessoa com deficiência múltipla. É a pessoa que tem duas ou mais deficiências ao mesmo tempo. Evite dizer pessoa com deficiências múltiplas. Pessoa com mobilidade reduzida. É a pessoa que, não se enquadrando no conceito de pessoa com deficiência, tem, por qualquer motivo, dificuldade de movimentar-se, permanente ou temporariamente, gerando redução efetiva da mobilidade, flexibilidade, coordenação motora e percepção: pessoa com idade igual ou superior a 60 anos, gestante, lactante e pessoa com criança de colo. (Decreto n. 5.296, 02/12/2004, art. 5°, § 1°, II, e §2°). Evite o termo cadeirante, pois o termo ressalta o instrumento que a pessoa porta e não o que a pessoa é. Diga usuário de cadeira de rodas, porque coloca a pessoa à frente do instrumento com o qual se locomove. Se necessário, você pode usar o termo cadeirante apenas em conversas informais, mas nunca em palestras ou textos formais (acadêmicos, científicos, oficiais). NAS COMPARAÇÕES Em vez de criança/adulto/pessoa normal, use sem deficiência. Em vez de sala de aula/escola/classe normal, use comum. Para evitar a excessiva repetição do termo pessoas, troque-o por usuários, cidadãos, alunos, trabalhadores. Evite referir-se à pessoa com deficiência pela sigla PcD, não se deve usar siglas para seres humanos. Mas, se necessário, use-a em espaços diminutos (colunas em quadros estatísticos, notícias curtas e etc.). Fonte: Google (Sem direitos reservados) Por Rafael Celestino de Souza Adaptado do site http://www.pessoacomdeficiencia.curitiba.pr.gov.br/ VOCÊ É NOSSO CONVIDADO PARA EXPOR O SEU SERVIÇO, REDE DE TRABALHO OU TRABALHO ACADÊMICO! QUER SABER COMO? ENTRE EM WWW.ABOPE.ORG

[close]

p. 10

ABOPE Digital Outono 2016, Edição 1 ABOPE SOCIAL ABOPE SOCIAL é um espaço descontraído do informativo para divulgar fotos de eventos e promover a interação de sócios! Se você já é um associado, pode fazer parte deste espaço também, envie sua foto ou foto de seu evento e nós iremos divulga-la. Com este espaço, podemos conhecer os serviços e eventos da especialidade, até mesmo quando não podemos estar presentes. MANDE SUA FOTO TAMBÉM! contato.abope@gmail.com Painel Dra. Isabela e Dr. Almir 23º iADH Executive Board iADH - Chicago Dra. Áquila e Dr. Efrain – 4º ALOPE Dr. Medardo Goméz e Dr. Alexandre - 4º ALOPE Argentina, Chile e Brasil – 23º iADH Congress Fundação e Posse AIOPE Defesa de Especialização em PNE - Dra Lais e Amigos Reunião ABOPE - CIOSP

[close]

Comments

no comments yet